*Destaque *Featured Hyundai Lançamentos Sedãs

Hyundai Elantra 2017 chega em três versões e preço de R$ 84.990

Hyundai Elantra 2017 chega em três versões e preço de R$ 84.990

Revelado no final do ano passado, o novo Hyundai Elantra acaba de ser anunciado pela CAOA (importadora responsável pelos modelos da montadora sul-coreana) no mercado brasileiro. A sexta geração do sedã médio estreia com visual mais moderno, dentro da nova filosofia da marca, além de novos equipamentos de série e preço inicial mais baixo, tudo para se armar contra os novos Chevrolet Cruze e Honda Civic.


Hyundai Elantra 2017 – visual

A nova geração do modelo da Hyundai, que passa a se chamar “New Elantra” (mesma estratégia usada com o hatch médio i30 e o crossover médio ix35), traz traços que lembram os carros mais recentes da linha da fabricante. Na parte frontal da carroceria, o novo sedã exibe uma grade hexagonal com moldura e filetes cromados, além de faróis espichados com projetores e luzes diurnas de LED e uma peça em formato de bumerangue que abriga os faróis de neblina.

Já nas laterais, o novo Hyundai Elantra abandonou os vincos e detalhes côncavos marcantes da geração atual para ostentar formas mais limpas, sendo que há vincos apenas nas extremidades das maçanetas e na parte inferior das portas. Outro destaque é a linha de cintura elevada do sedã. Por fim, na traseira, o modelo segue com seu formato mais avantajado, sendo que se sobressaem as novas lanternas afiladas de LED, que quando acesas exibem um efeito bastante interessante.


No interior, a extravagância também foi deixada de lado. O painel agora tem uma aparência bem mais sóbria, com direito a um console central menos pronunciado, além de um novo volante de três raios e painel de instrumentos com formato mais convencional. Todavia, de acordo com a Hyundai, o acabamento do novo sedã melhorou, com direito a detalhes em alumínio e materiais macios ao toque.

Nas medidas, são 4.569 milímetros de comprimento, 1.800 mm de largura e 1.435 mm de altura, com distância entre-eixos de 2.700 mm. Já o porta-malas tem capacidade para 420 litros.

Hyundai Elantra 2017 chega em três versões e preço de R$ 84.990

Hyundai Elantra 2017 – equipamentos

O New Elantra será comercializado no Brasil em três versões de acabamento diferentes. A mais básica é equipada de série com seis airbags (dois frontais, dois laterais e dois de cortina), sistema Isofix para fixação de cadeirinhas infantis, ar-condicionado, direção elétrica, bancos revestidos em tecido, vidros, travas e retrovisores elétricos, controle de cruzeiro, retrovisores com aquecimento, sistema multimídia e volante com comandos de áudio.

Já a intermediária, batizada de Special Edition, agrega banco do motorista com ajustes elétricos e suporte lombar, sensor de chuva, volante e alavanca de câmbio revestidos em couro, faróis com luzes diurnas de LED, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, destravamento das portas e partida do motor sem chave, abertura do porta-malas por aproximação, bancos com revestimento em couro e sistema multimídia com tela sensível ao toque de sete polegadas, navegador GPS e câmera de ré.

Por fim, a topo de linha, que recebeu o nome de “Top”, se diferencia pelo controle eletrônico de estabilidade (ESP), detector de ponto cego (Blind Spot Detection – BSD), faróis com lâmpadas de xenônio HID (High Intensity Discharge) com Assistência Inteligente de Farol Alto HBA (High Beam Assist), retrovisores externos com rebatimento elétrico, painel de instrumentos Supervision com tela de 4,2 polegadas, teto solar elétrico, airbag para os joelhos dos motoristas (totalizando sete bolsas de proteção) e modo de seleção de condução DMS (Drive Mode Select).

A atual geração do Elantra está sendo ofertada em versão única de acabamento, com direito a seis airbags, três modos de direção Flex Steer (normal, comfort e sport), ar-condicionado digital de duas zonas, sistema multimídia com plataforma Android, MP3 player, navegador GPS, Mirror Link, conexão WiFi, Bluetooth e comandos no volante, controle eletrônico de estabilidade, destravamento das portas sem chave, painel de instrumentos Super Vision em LED TFT e retrovisores com rebatimento elétrico.

Hyundai Elantra 2017 chega em três versões e preço de R$ 84.990

Hyundai Elantra 2017 – motorização

Se a intenção da Hyundai com a nova geração do Elantra realmente é competir de igual para igual com os novos sedãs médios lançados no mercado brasileiro, no quesito motorização o novo modelo fica devendo. A novidade chega equipada com o mesmo motor da geração atual, um 2.0 litros flex aspirado de quatro cilindros, que consegue entregar 157 cavalos de potência com gasolina e 167 cv com etanol, a 6.200 rpm, e torque máximo de 19,2 kgfm e 20,6 kgfm, respectivamente, a 4.700 rpm.

Junto a este propulsor está a segunda geração da transmissão automática Shiftronic de seis marchas da empresa. A tração é dianteira.

Para efeito de comparação, nos Estados Unidos o novo Hyundai Elantra é equipado com um 2.0 litros aspirado a gasolina de 150 cv e 18,2 kgfm com câmbio automático de seis relações, além de um 1.4 litro turbo de 130 cv e 21,6 kgfm com transmissão automatizada de sete velocidades e dupla embreagem na versão Eco.

Hyundai Elantra 2017 chega em três versões e preço de R$ 84.990

Hyundai Elantra 2017 – preços

Confira abaixo os preços sugeridos do Hyundai Elantra 2017:

Hyundai Elantra 2017: R$ 84.990
Hyundai Elantra Special Edition 2017: R$ 103.990
Hyundai Elantra Top 2017: R$ 114.990

O modelo deverá ser ofertado nas cores branca, prata e preto, com garantia de cinco anos.

Hyundai Elantra 2017 chega em três versões e preço de R$ 84.990

Hyundai Elantra 2017 – mercado

A nova geração do Hyundai Elantra chega em uma boa hora para dar um “up” nas vendas do modelo. De acordo com dados da Fenabrave, de janeiro a setembro o modelo conseguiu emplacar apenas 730 exemplares, ficando atrás de todos os rivais: Toyota Corolla (48.635), Honda Civic (12.707), Chevrolet Cruze (7.611), Volkswagen Jetta (6.024), Nissan Sentra (5.266), Ford Focus (4.127), Renault Fluence (3.183), Citroen C4 Lounge (3.082), Mitsubishi Lancer (1.861), Kia Cerato (1.340), Fiat Linea (1.286) e Peugeot 408 (805).

Hyundai Elantra 2017 chega em três versões e preço de R$ 84.990

Hyundai Elantra 2017 contra Chevrolet Cruze e Honda Civic

Os preços do novo Hyundai Elantra estão na média do segmento. No entanto, como citamos anteriormente, o modelo fica devendo em alguns equipamentos em relação aos concorrentes.

Em comparação com o Chevrolet Cruze, a versão de entrada LT se diferencia do rival da montadora sul-coreana por dispor de itens como airbags laterais, alerta de pressão dos pneus, controle eletrônico estabilidade, controle de tração, assistente de partida em rampas, sensor de estacionamento traseiro, luzes de condução diurna, ar-condicionado automático, câmera de ré, sistema multimídia com Apple CarPlay, Android Auto e navegador GPS, tecnologia OnStar sistema start/stop, bancos e volante com revestimento em couro, entre outros. O preço da versão é de R$ 89.990.

Na intermediária LTZ, por R$ 96.990, há ainda airbags de cortina, luz de posição em LED, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, faróis com acendimento automático, destravamento das portas e partida do motor sem chave, computador de bordo colorido, retrovisores externos com aquecimento e rebatimento elétrico, retrovisor interno eletrocrômico, MyLink com tela de oito polegadas e navegação por mapas, sensor de chuva, partida remota, bancos revestidos em couro, entre outros.

Já o modelo topo de linha LTZ 2, que custa R$ 107.450, agrega alerta de colisão frontal, alerta de ponto cego, assistente de permanência em faixas, farol alto adaptativo, indicador de distância do veículo da frente, assistente de estacionamento, carregador wireless para smartphones, banco do motorista com ajustes elétricos, entre outros.

Além disso, o carro dispõe de um conjunto mecânico mais moderno e eficiente, dotado de um 1.4 litro Ecotec turbo, que consegue entregar 150 cv com etanol e 153 cv com gasolina, a 5.200 rpm, e torque de 24 kgfm a 2.100 rpm e 24,5 kgfm a 2.000 rpm, respectivamente, com câmbio automático de seis velocidades.

O novo Honda Civic é outro concorrente de peso que o novo Hyundai Elantra terá que enfrentar. O modelo da montadora japonesa na versão de entrada Sport, que tem preço de R$ 94,9 mil com câmbio automático, oferece itens como luzes diurnas de LED, controle eletrônico de estabilidade, controle de tração, assistente de partida em rampas, freio de estacionamento eletrônico, câmera de ré multivisão, Isofix, alerta de frenagem de emergência, controle de cruzeiro, ar-condicionado automático digital, sistema de som com quatro alto-falantes e 160W, entre outros.

Já a EX, de R$ 98,4 mil, agrega retrovisores externos com rebatimento elétrico, faróis com acendimento automático, bancos revestidos em couro e painel de instrumentos com velocímetro digital. Na EXL, por R$ 105,9 mil, há painel de instrumentos com tela de TFT de alta definição, ar-condicionado automático de duas zonas, central multimídia com tela sensível ao toque de sete polegadas, Apple CarPlay, Android Auto e navegador GPS, entrada HDMI, entre outros.

Há ainda a topo de linha Touring, que custa R$ 124,9 mil e adiciona bancos dianteiros com ajustes elétricos, faróis Full LED, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, sensor de chuva, retrovisor interno fotocrômico, partida por botão no painel ou pela chave e teto solar elétrico.

Quanto aos motores, as versões Sport, EX e EXL são dotadas do 2.0 litros flex aspirado, que consegue entregar 150 cavalos de potência com gasolina e 155 cv com etanol, a 6.300 rpm, e 19,3 kgfm e 19,5 kgfm, respectivamente, a 4.800 rpm, com câmbio manual de seis marchas (no caso da versão de entrada) ou automático do tipo CVT. Já a topo de linha Touring usa um 1.5 litro turbo a gasolina, que rende 173 cv, a 5.500 rpm, e 22,4 kgfm, a 1.700 rpm, também com câmbio automático CVT.

Galeria de fotos do Hyundai Elantra 2017

Hyundai Elantra 2017 chega em três versões e preço de R$ 84.990
Nota média 5 de 1 votos

134 Comentários

Clique aqui para postar um comentário

  • A CAOA simplesmente acabou com o carros internacionais da Hyundai. Preços super altos e com motores que pararam no tempo. Até o HB20 possui um motor turbo.
    Infelizmente a Hyundai foi muito ingênua no contrato muito bem amarrado da CAOA, onde a própria dona não pode vender os seus próprios produtos.

    • É isso mesmo. Meu raciocínio: Em 2009 você optava pelo Azera completíssimo a 79.900 ou pelo Civic/Corolla no mesmo valor…..pois bem. Hoje você desce DOIS degraus: Sai do Azera para Sonata e depois sai do Sonata para o Elantra…..e os preços continuam concorrendo com civic/corolla. Tem algo errado neste posicionamento, por mais que a moeda Sul Coreana tenha valorizado.

        • Não são 30%. O Super IPI é um acréscimo de 30 pontos percentuais ao IPI que já existia na época. Mas com a instalação da HMB não está havendo importação em cotas ? Isso poderia explicar o mercado até 2024/ início de 2015. Hoje isto não é mais o fator causal.

      • a caoa investiu pesado em propaganda e preço baixo nessa época, e fez o nome da Hyundai, apenas lembrando que quando foram lançados o Azera e Tucson 2006 tinham preços de R$130.000 e 100.000 respectivamente

          • pesquisei no acervo digital da 4 rodas e em 2005, ano do lançamento a Tucson custava 80.000 M e 85.000 em versões a diesel que são raríssimas e 120.000 na versão 2.7 V6. em 2006 apareceram os modelos 2.0 a gasolina por 75.000 manual, 79.990 automática e 112.000 a 2.7 v6. e em 2007 ela custava 79.990 automática e 104.990 v6 2.7, já o Azerra foi lançado por incríveis 138.000 , lembrando que antes do Azera existia o Sonata 3.3 que custava a “bagatela” de 145.000

        • Discordo. Quem entrou foi a COA trazendo Hyundai. E o Carlos Alberto não apostaria tão alto trazendo carros com prejuízo. O lançamento inclusive, foi por valores mais altos, era preço “justo” mesmo…coisa que o Brasil nunca mais viu. Esta é a unânime opinião de quem comprou carros nesta época.

          • Discordo, a Hyundai foi acusada de dumping em outros países da Europa na mesma época, a CAOA apenas entendia de Brasil mas não pode ser acusada apenas por ser “brasileira”, ela representava a marca no Brasil mas não quer dizer que era responsável por todas as diretivas, afinal a caoa não atuava na Europa aonde a Hyundai fez a mesma coisa.

    • Acho que não é bem assim, naquela época ela queria entrar e consolidar de forma concreta no mercado nacional. Colocou preços atrativos e depois foi aumentando aos poucos. Isso (penso eu) todas fazem. Quanto a motores, concordo…

    • Esta é a verdade como bem escreveu.

      O problema dos importados da Hyundai chama-se CAOA.

      O pior é que a Hyundai sabe disto mas não consegue se livrar desta praga.

      Aí ficam os carros bons sem competitividade perante seus rivais.

  • 1 – Não entendi a disponibilidade dos airbags! A matéria, quando descreve o carro, diz que ele terá seis airbags (dois frontais, dois laterais e dois de cortina) na versão básica; mas quando compara o carro com o Cruze, diz que o americano ganha por ter airbags laterais na LT e de cortina da LTZ????

    2 – Qual o sentido de Lançar um carro no final de 2016 sem ESP na versão intermediária, que custa 104 mil???? É o Corolla fazendo escola nesse ponto negativo! Qual a economia para a Hyudai tirar esse item, já que em outros mercados ele vem em todas versões???

    3 – 19mil reais entre a básica e a intermediária é um abismo enorme para apenas acrescentar alguns equipamentos! exatos 30mil a mais para a TOP, com o mesmo trem de força, é incompreensível! Está ganhando até do abismo entre o Civic EXL e Touring, já que pelo menos o japônes ganha um motor bem melhor, além dos equipamentos!!

  • Elantra pode se beneficiar por causa da proporcionalidade. Apesar de entregar um pouco menos, custa menos também. 84.990 com 6 airbags, e alguns itens está bem posicionado (faltou ESP). O que complica são as versões mais caras, que se aproximam perigosamente de Corolla e Civic, carros com muito mais mercado. Talvez se a Hyundai apostar em propagandas na versão de entrada, pode vender alguma coisa.

  • Melhor de tudo é ter que aturar “New Elantra”…. Pra que essa nomenclatura ridicula? E a versão mais cara??? Como poderia se chamar?? HAHAHAHA TOP TOP TOP.. um furacão de top! ESP só na versão TOP?? Que piada.. Apesar do amor declarado à CAOA, na minha opinião o carro ficou bem bonito, interior idem. Pena que o carro perdeu 11 cv. Alô CAOA!! Cadê os motores turbo?? Infelizmente para certa parcela da população motor turbo é sinal de motor problemático e de manutenção caríssima. Mas apesar do desconhecimento de alguns, nós leitores assíduos sabemos que não é bem assim. Então, mando um abraço apertado ao responsável pelo powertrain da marca.

  • Já estou vendo a propaganda: “O melhor sedã do mundo, sua suspensão e seus pneus são tão inovadores que o Novo Elantra nem precisa de ESP como os concorrentes”.

  • Estive passando uma temporada nos EUA, mais precisamente em Orlando/FL.
    Como desejava fugir dos altos preços das locadoras, decidi por adquirir um automóvel 0km para meu uso, até porque pretendo retornar para aquele País com ânimo definitivo.
    Compareci em duas concessionárias: Toyota e Hyundai. Optei pela segunda, embora os veículos da Coreana nunca se fizeram presente na minha garagem.
    Adquiri um Elantra vermelho, modelo SE, apenas com o passaporte e a carteira de habilitação do Br.
    O motor, segundo consta naquele “papel plastificado” que todo carro zero ostenta, é 2.0l, 147HP, 132lbs-ft-tq, Shiftronic, 6 velocidades.
    O que posso dizer desse motor: está bem dimensionado para o Elantra. Em nenhum momento senti falta de potência nas ultrapassagens. Responde com agilidade quando o semáforo abre, isso como o modo ECO ativado.
    Sim, é supereconômico. Fazia cerca 390/420 milhas com o tanque cheio.
    Enfim, minha humilde opinião de quem dirigiu e sentiu o carro por cerca de 4 meses seguidos.

    • Olá, Bastião.
      Paguei $ 20.400 pelo automóvel, aí incluído o imposto de 6,5% da Florida e as despesas de emplacamento. No dia do fechamento do negócio, o dólar estava cotado a 3,26.
      Em outras palavras, mais ou menos o valor que vc encontrou.
      Vc tem razão nos seus cálculos. O que encarece a mercadoria é o tal Custo Brasil e o dólar “deslocado”s
      Imagina se a aquisição do Elantra se consumasse na época em que a moeda americana estava cotada entre 1,20/1,70 como esteve por muito tempo nos anos de 2013/2014? Uma pechincha.

  • O Cruze é muito mais negocio que esse Elantra e tbm que os seus concorrentes diretos. Vi um Cruze LTZ branco pérola sem placas, como ele ficou muito mais bonito que o anterior, e até me arrisco em afirmar que ele ficou até mais bonito que o Civic.

  • Seis airbags de série! Muito bem! Sem ESP/TC custando mais de 70mil não dá né. As outras versões então não se destacam em nada e custam mais que muitos concorrentes. E nada de um T-GDI no cofre…

    • Não entendi a matéria: quando descreve o carro, diz que ele terá seis airbags (dois frontais,
      dois laterais e dois de cortina) na versão básica; mas quando compara o
      carro com o Cruze, diz que o americano ganha por ter airbags laterais na
      LT e de cortina da LTZ????

      Ajeita isso aí, NA!!!!!

  • A CAOA está de sacanagem, né? Primeiro, eu li direito? ESP somente na versão topo de linha? Confere?
    Segundo, esse preço da versão topo de linha merecia, obrigatoriamente, o motor 1.4T. Nunca deixaria de comprar Cruze, Civic, Corolla, Fastback por esse Elantra…

  • Acabaram com a beleza interna e externa desse carro. Junte-se a isso um motor que está ficando para trás, a baixa oferta de equipamentos em comparação com a concorrência, os preços surreais e pronto: já nasce morto. A CAOA pensa que está em 2010, quando a Hyundai ainda era vista como ‘marca de luxo’ no Brasil…

  • Eu talvez poderia criticar a versão topo de linha… mas a versão de entrada? Puts!! Aumentou o preço, perdeu 10 Cv, não tem ESP, sem teto solar, sem rebatimento elétrico dos espelhos… tudo isso por 85 Mil… Você só encontra no MELHOR SEDAN DO MUNDO!! (ironic)

  • Enfim, a Caoa acabou com a marca Hyundai de importados, tal como a mesma conseguiu acabar com a Subaru, ótimas marcas com ótimos produtos e que na mão errada desses empresários acéfalos viraram verdadeiros micos.
    Já tive dois i30 no passado, hoje nem em CSS da marca entro mais, carros totalmente fora da realidade, hoje entregando muito menos por mais, o que no passado era o contrário.
    E pensar que i30 e Elantra (sem falar nos outros Azera, Sonata) eram os queridinhos do mercado, hoje penam pra vender 100 unidades.

    Eu ainda acho pouco pra essa empresa salafrária.

    • Custo x benefício mesmo, em sedan, é o C4L THP Exclusive, que vc encontra por menos de 90k fácil!

      Eu, na verdade, iria de 308 Allure THP, que custa 85k de tabela (se consegue por menos de 80k) e vem com tudo que vc possa imaginar (teto panoramico, multimidia, 6AB, ESP, couro, leds…)!
      A desvalorização não consegue empatar a diferença no valor do 0km, sobretudo na versão THP que foi bem aceita no mercado de usados (bem mais que o 2.0)!

  • Eu achei exagero na questão de preços pq eu teria um Elantra tranquilamente no lugar de um Mobi sem duvida…rs

    Mas realmente não está tão competitivo assim.

    • O pessoal costuma exagerar nos comentários, Edson.
      Edson, sobre aquele assunto da garantia da VW, eu recebi a resposta da VW e é o que imaginei que viria como resposta. Somente para carros 0Km adquiridos a partir de 1/Outubro. Antes disso, manutenção de 6 em 6 meses ou 10 mil Km. E nem explicaram o porquê, como pedi, já que em termos de mudanças mecânicas, não houve alteração nenhuma.

      • Resposta pronta. Infelizmente esse tipo de situação é bem recorrente no nosso país. Sabe o que vai acontecer? Acabou a garantia a pessoa que tiver o carro (se você ainda não for o dono) irá fazer por fora.

        Ou irá aumentar o prazo por conta e fazer na concessionaria tendo a garantia do que foi feito de manutenção.

        Infelizmente isso não é só mal da VW e mesmo eu tendo dito do pessoal que tem Ford, ainda tem gente que fica se obrigando a respeitar por má fé de concessionaria.

  • O 1.4T da Hyundai parece bem fraquinho para esse tipo de motor, uns 20 cavalos a menos do que o cruze e jetta 1.4T e 40 a menos que o Civic 1.5, alem do torque que não é grande coisa. Se forem esses numeros mesmo não teria como competir de qualquer forma, o 2.0 é a unica opção.

  • Esse ja nasceu morto, que merda de motor é esse, fraquissimo. Se vender vai ser no inicio e bem pouco, vai vender ao mesmo nivel de seu irmao “CERATO” com motor de geladeira. Falando nisso a nova geraçao do Cerato deve adotar esse msm motor?

  • Tenho um Elantra 2013/2014 comprado na Asa Sul em Brasília, que veio com problemas na Caixa de Direção, identificado nos primeiros 300 km. Ai onde entra a péssima assistência da CAOA, hj com 40 mil km rodados e varias tentativas de resolução do problema e nada mesmo estando na garantia. Enfim, o atendimento e o tratamento e o respeito ao cliente é péssimo, não resolvem um defeito de fabrica. Concluo não recomendando a Hyundai.

  • Perdeu demais do dinamismo da geração prévia, ficou comum, sem sal nenhum, muito + carro de velho. Não precisa encher o carro de rasgos para um design dinâmico, não é isso q estragou sua estética. Já por dentro o painel ficou muito + VW, muito + alemão, muito + “quadrado” (no duplo sentido da palavra), perdeu toda a sinuosidade da geração anterior. Outro exemplo de piora foi da primeira geração do Focus, qdo os interiores das gerações q a precederam involuíram, ficando tbém + “quadrados”.

  • Vai pa pqpppp CAOA. tenho meu i30 desde 2010, praticamente 0 problemas, preço justo quando comprei 0km. Desde o novo i30, vcs começaram a destruir o mercado. Até queria comprar novo hyundai mas essa zueira de preço não cola. Vou de usado mesmo, audi, bmw ou benz.

  • O Antigo era mais bonito e esportivo. O painel ficou Tiozão..
    Estragaram o carro.. CAOA continua sacaneando o consumidor brasileiro com 3 opções de cores.
    Nenhuma opção de motor turbo..
    Fracasso pra vcs Hyundai

  • A hyundai…… Ta desovando. Achei bom na versão de entrada mas é HORRÍVEL na versão intermediária e fede na top de linha kkkkkkkkkk puta merda, hyundai parece que não dá uma dentro kkkkkkkkkkk só sabe cuidar do best seller HB20 que eu jamais compraria zero e acho que nem usado.

  • Elantra 2017 = traseira do sonata + frente do fusion. Ficou mais caro e mais feio. Considerando que o motor é o mesmo, prefiro o modelo antigo. Essa CAOA adora enganar trouxa.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email