China Honda Tecnologia

Honda deverá ter somente motores turbo na China

honda-crider-1

A Honda deverá ter somente motores turbo no mercado chinês. A montadora nipônica vai apostar na nova linha de propulsores Earth Dream Turbo composta por tamanhos de 1.0, 1.5 e 2.0 litros, todos com injeção direta de combustível e turbocompressor, bem como o tradicional comando i-VTEC.

O primeiro a chegar será o 1.5, que deverá entregar 204 cv e 26,4 kgfm. O propulsor deverá ter ainda uma versão mais fraca para equipar carros compactos, tais como o Vezel e Civic, por exemplo. A versão mais potente terá lugar em modelos do Spirior, Accord e Jade.

O segundo a chegar será o 2.0, que terá mais de 280 cv e 40,6 kgfm, sendo usado em modelos da Acura, bem como no Accord top de linha. Depois, é a vez do 1.0, que vai entregar 129 cv e 20,4 kgfm. Este ainda não foi definido como produto final, mas provavelmente irá equipar versões do Fit e City. Por aqui, a expectativa é que o motor 1.5 mais fraco venha a equipar o Civic.

[Fonte: Auto Home]





  • Gilcimar China

    Essa notícia é um tapa na cara para nós, brasileiros.

    Enquanto na China será somente motores turbo, no Brasil será somente motores aspirados.

    Ê, conservadorismo…

    • Rmx

      Quem sabe na proxima geração da linha.

      • Gilcimar China

        Se depender da geração, acredito que não se trata de linha automtoiva, mas de consumidores brasileiros. Ultimamente ando descrente demais no Brasil, apesar de a luta por algo melhor continua!!!

        • Gustavo73

          Acho que está mais para economia dos fabricantes. Quando eles querem lançar algo eles lançam. Quando não querem usam as desculpas do mercado conservador.

          • Gilcimar China

            Gustavo, nisso eu concordo com seu ponto de vista, haja vista que não engulo aquela explicação da GM em face dos motores 1.4 turbo e 1.8 aspirado, culpando “exclusivamente” o consumidor brasileiro.

            Entretanto, se nós mesmo não começarmos a exigir, as fabricantes só lançarão motores turbo reciclados do mundo à fora, tornando o mercado brasileiro sempre desatualizado.

            • Gustavo73

              O pessoal tá mais preocupado com telinha no painel e leds no farol. Motores modernos e econômicos a grande maioria nem sabe o que é.

            • Alisson Bona

              Concordo plenamente, a renault fez comentário parecido na troca do 1.6 16v para o 8v. Os Brasileiros não tem coragem de adquirir “novidade”, logo espalha “boatos” de manutenção mais cara, que o motor não aguenta o que o antigo aguentava, e bla bla bla….

        • Gustavobrtt

          Mas isso é fácil resolver. Toyota e Honda não fazem referência a 16V em seus carros, já sabendo da rejeição consumidor. Usam VVTI, VTEC, DOHC, sei la. Para os Turbos, é só usar uma sigla que não remeta a isso (sem a letra T no meio, pole colocar “kompressor” igual os mercedes hehe), que ninguém vai perceber. O consumidor vai continuar comprando os carros e achar excelentes.

          • pedroo

            kompressor nas mercedes é do supercharger e não de turbocharger, dois sistemas diferentes que fazem quase a mesma coisa

            • Gustavobrtt

              Então, é isso mesmo, só colocar um nome bonitinho, sem mencionar “turbo”. É mais questão de marketing do que tecnologia :-)

    • saosao

      Mas estamos evoluindo. Antes motores menores com turbo eram até ridicularizados, por “não ser 2.0″…

  • Rmx

    1.5 de 204 CV perfeito para o Civic no BR, não é dona Honda!!!

    • Gustavo73

      Como dito na matéria. No Civic esse motor deve ter menos potência. Falam que ele deve chegar aqui em 2016.

  • Paulo Belfort

    Imagine esse 1.5-litro, com quase 27kgfm de torque no HR-V! Um foguetinho.

    • Foxtrot

      Tinha que colocar no CRV antes, o 2.0 é perigoso de tão manco!

      • Paulo Belfort

        Nunca dirigi o CR-V com 0 2.0-litro. É tão “ruim” assim?

        • Foxtrot

          Também não cheguei a dirigir, mas tenho um parente que é dono de um e ele não esconde que ultrapassagens na estrada causam insegurança para ele que geralmente anda com 3 pessoas + malas + A/C ligado.

          • Paulo Belfort

            Esse 2.0-litros se dá muito bem no Civic. Será o peso extra, do CR-V?

            • Foxtrot

              Sim, o peso extra e também a aerodinâmica. É um carro maior, com isso ele precisa deslocar mais ar para andar.

    • Petrucci

      Sim, pois o 1.8 CVT de agora é uma lesminha…

      • Ernesto

        Dentro os de sua categoria, o HR-V só perde em desempenho para o 2008 THP e ganha de Renegade 1.8 Etorq, Ecosport 2.0, Duster 2.0…

        • Petrucci

          Não sei, não…Ecosport? Duvido: Powershift é muito rápido. O HR-V consegue andar menos do que o Cruze automático.

          • Ernesto

            Em teste realizado pela 4R, o HR-V fez de 0-100Km/h em 11 segundos e o Ecosport 2.0 Powershift fez em 11,2 segundos. Eu fiz um test-drive no HR-V e não o achei nada lento.

            • Petrucci

              Eu sou DONO de uma HR-V EXL e te digo que não faz em 11s nem aqui nem na China. Segundo meu GPS, fez em 11,9s.

              Se a mesma 4R disse que o Civic LXS fez em 11,7, acha mesmo que este CVT patinador faz em menos tempo?

              • Ernesto

                Pela revolta (eu sou DONO), creio que você esteja arrependido de ter comprado o HR-V. (Quer vendê-lo?). Quanto aos números de desempenho, não sei qual o objetivo da revista adulterar informações. E não sei em quê o CVT poderia prejudicar o desempenho comparado ao câmbio automático convencional, mas você sendo DONO de um, quem sou eu para questioná-lo, não é mesmo?

                • Petrucci

                  Você acha que isto é uma revolta??? kkkkkkkkk Ri alto!

                  Não compro carro pra correr: Compro pra me atender às minhas necessidades.

                  O Civic 9 LXS 1.8 fazia abaixo de 11s na 4 rodas quando saiu, em 2012. Agora que não é mais novidade, faz 11,7s na mesma revista.

                  Entende o que quero dizer?

                  • Ernesto

                    Sinceramente? Não sei o porquê de você ter colocado “dono” em letras maiúsculas. Se você escrevesse normalmente, em letras minúsculas como o resto do texto, não pensaria nisso.

                    • Petrucci

                      Só uma ênfase. Isto existe na escrita formal, não na “coloquial” da internet quando pessoas usam para xingarem ou darem xiliqui. Jura que tive que te explicar isto? Ah você entendeu, ein rs

                    • Ernesto

                      Ênfase? Desnecessário.

                    • Petrucci

                      Conversando contigo, achei MUITO necessária…kkkkk

                    • Ernesto

                      Leia o histórico da nossa conversa e veja se realmente foi necessário. Enfatizar que você é dono de um HRV EXL? A meu ver, completamente desnecessário. Mais desnecessário ainda esse muito em letras maiúsculas.

                    • Petrucci

                      Parabéns! Você está certo. Tá, tchau.

                    • Ernesto

                      Bom conversarmos como adultos, não?

                    • Petrucci

                      Eu não estou mais conversando contigo. Fala sozinho…

                    • Ernesto

                      Desculpa aí, menino.

          • Paulo Belfort

            O problema do EcoSport é justamente o câmbio, que apesar da excelência nas trocas de marchas, muitas vezes, apresenta problemas, como patinação e trepidação.
            Meu pai tem uma EcoSport, equipado com o PowerShift, e com 8 mil quilômetros, começou a apresentar problemas de trepidação. Aos 15 mil quilômetros, foi substituída os discos de embreagens da transmissão. Aos 20 mil quilômetros, os problemas retornaram, e foi feito um “reaperto dos parafusos das embreagens” (seja lá o que isso significa). O problema foi solucionado.

            Hoje, aos 25 mil quilômetros (2013/2013, uso normal em cidade), o veículo voltou a apresentar problemas de trepidação e patinação. E o assustador é que a garantia está próxima do fim…
            Na internet, há *diversos* relatos sobre problemas similares, inclusive com vídeos.
            A Ford, desde 2013, quando lançou o PowerShift no EcoSport, vem fazendo melhorias e adaptando o sistema à nossa realidade, como lombadas mais frequentes, valetas, onde exige-se a diminuição de velocidade, consequentemente a diminuição de marcha, e quando acelera-se, “queima” a embreagem, entre outras características de nossas vias, bastante diferentes das vias européias, onde a transmissão também apresenta alguns problemas, mas em menor escala.
            Mas está longe do ideal. Vi relatos de veículos fabricados este ano, já apresentando defeitos.

            Quanto ao motor 2.0-litros Duratec, não tenho do que reclamar. Sei que são mais de dez anos de mercado, porém, mesmo com certa idade, mostra desempenho adequado.
            Poderia receber injeção direta, como no Focus, mas no geral, anda bem, subindo o giro rapidamente e com relativa suavidade.

            • Petrucci

              O Powershift tem um problema de trepidação nos carros sem bomba de alta. Este problema não aparece no Focus 2.0 SE e nos carros da Volvo (não há relatos).

              O software é nos carros mais “fortes” é outro, bem como alguns componentes.

              • Paulo Belfort

                Isso é novidade para mim.
                A solução seria bomba de alta pressão?

                Enfim, ficamos insatisfeitos com o PowerShift. Espero que a Ford repense o câmbio.
                Outra decepção (das grandes!) foi o péssimo atendimento na concessionária.

                • Petrucci

                  hahahaha

                  O meu Focus deu pau nesta bomba de alta (o meu e mais uns 400 pelo Brasil todo) por andar só no etanol (não sei explicar o porque, mas o engenheiro da Ford me disse isto).

                  Para trocar, foi um parto! Tive que ir a uma concessionária da cidade vizinha, porque as daqui (que me venderam o carro) só me enrolaram.

                  Sem falar na revisão: Agendei com UM MÊS de antecedência e os caras, simplesmente, não pegaram meu carro no dia alegando que “não conseguiram entregar os carros do dia anterior”. Muita falta de respeito.

                  • Guilherme Teixeira

                    Eu não acredito nestes números da 4 rodas nem a pau. Tenho várias revistas do desempenho do mesmo carro. No lançamento os carros andam mais, mas quando lança um concorrente em novo teste os números já são outros. Ou seja, pagou jaba leva.

                    O Civic 1.8 deu 11,7s no 0-100 e um hrv que é mais alto fez em 11s? Não acredito nunca mesmo, é apenas para enganar o povo ainda mais nesse motor 1.8 da honda que é péssimo em baixa rotação e precisa girar muito para render o que os outros rendem e tem um consumo horrível.

                    • Petrucci

                      Sim: Carros da Honda sempre são maravilhosos quando novidades na 4 Rodas. Não é que um City andou mais do que um Civic LXS segundo a própria? kkkkkkkkk

                      Mas espera: O Civic não fazia em 11s antes, e nesta edição já estava em 11,7s contra 11,6 do City? rs

      • Paulo Belfort

        Achei o 1.8-litro com CVT mais interessante do que o 1.8-litro Ecotec que equipa a Chevrolet Tracker.
        Ainda assim, um motor mais moderno, leve, equipado com turbo, seria muitíssimo bem vindo.

        • Petrucci

          Eu quero colocar uma Tracker de lado da nossa HR-V pra ver…

          Cruze vs. Civic eu já fiz, pois tive os dois juntos em casa por quase 2 anos e meio. Cruze venceu uma drag race no 0 a 100km/h por meio carro.

          • Paulo Belfort

            Do HR-V eu não coloquei, mas coloquei ao lado da EcoSport, já que meu pai é proprietário de uma, e eu de uma Tracker.

            Na minha opinião, a Tracker é superior em dinâmica (mesmo sem controles eletrônicos), em conforto e no câmbio, que é AT6 com conversor de torque,. porém, perde em motor e “mimos”, como partida sem chave, retrovisor eletrocrômico, sensor crepuscular, etc…

            Se eu tivesse que escolher entre Civic e Cruze, seria Cruze! :-) hehehe

            • Petrucci

              Acho que a Tracker é mais gostosa que a HR-V. Ontem fiz um test drive. Só achei meio beberrona no trajeto que fizemos, já que a Honda não gasta nada na cidade!

              • Paulo Belfort

                @Petrucci, aqui, as médias giram em torno de 5.1km/L de etanol na cidade, sempre com o ar-condicionado ligado. Sempre conduzindo normalmente. O máximo que consegui, na cidade, nas mesmas condições e com etanol, foram 5.6km/L.

                Na gasolina, gira em torno dos 7.0km/L, salvo engano, porém, como é vantajoso abastecer com etanol, prefiro este aqui — mesmo porque o motor é amarrado, e com etanol, a potência e torque aparecem um pouco mais cedo.

                No trajeto do test drive que fiz com o HR-V, obtive 7.4km/L de etanol, com ar-condicionado.

  • Gustavo73

    Esses motores vão tomar quase todos os modelos da Honda pelo mundo.

    • Bruno Wendel Marcolino

      quase mesmo, já que no Brasil nem pensar :(

      • Martini Stripes

        Civic 2017 virá com este motor já Flex. Não duvido que o 1.0 chegue rápido ao Brasil, também ja flex. Até pq VW e Ford estão apertando os passos em sua linha turbo, já devem vir todos Flex.

        • V12 for life

          Discordo da parte de apertando os passos, a impressão que dá é que todas estão levando em banho Maria para ver se como sempre o governo adia mais alguns anos.

          • Gustavo73

            Também acho que só os projetos no ponto sem volta continuam. O resto está em pausa.

        • Gustavo73

          Acho que com a crise, quem já está em movimento continua. A velocidade vai depender do ponto em qie está. A VWB não tem pra onde correr. Por dois motivos, o 1.4 Tsi está em desenvolvimento desde 2012 segundo alguns que trabalham /trabalharam no projeto. E por ela não ter um motor moderno aspirado aqui para colocar nos médios. O 1.0 tsi também d3ve chegar aqui logo. A Ford segundo a 4R entrou em passo de espera com o Ecoboost. Que alguns davam como certo a chegada esse ano (1.0 Ecoboost). Todos chegam flex porque com a gasolina já beirando os 30% de etanol não tem jeito (fora p desconto no IPI). Mas é provável que o futuro Civic use o 1.5 turbo na versão EXS.

      • Arthur Lima

        Porque brasil não é mundo, é submundo.

        • Junoba

          Sai do post, mas volteicpra dar like no seu comentário…..kkkkk… é isso mesmo.

          Tudo de desatualizado vem pra cá. E ainda chega como ´´exclusividade“ pro consumidor brasileiro.

          Vem até veículos da China pra cá, quando o mercado deles está ´´descartando“. O Celer foi lançado no Brasil em 2013, mas todos que vieram foram fabricados em 2012, porque tinham acabado de lançar o modelo renovado ( que atualmente é feito por aqui ) naquele país .O T6 chegou esse ano aqui, mas foram produzidos em 2014, sendo que lançaram o modelo com facelift lá fora, a pouco tempo. Ou seja, recebemos as ´´sobras“ do mundo.

    • DougSampaNA

      Brasil não chegou a categoria mundo na visão destas montadoras.

  • Bruno Wendel Marcolino

    meu deus: 2.0, que terá mais de 280 cv e 40,6 kgfm
    um monstro, nem pode vir pra cá mesmo, senão o pessoal destrói.

    Quero ver falarem mal de chineses nesse post hehe.

    • V12 for life

      Deve estar disponível no Accord por aqui, a Honda costuma trazer duas motorizações para ele.

  • Willian C.

    De design eles são ridículos, mas motor… Anissa.

  • V12 for life

    1.5 mais fraco vai equipar o Civic nacional, só que mais fraco quanto se o 2.0 vai continuar nas versões de entrada.

  • Discovery ™

    Bem mais potente que os AUDI/VW hein, será que aparece um cambio tão bom quanto o DSG tb?

  • GPE

    Vem pra cá 1.5 com 175cv e 25kgmf de torque. Vem pro Civic!

  • Junoba

    Gostei deste Crider, na foto do post. Tem um visual bem robusto.

    • Mauro Schramm

      Pelo que li, é um City espichado com motor do 1.8 do Civic.

    • Pedro Henrique

      Já eu não gostei. Me lembrou o versa pela visão lateral da traseira.

  • DougSampaNA

    PARABENS HONDA , sua sem vergonhice não TEM LIMITES diante dos preços praticados neste país versus o que voces oferecem aqui !!!

    • Martins Junior

      Collor estava certo!

  • ARENANB

    Alguém que entenda melhor confirme por favor, mas motores a turbo não tendem a durar menos?

    • Paulo Belfort

      Quando o motor é projetado para rodar com turbo, sua durabilidade é tão boa quanto um sem turbo.
      Porém, quando adaptado à um motor *não* projetado para turbo, pode ser que a vida útil seja inferior.

      Há outras questões que devem ser levadas em conta também, como o uso feito pelo proprietário.

      O veículo com turbo que vi com mais quilometragem foi um Volkswagen Jetta TSI, com cerca de 280.000 quilômetros, sem apresentar problema.
      Toda a manutenção foi realizada na concessionária, no período indicado.

      Pode ser que exista esse “preconceito” com motores por causa dos mecânicos, devido a complexidade de manutenção – lembram do preconceito com cabeçotes de 16-válvulas?

  • Guilherme Teixeira

    Esta na hora mesmo da dona Honda atualizar estes motores vendidos aqui no Brasil. Motor 1.8 é o mesmo de 2006, tecnologicamente é ultrapassado mas aceitável se tivesse preço compatível, mas a dona Honda cobra horrores por algo que já deu que tinha que dar ou poderia ter no mínimo colocado as tecnologias atuais começando pela injeção.



Send this to friend