Antigos Chevrolet História Mercado

GM: Importados por pouco tempo, eles contribuíram para a fama da Chevrolet nos anos 90

Chevrolet-Calibra-1 GM: Importados por pouco tempo, eles contribuíram para a fama da Chevrolet nos anos 90

Após pouco mais de duas décadas, a GM entrava nos anos 90 colocando um fim em dois projetos populares, porém, já antiquados. Nesse meio tempo, apenas um modelo global surgiu em consonância com os demais mercados. No mais, apenas um compacto alemão chegou, mas tarde demais para fazer a diferença.



Em ritmo de novos tempos, de importações e de grandes investimentos, a GM decidiu (novamente) se inspirar nos primos alemães da Opel e entre os projetos mais modernos para produção no país, tais como Corsa e Vectra, por exemplo, trouxe também alguns importados, que ajudaram a Chevrolet à se destacar no mercado nacional.

Chevrolet-Calibra-1 GM: Importados por pouco tempo, eles contribuíram para a fama da Chevrolet nos anos 90

Apresentado em Frankfurt no ano de 1989, o Opel Calibra era o sucessor do Manta e tinha como estaque um excelente visual, assim como coeficiente aerodinâmico de apenas 0,26. Feito na Alemanha e Finlândia (Valmet), parecia um sonho para os brasileiros, que virou realidade em 1993, quando chegou com a marca Chevrolet.

O belo cupê duas portas veio com motor 2.0 16V de 150 cv, capaz de levá-lo de 0 a 100 km/h em 8,5 segundos. Vendeu somente 1.563 unidades, tendo 1995 como seu melhor ano. Em 1997, deixou saudades por aqui e também na Europa, pois saiu de linha. Só o Opel Astra Coupé o sucedeu em 1999 na Europa.

Chevrolet-Calibra-1 GM: Importados por pouco tempo, eles contribuíram para a fama da Chevrolet nos anos 90

Falando em Astra, com hatch e até perua, o modelo da Opel chegou ao Brasil importado da Bélgica. Em 1995, um elegante hatch médio chegava para preencher um nicho que o Kadett – seu antecessor – não podia mais atender.

Por causa do peso, a GMB fechou um acordo com a Opel e exportou para a Bélgica o 2.0 8V de 116 cv usado no Vectra nacional, que voltava no Astra. Mas, por conta da alta expressiva do imposto de importação, deixou o mercado em 1996. Seu legado foi preparar o terreno para a versão nacional, que durou muito mais por aqui.

Chevrolet-Calibra-1 GM: Importados por pouco tempo, eles contribuíram para a fama da Chevrolet nos anos 90

Mas os anos 90 – mesmo com tamanha instabilidade tributária – viu chegar às ruas e estradas brasileiras um cupê de porte compacto derivado do Corsa, o Chevrolet Tigra. Igualmente alemão, o pequenino nasceu em 1994, mas só chegou por aqui em 1998. Foram só alguns meses de importação por causa da desvalorização do real.

Com vidro traseiro envolvente, o Chevrolet Tigra era um 2+2. Seu motor era 1.6 16V de 106 cv e ia de 0 a 100 km/h em 10,5 segundos. Importado tanto da Espanha quanto da Alemanha, o cupê seria um sucessor interessante para o finado Corsa GSi, mas com seu alto preço e a já conhecida instabilidade fiscal no país, não iria muito longe se não fosse feito aqui. Saiu de cena em 1999.

Chevrolet-Calibra-1 GM: Importados por pouco tempo, eles contribuíram para a fama da Chevrolet nos anos 90

Caminho inverso

Da mesma forma que o Astra chegou importado e virou nacional algum tempo depois, a GM também viu um modelo que foi nacionalizado virar importado, embora não necessariamente o mesmo carro. O Omega foi lançado em 1986 e ainda tinha uma variante maior e mais luxuosa, o Senator B.

Em 1992, a GM lançava no Brasil o tão esperado sucessor do Opala, o Omega nacional. Sua trajetória por aqui é bem conhecida e entre motores 2.0, 2.2 e seis cilindros em linha 3.0, teve inclusive o velho 4.1 do modelo que o antecedeu no lineup da Chevrolet. Inclusive ganhou uma perua, chamada Suprema.

Mas em 1998, o Omega “alemão” saía de cena no Brasil. Em seu lugar, a GM trouxe o Omega “australiano”, que não era senão o Holden Commodore VT, que nunca recebeu o raio horizontal da Opel. Durou bastante, tendo recebido nova geração em 2007 e até uma variante dedicada à homenagear o piloto Emerson Fittipaldi em 2011. Deixou o país em 2012 sem um herdeiro em seu posto.

COMPARTILHAR:
  • Ricardo Blume

    Até hoje eu tenho admiração pelo Calibra.

    • ObservadorCWB

      E onde ficou o Vectra ???? No seu modelo GSi tinha até mesmo radiador do óleo do motor. Não eram meros apliques de plástico ou logotipos que “transformavam” um carro em “esportivo”.

      • Ⓜ️arcelo

        Os vectras eram nacionais, as a matéria é sobre os importados gm

        • Felipe

          Mas a primeira geração que o Brasil viu do Vectra era importada, não?
          http://www.flatout.com.br/wp-content/uploads/2014/04/gsi7.jpg

          • Verdades sobre o mercado

            Não, era montado no Brasil, mas tinha boa parte das peças importadas(inclusive a lataria).

            • Felipe

              Valeu a informação!

              • pedro rt

                a 1° geracao do vectra era montada igual a 1° geracao do cruze aqui no BR… ambos vinham em CKD e eram montados aqui. o vectra da alemanha e o cruze da coreia do sul

          • Ⓜ️arcelo

            Todos os Vectras, inclusive os primeiros, eram nacionais, chassi 9BG….

            As primeiras unidades foram montadas em regime ckd na planta de São Caetano em meados de 1993 mas com ano modelo 1994.

            • Felipe

              Pois é… Imaginei mesmo que toda a primeira geração fosse importada desmontada (CKD) e apenas montada aqui.
              Valeu a informação!

              • Ⓜ️arcelo

                Exato, por isso mesmo que era considerado nacional (montado aqui)

                Se você pegar o registro de um veículo destes na Bin verás que o chassi começa com 9BG e não existe número de DI.

              • Verdades sobre o mercado

                O motor 8v era nacional.

        • ObservadorCWB

          Você está ENGANADO. O Vectra a que me referi era importado GSi…… e foi assim durante o ano de 1994 até meados de 1996. O Vectra de segunda geração é que foi feito aqui. E o de terceira geração nem Vectra era. Na época do ridículo Vectra Elite III, ele chegou a ser mais caro que carros superiores (Ex. Azera e Fusion). Se você fosse falar de modelos EXCLUSIVAMENTE importados, o Astra e o Ômega deveriam ser retirados da matéria. Só para voltar ao Vectra I – Europeu, radiador de óleo, retrovisores aquecidos, ABS, CT, computador de bordo piscava e indicava um floco de neve quando a temperatura exterior ficava abaixo de zero grau, som muito bom para época…..

          • 1/2 URSO 1/2 CÃO

            Tive um Vectra “A” desses até pouco tempo em minha coleção. Na realidade o motor do GSI era importado assim como partes de acabamento, lanternas, faróis, estofamento, etc, que correspondiam a cerca de 60% dos componentes, mas a montagem era feita aqui. O meu tinha fárois e lanternas fabricados na Alemanha, piscas feitos na Austria, entre outras peças oriundas desses países. Partes plásticas tanto no cofre do motor quanto internas, made in Brasil.

            • Gustavo73

              Meu pai tem um Monza 500 EF as lanternas traseiras são made in Germany.

            • Ⓜ️arcelo

              Essa carro era sonho de consumo, parabéns!

          • Ⓜ️arcelo

            Você que está TOTALMENTE ENGANADO E INDUZINDO TODOS AO SEU ENGANDO

            Os primeiros Vectras surgiram como ano modelo 1994 e todas as versões eram nacionais inclusive os GSi´s. O fato é que as primeiras unidades foram feitas em regime CKD, por isso eram praticamente iguais aos europeus, contudo eram nacionais sendo que todas a unidades tinham chassi gravado com iniciais 9BG… indicando fabricação local.

            Os únicos importados neste ano, com chassis W0L…, eram os Calibras.

            Além disso, neste ano, meu pai ainda era superintendente de produção na planta de São Caetano, e ele tinha direito a uso de um carro nacional por ano, e o Vectra GSi, por ser nacional, estava a sua disposição logo no lançamento.

          • Verdades sobre o mercado

            Era vendedor de css Chevrolet nesta época e te GARANTO que os Vectra 1 eram todos montados no Brasil em São Caetano do Sul, com a maior parte da pecas importadas(inclusive lataria).

      • th!nk.t4nk

        O Vectra GSi era importado também, e pra mim é talvez a melhor lembrança dos Opel nos anos 90. Era um carro extremamente bem feito, equipado e rápido. Mas a versão cupê (Calibra) também era sensacional.

        • Ⓜ️arcelo

          CKD amigo, chassi “9BG…”

          O Calibra era importado, chassi “W0L…”

          Fica a dica ;)

          • th!nk.t4nk

            Ambos importados :) CKD é 100% fabricado no exterior. No Brasil é somente montado, mas isso não faz do carro “nacional” nunca :)

            • Ⓜ️arcelo

              Eu sempre li a respeito que um produto importado seria quando ele já vem pronto para o brasil, incidindo todos os impostos de um produto manufaturado.

              Também sempre entendi que, mesmo sendo várias peças prontas ou semi prontas, mesmo tendo 1% de índice de nacionalização, sendo montados aqui, é considerado um produto nacional, assim como acontece com o produtos da zona franca e também com os produtos montados nas novas plantas fabris da bmw, mercedes e jaguar/land rover…

              Mas obrigado pela informação, eu vou esquecer tudo que aprendi e que li a respeito e passarei a acreditar em você doravante.

              Melhor você avisar também, todos os sites de veículos, as seguradoras, a receita federal, o sistema alfandegário e as próprias montadoras para todos ficarem ciente da sua revelação!

    • Peter Bishop

      Acho que não tem um unico rodando esses dias.

      • Ricardo Blume

        Já vi alguns. Poucos mas vi e todos em péssimo estado.

  • marcosCAR

    O tigra era show… Hoje dá para comprar barato e sem medo

    • daniel.a.o.

      Um carrão, parecia; barato deve estar; mas discordo sobre o “sem medo”.
      Existe estoque de peças, para manutenção?
      Acredito que não. O medo impera, assim

      • arzanette

        hoje se encontra pecas para carro de 1950 na internet….

        • Gustavo73

          O pior é o vidro traseiro. Pois trazde fora não é barato.

          • Rodrigo Alves Buriti

            Realmente, fora peças de lataria e acabamento, o motor não difere muito do corsa 1.6 16v em linhas gerais.
            Teria para fazer um swap hahahah

            • Alligator

              Aquele motor do Corsa GSi vinha da Hungria , e os SW e sedan era fabricados na Argentina, não sei se eram fabricados por lá mesmo

            • Gustavo73

              Faróis, lanternas são mais fáceis de importar. Lataria e paralamas dá pra concertar, mas a tampa traseira que é quase toda de vidro é o problema. Peça pesada e de transporte delicado. Lembrei dela pois vi durante muitos anos um desses justamente com uma adaptação no vidro traseiro. Como o dono não conseguiu a peça fez uma de plástico tipo aquelas dos bugres com botões de pressão fixando na tampa traseira.

            • Gilberto Silva

              Seria bem interessante um Tigra com motor 2.4 do Vectra Elite, ficaria um monstrengo!!

          • Racer

            Já vi vários com plástico no lugar deste vidro.

            • Alligator

              “Porto público” acho que vc está por fora, os terminais de container foram privatizados faz mais de 20 anos!!!

      • 08Chatt

        kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      • Artur

        Acho que o amigo quis dizer é porque o investimento pra comprar um desses hoje é baixo. A mecânica é de Corsa, sem segredo.
        O bicho pega se você precisar de algum peça da lataria ou acabamento.

      • João Felipe Machado Silvestre

        http://www.pecachevrolet.com.br peças de vários modelos desde os anos 60, inclusive do tigra…

      • marcosCAR

        Sim… Manutenção fácil e barata

    • mauricio

      Quem vai querer uma velharia dessa?

      • marcosCAR

        Vamos respeitar que gosta?

    • marcosCAR

      Exagerado

  • Rodrigo

    Post patrocinado pelas viúvas da Opel (risos)

    Brincadeiras à parte, talvez essa tenha sido a década mais inovadora e promissora para a GMB. Seus modelos eram sonho de consumo de todas as classes (do popular “Corsinha” ao luxuoso Omega) e ela reinava absoluta no segmento de sedãs médios com as 2 gerações do Vectra fabricado aqui.
    Também foi a época em que S10 foi lançada.
    Naquela época carro era um bem ainda mais caro e bem menos acessível que hoje (financiamento a partir de 30% de entrada e juros bem altos).

    • VCD 2.0 16V

      Quem pode ter um sabe o que foi, seja viúva ou não.

      Esse seria o futuro do vectra:
      https://www.noticiasautomotivas.com.br/nova-opel-insignia-sports-tourer-e-revelada-na-alemanha/

      Com certeza, até quem não pode ter um, fica triste e muito triste.

      • Rodrigo

        Realmente. =(

      • th!nk.t4nk

        E olha que o Insignia é concorrente direto do Fusion, que vendeu relativamente bem no Brasil. A GM poderia tranquilamente ter levado o Insignia pra bater de frente, e creio que ele bateria as vendas do Fusion facilmente (comparem imagens dos modelos da época, e juntem isso ao fato da rede Chevrolet ser mais bem conceituada no BR). Mas nao, preferiram abandonar a ligação com a filial européia. Baita ideia, matar o que estava dando certo.

        • Alligator

          Só Tem um detalhe bem grande o nsígnia é muito mais caro que o Fusion

    • Alligator

      Tirando o Corsa os outros já chegaram meio datados aqui, na minha opinião a maior evolução foi quando trouxeram o Vectra 2 e Astra o ultimo sendo bem ofuscado tecnologicamente por Golf e Focus

  • Thiago Vinicius

    O Omega australiano ainda deixou um herdeiro que não decolou, o GM Malibu…

    • Alligator

      Digamos que o Malibu estava mais para Vectra do que para Omega

      • E o Cruze?

        • 1/2 URSO 1/2 CÃO

          Cruze está mais para um substituto do Astra na minha opinião.

        • Alligator

          Astra

          • E o Cobalt?

            • Alligator

              Chevette

              • Na verdade o Chevette foi substituído pelo Corsa, ne…

                Como teve a mudança no Line-up, esse lugar hoje é do Prisma/Onix. Embora oficialmente tenham substituído a família Celta, esse lugar que ocupam eram da família Corsa nos anos 90.

                • Alligator

                  Na verdade os substitutos do Chevette eram as linhas Kadett, Astra e Cruze, pois o Chevette é um Kadett C é o nosso Kadett era o modelo E que foi substituído pelo Astra. Sobre o Cobalt ser o substituto do Chevette eu fiz uma piada, pois o Cobalt é um remendo igual era o Chevette de 2 geração!!!

                  • Ah, sim… Entendi!

                    Obrigado pelo esclarecimento, cara.

  • Artur

    O Calibra tem um design bem atemporal. Acho ele bonito até hoje.
    Saudades do tempo em que a GM se inspirava na Opel para lançar seus carros por aqui… Hoje é só carroça “made in Brazil”, como Ônix e cia., ou coreano como o Cruze (ao menos a geração anterior doi desenvolvida na Coréia).

    • Alligator

      A Daewoo não existe mais, esse novo Cruze foi feito na China e EUA

      • Artur

        Bem lembrado. Foi só a primeira geração mesmo.

    • Alligator

      E tirando os para-choques e faróis é o mesmo Opel Astra

  • Fabão Rocky

    Bons tempos os anos 90, deixou mtas saudades!
    Oh época boa em q se via “colírio” nas ruas como, Calibra; Kadett GSi, Vectra GSi; Corsa GSi; Tigra; Omega; fora outros esportivos de outras marcas. O design desses carros são belos até os dias de hj. Pena q hj só se vê poluição visual como esses altinhos q estão na última moda querendo tirar onda de SUV mas q tem silhueta de uma Towner.

    • Artur

      Até Uno Turbo andava bem e tinha design diferenciado. Hoje o Sporting é só uma roupagem mais caracterizada – de muito mal gosto, por sinal.

      • Fabão Rocky

        Hj em dia “esportivo” resume-se a apenas um kit adesivos.

  • Alligator

    Era oficial?? Pois nessa época vinha muitos carros que eram importados independente na Ford tinha a MPV Windstar e o sedan Contour

    • Gustavo73

      Que eu me lembre não era oficial.

  • Gustavo73

    Tem certeza que era oficial a importação? Acho que não. Mas que chamava a atenção chamava.

  • Bruno Alves

    Algumas fontes dizem que ela chegou a ser apresentada no Salão de 1990 pela GM do Brasil, mas nunca foi vendida oficialmente. Houveram estudos apenas. Mas ela consta na tabela da Quatro Rodas de Setembro de 1992.

  • Freaky Boss

    Meu cunhado teve esse Astra hatch vindo da Bélgica….Década de 90 e já tinha airbag. Acabamento excelente. Qualidade claramente superior aos carros que eram feitos aqui.
    Bons tempos da GM no Brasil. Para o MEU gosto, GM caiu, principalmente em design.

    • Verdades sobre o mercado

      Tive um Astra desses e foi um dos melhores carros que tive

  • delvane sousa

    Ômega nacional, um carro lindo que roda bem até hoje. Vectra também era um bom carro.

  • Bons tempos, de carros desejados, todo mundo falava de carro e não faltava carro para o assunto! Tive pilhas e pilhas de 4 rodas e da revista Carro, essa última eu tinha desde a edição 1!

  • 1/2 URSO 1/2 CÃO

    Tive um corsa GSI 95 vermelho, carrinho muito esperto e gostoso de andar, tenho saudades até hj. Já tive vários Vectras, Kadetts, Zafira, quase comprei um Calibra uma vez e hoje tenho um Omega 3.8 2001, meu xodó. Na minha opnião essa GM deixou saudades.

    • Rodrigo

      Eu também tive um GSI branco e endosso suas palavras. Inclusive com um consumo bastante bom pela proposta do carro.

      • 1/2 URSO 1/2 CÃO

        Realmente o consumo era excelente, graças à eficiencia do Ecotec fabricado na Hungria, um cambio bem escalonado (nem muito curto nem longo demais) e ao baixo peso do carrinho.

  • Louis

    Realmente eram carros fantásticos, sonho de consumo.
    Só faltou falar os preços atualizados pela inflação, que faria muita gente aqui cair de costas. Faria Civic touring parecer barato.

  • Danilo Figueira

    meu avô teve um Vectra Gsi azul marinho… puts que carro lindo… e o tento que andava!!! Antes ele tinha um Kadett Gsi cinza chumbo que so vi o dele, nunca na vida vi outro Kadett Gsi cinza, sempre via branco e vinho.

    boa epoca ate meados dos anos 90, que se tinha Vectra Gsi, Corsa Gsi, Gol Gti 16V…. carros que (pra epoca) era verdadeiros esportivos.

    Infelizmente hoje esportivos nacionais se resumem a adesivos, apliques preto, rodas escuras e/ou diamantadas e as vezes alguns detalhes vermelhos de mal gosto.

  • Alexandre Furtado

    E os Donos de Sonic, como estão conseguindo manter,,,,GM gosta de uns cometas,,,lança e logo tira do mercado,,,

    • Pedro Pto

      Tive um Sonic Hatch durante um ano e meio e é um excelente carro. Na minha opinião bastante superior aos concorrentes principalmente em relação ao acabamento e espaço interno. A manutenção achei bem tranquila e praticamente toda a mecânica e suspensão é comum à linha GM (Cruze, Cobalt, Spin, Tracker). Neste ponto não tive problema, inclusive quando precisei substituir o tambor da ignição (comum à Tracker), em garantia, havia a peça disponível na concessionária.

      Realmente é uma pena a GM ter descontinuado a importação e não ter nacionalizado esse carro, já que hoje existe um espaço gigante entre o Onix e o Cruze Sport6.

      Isso me prejudicou muito na hora da revenda. Demorei incríveis 7 meses para conseguir vendê-lo, e meu carro estava impecável, sem nenhum detalhe, era o mais completo possível, com 3 anos de uso e 30 mil Km e o preço estava abaixo da tabela… É uma pena, pois foi o melhor carro que já tive e o mercado não o reconhece.

      • Tosoobservando

        Não foi a GM ne, foi o governo que impos limitação a importação do Mexico, entao a GM deu preferencia ao Tracker.

        • Pedro Pto

          Sim, por isso eu disse “é uma pena a GM ter descontinuado a importação E não ter nacionalizado esse carro”. Seria bom se a GM tivesse nacionalizado o Sonic quando a cota passou a não ser suficiente para importar os dois modelos.

          • Tosoobservando

            Ah tipo no lugar do Cobalt? Mas e os taxistas?

            • Pedro Pto

              Não disse nada sobre o Cobalt. Ele e o Sonic fizeram parte da linha GM durante todo o período em que o Sonic foi importado. O que eu quero dizer é que entre o Onix e o Cruze Sport6 a GM não colocou nenhum substituto para o Sonic Hatch!

              • Tosoobservando

                Ah entendi mas o baixo volume de vendas nao justificaria produção nacional, a meu ver.

                • Pedro Pto

                  Se a GM mantivesse a mesma estratégia de marketing, concordo com vc, as vendas continuariam baixas. Acho que não houve investimento na divulgação do Sonic por causa da limitação das importações. Mas se ele fosse nacionalizado e houvesse uma estratégia de marketing mais agressiva, as pessoas iriam conhecer o carro e haveria um aumento nas vendas.

                  Era impressionante quantas pessoas me perguntavam “Que carro é esse?” quando o viam!

      • Verdades sobre o mercado

        7 meses ? Tà no.lucro! em 2014 eu coloquei a venda um.Bravo 2012 com 10.000 km, impecável, branco, mecânico e levei 1 ano e 1 mês para vender. Detalhe: era gerente da CSS Fiat o.veiculo ficou exposto o tempo todo no estoque de semi-novos da.CSS todo o tempo sendo ofertado a preço de mercado. Normalmente por ser carro de baixa km e “do gerente da CSS” vende rápido, mas o Bravo …

        • Iran Borges

          Caramba, nao sabia que o Bravo era ruim de revenda assim!

  • Freaky Boss

    Lendo vários comentários, nostalgia está exalando….rs
    Será que a cabeça do Brasileiro está que nem a do Argentino, com aquela sensação de que “o melhor ficou para trás”????

  • El Gato Negro

    Nos anos 90, um vizinho próximo tinha um Calibra, vermelho igual ao da foto da matéria. A quantidade de mulheres que o cara comia era imensurável.

    • alemãoVP

      Kkkkkkkkkkkkkkk… detalhe: comia mulheres “de verdade” tb né: cabelo sem chapinha, tudo natural, sem silicone até na coxa… ah os anos 90… saudades!!!

    • Iran Borges

      kkkkk fato! Se bobear, ainda hoje um cara com um Calibra zerado deve fazer estragos, imagina antigamente nos anos 90!

  • zekinha71

    Sempre vejo um Calibra branco, continua belo até hj, nem parece que foi dos anos 90, em compensação na Toyota tem um de hj que foi desenhado nos anos 90.

  • R1 o comentário no1

    Tantos “carrões” naquela época e hoje só tranqueiras.

  • FearWRX

    Melhor época da GM que não volta mais. Carros belos e modernos em comparação com as aberrações atuais que além de feios, são defasados.

    #VoltaOpel

  • Osni Duarte

    Os poucos Calibra e Tigra que sobraram estão devidamente xunados e manolizados.

  • Luís Gustavo de Barros

    O catálogo dela em 1996 tinha de uma só vez Corsa Gsi, Tigra, Kadett, Astra, Monza, Vectra, Calibra e Omega

    • Verdades sobre o mercado

      Era vendedor de css Chevrolet em 96. O Astra e o Calibra foram oferecidos em um numero muito baixo de unidades em 96(a maioria eram 95/95) pois o.Imposto de Importação saiu de 20% para 32% e logo em.seguida para 70%(Ainda em 95). O Monza foi o ano de despedida, o Kadett ainda vendeu bem naquele ano, apesar de já defasado.

  • Tosoobservando

    É bom lembrar que isso so ocorreu porque era plena epoca de abertura comercial do Collor, que abaixou os impostos de importação de incriveis 70% para menos de 20%. Hoje gradativamente os impostos voltaram a casa dos 70% (imposto de importação + IPI majorado + limitação a importação pelos criterios do Inovar Auto). Querem carros modernos e bonitos de volta ao mercado? Troque esse governo por outro mais liberal. As montadoras trariam com prazer seus veiculos mais modernos do planeta.

    • Alligator

      Só um detalhe, o Astra parou de ser importado devido a volta dos 70% em 1996.
      Sem falar da debandada da Mazda, Suzuki entre outras!!!!
      Resumindo a farra das importações quebrou o país em 1996, mas isso já tinha sido previsto no escândalo das parabólicas do Rubens Ricupero

      • Tosoobservando

        O que quebrou o país foi a incompetencia dos politicos, talvez a abertura tenha sido muito brusca, devia ter sido gradual, mas nao foi so isso.

  • Gran RS 78

    Bons tempos que a GM tinha modelos Opel, inclusive esportivos como Calibra e Tigra. Hj temos modelos para “mercados emergentes” que perderam acabamento e refino tecnológico. Tempo bom, não volta mais…

    • 1/2 URSO 1/2 CÃO

      Tínhamos em 1995 simultaneamente na gama GM: Kadett GSi / Corsa GSi / Vectra GSi e Calibra. Hoje estamos prestes a receber a atualização do …….. Onix Effect… Belo avanço em 22 anos.

      • El Gato Negro

        Pqp… é verdade. É de chorar.

      • Gran RS 78

        É rir para não chorar.

  • oscar.fr

    Alguns anos mais tarde ainda teríamos que a Zafari, que também deixou saudades. Aliás, as três minivans campeãs da época, Renault Scénic, Citroën Xsara Picasso e Chevrolet Zafira deixaram saudades. Elas criaram uma verdadeira modinha na época e se chegou a pensar que elas iriam decretar a morte do sedan médio (mas aí veio o Corolla Brad Pitt e, mais tarde, o New Civic…). Na minha opinião, as minivans eram melhores e bem mais racionais que essa ondinha atual de suvs compactos em espaço, médios em eficiência e grandes em preço.

  • pedro rt

    esqueçeram de falar da rara GRAND BLAZER q era feita na argentina e so durou de 98 a 99 assim como o tigra

  • Celso

    Erro grave da GM ter trazido o “Ômega” da Austrália e não o modelo alemão, realmente mais bonito e esportivo, teria feito muito mais sucesso. O australiano era carro de velho.

  • Celso

    Até hoje somos super carentes de cupês, como os belos e saudosos Calibra e Mitsubishi Eclipse. Aqui é mercado de velhos de alma, só sedas caretões e SUVs.

    • El Gato Negro

      Cara, um dos carros mais divertidos que eu guiei foi um Eclipse, mas não o GTS… o GTX, que era tração nas quatro rodas. Que carrinho interessante!

  • Rafael De Caria

    Perto de onde moro tem um Opel Calibra verde lindo não tem um que olhe e não admire e além desse já vi circulando um Opel Corsa também perto de onde resido.Há um tempo atrás trabalhava em uma empresa na Moóca que um morador de frente para a firma tinha um Chevrolet Tigra lindo em ótimo estado quem tem um desses carros se tiverem em bom estado jamais irão vender além da exclusividade de ter um modelo raro de se encontrar.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email