Híbrido BYD Song Plus é registrado no Brasil

Híbrido BYD Song Plus é registrado no Brasil

A BYD está disposta a acompanhar a Great Wall por aqui e pensa em ampliar sua atuação com carros elétricos e híbridos, especialmente no segmento de SUVs. Num dos movimentos da discreta chinesa, o BYD Song Plus teve seu desenho industrial registrado no INPI, Instituto Nacional de Propriedade Industrial.


O SUV híbrido é um modelo de porte semelhante ao Tang, que deve chegar totalmente elétrico. Com estilo “Dragon Face 2.0”, o BYD Song Plus é diferente do Song Max, por este ser uma minivan. Com 4,70 m de comprimento, 1,89 m de largura, 1,68 m de altura e 2,76 m de entre-eixos, o modelo tem ainda as variantes Pro, Pro EV e Pro DM, cada uma com detalhes estéticos próprios.

Híbrido BYD Song Plus é registrado no Brasil

O Song Plus tem essas cavas nas laterais do para-choque e uma grade com design fluido e com acabamento cromado. Assim como o Pro DM, o modelo tem propulsão híbrida com motor 1.5 Turbo de 110 cavalos e 13,5 kgfm, além de opções de motor elétrico de 169, 196 e 149 cavalos, sendo este último com tração AWD, além de transmissão CVT. Autonomia varia de 51 km a 110 km.

Assim como o Tang e o sedã Han, o Song Plus ganhou uma variante elétrica com design “Dragon Face 3.0” e mesmas medidas da versão híbrida plug-in, que pode rodar até 110 km usando baterias de lítio-fosfato de ferro no lugar de níquel-hidreto metálico tradicionalmente usada pela Toyota.

Híbrido BYD Song Plus é registrado no Brasil

Aliás, as novas baterias de LFP Blade são usadas na versão elétrica, ainda não comercializada na China. Não sabemos se a BYD tem planos para tornar o Song Plus um híbrido flex, mas tem potencial para isso. Com fábrica em Campinas, interior de São Paulo, a marca anda discretamente nos corredores urbanos com seus ônibus elétricos e atua na coleta de lixo com veículos sem emissão.

Híbrido BYD Song Plus é registrado no Brasil

Tendo percebido rapidamente que o mercado aponta para carros elétricos, a BYD desistiu de atuar aqui com sua gama de carros comuns, alguns deles clones de modelos da Toyota, como o sedã F3. Se conseguiu rapidamente ajustar-se ao Brasil no quesito ônibus, trocando modelos monoblocos por chassi para o encarroçador, a chinesa tem potencial até para produção de híbridos no país.

BYD Song Plus DM 2022 – Galeria de fotos

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.