_Destaque Carros Conceito EUA GM Híbridos História Honda Sedãs Vídeos Vans Veículos Comerciais

Hidrogênio comemora 40 anos a bordo de automóveis

gm-electrovan

A GM está comemorando não só os 50 anos do Chevrolet Camaro, mas também nesta quinta (6), o cinquentenário da Eletrovan. Nunca ouviu falar, não é mesmo? Então, trata-se do primeiro veículo movido por hidrogênio da indústria automotiva.

Não era apenas movido por hidrogênio, mas utilizava a tecnologia que hoje a Toyota quer emplacar, as células de combustível. O sistema era bem primitivo e muito volumoso, ocupando praticamente todo o compartimento de carga da Electrovan, que era derivada da Série G da Chevrolet.

gm-electrovan-a

Enquanto o espaço para motorista e acompanhante estavam garantidos na frente, atrás um terceiro ia num banco centralizada, tendo em volta um enorme aparato mecânico instalado no compartimento, que abrigava grandes baterias de chumbo-ácido, tanque pressurizado de oxigênio líquido e criogênico de hidrogênio, além de rudimentares células de combustível, que combinavam os elementos citados. Não havia espaço para mais pessoas e muito menos para cargas.

Havia também vários metros de tubos plásticos e um tanque de 170 litros de eletrólito, que era o hidróxido de potássio. Com tudo isso reunido, a GM Electrovan tinha autonomia que chegava a 240 km, o que não era nada ruim para a época. A van movida por 32 células de combustível podia alcançar 112 km/h e ia de 0 a 100 km/h em “eternos” 30 segundos. A potência de saída era de 43 cv, mas a máxima era de 216 cv.

gm-electrovan-b

Todo o projeto durou 10 meses e foi executado completamente em 1966 por uma equipe de 200 pessoas. Depois, por conta do custo proibitivo, foi abandonado e até hoje a GM não possui um carro com tecnologia semelhante no mercado mundial, apesar da mais recente picape Chevrolet Colorado ZH2, feita em parceria com o exército americano (US Army). A companhia trabalha desde aquela época em outras áreas envolvendo essa tecnologia.

honda-clarity-7

Clarity comemora

Enquanto a GM pesquisa células de combustível para os mais variados fins, inclusive militares, a Honda decidiu seguir de vez os passos da rival Toyota – que tem o sedã Mirai por US$ 50.000, incluindo incentivos em alguns estados americanos – e lançou nesta quinta (6) nos EUA – Dina Nacional do Hidrogênio – o sedã Clarity para o mercado americano.

O Novo Clarity é o primeiro de fabricação em série da marca japonesa a portar células de combustível para uso no dia a dia. Mas e o antigo FCV Clarity? O anterior era um experimento com clientes selecionados e monitorados para estudos da evolução da tecnologia. Até mesmo uma estação geradora de hidrogênio era instalada na casa do proprietário, que em realidade alugava o carro.

honda-clarity-2

Agora, o novo sedã movido por células de combustível está 33% mais compacto que o anterior e recebeu um aumento de 60% na densidade das baterias. Com espaço para cinco, graças à compactação do propulsor e células, o Novo Honda Clarity pode alcançar 483 km. Numa estação de carregamento rápido, seus tanques podem ser cheios em até cinco minutos.

As baterias do Novo Clarity têm 100 kW – equivalente à mais potente da Tesla – e seu motor elétrico desenvolve 174 cv. As vendas nos EUA começam na Califórnia, mais precisamente em Los Angeles e Orange County, estendendo-se depois para San Francisco e Sacramento.

Vídeo da GM Electrovan

https://www.youtube.com/watch?v=tGyLD6ufwLo







Send this to friend