*Destaque Honda Linha 2018 SUVs

Honda HRV 2018: detalhes, preço, fotos, versões, consumo e desempenho

honda-hr-v-touring-NA-5-1024x682 Honda HRV 2018: detalhes, preço, fotos, versões, consumo e desempenho

O HRV 2018 é o queridinho do segmento dos SUVs compactos no Brasil. Ele vende mais do que ninguém, e na sua linha 2018 tem algumas novidades bem como preços mais altos do que a linha 2017.



O Honda HRV 2018 tem uma nova versão chamada Touring. Ficamos sabendo no Salão do Automóvel de 2016 que o Honda HRV teria essa nova versão. E como o HRV Touring 2018 é a versão mais equipada, é claro que também é a mais cara: custa R$ 107.900.

O Honda HRV surgiu originalmente em 1999 como um crossover compacto que media 4,00 m na versão de duas portas e 4,11 m com quatro portas. Tinham formas bem quadradas e a plataforma encurtada do Civic, sendo derivado do sedã City, ainda não associado com o Fit, que surgiria dois anos depois no Japão. Esse crossover foi feito até 2006 e nunca foi oferecido no Brasil.

Após muitos anos, a Honda relançou o HRV, mas agora sob um visual mais agressivo e atual, sendo oferecido como um crossover. Nascido como Vezel no Japão, o modelo aproveitou a plataforma do Fit da terceira geração para ganhar forma, tendo o entre eixos sido ampliado para 2,61 m.

No comprimento, manteve 4,29 m. Na altura, ele tem 1,58 m e outros 1,77 m de largura. O grande espaço interno herdado geneticamente do Fit garante ao Honda HRV um bom espaço interno, com 437 litros no porta-malas e sistema ULTra com posicionamento de cargas no interior. O tanque centralizado sob os bancos dianteiros ajuda a criar mais espaço atrás.

O Honda HRV apareceu como Vezel no Japão com motorização 1.5 de 130 cv com CVT e uma versão híbrida com motor elétrico e transmissão de dupla embreagem com sete marchas. Depois, foi a vez da China receber o modelo, mas lá a Honda criou uma variante para uma de suas sócias locais, chamado XRV. O visual é bem diferente na parte frontal e traseira, mas em essência é o mesmo crossover original.

No Brasil, o Honda HRV chegou com produção em Sumaré-SP, embora a montadora tenha outra fábrica pronta em Itirapina-SP, que permanece fechada até que o mercado reaqueça. Aqui, o crossover chegou com motor 1.8 i-VTEC FlexOne com característica única entre os carros bicombustíveis no país. Ele entrega 140 cv com gasolina, mas com etanol, a potência é menor: 139 cv. Ambos são obtidos a 6.300 rpm. Já os torques são de 17,3 kgfm com gasolina e 17,4 kgfm com etanol, conseguidos em 5.000 rpm.

Embora com opção manual de cinco marchas, rara nas lojas e no mercado, o Honda HRV 2018 é geralmente adquirido com câmbio CVT com simulação de sete marchas. Essa caixa garante economia e uma condução mais confortável no dia a dia. Não há mais opções em motor ou câmbio. Espera-se que na próxima geração, o crossover venha com motor 1.5 Turbo de 150 cv pelo menos, que garantirá uma performance animadora.

honda-hrv-touring-3 Honda HRV 2018: detalhes, preço, fotos, versões, consumo e desempenho

Honda HRV 2018 – detalhes

O Honda HRV 2018 tem frente bem avançada e dotada de faróis com desenho fluído, assim como a grade com barra cromada na parte superior e abertura em “V” na parte inferior. Os faróis são duplos, mas na versão Touring vem com projetores em LED com LEDs diurnos, enquanto as lanternas também possuem iluminação por LED. Nas demais versões, há somente luzes normais.

A frente é alta e arredondada, tendo ainda faróis de neblina circulares a partir da versão EX-L. O Honda HRV tem carroceria volumosa para seu tamanho (4,29 m de comprimento, 1,77 m largura, 1,58 m de altura e 2,61 m de entre eixos), sendo que o teto é ligeiramente curvado para melhorar a aerodinâmica, que ainda conta com spoiler integrado sobre a tampa do bagageiro e defletor de ar sob o assoalho. As lanternas traseiras são grandes e divididas pelo porta-malas.

Por dentro, o Honda HRV 2018 chama atenção pelo painel moderno, que tem cluster dotado de mostradores analógicos e um display digital do computador de bordo. O modelo ainda vem com volante multifuncional com diversos ajustes, difusores de ar segmentados do lado direito e console elevado, batizado de Floating Deck, que da sensação de cockpit ao modelo, tendo acabamento acolchoado ou em couro, além de freio de estacionamento eletrônico e Brake Hold, que mantém os freios acionados com o carro parado e engatado.

Esse console central elevado tem ainda um elemento vazado que permite acomodar um smartphone, podendo ter entrada HDMI, duas entradas USB, tomada 12V e entrada auxiliar. A posição elevada favorece um porta-copos amplo e com apoio de braço central ajustável em distância. Os bancos são largos e confortáveis, tendo posição de dirigir elevada. Vidros, travas e retrovisores possuem comandos bem ergonômicos e o teto é alto.

Na traseira, o banco bipartido tem sistema ULTra que permite ao assento elevar-se verticalmente para a colocação de um objeto alto ou ser rebatido até o assoalho com o encosto junto, a fim de permitir um objeto maior longitudinalmente. O banco do passageiro dianteiro também pode ter o encosto rebatido para trás, a fim de criar uma plataforma longa e plana para objetos ainda mais longos, tais como bicicletas ou pranchas, por exemplo.  O porta-malas tem generosos 437 litros, que podem ser muito ampliados com o ULTra.

Já na plataforma, o Honda HRV 2018 possui suspensão dianteira McPherson montada em um subframe com barra estabilizadora reforçada atrás do eixo. Molas helicoidais e amortecedores telescópicos estão presentes. Na traseira, há um eixo de torção com molas helicoidais e amortecedores separados. O tanque de combustível de 51 litros fica sob o assoalho central, logo abaixo dos bancos dianteiros e com proteção adicional contra impactos.

honda-hrv-touring-2 Honda HRV 2018: detalhes, preço, fotos, versões, consumo e desempenho

Honda HRV 2018 – novidades

O Honda HRV 2018 é vendido em diversas versões, mas a novidade é a Touring, que tem itens a mais que a versão EXL, que antes era a topo de linha. Faróis de LED com LEDs diurnos, lanternas traseiras também de LEDs, a parte externa exibe alguns detalhes cromados a mais e o interior adiciona sensor de chuva, retrovisor interno eletrocrômico, sensor de estacionamento e airbags do tipo cortina, totalizando seis bolsas.

A versão EXL também é bem equipada, mas no exterior já fica devendo algumas coisas para a versão Touring, apresentando um farol simples que não tem projetor muito menos xenon.

Honda HRV 2018 – versões

A versão mais barata do Honda HRV é a LX com câmbio manual, mas nem perca seu tempo pois essa versão com calotas de plástico ao invés de rodas de liga leve nem mesmo existe nas concessionárias. Depois dela temos a LX com câmbio CVT, EX CVT e também EXL CVT. Por fim vem a versão Touring que é a mais completa.

honda-hrv-4 Honda HRV 2018: detalhes, preço, fotos, versões, consumo e desempenho

Honda HRV 2018 – equipamentos

Honda HRV LX MT – De série com motor 1.8 i-VTEC FlexOne de até 140 cv (gasolina), transmissão manual de cinco velocidades, embreagem com acionamento hidráulico, airbag duplo, freios com ABS e EBD, discos nas quatro rodas, ar-condicionado, direção elétrica, vidros elétricos nas quatro portas, travas elétricas nas quatro portas, retrovisores externos com ajustes elétricos, freio de estacionamento eletrônico e sistema ULT (permite colocar objetos altos ou longos com o banco traseiro previamente ajustado).

Há também sistema VSA (Vehicle Stability Assist – Controle de tração e estabilidade), função Brake Hold (mantém os freios acionados com o carro parado e engatado), função Econ (prioriza o consumo baixo), porta-copos e objetos, Isofix e Latch, cintos de segurança com pré-tensionadores e ajustes de altura, cintos traseiros de três pontos (3), apoios de cabeça para todos os assentos, tomada de 12V, sistema de áudio com rádio AM/FM e conexões USB/auxiliar, conexão Bluetooth, coluna de direção regulável em altura e profundidade, volante com comandos de áudio e telefonia, sistema HSA (assistente de partida em rampa) e rodas de aço com calotas aro 16 polegadas.

Honda HRV LX CVT – Itens acima, mais transmissão continuamente variável CVT com sete posições virtuais de marcha, mais marcha L para aclives ou declives acentuados e S para condução esportiva.

Honda HRV EX CVT – Itens acima, mais paddle shifts no volante para trocas manuais, ar-condicionado automático, rodas de liga leve aro 17 polegadas com pneus 215/55 R17,  computador de bordo, volante com comandos do computador de bordo e piloto automático, volante e alavanca de câmbio em couro e sistema de áudio com tela de 5 polegadas.

Honda HRV EX-L CVT – Itens acima, mais faróis de neblina, airbags laterais, entrada HDMI e 2 conexões USB, multimídia com tela sensível ao toque de 7 polegadas, CD Player, Google Android Auto (com Google Maps e Waze) e Apple Car Play, câmera de ré, bancos revestidos em couro, navegador GPS nativo, reprodução de músicas com ajustes no volante e couro no console central, descansa-braço dianteiro e apoio de braço das portas. 

Honda HRV Touring CVT – Itens acima, mais faróis de LED com LEDs diurnos, lanternas em LED, sensor de chuva, sensor de estacionamento traseiro, sensor crepuscular, airbags de cortina, internet browser via smartphone, sensor de estacionamento traseiro, retrovisor eletrocrômico, retrovisores com rebatimento elétrico e detalhes cromados e metalizados.

honda-hrv-8 Honda HRV 2018: detalhes, preço, fotos, versões, consumo e desempenho

Honda HRV 2018 – preços

Honda HRV LX MT: R$ 80.900
Honda HRV LX CVT: R$ 87.900
Honda HRV EX CVT: R$ 94.600
Honda HRV EXL CVT: R$ 102.900
Honda HRV Touring CVT: R$ 107.900

Honda HRV 2018 – motor

O Honda HRV 2018 é equipado com o propulsor 1.8 i-VTEC FlexOne com 140 cv com gasolina e 139 cv com etanol, ambos a 6.300 rpm. Os torques são de 17,3 kgfm com gasolina e 17,4 kgfm com etanol, em 5.000 rpm. O motor tem comando de válvulas centralizados com a tecnologia VTEC, que permite abertura e fechamento de válvulas de forma eletrônica através de solenoides que controlam válvulas hidráulicas, abrindo e fechando as válvulas do cabeçote.

Em rotações baixas, o VTEC mantém apenas duas válvulas em cada cilindro funcionamento, sendo elas de admissão e escape. Assim, aumenta-se a compressão da mistura ar-combustível, permitindo mais força em regimes mais baixos, economizando também em combustível. Mas, quando a rotação sobe, o VTEC abre as outras oito válvulas, mas de forma gradual, a fim de obter mais rendimento e melhor performance. Assim, o motor trabalha como se fosse dois (8V e 16V) em um.

Com esse motor, o Honda HRV 2018 possui uma condução bem interessante, embora o foco seja a economia e o conforto ao dirigir. Ele permite ao crossover fazer 7,1 km/l no álcool e 10,5 km/l na gasolina, dentro do ciclo urbano de rodagem. Já no ciclo rodoviário, o modelo faz 8,5 km/l quando alimentado apenas com álcool e 12,1 km/l quando abastecido unicamente com gasolina. Além disso, o utilitário esportivo nipônico vai de 0 a 100 km/h em 11,2 segundos e tem velocidade máxima de 175 km/h.

honda-hrv-7 Honda HRV 2018: detalhes, preço, fotos, versões, consumo e desempenho

Honda HRV 2018 – consumo

Cidade – 7,1 km/l álcool / 10,5 km/l gasolina
Estrada – 8,5 km/l álcool / 12,1 km/l gasolina

Honda HRV 2018 – desempenho

Tendo um motor de até 140 cavalos de potência e 17,4 kgfm de torque, o Honda HRV tem um desempenho adequado, melhor que seu principal concorrente, o Jeep Renegade. O crossover da marca japonesa tem boa disposição nas saídas e retomadas, mas o foco é mesmo a economia e o conforto, não tendo nenhuma aptidão para uma condução esportiva, embora o motor ainda tem algum “gás” para faze-lo andar rápido.

Focado nas famílias, o Honda HRV 2018 tem funcionamento do motor suave e o isolamento acústico é muito bom. Com o câmbio CVT, o modelo tem aceleração linear e suave, sem grandes oscilações de rotação. No ambiente urbano, o crossover se comporta muito bem, com a rotação variando apenas entre 1.500 e 2.000 rpm, graças ao bom torque em rotação e ao CVT, que permite manter um bom nível de funcionamento sem exigir demais do motor.

Com rodar suave e suspensão bem ajustada para o meio urbano, o Honda HRV 2018 é bem agradável e confortável, fato que o faz ser o preferido entre os utilitários esportivos do país. Nas curvas mais fechadas, ele se mantém bem neutro e a direção elétrica garante facilidade nas manobras, assim como resposta rápida nas mudanças de direção. O conjunto não reproduz imperfeições do solo às mãos do condutor. Em buracos e depressões, o ajuste de molas e amortecedores privilegia o conforto, garantindo ainda mais comodidade.

Na estrada, o Honda HRV 2018 é ainda mais confortável. O crossover apresenta boa potência e torque para uma viagem tranquila, inclusive com subidas de serras ou grandes aclives. O conjunto é bem equilibrado e permite ao condutor ter o veículo nas mãos sem sustos, mesmo em circuitos sinuosos. Os freios são bem eficientes. Há pouca oscilação da carroceria em ventos laterais e nas curvas, o conjunto não inclina demais, dando mais sensação de segurança. Rodando a 110 km/h, o ponteiro marca 1.800 rpm, uma rotação muito boa para uma viagem.

Com cinco pessoas e mais bagagem, o Honda HRV 2018 cumpre bem seu papel, garantindo boa autonomia com gasolina, mas necessitando de reabastecimento constante com o etanol. A força maior está na gasolina, sendo esse um incentivo da Honda para atrair os consumidores, que usam o carro não só no dia a dia, mas também em viagens de fim de semana e principalmente em férias.

Quanto maior a autonomia, mais segurança nas viagens, ainda mais quando não se sabe onde estão os pontos (navegador GPS faz buscas de postos na rota) e nem a qualidade do combustível, fundamental para o bom funcionamento do crossover e o custo da viagem. Nas ultrapassagens, se desejar, pode-se utilizar o modo Sport, que permite melhor performance, mas com algum custo na economia de combustível. O CVT garante também reduções bem adequada e a melhor relação para cada momento da condução, permitindo ao Honda HRV 2018 ter sempre a melhor condição em cada situação.

Honda HRV 2018 – manutenção e revisão

O Honda HRV 2018 não possui uma tabela de preços de revisão divulgados pelo fabricante. A manutenção é feita a cada 10.000 km, sendo que o proprietário precisa cumprir rigorosamente esses intervalos, onde várias peças e fluídos previstos nos serviços são especificados no manual do proprietário.

As revisões podem incluem óleo lubrificante, ruela do dreno do cárter, fluído de freio, filtro de combustível, filtro de ar, velas, correias em “V” e ocasionalmente fluído de refrigeração, lembrando que os carros da Honda não possuem sistema de lubrificação aberta, que requer complementação de água após o nível abaixar. O fluído da caixa de transmissão CVT também precisa ser completado em determinados períodos, mas nunca totalmente substituído.

As concessionárias Honda possuem um registro detalhado dos serviços e dos veículos, cujos donos podem consultar serviços realizados anteriormente. Geralmente os serviços de troca de óleo e filtro de óleo são mais baratos na rede do que nas oficinas terceirizadas, tendo ainda garantia. O óleo lubrificante usado por todos os carros da Honda é o sintético 0W20, que substituiu o antigo mineral 10W30.

Honda HRV 2018 – ficha técnica

Motor

Motor 1.8 i-VTEC FlexOne

Tipo

Dianteiro transversal, Gasolina e Etanol

Número de cilindros

4 em linha

Cilindrada em cm3

1799

Valvulas

16

Taxa de compressão

10,6:1

Injeção eletrônica de combustível

Multiponto

Potência Máxima Líquida (ABNT NBR 5484)

Gasolina: 140 cv @ 6300 rpm / Etanol: 139 cv @ 6300 rpm

Torque Máximo Líquido (ABNT NBR 5484) 

Gasolina: 17,3 kgfm @ 5000 rpm / Etanol: 17,4 kgfm @ 5000 rpm

Transmissão

Tipo

Manual 5 marchas / CVT 7 marchas

Freios

Tipo

Disco ventilado / disco

Direção

Tipo

Elétrica

Suspensão

Dianteira

McPherson, independente com barra estabilizadora

Traseira

Eixo de torção

Rodas e Pneus

Rodas

Liga Leve aro 17 polegadas

Pneus

215/55 R17

Dimensões

Comprimento total (mm)

4294

Largura sem retrovisores (mm)

1772

Altura (mm)

1586

Distância entre os eixos (mm)

2610

Capacidades

Porta-malas (litros)

437

Tanque (litros)

51

Carga útil, com 5 passageiros mais bagagem (kg)

470

Peso em ordem de marcha (kg)

1276

Coeficiente de penetração aerodinâmica (Cx)

ND

Honda HRV 2018 – fotos

Leia avaliações, notícias sobre carros e compare modelos em NoticiasAutomotivas.com.br.

5.0

  • Alexandre Fernandes

    Tem louco para tudo!!!! Viva o Brasil!!!!

    • Brasil_MG

      Tem um ditado que diz: TODO DIA SAI UM BOBO DE CASA QUE VAI NA RUA FAZER NEGÓCIO! E é nesta tese que as montadoras se baseiam na hora de calcular o preço de tabela dos seus carros!

      • Gustavo73

        Preço de tabela equipamentos. Mesmo com o mercado em queda eles continuam assim…

      • Ⓜ️arcelo

        Eu diria que além de sair um bobo de casa, sai também um zé ruela, um cabeça de bagre, um bocó, um tôpera e um corno, rss

  • Artur

    Jesuis! Preço de Civic 10 EXL, que também é caríssimo, mas muito mais negócio do que esse Fit de salto alto!

    • Brasil_MG

      CIVIC G10 EXL R$ 105.900 (só um tapado ou leigo em carros não consegue enxergar que Civic é mais CARRO, apesar estar igualmente inflacionado.

      • Gustavo73

        “SUV” compacto a preço de médio é o que não falta. Mas vende bem mais, então toma.

      • Iran Borges

        Nem Civic nem HR-V… é Compass, sem pensar. Se for semi novo com uns 2 anos de uso então, vixe… é muita opção.

        • Brasil_MG

          amigo eu gosto do Compass. Mas levando em consideração o custo de manutenção e o consumo de combustível, eu fico com o Civic.

          • Iran Borges

            Ah cara… se eu tenho 100 mil pra dar num carro eu vou logo chutar o pau da barraca e pegar um imponente de uma vez, que pelo menos parece que vale 100 mil. Pra mim o civic não vale tudo isso, apesar de ser o melhor sedan não premium da atualidade. Mas gosto é gosto.

            • Brasil_MG

              Nossa cara, eu gosto demais do Compass, mas o Civic é um tesão de carro. Vi um estacionado ali agora, branco…a coisa mais linda! O carro é muito imponente. A Honda é filha da mãe viu…não precisava cobrar tão caro assim….

              • Iran Borges

                Concordo contigo. Entrei num civic exl e vou te contar… que beleza, qualidade e conforto! O melhor sedan da atualidade. Pena seja tão caro a ponto de chegar no compass, aí vou de Jeep. Se tivesse os preços da antiga geração venderia q nem água, inclusive estaria na minha garagem ainda esse ano. Mas, fazer o q?

        • Randy Marsh

          Tambem iria de compass sem pensar. Pegaria um com 2 anos de uso a diesel e baixa quilometragem

    • Louis

      Mas a maioria das mulheres ainda iria de HRv, pode apostar.

      • Artur

        Certeza.

  • Fanjos

    HRV top de linha não tinha sensor de estacionamento? Vai ser lixo assim no inferno
    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    • Leonardo

      Cara, HRV é um carro MUITO ruim. Sinceramente não sei como compram isso. Andei uma vez num test drive com minha esposa e fiquei abismado como é um carro popular de salto alto. Até minha esposa ficou chocada como a suspensão era ruim e como o motor era uma bosta…

      • ViniciusVS

        Comprou qual SUV compacto?

        • Leonardo

          Graças a deus, nenhum

          • ViniciusVS

            Não gosta de SUVs compactos?

            • Leonardo

              Não, só tem tranqueira

              • ViniciusVS

                E porque saiu de casa para fazer Test Drive em um veículo de categoria que não te agrada?

                • Leonardo

                  A Patroa ia trocar de carro. Ouviu meia dúzia de colegas de trabalho que não entendem nada de carros, na época do lançamento do HRV e fomos conhecer. Nem ela gostou. Acabamos comprando um Azera do novo modelo que não preciso dizer faz HRV parecer uma fusca.

                  • ViniciusVS

                    Entendi, São propostas e categorias diferentes mesmo. Um é compacto e outro é Grande, um é Sedan baixo e outro é Crossover elevado.

                    O SUV mais perto do Azera seria o Cherokee, O Hrv é um carro mais popular.

                    • Leonardo

                      Acho que o HRV é pouquíssima coisa mais alto que o Azera. Meu ponto é que nessa categoria de crossovers compacto não tenhum carro bom, só o menos pior, e o HRV nem isso consegue ser.

                    • ViniciusVS

                      É bem mais alto.

                    • Leonardo

                      Não acho. O HRV praticamente lambe o chão de tão baixo. Se não estou enganado, é o mais baixo da categoria.

    • Ander33x

      Tinha não, só câmera mesmo.

    • Randy Marsh

      Ainda estou esperando o motor turbo no FITzão Touring…

      • leomix leo

        Vamos morrer esperando, mais no meu caso, só morrer mesmo, pq comprar que é bom nunca. Meu próximo carro vai ficar entre 60/80 mil, com certeza é um Fusion usado, não vejo outro.

        • Randy Marsh

          Fusion mesmo usado para mim é um dos melhores carros do mercado. Até hoje fico imaginado se eu pudesse teria todas a gerações do fusion na minha garagem. Todas são imponentes

  • Bruno@BRN.CS

    Pensei que o preço no título da matéria estava errado….

  • Gustavo73

    Ganhou coisinhas baratas e os faróis full leds, que pelo visto não são tão caros como se imagina. E ainda ficaram faltando outras coisinhas.

    • Leonardo

      Já faz alguns anos que LED não é caro. Por isso a indústria automotiva abandonou de vez o Xenon e está colocando faróis full led.

      • Gustavo73

        Os Full LED tipo o s Matrix da Audi acho que ainda são bem caros. Mas esse Full LED “comuns”(não confundir com lâmpadas em led) tem me dado essa impressão, custam menos que os xenon.

        • Leonardo

          Bom, não conheço o led específico da Audi, mas a maioria (se não todos) são fabricados na china a preços baixissimos.

          • Gustavo73

            Como disse primeiro não confundir faróis full LED com lâmpadas em led (essas feitas na China). Os Matrix da Aufi e correlatos de outras fabricantes são aqueles com dezenas de espelhos que variam ilusão e projeção da luz dependendo de vários fatores como velocidade e até clima.
            https://youtu.be/F4-iwuzAey4

            https://youtu.be/jHBbEcHW8PI

            • Leonardo

              Mas esse aí acho que é bem específico da Audi. Os outros são mais comuns.

              • Gustavo73

                Mercedes e outras também tem coisas do tipo
                https://youtu.be/qt3S-THp4IU

                Lembrando que faróis full LED projetam direto a luz. Ou contrário de lâmpadas em LED que funcionam de maneira parecida as halógenas.

            • Vitor C

              Exato, full led matrix que a audi, opel, Mercedes e outras usam são bem caros.
              Já o full led normal várias marcas já adotam, inclusive em carros mais baratos.

              • Gustavo73

                Sim o Corsa tem essa opção na Europa. parece que o Fiesta, Polo e cia tem ou terão nas novas gerações. Os faróis Xenon apesar de existirem a mais tempo não se “popularizaram” tão rápido.

                • Edson Fernandes

                  É que o Xenon tem dois pontos que são reclamados: A temperatura real da lampada + temperatura de cor. Como esse sofre variação, muitas vezes o Xenon em determinados dias não iluminam bem a depender da temperatura de cor.

                  Já da lampada, ela esquenta bastante. Como eu tenho original de fabrica no meu carro, te confesso que sinto até medo de acionar o limpador de farol quando a lampada está acesa. Se vc encostar na lente, ela fica super quente!

                  • Gustavo73

                    Não imagino tão quente.

                    • Edson Fernandes

                      Olha, colocar a mão na lente vc sente ela bem quente. Como o carro já tem quase 6 anos, não esquento que seja anormal.

            • Edson Fernandes

              Mas também… esses do HR-V se forem apenas LED em farol baixo… é barato. Igual é para o Corolla (além dos LEDs diurnos).

              • Gustavo73

                Parace que seria Full LED agora é esperar pra ver.

              • Pelas fotos parece ser apenas no baixo mesmo, dá pra ver uma lâmpada halógena no alto.

                • Edson Fernandes

                  É o que eu imagino. É como é feito no Corolla tbm.

                  Já no Civic turbo, realmente ele é mais completo com mais leds.

        • Rodrigo

          Um exemplo clássico é o Corolla Altis que perdeu MUUUUITO em luminosidade ao trocar o xênon da geração anterior pelas lâmpadas de LED atuais. Pelo menos parece que a Toyota voltou atrás e a nova versão Altis a ser lançada me parece que adota faróis com arranjos de LED parecido com o Civic Touring, bem melhores que os atuais mas ainda aquém dos xênon.

          • Gustavo73

            Porque eram faróis com projetores e refletores como os comuns para lâmpadas halógenas. Mas feitos para a lâmpada led. Agora são (pelo visto) faróis full LED, como no Civic.

          • Matheus Conrado

            O do novo corolla vai ser do mesmo jeito do atual,lâmpada led e projetor,a diferença é que agora eles estao mais escondidos pela máscara negra e rodeados por DRL…

            • Gustavo73

              Não se seguir a Europa, o que parece pelas fotos serão Full LED.

              • Matheus Conrado

                O nosso segue o Europeu,e será no esquema que relatei acima como ilustra essa imagem: http://www.noticiasautomotivas.com.br/images/img/f/toyota-corolla-2018-3.jpg
                Quando vi pela primeira vez também achei wue eram Full LED,mas as imagens editadas de divulgação se esforçaram pra imitar isso..

                • Gustavo73

                  Até agora só vi flagras de no máximo a XRS e esse tem farol dupla parábola com lâmpadas normais. Ainda não vi nenhum Altis.

                  • Matheus Conrado

                    Esse é o farol do Altis… nas outras dupla parabola halogena

                    • Gustavo73

                      Putz…

            • As fábricas não usam “lâmpada LED”. Todo farol de LED (até os mais baratos, seja projetor ou refletor) traz os diodos (os LEDs em si) montados internamente no próprio projetor e/ou refletor, e é exatamente por isso que são selados atrás e impossibilitam a troca (como em um farol de lâmpada comum ou xenon), uma vez que “virtualmente” não é necessário trocar devido a longa vida útil dos LEDs. Caso um farol de LEDs tenha qualquer problema, a única alternativa é trocar a peça ou descolar a lente pra mexer na parte interna.

              • Matheus Conrado

                obrigado pelo esclarecimento,mas quiz dizer iluminação “tipo LED” e de acordo com sua explicação lembrei dos novos farois da BMW.. que aparentemente não possuem mais projetor associado á LED..(coisa que tinha quando usavam Xenon.. mas a iluminação é fantastica.. enquanto isso,eu mero mortal sou forçado á ficar preso as antiquadas Halogenas.. estou quase fazendo um retrofit nos farois é certeza que posso ser multado.

                • Mas um retrofit bem feito e com as lâmpadas certas nem parece coisa adaptada. Tem uns projetos que fazem a gente se perguntar porque que a fábrica não fez daquele jeito hehe

                  • Matheus Conrado

                    Mas o meu ia ficar na cara,pois é um Prisma.. nem gosto daqueles angel eyes e tal(até o detalhe azul original do farol eu acho exagerado)mas qualquer coisa que fizer naquele farol aparece bem… ai os guardas perceberiam facil.. carros bons que eu ja vi foram da linha PSA.

        • Alligator

          Cara são as laser do I8 e R8

          • Gustavo73

            Baratinhos preço de um Take Up pelado.

    • Junoba

      Full leds custam na casa de dezenas de Reais. É tudo muito barato. Airbag por exemplo, custa US$50.

      • Gustavo73

        Os airbags eu sei pois tem várias matérias sobre eles e o esp na mesma faixa. Mas sobre os full leds nunca li nada.

        • Luciano RC

          Os problemas dos Air Bag e ESP não é somente o custo da peça e sim toda a estrutura do carro que precisa suportar e ter condições de receber o equipamento.

          O ESP mesmo, precisa de um ABS moderno. Pelo que foi falado no lançamento, o 208 não tinha o ABS capaz de possuir o ESP. A Peugeot não quis investir nisso no Brasil. Então era até um processo mais elaborado do que imaginavamos.
          O Air Bag a mesma coisa… o carro precisa ter condições para recebe-lo. Então envolve todo um projeto e desenvolvimento, o que custa dinheiro e a montadora arrocha no consumidor.

          • Edson Fernandes

            Luciano,
            O 208 pode sim possuir ESP, não quiseram é incluir no veiculo. Só lembrando que a versão GT deste, tem 6 air bags (o 208 Griffe também) e tem ESP.

            É possível, foi uma escolha da fabricante em não adotar.

            • Luciano RC

              Hoje em dia sim, mas em 2015 qndo lançaram, ele não usava o ABS de 4 canais e não dava. Tiveram que mudar o ABS nas ultimas versões para ter.

              • Edson Fernandes

                Na verdade, como eu disse foi escolha. No mercado Europeu ele sempre teve… então foi escolha da fabricante em abrir mão desse recurso em nosso mercado. (para a PSA que inclusive abre mão das barras laterais … o ESP é algo “entendivel” de não ter… pq se ela abriu mão de parte importante de um carro).

                • Luciano RC

                  Mas é exatamente isso que estou falando. A montadora abre mão das coisas em prol de um custo complexo que ela faz.

                  Não é simplesmente tirar o item, é fazer uma analise de mercado em quanto isso vai impactar em economia e aumento da lucratividade.

      • Gustavo73

        Falando dos Full LED no lançamento do Civic li na Auto Esporte que o valor de reposição de um desses faróis seria de menos de 3 mil reais.

        • Junoba

          Estou falando do preço que as montadoras compram dos fornecedores. Eu li aqui mesmo no N.A.

        • Luciano RC

          Concessionaria cobra caro até para encher os pneus amigo… infelizmente praticam esses assaltos ao consumidor.

        • Edson Fernandes

          Vai lá vc e quebre um e peça para repor…rsrs

          O do Fluence no Mercado Livre custa R$1500… na concessionaria CADA custa R$4100. (já foi mais caro)

      • Matheus

        Isso é só a lâmpada. O problema é o preço do farol com projetor, que é muito mais caro que um farol simples, com uma parábola.

        • Junoba

          Muito mais caro… Mas quanto? A verdade é que eles vendem pra gente 10x mais caro.

    • expoJapãoAcelLondrina

      LED não atrapalha vista?

      • Edson Fernandes

        Não, sendo inclusive menos intrusivo que o Xenon (principalmente desregulado)

  • Alexandre Maciel

    Touring… sem motor earth dream… tsc… outra bizarrice automotiva. Hoje, pelo visto, é o dia das bizarrices da Honda.

    • Alessandro Aguiar da Silva

      Falei isso quando estive na Honda..
      Vendedor: esses motores são caros, aí eu ah e esse carro é barato?kkk

  • Gabriel Oliveira

    Esqueceram de dizer que de Touring só tem o nome, kkkk

    • Gustavo73

      Mas Touring é só um nome. Assim como Titanium, Highline, EXL.

      • Brasil_MG

        acho que ele quis dizer que a palavra TOURING remete a motor TURBO(no Brasil), e isso o queridinho HR-V não tem!

        • Gustavo73

          Eu entendi mas isso não é verdade. Assim como Highline na VWB não significa 1.4 Tsi, já que temos com essa denominação motores diversos dependendo​do modelo e categoria. Como já disse antes não temos nos aspirados nem os mesmos motores que a Honda oferece na Europa ou nos EUA. Não são ruim, mas estão defasados.

          • Brasil_MG

            tem algum outro carro da Honda que foi vendido no Brasil com a denominação Touring?

            • Gustavo73

              No Brasil não, mas está começando agora. Começou pelo Civic, agora pelo HR-V. Não duvido de um City 1.8 com essa denominação pós facelift.

              • Brasil_MG

                então voltando ao que o nosso amigo falou lá em cima, se o nome Touring é usado para o Civic turbo(no Brasil), quando se ouve HR-V Touring, se imagina o que?

                • Gustavo73

                  Cara​ nunca imaginaria o HRV com 170cv. O 2.0 aspirado no cofre poderia até ser. O 1.0 T da Honda seria um sonho, mas com o 1.5 nunca imaginaria. Não é o perfil do carro. No CR-V tem(lá fora) pois substitui os aspirados com vantagens. Mas aqui em um compacto não é o que o consumidor dessa categoria procura (desempenho). A Honda poderia colocar o 2.0 do Civic por conta do Creta. A Tracker tem é verdade, mas veja que não parece ter feito diferença. Da mesma maneira que não acho que teremos um Polo/Virtus (nome ruim) com o 1.4 Tsi. Se tivermos o 1.0 Tsi do Golf já seria algo acima da média. Pelo menos é como penso.

                  • Brasil_MG

                    Eu também nunca cogitei que a Honda trouxesse um HR-V turbo pra cá. O que estávamos dizendo é sobre a denominação Touring, que por aqui remete a motor turbo. Conseguiu entender ou vc não concorda?

                    • Gustavo73

                      Isso eu entendi.

                  • Alexandre

                    Por que não se o 2008 tem 170cv. Isso aí é golpe da Honda. A primeira coisa que veio em minha mente foi o motor turbo ao ver que seria a versão Touring.

                  • Edson Fernandes

                    Não fez tanta diferença porque a Chevrolet não coloca mimos encontrados em outros carros.

                    Eu mesmo te digo tirando o preço, eu teria um Creta no lugar de todos esses pelos mimos e itens encontrados nesse. Tirando o Renegade, o Hyundai citado é o que tem os itens mais proximos de um sedan médio (e alguns itens até não presentes como por exemplo bancos com aquecimento e resfriamento).

                • Pelo que eu entendi a denominação Touring é aplicado ao modelo top de linha, mais completo. Ou seja, não vamos ter um HR V mais completo ou com motor mais potente. O mesmo se aplica ao Civic. Lógico, do ponto de vista do marketing a idéia é lançar um Civic com motor diferenciado com motor turbo e denominação Touring, para depois o consumidor sentir o mesmo nos outros modelos. É como a Mercedes ter um E 63 amg e depois criar um A 45 amg, apesar de ambos serem amg nem se compara os dois modelos. A BMW tem as versões M como M 5 por exemplo, mas para quem não tem dinheiro disponibiliza uma 528 com pacote M, que passa longe de ser um M. Mas quem compra associa o 528 com pacote M um BMW M.

                  • Edson Fernandes

                    Mas poderiam lançar com outras nomenclaturas. O proprio Civic ao adotar o motor 2.0, mudou de LXS e LXL e EXS para LXR e EXR (já que obviamente o motor 2.0 na geração anterior não recebeu uma versão mais simples que a LXR).

          • fredggp

            Gustavo, agora podem não ter tecnologia de vanguarda, mas rendem bem. Estava vendo ontem no Youtube o programa Acelerados e o Civic G10 não fez feio num grupo que continha Focus Fastback e Peugeot THP na volta rápida com o Rubens B. Fez um segundo a menos que o injetado da Ford e perdeu por apenas 0,3 s do famoso THP. Neste caso “defasado” aparentemente não seria a palavra, apesar de você não achar estes motores ruins.

            • Gustavo73

              A própria Honda tem motores nas mesmas cilindradas com duplo comando de válvulas. Enquanto os oferecidos aqui são SOHC. Então os daqui estão atrás do que é oferecido no exterior.
              Se fossem de outra marca estariam apanhando nas críticas. Um piloto como o Rubinho consegue fazer mais com um câmbio manual do que os sistemas eletrônicos do PS ou do Tiptronic ajustando para as ruas. Já que ele decide as trocas e não uma central eletrônica. O ideal seria comparar com Jetta 1.4 Tsi manual e o C4 THP manual.
              Agora veja que entre os dois com câmbios automáticos a diferença entre o 408 e o Focus. Mesmo com o Ford tendo um câmbio mais eficiente enquanto o do Pug rouba mais potência pelo conversor de torque a diferença de tempo. E olhe que o ajuste dinâmico do Focus é superior ao do 408.
              Como disse no meu comentário os motores aspirados da Honda no Brasil não são ruins, muito pelo contrário mas estão defasados em tecnologia isso é inegável. O 1.6 8v da VW não é ruim também, mas é inegável que ele está defasado frente ao 1.6 16v da própria VW.

            • alexandre

              Concordo em parte. Volta rápida não define se um motor é melhor ou não. Se compararmos somente motores, os aspirados da Honda aqui no Brasil são defasados em relação aos oferecidos lá fora.

              • fredggp

                Eu discordo Alexandre. Zero a cem é que para mim não define nada. No teste que escrevi são observadas acelerações, retomadas, freio, o trabalho dá suspensão, ou seja, uma boa visão do comportamento dinâmico do veículo, do conjunto todo. E comparei aos nacionais do teste e não aos vendidos lá fora.

              • fredggp

                Alexandre, discordo. Zero a cem é que não define muita coisa na minha opinião. Nesta volta rápida se contabiliza as contribuições do projeto mecânico como um todo. Como o motor se comunica com o câmbio, o comportamento da suspensão em várias situações (curva, reta, subida), retomadas e etc. E no que escrevi, comparei o comportamento do Honda com os nacionais mais modernos/modernizado (Ford).

      • rafael morozini

        Exatamente ! Seria algo semelhante como a Ford usar ecoboost no Ecosport 2.0 aspirado kkk

  • Rodrigo

    Prospera mais que tá pouco…

  • Daniel dos Passos

    Devia vir com motor 1.5 turbo pra honrar o nome Touring.

    • Gustavo73

      O nome Touring está relacionado a versão top de linha. Não tem nenhuma relação com a motorização do Civic Touring.

      • Daniel dos Passos

        Faz sentido, agora que você falou.

        • Gustavo73

          Entendo a confusão pois junto chegou o Civic Touring e o 1.5 T. Mas nos EUA tem Civic EXL com o 1.5.

          • Edson Fernandes

            Que deveria ser igual aqui.

  • Jamelao Silva da Silva

    pensando em dar uma passada no meu amigo da css, que disse que não esse negócio de hrv touring não existe, e que queria me vender um exl a 109k.

    • Gustavo73

      Amigão esse hein!

    • Junoba

      Amigo !? kkkkkkkk

  • ChalMust

    Deixem apodrecer nas concessionarias …

  • Duh

    Essa versão traz suspensão, isolamento acústico e acabamento decente?

    • Luciano RC

      Tbm achei o isolamento acustico pessimo. Pegar a Rodovia dos Bandeirantes e ficar ouvindo barulho de motor e rolagem dos pneus foi complicado.

      • Edson Fernandes

        É tão barulhento assim?

        Isso é até “bom” para o consumidor que se rodar com um Civic por exemplo, perceberá então a grande diferença entre um carro e outro (e falo inclusive para a concorrencia)

        Já o Renegade mesmo com aquele Etorq é um carro bem silencioso.

        • Luciano RC

          É muito barulhento. Peguei uma viagem de 4h e chegou a cansar. O carro é confortavel, mas não é silencioso não.

  • Marcus Vinícius Andrade

    Por pior que seja, pelo preço, ainda é melhor do que a canôa do Corolla Xei

  • Evan

    Deveria ao menos colocar o motor do civic touring pra querer cobrar esse preço. Mas vai ter gente que vai pagar, viva o Brasil :D

    • Luciano RC

      Cabe o 1.5 Turbo no Cofre?

      • Edson Fernandes

        Cabe sim. Pense que o motor 1.5 turbo é variante das versões aspiradas de Fit e City. Logo, como o HR-V usa a mesma plataforma, dá para se adaptar sim. Lembrando que em outros mercados, o motor 1.5 Earth Dreams tem em suas versões aspirada e turbinada… sendo a aspirada com 132cv e injeção direta que a Honda obviamente não o fez aqui.

        Mas como lá fora possui, seria perfeitamente possivel, só que lá fora eles estão colocando em Fit e City o motor 1.0 Earth Dreams turbo como variante de topo e motor diesel 1.5.

        • Luciano RC

          Entendi… mas nesse caso não seria muito motor para pouco carro?
          Eu acho que ela quis somente criar uma versão mais top e rechear, igual a Jeep fez com o Renegade Limited.

          • Edson Fernandes

            Tudo depende de parametros. Veja o Tracker com motor 1.4 Turbo. Ela demonstra que cabe sim. O mesmo ao Renegade diesel.

            A questão é que a Honda não quer se sobressair (e nunca foi o intuito das japonesas) mas sim ofertar o feijão com arroz que já seja atrativo ao consumidor. Então o motor turbo não será ofertado porque em realidade não e´exigencia do consumidor e muito menos do mercado e por isso a Honda não dá bola para isso. Mas se viesse para o HR-V, seria o motor 1.0 turbo.

            • Luciano RC

              Espero que a Honda nacionalize o 1.0 Turbo e também o 1.5 Turbo. Ambos flex e com vantagens para o consumidor.

              • Edson Fernandes

                Isso seria otimo mesmo para o mercado.

                • Luciano RC

                  O problema é saber se isso teria uma elevação considerável nas vendas, o que compensaria o investimento de imediato. Ainda acho que o 1.5, 1.8 e 2.0 tem muita lenha pra queimar. Espero estar errado e a Honda tenha condições de investir neles.

                  • Edson Fernandes

                    Eu acredito que no futuro a Honda venha a agregar o motor 1.5 turbo para a sua versão EXL deixando o motor 2.0 apenas para a Sport. Além disso, se o quesito motor for determinante no HR-V, ele poderá receber o motor 2.0 no futuro. Pois seria deveras interessante ele ganhar no futuro o motor 1.5 com injeção direta assim como City e Fit.

                    • Luciano RC

                      Ela deve seguir essa linha, porem de forma lenta e gradativa.

                    • Edson Fernandes

                      Assim como foi ao adotar o motor 2.0.

                  • Edson Fernandes

                    Pra mim a Honda poderia eliminar o motor 1.8 se colocar o 1.5 com injeção direta. E trabalhar apenas com motores 1.5, 2.0 e o 1.5turbo (considerando o que tem agora).

                    Entretanto ela pode no futuro colocar o 1.0 turbo, 1.5 injeção direta e 1.5 turbo para economia em escala.

                    • Luciano RC

                      Nesse caso, o 1.0 Turbo e o 1.5 Aspirado com Injeção Direta não ficaria na mesma faixa de potencia? Poucas pessoas comparam torque no Brasil.

                    • Edson Fernandes

                      Não. E depende da calibração mas as versões utilizadas tem uma unica diferença: Enquanto o 1.0 turbo tem mais torque e atua na maior faixa , o motor 1.5 tem mais potencia (115 x 132cv do motor 1.5).

                      Mas ouso dizer que seria valido pensar que o 1.0 ande mais que o 1.5.

                    • Luciano RC

                      Mas o consumidor não olha isso. Tanto que a VW consegue ofertar o Golf 1.0 Turbo e 1.6 MSI. Sei lá… acredito que iria precisar de muito marketing e vendedores treinados para apresentar a diferença entre os dois motores e como funcionam.

                    • Edson Fernandes

                      Sem duvida. Mas perceba que a procura hoje pela versão 1.0 TSI é bem maior que a 1.6 MSI, entretanto, o 1.0 TSI não tem disponivel em várias regiões.

                    • Luciano RC

                      Sim… por isso se a Honda quiser ter sucesso, ela precisa de uma politica de marketing e comercial muito bem planejada.

      • Evan

        Creio que sim, pq o motor é pequeno, 1.5 litros, o turbo é uma peça pequena tambem.

  • Felippe2010

    e de repente a Captiva ficou baratíssima, só sendo muito cego pela marca, para pagar mais de 90 mil na HR-V

    • Luciano RC

      Captiva já tem data para sair de linha e está parada no tempo. É um carro para quem não liga nada para status ou fator novidade.

  • Walter Augusto

    1.5T ?

    • Fanjos

      Que tal não?

  • Pedro Mello

    Tem de ser muito parvo pra comprar isso em vez do Compass. Ou até mesmo o Renegade diesel.

    • Luciano RC

      Concordo… o Compass Longitude Flex é muito mais negocio.

  • afonso200

    teto solar , XENON, ????? park assist ??

    • Edson Fernandes

      Sem teto solar, farois em Full Led e park assist? Num Honda? rs

    • Fanjos

      Não.

      Cordialmente
      Honda HuEzil

  • Janderson von Neumann

    Lendo os comentários sobre os barulhos de suspensão do HR-V me lembrei de como é a vida, o pessoal caí de pau quando o assunto é Powershift, DSG, etc…mas quando o negócio é carro japonês (mais uma vez digo, nada contra, até gosto muito da Honda) parece que tudo é escondido, é tipo uma religião, uma doutrinação, onde tem que se repetir a exaustão que são carros inquebráveis, maravilhosos, alto valor de revenda, etc…digo e repito mais um milhão de vezes, NÃO tem , NÃO existe carro inquebrável, etc…são todos iguais, os buracos nas ruas são iguais para todos os carros, pneu gasta igual em qualquer carro de qualquer marca, os quebra molas onde passamos por cima são da mesma altura, não importa se o carro é americano, alemão, japonês…, defeitos existem em qualquer carro, de qualquer marca, de qualquer nacionalidade, essa “doença” de defender a unhas e dentes algo que é igual a outros só pode ser uma disfunção ou fanatismo, tipo ocorre com o Corolla (mais uma vez, não entendam como perseguição), agora essa, de os donos “esconderem” os defeitos para não queimar o filme do carro, poxa, o que pensar disso ?, dessa forma entendo melhor meu vizinho que tem um Corolla, ele compra um novo, fica dois anos com ele no máximo, nesses dois anos roda pouco, coisa de uns 12/ 15 mil kms, aí troca novamente, e sai pelo bairro enchendo a boca e falando pra todo mundo que acha na rua que o Corolla é o melhor carro do universo, não desgasta, não dá manutenção, etc….

    • Zé Mundico

      Brasileiro é assim mesmo, tem que torcer por alguma coisa prá se sentir importante.

    • Concordo plenamente que não existe carro inquebrável. Mas discordo que todos os carros do mesmo segmento tenham manutenção igual. Certos modelos possuem peças com preço mais em conta e mais fácil de achar no mercado. Da mesma forma que devemos considerar o projeto do carro, que influencia no custo e periodicidade da manutenção. Um exemplo clássico, pega um carro fabricado fora do Brasil que não é adaptado para rodar com gasolina com 25 por cento de álcool. Naturalmente o carro não adaptado vai ter um custo maior de manutenção (que não vai surgir nos primeiros 60 mil km, só depois). Mesmo sendo do mesmo segmento existe custo diferente de manutenção entre modelos diferentes, seja um popular ou super esportivo. E em nenhum momento estou dizendo qual modelo tem custo menor de manutenção.

  • Thiago C

    Tenho um Honda, mas ela está me irritando esta semana com wrv e hrv Touring…

  • Davidsandro18

    Jeep Compass longitude mandou lembranças, ou até a mesmo a Sport com alguns opcionais é mais negocio!

    • Luciano RC

      O Compass em breve sobe de preço e deixa de ser tão bom negocio assim. Infelizmente sabemos com o mercado funciona aqui.

      • Edson Fernandes

        Mas enquanto isso é de se comparar e ser uma escolha.

        • Luciano RC

          Com certeza. Enquanto isso a Jeep vai ganhando mercado.

  • Gambixx

    Lado direito só tem uma porta mesmo ou é photoshop fail?

    • Fanjos

      É uma porta quântica, ela existe e não existe ao mesmo tempo…vc não entende a tecnologia da Honda que é a frente de nosso tempo!

      • Gambixx

        hahahaha

  • GABRIELCSFLORIPA

    Mesmo preço do Civic EXL.

  • Freaky Boss

    LEDs, sensor de chuva, sensor de estacionamento, airbag de cortina….
    Nada de mais.
    Coisas básicas para valores até menores (um Nissan Sentra de 90mil tem tudo isso e mais).
    Continuo longe da Honda e da Toyota.

  • RKK

    Chamar esta versão de Touring sem o motor EarthDream é espezinhar o consumidor.

  • Elfo Safadão.

    Sem motor EarthDream?
    Pode baixar uns 10 mil.

  • Jaspion

    Precisa comprar a versão topo de linha pra levar sensor de chuva, retrovisor interno eletrocrômico, sensor de estacionamento e airbags do tipo cortina? meu Deus, como os consumidores se deixam ser estuprados pela Honda? Chega a beirar o absurdo.

  • Antonio Carneiro

    Perdoem-me mas neste preço (sem mensurar o ágio praticado) acredito que os Suzuki’s (Vitara/S Cross) em suas versões Top’s “menos pior” enquanto custo benefício (desconsiderando outros parâmetros mercadológicos como n° de rede, pós venda etc).

  • Gran RS 78

    Não acredito que mesmo nessa versão que na teoria era para ser a mais equipada, a Honda insiste em não colocar um teto solar, pois em outros países o HRV possui esse item.

  • Miguel

    E as portas vem todas em couro agora ou continua com aquele material vagabundo???

  • Diego

    Agora sim justifica o preço, com esses faróis e lanternas! Kkkkkk

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend