História Honda Motos

Honda Biz 100: história, anos, motor, consumo (e detalhes)

Honda Biz 100: história, anos, motor, consumo (e detalhes)

Embora tenha deixado de oferecer um custo benefício atraente há anos, a Honda Biz 100 é uma versão da Honda Biz que segue sendo um fenômeno em vendas no Brasil. É um dos veículos mais vendido por aqui.


Um dos grandes sucessos da linha é a Honda Biz 100/Honda Biz 110i, que se posiciona como o modelo mais em conta da gama.

Por algo em torno de R$ 8 mil, o interessado pode levar para a casa uma motoneta bastante prática e econômica, ideal para o dia a dia. A Honda Biz 100/Honda Biz 110i está presente no Brasil há mais de 20 anos e fez e ainda faz história em nosso mercado.

Veja os principais detalhes das quatro gerações da Biz 100/Biz 110i no Brasil:


Honda Biz 100 – primeira geração

Honda Biz 100: história, anos, motor, consumo (e detalhes)

A primeira geração da Biz 100 foi um grande marco na história da Honda no mercado brasileiro.

Nascia em fevereiro de 1998 uma motoneta que logo ganharia o coração dos consumidores de motocicletas no País, marcando presença em praticamente todas as esquinas.

A Honda C100 Biz chegou para substituir a velha Honda C100 Dream.

A então inédita Honda C100 Biz estreou com a mesma proposta de sua antecessora: ser uma motocicleta prática para o dia a dia e ideal para aqueles que estão iniciando no mundo do motociclismo.

Todavia, ela ganhou um visual bem mais moderno e agradável, com linhas mais arredondadas, além de uma gama de recursos que até então não estavam disponíveis no modelo antigo.

O grande destaque da Biz 100 era e ainda é a facilidade de pilotagem. Na época do seu lançamento, a motoneta foi tratada pelos jornalistas como uma moto ideal para iniciantes.

Tudo isso por causa do câmbio de quatro velocidades semiautomático, que dispensa o acionamento da embreagem para efetuar as trocas de marcha – aliás, não há nem o manete de embreagem no punho esquerdo.

Para completar o conjunto, o modelo de entrada da Honda conta com uma posição de pilotagem ideal, com banco largo e guidão mais elevado, permitindo uma posição do condutor como se ele estivesse sentado e não “montado”.

Trata-se de uma das principais características de uma CUB (sigla referente à “Cheap Urban Bike”, ou “moto urbana barata”).

Um recurso de grande destaque presente não só no primeiro modelo, como também nas outras gerações da Biz, é o espaçoso compartimento sob o banco.

Sabe aquela situação incômoda de ter que carregar sacolas, mais o capacete, por todos os lados? No caso da motoneta da Honda, você consegue acomodar o capacete e pequenos objetos no compartimento embaixo do banco, que consegue levar até 10 kg de carga.

O motor é bastante compacto e econômico, capaz de entregar uma dose de potência e de torque ideal para os grandes centros.

Trata-se de um OHC (Over Head Camshaft), monocilíndrico, com comando de válvulas no cabeçote, arrefecimento a ar e de quatro tempos, movido somente a gasolina. Ele consegue gerar até 7,6 cavalos de potência, a 8.600 rpm, e 0,8 kgfm de torque, a 6.000 rpm.

Honda Biz 100: história, anos, motor, consumo (e detalhes)

Junto a este propulsor está um câmbio semiautomático e rotativo de quatro marchas, com embreagem automática. A transmissão permite passar direto da quarta marcha para o neutro com a moto parada.

O conjunto inclui ainda transmissão final por corrente e bateria selada.

Ainda no conjunto mecânico, há suspensão dianteira com garfo telescópico e suspensão traseira com dois amortecedores e freios a tambor nas duas rodas. As rodas são raiadas, de 17 polegadas na frente e 14 polegadas atrás,

Em seu lançamento, a Honda Biz 100 foi oferecida na versão de entrada, com partida a pedal, e na topo de linha ES, que se diferenciava pela partida elétrica e também a partida a pedal.

Logo em seguida, a marca passou a ofertar a Biz 100+, que tinha como base a Biz ES, mas com rodas de liga-leve de três raios, escudo em tonalidade exclusiva e banco com revestimento diferenciado.

Quando foi lançada, em 1998, a Biz 100 partia de R$ 2.199. Esta cifra era inferior a da antiga Honda C 100 Dream, que saiu de linha por R$ 2.539. Ela podia ser encontrada nas cores amarelo, vermelho e dois tons de azul.

Porém, quando saiu de linha, no ano de 2005, a Honda C100 Biz tinha preço de R$ 3.499 para o modelo Biz básica com partida a pedal, R$ 3.928 na Biz ES com partida elétrica e R$ 4.351 na Biz+ com rodas de alumínio.

A primeira geração da Honda Biz 100 foi descontinuada em 2005, para dar lugar à segunda geração da CUB.

A nova Honda Biz 125, como o próprio nome indica, abandonou o motor 100 cc para adotar um 125 cc, também monocilíndrico, mas agora com 9,1 cv e 1,06 kgfm. A novidade chegou em agosto daquele ano por a partir de R$ 4.796.

Honda Biz – segunda geração

Honda Biz 100: história, anos, motor, consumo (e detalhes)

Como mencionado no parágrafo acima, a Honda Biz de segunda geração estreou como um projeto totalmente novo em relação ao primeiro modelo da CUB.

A motoneta foi totalmente reformulada e, entre as principais novidades, abandonou o motor de 100 cilindradas para adotar um 125 cc.

O novo modelo chegou ao mercado brasileiro em agosto de 2005. O motor passou a ser um 124,9 cm³, com até 9,1 cavalos de potência, a 7.000 rpm, e 1,06 kgfm de torque, a 4.000 rpm.

Ou seja, um ganho de até 34% em relação ao antigo 100 cc. A transmissão seguiu com quatro marchas, rotativa, com embreagem centrífuga.

A Honda anunciou a nova Biz 125 com preço inicial de R$ 4.796 na versão KS com partida a pedal e R$ 5.455 no modelo ES com partida elétrica.

Honda Biz 100: história, anos, motor, consumo (e detalhes)

Em fevereiro de 2006, foi a vez da Honda Biz 125+, dotada de pintura exclusiva, rodas de liga-leve em alumínio com seis raios, freio a disco dianteiro, partida elétrica, painel de instrumentos exclusivo com hodômetro e indicador do nível de combustível num display digital, entre outros.

Ela custava R$ 6.070.

Uma das principais mudanças sofridas pela Honda Biz 125 de segunda geração foi a adoção do sistema de injeção eletrônica de combustível, sendo a primeira motocicleta de baixa cilindrada a contar com tal tecnologia.

Ela chegou em setembro de 2008 para atender o Promot 3.

Além disso, a Honda Biz adotou retoques no visual, com um escudo frontal mais largo, afora um banco mais confortável, pedal do câmbio renovado e mais prático e novas opções de cores. Os preços variavam entre R$ 5.147 e R$ 6.480.

Honda Biz 100 e Biz 110i – terceira geração

Honda Biz 100: história, anos, motor, consumo (e detalhes)

A terceira geração da Honda Biz deu o ar da graça no início de 2011. Porém, como em time que está ganhando não se mexe, a marca lançou a nova CUB também só com motor 125 cc.

Uma das grandes novidades foi a adoção do sistema flex no conjunto mecânico, além do visual totalmente renovado.

Pouco mais de um ano depois, em julho de 2012, a Honda resolveu relançar a Biz 100. O modelo seguia o mesmo padrão da Biz 125, se diferenciando com o motor de 100 cc herdado da irmã menor Pop 100.

Ela chegou nas versões KS e ES, com preços de R$ 4.710 e R$ 5.290, respectivamente, nas cores preto, vermelho e rosa metálico.

A Biz 100 é equipada com um motor OHC, monocilíndrico, quatro tempos, arrefecido a ar, de 97,1 cc. Ele desenvolve 6,43 cavalos de potência, a 7.000 rpm, e 0,71 kgfm de torque, a 4.000 rpm.

A taxa de compressão é de 8,8:1 e a relação diâmetro x curso do pistão é de 50 x 49,5 mm.

Honda Biz 100: história, anos, motor, consumo (e detalhes)

Um dos principais pecados do modelo, porém, é a ausência da injeção eletrônica, com alimentação feita por carburador com venturi de 15,9 mm de diâmetro. Ela também não traz a tecnologia bicombustível.

O conjunto inclui ainda catalisador para reduzir a emissão de gases poluentes. O câmbio é um semiautomático de quatro marchas com embreagem do tipo centrífuga e multidisco banhada em óleo.

Durante os testes, a Honda Biz 100 foi capaz de entregar consumo médio de cerca de 40 km/l.

Ou seja, com o pequeno tanque de combustível com capacidade para 5,5 litros, a Biz mais “fraca” consegue entregar autonomia de mais de 200 km.

Honda Biz 100: história, anos, motor, consumo (e detalhes)

A respeito do visual, a Biz 100 se diferencia da Biz 125 de terceira geração pelos piscas dianteiros e traseiros com lentes na cor âmbar, enquanto que a motoneta com motor maior e mais potente tem lentes brancas.

Além disso, o motor e os logotipos da Biz 100 são totalmente pretos.

Há também outras diferenças, como o painel de instrumentos que vai até 100 km/h e tem grafismo branco (enquanto o da 125 tem velocidade final de 125 km/h) e um recorte no escudo frontal para acessar o carburador e a torneira da reserva de gasolina da Honda Biz 100.

O conjunto inclui chassi do tipo monobloco construído em tubos de aço, suspensão dianteira com garfo telescópico com 100 mm de curso e suspensão traseira com dois amortecedores e braço oscilante com 86 mm de curso, freio a tambor nas duas rodas (130 mm de diâmetro na frente e 110 mm atrás), roda dianteira de 17 polegadas com pneu 60/100 e roda traseira de 14 polegadas com pneu 80/100 e dispositivo de segurança no miolo da chave (Suttle Key).

Honda Biz 100: história, anos, motor, consumo (e detalhes)

Tempos depois, em janeiro de 2016, a Honda Biz 100 saiu de cena para a chegada da Honda Biz 110i. Ainda baseada na terceira geração, a CUB passou a contar com um motor maior e com injeção eletrônica, que foi implementado também na Pop 110i.

A Honda Biz 110i ganhou um propulsor OHC, monocilíndrico, 4 tempos, arrefecido a ar, com 109,1 cm³, capaz de entregar 8,3 cavalos de, a 7.250 rpm, e 0,89 kgfm de torque, a 5.500 rpm.

Atrelado a ele está um câmbio semiautomático rotativo de quatro marchas e com embreagem centrifuga semiautomática.

Honda Biz 100: história, anos, motor, consumo (e detalhes)

Ele é abastecido sempre com gasolina e traz o sistema de injeção eletrônica PGM-FI (Programmed Fuel Injection) da Honda.

Tal propulsor passou a atender as normas da segunda fase do PROMOT 4 (Programa de Controle da Poluição do Ar por Motociclos e Veículos Similares).

Afora o novo motor, a Biz 110i chegou com outras novidades, como piscas com lente de cristal, compartimento sob o assento mais espaçoso e um painel de instrumentos com novo grafismo, agora com fundo na cor preta.

A Honda Biz 110i estreou em versão única, com partida elétrica de série, nas cores preta e vermelha.

O preço sugerido era de R$ 7.090 – ou seja, mil reais mais cara que a antiga Biz 100 carburada, vendida até então por R$ 6.006. A motoneta tinha garantia de três anos e óleo grátis nas primeiras sete revisões.

Honda Biz 110i – quarta geração

Honda Biz 100: história, anos, motor, consumo (e detalhes)

Eis a atual e quarta geração da Honda Biz 110i. A motoneta vem ficando cada vez mais moderna de geração em geração e ocupa o posto de uma das motocicletas mais vendidas no Brasil.

Se destaca pela praticidade e economia. Porém, já não é tão barata: a atual Biz 110i parte de salgados R$ 7.828, enquanto a Biz 125 (mais potente e completa) chega a R$ 9.686.

A atual versão da Biz 110i foi anunciada em dezembro de 2017 juntamente com a Biz 125.

A nova geração também foi totalmente reformulada, ganhando um visual mais moderno e agressivo, painel de instrumentos digital na versão mais cara, compartimento sob o banco ainda maior e até sistema de freios combinados nas duas versões.

Honda Biz 100: história, anos, motor, consumo (e detalhes)

Um dos destaques da nova Honda Biz 110i é justamente o sistema de freios CBS (Combined Brake System). Com ele, ao acionar o freio traseiro, o dianteiro também entra em ação com até 30% da sua capacidade de frenagem.

Em comparação com a geração anterior, a Biz de quarta geração manteve o chassi tipo monobloco em aço tubular, mas agora com materiais mais rígidos e com novos processos de soldagem.

A suspensão também segue a mesma da anterior, apenas com uma nova calibração no conjunto dianteiro.

Honda Biz 100: história, anos, motor, consumo (e detalhes)

Outra novidade é a extinção do pedal de partida, agora somente elétrico, devido a melhorias no sistema de recarga da bateria.

Porém, isso pode ser um problema caso a bateria arreie, já que a Biz 110i não tem manete de embreagem e você dificilmente conseguirá faze-la pegar “no tranco”.

O motor é o mesmo da geração antiga, monocombustível e com injeção eletrônica de combustível, capaz de gerar até 8,33 cv e 0,89 kgfm, com câmbio de quatro marchas.

Honda Biz 100: história, anos, motor, consumo (e detalhes)
Nota média 5 de 1 votos

Leonardo Andrade

Leonardo Andrade

Leonardo atua no segmento automotivo há quase nove anos. Tem experiência/formação em administração de empresas, marketing digital e inbound marketing. Já foi colaborador em mais de sete portais do Brasil. Fissurado por carros, em especial pelo mercado e por essa transformação que o mundo automotivo está vivendo.

  • Domenico Monteleone

    Motinha versátil…recebi no zap essa semana o vídeo de um maluco carregando uma estante montada nela!!!

  • leitor

    Meu pai tem uma com 18 anos e só andou 12mil km.

    • Sedici

      raridade hein… a minha 2010 ja rodou mais de 70 mil

  • Robson

    Tive uma 99 Azul tirada zero Km. Boa moto, hoje nessa cilindrada acho inviável em grandes centros urbanos, pra mim atualmente minimo 150 cilindradas, mas em cidades com transito mais tranquilo eu teria uma sem maiores problemas.

  • 4lex5andro

    Longe o tempo que havia andado em uma, na verdade foi na Honda 100 anterior a Biz, isso em 1993.

    Modelinho muito econômico, mas inviável, não se compara a segurança de um carro, o Brasil não é lugar seguro pra cinquentinhas e motos.

    • Marcelo Amorim

      Seria a C100 Dream?

  • Fernando Gabriel

    Lembro até hoje do jingle: “Honda Biz, com tudo ela combina, só não combina com posto de gasolina”

    • RPM

      Poxa….ia escrever exatamente sobre esse jingle….lembro até hj.. rsrs

    • Sedici

      éee. maaaais ou menos né… pq o tanque pequeno acaba aumentando o numero de idas ao posto

      • Klaus Nickel

        Com a minha antiga biz fiquei à pé duas vezes por simples descuido devido do pequeno tanque. É bem econômica mas tem q monitorar o ponteiro.

  • Jose Walter Coimbra Moreira

    Tenho uma 125 2011 flex.Comprei quando foi lançada a versão flex. Motoneta muito valente e econômica.Agora está com 43.000km. Nunca me deixou na mão.Faz em média 36km/L no álcool e 45km/L na gasolina.

  • Junoba

    Perdeu o custo benefício, 8k em uma moto de 110 cilindradas é muito dinheiro.

  • Antonio_Brust

    Lembro bem do ano de 2004, 2005, 2006… onde eu era adolescente e pilotava uma dessas num condomínio, nas minhas férias. Dava pra tirar uma “ondinha”, pois enquanto a molecada tava só de bicicleta, eu tava de Biz… mas ainda assim consegui beijar um total de 0 bocas.

  • Robinho

    pra mim a segunda geração é a mais bonita!

  • Compro Vidro de Perfume Vaziou

    Só eu li monoteta? kkkkkk

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email