China Cupês GM Minivans SUVs

GM prepara chinesa Wuling para atuar no mercado global

GM prepara chinesa Wuling para atuar no mercado global

A General Motors saiu de vários mercados pelo mundo, reduzindo suas operações e se concentrando apenas em três regiões específicas: Estados Unidos, China e América Latina, nessa ordem.


Ainda assim, a montadora americana tem uma marca na manga para não ficar totalmente fora de algumas regiões. Essa é a Wuling. A marca chinesa pertence à joint-venture Shanghai-GM-Wuling, da qual a empresa de Detroit possui 50% das ações.

GM prepara chinesa Wuling para atuar no mercado global

Ela disputa com a Volkswagen a liderança do mercado chinês e tem pelo menos duas marcas locais fortes, sendo a Wuling uma delas (a outra é a Baojun). Tendo alguns modelos entre os veículos mais vendidos da China, a bandeira local agora quer o mundo.

Em um vazamento, a Wuling revelou uma pequena gama de carros globais, compactos, que deverão projetar a marca fora da China. Até agora, ela não havia atuado de forma direta nos mercados em crescimento e emergentes, emprestando apenas alguns de seus modelos sob a marca Chevrolet.

GM prepara chinesa Wuling para atuar no mercado global

Na imagem, aparecem um cupê, uma minivan e também um SUV compacto. O trio ainda está em sketch, mas dá uma ideia de como a Wuling pretende atuar. Cada um dos três já tem nomes reservados, sendo que o primeiro deles a ser lançado a partir de 2020 será o Cetus.

Este será um monovolume que pode herdar a plataforma da Baojun, reduzindo assim os custos de desenvolvimento. Como a produção deve ser centrada na China, provavelmente passará longe da VSS da GM. Já o segundo modelo será o SUV compacto Ursa, que terá um visual bem mais parrudo.

GM prepara chinesa Wuling para atuar no mercado global

Por fim, o Sirius é a promessa que destoa da missão da Wuling, que é uma marca de carros baratos (comerciais). Este cupê de design interessante será lançado em 2022. Pode ter boas vendas na China, mas fora, teria de ter um preço arrebatador, assim como desempenho.

Para onde vão? Apesar da presença da Chevrolet, a América Latina é um alvo, certamente. África, Sudeste Asiático, Índia, Rússia e outras regiões da Eurásia e Leste Europeu devem ser atingidas também.

[Fonte: El Carro Colombiano]

 

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Daniel Saraiva

    Com o dólar à mais de R$ 5 e nosso % de imposto de importação, inviabilizaria uma operação como esta no Brasil

    • Ducar Carros

      Sim, a moeda chinesa se desvalorizou muito pouco em relação ao dólar se comparada à brasileira nessa crise.

    • Cesar

      Vai piorar muito ainda antes de melhorar.

  • vicegag

    “Atuar no mercado global”
    Globo só dos pobres? Cadê EUA e Europa (desenvolvida)?
    Europa e Austrália, já estão com saudades dos Chery, mande também para lá.

    • Dod.

      Eua e Europa não aceitam essas jabiraca chinesas, acho difícil chegar nesses lugares. Na Austrália, onde não existia Chevrolet e sim Holden, até vendem chineses mas eles são irrisórios no mercado e tem fama de lixo também. Na Europa ocidental ninguém queria os Chevys, eram considerados carros de baixa qualidade e pouco eficientes, o pouco que vendiam era na Rússia e nos países do Leste. Chevrolet só era bom aqui na época em que eram carros da Opel rebadged, depois que passaram a adotar uma linha quase que 100% “tupiniquim e hermana” só teve porcaria.

      • Antonio Carlos Costa

        E agora também linha da GM Brasil “quase” chinesa. Novo Onix e Primier tá aí pra confirmar.

        • Sino Weibo

          O novo Tracker também foi todo desenvolvido na China, em tempo, a Baojun tem Suvs lindo e de qualidade.

      • Sino Weibo

        Pois é, será que é por isso que a GM liderou o mercado aqui?

    • th!nk.t4nk

      “Global” = países que aceitam essas tranqueiras. É só um nome bonito pra dizer que irão vender um produto barato no outro lado do mundo também (leia-se Brasil e afins).

  • Henrique Guedes da Silva

    vem mais uma leva de carros feios tipo agile spin e afins

  • O estilo tá muito bom. Resta saber se a Wuling se enquadrará numa proposta de baixo custo (baixo padrão de qualidade) assumindo preços menores que os da Chevrolet. Outra coisa que pode pesar muito é o próprio nome chinês da marca. Um nome mais ocidental teria um apelo maior. A própria GM tem um bom banco de marcas as quais poderiam ser utilizadas fora da China, como Saturn ou Geo, mas acho pouco provável essa mudança.

  • Marcos

    O estilo é baseado nos modelos da Chevy, e do corvette em si, até o simbolo me lembra dos corvette.

  • kirig

    Criando leõezinhos no quintal. Logo crescerão!

  • Marco Correa

    Tirando essas impossíveis rodas de “30” polegadas, o resto ficou bom!

  • Edson Fernandes

    Nessas horas vemos como foi bom fazer acordo com a China né Chevrolet? Agora ganham dinheiro pela participação.

  • Murilo Soares de O. Filho

    Pode ficar por aí mesmo…chinês, já basta vírus e outras porcarias mais.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email