Coréia Finanças GM Mercado Montadoras/Fábricas

GM pode sair da Coreia do Sul por causa de perdas locais

gm-korea GM pode sair da Coreia do Sul por causa de perdas locais

Ela já saiu do mercado indiano, onde ainda mantém uma planta de produção voltada para a exportação. Também deixou para trás um continente, cuja presença tinha mais de um século. Agora a GM também estaria pensando em arrumar as malas de mais um importante país, a Coreia do Sul. O motivo nem é a crise nuclear com a Coreia do Norte, mas as perdas financeiras locais.



De acordo com o jornal japonês Nikkei Ásia, o aumentos dos custos operacionais e os conflitos com os sindicatos locais, estariam pressionando a montadora para uma decisão de sair do país, segundo preveem analistas de mercado.

Para enxugar suas operações globais, a fim de concentrar-se primordialmente nos mercados dos EUA e China, os mais rentáveis apontados pelos analistas, assim como na América do Sul, a GM já se retirou de Índia, Europa, África do Sul e também da Austrália, onde a Holden passou a ser uma marca com produtos importados.

E a GM não parou por aí. Ela também vendeu Opel e Vauxhall para a PSA. Diante disso, os analistas de mercado já apontam que a montadora deverá fazer o mesmo na Coreia do Sul. De forma anônima, um deles revelou: “Acreditamos que a GM é altamente suscetível de se retirar do mercado sul-coreano. A GM Korea sofreu grandes perdas nos últimos anos, perdendo sua participação de mercado em marcas importadas”.

Além disso, o analista sul-coreano ainda completou: “Não há motivo para que a empresa mantenha seus negócios aqui”. Nos últimos anos, conforme citado acima, a GM perde centenas de milhões de dólares em suas operações sul-coreanas, que antes eram referência dentro do grupo, gerando inclusive o desenvolvimento de produtos globais, como o Cruze e o Spark, por exemplo. Em 2016, a empresa perdeu US$ 544,7 milhões no país e, no mês de agosto, as vendas caíram 21,7%.

Com 76,96% das ações e mais dois sócios na operação local, que inclui 6,02% da chinesa SAIC, a GM Korea surgiu quando comprou a sul-coreana Daewoo em 2002, após essa ter falido no final dos anos 90 por conta da crise asiática. De lá para cá, a engenharia das duas empresas trabalhou em projetos globais e regionais.

Mas, entre os sócios nesse negócio, o fiel da balança é o antigo proprietário da Daewoo, o Korea Development Bank, que tem 17,02% da montadora. O problema é que este banco, que tem direito de veto nas decisões da empresa há 15 anos, perderá o poder de decisão em 16 de outubro, por força de contrato. Assim, se a GM decidir por sair do país, não terá oposição dentro do conselho de administração da filial sul-coreana. Com mais essa saída, restarão poucas operações do grupo no mundo onde ainda existe presença da empresa.

[Fonte: Nikkei Ásia]

 

  • th!nk.t4nk

    Há especulações de que a GM esteja se preparando para aos poucos mudar seu modelo de negócio. Se transformaria no futuro em uma empresa de aluguel de modelos elétricos/autônomos, terceirizando a fabricação dos carros em si. Pessoalmente acredito que a GM irá encolher bastante pra capitalizar essa mudança, mas pode ser a melhor jogada dentro dos próximos 20 anos.

    • V12 for life

      Essa especulação não é exclusiva sobre a GM, e sim sobre o mercado automotivo como um todo, algumas marcas já divulgaram pesquisas dizendo que nos mercados desenvolvidos, as novas gerações de consumidores tem casa vez menos interesse em possuir um automóvel, preferindo serviços de aluguel e compartilhamento, essa tendência é mais forte na Europa onde esse consumidor já começa a ver que ele mesmo dirigir é mais perigoso do que deixar o veículo fazer isso. Com isso o cenário futuro para o mercado automotivo é se tornar um setor de serviços.

      • th!nk.t4nk

        Sim, a GM está sendo a primeira a fazer movimentos nesse sentido. Mas algumas montadoras irão restar ainda, não tenha dúvida, até porque alguém precisa fabricar essa nova geração de veículos de qualquer forma.

        • Rodrigo Pasini

          Não é só a GM não, a Audi já tem inclusive esse tipo de serviço para funcionários em SP.

      • Franco da Silva

        Exato. Mas, claro, alguém terá que produzir os veículos para essas empresas. Pelo cenário atual, seriam empresas “genéricas” chinesas, mas as normas de importação que existem hoje em diversos países vão impedir isso. É um nó a ser observado.

      • CharlesAle

        Sim.Além do próprio desaparecimento de marcas. Uma delas que, creio muito, desaparecerá, será a Fiat e Chrysler. Pois cada vez mais ficam inexpressivas..

        • V12 for life

          A Fiat só não desapareceu ainda por see muito forte no Brasil.

    • Ducar Carros

      Na verdade, a GM está se concentrando nos mercados mais lucrativos para ter dinheiro para investir nas novas tecnologias (carro elétrico e autônomo), cujo desenvolvimento é extremamente caro.

      É por isso que a FCA está desesperada por uma fusão agora, quanto mais passar o tempo menos ela vai valer, pois não terá como competir nesse novo cenário mundial.

      • CharlesAle

        Creio que se esse Negócio com a Hyundai não vingar, vai ficar difícil outro interessado. Pior que, justo agora, vem essa put@ crise com a Coréia do norte.

    • gtry

      Fugindo da concorrência verdadeira sem reserva de mercado….não é como no Brasil que tem carros caros

    • Fernando Bento Chaves Santana

      Faz sentido. Tal qual a IBM, Nokia, Motorola, Siemens e Alcatel a GM poderia em futuro próximo abrir mão de produtos para pessoas físicas para se concentrar no mercado corporativo. Poderia fechar suas marcas ou licenciá-las para fabricantes chineses ou indianos

  • Daqui uns dias pelo andar da carruagem quem vai estar a venda para as chinesas não será a FCA mas sim a GM. Será que tem data pra empresa sair do Brasil também?

    • Lagarto Véio

      Sendo líder de vendas no Brasil e com grande penetração na América do Sul não acredito que a GM sairá daqui tão logo.
      Se o plano é se focar em mercados rentáveis, para a GM, acredito que o Brasil esteja entre eles.

    • Luis Burro

      Ah,nao vende!O governo dos estados unidos vetara veemente,ainda mais depois da ajuda pra nao falir.

  • V12 for life

    Lamentável para uma empresa que foi a maior do mundo por mais de meio século.

    • Luis Burro

      Nunca entendi bem a GM.Ela eh a aglutinacao de varias empresas q funciona como uma,mas sem a marca propria fica muito estranho.
      Alem disto marcas q foram a base pra criala nem existem mais.

      • V12 for life

        Se vc entende o grupo VW, entende a GM pois se trata da mesma coisa, a GM criou o conceito de grupo e o de uma arquitetura para diversos modelos de suas marcas.

        • Luis Burro

          No meu ver elas não são a mesma coisa.Qm criou a Volks foi praticamente o Hitler e o Porsche,tanto q ela pertence a um estado alemão e a esta outra.Mas ao menos ela própria é uma marca de carros,já a GM parece só ser dona de várias.

          • th!nk.t4nk

            Bom, mas isso nao importa muito. Nunca comprei uma pasta de dentes ou molho de tomate escrito “Unilever”, e nao vejo razao pra terem “marca propria”. É só um nome. Até mesmo o Google percente a outra empresa, a Alphabet. Todo mundo sabe que um Chevrolet ou Buick é do grupo GM, nao faz diferença nenhuma.

  • JCosta

    Manda o Onix pra lá… Talvez salve a GM Korea… [ironic mode on]

    • Zé Mundico

      Lá na Coréia o Onix poderia ser usado como alvo de míssil do Kim-Jong-um.

      • Elizangela Oliveira

        A “estrutura” do onix é tão ruim quer não seria possível analisar a eficiência dos mísseis!

        • Iran Borges

          Ele vira pó com uma batida do latin ncap a mais ou menos 60km/h, imagina com um um míssil! kkk

        • Henrique

          Boa (rs)

      • CharlesAle

        Pra que, uma bombinha track já arrebenta tudo. rsrs

  • Enquanto isso… as empresas chinesas vão comprando as subsidiárias automobilísticas tradicionais, adquirindo seu “know how” a preço de banana. Quando perceberem que automóvel só é interessante porque dá autonomia plena de ir e vir a quem está no controle do sistema – e que sistemas autônomos podem não ser do interesse da maioria – será tarde.

  • Thales

    Vivi para ver a grande GM se transformar em um grupo regional.

    • Henrique

      Também..(rs)

  • Fernando Bento Chaves Santana

    Se este rumor for concretizado já é possível afirmar que a retração da GM no mercado mundial é uma tendencia, e que os abandonos não são mais um conjunto de episódios isolados. Fora o mercado doméstico a GM teria apenas China e América Latina como grandes mercados. O problema é que as marcas chinesas ainda estão em fase ascensão no mercado doméstico e têm perspectivas para crescerem em mercados periféricos como a América Latina. Se esta tendência de retração da GM for mantida a empresa ficará encurralada nestes dois mercados no longo prazo e apenas o mercado doméstico dos EUA seriam um porto seguro para a GM. Assim, para compensar a retração em mercados estrangeiros, não será surpresa se a GM pretender comprar a toda FCA, ou apenas a parte norte americana, para aumentar sua presença no mercado domestico dos EUA – seria uma estratégia similar à da PSA quando esta decidiu comprar a Opel para se fortalecer no mercado europeu

    No médio prazo isto pode até ser bom para o Brasil. Pois ao abandonar a Coria a GM também poderá perder aquele se tornou desde o início dos anos 2000 o principal centro de desenvolvimento de modelos pequenos e médios – a GM Coreia. Sem o braço coreano e sem o mercado indiano a GM-Brasil e as múltiplas parcerias na China terão papeis mais importantes no desenvolvimento de produtos em especial os produtos de baixo custo.

    • Se eles ensaiarem sair do Brasil o governo se encarregará de procurar um sócio para a GM.
      No final, pode ser… o próprio governo brasileiro.

      • Fernando Bento Chaves Santana

        Acho que não sairão por que a operação aqui é lucrativa, diferente de Austrália, India e da Coréia do Sul.

  • Zé Mundico

    É fim de feira e hora de desmontar a barraca.
    A GM não está apenas saindo de mercados tradicionais mas sim encerrando um ciclo de negócios e preparando novas estratégias para o futuro.
    Carro elétrico e a economia do futuro serão coisas totalmente novas ou pelo menos renovadas. Muito do que vemos não existirá daqui a alguns anos. Tudo isso trará novos conceitos, novos comportamentos e novas demandas.
    E quem sai na frente geralmente se dá bem…

  • HPaulo

    Essa ‘desmontagem’ da GM (uma das três gigantes americanas do setor) lembra a estratégia da IBM (uma das BIG da computação). A IBM a partir dos anos 90 foi se desfazendo da fabricação de impressoras, notebooks, PCs, etc. Parecia arriscado para um fabricante de equipamento ficar praticamente só com projetos e serviços. Mas, até agora, parece ter sido a melhor opção.
    Voltando à GM, e à FCA, devem estar preparando uma estratégia de médio prazo, com informações altamente restritas e mantidas em segredo na alta administração.

  • AntonioReis

    Encolhendo. Encolhendo.
    Quando começa assim, o final já sabemos.

  • Luis Burro

    Com o sistema integrado de transporte publico nem sei como ainda tem carro na europa!Pra viajar soh iria de trem.

  • Josê Fagundes

    A GM é forte somente no Brazil e Canada/US. Acredito que as grandes perdas foram devido aos escândalos envolvendo os carros do maior recall do mundo (e as mortes por incêndios). A Cadillac também não dá muito lucro, porque apesar de vender Escalade e XT-5, tem baixíssimas vendas em sedans e coupes

    • th!nk.t4nk

      Mas já fizeram muito carro bom, por isso é triste. Os caras têm história.

      • Martini Stripes

        A Opel fez muito carro bom.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend