Argentina Crossovers Hyundai

Hyundai Kona deve ser vendido na Argentina; Brasil ainda é incógnita

Hyundai Kona deve ser vendido na Argentina; Brasil ainda é incógnita

Aposta da Hyundai para mercados como Europa e Estados Unidos, o novo Kona será oferecido também em outros locais. Um deles deverá ser a Argentina. Conforme informado pela própria fabricante sul-coreana logo após o evento de lançamento, o inédito crossover compacto deve começar a ser vendido no país vizinho em meados do final de 2018.


Na Argentina, o novo Hyundai Kona será oferecido como um produto superior ao Creta, que é importado da Índia. Para tal, o modelo vai apostar no visual mais moderno e também no interior com acabamento mais refinado, além da lista de equipamentos mais recheada, com foco nos recursos de segurança.

Ainda não se sabe, porém, quais motores vão equipar o Kona para o mercado hermano. O modelo foi anunciado com um motor 1.0 litro turbo de três cilindros, com 120 cv, 1.6 turbo com 177 cv e 1.6 turbodiesel com 134, além de um 2.0 aspirado com 149 cv, associados a um câmbio manual de seis marchas ou automatizado de sete velocidades e dupla embreagem.

Hyundai Kona deve ser vendido na Argentina; Brasil ainda é incógnita


Também ainda não há informações mais completas sobre se a Hyundai cogita oferece-lo em nosso mercado.

Por aqui, o crossover poderia ser ofertado como um modelo da Hyundai CAOA, para ocupar o lugar do já extinto Tucson, embora possa concorrer diretamente com o Creta e também o ix35 em questões de preços.

Hyundai Kona deve ser vendido na Argentina; Brasil ainda é incógnita

Hyundai Kona – ficha técnica

Motor 2.0 litros, de quatro cilindros, com 147 cavalos de potência e 132 lb-ft de torque, câmbio automático de seis marchas
Tração integral
Consumo de 10,5 km/l na cidade e de 12,6 km/l na estrada
Capacidade do tanque de combustível de 50 litros
Autonomia de 633 km com um tanque de combustível

Capacidade de passageiros 5
Pneus dianteiros medida P215/55 HR17
Pneus traseiros medida P215/55 HR17
Rodas dianteiras 17 X 7
Rodas traseiras 17 X 7

Comprimento 4,16 metros
Entre eixos 2,60 metros
Largura com espelhos 1,80 metro
Altura 1,54 metro

Leia avaliações, notícias sobre carros e compare modelos em NoticiasAutomotivas.com.br.

Hyundai Kona deve ser vendido na Argentina; Brasil ainda é incógnita
Este texto lhe foi útil??

56 Comentários

Clique aqui para postar um comentário

    • Essa é fácil responder, na ótica caoistica o modelo 2.0 só com 2AB e ABS 89.000 para o lugar do Tucson e o completo 115.000 com motor 2.0 ou 125.000 com motor 1.6T no lugar da IX35

  • Obvio que vira pelas maos da CAOA , Obvio que superfaturado como todo Hyundai cafetinado , explorado pela CAOA kkkkk
    E vai vender pois lembro quando fui buscar meu Sonata na revisao um cara pagou 90 mil reais na epoca num veloster sem ao menos ter um no showroom para ver.

    • Eu tenho minhas dúvidas, principalmente pq os carros da CAOA são capados, venderem o KONA pelado com um preço superior ao Creta completo não faria muito sentido ao público. Só faria sentido se numa tacada matassem ix-35 e Tucson com preços partindo de 90.000 para a versão 1.0t completa em segurança e pelada no quesito conforto e uns 110.000 na versão 1.6t ou 2.0 completa

      • Acho que vem tipo um Kia Soul de nicho estrumbado de equipamentos e exorbitante no preço e tenha certeza o povo vai comprar . Eu curto Hyundai tive Santa fe , Veracruz Sonata e o ultimo foi um Azera 12 mas todos comprados usados . Lembro que quando estavam vendendo este veloster de 90 mil ate a pintura branca que e solida cobravam 5 mil e o povo pagava kkkk loucura.

    • De 2009 a 2011 na verdade………0 2009 era R$ 78.800,00 completíssimo – preço que alguns (tontos???) pagavam nos seus Civics e Corollas na mesma época…ou no terrível Vectra Elite. Mas o i30 era vendido abaixo da média do mercado para hatches. Era referência também em preço….saudosos tempos……..

    • Exato quando fechei negocio em uma Santa Fe 2009 em 2011 paguei o preço dela equivalente ao Azera basico 0km. 80 mil reais Estavam liquidando ele a preço de Civic e Corolla top de linha.

      • sim eu tenho um Azera 2011 era vendido a 74mil o completo e 81.900 o top (teto,xenon, memorias, JBL) sendo que fusion 4cilindros era 84mil e o V6 era 108mil…..como que o fusion era mais caro se nao pagava imposto do mexico e o azera pagava tudo,,,,a ford ganha muito. ……… agora to com um Altima 13/14 tambem….. 2.5 que faz 16,8km/l a 80km/h…. Azera e altima na garagem, (detesto pseudos SUV que sao menores que UNO dentro, mas por fora sao grande

  • Chega à Argentina importado da Índia!!! Dá uma volta no globo de navio, com o Brasil logo ao lado! Sei que a fábrica atual mal dá para a demanda do Brasil, mas com ampliação poderia ser base de exportação para a AL. Mas pelo jeito ainda deve ser mais barato dar uma volta ao mundo…

  • Seria legal se o Kona viesse para o Brasil, mas seria deprimente posto que seria apenas mais um carro de primeiro mundo com preços estratosféricos que provavelmente só a classe média-alta pra cima iria comprar…

  • Se vier, a marca deve lançar o modelo por aqui daqui uns 2-3 anos. É um tempo que os donos de Creta estarão trocando o modelo e buscando um modelo melhor na linha de SUVS.
    O IX35 já estará – mais – antiquado (apesar de ser um carro até hoje bem atraente) quando comparado aos concorrentes. Com o Kona partindo de R$110 mil, o comprador teria uma linha moderna entre os SUVs Hyundai para (quase) todos os bolsos: Creta, Kona, Tucson, SantaFe.
    Mas, sinceramente, é um carro de gosto tão duvidoso que assim como o Nissan Juke, não creio que teria vendas tão expressivas com esse design.

  • Saí desse corpo, entidade! Vai pra lá com esse espírito SUV. Larga a Hyundai, sua demônia!

    Pelo amor de Deus. Já bastam as 3 gerações do Tucson vendidas simultaneamente no Brasil + Santa Fé + Creta. Nada menos que 5 SUVs! Tá bom já de SUV! Não precisa do Kona não.

  • O Kona só vai à Argentina pois o Creta de lá vem da Índia, sendo o Kona a alternativa para quem quer algo mais sofisticado (semelhante ao que acontece com Duster e Captur no Brasil).
    Como aqui o Creta já oferece um bom nível acabamento e itens de segurança, lançar mais um SUV compacto iria gerar só canibalização nas vendas.

  • Kona deveria vir em apenas trêss versões: Uma 1.0 turbo completa com todos os opcionais possíveis; Uma Top 1.6 turbo com todos os opcionais possíveis; 1 Top 1.0 Turbo + Motor Elétrico (Híbrido) – também com todos os opcionais possíveis. Preço da 1ª Até 100k; Preço da 2ª, Até 110k; preço da 3ª até 120k. Pronto, já tiraria muitos clientes do futuro C-HR.

  • O KONA é um carro que vem na Europa para ser vendido por 19mil Eur (paridade Eur-Real 3,7, acaba dando uns 75mil Reail). Do tamanho que ele é (um carro “altinho” com a similar filosofía do antigo X1, em altura, não em qualidade-acabamento final)… esse carro sería para jogar fora o CRETA (que não conheço ele circulando por mercados fora o Brasil) e rebaixar o TUCSON ao patamar que merece (89mil-115mil reais).

    Como o Brasil é um pais de individualistas e especulação levada ao extremo… o fabricante coreano encontra-se numa incógnita na hora de levar em consideração: antigo Tucson, Ix35, Novo Tucson e por aí que vai. A tentação de dar um jeitinho leva eles a querer: reposicionar o novo tucson nos preços da SantaFé (e jogar esta fora), Colocar o Kona nos preços do IX35 (e jogar esta fora), Manter o Creta na faxa 75-100mil… e com esse circo repassar ao Brasileiro uma de “joão sem braço brasilis” e bola para frente (que nem fizeram com o Veloster, Elantra e por aí que vai)

    Ao que interessa… O consumidor Brasileiro precisa se tocar que nosso mercado deve acompanhar a tendência mundial com um portifolio padronizado, não essa brincadeira de ficar por aqui alavancando produtos com jeitiinho a preços exorbitantes. Só nessa condição que o pais irá crescer atualizando suas fábricas e podendo exportar os mesmos produtos para outros mercados, simples assim!!!

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email