Chevrolet GM Lançamentos SUVs

GM: Captiva Ecotec e nacionalização de modelos mexicanos?

gm-captiva-ecotec-e-nacionalizacao-de-modelos-mexicanos GM: Captiva Ecotec e nacionalização de modelos mexicanos?

Hoje em Indaiatuba-SP, a GM lançou oficialmente o Chevrolet Captiva Sport Ecotec, utilitário esportivo com motor Ecotec 2.4 litros e preço de R$86.990.

Já anunciado aqui no NA, o Captiva Ecotec vem com acabamento mais simples, porém mais equipado que os dos seus concorrentes, nesta versão de entrada.

O preço menor em relação às outras versões com motor V6 3.6, será um grande atrativo para que deseja um utilitário esportivo bem equipado e acima de tudo, seguro.

Se formos comparar com concorrentes coreanos, como Kia Sportage ou o Hyundai Tucson, a Captiva Ecotec tem enorme vantagem devido ao nível de equipamentos de conforto e segurança.

O modelo tem seis airbags(quase um padrão americano), ABS/EDB, TCS, ESP, comandos de som e piloto automático no volante, medidor de pressão dos pneus, entre outros.

O visual não é ruim, por ser uma versão de entrada, o Captiva Ecotec é uma versão Sport do modelo, mas com partes em Antracite(cinza escuro), como diz a GM.

Espera-se que não haja mais ágio para a venda da Captiva Ecotec, que é importada do México. Mas, se a GM reduzir a produção da fábrica do México, devido à crise, o que acontecerá com as vendas dela aqui no Brasil?

Nacionalização

Uma resposta interessante à essa pergunta, veio da GM. A marca estuda nacionalizar três modelos que seriam produzidos no México! Quais seriam eles?

Bom, segredo em dois deles apenas, mas o terceiro poderá ser um pequeno SUV derivado do Chevrolet Viva(alguém arrisca o GPiX?) que seria feito aqui para disputar mercado com o Ecosport.

Outro que poderá ser nacionalizado, é o motor GM Ecotec 2.4 que equipa o lançamento de hoje da marca, a Captiva Sport Ecotec. O motor tem 171cv e faz o Captiva ter média de 11,7 km/litro.

A GM sabe, que com a crise no mercado americano, será obrigada a reduzir a produção de unidades na América do Norte. Por isso, nada mais natural e lógico do que produzir aqui, modelos que vendem bem no Brasil e Mercosul.

Assim a marca não corre o risco de ver seu mercado estagnar em certos segmentos, por desabastecimento de produtos vindos do México.

Fonte: Estadão/Interpress Motor.

  • Luis.J.R.

    Esse vai vender muito, muito!Espere ai um pouco, a gm pode produzir alguns carros da gm mexicana aqui.Bom, muito bom. :cool:

  • LeoBH

    Essa grade é bonita no Captiva… mas pra carros pequenos, acho exagerada… pelo que ando vendo o Viva será uma espécie de mini Captiva… aí já não gosto! Igual aquele era onde o Celtinha tinha frente similar ao Vectra 97

  • Robson Levy

    Bom!Bom!

  • Snowmobile

    Seja educado nos seus comentarios.

    PELO AMOR DE DEUS!GM TE :inluv: MAS ESSES MOTORES DE MONZA SÃO…AVE! :bate:

    ECOTEC RULA!E JÁ

    IMAGINA UM VECTRA COM A ACABAMENTO MELHOR E UM 2.4 ECOTEC HUM… :drinkk:

  • rafael koch

    Seja educado nos seus comentarios.

  • Luky

    Onde se lê “nacionalização”, leia-se “depenação”.

    Afinal, esta tem sido a prática de todas as montadoras qnd lançam aqui no Brasil um modelo que vem de fora…

  • jonathanBR

    Faz sentido a GM tirar o 2.4 do atual Vectra. Sobre o que o NA falou, se ser produzudo na nova planta de motores da GM (EM Santa Catarina, se não me engano), a GMpoderá disponibilizar esse motor para o Vectra!

  • duhs2dany

    Só digo uma coisa..

    “Quando a esmola é grande, até cego desconfia.”

  • diogo14_dias

    Olá…
    O Captiva Ecotec já esta disponivel na concessionária de Resende-RJ desde semana passada, mais eu ainda não procurei saber qual vai o preço real dele….

  • Raimundo

    Nada mais logico a GM, pra manter o nivel de producao no Mexico, diminuir um pouco a margem de lucro e baratear produtos vindos de la pra ca. Produzir um carro aqui demora muito, requer grande volume de investimento, apesar da GM ter dinheiro em caixa, e nao quer dizer q seu produto sera mais barato aqui e muito menos ter um volume de vendas q justifique a nacionalizacao. A propria GM ja disse q carros mais sofisticados como este Captiva virao do Mexico. Ela ja nao vende tao bem o Vectra e vai querer fazer algo ainda mais caro sem falar q seu suv Blazer, atualmente, faz vergonha ao lado da Pajero Sport pra nao citar o resto? Com relacao ao minisuv derivado do Viva: por q este seria nacionalizado? As variacoes do Viva podem e devem ser feitas todas aqui, pois ha demanda pra isto. O unico, pra mim, q faria sentido nacionalizar, ate pelo nivel dos concorrentes, seria o Cruze mas ela acha melhor gastar dinheiro no Vectra.

  • carlos

    Captiva 2.4 faz 7 km/l, segundo o uol carros

  • dmt

    Acho que não faz nenhum sentido nacionalizar esses carros. Construir uma linha de montagem aqui sairia muito caro ainda mais levando-se em consideração o fato de que as vendas estão em baixa no Brasil e no mundo, a GM está quase quebrando e o carro vem do México sem pagar imposto de importação, onde tem capacidade ociosa!

    Fechar uma fábrica por algumas semanas não é nenhum fim do mundo como muitos pensam, as montadoras do Brasil estão fazendo isso o tempo todo. Obviamente quando fazem isso eles produzem uma quantidade X para suprir o mercado enquanto a fábrica estiver fechada e como as vendas estão em queda essa quantidade de estoque atende tranquilamente até a fabrica retomar as atividades.

  • Gustavo Miranda

    Olha, eu tenho uma simpatia muito grande pela GM, mas se ela fizer mesmo isso de nacionalizar a Captiva e outros mexicanos, de onde presumo estar o Aveo, o Malibu ou o Corsa alemão, a ser lançado por lá logo, eu vou ficar muito, mas muito surpreso mesmo!

  • Pedro Mathia

    O Ecotec é previsível. Muitos engenheiros negavam a construção do Família I e II na fábrica de Joinville (SC). O Lacetti deverá ser mexicano em um primeiro momento e depois, paulista. Mas a produção do Captiva em solo tupiniquim é deveras caro, devido a muitos equipamentos que não possuem fornecedores no Brasil.

    Lembrando que o GPix é apenas um estudo – nem o Viva nem o mini-SUV derivado dele serão exatamente iguais ao mocape que estava no Salão.

  • macarrone

    Comentario #140353 sera citado aqui]

    Concordo!!!!
    Nenhuma montadora faria isso, transferir produção de um carro que já é feito no México…..o preço ficaria mais caro!!!! Se essa Captiva fosse feita aqui, não sairia por menos de 100 mil…
    A tendência, é todas transferirem a produção de carros sofisticados para o méxico. Com já faz a VW, agora a GM, e futuramente, se a união der certo, será a Fiat!!!!

    ‘arriba..arriba’…

  • Hodney

    Seja educado nos seus comentarios.

    Acredito que fabreicando aqui os preços irão aumentar e muito visto que o custo de produção no México é muito menor que no Brasil e a qualidade não será de exportação.

  • Eduardo

    se nacionalizarem o HHR eu compro um. mas duvido muito que seja ele, e aposto no futuro Cruze – que nem sei se será feito lá – e no Aveo. infelizmente.

  • Giovanni

    Seja educado nos seus comentarios.

  • tiago

    não será fabricado no Brasil por vários motivos: custo de implantação da fábrica absurdo, ainda mais em cenário de crise, a mão de obra mexicana é mais barata e é tão produtiva quanto, além de a Captiva ter várias peças vindas dos EUA(ali do lado) que não pagam imposto de importação no México(NAFTA). Insenção de imposto de importação(35%) só reforça essa idéia, que por sinal é muito lógica.

Send this to a friend