Chevrolet Finanças GM Montadoras/Fábricas

Gravataí: GM confirma investimento de R$ 1,4 bilhão para ampliar gama da Chevrolet

chevrolet-onix-fabrica-gravatai-53-620x4131 Gravataí: GM confirma investimento de R$ 1,4 bilhão para ampliar gama da Chevrolet

A General Motors confirmou o investimento de R$ 1,4 bilhão no Complexo Industrial de Gravataí-RS. O montante será utilizado para o desenvolvimento de novas tecnologias e também de um processo de manufatura mais avançado, apoiado no conceito de Indústria 4.0. A fábrica atualmente tem capacidade para 350 mil unidades, mas com o novo aporte, o volume subirá para 500.000 ao ano.



A ampliação da unidade de Gravataí dará à GM capacidade de exportação global através de um processo de produção mais avançada, incluindo melhor qualidade. A instalação fará uma nova família de veículos da Chevrolet, sustentada por uma nova plataforma global da montadora, que deverá dar origem a modelos também em operações na China.

O investimento vai atrair cinco novos fornecedores, sendo dois de origem chinesa. A sinergia entre as operações de Brasil e China deve se intensificar nos próximos anos e Gravataí está no centro dessa operação. Atualmente, a GM faz os modelos Onix e Prisma, que vendem muito bem no mercado brasileiro.

Por volta de 2019, surgirá a nova geração destes compactos e com eles um SUV compacto e até uma nova picape, que pode ter um porte maior que a Montana, a fim de disputar com Toro e a futura picape da VW. Comenta-se que até seis modelos novos podem ser integrados na mesma plataforma. Isso poderia indicar os sucessores de Cobalt e Spin, por exemplo.

De acordo com a GM, a nova família de produtos terá “foco em conectividade total, segurança e eficiência energética”. Nisso, podemos esperar naturalmente uma plataforma mais rígida e envolvida por aços de alta resistência, que poderá ser mais leve que a atual. Além disso, espera-se que finalmente os carros da Chevrolet venham com os serviços de compartilhamento do Maven, garantindo assim que os proprietários possam alugar seus carros quando não estão em uso.

Já em termos de eficiência energética, motores de três cilindros serão necessários para a nova família de compactos da Chevrolet. Turbo e injeção direta de combustível Flex também devem chegar com esta nova geração de propulsores, que substituirão os longevos 1.0, 1.4 e 1.8 de 8V. Sistemas adicionais de redução de consumo, tais como Start&Stop e câmbio automático com função roda livre, por exemplo, podem ser integrados.

A nova família é esperada para ganhar mercados no exterior, mas especificamente a América do Sul, e assim garantir mais empregos na região, como esperado pelo sindicato local. Além disso, a entidade espera que a ampliação traga de volta o terceiro turno.

  • João Cagnoni

    O que é “câmbio automático com função roda livre”?

    • Elfo Safadão.

      é uma especie de “banguela” eletrônica que ajuda o carro a economizar combustível.
      Agora se você não sabe o que uma “banguela” na gíria automotiva, fica dificil de explicar.
      Mas é mais ou menos quando o carro está desengrenado na descida pra economizar combustível.

      • João Cagnoni

        Eu gosto de estudar câmbios automáticos, mas nunca tinha ouvido falar de “roda livre”. Aliás, o carro em N gasta mais combustível na descida do que engrenado em uma marcha. A maioria dos câmbios AT já fazem isso automaticamente também. Sobre o “roda livre”, eu ainda não entendi nada. Alguém sabe o nome real disso?

        • Ric53

          banguela, não existe definição melhor hahaha

        • RED883

          Alguns carros têm roda livre, inclusive o Golf quando vinha da alemanha incorporava essa função no modelo automatizado,

          • João Cagnoni

            A função do conversor de torque não é ser justamente uma “roda livre” desacoplando o motor das rodas?

            • Rodrigo Pasini

              Pense em roda livre como se tivesse pisado na embreagem, na maioria dos carros automáticos quando é tirado o pé do acelerador o câmbio passa para uma marcha mais alta para que o giro do motor caia para que economize combustível ou segura na marcha atual deixando mantendo o giro do motor, roda livre é como se tivesse desacoplado qualquer marcha, o giro cai ao mínimo para que o motor se mantenha funcionando sem que tenha uma marcha engatada.

              • João Cagnoni

                Não podemos confindir sistemas automatizados com automáticos com conversor de torque, eu estou falando somente deste último. No caso de câmbios ATs, de 10 anos pra cá ou até mais, as rodas já não estão conectadas com o câmbio (dica: as cintas internas do câmbio funcionam como uma embreagem).

                • Rodrigo Pasini

                  Se as rodas não estão conectadas, por que a rotação do motor não diminui?

                  • João Cagnoni

                    Porque o câmbio está conectado ao motor e não às rodas, e neste momento o lockup não está ativo, então o conversor está trabalhando.

              • João Cagnoni

                Pesquise sobre “torque converter stall phrase”.

          • ViniciusVS

            Igual o Stilo?

            • João Cagnoni

              kkkkkkkkkkkkkkkk

        • Elfo Safadão.

          Sabe o cubo traseiro da uma bicicleta?
          Então funciona semelhante, quando a roda gira com uma velocidade maior que a produzida o desengate é feito pra a roda ficar “livre”.

          • João Cagnoni

            Continuo sem entender. O conversor de torque já faz isso há décadas. https://www.google.com.br/search?q=how+torque+inverter+works

            • Elfo Safadão.
              • João Cagnoni

                Esse Wikipedia é o sistema da Palio Adventure Locker kkkkkkkkkkk… Acho que ta errado, não tem relação com câmbio.

                • Ziliontec

                  Esse Wiki é sobre a roda livre no cubo, diferente mas explica o que é uma roda livre.

                  Conversor de torque serve para acoplar dois eixos girando em velocidades diferentes, não tem nada a ver com roda livre. Inclusive, nas descidas o CT está em Lock-up, para que exista freio-motor, o que nos AT é ruim. com a roda livre, o motor não “pesa” nada, deixando o carro aproveitar melhor a energia potencial da descida transformando em cinética.

                  • João Cagnoni

                    Por que lockup nos ATs é ruim? (só observando os cientistas daqui)

        • Louis

          Teoricamente, um carro em “ponto morto” gasta mais que um carro engrenado sem acelerar, pois em ponto morto consome o mínimo de combustível para o motor continuar funcionando, enquanto que o carro engrenado na descida sem acelerar, a alimentação é totalmente cortada. Eu disse teoricamente, porque na prática, podemos perceber que ao tirar o pé do acelerador o carro automaticamente perde bastante velocidade pelo freio-motor. Então, dependendo do tipo de descida, é mais econômico deixar o carro em “ponto morto”, pois se estiver engrenado vai perder velocidade e obrigar o condutor a acelerar.
          Por isso, mesmo andando com carro AT, em algumas descidas sinto vontade de colocar em N, para o carro descer só com a gravidade, porque se estiver em D perde velocidade rapidamente e preciso ficar acelerando, mesmo em algumas descidas.
          Acho que é isso que a função roda-livre faz, “retira” o freio-motor quando não é necessário.

          • João Cagnoni

            Se você deixar no D e tocar o pé no acelerador, vai ter o mesmo efeito de deixar em ponto morto.

            • Louis

              Sim, mas acelerando vai estar gastando mais combustível.

          • MauroRF

            Eu acho que é isso, Louis, só pode ser. Alias, quando eu tinha carro com AT, eu notava exatamente isso. Tem descida em que, se você deixar engatado, vai perder mais velocidade e consequentemente, você vai acelerar e acabar gastando mais do que se estivesse desengatado, pois o consumo seria menor na marcha lenta. Nos carros AT, não pode colocar em N, mas nos manuais, como eu tenho agora, dá para fazer perfeitamente. Claro que eu avalio a situação para ver se compensa deixar em ponto morto ou descer engrenado. Tudo depende. Um câmbio MT te dá a liberdade de fazer isso, um AT, já não.

        • Edson Fernandes

          Cara…. quem atinge uma velocidade de cruzeiro e joga em N para tentar economizar é um louco. O que isso força o sistema… não está no Gibi.

          • Luciano RC

            Sem falar que o sistema fica com a bomba de óleo trabalhando em Neutro, podendo danificar o cambio.

            • Edson Fernandes

              A possibilidade de um sobregiro é gigante. Nunca faria isso a não ser que fosse acidental.

              • Luciano RC

                Concordo.

          • Ernesto

            Pensei o mesmo Edson. Jamais mudo de D para N com o carro em movimento.

      • Leonel

        Bom, se é isso mesmo, como fica o sistema de frenagem? Ao pisar no freio, ele “engata” a marcha? Porque sabemos que o carro em “ponto morto” freio muito menos que “em marcha”.

        • th!nk.t4nk

          Sim. Se você pisar de leve no freio, o sistema acopla novamente o câmbio. Caso contrário, fica em roda livre, mesmo em descidas. Mas claro que com o controle de cruzeiro ativado esse processo é automático.

          • Leonel

            Aí é sucesso! Senão, pensa na consequência na frenagem rs

          • Luciano RC

            Ele faz uma análise completa. Se o carro ganhar velocidade ele acopla para evitar que continue ganhando e perca o controle.

        • Elfo Safadão.

          Pelo que eu fique sabendo sim, tudo através da mágica da eletrônica moderna.

          • Leonel

            Aí é sucesso!

      • Davidsandro18

        Boa explicação rs… mas deixar o carro na banguela era eficiente em carros com motor carburado, com a injeção eletrônica não se via necessário devido ao “cut off”!

        • Luciano RC

          Na vdd em carburados também era prejudicial, porém o povo usava. Eu conheço que ainda acha isso econômico nos dias de hoje.

    • vicegag

      3 cilindros e roda livre, os DKW é que estavam certos.
      Até uma bobina por cilindro tinham.

      • Ziliontec

        Caramba!! Desenterrou isso tudo!!!! O pior é que é isso mesmo, tá tudo voltando novamente, só que agora com um tempero da eletrônica!!!

  • Joaquim Grillo

    A unica categoria que pode melhorar o pais e ninguém vê isso, 1 bilhão já distribui e muito a renda no pais agora o governo tá sempre taxando, e dando benificios a pobres.

  • Tochio

    A GM vai parar de usar motor de opala então ? que pena ……!!

    • th!nk.t4nk

      Calma, só vão cortar 1 pistão :)

      • 4lex5andro

        Passou muito da hora de a chevrolet investir em uma nova linha de motores pequenos no Brasil.
        Principalmente depois dos lançamentos de Ka, Up e Mobi com propulsores modernos [três cilindros, alguns turbinados, e com comando de válvulas variável].

        • Luciano RC

          Ela até que fez um bom trabalho no Família I. Ele consegue uma boa eficiência.

          Se fizer um bom trabalho, pode ganhar mercado com esse investimento e pagar a conta rapidinho.

  • Leonel

    Essa segurança que eles falam é do mesmo nível do Onix? Espero que falem sério e realmente invistam nisso…e que brasileiro comece a cobrar! É claro…

    • Luciano RC

      O Onix foi muito capado, por que a plataforma é nova. Ele usa a Gama, um excelente plataforma (a mesma do Sonic). Vamos ver se agora ela coloca qualidade nos materiais e faz o carro ser seguro.

      • Leonel

        Pois é @lucianorc:disqus , é o que precisamos. O problema é que o carro é 0 estrelas em um teste tão confiável quanto o LATIN NCAP e vende MUITO ainda…

        • Luciano RC

          Por que o consumidor não observa isso. E o Onix vende muito pela revenda garantida e as peças fáceis. É um carro bom de mercado.

          Ele vende muito para locadora e empresas. E a Chevrolet soube deixa-lo atrativo. Ele parece grande, é um carro com mecânica garantida.

          O dia que começarem a boicotar até a locação de um carro desse, ai sim o mercado muda.
          Onde trabalho, deixaram de comprar Ka e HB20 para comprar Onix pq acham que é superior.

          • Leonel

            Eu sei. Só quis dizer que é uma pena que o brasileiro não dê importância a segurança, como dá a uma CMM e estética. A maioria se limita as propagandas, não se dão ao trabalho de parar e pesquisar 10 minutos. É complicado essa massa…

            • Luciano RC

              Mas isso é em todos os segmentos amigo. Quantas marcas boas de eletrônicos, celulares, etc, que o povo não compra por puro preconceito. Infelizmente ainda compra para mostrar aos outros.

  • Carlos

    Motor GM de três válvulas e turbo?

    Só em 2030.

    • Zé Mundico

      Até lá , o motor elétrico já vai tomar grande parte do mercado.

      • Luciano RC

        Acredito quem em 10 anos os carros Híbridos e Elétricos tenham se tornado padrão no mercado.

    • Luciano RC

      Ela já tem dois excelentes motores no Brasil: 1.4 Turbo no Cruze/Tracker e o 2.5 Ecotec da S10. Acredito que um bom motor 1.0 e um 1.5 seria suficiente para eliminar o Família I e renovar a linha.

  • Ziliontec

    O triste foi o Brasil perder o status de Centro de Design no Brasil, um monte de engenheiros na rua e os que ficaram serão engenheiros de aplicação para os projetos feito no Mexico (GMI700 – S10 ) e china (GEM – sucessor Onix).

    • 4lex5andro

      O Brasil escolheu, no início do milênio, seguir para o subúrbio do capitalismo mundial, do lado de alguns vizinhos sulamericanos.

      Bem fez o Chile, em aliar-se com o tratado do Pacifíco e ignorar o falido mercosul.

      • Luciano RC

        Pra mim, esse Mercosul só serve para cobrir Corrupção.

        O certo seria o Brasil mandar isso a merda e procurar países de verdade para fazer tratados comerciais. Por isso eu voto num candidato de Direita que é chamado de radical.

  • Dafomg

    Se com fornecedores nacionais a GM leva nota 0, com fornecedores chineses qual será a nota então, -5?

  • JJ

    Poh, ninguém zombou do “foco em segurança”

    • Luciano RC

      Se vier com o padrão Cruze, terá boa segurança. A linha mais Premiun, a Chevrolet já faz a lição de casa. O problema é nos compactos mesmo.

      • alex

        verdade, Porém é que os populares são os mais vendidos,com a politica de vendas das montadoras com relação a carro popular ,acho muito difícil termos carros populares com alguma segurança,já que as montadoras geralmente tentam cortar custos ao máximo para terem mais lucro em suas vendas.

        • Luciano RC

          Atualmente temos alguns modelos seguros. Porém o mercado ainda não vê isso como diferencial para investir a mais no carro.

  • Franco da Silva

    O dia que a GM aposentar essa família de motores tem que ser feriado nacional. É quase um patrimônio do Brasil. Quase tão velhos quanto o próprio Brasil… ehehe
    Pior que, se considerar só a redemocratização (1985)… olha que é…

    • José Barbosa

      A família I é um projeto dos anos 90. Espero que o próximo seja tão bom que, como estes, consiga durar um longo tempo e ter um custo de manutenção que beira o ridículo, se comparado a outros veículos.

      • Luciano RC

        Na vdd é um projeto dos anos 80, junto com o Família II. Nasceu carburado, virou injetado e recebeu 1 milhão de melhorias. Suas vantagens hoje é reposição de peças e principalmente conhecimento técnico.

  • Ricardo Blume

    Primeira notícia boa falando em bilhão de reais ao qual não está relacionada com propina, Lava Jato e JBS que leio em meses. Finalmente uma nova linha de motores está chegando pelas mãos da GM. Até o presidente da GM Brasil, o Sr. Santiago Chamorro admitiu esta semana que a montadora está atrasada com relação a concorrência em matéria de motores mais modernos e eficientes.

    • Luciano RC

      Ele seria muito fanfarrão se não assumisse isso né. KKKKKKKKKKKK

  • O Pato

    Espero que atualizem os motores atuais com cabeçotes multi válvulas, turbo, injecao direta, material e etc, mas mantenham o que for possível para manter o custo de manutenção baixo e a compatibilidade de peças com os motores que ja tem tantos anos no mercado.
    Se simplesmente jogarem motores completamente novos no mercado a gm vai perder sua maior vantagem, que é a facilidade na manutenção.

    • Luciano RC

      Na vdd se for uma nova família, com certeza será completamente diferente do atual e vai ter peças diferente.

  • Marco

    Os novos motores 3CC da Chevrolet devem chegar no 2.Semestre de 2019 para a linha 2020. É o que se comenta na fábrica de Gravataí, segundo um primo meu que trabalha lá. Segundo os chefões da Chevrolet, os atuais motores 4cc são tão bons e econômicos quanto aos de 3cc da concorrência e não precisam ser substituídos tão rapidamente, uma vez que a GM já os possui na Europa e o fato de trazer o maquinário para produzi-los aqui não seria uma tarefa tão difícil assim.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend