Coréia EUA FCA Finanças Hyundai Mercado

Hyundai está cada vez mais próxima da Fiat-Chrysler

hyundai-fca Hyundai está cada vez mais próxima da Fiat-Chrysler

A Hyundai está cada vez mais próxima da Fiat-Chrysler. Na Coreia do Sul, já se fala até em valores e outros detalhes da negociação, que secretamente estaria em curso. Para os dois lados, o ganho com uma fusão seria enorme, ainda mais para o fabricante asiático, que enfrenta algumas dificuldades comerciais nesse momento.



Uma união Hyundai-FCA daria ao fabricante sul-coreano a primeira posição mundial como montadora e vendedora de veículos. A estimativa é de 13 milhões de veículos com base nos 11,5 milhões vendidos pelas duas empresas em 2016. Isso fica bem acima de Volkswagen, Toyota e mesmo da aliança Renault-Nissan-Mitsubishi.

Para a Hyundai, a primeira posição é uma posição de importância e reconhecimento mundial. Mas, na prática, ter a FCA, significaria também resolver alguns problemas importantes. Um deles é a queda nos mercados dos EUA e China, este último por conta de questões diplomáticas. Nesse aspecto, as relações entre Coreia do Sul e EUA estão muito mais próximas devido à crise na península coreana e evidentemente a aquisição de uma das Big Three pela Hyundai seria vista com bons olhos na Casa Branca.

Mesmo sem a FCA ter grande presença na China, ela compensaria no mercado americano, onde é reconhecidamente uma das Big Three e ajudaria na recuperação das vendas da Hyundai no país, que estão em queda. Além disso, a Europa tem boa representatividade dentro da FCA com a Fiat e suas marcas, assim como no Brasil, onde atua também com a Jeep. Falando nesta, a recuperação chinesa pode se dar com a marca americana, apreciada pelo consumidor local.

Por fim, a crise nuclear envolvendo as duas Coreias e os EUA poderia ser compensado em último caso com a produção americana nas fábricas da FCA. Mas, de acordo com o analista de mercado Lee Jae-il, responsável pela área de automóveis da Eugene Investment & Securities, a união para a Hyundai traria um conflito de interesses nos segmentos A, B e C, pois a Fiat produz carros compactos que concorreriam com os das duas marcas asiáticas do grupo, segundo o Korea Herald.

Sabe-se, porém, que na Europa Ocidental não haveria tanto problema, devido ao tamanho do mercado continental. Assim, poderia haver tal convivência. No Brasil, o HB20 é vice-líder e a Fiat não tem mais um campeão de vendas para bater de frente com Onix, por exemplo. Assim, não haveria um fogo amigo tão direto também. Na Índia, as vendas da Fiat são limitadas em relação ao que a Hyundai consegue por lá.

Para a FCA, ter a Hyundai como controladora significará reduzir enormemente os custos de produção. O mercado vê isso com bons olhos e analistas acreditam que a sinergia entre as duas empresas não seria difícil, o que ajuda na economia em escala. Além disso, o capital sul-coreano pode acelerar a expansão da Jeep no cenário chinês para compensar as perdas de Hyundai e Kia. Nos EUA, a RAM evitaria qualquer investimento maior em picapes por parte da Hyundai, ficando esta apenas com a Santa Cruz. A sinergia poderia até levar a plataforma da Fiat Toro para dentro da gama das sul-coreanas ao invés da RAM tentar emplaca-la nos EUA.

Para Lee Jae-il, o negócio tem até preço. Segundo o analista sul-coreano, a Hyundai pode pagar algo em torno de US$ 9,83 bilhões pela FCA, mas nisso incluída a marca Maserati e a Magneti Marelli. Mas, sem estas empresas, o valor cai pela metade. Rumores dizem que a pressão da família Elkann é grande sobre Marchionne, para que o mesmo separe as operações de Alfa Romeo e Maserati, que continuariam com o grupo italiano junto com a Ferrari.

Mas, o valor cheio mencionado acima estaria mais ligado ao valor da sistemista do que da marca de luxo italiana. Segundo o Corriere Della Sera, há duas opções para a Magneti Marelli: uma venda em separado ou em conjunto com o grupo. Mas, a primeira, a ser feita para um fundo financeiro, por exemplo, poderia colocar toda a tecnologia de engenharia da Fiat Chrysler nas mãos de um concorrente. Com a Hyundai, tudo ficaria em casa. Mas, sem ela, os sul-coreanos teriam de negociar com o novo proprietário, o que pode ser um risco se o mesmo acabar se tornando um fabricante rival posteriormente.

Ainda que sem Maserati e Alfa Romeo, a Hyundai não ficaria ruim no negócio, visto que a escala em volume de tais marcas não faria tanta diferença em termos globais, mas sua importância sim. De qualquer forma, isso também evitaria um possível conflito de interesses com a Genesis, por exemplo.

[Fonte: Korea Herald/Auto.cz/Corriere Della Sera]

  • J_Eduardo

    A Chrysler virou lixo, não se questiona a perda ou não da Dogde ou da Jeep ou outra marca do lado da marca americana, a questão é o lado italiano da coisa. Curioso tb como a Fiat que já foi a FIAT vai no bolo …
    Agora olhando aqui de fora sem conhecimento algum, me parece que se já não deu muito certo a mistura das culturas americana e europeia (do motor grande sem muita frescura x o motor pequeno cheio de tecnologias) numa grande empresa liderada pelo lado europeu, a chegada de um novo patrão Asiático com métodos focados em eficiência e disciplina e muita racionalidade, com uma estética por vezes diferenciada da cultura ocidental, podem tornar a futura “HFCA” mais um trambolho a ser repassado…

    • th!nk.t4nk

      Cara, acho que a coisa está sendo romantizada. A Chrysler nunca foi tudo isso nao. A Jeep sempre foi criticada também como marca. Os italianos nao ferraram com nada. Na pior das hipóteses continuou na mesma, mas se você considerar que a Chrysler estava complemente falida anos atrás, então a FIAT foi benéfica pra eles (melhor do que fechar completamente as portas). Vejo com bons olhos a uniao entre Hyundai e FCA sim. Melhor do que unir com alguma marca japonesa de administraçao fechada demais, pois os coreanos no geral são bem mais ocidentalizados na forma de gerirem suas grandes empresas (com algumas exceçoes).

  • Cincinato

    Estranho a estratégia tanto da gm que vendeu a opel quanto a FCA para Hyundai.
    Talvez os americanos estão enxergando algum tipo de bolha para o setor automotivo.
    A conferir.

    • th!nk.t4nk

      Nao exatamente. É a simples consolidaçao do setor, já esperada há muito tempo. Havia um excesso de marcas no mercado. Já no início dos anos 2000 se especulava que muitas montadoras iriam morrer no futuro, e esse tempo tá chegando. Com a eletromobilidade entao, imagina. Os italianos querem capitalizar agora, e talvez seja mesmo uma boa estratégia, pra mudar o rumo de seus investimentos.

  • Munn Rá : O de Vida Eterna

    Sinceramente por mim ” esquartejava ” FCA entre automobilísticas chinesas : Invés da Hyundai ter que escolher em que investir neste grupo ( Jeep, Dodge, Abarth, Alfa Romeo, Chrysler,, Fiat, Lancia, Maserati entre outros ) além do fato dela própria já possuir um bom portifólio de marcas e modelos ( Kia e Hyundai com diversos modelos além da marca de luxo Genesis ) automobilísticas chinesas ávidas por adentrarem no mercado europeu e americano fariam trabalho ” melhor ” aproveitando ao máximo essas marcas embora a própria Hyundai poderia vender as marcas ” excedentes ” deste grupo

  • invalid_pilot

    E tem fanático fã (redundância) da Fiat que diz que a marca vai bem obrigado.

    • Walter Augusto

      Compra e fecha às portas da FCA….kkkk

    • thi

      So cego. A marca so vendi aqui e alguma coisa na italia

    • tiago

      O grupo vai bem! e posso provar

      • invalid_pilot

        Vai sim, estão doidinhos pra alguém comprar/fundir e etc

        • tiago

          Muita especulação, quando algo acontecer teremos algo para analisar.
          No momento o grupo está bem operando em uma margem de lucro saudável.
          Pode olhar os balanços financeiros.

          • joao vicente da costa

            Essa análise parece ser mto. imediatista, na minha humilde opinião.
            A Fiat há tempos não tem mais o capital necessário para os cada vez mais custosos novos projetos (basta ver que tanto a Fiat Italia quanto a Fiat Brasil não lançam uma plataforma nova há mais de dez anos – Fiat Toro usa plataforma Jeep, não conta…).
            E essa é uma situação que vai se tornando uma bola de neve: sem dinheiro, sem novos projetos; sem novos projetos, sem carros verdadeiramente relevantes no mercado; sem isso, sem capital para investir… e por aí vai…

            • tiago

              Não é imediatista, e plataforma da fiat Toro é SUSW e deriva da fiat-GM, desenvolvida em Turim.
              quanto aos novos projetos, eles estão previstos, menos do que o necessário, mas previstos.
              Sem contar que, estão diminuindo o débito industrial de forma acelerado, facilitando o acesso aos capital necessário com taxa de juros favorável.
              No mais existem produtos bem lucrativos como jeep wrangler, RAM P/U, Maserati etc.
              Uma plataforma muito avançada, Giorgio, uma linha de motores avançada – SGE/GME, prontos para receber os sistemas mild hybrids. Parceria com Intel no desenvolvimento de carros autônomos.
              Enfim, a situação não é ruim, pelo contrário, é uma operação lucrativa e sustentável.
              Com margens na casa de 6%, os investidores podem querer mais, mas é isso que o mainstream market oferece.

              • joao vicente da costa

                Valeu pela análise.

    • carroair30

      Eu so tenho uma duvida:qual motor é o menos PIOR ,o VAZA OLEO OU o QUEIMA BOBINA ????

    • Jeremias Flores

      tão bem que o grupo FCA já questionou se não deveria fechar a marca.

  • Pedro154

    Fiat Uno Mille: o melhor e mais tecnológico carrega-escada do planeta. LOL!

  • Ducar Carros

    Para a Hyundai Brasil seria ótimo, teria a fábrica ociosa de Betim para fazer mais HB20 e Creta, e quem sabe, passar a fazer aqui o Elantra.

    • Deadlock

      Coisa ridícula, fábrica de Fiat virar fábrica de Hyundai, num passe de mágica. Não tem ideia do que seja indústria. A Hyundai não irá matar a Fiat, mas melhorá-la, o que seria bom para nós.

      • O mais inteligente seria fechar pois a Fiat não vende bem na maior parte dos países que atua, ate mesmo como marca de baixo custo.

      • Ducar Carros

        Devo ter muito mais que você, meu caro, meu trabalho inclui relacionamento e visita a plantas industriais.

        Converter linhas de produção é muito mais barato e rápido que fazer uma planta do zero, e a Hyundai está com falta de capacidade para atender à demanda. Já os modelos da Fiat de Betim estão com o problema inverso, falta de demanda. Mesmo melhorando os modelos atuais da Fiat, ainda teria bastante espaço para introduzir os modelos da Hyundai em Betim.

        • Eles podiam usar Betim pra fazer a linha Rio da Kia, o Picanto, e o Hyundai i10, com nome HB10. Tudo abaixo de 50 mil pra concorrer com Kwid e cia.

      • Seven23

        Pelo menos não serão os chineses, eu acho.

      • robim

        E exatamente isso. Pessoal acha que linha de produção e igual prateleira de supermercado coloca o produto que quiser la e Boa. Buraco e mto mais embaixo.

  • Pedro Henrique

    FCA é o grupo de empresas que tão todas com problemas financeiros e decidiram se juntar, dai agora surge isso da hyundai e o motivo é que a hyundai enfrenta problemas comerciais…
    meu esse é o eterno vender almoço pra comprar jantar, quando acabar as empresas cm problemas pra se juntar eles vão ir pro poço todos juntos

  • Primeira coisa depois da fusão, fechar a Fiat. Não tem sentido Hyundai, Fiat e Kia na gama.

    • thi

      Verdade

    • Pedro Evandro Montini

      Assim como não teria sentido Peugeot, Citroën, Opel e Vauxhall dentro do mesmo grupo. Mas estão.

      • Mas nem eles nem vc sabe se vai dar certo, acabaram de comprar e como ja sabem disso saiu noticia que Opel e Vauxhall vao focar em eletricos pra toda a gama. Ja no caso de Hyundai-Kia é pq haveria uma canibalização mesmo, a não ser que a Fiat fosse uma espécie de Dacia no grupo.

  • beto

    Gosto da análise dos “entendidos” deste site. Quando vcs vão compreender que os reais motivos não são divulgados, pois estão muito além do que os veículos de comunicação noticiam?

    • th!nk.t4nk

      Exatamente. O resto é especulaçao barata. As pessoas nem fazem ideia do que rola por trás nessas corporaçoes, tem muita estratégia de longo prazo.

  • Hodney Fortuna

    Eita! Vai ter gente olhando para um Palio ou Mille e dizendo possuir um HB20!

    • thi

      Tres carros populares

      • João Cagnoni

        Sim, o HB20 é muito melhor mas a sua única diferença é ser um projeto mais recente.

  • RSRX

    O que acredito: Fiat continuará sendo vendida aqui, mas deverá abandonar o mercado americano e oeste-europeu. A Chrysler poderia ter uma fusão com a Hyundai, que conseguiria entrar no segmento de vans com a Pacifica, e um sedan grande de prestígio como o 300C. A Jeep poderá ser a que mais ganhará com esse processo. Um alcance global ainda maior. A RAM e a Dodge transfeririam muitas tecnologias para a Hyundai.

    • thi

      Chrysler? Essa marca esta morta faz tempo

    • A Hyundai já tem van na sua marca, a Starex. Tem na Kia também. Na Hyundai Kia, o portfólio é completo.
      Pra eles, interessante seria agregar marcas como Jeep e Ram, e de quebra algumas mais regionais como Fiat, para complementar portfólio e se alavancarem. Vejo a possível compra da FCA como interessante para a Hyundai, pela complementariedade.

  • Alvarenga

    E assim segue o mundo, cada vez mais cartelizado e na mão de menos grupos. Depois quando pagamos preços absurdos e ficamos sem opção muitos se perguntam por que ?????

    • Marcel

      Pois é, e ainda me surpreende quando leio que analistas veem isso com bons olhos, pois traria supostamente sinergia e redução de custos, só que para o consumidor não significa redução de preços.

      • Nos mercados desenvolvidos diminiu custos e eles repassam sim, tem muitos ex. o Brasil e diferente o que dita preços altos aqui e o protecionismo do governo.

        • Marcel

          Se não tiver concorrência forte não cai o preço.

  • Nicolas_RS

    A julgar a qualidade dos serviços da Hyundai com o grupo FCA, não passa de boato, é um erro colossal misturar com essa laia da FIAT.

  • Mario

    A verdade, é que daqui a 10 anos a maioria dos carros será elétrico! Vemos todos os dias, notícias sobre elétricos, prazos, etc! Talvez os acionistas da FCA estejam abrindo mão de desenvolver tal tecnologia! A China mandará no mercado de elétricos!

  • Paulo Fonseca

    Muito ainda está por vir. Muitas marcas deixaram de existir, algumas surgirão com a revolução autônomo/elétrica.

    Não tenham apego, muitas das marcas que vcs gostam não vão aguentar essa onde e desaparecerão.

  • Márcio Motta

    acho a Hyundai muito eficiente e pode melhorar a FCA.

  • awatenor

    Para a FCA, é a melhor coisa que lhe pode acontecer.

  • Dreidecker

    Será que agora o Sergio Marchionne sossega o facho ?

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend