Brasil GM Mercado Montadoras/Fábricas

GM prevê queda de 20% nas vendas em 2016 – Mercado deve absorver 2 milhões de unidades

gm-scs-85-2

A GM prevê queda de 20% nas vendas em 2016, numa comparação com o desempenho de 2015. De acordo com essa previsão, o mercado de automóveis e comerciais leves no ano que vem deve absorver somente 2 milhões de unidades.

A montadora americana já está trabalhando seu planejamento com base nessa previsão, obtida através de análises de vendas mensais. Para a GM, apenas no segundo semestre de 2016 é que o desempenho do mensal irá melhorar.

De acordo com a empresa, a recuperação do mercado brasileiro se dará entre 2017 e 2019. Apesar de a demanda ser menor, a GM está mesmo é preocupada com a ociosidade do setor automotivo, cujo parque industrial trabalha com 50% da capacidade.

A GM revela que os custos com logística aumentaram 9%, a mão de obra aumentou 11% e o IPCA subiu 10%. No entanto, a produção caiu 18%. Isso sem contar o dólar a R$ 4,00, que onera ainda mais as compras de componentes e insumos no exterior.

Nos últimos três anos, a lucratividade da montadora caiu 12,5%. Ainda assim, a empresa acredita no futuro, pois nos últimos 30 anos, a indústria automobilística no Brasil cresceu ao passo de 5% ao ano. Um valor muito animador para a companhia.

[Fonte: Auto Data]





  • leomix leo

    Acho que não será isso tudo. Deverá ficar na casa dos 15% ou menos.

    • Junoba

      Eu já acho que vai cair muito mais que isso. Nem sei como o mercado não retraiu mais intensivamente, levando as proporções da crise…

  • Jackson A

    ÊÊê GM, o cambio vcs já tem, que tal trazer o motorzinho do próximo cruze pra família toda ?

    • predadordemarea .

      Motor 1.4 T somente no novo Cruze.
      Mas entendo que a GM deveria lançar um motor mais moderno, forte e econômico para equipar os outros carros.

  • Mauro Moraes

    Não acredito na competência do atual governo, Todas as previsões mais pessimistas estão sendo revistas pra “pior”.

  • Toyota, Honda e Hyundai nadando tranquilo.

    – Toyota trouxe qualidade, esse sendo elogiado pelo ADG. (tenho fonte Juju rs)
    – Honda trouxe o supremo crossover cupe, HR-V, o supremo. (fanboy detect)
    – Hyundai com o lindo HB20, cambio automatico de 6 marchas associado ao motor 1.6, interior com requinte pra categoria, farois com projetores, etc. (fanboy detect x2)
    – Ford trouxe o Ka com ESP.
    – Nissan em breve CVT nos March e Versa.
    – Volkswagen trouxe motor 1.0 turbo pro UP, e 5 estrelas.
    – Fiat trouxe Start/Stop no Uno.
    – Renault trouxe Sandero 2.0 RS (ainda que eu ache pouca coisa pra uma Dacia, melhor que nada. Quem viu ao vivo o Clio RS ou Megane RS sabe do que estou falando.)

    Chevrolet trouxe??? Hummm….. central multimidia sem GPS? Ah vá. Em vez de chorar, devia é enfiar motor 1.6 do Sonic em toda sua gama, e 1.4 turbo no Cobalt, Spin, Cruze, e Tracker. Essa Chevrolet não faz falta. (hater detect kkk)

    • FocusMan

      Engraçado, a GM hoje é a líder de mercado, aparentemente com os piores produtos….

      Qual a lógica?

      • Oferecer aquilo que as pessoas querem. Nem mais nem menos. As pessoas querem o melhor? Essa é a questão.
        Acho que é ponto pacífico aqui que um air bag lateral deveria valer mais que uma central multimídia. O que seria mais valorizado em um carro hoje pelo mercado?
        E há outros fatores que vão além do produto que já citei aqui. A GM entrega a gravata que estava no Monza, Corsa, Ômega, Astra, Kadett, Vectra… É errado? A Honda entrega o H da Titan e a Toyota o T do Bandeirantes! Confiança é algo que se conquista e tem seu valor. Câmbio automático fora, eu não consigo ver o Ká como um produto inferior ao Ônix, tampouco o Sandero. Mas a GM leva uma reputação melhor que a dupla do Corcel por exemplo. E vamos combinar também que as outras não se ajudam. Se a GM fez o nome com carros médios, a Fiat perdeu o nome que tinha com os mesmos. A VW que era sinônimo de confiança, até maior que a GM jogou tudo no lixo com o VHT. A Ford já cansei de falar dos 20 anos de letargia no país. Mas nada é para a sempre. A própria GM enfiou 40 anos de história no segmento dos médios no escapamento com o último Vectra.

        • Lucas Irrthum

          É Alessandro, pelo visto aquela conversa que nós tivemos em uma outra matéria, é recorrente neste fórum. As pessoas não conseguem entender o porque do Onix ser o atual líder do mercado. Mas, mudando de assunto, quando você diz que a GM jogou fora 40 anos de história no segmento dos médios, com o último Vectra, eu concordo PLENAMENTE. Afirmaria o mesmo, inclusive, em seguimentos superiores. Quem viu Opala vender 1 milhão de unidades em 24 anos de mercado, Monza ser eleito o carro do ano por 3 vezes seguidas, Omega ganhar diversos títulos internacionais… Tenho um colega de trabalho que é proprietário de um Omega CD 4.1 1995, e o carro é sensacional. Fiz uma viajem curta com ele (infelizmente no banco do passageiro) e o conforto, acabamento, aerodinâmica, estabilidade.. tudo impressiona. Tirando o desempenho, que nem precisa de comentários. A GM já nos brindou com verdadeiras obras de arte em forma de automóvel. Mas, como você bem disse, nada é para sempre. Este último Vectra não seguiu o padrão da marca.

          • radiobrasil

            Eu fui fã da marca, tive Vectra B, Astra, Corsa B, Vectra C (LIXO QUE CONSEGUI VENDER) e por último Captiva. O Captiva apesar de “defasado”, se tivesse sofrido um facelift ainda seria um belo produto. Mas tá dificil algum produto da GM me chamar para uma concessionária hoje. Camaro é outra história rss

        • FocusMan

          Para criar uma reputação boa precisa-se muita sorte e perseverança além de um bom produto demora muito para conquista-la . Para perde-la, basta fazer algo comum.

  • CignusRJ

    Li no O financista que a previsão, caso o governo continue o mesmo com suas ideias de jerico, de uma melhora do quadro do mercado automotivo é de longo prazo. Tipo em 2028 teremos o mesmo tamanho que tínhamos em 2013.
    Em tempo, a produção deste ano é quase a mesma de 2007.
    Note que este é o segundo ano que estamos em recessão, começou no segundo trimestre de 2014 e agora no início do quarto trimestre de 2015 ainda em recessão. A única vez que o Brasil ficou assim foi com a grande depressão de 1929. Nada esta tão ruim que o PT não possa piorar.
    Abaixo o link da matéria do financista.
    .

    • CignusRJ

      Link do jornal O Financista falando sobre estimativa do mercado automobilístico brasileiro.

      http://www.financista.com.br/noticias/recessao-atrasara-retomada-da-industria-automotiva-em-10-anos

    • CharlesAle

      Me lembro que, na campanha de 2014, o Empiricus alertou a todos que, pós campanha, viria uma severa crise econômica.A imprensa “vendida” logo afirmou que estavam era fazendo campanha para oposição(Aécio)..Não estavam, estavam apenas fazedno análise profunda de toda situação caótica que já se apresentava, mas estava escondida por uma das campanhas mais mentirosas, mais ordinárias que o Brasil já viu! Na verdade, o “Fim do Brasil” foi até otimista demais.Pois o quadro está se mostrando muito pior que o relatado, à época, por eles…

  • CanalhaRS

    Tínhamos a faca e o queijo na mão (estabilidade econômica) para crescer nos próximos 10 ou 15 anos. Bastava fazer a lição de casa: manter as contas públicas sob rédea curta, investir em infraestrutura e educação. Mas aí….

    • Foxtrot

      Não entendo bulhufas de economia, mas dizem as más línguas que o modelo de crescimento adotado pelo brasil (consumismo) nos últimos já rendeu o que deveria ter rendido e por isso seria insustentável a manutenção da economia, mesmo com essas medidas.

      • Tosoobservando

        O problema que o modelo consumista prega a livre concorrencia, baixos impostos e menos burocracia. Tem países que isso funciona, aqui nao.

        • Hadson Nobre

          Aqui não temos baixos impostos. A burocracia reina e a livre concorrência nunca foi estimulada, vide a manipulação do IPI.

      • Junoba

        O problema do brasileiro é que grande parte quer mostrar para o outro, que ele está “podendo”. E ele faz isso com um celular caro, um tênis top, uma roupa de marca e por ai vai. Chega a um momento que isso fica insustentável, e as vendas caem. Um carro 0km por exemplo, está MUITO distante da renda média da população, mas as vendas so continuavam subindo. No meu ponto de vista, as vendas deveriam ter despencado mais ainda.

        • Em qual país as vendas continuam subindo? Na Youtubelandia?

          • Junoba

            Continua subindo até na Argentina, onde dizem que a situação está pior que aqui…haha…

        • Castle_Bravo

          Isso jamais seria problema se houvesse livre mercado, com livre concorrência.

      • CharlesAle

        Sim. Grosso modo, foi como, ao invés de fazer o cidadão trabalhar e progredir, e assim ter sua própria renda..Optou se por “dar as coisas” de mão beijada!Criando um vagabundo…Foi isso que o Brasil fez. Aquela “dinheirama” derramada na econômia de maneira irresponsável maquiou todos os problemas estruturais que o Brasil tinha( custos altos, excesso de carga tributária, dinheiro público muito mal gasto, divida pública crescendo a passos largos etc)..Era evidente que a coisa , um dia, ia estourar e arrebentar com tudo! E acredite, e acredite, é só o começo do estouro, vem mais por ai! O Brasil ainda terá mais notas rebaixadas, e creio que lá na frente, enfrentaremos uma moratória grave que nos jogará na “lata de lixo” da economia mundial…

      • FocusMan

        O problema é muito mais grave do que isso.

        O problema é social.

        Enquanto houver a disparidade salárial tão grande entre pessoas com educação e pessoas sem educação, não haverá sustentabilidade nesse modelo.

        Nos países desenvolvidos, as pessoas buscam se aprimorar para entender melhor algo que gosta, ou para trabalhar numa profissão que julga prazerosa. Aqui no Brasil as pessoas estudam para ganhar mais na grande maioria dos casos.

        Com isso, temos pessoas com 23 anos de idade ganhando mais do que pais de família que desempenham a mesma função numa empresa, apenas porque um estudou e outro não.

        Não pode ser assim. Precisa haver um equiíbrio nessa conta, para todos poderem consumir as coisas e manter o crescimento da econômia.

        Mas.. isso exigiria uma mudança enorme no modo de vida “feudal” do brasileiro classe média.

        As pessoas não terão mais como contratar vários tipos de serviços que hoje podem contratar, pois são pouco remunerados. Pessoas da classe média não terão como contratar lavadeiras, diaristas, encanador, marceneiro, eletricista…. Só permanecerá nessas profissões, pessoas que realmente prestem bons serviços e trabalhem para empresas, acabando com uma informalidade que já virou cultural para o país.

        • kravmaga

          Não é só um problema de falta de estudos escolares, é muito mais do que isso. Os meus pais são imigrantes que não completaram nem o equivalente ao primário e tiveram relativamente sucesso no Brasil. Eles não tinham educação formal mas sabiam fazer várias coisas e tinham vontade de trabalhar. E sabiam muito bem que deveriam fazer o máximo de esforço para seus filhos estudarem.

          O maior problema de grande parte da população mais pobre do Brasil (na sua maioria) é que ela nem tem estudos suficientes e também não sabem trabalhar, nem mesmo em profissões mais humildes. Tente contratar um bom pedreiro, marceneiro, sapateiro e por aí vai. Eles não sabem trabalhar e improvisam tudo. O salário mínimo é baixo justamente por causa desse pessoal. Se aumentar muito o salário mínimo, as empresas e pessoas simplesmente não vão contratá-los porque eles não rendem mais do que o mínimo.

          Bons pedreiros, mecânicos, marceneiros, etc têm até fila de clientes e muitas vezes até recusam trabalhos. Conheço muito mestre de obras que ganha até mais do que muito profissional de nível superior.

          Eu simplesmente não consigo entender a falta de vontade de estudar de certas pessoas, como muitos jovens de “comunidades” de grandes cidades, onde o que mais existe são escolas e próximas deles. Não é como acontece no interior, onde a pessoa tem que parar de estudar porque não há escolas mais avançadas na região ou porque não tem como chegar até a escola. É simplesmente falta de cultura familiar que valorize o estudo.

          Enquanto essa subcultura de valorizar a ignorância continuar, o Brasil não sairá do buraco. E o Lula é o ídolo deles, um político que se gaba de ser ignorante e que não valoriza a cultura.

          • radiobrasil

            Eu moro no interior e o que me assusta também é a “qualidade” dos cursos superiores que pipocaram ultimamente. Faculdades que foram criadas apenas para faturar $$ com mensalidades, ensino medíocre. O nível desses profissionais formados nesses caça-níqueis também é horrível, só tem diploma e nenhum conhecimento.
            E hoje vejo dentistas, bacharéis em direito, veterinários ganhando 1 salário mínimo…

          • FocusMan

            Concordo plenamente com seu comentário. Acho que isso é ate patologico

    • Rico & Orgulhoso

      Nos anos 60 a Coreia do Sul brigou com a do Norte e investiu em educação.
      Foi governada (democraticamente) ao longo de todo esse tempo por pessoas que mantiveram um sistema educacional rígido, em período integral.
      Hoje é um País com os maiores estaleiros do mundo, uma das mais conhecidas fábricas de eletrônicos, uma das mais importantes fábricas de automóveis (esta, por sinal, em pouco tempo abocanhou mercado nos EUA, américa latina e a própria europa – a Renault até hoje não está nos EUA)…

      Só que não é como aqui, que dar EMPREGO é sinônimo de arrumar um servicinho braçal só pra conseguir o almoço do outro dia e consumir na 25 de março (enquanto o empresário, detentor do capital, investe com juros merrequíticos do BNDES e lucra fortunas, enviando-as todas para o exterior). É ESTUDAR DURO POR ANOS, DURANTE O DIA INTEIRO pra ser engenheiro do estaleiro da Hyundai, Samsung etc (como fazem lá na Coreia).
      O povo tem que querer isso, exigir isso como a pauta n.1 dos governantes, é o único meio para crescer economicamente e como nação humana, também (e assim reduzir os homicídios de mulheres, assassinatos, latrocínios etc)

      Agora veja a Coreia do Norte, que permanece na filosofia do Tiro, Porrada & Bomba até hoje (ditadura militar)… Ficou estacionada durante todos esses anos (assim como o Brasil também ficou de 64-85)
      Começamos a nos reerguer a partir dos anos 90, mas infelizmente agora a coisa decaiu… É preciso tomar as medidas corretas para retomar o crescimento e, estreme de dúvidas, o foco a longo prazo deve ser a educação em regime integral!

      • Tosoobservando

        Dificilmente os países da America Latina irão seguir a filosofia adotada na Coreia do Sul ou nos países mais desenvolvidos na Europa. Ainda mais os ditos com filosofias de “esquerda”, que nada mais é uma forma de criar cabides de emprego publico, inchar o estado. Dicifilmente vc vera essa realidade que vc detalhou ae ocorrer no Brasil algum dia, pois os proprios governantes nao tem nenhum diploma e quando tem maioria foi comprado na maracutaia, entao com pessoas como essas governando vc acha que algum dia vai ter melhora na educação? kkk A presidanta disse que ia aumentar o salario dos professores com o pre-sal, mas e ae kd o tal do pre-sal? Enfiaram por agua abaixo por incompetencia. Qual alegação que um medico cubano ganha 10 mil por mes pra trabalhar em postinho de saude e um professor ganha 2 mil pra sofrer nas salas de aulas lotadas?

        • FocusMan

          Diploma não quer dizer nada para mim. (Eu tenho nível superior, não estou defendendo que não deve-se estudar)

          O que precisamos mesmo é diminuir a diferença salárial entre a clásse média de mentira e a classe média de verdade.

          Quanto seria o ideal para uma pessoa começar a vida, alugar um cantinho, ter um carrinho e algum lazer? 4000 reais? Pronto! esse deveria ser o salário mínimo.

          Escolhendo qualquer profissão, você teria como ter uma vida digna.

          Se você estudasse mais do que o nível médio, ganharia um pouco mais, mas nada muito acima.

          Assim, teriamos a mesma realidade dos países desenvolvidos.

          • Tosoobservando

            As maiores diferenças salariais estao no Estado, entao quem deveria começar esse movimento seria ele, depois a iniciativa privada. Agora minim de 4 mil? kkk faz-me rir. Alias nem devia existir salario minimo, e sim acordos, ou apenas um minimo por hora, como países de primeiro mundo. Estas estipulações de salario mensal so causam desemprego.

            • FocusMan

              Você está certo… Eu pensei em 4 mil como um número apenas. Você ganharia isso fazendo qualquer trabalho se o mercado regulasse.

      • FocusMan

        Olha sua análise é interessante, mas o mundo não é feito de engenheiros e advogados.

        É necessário que os técnicos responsáveis pelo trabalho menos rebuscado ganhem bem também para poder fazer o sistema girar.

        Muitos engenheiros formados sem trabalho de engenheiro somente causa a redução no salário dos que já estão no mercado. E o mais interessante é que nem todos no mundo que querem ser engenheiro tem aptidão para a função.

        A solução ideal é mostrar que para quem apenas quer ganhar dinheiro, mas não quer estudar muito, existe uma saída e essa saída pagará uma renda ainda boa para essa pessoa, como ganharia um engenheiro.

        A premiação por ser engenheiro, ou advogado, ou administrador não deveria ser um salário maior, mas a condição de trabalho melhor e a possibilidade de ocupar cargos de liderança que assim possibilitaria uma ascenção maior salárial.

        • Rico & Orgulhoso

          Mas é preciso inverter a ideia de que emprego em fábrica é no “chão”

          A automação é benéfica e traz o trabalho de centenas de engenheiros para produção, manutenção, programação etc e ainda vai ao encontro da sua exposição acerca das melhores condições de trabalho (muito melhor programar software no laboratório com a/c do que enfiar os braços numa prensa)

          Só que pra isso é preciso estudar MUITO, e não apenas trabalhar pra comprar o prato de comida amanhã, sem preocupação (a não ser com afinal do campeonato brasileiro e com o preço da cerveja de milho – como a maioria dos nossos irmãos br’s)

      • Sua generalização com os empresários é um erro, até porque essa figura que citou é minoria absoluta. Quem mais dá emprego é o médio/pequeno empresário, que passa longe desse estereótipo.

      • Marcello Caetano

        Guerra da Coreia foi nos início dos anos 50…

      • Castle_Bravo

        O problema é que esta estratégia só funciona com orientais, povos disciplinados, onde há uma “unidade” um povo que se vê como irmão. Aqui no Brasil, na América inteira na verdade, países de imigrantes, este tipo de estrategia precisa ser substituída pelo individualismo, cada indivíduo buscando o seu desenvolvimento com o mínimo de preocupação com o sucesso do próximo. Foi assim que EUA, Canadá e Austrália se desenvolveram.

  • Louis

    Se depender de mim, vai cair mesmo.
    E se o desgoverno conseguir aprovar a CPMF, aí que eu só troco de carro depois que o petê sair, como forma de protesto. Estou cansado de pagar impostos e ser roubado. Cada vez que se compra um carro novo, quase metade do valor vai direto para os governos saffaddos.

  • Fanjos

    Todo mundo sabe a solução para economia do país: É só chamar o Lulinha!! Ele é um gênio a frente de seu tempo, o verdadeiro Steve Jobs Brasileiro! Certamente o empresario mais bem sucedido da historia do país pode nos ajudar a vencermos a crise!!!
    LACRA 13 POURRA!!

  • Freaky Boss

    “De acordo com a empresa, a recuperação do mercado brasileiro se dará entre 2017 e 2019”.
    kkkkkkkkkk
    Me digam como???????????? Só muda se a cabeça do governo mudar radicalmente, mas como isso não deve ocorrer (e para começar não agradaria a militância do PT), não vejo como recuperar em 2017.
    Mas agora é boa sorte a todos!!!! Seguuuuuura peão!!!

  • Freaky Boss

    Ociosidade de 50% no parque da principal engrenagem da indústria brasileira. Só isso!!! E tem gente achando que a crise é invenção da mídia ou da mula sem cabeça ou dos estados unidos.



Send this to friend