Crossovers História Hyundai SUVs

Hyundai ix25: todos os detalhes (do irmão do Creta)

Hyundai ix25: todos os detalhes (do irmão do Creta)

O Hyundai ix25 é um SUV compacto desenvolvido a partir do Kia Soul para atuar em mercados emergentes.


O modelo surgiu primeiramente na China e logo se espalhou, atravessando a Índia com força e chegando ao Brasil com sucesso parecido, mas nesses casos, com outro nome: Creta.

O crossover utiliza nomenclatura que a Hyundai designou para a Europa originalmente e vem sendo um dos produtos mais aceitos do fabricante da Coreia do Sul, que recentemente o atualizou em uma segunda geração, que da mesma forma que a primeira, originou-se na China.

Hyundai ix25: todos os detalhes (do irmão do Creta)


O ix25 foi uma resposta rápida e eficaz da Hyundai ao crescimento expressivo de crossovers e SUVs mundo afora, aproveitando a boa base e experiência da irmã Kia Motors com seu pequeno Soul.

Entretanto, a marca já tinha largo conhecimento em utilitários esportivos de portes maiores, como as gerações do Tucson e do Santa Fé.

O ponta-pé inicial seria no maior mercado do mundo em volume, hoje um lugar onde muitos lançamentos se tornam mundiais, dada a importância e apetite (ainda voraz) por novidades em automóveis.

A lição aprendida com o Hyundai ix25 fez com que a empresa apostasse posteriormente em irmãos menores e dinâmicos, como o Kona e o recente Venue.

Hyundai ix25

Hyundai ix25: todos os detalhes (do irmão do Creta)

Dois fatores contribuíram fortemente para que o Hyundai ix25 surgisse exatamente na China. O primeiro e mais importante era que as vendas de utilitários esportivos estavam galopando num mercado que crescia dois dígitos anualmente.

Na segunda década do século 21, o país acelerou as vendas de carros sem de forma sem precedente.

A Hyundai não podia ficar de fora desse crescimento e por mais um motivo. Apesar da proximidade, as vendas de carros de marcas sul-coreanas nunca alcançaram os níveis de fabricantes como Volkswagen, GM, Toyota, Honda, Nissan e Mazda, por exemplo.

Um dos motivos tem relação com a questão política envolvendo as duas Coreias. A influência de Pequim no mercado sempre foi grande, mas ainda assim, a Hyundai precisava melhorar sua situação, tal como a Kia Motors.

Então, a ordem era ampliar o portfólio para atrair cada vez mais o consumidor, remando assim contra a maré.

Hyundai ix25: todos os detalhes (do irmão do Creta)

Na China, o mercado é tão grande que sobreposições de produto, especialmente por causa de mais de um sócio, faz com que a gama de modelos seja enorme, mas em 2013, a Hyundai podia contar até com três gerações do Elantra ao mesmo tempo, algo que viríamos recentemente aqui no Brasil com o Tucson e seus irmãos mais novos.

No entanto, não havia nada abaixo do Tucson e para bater de frente com o Honda Vezel (HR-V), a Hyundai recorreu à plataforma do Kia Soul, que já tinha anos de mercado em qualquer lugar.

Apostando em linhas robusta e num baixo custo para atingir mercados sensíveis ao preço, a empresa partiu para um carro que fosse mais um SUV familiar do que um crossover feito para jovens.

Hyundai ix25: todos os detalhes (do irmão do Creta)

Assim, nasceu o Hyundai ix25. O posicionamento obrigatoriamente seria abaixo do ix35, segunda geração do Tucson, sendo assim mais barato.

Naquela época, o mercado automotivo americano ainda não considera os SUVs pequenos como uma prioridade, assim como a Europa ainda não via tal crescimento em segmentos de acesso.

Então, o Hyundai ix25 não precisava necessariamente ser um carro mais elaborado para atingir essas regiões, uma falha que só agora começou a ser consertada.

Mesmo com o HR-V indo para a América do Norte, a marca sul-coreana preferiu não arriscar, algo típico dela, apostando no caminho mais fácil, os mercados que mais estavam crescendo.

Emergente de sucesso

Hyundai ix25: todos os detalhes (do irmão do Creta)

Em 2014, no Salão de Pequim, há exatos cinco anos, a Hyundai mostrava ao público chinês seu primeiro SUV compacto ainda em forma conceitual, o ix25.

Com estilo inspirado no filosofia “Fluidic Sculpture 2.0”, o utilitário esportivo chamou a atenção por adotar um design que já era vitorioso em diversos lugares através de produtos como Sonata e HB20, por exemplo.

A semelhança com o segundo era bem forte, adotando faróis monoparabolas com luzes diurnas em LED e grade hexagonal com frisos horizontais. O para-choque não era tão elevado, mas seguia a tendência de adotar um protetor inferior de aparência metalizada.

Além disso, o Hyundai ix25 amplia a proposta estética do Kia Soul com teto e colunas A retas, reforçando tanto as colunas C quanto a linha de cintura, alta para transmitir mais segurança e comodidade.

Na traseira, a marca seguia sua tendência de lanternas grandes e cortadas pela tampa do bagageiro, a fim dar mais volume ao conjunto.

Hyundai ix25: todos os detalhes (do irmão do Creta)

A impressão de poder enfrentar qualquer terreno vinha das proteções com acabamento preto nos para-choque e especialmente nas laterais. Os retrovisores com repetidores de direção davam certa elegância ao produto, assim como destaques cromados nas opções mais caras.

A ideia era parecer maior do que realmente era, já que media 4,270 m de comprimento, 1,780 m de largura, 1,630 m de altura e 2,590 m de entre eixos.

Os números eram bem exatos, indicando que não haveria mudanças de estilo que às alterassem antes da geração seguinte, o que de fato ocorreu.

A linha de cintura subindo para a traseira dava fluidez ao conjunto mais parrudo. O porte atlético e envolvente se traduzia também em um interior prático, feito não para impressionar.

Assim, o Hyundai ix25 seguia os demais com o cluster analógico SuperVision de boa visualização, sistema de áudio integrado com rádio simples ou multimídia com tela de 7 polegadas, bem como painel com linhas verticalizadas.

Hyundai ix25: todos os detalhes (do irmão do Creta)

Havia algumas coisas legais, como os envolventes puxadores das portas e o ar condicionado automático de design compacto e moderno.

O Hyundai ix25 tinha ainda um bom volante multifuncional e um ambiente bem amplo para seu porte, especialmente por conta de um efeito presente em modelos como o HB20.

Para dar uma amplitude visual sem mexer com o tamanho, a Hyundai utiliza acabamento pouco proeminente nas portas, fazendo com que estas sejam mais finas que o normal, ganhando assim em espaço lateral e na sensação de volume maior. Mesmo assim, o espaço para pernas atrás e o porta-malas de 432 litros, eram mais do que suficientes para um SUV tão pequeno.

O bom aproveitamento de espaço se traduziu também em mais conteúdo, chegando a ter banco do condutor refrigerado, aquecimento nos assentos dianteiros, teto solar elétrico, acabamento em couro, sistema de áudio com memória interna de 1 GB, sistemas Google Android Auto e Apple Car Play, TV digital, navegador GPS, câmera de ré, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, entre outros.

O Hyundai ix25 também cumpriu bem em segurança, não poupando despesas em controles de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa, freios com ABS, discos nas quatro rodas, carroceria com zonas de deformação para levar cinco estrelas no NCAP e demais itens de proteção individual e coletiva a bordo.

Hyundai ix25: todos os detalhes (do irmão do Creta)

Em agosto de 2014, o Hyundai ix25 reestreou em Chengdu como preço e tudo, passando assim a estar disponível no mercado chinês com preços a partir de 119.800 yuans ou cerca de R$ 68.980 em conversão direta com cotação atual.

Ou seja, preço semelhante ao da proposta PCD para o Creta nos dias de hoje.

Lá, o Hyundai ix25 surgiu com os motores Gamma e Nu. O primeiro é o conhecido 1.6 de aspiração natural e injeção indireta, entregando 123 cavalos e 15,4 kgfm, enquanto as versões mais caras tinham motor 2.0 de características semelhantes com 158 cavalos e 19,6 kgfm.

A transmissão tinha seis marchas, tanto manual quanto automática. A tração nas quatro rodas só estava disponível com motor 2.0.

Basicamente havia três versões do Hyundai ix25, mas o modelo já era bem completo desde a base. A marca esperou algum tempo até lançar uma versão mais potente, equipada com motor Gamma 1.6 T-GDi de 162 cavalos e 25,5 kgfm.

Hyundai ix25: todos os detalhes (do irmão do Creta)

Esse propulsor de quatro cilindros com turbocompressor e injeção direta deu ânimo ao Hyundai ix25, buscando fazer a diferença deste em relação à enorme concorrência local.

Mas isso só ocorreu no começo de 2017, trazendo ainda uma caixa automatizada de dupla embreagem com sete marchas, embora apenas com tração dianteira.

Esta opção tinha escape duplo estilizado, rodas de liga leve aro 17 polegadas exclusivas e bancos em tecido com padronagem esportiva.

Naquele ano, o Gamma 1.6 passou a ter 126 cavalos e o Nu 2.0 pulou para 162 cavalos, ambos com o mesmo torque.

Hyundai ix25: todos os detalhes (do irmão do Creta)

O Hyundai ix25 também recebeu outra adição, a do motor Kappa 1.4 T-GDi com 130 cavalos e 21,5 kgfm. O propulsor também adotou o câmbio de dupla embreagem de sete marchas, mas não tirou de cena o Gamma 1.6 na linha de entrada. Assim, o SUV feito pela Beijing-Hyundai durou exatos cinco anos no mercado chinês.

A atualização visual mudou o desenho dos faróis de neblina (agora horizontais), detalhes da grade, faróis com projetores e lanternas repaginadas, porém, mantendo o mesmo formato.

O Hyundai ix25 é oferecido atualmente nas versões GS, GLS e DLX, somente com motores 1.6 e 1.4 Turbo (GLS e DLX), bem como tração apenas na dianteira.

Hyundai ix25 – nova geração

Hyundai ix25: todos os detalhes (do irmão do Creta)

O Hyundai ix25 foi bem-sucedido na China e após cinco anos, tempo de duração de ciclo de geração na Hyundai-Kia, o SUV ganhou sua segunda geração.

Com o surgimento dos crossovers Kona e Venue, o produto teve que crescer um pouco para se distanciar destes, principalmente do primeiro.

Assim, o Hyundai ix25 2020 chega com 4,300 m de comprimento, 1,790 m de largura, 1,628 m de altura e 2,610 m de entre eixos.

Ou seja, só ficou apenas um pouco mais baixo, mas naturalmente deve ter ampliado o espaço interno e o bagageiro, ainda não revelados pela marca.

Hyundai ix25: todos os detalhes (do irmão do Creta)

Controverso, o design do Hyundai ix25 2020 não agradou tanto fora da China, onde o produto deve influenciar a nova geração do Creta.

A frente ficou curvada e as luzes diurnas em LED foram divididas entre um arco superior e um “J” inferior. Os faróis triangulares são um tanto estranhos, enquanto a grade ficou isolada e ostentando o desenho global atual.

O para-choque uniu-se de vez ao corpo superior e ficou mais baixo, tendo protetor central em cinza ampliado. Faróis de neblina e luzes de curva são facilmente identificáveis.

O Hyundai ix25 2020 manteve as colunas A retas e em preto brilhante, tendo teto reto com arco em cinza curvando-se sobre as colunas C. As janelas das portas traseiras foram suavizadas.

Hyundai ix25: todos os detalhes (do irmão do Creta)

Um acabamento em preto brilhante sobrepõe o cinza no teto até o defletor de ar traseiro. Se a frente chama atenção, a traseira do Hyundai ix25 2020 não fica atrás, tendo lanternas divididas em três corpos, sendo um com lente única na parte superior e duas com óticas mais baixas e triangulares. O para-choque traseiro estranhamento porta grade no protetor cinza como o dianteiro.

O interior não foi revelado de imediato, mas fotos recentes mostram um ambiente bem conceitual no Hyundai ix25 2020.

Neste, o console central é uma enorme tela vertical que se funde com o túnel, onde uma estilosa alavanca cromada e comandos dignos de carro de luxo podem ser observadas. Os difusores de ar ficam isolados na parte superior do painel e o volante é o mesmo de Kona e Venue.

No Brasil, ix25 é Creta (e outros mercados)

Hyundai ix25: todos os detalhes (do irmão do Creta)

O Hyundai ix25 foi uma criação inicialmente feita para a China (assim como o Kia KX3) e somente em 2015, a marca tornou o produto global, mas com um nome: Creta.

Este é referente à ilha grega do mar Egeu e foi adotada inicialmente na Índia (Chennai), tendo sido feito também na Rússia (São Petersburgo) e na Argélia (Tiaret), sendo vendido assim em vários mercados.

Apenas na República Dominicana é que o nome Creta foi trocado por Cantus, por motivos locais.

No Brasil, adotou a denominação global, determinada pela Hyundai, sendo assim feito em Piracicaba-SP. Só na Índia, as reservas antes do lançamento alcançaram incríveis 70.000 unidades. Lá, ele ganhou motor diesel 1.6 CRDi.

Hyundai ix25: todos os detalhes (do irmão do Creta)

Por ora, o Hyundai ix25 2020 gera certa expectativa por causa de seu estilo. A marca sul-coreana tem feito mudanças nos projetos relacionados com a China, como é o caso do Encino, versão local do Kona e o New ix35, nova geração do SUV com base na plataforma do velho ix35.

Assim, pode ser que o Hyundai ix25 2020 talvez não interfira no design do Creta, mas se isso ocorrer, ele seguirá apenas a tendência da própria marca.

O SUV precisa ainda mostrar a que veio na China, pois, o ambiente interno parece luxuoso demais para um SUV compacto, mesmo por lá, visto que não é elétrico.

Hyundai ix25: todos os detalhes (do irmão do Creta)

Na parte mecânica, os prováveis motores Kappa e Gamma com turbo e injeção direta deverão dominar.

Outra possibilidade é o surgimento de uma alternativa ao Hyundai ix25 2020 na Dongfeng-Yueda-Kia, portanto, ostentando as linhas de Peter Schreyer. Feito para a China, o ix25 conquistou quase todo o mundo como Creta, exceto EUA e Europa.

Hyundai ix25: todos os detalhes (do irmão do Creta)
Nota média 4 de 3 votos

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • th!nk.t4nk

    Caramba, mas é um HB20 por dentro. Interior de carro popular num modelo dessa faixa de preço é de amargar.

    • Domenico Monteleone

      De fato é um dos mais fracos do segmento, pior que ele só o T-Cross e o Tracker.

      • Edson Fernandes

        Captur tbm.

    • Leonardo

      Bom, de fato, 100% dos “SUVs” compactos vendidos no Brasil são bem simples e populares, exceto no preço que já beijam os 120 mil.

  • Washington Silva

    Se alguém me dissesse que esse novo ix25 é uma versão nova do antigo ssangyong actyon, eu acreditaria. Aliás, nem a ssangyong fabrica carros tão feios mais.

  • Schoenfelder

    Todo mundo crítica, mas todo mundo compra. Está sempre entre os mais vendidos da categoria, mesmo sem se destacar em nada. Até em termos de motorização, é beeem mais ou menos.

    • Domenico Monteleone

      Essa é uma fórmula de sucesso por aqui, ser mediano em tudo, é assim co ma Honda tbm.

      • Unknown

        Quer melhor exemplo do que o Ônix e seu sucesso estrondoso?

    • Gran RS 78

      A mesma cartilha empregada pelos modelos da Toyota, especialmente o Corolla.

  • Bryan Silva

    “Naquele ano, o Gamma 1.6 passou a ter 126 cavalos e o Nu 2.0 pulou para 162 cavalos, ambos com o mesmo torque”. Eita frase ambígua.

  • Unknown

    O IX25 é melhor que o Creta, em design, apesar da pequena diferença… agora, esta nova geração do IX 25, é a coisa mais horrenda que eu já ví!

  • Gran RS 78

    E o IX25 tem freio a disco traseiro lá, teto solar e versão com motores turbo. Mais uma vez o Brasil é tratado como um país de segunda categoria, por todos os carros são depenados quando são vendidos por aqui, isso vale até para modelos importados, pois há uma diferença gritante, tanto nos materiais de acabamento, itens de sério e motorização. Uma vergonha, pois pagamos mais caro que qualquer outro país pelos carros.

    • Edson Fernandes

      Além do que…. detalhes da carroceria melhoram demais o visual. O farol de neblina em posição vertical, grade, acabamento de colunas, lanternas com um desenho mais ousado…. tem diversos pontos que ajudam a agradar no visual. Aqui ele foi bem empobrecido em diversos detalhes.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email