Hatches Matérias NA Populares Volkswagen

Gol 2013: detalhes, preço, motor, consumo, ficha técnica, fotos

Gol 2013: detalhes, preço, motor, consumo, ficha técnica, fotos

O Gol 2013 recebeu atualização em 2012, sendo esta não considerada pela Volkswagen como sendo uma geração, mas apenas uma renovação visual, contudo, a rede de concessionárias “batizou-a” de VW Gol G6.


Lançado em 2008, o Gol G5 foi a maior mudança pela qual o campeão de vendas da VW passou em seus 40 anos de mercado brasileiro. Originalmente apresentado em 1980, o hatch demorou 14 anos para mudar de geração (G2).

Depois, recebeu um facelift mais intenso, que foi considerado pela marca como uma geração, embora não fosse (G3). Tempos depois, houve uma simplificação antes da terceira geração de fato (G4), que estendeu a vida desse até 2013.

Então, o G5 ficou pelo menos quatro anos sem renovação até que surgiu essa G6, que a VW simplesmente batizou de “Gol”. Existe ainda outra atualização, que chama de G7.

No Gol 2013, as mudanças deixaram o produto no mesmo padrão visual do portfólio global da Volkswagen, adicionando novos faróis duplos, grade mais retangular, lanternas repaginadas e mudanças leves no painel, assim como nos bancos.

Os para-choques foram atualizados, assim como a tampa do bagageiro. Outra mudança foi a introdução da carroceria de duas portas, que foi uma tentativa da marca de substituir o Golf G4, que não passaria de 2013, por causa da segurança.

Essa atualização também adicionou equipamentos novos, bem como promoveu alterações mecânicas, como o motor 1.0 “VHT”, apelidado pela marca de “TEC”, ficando 4% mais econômico, ampliando para 8% no kit BlueMotion.

Já o 1.6 VHT seguiu sem alterações, mantendo ainda a oferta do câmbio automatizado ASG da Magneti Marelli, que equipava as versões I-Motion. A transmissão manual MQ200 era comum aos dois motores.

Na mudanças do Gol 2013, a frente recebeu faróis com dupla parábola, dando ao carro um visual mais consistente. A grade ficaria mais retilínea e o logotipo da VW sobressaía sobre ela.

O para-choque ficou mais fluido e com a base numa moldura única, que trazia grade preta e faróis de neblina quadrados. Além disso, novas rodas de liga leve aros 14 e 15 polegadas foram inseridas, bem como calotas nas rodas de aço.

Na traseira, o para-choque ganhou refletores, enquanto a tampa do bagageiro adicionou vincos e um corte diferente no acabamento, harmonizando com as lanternas novas, que mantiveram o formato, mas ficaram com superfície retangular.

Por dentro, o Gol 2013 teve o painel em dois tons de cinza na versão Power e monocromático nas demais e recebeu novas tampas estilizadas nos difusores de ar. O ar condicionado ganhou botões redesenhados.

Um novo sistema de áudio foi adicionado com display integrado, trazendo ainda um grafismo diferenciado e animação com a funcionalidade do sensor de estacionamento, chamado Park Pilot.

O Gol ganhou ainda limpador do para-brisa com aerowisher e o kit BlueMotion, que consistia em pneus de baixa resistência à rolagem 175/70 R14, indicador de mudança de marcha e medidor de consumo instantâneo.

Havia ainda o Eco Comfort, outra novidade, que foi inserida no computador de bordo, recomendando ações para evitar desperdício de combustível, como fechar as janelas com ar condicionado ligado ou não acelerar em situações inoportunas.

O Gol 2013 também adicionou mais itens de série, como por exemplo, vidros dianteiros e travas elétricas de série, além de banco do motorista com ajuste de altura e abertura elétrica do porta-malas.

As mudanças no Gol ajudaram o modelo em vendas, porém, não foram suficientes para que ele pudesse se manter como líder de mercado, perdendo inicialmente para o Fiat Palio e depois para o Chevrolet Onix.

Versões como Rallye e Track surgiram no modelo 2014, assim como outras opções posteriores. O Gol trocaria ainda o motor 1.0 TEC pelo EA211 1.0 MPI, assim como ganharia ainda um EA211 1.6 16V com até 120 cavalos e opção I-Motion.

Haveria ainda mais mudanças no Gol, como atualização “G7” e o novo painel, semelhante ao da Saveiro. Mais moderno, ganharia suporte para celular e multimídia com Android Auto e CarPlay.

Também receberia pela primeira vez uma transmissão automática Tiptronic de seis marchas e conversor de torque, trazendo de volta o motor 1.6 16V de até 120 cavalos.

Com produção estendida até pelo menos 2022 ou 2023, o Gol G5 poderá alcançar 15 anos na terceira geração, antes do fim, quando será substituído por um crossover compacto de acesso.

Gol 2013 – detalhes

Gol 2013: detalhes, preço, motor, consumo, ficha técnica, fotos

Visualmente, o Gol 2013 era mais moderno que o anterior, tendo frente com faróis duplos com máscara negra, além de lanternas e piscas integrados. A grade era em preto brilhante com logotipo da VW ampliado.

O para-choque tinha moldura inferior contínua com acabamento preto e faróis de neblina quadrados e frisos cromados. As rodas de liga leve aro 14 polegadas tinham desenho que lembrava lâminas e as de aro 15 polegadas eram diamantadas.

Os pneus eram 175/70 R14, mas havia opção de modelo de baixa resistência à rolagem, para economia de combustível. Na versão Power, os pneus eram 195/55 R15 para melhor desempenho.

Os retrovisores tinham repetidores de direção na Power, enquanto os limpadores de para-brisa eram aerodinâmicos. Maçanetas e retrovisores eram na cor do carro, assim como defletor de ar sobre a tampa do bagageiro.

No teto, havia uma antena pouco pronunciada. Na traseira, as lanternas foram repaginadas e ganharam nova iluminação, com a tampa recebendo dois vincos na base. A vigia vinha com limpador e lavador, assim como desembaçador.

O escape tinha ponteira cromada na versão Power. Dentro, o Gol 2013 tinha painel com tom de cinza mais claro na parte superior e bem mais escuro abaixo. Difusores de ar circulares tinham detalhes cromados.

O cluster analógico tinha iluminação vermelha e trazia velocímetro, nível de combustível, temperatura da água e conta-giros. Trazia ainda display digital com Eco Comfort e funcionalidades do kit BlueMotion.

No centro do painel, havia ainda botões para os vidros elétricos traseiros, bem como para abertura do porta-malas. O rádio integrado tinha 1din e vinha com display digital que reproduzia o Park Pilot.

Tinha Bluetooth, USB, auxiliar e CD player, tendo ainda comandos de mídia e telefonia no volante multifuncional, que tinha ajuste de altura e trazia também piloto automático nas versões I-Motion e na Power.

As portas tinham acabamento em tecido escurecido e maçanetas de cor cinza, com ajustes elétricos dos retrovisores junto à ela, bem como apenas comandos dos vidros elétricos dianteiros.

O banco do motorista tinha ajuste em altura, assim como os cintos de segurança dianteiros. Os bancos tinham nova padronagem e podiam ser em couro de dois tons na versão Power.

Atrás, o banco era inteiriço e com dois apoios de cabeça, além de cintos de segurança de 3 pontos nas laterais. O central era subabdominal. O banco eram rebatível, ampliando os 285 litros do porta-malas.

Havia alças no teto, assim como luzes de leitura, iluminação geral, espelhos iluminados nos para-sóis e retrovisor interno dia e noite. Já o porta-malas tinham luz interna e forração em carpete.

Gol 2013 – versões

Gol 2013: detalhes, preço, motor, consumo, ficha técnica, fotos

  • Volkswagen Gol 1.0
  • Volkswagen Gol 1.6
  • Volkswagen Gol 1.6 I-Motion
  • Volkswagen Gol 1.6 Power
  • Volkswagen Gol 1.6 Power I-Motion

Equipamentos

Gol 2013: detalhes, preço, motor, consumo, ficha técnica, fotos

Volkswagen Gol 1.0 – Motor 1.0 e câmbio manual de cinco marchas, mais vidros dianteiros elétricos, travamento central elétrico, banco do motorista com ajuste em altura, lavador e limpador do vidro traseiro, desembaçador traseiro, para-brisa degradê, retrovisor interno dia e noite, retrovisores externos com controle interno, rodas de aço aro 14 polegadas com pneus 175/70 R14, airbag duplo, freios com ABS e EDB, maçanetas e retrovisores na cor do carro, cintos de 3 pontos nas laterais, cinto central subabdominal, para-choques na cor da carroceria, cluster com conta-giros, bancos em tecido, entre outros.

Opcionais: Indicador de mudança de marcha, pneus de baixa resistência à rolagem, medidor de consumo instantâneo, ar condicionado, direção hidráulica, coluna de direção ajustável em altura, chave canivete com telecomando, alarme e sistema de áudio com CD player, USB e auxiliar, Bluetooth e volante multifuncional.

Volkswagen Gol 1.6 – Itens do 1.0, mais motor 1.6 litro.

Opcionais: Ar condicionado, direção hidráulica, coluna de direção ajustável em altura, chave canivete com telecomando, alarme e sistema de áudio com CD player, USB e auxiliar, Bluetooth e volante multifuncional.

Volkswagen Gol 1.6 I-Motion – Itens de série do 1.6, mais transmissão automatizada ASG de cinco marchas com modo Sport, mais piloto automático e volante multifuncional com paddle shifts.

Opcionais: Ar condicionado, direção hidráulica, coluna de direção ajustável em altura, chave canivete com telecomando, alarme e sistema de áudio com CD player, USB, auxiliar e Bluetooth.

Volkswagen Gol 1.6 Power – Itens acima, mais ar condicionado, direção hidráulica, coluna de direção ajustável em altura, chave canivete com telecomando, vidros traseiros elétricos, retrovisores elétricos, frisos cromados, bancos com padronagem diferenciada, faróis de neblina, espelhos iluminados, alarme e sistema de áudio com CD player, USB, auxiliar e Bluetooth.

Opcionais: Bancos em couro e piloto automático.

Volkswagen Gol 1.6 Power I-Motion – Itens acima, mais transmissão automatizada ASG de cinco marchas com modo Sport, mais piloto automático e volante multifuncional com paddle shifts.

Opcionais: Bancos em couro.

Preços

Gol 2013: detalhes, preço, motor, consumo, ficha técnica, fotos

  • Volkswagen Gol 1.0 – R$ 27.990
  • Volkswagen Gol 1.6 – R$ 31.890
  • Volkswagen Gol 1.6 I-Motion – R$ 34.490
  • Volkswagen Gol 1.6 Power – R$ 38.290
  • Volkswagen Gol 1.6 Power I-Motion – R$ 40.890

Gol 2013 – motor

Gol 2013: detalhes, preço, motor, consumo, ficha técnica, fotos

O Gol 2013 era equipado com dois motores, ambos da família EA111, fabricada em São Carlos, interior de São Paulo. O compacto da VW era equipado com os propulsores 1.0 TEC e 1.6 VHT.

Essencialmente, ambos eram da mesma família, mas o 1.0 VHT recebeu algumas modificações para ficar 4% mais econômico. Isso se deu no retrabalho das sedes de válvulas, assim como anéis, pistões e bielas.

O óleo lubrificante também foi alterado para uma viscosidade menor, reduzindo o esforço do motor em girar e perder força. As modificações feitas providenciaram um aumento no rendimento do motor, mas foram parte de um processo.

O outro era o kit BlueMotion, que consistia em pneus de baixa resistência à rolagem, além de indicador de mudança de marcha e medidor de consumo instantâneo.

Com esse pacote adicional, o Gol 2013 ficou 8% mais econômico. Tendo quatro cilindros em linha num bloco de alumínio, o EA111 1.0 TEC (Tecnologia de Economia de Combustível) tinha cabeçote em alumínio com comando único.

Empregando duas válvulas por cilindro e sem variação, o propulsor de 999 cm3 e taxa de compressão de 12,7:1, entregava os mesmos 72 cavalos na gasolina e 76 cavalos no etanol, ambos a 5.250 rpm.

O torque era de 9,7 kgfm no primeiro e 10,6 kgfm no segundo, ambos a 3.850 rpm. Com injeção eletrônica multiponto sequencial, o 1.0 TEC tinha ainda tecnologia flex com injeção de gasolina na partida a freio com etanol.

Esse propulsor surgiu no final dos anos 90 e passou a equipar o Gol e outros produtos da marca, chegando mesmo a ganhar uma versão 1.0 16V e 1.0 16V Turbo, este último com nada menos que 112 cavalos e 15,8 kgfm.

Foi substituído no Gol G7 pelo EA211 1.0 MPI de 75 cavalos na gasolina e 84 cavalos no etanol, conferindo mais desempenho e economia ao best seller da VW.

Já o 1.6 VHT é outro propulsor que fora atualizado no Gol G5, tendo uma grande força em baixa rotação, algo comparado em rotação a um motor maior, como o EA113 2.0.

Com a mesma arquitetura e dotado de comando acionado por correia dentada, o 1.6 8V Flex ainda é produzido e se mantém no Gol atual, tendo 1.598 cm3 e 12,1:1, entregando 101 cavalos na gasolina e 104 cavalos no etanol, a 5.250 rpm.

Já o torque era um pouco mais baixo, tendo 15,2 kgfm no derivado de petróleo e 15,4 kgfm no combustível vegetal, ambos a baixos 2.500 rpm. Essa característica se deve às bielas longas, que geram um curso maior no motor.

Além disso, com apenas duas válvulas, o motor tem mais pressão em baixa que numa rotação mais elevada, quando um propulsor 16V rende muito mais. Contudo, esse motor não era assim originalmente.

Estreando no Golf nacional em 1998, o EA111 1.6 8V tinha os mesmos 101 cavalos atuais, mas com um torque bem menor, em torno de 14,3 kgfm. Ele foi usado assim até meados dos anos 2000, quando recebeu a designação VHT.

Considerado um motor bem robusto, o EA111 ainda se mantém não só no Gol, mas também no Voyage, Fox e a Saveiro. Foi usado também na SpaceFox, Polo e Polo Sedan antigos, bem como no Polo Classic argentino e Audi A3 nacional.

O Gol 2013 era equipado com a transmissão manual de cinco marchas MQ200, bem como a versão automatizada do mesmo, com sistema chamado ASG, desenvolvido pela Magneti Marelli.

O sistema consiste em um atuador eletro-mecânico, que aciona o varão de engate de marchas e o cabo da embreagem no momento certo da troca. Gerenciado por uma central eletrônica, o ASG permitia fazer a operação de forma automática.

Era possível ainda fazê-lo de forma manual através da alavanca ou paddle shifts no volante. Ele mede a velocidade, curso do pedal de acelerador e outros dados para fazer a troca.

Também tinha o modo Sport, que esticava mais as marchas e deixava o giro do motor mais alto, para prover retomadas melhores. O problema desse tipo de sistema automatizado era o “buraco” entre as trocas, já que existe perda nas trocas.

Em carros manuais, o condutor já espera essa perda de giro e força nas trocas, mas é algo que ele está acostumado e espera que ocorra. No automatizado é diferente, já que o motorista não pode controlar essa perda com a embreagem.

Então, essa sensação é criticada geralmente por quem adquiriu um carro assim. No câmbio puramente automático, isso não é percebido, pois existe uma compensação, assim como no sistema de dupla embreagem, onde não existe perda.

O Gol usou o sistema I-Motion nos modelos G5 e G6, sendo que o G7 aposentou essa opção e adotou o AQ250, uma transmissão automática de seis marchas com sistema Tiptronic e conversor de torque, também com paddle shifts.

Desempenho

Gol 2013: detalhes, preço, motor, consumo, ficha técnica, fotos

  • Volkswagen Gol 1.0 – 12,9 segundos e 165 km/h
  • Volkswagen Gol 1.6 – 9,8 segundos e 190 km/h
  • Volkswagen Gol 1.6 I-Motion – 10,4 segundos e 190 km/h

Consumo

Gol 2013: detalhes, preço, motor, consumo, ficha técnica, fotos

  • Volkswagen Gol 1.0 – 7,7/9,6 km/l e 11,6/13,9 km/l
  • Volkswagen Gol 1.6 – 7,3/9,4 km/l e 10,7/13,7 km/l
  • Volkswagen Gol 1.6 I-Motion – 7,3/9,5 km/l e 10,7/13,6 km/l

Gol 2013 – manutenção e revisão

Gol 2013: detalhes, preço, motor, consumo, ficha técnica, fotos

A Volkswagen tem agora um plano de revisão para os carros atuais que consiste em paradas programadas a cada 12 meses ou 10.000 km. Antes, como no caso do Gol 2013, o tempo da primeira era de seis meses.

No site da VW , os valores para o Gol 2013 não existem, sendo necessário uma consulta à rede Volkswagen. Os preços abaixo são para o Gol a partir de 2016, com um custo até que abaixo da média: R$ 2.788,04 até 60.000 km.

Nas revisões, a rede VW inspeciona diversos itens dos carros, como parte elétrica, direção, suspensão, freios, carroceria e parte mecânica. No serviço de revisão, são substituídos óleo do motor, filtro do óleo, filtro de ar do motor e velas.

Também são trocados o filtro de ar da cabine, filtro de combustível, correia em V, correia dentada, fluido de freio, fluido de direção hidráulica, entre outros, bem como recomendação para troca de pastilhas e/ou discos, pneus e amortecedores.

Revisão10.000 km20.000 km30.000 km40.000 km50.000 km60.000 kmTotal
1.0R$ 228,19R$ 267,49R$ 532,89R$ 613,29R$ 401,09R$ 745,09R$ 2.788,04
1.6R$ 228,19R$ 267,49R$ 532,89R$ 613,29R$ 401,09R$ 745,09R$ 2.788,04

Gol 2013 – ficha técnica

Gol 2013: detalhes, preço, motor, consumo, ficha técnica, fotos

Motor1.01.6
Tipo
Número de cilindros4 em linha4 em linha
Cilindrada em cm39991598
Válvulas88
Taxa de compressão12,7:112,1:1
Injeção eletrônicaIndireta FlexIndireta Flex
Potência máxima72/76 cv a 5.250 rpm (gasolina/etanol)101/104 cv a 5.250 rpm (gasolina/etanol)
Torque máximo9,7/10,6 kgfm a 3.850 rpm (gasolina/etanol)15,4/15,2 kgfm a 2.500 rpm (gasolina/etanol)
Transmissão
TipoManual de 5 marchasManual de 5 marchas ou automatizada de 5 marchas
Tração
TipoDianteiraDianteira
Direção
TipoHidráulicaHidráulica
Freios
TipoDiscos dianteiros e tambores traseirosDiscos dianteiros e tambores traseiros
Suspensão
DianteiraMcPhersonMcPherson
TraseiraEixo de torçãoEixo de torção
Rodas e Pneus
RodasAço ou liga leve aros 14 ou polegadasLiga leve aro 15 polegadas
Pneus175/70 R14 ou 195/55 R15195/55 R15
Dimensões
Comprimento (mm)3.8953.895
Largura (mm)1.6491.649
Altura (mm)1.4641.464
Entre eixos (mm)2.4652.465
Capacidades
Porta-malas (L)285285
Tanque de combustível (L)5555
Carga (Kg)504440
Peso em ordem de marcha (Kg)946971
Coeficiente aerodinâmico (cx)0,340,34

Gol 2013 – fotos

https://www.youtube.com/watch?v=F8l5LpoagE4

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

    Quem somos

    O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por 15 anos. Saiba mais.

    Notícias por email