GM apresenta maior motor V8 já feito com 10.4 litros e 1.018 cv

 

GM apresenta maior motor V8 já feito com 10.4 litros e 1.018 cv


A General Motors decidiu radicalizar com um novo V8 “crate” para os customizadores e o pessoal das arrancadas. Trata-se do ZZ632, um imenso V8 de nada menos que 10.4 litros e aspiração puramente natural.

Sem qualquer ajuda para elevar a potência, o novo monstro insano para customização supera o V8 9.4 litros do Chevrolet Camaro COPO mais recente, lançado em junho nos EUA. Este surgiu como o carro de produção seriada com maior motor colocado numa linha de produção. Como se sabe, o Camaro COPO é feito exclusivamente para arrancadas.

No caso do ZZ632, que tem 632 polegadas cúbicas, a engenharia da GM adicionou uma calibração com taxa de compressão de 12:1, entregando 1.018 cavalos de potência e 120,7 kgfm de torque. O imenso bloco de ferro fundido e cabeçotes de alumínio reforçado, deixa o ZZ632 como uma opção monstruosa para colocar em carros de arrancada, superando até o Hellephant da Dodge.

Em uma era de eletrificação, a GM ainda mantém os puristas da gasolina com coisas tão insanas quanto os antigos Big Block dos anos 60 e 70. Hoje, no caso do ZZ632, há pelo menos injeção eletrônica, apesar de a arquitetura ser totalmente clássica, ou seja, simples e robusta, feita para durar.

GM apresenta maior motor V8 já feito com 10.4 litros e 1.018 cv

No mercado americano, as marcas tradicionais ainda apostam em grandes V8, como o Hellcat 6.2 Supercharger da Stellantis com seus insanos 717 cavalos, com direito ao V8 Demon de mais de 800 cavalos.

Na Ford, a Shelby tem o V8 5.2 Predator superalimentado do Mustang GT 500 com 770 cavalos, bem acima dos 535 cavalos do Mustang GT 350. Já na Chevrolet, o Camaro ZL1 tem 659 cavalos em seu V8 6.2 Supercharger.

Até mesmo nas picapes e caminhões leves, o mercado americano tem ainda o imenso V8 Godzilla da Ford, com seus 7.3 litros e potências de 300, 350 e 430 cavalos, usado na Ford Série F Heavy Duty, construído inteiramente em ferro fundido como nos antigos motores americanos.

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações.