Honda confirma redução da gama nacional e sua renovação

Honda confirma redução da gama nacional e sua renovação

A Honda confirmou a redução na gama de automóveis produzidos no país, assim como sua renovação. Atsushi Fujimoto, novo presidente da marca para a América do Sul, revelou as mudanças na operação brasileira.


Segundo Fujimoto, os novos produtos atenderão o padrão global da Honda em meio ambiente, conectividade e segurança. Assim, podemos imaginar que o primeiro dos pilares enaltecidos pelo executivo seja o uso de motores mais eficientes.

Como a própria Honda já disse, os três modelos híbridos que serão vendidos no Brasil, deverão ser todos importados, então, partindo disso, podemos excluir carros como o City Hybrid ou HR-V e:HEV, o que é uma pena.

Com etanol num sistema flex do motor L15, sedã e crossover seriam mais eficientes, mas o problema de tudo isso é um só: preço. Se os valores atuais já estão na estratosfera, como híbridos, tais modelos cruzarão o Lagrange…

Honda confirma redução da gama nacional e sua renovação

Então, motor P10 de três cilindros 1.0 Turbo Flex com CVT surge como a melhor opção nesse caso. Mas, vamos esperar para ver…

Em conectividade, projeção sem fio para Android Auto e CarPlay, assim como conexão 4G com Wi-Fi são desejáveis. Na segurança, o Honda Sensing com controle de cruzeiro adaptativo, alerta de faixa e saída de pista com correção, detector de pedestres com frenagem automática, entre outros, são esperados.

Já em relação à redução no portfólio, a Honda não confirma o que sairá, mas o mercado fala no fim de Fit e Civic, a dupla que iniciou a motorização sobre quatro rodas da marca japonesa no Brasil.

Honda confirma redução da gama nacional e sua renovação

No lugar, chega o Novo City nas carrocerias sedã e hatch, mantendo-se o WR-V por mais algum tempo e o Novo HR-V. Para o segundo, espera-se que o ZR-V adicione um SUV compacto de verdade no lugar do crossover baseado no Fit.

Apesar da queda de 35% nas vendas em 2020, Fujimoto diz que a Honda voltará a crescer no mercado nacional. O executivo afirmou que a filial brasileira seguirá a estratégia global de vender carros elétricos e híbridos até 2040, bem como de zerar mortes em seus carros até 2050, usando a tecnologia ADAS para isso.

[Fonte: Automotive Business]

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.