Brasil Governamental/Legal Mercado Montadoras/Fábricas

Governo discute nova política automotiva e pode reacender livre comércio com a Europa

mercado-2 Governo discute nova política automotiva e pode reacender livre comércio com a Europa

O governo está discutindo uma nova política automotiva, que irá substituir o Inovar-Auto, cuja vigência termina em 31 de dezembro. Ainda não se sabe quais serão os pontos definidos, mas o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio já está se reunindo com representantes do setor e também com membros do Mercosul.

O Comitê Automotivo Bilateral Brasil-Argentina se reuniu na semana passada em Buenos Aires para discutir antigos e novos pontos relacionado com o comércio e integração industrial entre os dois países. Entre os diversos assuntos, se abordou o impacto de negociações comerciais com mercados terceiros, o que poderia reacender as discussões sobre um tratado de livre comércio com a União Europeia.

O comitê ainda criou dois grupos de trabalho em torno do Acordo de Complementação Econômica (ACE 14), que dita as regras do Mercosul. O primeiro tratará de políticas setoriais e acesso aos dois mercados, enquanto o segundo tratará da regra de origem das marcas premium.

Alem disso, o MDIC está recebendo constantemente a visita de dirigentes dos fabricantes de veículos e autopeças. Audi e GM estiveram presentes no ministérios nos últimos dias. As montadoras pedem ao governo uma política automotiva de longo prazo com regras vigentes por pelo menos 10 anos, mas que possam ser alteradas e adaptadas de acordo com a situação do mercado.

Com isso em vista, espera-se que a confiança para investimentos no setor volte a aumentar, assim como a imagem do Brasil diante do mercado internacional, pois com o Inovar-Auto, o país foi acusado de protecionismo por vários países e condenado pela OMC. Regras claras e simplificadas são os principais itens que as montadoras pedem da nova política automotiva.

[Fonte: Automotive Business]

Agradecimentos ao Luiz Carlos.

Send this to a friend