Brasil Elétricos Hatches Mercado Preços

Hitech e.go: carro elétrico de fibra de carbono chega em janeiro a partir de R$ 89.000

hitech-e-Go Hitech e.go: carro elétrico de fibra de carbono chega em janeiro a partir de R$ 89.000

A empresa paranaense Hitech Electric divulgou através das redes sociais que estará trazendo um novo carro elétrico a partir de janeiro de 2018. O modelo é chamado e.go, mas esse não tem relação com a marca alemã e.Go – com seu modelo Life – mas com a chinesa Aoxin, que tem um interessante modelo chamado e-Go. No teaser divulgado, ao se melhorar a foto escurecida, é possível ver os detalhes do carrinho asiático.



A Aoxin é a mesma fornecedora dos modelos já vendidos pela Hitech, no caso os e.coTech2 e e.coTech4, que podem levar de duas a quatro pessoas, custando respectivamente R$ 44.890 e R$ 49.890. No entanto, estes veículos possuem velocidade máxima de 60 km/h e tem autonomia de até 100 km, sendo bem limitados e focado essencialmente no uso urbano.

hitech-teaser Hitech e.go: carro elétrico de fibra de carbono chega em janeiro a partir de R$ 89.000

Agora, a promessa da Hitech é o e.go, que terá velocidade máxima de 120 km/h e autonomia variando de 180 km a 350 km, dependendo do tipo e capacidade da bateria utilizada. No caso das versões de entrada, a bateria será de chumbo-ácido Gel e nas mais caras, íons de lítio. O destaque é o preço, que começará em R$ 89.000.

De acordo com a Hitech, o e-go pode ser recarregado totalmente entre 6h e 8h, dependendo da voltagem local. Segundo a empresa, o custo para recarga na cidade de Curitiba é de R$ 6,50 para 180 km de autonomia, no caso com baterias de chumbo-ácido gel. No caso da versão com íons de lítio, as células permitem a recarga em carregadores rápidos de alta potência e o tempo de recarga varia de 30 minutos até 2h (completa), com custo estimado entre R$ 6,00 e R$ 9,00 para até 350 km de alcance, o que é realmente muito bom.

hitech-truck Hitech e.go: carro elétrico de fibra de carbono chega em janeiro a partir de R$ 89.000

A empresa destaca também a isenção ou redução de IPVA em muitas cidades e estados, bem como isenção de rodízio municipal em São Paulo. Como já mencionado, a Hitech já comercializa dois modelos elétricos de baixa performance e em breve pretende também vender utilitários leves elétricos, que também são fabricados pela chinesa Aoxin. Mas o que seria realmente o e.go e por que ele é bem mais interessante do que aparenta?

Essa companhia é mais uma entre uma infinidade de fabricantes de carros elétricos na China. Aparentemente, ela anda chamando atenção fora do país, inclusive nos EUA. O motivo é o elétrico subcompacto e-Go. Visualmente, ele parece mais um dos carrinhos baratos com qualidade e segurança duvidosos feitos na China. Parece até feito de fibra de vidro com um chassi de aço “meia boca”. Tudo para ser barato e ganhar espaço no mercado internacional.

hitech-ibis Hitech e.go: carro elétrico de fibra de carbono chega em janeiro a partir de R$ 89.000

Mas, buscando por mais informações da Aoxin e desse projeto, descobre-se que o e-Go é um pequeno lobo em pele de cordeiro. Sua aparência engana muito, pois a carroceria realmente é feita em fibra, mas de acordo com a empresa, essa não é de vidro e sim de carbono. Isso mesmo, o famoso material composto dos superesportivos de alta performance. Um vídeo nos EUA mostra o impacto de uma marreta sobre a estrutura do carrinho em comparação com o mesmo feito em uma Ford F-150 (link abaixo).

Além disso, o chassi é feito em alumínio. Ambos os processos são robotizados, conforme vídeos divulgados pela empresa em seu canal na internet, onde inclusive consta um vídeo feito pela Hitech. Num outro, divulgado pela empresa americana 2050 Motors, um exemplar do e-Go é impactado contra uma barreira fixa a 56 km/h e sua estrutura é visivelmente estável no crash test. Se for tão resistente quanto é apresentado, realmente será uma alternativa interessante e por um preço realmente competitivo. A Aoxin ainda tem um projeto de sedã elétrico feito em fibra de carbono e chamado Ibis, mas não se sabe se chegará ao Brasil.

  • sepchampions

    Qual seria o preço desse Ibis?
    Se for tão seguro quanto o compacto e tiver um preço legal seria uma boa no Brasil.

    • Vinícius

      Eu achei uma matéria em um site americano onde constam os valores desse E.go e do Ibis. Lá os valores são USD 25 e USD 55 mil respectivamente. Provavelmente esse Ibis ficaria em torno de R$ 190-200 mil, se for a mesma conversão feita no E.go. Eu encontrei umas fotos do Ibis internamente e o carro é bonito e tem até um certo luxo.

  • André Gonçalves

    vai micar, nesse preço o povo não anima mesmo sendo elétrico. Pelo menos por fora deu para ver que ele é de super baixo custo.

    • Deadlock

      Terá o mesmo destino do Smart. Caro e para duas pessoas apenas, o mercado será reduzidíssimo.

    • Anderson Lemos

      Se fosse só o preço a gente dava um jeito. É feio (aqui temos a cultura de que para ser elétrico tem que ser feio) é caro, é pequeno, é ridiculo!! Se custasse 60 mil já seria uma piada!

  • Francisco Helio

    Conseguir 350km de autonomia por 9,00 e ter um considerável desconto no ipva e não participar de rodízio.
    Parece tentador!
    Acho que vai vingar.

    • Rbs

      Se for movido a Helio, vinga!

    • Fora que o custo de manutenção tende a ser menor, já que não tem troca de óleo, filtros dentre outras manutenções ligadas à carro com motor a gasolina.

      • Rodrigo Pasini

        Sim, mas não é por que é elétrico que não irá ter manutenção.

      • José Barbosa

        O maior problema é esquecer de formar uma poupança para quando chegar a hora da troca das baterias.

      • DinhoRoxxx

        Só quero ver quando as baterias de baixo custo viciar, ou se na hora de trocar de carro ele vai valer algo ou vai ter que trocar por um cacho de bananas

    • Anderson Lemos

      kkkkkkkkkkk você está zuando né!? Gastar 100 mil pra economizar ipva e rodízio??

  • Louis

    Por esse preço fica difícil.

  • Robinho

    não entendo porque essas marcas “brasileira” so fazem carros feios.

    • Rbs

      kkkk o preço é sempre feio também!

    • Vinícius

      Na realidade esse não tem nada de brasileiro. A empresa brasileira só importará esses veículos elétricos. São criados na China. Mas concordo que é bem feinho!

    • klaus

      boa pergunta

  • Wolfpack

    Essa poracria terá airbags e abs? Será homologado pra rodar nas ruas? Quem comprar isso ai merece um prêmio.

    • Edson Fernandes

      Esse modelo testado em crash test em uma barreira fixa a 56km/h não possui. E é uma incognita.

  • Pedro Evandro Montini

    Eu não entendo como ainda não trouxeram aqueles microcarros franceses de dois lugares, como os da Aixam. São aqueles mesmo de que preciso. https://www.aixam.com/

    • Rafael Rodrigo

      Olha, não conhecia, mas esse sim consegue ser pequeno sem ser feio ou esquisito como a maioria. Tendo uns 300km de autonomia sem frescuras e custando no máximo uns 80 Mil com 4 lugares daria sim pra ver com melhores olhos um carrinho desse.

    • Ducar Carros

      Provavelmente ficariam muito caros, bem mais que os R$ 89 mil desse carro do artigo.

      • Pedro Evandro Montini

        Esses carrinhos franceses, a maioria é a combustão. Então sairia mais barato que os elétricos.

        • Os Ligier e Aixam tem motores diesel de 800 cilindradas. Os Tazzari são 100% elétricos.

          • Pedro Evandro Montini

            Não conhecia esses Tazzari, Gostei deles também.

    • Amo os Ligier! Meu sonho de consumo era ter uma porcaria dessas. Também sonho com os Tazzari, principalmente o Zero Junior.

  • Lucas

    Não sei porque se é elétrico automaticamente precisa ser HORRÍVEL! Não custa nada fazer um design à lá VW, com linhas retas, simples e sóbrias que podem até achar sem graça, mas feio não é.

    • Emanuel

      Acho que o problema é que eles ficam buscando exageradamente um bom coeficiente aerodinâmico. Fazem carros de linhas feias e geralmente rodas feias também (as exceções que eu me lembro são os Tesla) e acabam afastando compradores

      • Lucas

        Mas pra que bom coeficiente aerodinâmico em carros que não passam de 60, 70 km por hora? Não faz muito sentido.

      • Edson Fernandes

        Mas para que aquela linha de cintura das laterais? Aquilo não dá coeficiente aerodinamico e só atrapalha a visão do motorista.

    • Procure Tazzari Zero Junior.

  • V12 for life

    Nem pensar.

  • Natán Barreto

    Esse Íbis é bem interessante e poderia causar um certo impacto.

    Agora esse Gurgel de fibra de carbono não anima ninguém não.

  • Rbs

    Por que não faz de papelão e cobra mais barato?!

  • José Barbosa

    Não duvido que se algo assim começar a dar certo meu próximo carro será elétrico.

  • tiago

    350 km autonomia, recarga em 2 horas, interessante, muito interessante.
    Se o preço inicial é 89 mil, qual é o preço final?

  • Emanuel

    Pena que é horroroso. Parece que é umas 5x mais difícil fazer carro elétrico bonito que fazer um movido por combustão… Colaborem aí, montadoras… Só precisava parecer um carro mesmo.

  • Silvio Vasques

    O futuro chega… mesmo que muita gente não queira!

  • Raul Pereira

    Agora a pergunta: esse tipo de projeto tem o mínimo de incentivo estatal? Claro que não! Esse movimento que o BR tem desde sempre de barrar o avanço e o progresso me irrita…

  • tjbuenf

    Quem com R$ 90 mil vai comprar esse carro? Não adianta economizar no combustível e pagar muito mais por um veículo pequeno, feio e restrito.

  • Adriano Lius II

    Prefiro andar no meu passat cc, ao olhar ele depois que sai do lava rapido, me enche os olhos e vale cada centavo gasto, agora eu abrir a porta de casa e ver esse carrapato de 4 rodas, eu ia ter que gastar com psicólogo meu dinheiro por ver essa aberração super faturada em casa. Isso deveria valer no máximo 15 mil. Desculpe os defensores, mas prefiro trabalhar um pouco mais e me sentir bem.

  • Racer

    Caro….muito feio….e com aparência muito artesanal….

  • Fanjos

    Se custasse uns 40 mil faria sucesso provavelmente, mas nesse preço jamais, se vender 1 ou 2 é muito

  • Fernando Bento Chaves Santana

    Em um primeiro momento pensei que fosse o Commuter Cars Tango… que apesar de esquisitão e meio tosco tem performance de cair o queixo. Mas esse aí é só tosco mesmo.

  • Silvio Vasques

    Carro elétrico: voce ainda vai ter um…

  • leitor

    Não dá pra entender um país como o Brasil, que teria um mercado tanto local quanto externo garantido, não tem uma indústria para produzir carros de passeio com motores elétricos. Que tanta tecnologia é necessária assim? As baterias? Importa-se. Ou se faz com um sistema de trocas das mesmas, de modo que sejam abastecidas com troca por postos voltados a esse serviço. A bateria sendo do fornecedor não haverá prejuízo ao dono do carro. E as falhas sendo ligadas à última troca. Seria um tremendo salto industrial brasileiro colocando numa posição de vanguarda. Mas não, o que se vê é um pessoal com capital querendo tomar posse de bens e serviços públicos. Isso não traz progresso ao país. A indústria traz, em todo mundo é assim.

  • leitor

    Poderia se fazer um carro mais bonito e interessante. Esquecer de querer inventar moda e tendência. Ou pelo menos uma que seja interessante, não esses tratores de brinquedo.

  • Anderson Lemos

    O mais foda é saber que o americano tem algo infinitamente melhor e mais barato (guardadas as proporções) como o Tesla. Estão gerações à nossa frente!!! Isso daí perto de um Tesla é um Cocô

  • Thico Almeida

    Me lembrou o Gurgel Itaipu, o primeiro elétrico da América latina! http://www.gurgel800.com.br/gurgel/itaipu/especificacoes.php

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend