Honda Matérias NA

Honda Fit Twist: detalhes, equipamentos, motor e concorrentes

Honda Fit Twist: detalhes, equipamentos, motor e concorrentes

No final de 2012, a Honda lançou em território nacional o “aventureiro” Honda Fit Twist, um veículo desenvolvido exclusivamente para o mercado brasileiro. A fabricante resistiu bastante para ter um carro assim, mas o Fit Twist conseguiu chegar acompanhando a tendência dos “aventureiros urbanos”.


Assim, além do Honda Fit Twist, encontrávamos também: Fiat (Palio) Weekend, Volkswagen Crossfox, Citroën Aircross e Hyundai HB20X. Vale lembrar que a Honda foi uma das últimas fabricantes a lançar um carro assim.

Com o Honda Fit Twist, a montadora nipônica tinha como estratégia atender ao público mais jovem, que buscava por um carro com visual mais diferenciado. Na época, a própria montadora dizia isso e ressaltava que o Twist, obviamente, não era lá um veículo total aventureiro.

Honda Fit Twist: detalhes, equipamentos, motor e concorrentes

Ronaldo Ernesto, gerente de design, pesquisa e desenvolvimento da Honda do Brasil, disse que as pesquisas da empresa apontaram que o visual é um dos principais fatores para quem escolhe um carro aventureiro e não é a vocação off-road. Ernesto também defendia que o Honda Fit Twist alia estilo e racionalidade. Para ele, mexer na suspensão do carro não era o objetivo, tendo em vista que isso afetaria um ponto muito forte da família Fit, que era a boa dirigibilidade, defendia ele.

Entre os diferenciais, o Honda Fit Twist entregava: lanternas translúcidas, faróis com máscara negra, molduras nos para-lamas, rack no teto e para-choques com desenho exclusivo. Sobre o motor, nenhuma novidade, ele trazia o já conhecido 1.5 i-VEC Flex.

Confira a seguir todas as informações sobre motor, desempenho, cor e outros detalhes do Honda Fit Twist.

Honda Fit Twist – Detalhes

O exclusivo brasileiro Honda Fit Twist foi revelado durante o Salão Internacional do Automóvel de São Paulo, em 2012. O modelo chegou ao público com alguns reforços no visual. Ele recebeu parachoques em plástico com visual metálico e também era a única versão a oferecer faróis de neblina. O Honda Fit Twist ainda tinha racks de teto em alumínio e faróis com máscara negra.

Debaixo do capô, alterações foram descartadas. Portanto, a Honda continuou a oferecer o propulsor 1.5 i-VTEC Flex de 115 (gasolina) / 116 (etanol) cavalos de potência. Com relação à transmissão, a montadora japonesa disponibilizava câmbio manual ou automático de cinco velocidades.

Honda Fit Twist: detalhes, equipamentos, motor e concorrentes

Como o monovolume era uma versão especial com outros elementos, a Honda teve que fazer algumas alterações de estrutura. Por isso, o veículo ficou três centímetros mais longo (com 3,93 metros), dois centímetros mais largo (com 1,71 m) e 3,5 centímetros mais alto (com 1,57 m). Já a distância entre-eixos não sofreu alterações, permanecendo com 2,5 metros.

Ao passar por terrenos irregulares, o condutor do Honda Fit Twist poderia sentir um leve desconforto devido ao barulho. Isso porque em lombadas e buracos ele fazia um barulho de como se algo estivesse quebrando. A suspensão, por sua vez, também fazia o carro balançar bastante, dependendo do terreno.

A direção era outro ponto de destaque no monovolume. O Fit Twist tinha direção leve, o que ajudava bastante na hora de fazer manobras.

Honda Fit Twist – Equipamentos

De série, o Honda Fit Twist entregava ar-condicionado, airbag duplo, computador de bordo, trio elétrico, rádio/CD/MP3/USB, coluna de direção com ajuste de altura e profundidade, porta-luvas duplo, freio a disco nas quatro rodas com ABS e EBD, e banco do motorista com regulagem de altura.

Ainda assim, decepcionava por não oferecer sensor de estacionamento, GPS, viva voz para celular e comandos no volante.

Internamente, apesar de ter parafusos visíveis e exagerar no uso do plástico, o Fit Twist trouxe acabamento e material de qualidade. Os assentos foram redesenhados e a montadora trabalhou em deixar eles revestidos com tecido exclusivo. Já no painel, ganhou detalhes em prateado, como no volante e também no câmbio.

Honda Fit Twist: detalhes, equipamentos, motor e concorrentes

A lista de equipamentos ainda entregava cinto de três pontos no banco traseiro, encosto de cabeça para todos os ocupantes e porta-malas razoável de 384 litros, com possibilidade de ter mais espaço com os bancos rebatidos. De modo geral, o Honda Fit Twist acomodava bem cinco adultos.

O porta-malas também ganhou acabamento impermeável, no qual bloqueia a passagem de líquidos, por exemplo. Com essa proteção fica viável colocar a prancha de surfe (mesmo molhada) e outros objetos úmidos.

Honda Fit Twist – Preço

O Honda Fit Twist poderia ser adquirido em duas configurações e preços: R$ 57.900 para a opção com câmbio manual e R$ 60.900 para a opção com transmissão automática.

Apesar de todas as qualidades, a maior crítica em relação ao Honda Fit Twist é, sem sombras de dúvidas, a relação custo-benefício. Na época, um dos principais concorrentes do Twist era o Hyundai HB20X, que era mais completo e custava cerca de R$ 54.455.

Honda Fit Twist – Cores

Quando lançado, o Honda Fit Twist poderia ser encontrado em seis cores diferentes:

  • Branco
  • Azul
  • Vermelho
  • Prata
  • Preto
  • Cinza

Honda Fit Twist – Motor

Como dito anteriormente, o Honda Fit Twist foi lançado sem novidades em motorização. Ele era equipado com propulsor 1.5 16V Flex gerando 115 cavalos de potência quando abastecido com gasolina e 116 cv com etanol. Esse motor estava associado a uma transmissão automática ou manual de cinco velocidades.

Com o câmbio automático, o motor do Fit Twist atuava bem, com suavidade e bons resultados em alguns momentos. Por exemplo, o monovolume esportivo passava a responder melhor e ficava mais ágil só em 4.800 rpm, quando era perceptível o torque máximo (14,8 kgfm).

Honda Fit Twist – Desempenho

Em desempenho, o Honda Fit Twist apresentava os seguintes números de aceleração e velocidade máxima:

  • Aceleração de zero a 100 km/h em 13,5 segundos;
  • Velocidade máxima de 172 km/h.

Honda Fit Twist – Atualização

Honda Fit Twist: detalhes, equipamentos, motor e concorrentes

Ainda em abril de 2013, a montadora japonesa anunciou a linha 2014 do Fit Twist, porém sem novidades. O monovolume esportivo continuou entregando faróis com máscara negra, faróis auxiliares de neblina, grade em cromo acetinado, para-choque na cor alumínio fosco e outros. O preço também não sofreu alterações, permanecendo alto.

O veículo ainda trazia lanternas translúcidas, rodas de 16 polegadas, freio de mão e saída de ar com detalhes em prateado, e assentos com revestimento exclusivo. Em segurança, o Honda Fit Twist tinha airbag duplo, freios ABS com EBD, cinto de segurança de três pontos para todos os passageiros, bem como apoio de cabeça. A Honda oferecia três anos de garantia.

Honda Fit Twist: detalhes, equipamentos, motor e concorrentes

Mesmo com a versão 2014 (“atualizada”), o Fit Twist se despediu dos brasileiros sem oferecer itens de interatividade. O computador de bordo poderia ser mais completo; o sistema de som pelo mesmo caminho: a Honda bem que podia ter incluído bluetooth, ainda mais pensando no público jovem, tendo em vista que a marca planeja atender a esse público. Ainda ficou devendo funções mais aprimoradas para o rádio e comandos no volante.

Apesar de não ser off-road legítimo, pelo menos em dirigibilidade o Fit Twist agradava o motorista. O monovolume esportivo era um bom carro para o cotidiano. Ele proporcionava excelente visibilidade e direção bem leve.

Honda Fit Twist – Concorrente

O Hyundai HB20X foi um dos principais concorrentes do Honda Fit Twist. O aventureiro urbano da sul-coreana estreou no Brasil logo após o Fit, em 2013. Ambos os modelos chegaram com as mesmas propostas, mas com pacotes bem diferenciados.

Produzido na fábrica de Piracicaba, no interior Paulista, o Hyundai HB20X era muito mais barato que o seu concorrente, até mesmo na versão topo de linha. Na versão Style, o HB20X poderia ser adquirido por R$ 48.755. No topo de linha, batizada de “Premium”, o interessado teria que desembolsar cerca de R$ 51.255.

Apesar das diferenças em valores, tanto Honda Fit Twist como Hyundai HB20X ofereciam alguns equipamentos interessantes, além de todos os itens aventureiros, como saias laterais e rack de teto. Ambos os modelos traziam rodas de liga leve, faróis de neblina, ar-condicionado e espelhos elétricos.

Em comparação ao concorrente, o “esportivo” da sul-coreana tinha um desempenho melhor e também mais potência. O porta-malas era um pouco negativo, isso porque ele só tinha 300 litros, enquanto o Honda Fit Twist entregava 384 litros.

Honda Fit Twist: detalhes, equipamentos, motor e concorrentes
Porta-malas do “aventureiro” da Honda tem 384 litros

Entre os diferenciais em lista de equipamentos, o Hyundai HB20X Premium vinha de série com comandos no volante, sensor de estacionamento traseiro e possibilidade de conectar o celular via bluetooth.

Honda Fit – Outras versões (atuais)

Atualmente, o Honda Fit Twist não é mais produzido e não há nenhuma versão com a pegada esportiva assim. A Honda tem hoje em seu portfólio: a configuração de entrada, Fit DX, Fit Personal, Fit LX, Fit EX e o topo de linha, Fit EXL. Com relação ao preço, eles partem de R$ 62.800 na opção de entrada, podendo chegar a R$ 86.500.

A configuração de entrada (DX) vem com uma lista de equipamentos bem simples, como ar-condicionado manual, aviso sonoro do cinto de segurança para motorista e passageiro, revestimento dos bancos em tecido, dois airbags, vidros verdes com filtro UV, rodas em liga leve aro 15, suspensão dianteira MacPherson e cintos de segurança traseiros de três pontos para todos os passageiros.

A lista começa a ficar mais atraente a partir da versão Honda Fit EX. Essa opção entrega ao comprador central multimídia (touchscreen) com Apple CarPlay e Android Auto. O veículo acrescenta: quatro alto-falantes, ar-condicionado digital, piloto automático (cruise control), sistema de configuração de bancos Magic Seat, volante multifuncional com acabamento em couro. Há ainda quatro airbags (frontais e laterais), sistema de alerta de frenagem emergencial ESS (Emergency Stop Signal).

Ao todo, a Honda disponibiliza sete cores diferentes. São elas: preto cristal perolizado, vermelho vênus metálico, cinza barium metálico, prata platinum metálico, branco estelar perolizado, branco tafeta sólido e azul boreal metálico.

Um item muito interessante na família Honda Fit é o sistema de configurações do banco, batizado de Magic Seat. Esse recurso permite levantar os bancos traseiros para que o motorista coloque itens grandes. O Magic Seat só está disponível a partir da versão Personal, deixando, assim, a DX de fora.

Ficha técnica

Confira a seguir a ficha técnica do “aventureiro” da Honda (versão 2013).

Motor

1.5 i-VTEC Flex
TipoInjeção multiponto
Número de cilindros4 (quatro) em linha
Cilindrada em cm31.496
Válvulas4 (quatro) válvulas
Taxa de compressão10,4:1
Injeção eletrônica de combustívelInjeção multiponto
Potência Máxima116 cv a 6 mil rpm
Torque Máximo14,8 kgfm a 4.800 rpm

Transmissão

TipoCâmbio automático de cinco velocidades
Traçãodianteira

Freios

Freios Honda Fit Twist

TipoDiscos na atrás e frente

Direção

TipoElétrica

Suspensão

DianteiraIndependente, McPherson
TraseiraEixo de torção

Rodas e Pneus

Honda Fit Twist

Rodas16 polegadas
Pneus185/55 R16

Dimensões

Comprimento total (mm)3930
Largura (mm)1715
Altura (mm)1570
Distância entre os eixos (mm)2500

Capacidades

Peso bruto total (kg)1160
Tanque (litros)47 litros
Porta-malas (litros)384

 

Darlan Helder

Darlan Helder

Natural de São Paulo, é jornalista e fotógrafo. Escreve na internet sobre o universo automotivo desde 2011

  • Lucas Brito

    Com certeza esse foi o pior carro que tivemos em casa. Suspensão era o ponto mais fraco do carro, principalmente se ele estivesse carregado. Batia seco constantemente e por muito pouco. Passamos 6 meses com ele porque se tornou insuportável usar o carro em rodovias com 4 pessoas a bordo pois em cada desnível, remendo de asfalto e emenda de ponte o carro só faltava se desmanchar.

    • leandro

      Lucas, concordo que a suspensão do Fit deixa a desejar… Mas somente nessas ruas e avenidas de asfalto lunar ..
      Na rodovia, mesmo cheio eu acho o carro super estável, firme… mesmo em ondulações de pista e emendas de ponte! A não ser que seja um baita remendo mal feito!
      No mais, acho um carro super bom de rodovia! Mesmo com essa aparência de alto, seu centro de gravidade devido ao tanque no meio faz dele um devorador de curvas! Pode sentar o pé que ele faz curva forte sem cantar pneu ou demonstrar instabilidade..!
      É uma pena que teve desilusão com o seu!
      Repito, na cidade realmente é uma tragédia!

      • Felipe Gonçalves

        Leandro, é realmente isso que você disse! Saí do meu primeiro carro, um Monza 94/95, do qual fui segundo dono e troquei-o há uns 6 meses por um Fit 2012, porém a versão é EX. Eu já tinha ouvido falar da suspensão dele ser dura, inclusive dirigia o carro da minha mãe (um Picanto 2015), a qual eu já achava bem durinha e pensei: a do Fit deve ser semelhante. Que nada, é beeem mais dura! Uma tragédia mesmo kkkkk entretanto é o fator que acho mais negativo mesmo. Após isso, acho o motor bem ruidoso.

      • Lucas Brito

        O carro é bastante estável e firme mesmo. A estabilidade é exemplar.
        Não sei qual versão você tem ou teve, mas essa da matéria é uma verdadeira desgraça … pneus de perfil baixo, rodas aro 16, suspensão dura… não deu certo.
        Antes desse tivemos um fit 2008, aquele sim era bom. Suspensão não era macia mas em conjunto com as rodas aro 14, se saía muito bem. Exceto pelo fato de raspar em muito quebra molas, assim como o twist.

        • leandro

          Opa Lucas! O exemplar em questão que menciono é o 2013 (o New Fit).
          Tenho curiosidade de guiar o Old, pois dizem muito, muito bem dele!

          • zekinha71

            Nunca dirigi o New Fit, mas dirigi bastante o Old Fit e posso dizer que era maravilhoso, bem suave, bom de curva e tinha ódio de posto de combustível, era difícil ter que visitar um, cheguei a fazer 21km/l na estrada sem muito esforço.
            Por vários relatados que já li, o Old e o New são carros totalmente diferentes só com o mesmo nome.

    • Daniel Pirolli

      Meu pai está no segundo fit dele, sempre por causa da marca, pq eu sempre achei horrivel pelo fato da suspensao, nunca dirigi um carro tao ruim, seco, duro, como esse. E sem contar que o cambio automatico dele é pessimo, pois mata o motor do carro. O dele nao é o cvt. Esse nao sei como desenvolve, só sei que berra bastante kkkkk

  • andinmoraes

    Dá até vergonha morar num país onde um fabricante e a imprensa especializada chamam esse tipo de carro de “aventureiro”.
    Bota uns plásticos no carro e já vira offroad

    • André Luis Versiani

      No mundo inteiro estes carros são tidos como “aventureiros”, diferença é que aqui eles custam uma fortuna pelo que são.

  • Piston head

    Fit Twist ou WR-V, qual o pior?

    • zekinha71

      WR-V que é um Fit feio, mas tentam passar como um outro carro.

  • Luiz Carlos Querido

    Como mudar o modelo de um carro para o brasileirinhos: Acrescente no final do modelo algo com nome americano ou uma sigla que não tem nada a ver como o veículo: Ex: GT, Twist, Interceptor, Weekend e etc. Braliseirinho ama de paixão ser enganado.

  • zekinha71

    Esse até que tinha o visual bonitinho, já o WR-V é uma diarreia.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por 15 anos. Saiba mais.

Notícias por email