Hoje em dia, ainda é preciso amaciar o motor de um carro novo, como antigamente?

amaciar motor carro
amaciar motor carro

Lá nas décadas de 70, 80, aqueles que compravam um carro novo tinham várias táticas para lidar com o veículo em seus primeiros quilômetros.

Alguns achavam que era necessário dirigir como um piloto de fuga que tinha acabado de roubar um banco, para amaciar suas peças e futuramente ele ter um desempenho melhor.

Outros, tinham uma atitude semelhante, mas com o objetivo de economizar combustível futuramente.

É claro que a construção de motores era muito mais ultrapassada, as peças internas não eram feitas com a mesma precisão milimétrica de hoje em dia, o que fazia com que essas ideias de “amaciamento de motor” tivessem algum tipo de validade.

A teoria era de que, com estes usos mais severos, essas peças internas do motor se “alinhavam” melhor, garantindo tanto um consumo quanto um desempenho melhor.

Mas, e hoje? Faz mesmo diferença como usamos um carro quando novo, em relação a como ele vai se comportar nos anos seguintes?

A princípio, de uma forma geral, isso não faz mais sentido, pois se o consumo de um carro é influenciado por várias coisas, dentre elas a qualidade do combustível, a troca de filtros, etc, a influência em como usamos o veículo não muda muito seu comportamento.

O fato de o carro ter sido de uma senhorinha de 70 anos não faz mais com que ele fique com o desempenho “amarrado”.

As fábricas cria motores com especificações milimetricamente corretas, e depois testam seus motores, antes de os lançarem no mercado, em situações muito mais radicais do que um simples motorista pé pesado poderia fazer.

E nestes testes, vários motores sempre tem um comportamento e consumo muito parecidos.

Grandes variações de desempenho ou de consumo, entre dois motores idênticos, apenas apareceriam se um deles tivesse componentes mecânicos com algum problema, ou fora das especificações do fabricante.

Daí, isso já é caso para a troca ou o conserto do motor, em garantia.

Portanto, podemos afirmar que hoje em dia, o amaciamento de um motor é uma prática que não é mais necessária.

Outra grande melhoria que temos nos carros hoje em dia é que seus sistemas mecânicos duram muito mais. Carros antigos tinham episódios de motor fundido com 100.000 quilômetros rodados, por exemplo.

Hoje, isso não acontece mais.

O único caso em que um carro hoje em dia precisa “amaciar o motor” é em caso de retífica do mesmo.

E ainda assim, esse amaciamento não se refere a acelerar ao máximo, e sim, não deixar o carro com o motor ligado em marcha lenta por muito tempo, e também não atingir rotações excessivas.

google news2Quer receber todas as nossas notícias em tempo real?
Acesse nossos exclusivos: Canal do Whatsapp e Canal do Telegram!

O que você achou disso?

Toque nas estrelas!

Média da classificação / 5. Número de votos:

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.




Autor: Eber do Carmo

Fundador do Notícias Automotivas, com atuação por três décadas no segmento automotivo, tem 18 anos de experiência como jornalista automotivo no Notícias Automotivas, desde que criou o site em 2005. Anteriormente trabalhou em empresas automotivas, nos segmentos de personalização e áudio.