Hyundai Matérias NA Sedãs

Hyundai Sonata: a história do sedã da escultura fluida

A chegada do Hyundai Sonata ao Brasil provou que, muitas vezes, o visual pode ser o fator determinante na hora de trocar de carro.

Hyundai Sonata: a história do sedã da escultura fluida


Muito superior ao modelo da geração anterior em seu desenho e também no nível de equipamentos, o sedã fez barulho por aqui. A dificuldade em distanciá-lo do Azera, porém, acabou gerando dificuldades para a própria marca, e isso encurtou a vida do Hyundai Sonata aqui no Brasil.

Mas, enquanto ainda era vendido, quais foram as principais qualidades do modelo?

Sonata – detalhes

Hyundai Sonata: a história do sedã da escultura fluida

O Hyundai Sonata foi o primeiro carro da marca lançado no Brasil dentro da famosa filosofia da “escultura fluida”. Mais do que mero marketing, esse estilo realmente mudou o patamar do sedã lá fora, e isso acabou refletindo aqui também.

Antes desse modelo, o Sonata já tinha sido lançado em cinco gerações anteriores, a primeira em 1985. Na época, ele se destacava pela carroceria bicolor e pela tração traseira. Sem muito sucesso, o modelo ganhou uma nova geração pouco tempo depois, em 1988, passando a ser oferecido apenas com tração dianteira.

A Hyundai investiu pesado na linha de motores e na tecnologia nas duas gerações seguintes, que apareceram em 1993 e 1998, respectivamente. Entre as novidades estava um novo propulsor 3.0 V6, oferecido apenas em alguns mercados. Em 2005, quando a quinta geração foi lançada, o Sonata recebeu uma nova plataforma e os novos motores da família Theta.

Apesar de tudo isso, o visual continuava sem graça, e isso afetava diretamente as suas vendas. Foi apenas com a chegada da sexta geração, em 2010, que tudo mudou. E essa nós conhecemos bem, pois foi exatamente quando a marca decidiu trazer novamente o Sonata para o Brasil, depois do fracasso com modelos anteriores, entre 1994 e 2002.

Enorme sucesso lá fora trouxe o Sonata para o Brasil

Hyundai Sonata: a história do sedã da escultura fluida

A diferença visual era gritante, e as novidades mecânicas apenas aumentavam ainda mais a lista de qualidades do novo Sonata. Essa receita deu ao sedã da Hyundai o posto de carro do momento nos Estados Unidos, e as vendas explodiram.

De um modelo que via suas vendas cair (ficando em pouco mais de 100.000 unidades anuais), o Sonata pulou para mais de 200.000 unidades vendidas por ano. O recorde foi em 2012, quando 230.605 modelos foram para as ruas.

Foi por volta dessa época, e com muita expectativa, que o Sonata desembarcou no Brasil, sendo apresentado no Salão do Automóvel de São Paulo de 2010. Sua vida não seria fácil, já que o segmento contava com Ford Fusion, Honda Accord, Toyota Camry, Chevrolet Malibu e o atualizado Volkswagen Passat.

O visual da sexta geração, que também impressionou por aqui, seria um dos seus trunfos nessa batalha.

Escultura fluida o tornava bonito e eficiente

Hyundai Sonata: a história do sedã da escultura fluida

A dianteira contava com faróis que invadiam as laterais e, junto com a grade cromada, formavam os fortes vincos do capô. Também saindo dos faróis estava uma linha cromada, que marcava a linha de cintura na lateral. Os espelhos retrovisores tinham repetidores de seta em LED, as maçanetas eram cromadas e as rodas tinham 18 polegadas.

A traseira tinha uma coluna mais caída, e lembrava mais o estilo de um cupê do que propriamente de um sedã. As lanternas, assim como os faróis, invadiam a lateral, tendo entre si um friso cromado para separá-las.

No geral, o Sonata havia crescido 65 milímetros em relação à geração anterior, o que lhe dava uma distância entre-eixos de 2.795 milímetros. Essa medida, junto com o comprimento de 4.820 milímetros e a largura de 1.835 milímetros, permitia aos ocupantes uma confortável vida a bordo.

Entre os principais itens de conforto e segurança, o Sonata tinha dez airbags, freios ABS, ar-condicionado automático dual zone, bancos em couro, piloto automático, bancos dianteiros com ajustes elétricos e teto solar. O porta-malas também não decepcionava e podia levar até 470 litros de bagagens.

O modelo chegava com uma única opção de motorização, e era a já esperada opção 2.4, de 16 válvulas e 4 cilindros. Atuando junto com uma transmissão automática de seis velocidades, com trocas sequenciais e aletas no volante, o conjunto entregava 182 cv e 23,3 kgfm de torque.

Mais caro que o Azera?

Hyundai Sonata: a história do sedã da escultura fluida

Nem todos os comentários em relação ao Sonata, em sua chegada ao Brasil, foram positivos. O seu visual chamativo, por exemplo, era elogiado pela maioria, mas criticado por alguns, que ainda preferiam algo mais sóbrio.

Deixando esse aspecto subjetivo de lado, porém, existia um fator que realmente incomodava em relação ao novo Sonata: seu preço. A Hyundai ainda contava com certa desconfiança por aqui, e combatia isso com carros mais baratos, que ofereciam uma excelente relação custo x benefício.

Mas esse não seria o caso com o Sonata. Seu preço havia sido inicialmente divulgado em R$ 85.000, mas logo isso foi mudado, e os valores começariam entre R$ 92.000 e R$ 95.000. Como se não bastasse, muitas concessionárias aproveitaram o fator lançamento, e passaram a oferecer o sedã por salgados R$ 105.000.

A concorrência oferecia modelos mais baratos, como o Ford Fusion, que tinha sua versão 2.5 sendo vendida por R$ 84.900, enquanto a top de linha V6 custava R$ 99.900. Outro concorrente que saía por um valor menor era o Chevrolet Malibu, que custava R$ 89.900.

Mas o que mais chamava a atenção era a própria linha da Hyundai, que tinha o Azera (um modelo supostamente superior, com motor mais potente) sendo vendido por R$ 90.000. É verdade que o Sonata tinha um visual atualizado, além de um projeto mais novo, mas esse posicionamento acabou gerando uma forte (e desnecessária) concorrência interna.

Sonata – mudanças e novidades com o tempo

Hyundai Sonata: a história do sedã da escultura fluida

Depois de seu lançamento por aqui, em 2010, o Sonata passou por alguns retoques em outros mercados, como a Coreia do Sul. Mas nada disso foi aplicado ao modelo “brasileiro”, e ele continuou com o mesmo visual.

Nesse meio tempo, a briga interna com o Azera ficou ainda mais forte (e confusa), pois o irmão maior ganhou um novo visual que o deixou muito parecido com o Sonata. A verdade é que essa mudança trouxe alívio para quem realmente queria o sedã menor, mas não concordava com o preço abusivo, e dor de cabeça para quem tinha aceito pagar o valor de lançamento.

Modelo retocado chega ao Brasil na linha 2013

Depois de alguns meses sem importar o Sonata, especialmente por seu posicionamento entre Elantra e Azera, a Hyundai trouxe uma versão retocada do sedã para o Brasil, sendo vendida por R$ 105.000.

Não foram muitas novidades, mas elas foram bem pensadas e pontuais. Por fora, o Sonata passou a ter faróis de xenônio com um visual diferente e novos faróis de neblina, enquanto as lanternas receberam iluminação em LEDs e um novo esquema de filetes. A antena passou a ser do tipo barbatana de tubarão e as rodas de 18 polegadas foram atualizadas.

As novidades internas incluíam uma nova tela multimídia de sete polegadas e sensível ao toque. Dentre as suas várias funções, estavam o navegador GPS, câmera de ré e conexão Bluetooth.

Fim da linha

Hyundai Sonata: a história do sedã da escultura fluida

Em fevereiro de 2014, depois de apenas alguns anos sendo importado para o Brasil, o Sonata deixou de ser oferecido pela CAOA. Na mesma época, o Veloster também saía de linha.

O motivo era óbvio e estava dentro de casa: a concorrência com o Azera. Se o valor de tabela dos dois modelos já era próximo, na prática eram quase iguais. Na época, alguém interessado num sedã da Hyundai podia encontrar o Sonata a R$ 110.000 e o Azera a R$ 112.000.

Com motor V6 e mais equipado, o irmão maior acabava quase sempre levando a melhor.

Antes disso, impulsionado por ser uma novidade, o Sonata chegou a fazer relativo sucesso no segmento. Suas vendas chegaram a mais de 800 unidades mensais, totalizando 7.756 unidades em 2011, caindo para 3.391 em 2012 e ficando em apenas 414 em 2013.

Sonata – versões

  • Hyundai Sonata 2.4 16V

Sonata – equipamentos

Hyundai Sonata: a história do sedã da escultura fluida

Hyundai Sonata 2.4 16V – motor 2.4 16V de 182 cv e 23,3 kgfm de torque, com transmissão automática sequencial de seis velocidades.

ITENS DE SÉRIE: ABS, Acabamento cromado nos contorno das janelas laterais, Acabamento de luxo com couro nas portas e imitação de alumínio no painel, Airbag de teto dianteira, Airbag dianteiro para motorista, airbag dianteiro para passageiro e botão desativar para ocupantes, Airbag lateral dianteiro e traseiro, Alarme, Ar condicionado controle automático de temperatura com saída traseira e automático, Banco traseiro com capacidade para três lugares, encosto assimétrico, com assento inteiriço e voltado para frente, Bancos dianteiros individuais com ajuste de altura e ajuste lombar ajustável eletricamente, com quatro ajustes para motorista, memória, Carroceria com quatro portas tipo sedan entre eixos curto e Hyundai HF, Chave ou cartão inteligente (inclui trava central), Cintos de segurança no assento do motorista e do passageiro com pré-tensionador e ajuste na altura, Cintos de segurança traseiros no assento do motorista, cintos de segurança traseiros no assento do passageiro, cintos de segurança traseiros tipo 3-pontos no assento central retrátil, Cinzeiro na dianteira e traseira, Três apoios de cabeça com ajuste na altura nos bancos traseiros, Computador de bordo com velocidade média, consumo médio de combustível, consumo instantâneo de combustível e autonomia de combustível, Conexão externa para entretenimento inclui tomada com entrada auxiliar e inclui conexão USB, Controle de áudio montado no volante, Controle de estabilidade, Controle dos faróis com sensor de luminosidade, Descansa braço dianteiro central, Descansa braço traseiro central, Direção Assistida proporcional à velocidade, Distribuição eletrônica de frenagem EBD, kit multimídia com tela sensível ao toque de 7 polegadas, com rádio, CD, leitor de MP3, conectividade USB, Bluetooth, iPhone e iPod, sistema de navegação (GPS) e câmera de ré, Espelho de cortesia iluminado para motorista e passageiro, Faróis bi-xenon, Faróis de neblina dianteiros, Imobilizador, Indicador de revisões, Indicador de temperatura externa, Limpador de farol, Limpador do pára-brisa com intermitência variável e sensor de chuva, Luz de leitura dianteira e traseira, Luz no porta malas, Luzes tipo LED brake light, luzes laterais e luzes traseiras, Memórias de ajuste, Pára-choques na pintado, dianteiros e traseiros, Piloto automático, Quatro freios à disco com dois discos ventilados, Retrovisor interno com operação automática, Retrovisores das portas do motorista e passageiro com ajuste elétrico na pintado e luzes indicadoras, Retrovisores dobráveis com acionamento elétrico, Revestimento dos bancos em couro, Rodas dianteiras e traseiras em liga leve de 18 polegadas, Sensor de estacionamento dianteiro e traseiro, Teto solar de vidro, elétrica e dianteiro, teto solar de vidro, não incluído e traseiro, Tomada com saída 12v dianteira, Transmissão automática com seis velocidades e modo manual no volante de direção, automática com modo manual e inclui tecla de troca de marchas, Travamento central remoto e sensível à velocidade, Vidro traseiro fixo com anti-embaçante, Vidros elétricos na dianteira com acionamento em um só toque, vidros elétricos na traseira, Volante de direção com ajuste de altura e ajuste na distância multifuncional.

Sonata – preço

O preço de lançamento do Sonata, ponto controverso em sua breve história por aqui, sempre esteve próximo dos R$ 100.000. Enquanto a marca o divulgava com valores abaixo disso, as concessionárias praticavam os valores que bem entendiam, já que muitos queriam ter o sedã em sua garagem.

Mesmo assim, numa prática comum em nosso mercado, algumas autorizadas chegavam a cobrar valores absurdos, até mesmo R$ 115.000. E hoje, por quanto é possível encontrar um Sonata usado no mercado?

Veja abaixo, com base na tabela FIPE:

  • Sonata 2011 – R$ 56.245
  • Sonata 2012 – R$ 58.940
  • Sonata 2013 – R$ 64.028
  • Sonata 2014 – R$ 66.531

Sonata – motor, câmbio e desempenho

Hyundai Sonata: a história do sedã da escultura fluida

A linha de motores do Sonata, em suas várias gerações, já teve opções bem variadas. Desde as opções 1.6, 2.0 e 2.4, a gasolina, até um motor 1.7 turbodiesel. Além delas, o sedã já teve motores maiores, como 2.5, 2.7 e 3.0, todos V6.

Mas o Sonata vendido no Brasil sempre teve o propulsor de 2,4 litros, quatro cilindros e 16 válvulas. Esse motor é dianteiro, transversal, com injeção multiponto e comando de válvulas duplo no cabeçote.

A potência divulgada inicialmente era de 198 cv, como nos Estados Unidos, mas acabou sendo menor, ficando em 182 cv e 23,3 kgfm de torque.

O conjunto também contava com uma transmissão automática sequencial de seis velocidades. Dessa forma, o Sonata acelerava de 0 a 100 km/h em 10,1 segundos, chegando a uma velocidade máxima de 208 km/h.

Sonata – consumo

Com motor 2.4 16V, que podia ser abastecido apenas com gasolina, o Sonata tinha médias de consumo de 8 km/l na cidade e 11,5 km/l na estrada.

Sonata – manutenção e revisão

Veja abaixo os valores para todas as revisões programadas do Sonata (que tem valor total, até os 60.000 km, de R$ 4.368,93), conforme informações no site da Hyundai:

  • 10.000 km – R$ 439,76
  • 20.000 km – R$ 718,68
  • 30.000 km – R$ 662,36
  • 40.000 km – R$ 1.043,00
  • 50.000 km – R$ 563,85
  • 60.000 km – R$ 941,28

Com exceção da primeira revisão, que tem mão de obra gratuita, as outras tem valor cobrado à parte. Esses valores não são informados no site, apenas nas concessionárias.

Sonata – ficha técnica

Motor

2.4 16V

Tipo

Dianteiro, Transversal e Gasolina

Número de cilindros

4 em linha

Cilindrada em cm3

2.359

Válvulas

16

Taxa de compressão

10,5:1

Injeção eletrônica de combustível

Multiponto

Potência Máxima

182 cv a 6.000 rpm

Torque Máximo

23,3 kgfm a 4.000 rpm

Transmissão

Tipo

Automático de seis velocidades

Tração

Tipo

Dianteira

Freios

Tipo

Discos ventilados (dianteira) e sólido (traseira)

Direção

Tipo

Hidráulica

Suspensão

Dianteira

Independente, McPherson

Traseira

Independente, multibraço

Rodas e Pneus

Rodas

Roda de 18 polegadas

Pneus

225/45 R18

Dimensões

Comprimento total (mm)

4.820

Largura (mm)

1.835

Altura (mm)

1.470

Distância entre os eixos (mm)

2.795

Capacidades

Capacidade de carga (kg)

555

Tanque (litros)

70

Peso vazio em ordem de marcha (kg)

1.508

Peso bruto total (kg)

2.063

Coeficiente de penetração aerodinâmica (Cx)

0,28

Sonata – fotos

Hyundai Sonata: a história do sedã da escultura fluida
Nota média 4.1 de 12 votos

  • CanalhaRS

    Traduzindo: a CAOA tinha a faca e o queijo na mão, mas não soube fatiá-lo…

    • Rodrigo Pasini

      A CAOA juntamente com uma equipe de vendedores arrogantes conseguiu abrir mão de um mercado que ela estava indo muito bem com as vendas de todos os carros do grupo, acharam que eram a última bolacha do pacote, subiram os preços a níveis absurdos, faziam anúncio de carro com um valor, na cc o cara descobria que além do valor do carro tinha que pagar a pintura pois a mesma não estava no preço anunciado, não importando a cor, enfim, deram com os burros na água.
      cobrar 10 mil por pintura na cor branca
      cobrar 95 em veloster numa época em que se poderia comprar bmw e audi por esse preço
      cobrar pelo sonata o que deveria ser o preço do azera, e cobrar pelo elantra o que era pra ser o preço do sonata
      e por ai vai.
      Hoje, tirando o hb20, tem algum veículo com relevância no mercado? e dos hb20 vendidos, quantos são vendidos pelo grupo caoa?

      • Bruno Alves

        Nenhum HB20 é vendido pela CAOA. No acumulado do ano até maio a Hyundai Brasil tem 72.156 unidades vendidas, somando o Creta, HB20 e HB20S.
        A CAOA tem 9.226 unidades vendidas, somando ix35, New Tucson, HR, Elantra, Santa Fe, Tucson, Azera e i30. Sendo que só o ix35, New Tucson e HR ainda vendem alguma coisa, o resto está em fim de carreira.

        • Cristiano

          A CAOA tem concessionárias da Hyundai Motors Brasil, revende sim a linha HB20.

        • zekinha71

          Então a ccs CAOA cheia de HB20 perto de casa é fantasma.

          • Piantino

            Acho que ele disse a CAOA montadora e não a rede de concessionárias.

      • Dod

        O Creta também tem relevância, no segmento ele quase sempre está dentro do top 3 mensal (que têm números bastante próximos de vendas entre os 4 primeiros concorrentes (Renegade, Creta, HR-V e Kicks). Mas, assim como a linha HB20, é feito pela HMB, não pela CAOA.

      • REDDINGTON

        Disse tudo. Tirando a linha HB 20/creta a Hyundai morreu…Preços altos, desrespeito, arrogância, ágio etc…

    • 1 Raul

      E hoje virou carro de manolo…

  • Elizangela Oliveira

    Hoje um micão.

    • Rodrigo Pasini

      Um vizinho meu tem um, olha, pode ser um micão mas o carro é lindo.

      • Elizangela Oliveira

        Também acho bonito. Mas deve ser uma dureza passar um importado que ficou pouco tempo no mercado. O Malibu então!

        • Natán Barreto

          Malibu tem a 30 mil reais o 2011 em ótimo estado. Pra quem ficou órfão dos Omegas usados, é um negoção

  • Cristiano

    Na época se falou que jogaram o preço pra cima pra não concorrer com o Elantra, que na época veio já caríssimo também, em 2011 um Elantra 1.8 top de linha custava 85 mil, e quando passou para o 2.0, ficou mais caro ainda. Baixar o preço do 2.4 mataria o Elantra, mesmo quase 15 mil mais caro era muito mais carro, fora a citada concorrência com o Azzera, realmente nunca ficou posicionado direito no mercado. Lembro de rumores sobre trazer o Sonata 2.0 por conta da tributação menor, acho até que alguma revista testou (ou andou) nessa versão.

  • Maycon Farias

    Carrão. À poucos dias vi um por 43 em perfeito estado. Uma pena que alguns mecanicos não recomendam. O meu disse que peças são muito caras.

    • SDS SP

      Preço de carro popular, mas custos de propriedade de carro de “luxo”…
      Estava procurando um exemplar para um amigo do trabalho e só vi carro mal cuidado por aí.

  • rodrigosr

    Passados 8 anos, se vê como esse estilo rebuscado cansa e envelhece rápido.

    • Leonardo

      Sinceramente, pegue qualquer carro de 8 anos atrás e já estará cansado, mesmo os premiuns alemães dessa época hoje já tem visual de carro de vileiro.

      • rodrigosr

        Questão de gosto, mas pra mim, os alemães de 2010 (como o atual Jetta), parecem mais atuais e menos cansados que esse Sonata.

      • 1 Raul

        Discordo. Pegue uma série 3 ou série 5 ano 2006, e veja como são lindas e atuais.

        • Leonardo

          Bom, eu pessoalmente acho com cara de carro velho. Mas vai de cada um né.

      • Hugo Borges

        Nunca, a trinca de ferro alemã da década passada continua linda e é mais sóbria que a atual. A nova safra que está espalhafatosa.

    • Natán Barreto

      Eu falei exatamente isso. O Passat 2011 ainda é um carro muito atual. Design sóbrio, mas elegante, que poderia perfeitamente passar como zero.
      Se olhamos pro A4 a mesma coisa. A BMW que ê mais rebuscada, há parece cansada na versão 2010.

      • celso

        “O Passat 2011 ainda é um carro muito atual”
        Mas é claro. É o mesmo design de sempre.

  • XandeeM

    Esse carro tem realmente 10 airbags?Quais?

    • Mambo Ted

      Sao 8 . Porém contam o de cortina como 4 . 2 frontais , 2 de cortina , 2 laterais para motorista e passageiro e 2 laterais para passageiros do banco traseiro . Poucos são os carros que oferecem essa proteção dos air bag lateral para banco traseiro.

      • fsjal

        na verdade são seis, é que a Caoa pra inflar a propaganda contava o airbag de cortina como 4, pois ele abria desde a frente até a traseira, quando todas as outras montadoras contam como 2 (totalizando 6).
        Com a palavra de quem teve 2 Sonatas, esse carro não tem airbag lateral no banco traseiro.

        • Mambo Ted

          Não . Tem air bag lateral para banco traseiro . Sao 8 contam como 10. A maioria dos carros tem 6 , a Hyundai contaria como 8!.

          • fsjal

            São seis amigo… eu tive dois Sonata. Na época já ficavam levantando essa lebre, eu fui lá e tirei foto do banco traseiro e pedi pra me mostrarem onde sai bolsa de lá.

            Quem conta 10 airbags no Sonata conta os cortinas como 3, pois está marcado “airbag” na coluna A, B e C do carro.

            então fica 6 cortina (???????), 2 laterais frontais e 2 frontais

            • Mambo Ted

              Sonata so andei , o azera era 8 (porém falavam que eram 10 ) .

    • Matheus

      10 airbags nas contas da CAOA.
      O carro com mais airbags DO MUNDO

  • Natán Barreto

    Lembro que quando esse carro veio o pessoal aqui ficou louco, inclusive eu. Era bem mais moderno e futurista que os sóbrios Fusion e Passat.
    Hoje vejo um Sonata, Elantra e Azera de 2011 a 2015, e acho os carros com o visual datado e poluídos.
    Um Passat 2011, mesmo sendo uma reestilização no modelo 2006, hoje em dia ainda está bem atual. É um desenho atemporal.

  • Kaian Reis

    Sou apaixonado por esse carro até hoje. Meu tio comproi um assim que lançou e quando andei nele a primeira vez fiquei fascinado

  • Faheina

    Inda prefiro essa versão fluida do que a atual geração caretissima

    • Dario Lemos

      Também acho o design do Azera bem atraente. Atualmente os carros apresentam soluções bem parecidas: “bocarra” enorme, vincos e recortes para todos os lados, parte inferior do para-choques com aquelas enormes e falsas entradas de refrigeração para os freios, etc…

    • Dick Buck

      Tem certeza que você viu o atual Sonata 2018? Ele não tem nada de careta.A geração de 2014-2015 sim, que regrediu bastante no design, mas essa atual…

      • Faheina

        a atual remete ao fusion externamente mas com um interior pra lá de careta que abusa de linhas retas.
        parece uma involução.

  • fsjal

    Tive dois. Um 11/12 e depois o facelift 13/14.
    Um dos melhores carros que eu já tive. Até hoje sinto saudades.
    A reclamar, somente o desempenho que deixava a desejar, mas compensava todo o resto.

    • Esquilo Tranquilo

      Enjoou nada, quem diz isso ta louco kkk Esse carro é muito bonito e mesmo com a “idade” ainda é extremamente belo e sofisticado. Se meu $$ desse.

    • Dario Lemos

      Num “mar” de grades enormes, recortes exagerados na parte inferior dos para-choques, aparência “musculosa” tocada por um motor 1.0, esse carro é um colírio para os olhos, se diferenciando/destacando frente aos demais. Pode-se afirmar que enjoadas são aquelas pessoas que costumam comentar que tal carro enjoou mesmo que este tenha seu design revisto um mês antes.

  • Zé Mundico

    Carro feio, parece um supositório tamanho GG..

  • zeh

    …terminarão em algum estacionamento, custando algo entre, barato…e caro de manter/ sustentar…diante de outras opções em conta, no estabelecimento de vendas…os manos pira!….

    • 1 Raul

      O carro que rico não quer e pobre não consegue manter.

  • SDS SP

    É um belo carro, o duro é encontrar um desses em bom estado, pois caiu nas mãos de pessoas negligentes com manutenção.

  • Evan

    Excelente carro. Lindo, teto solar panorâmico, aquecimento nos bancos, retrovisores com rebatimento e aquecimento para secar gotículas de água, faz 7.5/8km/l, aletas para troca de marcha, ar condicionado automático que gela de verdade sem fazer tanto barulho de vento como em outros veículos, super espaçoso, porta malas enorme, farol xenon, controle de tração e estabilidade, 8 airbags, 5 estrelas em proteção, etc etc etc. Quem fala mal é pq nunca entrou num. Único problema é a altura em relação ao solo, que em nossas ruas esburacadas e cheias de lombadas fica sofrível. Hoje em dia se encontra exemplares pouco rodados por 50k, vale muito a pena. As peças não sao caras como alguns dizem, agora não dá pra comparar com preço de peças de populares.

  • Leonardo

    Época boa dos carros, preços condizentes, carros bons, pelo menos melhores que os que temos hoje, lamentável

  • Mario Nobile

    Que nave, acredito que esse design ainda tenha alguns anos de vida em termos de beleza…. Já considerei comprar um seminovo, mas o receio é a manutebilidade desse carro….

  • hugomelo140

    sou proprietário de um Sonata 13/14, tirado em julho de 2014 da concessionária por 94 mil reais, hoje 5 anos depois, o carro tem valor de mercado médio na casa dos 65/70 mil (existem somente 4 anunciados na web), meu sonata está beirando os 100.000km, revisões a cada 10.000km na concessionária, nenhum problema nesses 5 anos, somente troca de oleo, pneus, freios e filtros, consumo médio de 8/9 km/l na cidade e 12/13 km/l na estrada….. dispensa comentários, anteriormente tive um azera 10/11 que tbm dispensa comentários…. uma pena a Hyundai nao trazer mais esse carro para o Brasil, quem sabe agora com o término do monopólio da Caoa com os importados a Hyundai não traga o Sonata novamente…… resta esperar ou ano que vem voltar para outros fabricantes Honda ou Toyota……

  • afonso200

    lembro da propaganda, ele andando na chuva

  • afonso200

    Azera V6 2011 a 84mil TOP com teto e tudo mais, e sonata a 95mil reais e MANCOS 2.4cilindradas

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email