Hatches História Matérias NA Volkswagen

Golf TSI: versões, preços, consumo (e todos os detalhes)

Golf TSI: versões, preços, consumo (e todos os detalhes)
Volkswagen Golf TSI 2019

O Volkswagen Golf, por mais que tenha permanecido como um carro defasado por quase duas décadas dentro da gama da marca alemã no Brasil, sempre foi um dos queridinhos dos brasileiros no segmento de hatches médios. Ele chegou por aqui em 1994 e estreou sua sétima (a nível global) e atual geração Golf TSI em 2013.

A atual versão do Golf comercializada no mercado nacional fez sua estreia em setembro de 2013, com um atraso de exato um ano frente ao modelo oferecido lá fora.


A nova geração do carro, a sétima da linha, substituiu a antiga geração do Volkswagen, que era a quarta a nível global e estava presente por aqui desde 1998.

Além de uma plataforma totalmente nova, a modular MQB, visual mais atualizado, uma série de recursos inéditos de conforto, tecnologia e segurança e acabamento interno mais primoroso, o novo Volkswagen Golf estreou a gama de motores TSI.

O Golf TSI ofertado por aqui chegou com os motores 1.4 TSI e 2.0 TSI, sendo o primeiro da versão de entrada e o segundo como uma exclusividade da configuração esportiva Golf GTI.


Posteriormente, ofertou também o 1.0 TSI como uma opção mais “mansa” e eficiente.

Veja abaixo os principais detalhes da trajetória do Golf TSI no Brasil:

Golf TSI: versões, preços, consumo (e todos os detalhes)

Golf TSI – história

A história do Golf TSI teve início no Brasil no dia 7 de setembro de 2013. Nesta data, a Volkswagen apresentou a nova geração do hatch médio à imprensa brasileira num evento na Alemanha. No mesmo mês, ele começou a ser vendido na rede de concessionárias.

O novo Volkswagen Golf TSI chegou para substituir a antiga geração que, naquela época, somava 15 anos sem grandes evoluções.

O novo modelo estreou com a plataforma modular MQB, usada também no “primo rico” Audi A3, dimensões maiores, redução de peso de 70 kg, visual mais moderno e interior bem mais refinado e tecnológico.

Entre os recursos, o hatch trouxe opção de faróis e lanternas em LED, central multimídia com tela sensível ao toque e sensor de aproximação de até oito polegadas, sete airbags, controles de estabilidade e tração, seletor de modos de condução, freio de estacionamento eletrônico com Auto Hold, ar-condicionado automático de duas zonas, assistente de estacionamento Park Assist,  proteção proativa dos ocupantes, entre outros.

Outro destaque era a gama de motores. O Volkswagen Golf de nova geração chegou equipado com o motor 1.4 TSI da família EA 211, o mesmo já usado em modelos como Audi A1 e Audi A3 (menos potentes), dotado de turbocompressor, quatro cilindros e injeção direta de combustível e capaz de beber somente gasolina.

Golf TSI: versões, preços, consumo (e todos os detalhes)

No Golf, o 1.4 TSI recebeu reajustes para desenvolver 140 cavalos de potência e 25,5 kgfm de torque, já a partir de 1.500 rpm.

Ele podia ser combinado a um câmbio manual de seis marchas ou automatizado DSG de sete velocidades e dupla embreagem com sistema seco. Há também sistema start/stop.

Já o 2.0 TSI é o mesmo usado no antigo Jetta TSI, mas com reajustes para entregar uma dose extra de potência no Golf GTI. O hatch esportivo, também com turbocompressor, quatro cilindros e movido a gasolina, produz 220 cv e 35,7 kgfm, também a partir de 1.500 rpm.

No caso do Golf GTI, há um câmbio DSG de seis marchas e dupla embreagem, mas neste caso com sistema banhado a óleo. A marca optou por usar uma caixa diferente devido ao maior entregue pelo motor.

A tração é somente dianteira. Ele oferece ainda bloqueio eletrônico do diferencial.

A primeira leva do Golf TSI alemão chegou ao Brasil com preços entre R$ 67.990 e R$ 92.990 para o Golf Highline 1.4 TSI manual, com opção do câmbio DSG por R$ 7 mil a mais.

Os preços variavam conforme o pacote escolhido (Standard, Elegance, Exclusive e Premium). Ele podia receber também teto solar elétrico, rodas aro 17, central multimídia mais aprimorada e assistente de estacionamento com câmera de ré.

Já o Golf GTI 2.0 TSI DSG tinha preço inicial de R$ 94.990, podendo chegar a R$ 125.990 com o pacote Exclusive. Tinha também a opção do teto solar elétrico.

Golf TSI: versões, preços, consumo (e todos os detalhes)

Em março de 2014, o Golf 1.4 TSI passou a ofertar uma nova versão de entrada, a Comfortline, que contava com alguns recursos a menos de visual, acabamento e conforto.

Por R$ 66.990 com câmbio manual ou R$ 73.990 com o DSG, oferecia rodas aro 16, faróis com lâmpadas halógenas, bancos em tecido, volante e alavanca de câmbio em couro, ar-condicionado manual, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, sete airbags, entre outros.

Pouco mais de um ano depois do lançamento do Golf TSI, a Volkswagen passou a traze-lo do México (deixando de pagar impostos de importação). O novo Golf mexicano chegou em novembro de 2014 direto da fábrica de Puebla. Porém, a versão mexicana do hatch médio era bem mais pobre que o modelo alemão.

Entre as principais diferenças, o Golf TSI mexicano abandonou o freio de estacionamento eletrônico para adotar um por acionamento manual.

Além disso, o Auto Hold saiu de cena para a chegada do assistente de partida em rampas (Hill Assist), funcionando somente em ladeiras e não no plano como o antigo.

O modelo perdeu também o sistema de farol alto com assistente de luz dinâmica (que desativava o recurso ao detectar carros vindo na direção oposta) para o uso do assistente de luz para farol alto (que desativa em velocidades acima de 60 km/h). Deixou de ter ainda algumas opções de acabamento interno e de pacotes de equipamentos.

Golf TSI: versões, preços, consumo (e todos os detalhes)

Como a terceira e última mudança de nacionalidade, o Volkswagen Golf TSI passou a ser produzido em São José dos Pinhais, no Paraná, em janeiro de 2016.

O hatch médio nacional fez a sua estreia nas versões Comfortline, Highline e GTI, por a partir de R$ 74.590 e com boas mudanças frente ao mexicano.

O Volkswagen Golf Comfortline abandonou o 1.4 TSI para usar o 1.6 MSI aspirado de 120 cv usado em modelos como Fox e Saveiro, com câmbio manual de cinco marchas ou automática de seis marchas com conversor de torque, esta no lugar da antiga automatizada DSG.

Além disso, o modelo deixou de usar a suspensão traseira com sistema multilink e braços independentes. No lugar, há um sistema independente convencional com barra de torção.

Já o Golf Highline manteve o 1.4 TSI, mas agora capaz de beber etanol e gasolina, capaz de gerar até 150 cv (10 cv a mais). O câmbio automático Tiptronic e a suspensão traseira com barra de torção também foram adotados no modelo turbo.

Por fim, o Golf GTI brasileiro com seu 2.0 TSI recebeu mudanças somente nos equipamentos.

Ainda no ano de 2016, em setembro, o Golf 1.0 TSI nacional chegou às concessionárias. Por a partir de R$ 74.990 e somente com câmbio manual, o modelo estreou o motor “mil” turbo na linha do hatch.

O propulsor é o mesmo usado no up! TSI, mas com diversas mudanças (como intercooler, bielas e válvulas diferentes).

Golf TSI: versões, preços, consumo (e todos os detalhes)
Golf TSI

O Golf 1.0 TSI consegue gerar até 125 cavalos de potência e 20,4 kgfm de torque. Ele está associado ao câmbio manual de seis marchas.

A última e principal mudança anunciada pela Volkswagen para a linha do Golf TSI foi a gama reestilizada do hatch médio. O modelo recebeu suas primeiras grandes mudanças em junho de 2018, mas com um atraso de dois anos frente à variante europeia.

O Golf 2019 chegou com faróis com novo layout interno, agora com iluminação em LED desde a versão de entrada, para-choques redesenhados, novas rodas de liga-leve e lanternas traseiras também em LED.

Por dentro, ganhou central multimídia com tela de oito polegadas, Android Auto e Apple CarPlay, painel de instrumentos Active Info Display com tela colorida de 12,3 polegadas no modelo Golf GTI, entre outros.

Na gama de motores, o 1.0 TSI ganhou 3 cv, passando para 128 cv com etanol, e recebeu o câmbio Tiptronic de seis marchas de série. Já o 1.4 TSI de 150 cv seguiu sem mudanças. O Golf GTI com seu 2.0 TSI ficou 10 cv mais potente, agora com 230 cv.

Na ocasião, o Golf 1.0 TSI estreou por R$ 91.790, o Golf 1.4 TSI por R$ 112.190 e o Golf GTI 2.0 TSI por R$ 143.790.

Golf TSI: versões, preços, consumo (e todos os detalhes)

Golf 1.0 TSI – detalhes

Se está em busca de um novo Golf com motor turbo, o modelo 1.0 TSI é o mais em conta que você pode comprar.

O modelo começou a ser vendido por aqui no fim de 2016 e, desde então, desempenha o papel de variante mais acessível da linha do Volkswagen – o modelo 1.6 MSI aspirado deixou de ser vendido pouco tempo depois.

O motor usado pelo Volkswagen Golf 1.0 TSI é praticamente o mesmo do Volkswagen up! e, posteriormente, da dupla Volkswagen Polo e Volkswagen Virtus.

Este propulsor é dotado de três cilindros, turbocompressor, bloco e cabeçote em alumínio, quatro válvulas por cilindro, duplo comando de válvulas variável e injeção direta de combustível.

Em comparação com a unidade usada no up! TSI, a do Golf traz intercooler ar/água integrado ao coletor de admissão para reduzir o turbo lag, galerias de refrigeração separadas (de bloco, cabeçote e turbocompressor), pistão e bielas reforçadas, compressor com material mais resistente, radiadores maiores, sistema de injeção revisto, entre outros.

Há também carcaça do turbocompressor mais robusta em liga de aço, sistema de arrefecimento redimensionado, novas válvulas de escape com inserto de sódio e dois radiadores (um para o motor e o outro para o intercooler).

Golf TSI: versões, preços, consumo (e todos os detalhes)
Golf TSI

O 1.0 TSI do Golf não usa sistema de partida a frio por tanquinho de gasolina ou por aquecimento dos bicos. O sistema de injeção direta faz este trabalho por trabalhar em pressão mais alta, dispensando mecanismos que auxiliam no uso do etanol.

Ele pode desenvolver 116 cv com gasolina e 125 cv com etanol e torque de 20,5 kgfm com ambos os combustíveis, de 2.000 a 3.500 giros.

Neste caso, há um câmbio manual MQ200 GA de seis marchas. Em comparação com a caixa de cinco velocidades do up! TSI, além da sexta marcha, há a segunda marcha mais longa, a quarta e quinta marcha mais curtas e um diferencial mais curto. Segundo a VW, essas alterações melhoram as respostas do conjunto, sobretudo em retomadas.

Atualmente, o Golf 1.0 TSI é oferecido somente com o câmbio automático Tiptronic de seis marchas, dotado de conversor de torque. Esta transmissão foi uma das novidades da linha 2019 do modelo.

Ao contrário do que muitos imaginam, o Volkswagen Golf 1.0 TSI não vibra como outros modelos três cilindros. A marca alemã fez um bom trabalho no isolamento do motor, com o uso de um enorme coxim hidráulico.

Além disso, o carro é silencioso, ainda mais em baixas rotações.

Golf TSI: versões, preços, consumo (e todos os detalhes)

De acordo com dados da VW, o atual Golf Comfortline 1.0 TSI 2019 acelera de 0 a 100 km/h em 10,3 segundos. Já a velocidade máxima é de 192 km/h. Boas marcas considerando que se trata de um hatch médio que pesa 1.259 kg.

Nos testes, o Golf 1.0 TSI se mostrou eficiente em baixas rotações. Ele consegue entregar bastante vigor em saídas e arrancadas. As respostas são boas e ele não exibe reduções de marcha constantes em retomadas.

Já a respeito do consumo, conforme os dados do Inmetro, ele faz 8 km/l na cidade e 10,2 km/l na estrada com etanol e 11,4 e 14,2 km/l, respectivamente, com gasolina.

O Golf 1.0 TSI tem nota C na comparação relativa na categoria e B na comparação absoluta geral nos testes da instituição.

Golf TSI: versões, preços, consumo (e todos os detalhes)
Golf TSI

Golf 1.4 TSI – detalhes

Dá para dizer que o Golf 1.4 TSI é o mais tradicional da linha Volkswagen. Diferente do 1.0 TSI, é ofertado desde que o novo Golf chegou ao Brasil.

Além disso, é bem mais em conta que o esportivo Golf GTI com seu 2.0 TSI. Ele é o intermediário da linha e usa o mesmo motor de outros modelos da gama, como Jetta, Tiguan e, em breve, o crossover compacto T-Cross.

O 1.4 TSI é da família EA211, que integra também o 1.0 TSI e o 1.6 16V já usado no Golf e hoje presente nas linhas Polo, Virtus, Gol, Voyage e Saveiro.

Tal motor é bastante moderno e oferece quatro cilindros, injeção direta de combustível, quatro válvulas por cilindro, turbocompressor, intercooler, bloco e cabeçote feitos de alumínio, comando de válvulas variável para admissão e escape, coletor de escapamento integrado ao cabeçote e duplo circuito de arrefecimento (mantém a temperatura elevada do bloco, reduz atritos do óleo lubrificante e deixa o cabeçote trabalhando em temperaturas menores).

Nos modelos alemão e mexicano, o Golf 1.4 TSI bebia somente gasolina. Com isso, conseguia gerar 140 cv, a 4.500 rpm, e 25,5 kgfm, a 1.500 rpm.

Ele podia ser equipado com câmbio manual de seis marchas ou automatizado DSG de sete velocidades com dupla embreagem a seco. A tração é sempre dianteira.

Golf TSI: versões, preços, consumo (e todos os detalhes)

Porém, o Golf 1.4 TSI nacional virou bicombustível e, além disso, recebeu o câmbio automático Tiptronic de seis marchas com conversor de torque.

Isso porque o DSG a seco era um tanto quanto problemático, com ruídos excessivos e retenção de marchas até rotações mais altas ao passar por pisos irregulares. A Audi tomou a mesma medida ao substituir o S tronic pelo Tiptronic na linha A3 nacional.

Para beber etanol, o 1.4 TSI recebeu mudanças na central eletrônica, anéis e pistões redimensionados, novo catalisador, válvula com dupla vedação, sonda lambda linear, entre outros.

Ele passou a gerar 150 cv com etanol ou gasolina, a 4.500 rpm, e torque de 25,5 kgfm também com ambos os combustíveis, a 1.500 rpm.

Atualmente, o Golf com motor 1.4 TSI é comercializado somente com a transmissão automática. Este modelo pode ir de 0 a 100 km/h em 8,7 segundos e alcança velocidade máxima de 203 km/h.

O consumo, por sua vez, é de 7,5 km/l na cidade e 9,4 km/l na estrada com etanol e 11,4 e 13,8 km/l, respectivamente, com gasolina.

O hatch da Volkswagen recebeu notas “C na comparação relativa na categoria e “B” na comparação absoluta geral nos testes do Inmetro.

Golf TSI: versões, preços, consumo (e todos os detalhes)

Golf 2.0 TSI – detalhes

Por último, mas não menos importante, o Golf GTI é o mais potente da linha. Ele é também o dono do maior motor: um 2.0 EA888 turbo, compartilhado também com outros modelos (como o Tiguan Allspace R-Line e Passat).

Tal propulsor conta com bloco de ferro fundido, cabeçote em alumínio, quatro cilindros com quatro válvulas cada, virabrequim e biela forjados, injeção direta de combustível, bomba de óleo de fluxo variável, coletor de escape integrado ao cabeçote, duplo comando variável, eixos balanceadores roletados, comando por corrente, entre outros.

Até a metade de 2018, o Volkswagen Golf GTI oferece um motor capaz de entregar 220 cavalos, a 4.500 rpm, e torque máximo de 35,7 kgfm, disponível já a partir de 1.500 rotações.

Golf TSI: versões, preços, consumo (e todos os detalhes)

Porém, na linha reestilizada lançada em junho de 2018, o Golf GTI passou a desenvolver 230 cv, a 4.700 rpm. Já o torque se manteve em 35,7 kgfm, a 1.500 rpm.

O câmbio do Golf GTI é sempre o DSG DQ250 de seis marchas e dupla embreagem banhada a óleo. A tração, por sua vez, é dianteira.

Ele tem ainda um seletor de modos de condução (Normal, Sport, Eco e Individual), que altera o comportamento da direção e até o sistema de iluminação dos faróis, por exemplo.

A Volkswagen informa uma aceleração de 0 a 100 km/h em 7 segundos e velocidade máxima de 238 km/l. O consumo médio é de 9,9 km/l na cidade e 13,8 km/l na estrada, com notas “D” na comparação relativa na categoria e “C” na comparação absoluta geral nos testes do Inmetro.

Golf TSI: versões, preços, consumo (e todos os detalhes)

Golf TSI – preços

Veja abaixo os preços praticados pela Volkswagen na atual linha Golf 2019:

  • Volkswagen Golf Comfortline 1.0 TSI AT 2019: R$ 91.790
  • Volkswagen Golf Highline 1.4 TSI AT 2019: R$ 112.190
  • Volkswagen Golf GTI 2.0 TSI DSG 2019: R$ 149.290

Golf TSI – ficha técnica

Motor 1.0 TSI1.4 TSI2.0 TSI
TipoDianteiro, transversão, turbo, etanol e gasolinaDianteiro, transversão, turbo, etanol e gasolinaDianteiro, transversão, turbo, gasolina
Número de cilindros3 em linha4 em linha4 em linha
Cilindrada em cm³9991.3951.984
Válvulas121616
Taxa de compressão10,5:110,5:19,6:1
Injeção eletrônicaDiretaDiretaDireta
Potência máxima128 cv (etanol) e 116 cv (gasolina) a 5.500 rpm150 cv (etanol e gasolina) a 4.500 rpm230 cv a 4.700 rpm
Torque máximo20,4 kgfm (etanol e gasolina) a 2.000 rpm25,5 kgfm (etanol e gasolina) a 1.500 rpm35,7 kgfm a 1.500 rpm
Transmissão
TipoAutomática de 6 marchas com conversor de torqueAutomática de 6 marchas com conversor de torqueAutomatizada DSG de 6 marchas e dupla embreagem banhada a óleo
Direção
TipoElétricaElétricaElétrica
Suspensão
DianteiraIndependente, McPherson, com molas helicoidaisIndependente, McPherson, com molas helicoidaisIndependente, McPherson, com molas helicoidais
TraseiraEixo de torção, com molas helicoidaisEixo de torção, com molas helicoidaisIndependente, multibraço, com molas helicoidais
Rodas e pneus
RodasLiga-leve de 16 polegadasLiga-leve de 16 polegadasLiga-leve de 17 polegadas
Pneus205/55 R16205/55 R16225/45 R17
Dimensões
Comprimento total (mm)4.2684.2554.255
Largura (mm)1.7991.7991.799
Altura (mm)1.4561.4681.468
Distância entre-eixos (mm)2.6312.6302.630
Capacidades
Porta-malas (litros)313313338
Tanque (litros)505050
Carga útil (kg)497562533
Peso em ordem de marcha (kg)1.2591.2381.317
Coeficiente aerodinâmico (Cx)0,3340,3180,318
Golf TSI: versões, preços, consumo (e todos os detalhes)
Nota média 4.5 de 2 votos

Leonardo Andrade

Leonardo Andrade

Leonardo atua no segmento automotivo há quase nove anos. Tem experiência/formação em administração de empresas, marketing digital e inbound marketing. Já foi colaborador em mais de sete portais do Brasil. Fissurado por carros, em especial pelo mercado e por essa transformação que o mundo automotivo está vivendo.

  • afonso200

    tive um 2014 DSG 1.4 TSI na versao top, com teto, sensores dianteiros, e tudo mais..lembro que a primeira viajem que fiz a 80km/h no cruise control ele fez 22km/l no PC de bordo e 21.1 na bomba do posto….

    • Nutz Nutz

      O meu 2015 DSG 1.4 (Mexicano) em estrada a 110 km/h, cruise control desligado e gasolina comum fazia 21 km/L na bomba do posto. O carro não deu nenhum problema em 180 mil km.

    • Louis

      Consumo impressionante. Estranhamente, não vejo os donos de Polo Tsi elogiarem o consumo, já vi alguns relatos dizendo que não é tão econômico quanto esperavam.

      • Dherik

        Polo usa Tiptronic. Tiptronic funciona com conversor de torque, perde muita eficiência assim.

      • d59

        O polo é 1.0

      • fschulz84

        Não é mesmo. No meu caso (um Virtus) o consumo é quase similar ao antigo Fluence 2.0 que tive… Tudo bem que o carro ainda está amaciando (3500kms) mas confesso que me decepcionei um pouco. O Tiptronic mata a economia que este motor poderia providenciar.

      • Cláudio Modesto

        Tive um golf dsg7 e tenho o polo agora, não dá nem pra comparar o consumo. Se tivesse o dsg no polo seria outra história.
        O mais legal é que o golf e o polo custaram o mesmo hehe.

  • Domenico Monteleone

    Mesmo o nacional sendo simplificado, ainda era um dos melhores carros já feitos aqui, em todos os aspectos e principalmente em termos acabamento, basta olhar a diferença para o T-Cross que custa a mesma coisa, chega a dar nervoso. Como eu já havia dito, de 2015 pra cá uma sucessão de erros. Lamentável.

    • Danilo

      na verdade não foi uma sucessão de erros, e sim uma sucessão de falta de vergonha na cara, pois o carro só perdeu itens e foi ficando cada vez mais caro.
      A unica coisa de bom foi o banco de couro de serie no Highline em 2016, coisa que ja deveria ter vindo desde la em 2013. Mas era uma coisa reversivel, dava pra colocar.

    • vicegag

      Mas a regra aqui é sempre buscar oferecer menos, cobrando-se mais, e assim o consumidor vai se acostumando a ser lesado.

    • Louis

      Eu acho um dos “pecados” do Golf é a falta de apelo visual, principalmente na dianteira. Esse último facelift que teve melhorou um pouco com o DRL em led. Mas os primeiros desta geração com aquele farol dupla parábola eram bem sem graça. Já com o Led “duplo U” e xenon virava outro carro.

  • Cléber_V

    Acabei de trocar um Highline 13/14 por uma 320i do mesmo ano. Depois de mais de 2 anos com o carro posso dizer que, em questão de acabamento, conforto e dirigibilidade, ele não perde em nada para as versões de entrada das alemãs premiums. Motor econômico quando anda de boa e potente quando precisa, painel todo soft touch e o black piano da um ar de muito bom gosto e muita estabilidade na estrada, sem dar sustos mesmo em velocidades mais altas. Teria outro mais pra frente sem problemas, triste estar saindo de linha…

    • th!nk.t4nk

      Comparado com os premium, o Golf deixa a desejar mais em altas velocidades. É mais barulhento (isolamento acústico mais pobre) e sente mais a influência de oscilaçoes na pista. Os bancos do Golf também são mais simples, sem tantos ajustes e mais curtos. Outro ponto é que ele é bem estreito, o que se torna irritante quando há mais pessoas no veículo. Eu diria que pra quem vive muito na estrada, a troca pelo premium vale muito a pena. Já se for só pra rodar na cidade e/ou passa menos tempo no carro, as diferenças sao muito menores, e pra alguns talvez imperceptíveis até. Outra coisa: premium só vale a pena em versoes bem completas. Esses modelos pré-configurados e depenados que empresas como a BMW vendem no Brasil são um tapa na cara do consumidor.

      • Nicolas

        Meu Golf 2015 não apresenta essas características que mencionou, em alta parece que tem cola nos pneus no asfalto, fica grudado na pista, não faz barulho pois o motor está em baixa RPM em sexta marcha e os pneus Michelin não fazem barulho. E um carro médio, leva quatro confortáveis e tem saída de ar atrás. Entrei um uma Mercedes de entrada, com dois passageiros atras de 1.7m ficam com a cabeça encostada no teto, em cima e na lateral, claustrofobico, algo que não acontece com o Golf.

        • le0gt-r

          Muito bom esse seguro de 1.500, eu pago 3.600 em um confortiline 18/18.

          • Rodrigo

            Paguei o mesmo no meu Comfortline 17/17.

        • th!nk.t4nk

          Ah como eu queria que o Golf fosse equivalente a um Classe C a 200 km/h hehe. Nem em sonho, passa bem menos confiança. É um carrinho bom, mas até você conhecer coisa melhor. Pego Autobahn diariamente e nao tem jeito: Golf é só pra viajar de vez em quando mesmo. Quanto a passageiros de 1,70 m baterem a cabeça no teto atrás no Classe C, essa pegou pesado heim. Tenho 1,85 m e não bato. Admito sim que se você ficando levantando o corpo pra se ajeitar no banco vai esbarrar a cabe¢a no teto (como em dezenas de outros sedãs que têm caimento mais acentuado do teto), mas se ficar sentado normal não existe esse problema. Sobre os itens que você comentou: meu C200 era uma mera versao intermediária e tinha 9 air-bags, câmbio automático de 9 marchas, painel digital de 10″, bancos infinitamente mais confortáveis que os do Golf (inclusive repleto de ajustes também pro passageiro), AWD baseado em traçao traseira, volante com aquecimento, faróis LED, toda navegaçao e sistema de tráfego online (além de app pra controlar um monte de coisas no carro, incluindo localizaçao em estacionamentos), comando com pads no volante e no descansa-braço, faróis LED, direçao muito mais progressiva que a do Golf em alta velocidade, melhor isolamento acústico que do Golf (aliás melhor nao: muito melhor!). Nao apenas dirijo muito mais tranquilo num Classe C em alta velocidade, como chego bem mais descansado no destino. Mas é como eu disse: depende do teu uso. Se for pra usar pouco o carro, e for primariamente na cidade, vá de Golf mesmo. Já pra quem realmente faz um uso intenso do veículo, o premium é muito superior sim.

          • Thiago

            Bem isso mesmo.
            Acho que ele estava se referindo ao CLA ou hatch A 250.

          • Cláudio Modesto

            Aqui se andar rápido remonta o carro ou abraça um poste kkk.
            Nosso mercado é um comédia, não tem jeito.
            Aproveite ao máximo aí zoropa amigo, aqui só temos restos.

        • Julio

          Interessante este relato do th!nk.t4nk o meu confortline 2018 também não apresenta este comportamento em altas velocidades.

          Talvez o seu tenha algum defeito de fabricação procure a concessionaria urgente.

          • th!nk.t4nk

            Julio, tudo é relativo. Nao estou dizendo que o Golf seja instável, muito pelo contrário. Ele é muito bem acertado em termos de suspensão. Mas comparado a um premium mais sofisticado, ele fica pra trás nesse aspecto sim (particulamente acima de 160 km/h). No caso comparei com meu antigo C200, pois foi justamente o carro citado no post do Nicolas.

          • Marcos megdA

            Nunca leve a sério os relatos desse fera. O que presta é só os carros que ele tem na Europa. Os mais seguros, tecnologico, economicos, bla bla bla. Só aparece aqui pra criticar algum carro, criticar algum artigo do NA, etc, etc. Falta de serviço ficar aqui só botando defeito nas coisas kkkk

        • Marcos megdA

          Eu nem dou mais moral pro que esse th!ink escreve. Tem sempre uma reclamaçao pra fazer. Nunca está satisfeito. Diz que mora na Europa mas passa o dia inteiro enchendo o saco aqui no NA.
          Aqui não tem estrada pra ficar andando a 200km/hr, então o Golf já ta bom demais andando super bem e estável a 150. Quem quer andar a 200 vai pra track day e tem porsche, não MB.
          O Golf é melhor que a BMW 320 em quase todos os aspectos sim. Banco melhor, lista de equipamentos muito maior, mais economica entre outros. A BMW tem suas vantagens, mas como o colega ali de cima ja disse, o Golf é mais negócio.
          Fique com seu Golf o maximo que puder. Eu arrependi de ter vendido o meu. Se a VW não tivesse cagado no carro, eu trocaria Golf por Golf sempre.

      • Rodrigo

        Neste último sábado dirigi um Tiguan Allspace Comfortline e achei um sucessor a altura do Golf – embora dinamicamente seja um tanto inferior. Porém fiquei um tanto quanto dececionado com o isolamento acústico do Tiguan: ao pisar fundo o ruído do motor invade bem o interior da cabine, fato que no Golf invade bem menos.

        • Cláudio Modesto

          Como assim sucessor? São alhos e bugalhos.

          • Rodrigo

            Sucessor no sentido de qualidade. Quem hoje tem um Golf e quer migrar pra algo parecido em termos de qualidade naturalmente terá que ir para um Tiguan, pois os modelos mais próximos no quesito qualidade superam os 150 mil reais.

      • Cláudio Modesto

        Não é à toa que o golf na Alemanha é um carro popular, certo?
        Mas no Brasil ele era um monstro. RIP.

  • rodrigosr

    E ele já virou história :(

  • Marcus Vinicius

    As versões de 1.0TSI e 1.4 TSI deixaram de ser oferecidas no mercado nacional mas devem continuar a serem fabricadas para atenderem as exportações

  • mjprio

    Taí um carro que nao consegui ter em função do alto valor do seguro.. nem mesmo usado. Entristece saber que foi fagocitado pela modinha dos SUV. Achava ele o mais bonito dos hatches médios e o inteiror da highline era muito bonito.

    • Emmanuel Cappellari

      Até onde acompanhei, o problema do seguro abusivo era com a geração 4. Comprei um highline alemão em 2014 e o seguro era bem razoavel…

      • Fanjos

        Nos primeiros anos de lançamento era muito alto mesmo, para mim chegaram a cobrar 10k de seguro, acho que depois entenderam que era outro carro, pouco visado por bandidos e com menos numero de sinistros e abaixaram, o meu que esta avaliado em 100k estou pagando 3k de seguro hoje, menos que pagava no Cruze que valia 60k a 3 anos atras, então hoje acho que o valor esta mais justo

        • Emmanuel Cappellari

          Pelo visto não há muito consenso entre as seguradoras… Meu corretor disse que o seguro foi barato na época, exatamente porque o carro ainda não tinha histórico suficiente.: no seu caso o valor parece “justo” (para brasil).

          • Rodrigo

            Eu paguei o mesmo que o Fanjos no seguro do meu. Mas tudo depende muito da seguradora, pois quando o peguei zero km a melhor cotação foi a da Porto Seguro. Quando fui renovar em Ago/18 A da Porto se tornou a mais cara de todas (se me lembro direito queriam me cobrar 6 mil), acabei fechando com a Allianz sem perda de benefícios.

          • Marcos megdA

            Tem uma variaçao gigantesca mesmo. Acabei de pegar um A3 sedan e a primeira apólice que me ofereceram era de 9k. Depois de muita luta e pesquisa fiz por 3200 no bradesco.

      • Rodrigo

        Esta nova geração do Golf tem uma série de recursos de proteção de componente. Mesmo que o ladrão queira rouba-lo pra fazer peças dificilmente vai conseguir vender pois pra instalá-las em outro Golf vai precisar programar. E não é apenas Central Multimídia, até sensores supostamente mais simples possuem essa proteção. Isso acaba inviabilizando o roubo pra desmanche.

      • Marcos megdA

        Comprei o meu literalmente no laçamento. TSI DSG elegance. Nunca paguei mais de 4k. Morava em Campinas e meu perfil era o canalha: 25 anos solteiro sem filhos.

    • Cláudio Modesto

      Foi detonado pela ganância infinita da vw.
      O polo vende bem, é quase um golf. Se o golf HL custasse 90 mil venderia muito.

      • mjprio

        Sim. Concordo com vc. Veja que a GM faz descontos agressivos no Cruze SP6, que nao fica muito atrás em termos de tecnologia, assim como o Focus que independente da questão do powershift e um carro com grande refinamento construtivo.

  • Ricardo Blume

    Uma pena sair de linha. Da nossa linha. Afff.

  • El Gato!

    Não vejo concorrentes para o Civic Touring, na faixa de valor. Golf TSI e Variant saíram de linha. Fusion SEL Ecoboost encareceu obscenos 30 mil reais. 320i e Série C as versões de entrada ficaram caras e capadas demais. Para veículo zero, na faixa de valor entre 100 e 130 mil, algum concorrente que seja opção ao Touring??

    • Fanjos

      A coisa mais próxima dele seria o GTI, mas é 20k a mais

      • El Gato!

        Exato…

    • fschulz84

      A única opção seria o Jetta, porém acho que ele ficou bem empobrecido nesta nova geração…

      • Eduardo 1981

        Não me conformo com a retirada dos paddle shifts !!!!!!!

      • El Gato!

        O Jetta, só o GLi. Mas não quero nem pensar no preço que vai ser lançado. Hoje falei com uma vendedora da VW. Ela disse que em junho o carro chega.

      • Cláudio Modesto

        A vw tá drenando tudo o que pode pra lançar os elétricos no 1o mundo. Nós vamos bancar a festa.

    • Marcos megdA

      Audi A3 sedan Ambiente. A tabela é 136k, mas na hora de fechar tem descontos bem generosos. Comprei por 110K em dezembro e não acho que poderia ter pegado coisa melhor no mercados dos 0km.

      • El Gato!

        Hmmm… boa dica. Muito boa, na verdade. Em que cidade você negociou o carro? Se importa em mencionar?

        • Marcos megdA

          Comprei em Campinas. Como sou afiliado a APM (associação paulista de medicina) são 20% de desconto. Mesmo os não afiliados, tem alguns descontos e bonus. Documentação gratis e IPVA estavam sendo anunciados pra linha A3 no mês passado. Vale a pena conferir.
          Estou inteirando 5mil km no carro e logo vou mandar pro NA a opinião do dono bem detalhada, pode ser util pra quem procura sedan nessa faixa de preço.

  • fsjal

    Em casa passaram 3 Golfs… dois Highline 2014 alemães, completos e uma Variant mexicana que só não tinha xenon.
    São carros que deixaram saudades nos seus donos aqui, pelo requinte, qualidade de construção, nível de equipamentos e principalmente pela eficiência.

    infelizmente a VW pesou demais a mão no carro, ficou proibitivo pagar o que se pedia num Golf 1.4.
    Fiquei realmente chateado pelo fim desse carro aqui.

    • Marcos megdA

      Penso exatamente a mesma coisa. Se a VW não tivesse feito o que fez, eu estaria no 3o golf tambem. Acabei ficando no grupo VW, que ainda me dá alegrias. Mas o Golf de 6 anos atrás era mais completo que meu A3 atual

  • Mario Trevizan

    Carlos4carros curtiu o post :)

    • Marcos megdA

      Rá. Eu entendi a referência ahhahahha

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email