Honda Mercado Montadoras/Fábricas Motos Preços

Honda encerra produção de motos 125 no Brasil depois de 42 anos

Honda encerra produção de motos 125 no Brasil depois de 42 anos

O “Fusca” das motos encerrou sua jornada no Brasil. Após mais de 42 anos, a Honda finalizou a produção de motocicletas de 125 cm3 no mercado nacional. A CG 125, que foi o primeiro modelo nacional da marca japonesa, inaugurando a fabricação em Manaus, no ano de 1976 e tendo o jogador Pelé como garoto-propaganda.


Com cerca de 7 milhões de unidades produzidas desde então, a Honda CG 125 foi um marco na motorização do brasileiro, que acabou tornando a marca quase um sinônimo de veículo com duas rodas. Nos primeiros anos, muitos queriam ter uma na garagem e sair por aí…

O fato de ter um motor OHC de 11 cavalos que correspondia e ainda resistente, fez com que a Honda abocanhasse o mercado de motos de tal forma, que praticamente o Brasil tornou-se seu “feudo” com mais de 80% de participação atualmente, onde temos várias marcas. Com o aumento da renda, do crédito e da diversificação do mercado, a velha CG 125 foi perdendo espaço.

Honda encerra produção de motos 125 no Brasil depois de 42 anos


Diante da CG 160, a 125 respondeu por apenas 9,4% do total em 2018, emplacando pouco mais de 26,5 mil exemplares. Em 2008, a pequena da Honda emplacou quase 440 mil unidades, um recorde histórico, superado pela irmão CG 150, que vendeu mais de 510 mil na ocasião.

Do velho OHC a ar de 11 cavalos até o recente com injeção eletrônica e 11,8 cavalos, a CG 125 mudou de nome algumas vezes e hoje é a Fan, que parte de R$ 7.161. Mais rodada entre todas as motos vendidas no Brasil, a popular da Honda se tornou a preferida de vários públicos, percorrendo todas as estradas do país, sempre com alta confiabilidade mecânica e economia.

Como os líderes do passado, a CG 125 mudou muito pouco em mais de uma década de mercado, apesar da atualização de estilo em 1983, ganhando o sobrenome Today em 1989 e mudanças importantes. Até então, o “Fusca” da Honda já havia feito muito, inclusive rodado com álcool. Em 1994, surgiu a Titan e somente após 10 anos, a CG 150 apareceu, gerando a CG 125 Fan. Ela ainda continuará sendo vendida enquanto houver estoques.

[Fonte: Automotive Business]

 

Honda encerra produção de motos 125 no Brasil depois de 42 anos
Nota média 4.1 de 8 votos

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Tosca16

    Mantenhe-se as CUB então com o motor de 125cc.

    • Fernando Bento Chaves Santana

      Talvez suja uma Pop 125.

      • Tosca16

        Eu acho que a Biz poderia já que está cada dia mais equipada e cara vir como 150cc, e a POP poderia manter-se nas duas opções, 110 e surgir essa 125cc.

      • Coffinator

        Então vai voar, a moto é leve.

    • Renato Duarte

      somente o modelo CG com essa cinlindrada que sai de linha…

      • Tosca16

        Sim, disse que agora somente as Cub com 125.

    • Bruno Augusto

      moto 125 muito frakinha tiu…. seria maneiro eles coloca uma no lugar de 200cc

      • Tosca16

        Pra esses motoka que andam de uma roda só cinquentinha tá mais que bom hehe. 125 dá conta do recado, mas logicamente dentro da cidade é seu habitat natural.

  • vicegag

    Pode ter melhorado o torque e economia, se estes 11 cavalos referem se ao primeiro modelo aqui lançado, agora tendo 11,8 cv, acho que no quesito potência evoluiu pouco em 42 anos.

    • TchauQueridos

      Potencia e economia de combustível praticamente os mesmos ao longo de sua vida.

      • Tosca16

        Dizem que de final as carburadas são melhores, se por uma carburada vs injetada a carburada tende a andar mais, mas tem os problemas do uso de carburação, como por exemplo o consumo que pode ficar demasiadamente elevado se não estiver bem regulada. Mas nesses 42 anos o que mais há de mudança é quanto a vibração dos motores, meu avô tinha uma das primeiras com tanque quadrado, acho que 83 não me recordo agora, vibrava tanto que meu punho doía mesmo em baixa velocidade, ou velocidade de cruzeiro de 80-100km/h.

    • Tosca16

      E perdeu em durabilidade, eu acompanho diversos canais de motoboys e muitos tem trocado a Honda pela Yamaha apenas pelo fator durabilidade do motor; um motor das 150/160 da Honda tem “fumado” com 20,30 ou 40 mil km, enquanto as Yamaha tem chegado aos 100 mil km com relativa facilidade. Mas a 160 em especial anda mais, tem mais torque e saída que a dupla Yamaha Fazer e Factor 150cc. Já as 125cc da Honda, viraram algo mais raro, “pé de boi” como dizem aqui; aqui mesmo só vejo em moto-escola, dia dia ninguém quer ou por pouco a mais vai logo numa 160 da vida.

      • Marco

        Correto, amigo! Como essas Yamaha Fazer e Factor duram. E além de bonitas, são bem econômicas.

    • Stunt

      As CG da década de 90, por exemplo, tinham cerca de 14cv de potência, é o que conseguem, hoje, nas 160cc. As mais atuais foram passando por alterações no motor devido exigências do Promot quanto às emissões, isso pode, em parte, explicar essa redução de potência.

    • Hodney Fortuna

      Nos anos 80 a Honda oferecia dois modelos de “luxo”: a ML e Turuna que entregavam 14 cv. Ambas motos foram lançadas em 1983.

  • Tosca16

    A Yamaha como sempre é mais cometida que a Honda no que diz respeito inovações no mercado de baixa cilindrada, ao menos em nosso mercado. É bem capaz que o motor 125 tenha uma sobrevida nas mãos da vice-líder de mercado, mas é algo que naturalmente o mercado irá fazer acabar; pode parecer pouco mas de uma 125 pra 150 já se nota a diferença de torque e potência, tal como da 150 pra 160 no caso da Honda. Nem as marcas Chinesas tem insistido em modelos 125, Haojue e Traxx (Jialing) não tem essa opção, mesmo que ainda insistam em motores carburados ambas só tem 150cc na gama.

  • zekinha71

    Semana passada vi uma na rua igualzinha essa do Pelé, parecia que tinha acabado de sair da fábrica.
    A pessoa deve ter comprado zero, guardou em algum lugar e só agora achou.

  • Renato Duarte

    O interessante é que não há downsizing nas motos. A CG surgiu em 1976 com 125cc,, em 2004 surgiu a versão com 150cc e nos dias de hoje possui 160cc. Fora outros modelos e de outras marcas que também subiram na vida rsrsrs

    • Matuska

      A insistência em 125/150cc se não me engano eram por se enquadrar em algum desconto de IPI.

    • Bom, até onde sei não existe moto turbo, mesmo de alta cilindrada, talvez esse seja o motivo.

      • André Piran

        ninja h2

      • Eng Turbo

        Existiram VARIAS, desde os anos 80…depois foram abandonadas e agora retomaram com a Kawa H2R

  • Dellagos Silva

    A primeira CG não tinha motor OHC e sim OHV. Os motores OHC eram oferecidos nas Turuna

    • Hodney Fortuna

      Isso! Usavam comando varetado. Só a partir de 1989 começaram a usar comando de válvulas no cabeçote!

  • renato dantas

    Vai deixar saudades aos motoqueiros.

    • Tosca16

      Já deixou, quem era fã das CG’s gostava das antigas não destas Fans da vida.

      • O motor 125 não acaba por causa desses motoqueiros, que até hoje xingam os motores novos.

        • Tosca16

          Acabou porque hoje faz mais sentido ir numa 150/160, mas que a durabilidade no geral dos motores Honda tem caído é algo que a maioria tem visto.

  • Estranha matéria… e a Biz 125? Em todo caso, já tentaram matar esse motor, e não conseguiram – será que agora vai?

    • Stunt

      Salvo engano, não é o mesmo motor da CG. A Biz 125 utiliza outro propulsor que, ao menos por enquanto, na linha Honda br, é só dela e isso se deve ao tipo do câmbio, semi automático, no caso.

  • Lucio Adriano Mendonça

    Creio eu que o unico motivo pra125 ter resistido até aqui tem a ver com a concorrência. O interesse da Honda e ganhar mais por unidade. Mas pra justificar o preço da 160 ela mantinha essa 125 pra evitar que os clientes que não tem grana saia da marca. Agora ela ligou o foda-se.. Se alguém quiser uma Honda que pague o preço que a Honda ache que vale. Torcendo pelo sucesso da Haojue.

  • Hodney Fortuna

    Deve restar somente as modelos chinesas com essa cilindrada! Nos anos 80 meu pai possuía uma Turuna ano 83 com motor 125 cc só que entregava 14 cv.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email