Honda transfere produção e abre demissão voluntária em São Paulo

Honda transfere produção e abre demissão voluntária em São Paulo

A Honda transferiu sua produção de automóveis de Sumaré para Itirapina, distante cerca de 100 km mais para dentro do interior de São Paulo. Além da mudança, a montadora japonesa abrirá um plano de demissão voluntária nas duas fábricas. Hoje, a empresa emprega 3.000 pessoas nas duas unidades.

No caso da transferência, a Honda já havia determinado essa mudança, que concentrará em Itirapina a produção dos modelos City, City hatch e WR-V, além da nova geração do HR-V. Fit e Civic deverão sair de linha e pode ser que o sedã médio encerre sua carreira com o fechamento da linha de montagem em Sumaré.

Já o Fit é produzido nas duas plantas, mas em Itirapina, deverá permanecer até a chegada dos novos City e City hatch. Com o WR-V e o Novo HR-V, a Honda concentrará a produção no quarteto, ficando em Sumaré a sede administrativa, produção de motores, treinamento de funcionários, centro de peças e desenvolvimento de veículos.

Honda transfere produção e abre demissão voluntária em São Paulo

Não se sabe ao certo o resultado do enxugamento da Honda, mas a produção não deverá passar de 120 mil carros por ano, limite da capacidade em Itirapina. A fábrica é o resultado de uma aposta da japonesa que não deu certo, uma vez que o mercado entrou em crise e a empresa teve que fechar a unidade antes de começar a produzir.

Já em relação ao quadro, ainda não se sabe qual o tamanho que a Honda deseja ter ao final do processo, mas a empresa disse:

“Tendo em vista a necessidade da empresa de se adaptar a esse novo ambiente de negócios, impactado pela pandemia da Covid-19, e o momento de transferência de colaboradores da unidade de Sumaré para Itirapina, a Honda Automóveis está realizando um programa de demissões voluntárias. O objetivo é oferecer condições para uma transição segura àqueles que contribuíram com a empresa ao longo de suas carreiras”.

A Honda está oferecendo aos trabalhadores do PDV, que não tem meta: um plano de 12 salários adicionais, um valor equivalente a 12 meses de plano de saúde, vale-alimentação de R$ 250 mensais por seis meses e três meses de um programa de requalificação profissional.

[Fonte: Automotive Business]

 

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.