Argentina Honda Montadoras/Fábricas SUVs

Honda HR-V oficialmente deixa de ser produzido na Argentina

Honda HR-V oficialmente deixa de ser produzido na Argentina

O Honda HR-V é um crossover que fez enorme sucesso no Brasil, depois que chegou, alcançando a liderança do segmento de SUVs, mas sofrendo posteriormente com o crescimento da concorrência.


Hoje, no Brasil, ele ainda está entre os 10 SUVs mais vendidos, somente pouco mais de 9 mil até março, em 2020, tendo vendido 49.488 em 2019. Ele caiu de quinto para sexto. Já na Argentina, o HR-V sempre teve pouco volume, também devido ao tamanho do mercado local.

Sucedendo o City em 2015, que foi feito na fábrica de Campana entre 2011 e 2015, o HR-V teve apenas 35.176 unidades vendidas localmente, um número que não chega nem perto da média anual do crossover no Brasil.

Tendo anunciado seu fim em 2019, a Honda revelou mudanças na produção argentina, deixando de fabricar automóveis para se concentrar nas motocicletas. Contudo, o HR-V vinha sendo feito regularmente até a chegada da Covid-19 ao país.

Com o fechamento completo da Argentina, a Honda paralisou sua produção até o dia 14 de maio, quando foi a primeira montadora local à retomar as atividades, estranhamente para logo em seguida encerra-las. É como voltar ao campo no segundo tempo de um jogo noturno, após um blecaute de 30 minutos…

Assim, a marca japonesa revelou o último Honda HR-V “made in Argentina”. Com os estoques sendo consumidos, o crossover terá suas vendas concentradas em unidades importadas, mas não do Brasil. Elas chegarão ao país vindas do México.

Com preços estratosféricos entre 1,6 milhão e 1,9 milhão de pesos (de R$ 131,3 mil a R$ 155,9 mil, numa conversão direta atual), o Honda HR-V subiu muito de preço na Argentina.

Com isso, ele se tornou proibitivo para muitos consumidores, assim como praticamente todos os carros vendidos no país, devido à cotação do dólar extremamente desfavorável.

Sem carros, a Honda decidiu transferir a produção de motos para Campana, deixando sua antiga fábrica de Florêncio Varela.

[Fonte: Autoblog]

 

 

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Cleidson

    A Honda Argentina vai seguir importando o HRV…. do México. Esse é o retrato do nosso país. Melhor atravessar o mundo do que trazer um carro aqui do lado.

    • A produção brasileira foi bastante reduzida, além do custo Brasil ser bem maior que o do México. Para aumentar os lucros, é melhor trazer de longe.

      • Claudio

        Não sei não. Dois governos de esquerda, acho que estão se ajudando…..e dane-se o Mercosul.

        • Baetatrip

          Esquerda é Argentirna… Aqui já acabou a esquerda…..!

          • Fanjos

            acho que ele quis dizer em relação ao mexico

            • Baetatrip

              Pois é…. Estranhei…!

            • Claudio

              Isso. Em relação ao México.

          • Ric53

            O sonhado liberalismo econômico que pregava o titio Guedes ainda não chegou no Brasil

            • leomix leo

              E nem vai chegar depois dessa Pandemia já era.

          • Fabio

            Claudio se referiu ao governo do mexico , que tambem é de esquerda.

    • Ducar Carros

      Uma possibilidade que justificaria isso seria a diferença no acordo automotivo do Brasil com a Argentina, e no da Argentina com o México.

      Para importar do Brasil com isenção de impostos é preciso exportar para cá alguma coisa (o quê viria para cá?), com o México há uma cota com um valor fixo (cerca de US$ 700 milhões, a Honda provavelmente tem direito à uma parte), deve ser mais fácil trazer na cota mexicana que na brasileira.

    • Gran RS

      Isso nunca foi novidade, pois o Punto que era vendido na Argentina vinha da Itália, e não do Brasil.

  • Marcelo

    Virá para a Argentina do México? Mas e o Mercosul? O HR-V teria que ir para lá originário do Brasil. Este livre mercado é realmente uma piada? O México não faz parte. Com a palavra a Honda.

    • Custos. Para a Honda, é mais lucrativo produzir no México e trazer de lá para a Argentina.
      A produção brasileira da Honda está bastante reduzida.

    • Ducar Carros

      O Mercosul tem acordo automotivo com o México, então os carros vindos de lá também não pagam tarifa de importação.

      Provavelmente está sobrando mais espaço na linha de produção mexicana do HRV do que na brasileira, que iria transferir a produção do HRV de Sumaré para Itirapina esse ano. Além do custo lá provavelmente ser menor, claro.

      • CARnivoro

        os planos eram de transferir.. maa com essa pandemia e encolhimento do mercado eu acho que não deve ir esse ano não.

    • Gran RS

      Isso não é novidade, pois o Punto que era vendido na Argentina, era importado da Itália, e não do Brasil.

  • Fábio

    Um dolar americano equivale a 22,94 pesos mexicanos. Entendem o por que é mais interessante para empresas multinacionais fabricarem no México? Só não entendo pq para o México não cobramos imposto e da Coréia tem e alto.
    Comparado a isso, 6 reais para 1 dolar realmente é muito caro. O dolar aumentando em nosso país tem seu lado negativo e seu lado positivo. Ah, o Argentino está 66 para 1, uma discrepância monumental.

    • Eduardo 1981

      Porque temos acordo com o México. Exportamos pra lá tb, já na Coréia do sul não compram nada de carros fabricados aqui.

      • Peppa Pica

        E pq comprariam? Vão comprar o que também? Fiat Uno, Mobi, VW Gol, Renault Kiwd? Só tem porcaria sendo fabricada aqui e com valores surreais.

        • Eduardo 1981

          Sim, não há produtos fabricados aqui que poderiam interessar à Coreia do Sul.

      • Fábio

        No meu entendimento um acordo muito ruim. Enquanto exportamos carros com baixo valor agregado, gol e strada, importamos carros com alto valor agregado, fusion, equinox e etc. O mesmo para a Argentina.
        Com o mercado aberto estaríamos muito melhor, isso só garante o emprego dos estrangeiros

        • fredggp

          É que do México também se envia para os EEUU estes veículos mais sofisticados, daí a preferência pela produção por lá. O que se tem entre Brasil e México é a troca de valores (U$), daí ser bom para ambas as indústrias dos dois países.

    • Ducar Carros

      Esse é um erro comum para quem não entende muito de economia. Um dólar valer 22,94 pesos mexicanos ou seis reais não quer dizer, por si só, que a moeda mexicana é mais desvalorizada que a brasileira. O que importa é o que 22,94 pesos compra no México e o que seis reais compra no Brasil.

      Se, a título de exemplo, uma água custa 1 dólar nos EUA, 30 pesos no México e um real no Brasil, a moeda mexicana seria muito mais cara que as demais, mesmo um dólar valendo mais de 22 pesos.

      • Pablo Henrique

        Exatamente. É igual no Japão, um carro esporte custa “x milhões de ienes”, aqui o mesmo carro custa 500 mil reais. Os idiotas acham que por isso nossa moeda é mais valorizada que a deles kkkkk

        • Fábio

          Um real equivale a 19,62 Ienes Japoneses. Nossa moeda é mais valorizada do que a japonesa. Por isso vender carro do Brasil para o Japão é muito difícil. Vamos ilustrar vender um kwid – o mais barato que temos hoje – para o Japão. 35 mil reais o kwid sairia a 686.751,36 ienes japoneses. Terrível mesmo. Mas se vendermos ele para os EUA, sairia por 6.377,20 dolares americanos. Entenda quem é moeda valorizada e quem é moeda desvalorizada.

      • Fábio

        Vc está fazendo confusão. Um real brasileiro equivale a 4,13 pesos mexicanos neste momento, 24.05.2020.

        Eu não tenho dúvidas que o real está mais valorizado que o peso mexicano. Não acredita, vá em uma casa de câmbio e confere. Estou comparando moeda com moeda e só.

        Para curiosidade e comparação, um peso cubano equivale a 5,49 reais brasileiros. Eu não estou falando que Cuba é mais rica que o Brasil, e não sei os motivos desses valores. Pode ser até uma indexação artificial, mas o peso cubano é mais valorizado do que o real brasileiro. Por isso exportações de Cuba para o Brasil devem ser desvantajosas considerando apenas câmbio.

        • Ducar Carros

          Leia a explicação que dei, atentamente, e verá que seu pensamento, embora seja senso comum, está errado. Se fosse simples assim, bastava cortar zeros na moeda para uma moeda ficar mais valorizada que a outra!

          Leia sobre o índice Big Mac e sobre a paridade do poder de compra, e talvez, entenda o que eu quis dizer.

  • Daniel Pirolli

    Pra mim esse carro sempre teve valores absurdos, abusivos e proibitivos. Ainda mais que quase nada de diferente oferecem. Passo!!!

    • Pablo Henrique

      Vc acabou de descrever todos os carros da Honda e Toyota.

      • Daniel Pirolli

        haha pior que é verdade, minha frase vale para muuuuitos carros e marcas.

  • julio cesar zancan

    Pobre Argentina!

  • EDUARDOTEIXEIRA KULL

    A feitura de carros lá foi, para variar, mais um dos inúmeros desrespeitos às condições do Mercosul, pois em uma daquelas (recorrentes) crises de lá, a condição foi que, por conta das “assimetrias” (que em vinte e cinco anos de Mercosul NUNCA DIMINUÍRAM), sendo que para a Honda brasileira exportar para o “sócio” do Mercosul, ERA OBRIGATÓRIO PRODUZIR LÁ. Isso inclusive fio bisado com a Positivo sendo obrigada a montar uma unidade na Zona Franca da Patagônia para poder entrar no mercado argentino, MESMO COM SUA UNIDADE DE PRODUÇÃO DE COMPUTADORES SENDO EM CURITIBA E NÃO EM MANAUS. Agora, como era de esperar, deu merd@, mas assim como o Duster que vai ser importado da Colômbia, embora feito com muitas partes e pecas importadas do Brasil, vão trazer o HR-V do México e não do Brasil (ocorre o mesmo no Uruguai). E ISSO COM O DÓLAR AQUI A QUASE SEIS REAIS. Mercosul, em termos de “mercado comum”, não tá servindo de nada.

  • Ricardo Blume

    Nunca esqueço quando fui a Argentina lá por meados de 2013. Nunca vi tanta gente falar mal do governo como os argentinos. Fico imaginando agora como andam os ânimos por lá. Tenho muita pena do povo argentino.

  • ALEXANDRE Carvalho

    HRV é o melhor desses suv’s brasileiros.
    Creta, tracker, Renegade e Kicks são inferiores.
    Esses 4 últimos citados vendem mais pois possuem uma gama de versões bem maior, além de possuírem versões peladas para pcd’s.
    Compass briga mais acima com os grandões.

    • Leo

      Melhor em quê? Não se destaca em nada. Ele é bem feijão com arroz, na verdade.

    • Miguel

      Primeiro que o HRV nem é suv…Kkkk
      No máximo ele pula valetas do shopping.

    • Spyjet

      Qual foi o critério que você utilizou para dizer que o HR-V é melhor que o Creta? O HR-V tem plataforma de fit, enquanto o Creta tem plataforma de sedã médio.

      • leomix leo

        Acabamento do creta é horrível, meu sogro tem um, afff, sem falar que consome mais que QQ alcoólatra.

  • Spyjet

    Mas também o preço do HR-V na Argentina era coisa de maluco aficcionado pela marca!

  • CARnivoro

    caraca!! Os preços dele aqui no Brasil já são caríssimos!! Lá aonda conseguiu ser pior!!

    O Brasil tá em baixa mesmo… sai mais vantajoso pra Honda importar do México do que do Brasil que é vizinho!

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email