Asiáticos Hatches Honda Segredos-Flagras

Honda City hatch é flagrado na Tailândia – Estreia ainda em 2020

Honda City hatch é flagrado na Tailândia - Estreia ainda em 2020

O Honda City hatch foi visto novamente na Tailândia. O compacto da marca japonesa estreia ainda em 2020 naquele país, onde será produzido para atingir todo o Sudeste Asiático.


Aproveitando as linhas do sedã “compacto”, o hatch da Honda finalmente aparecerá após anos de rumores sobre sua chegada. Diferente do que se esperava, no entanto, o City de dois volumes e meio será bem maior.

Como o Novo City mede incríveis 4,55 m (para um sedã que é vendido aqui com 4,45 m), podemos esperar um hatch do tamanho de um similar de porte médio, talvez com algo entre 4,25 e 4,30 m.

Honda City hatch é flagrado na Tailândia - Estreia ainda em 2020

O projeto do City hatch usa a mesma estrutura do sedã, com as portas traseiras idênticas, mas com colunas C encurtadas. Por ser considerado compacto, brigará com modelos menores, como Nissan March e Toyota Yaris.

A vantagem do porte maior é o espaço extra e também um porta-malas mais generoso, porém, não vai poder custar mais que a concorrência, sob risco de perder mercado.

Maior e mais pesado, o City hatch encontraria problemas na economia de combustível, mas isso não deve ser um problema para a Honda.

Honda City hatch é flagrado na Tailândia - Estreia ainda em 2020

Se espera pelo motor 1.0 Turbo com CVT, entregando em torno de 130 cavalos, suficientes não só para andar bem, mas por entregar boa eficiência energética.

O mesmo deve acontecer com o Novo City em sua versão sedã que, apesar do porte maior, deve obter um bom rendimento com um conjunto motriz turbinado (com injeção direta) e CVT, que permitirá um funcionamento linear e eficiente.

Honda City hatch é flagrado na Tailândia - Estreia ainda em 2020

Aqui no Brasil, ambos são aguardos, especialmente no caso do hatch, que poderia ser colocado abaixo do Fit. Contudo, tudo depende de preço. Vende-lo a preço de hatch médio (usando o Cruze Sport6 como referência), seria no mínimo perda de tempo.

Outro ponto é que o Honda Fit ainda exerce forte influência no segmento de entrada da marca, especialmente em uma nova geração, que sempre chama atenção.

[Fonte: Wapcar]

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • CanalhaRS

    A Honda nunca lançou nada realmente acessível no Brasil. Sempre o Fit foi etiquetado a preços acima da média.
    Portanto, é de se imaginar que esse Hatch ficaria na faixa do Fit atual e o novo Fit passaria de 100 mil reais fácil.
    É loucura? É. Mas a Honda sempre foi assim.

    • Baetatrip

      …Ta querendo seguir o mesmo caminho da Toyota…!

  • A Honda devia lançar um concorrente para Onix e HB20, venderia muito só por ser Honda, mas com a política de preços dela é impossível!

    • Rafael Straus

      Mas esse carro é para supostamente concorrer com Onix, HB20, Polo e outros… mas em suas versões top, é claro.

      • 😎.

        Nas versões de entrada seria o hatch Brio, vendido na Ásia.

  • disturbed591

    Dizem que este City vai ser maior do que o Civic G9.

    • Dead Lock

      Com a onda dos SUVs (ou pseudo-SUVS) grassando no mundo, a situação da Honda, que sempre prezou pela esportiividade dos seus produtos, está cada vez mais difícil. O Civic vai sair de linha no Japão e não me surpreenderia se desaparecesse de outros mercados. A Honda até tentou dar um ar esportivo à HR-V Touring, colocando duas ponteiras de escapamento, sacrificando um pouco do porta-malas, mas SUV e esportividade não combinam muito, devido à sua altura elevada. City e seu hatch também podem estar com os dias contados.

      • Edson Fernandes

        Olha a dinamica do HR-V é interessante para um altinho, ainda que, seja um carro barulhento.

        Só que ele cobra na dureza de suspensão. Por mais que tenham melhorado no modelo com facelift(eu já andei nos dois pois prima e primo possuem e andei em Uber de HR-V mais atual), eu ainda sinto a dureza da suspensão para conseguir trazer a tal estabilidade. Nesse quesito eu acho que a Jeep(ou FCA) está de parabens pelo compromisso de suspensão e estabilidade.

        Enfim… enquanto falamos de performance, tem gente pagando R$140000 num HRV tendo altinhos médios de mesmo preço e por vezes até mais equipado(como a Tiguan e Equinox por exemplo).

    • Ducar Carros

      Com 4,25 a 4,3 metro de comprimento, ficaria com o tamanho do Golf e do antigo i30, ou seja, será um hatch médio (embora um pouco mais estreito)! Seria bem mais comprido que o Yaris (4,14 m), o Sandero (4,07 m) e o Polo (4,06 m), embora menor que o Sport6 (4,45 m), último representante da categoria no Brasil.

      • Silvio

        Na minha opinião esses hatchs “compactos” estão ficando muito grandes. Da para fazer coisa interessante abaixo de 4 metros, ou um pouco acima. Veja o espaço interno de um Etios, Ka, Fit por exemplo. Aí lançam o Yaris, novo Onix, agora esse City hatch, e vão esticando os carros. Perde-se muito da praticidade para usar nas cidades, querendo ou não muitas vezes por conta de 20cm você não consegue estacionar naquela vaga mais apertada que acabou “sobrando” para você.

        • Ric53

          Cara a real é que em função dos apps de transporte, crises e essas coisas. Está acabando o carro de volume. Nunca tivemos carros verdadeiramente acessíveis ok mas daqui pra frente vai ser cada vez mais inacessível, vide Chevrolet que não tem mais um carro de baciada como era o Celtinha

      • Rodrigo

        Pois é, hoje os hatches compactos já ostentam tamanho médio há algum tempo. O exemplo mais claro é o Sandero, Nivus e, fora do BR, o Fiat Tipo.

  • LL

    Eu acredito no Fit cross apenas para o BR com “SUV” de acesso, a versão civil não condiz com gosto do brasileiro. O City hatch provalemente ocupe o lugar de carro de entrada, eu acredito tbm em preços acima do Yaris.

    • Renato Almeida

      Exato. Também acredito que a vinda do City Hatch para o Brasil tire o Fit do mercado nacional, mantendo o WRV. A nova família deve acompanhar a alta dos preços já praticada no Civic.

  • Rodrigo

    Acredito que o City hatch deve começar nos preços base do Fit atual, alcançando um patamar máximo de 85 mil reais.
    Isso faria o novo Fit subir de categoria, estando um degrau acima do irmão mais recente e, com menos versões tendo preços entre 85 e 95 mil reais. O novo WR-V deve ser o próximo degrau da gama, orbitando a faixa dos 90 a 100 mil reais.

    • Edson Fernandes

      Ouso te dizer que diante do que custa um Virtus, o elemento pode ser ele para definição de preços da Honda. Isso porque mesmo com motorização ineficiente, esses carros já custam isso(destacando os atuais Fit, City e Yaris hatch e sedan). Se ele vier com atualização de motorização e mais itens de série, só vejo que ele poderá perigosamente se aproximar sim dos R$100000 para um compacto.

      Isso por culpa do Virtus GTS que já custa R$110000 em tabela.

      “Ahhh mas ele é uma variante esportiva”, sim, só que esses hatches e sedans de marcas de maior vendagem ou procura, costumar cobrar mais pela marca e o que ela alcançou no mercado. E para a Honda, “canibalizar” o Civic seria até bom: Se vender mais City que é um carro mais simples a preço de Civic, mais lucro para a fabricante. Só o consumidor não ter a mentalidade de comprar carro por metro o que é dificil de não acontecer.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por 15 anos. Saiba mais.

Notícias por email