Mercado Montadoras/Fábricas

Importados têm queda de 12% em agosto

bmw x1 fabrica araquari

A Abeifa divulgou que as vendas de importados no mês de agosto caiu 12% em relação a julho. Foram 2.936 unidades emplacadas contra 3.337 do mês anterior. Em comparação com 2015, o saldo negativo é de 34,2%.

Já no acumulado do ano, os importados apresentam queda de 42,6% com 24.473 veículos vendidos. A Abeifa diz que no mês de julho, as empresas do setor anteciparam as cotas sem incidência de IPI majorado de 30%.

A entidade espera que haja uma recuperação nas vendas no segundo semestre com o novo governo, o qual a Abeifa pleiteia o fim do IPI adicional de 30% sobre a venda de importados para que haja crescimento no segmento, que acumula queda desde 2011. A participação no mercado de importados (que inclui as da Anfavea) foi de 1,64% em agosto e está em 1,87% no ano. Já no geral, o segmento atua com 2,35% no mês e 2,46% em 2016.

Produção

Entre as empresas que compõe a Abeifa, cinco possuem operações de produção no país, sendo elas Land Rover, BMW, Chery, MINI e Suzuki. As vendas dessas empresas tiveram alta de 14,2% com 1.257 unidades, mas ainda estão 78% abaixo em comparação com 2015. No acumulado, a queda é ainda maior: 66,8% e sem a produção da LR.





  • Doccar

    O super imposto inserido no Governo Dilma, nao tinha data limite para terminar?
    Bem como as cotas de importacao do Mexico?

    Off: Ta dificil navegar neste site, tem publicidade pra tudo q eh lado!

    • leomix leo

      Off: no Safári ainda consigo fechar uma, mais no chrome é impossível, está um absurdo isso, deixei até de frequentar diariamente por causa disso.

    • João Cagnoni

      Sim, é verdade! Mas desculpa interromper, tenho um Gol G3 único dono, carro de mulher e não fumante, está impecável e o ar gela muito. Tem interesse? Também vendo apartamentos e seguros casa, carro e viagens em toda linha CVC.

      • Victor Hugo

        Esse Governo da Dilmãe vai deixar suas marcas por um bom tempo. Aproveitando, estou vendendo um fogão 4 bocas e uma escrivania.

  • Bruno

    Além dos preços nas alturas, tem que considerar que alguns dos importados mais vendidos (Serie 3, Classe C, Evoque, Q3. A3 Sedan, GLA e outros) agora são nacionais, creio que isso ajudará mais ainda nessa queda de vendas.

    • iamdix

      o problema é que mesmo se tornando nacionais e sem 30% de super ipi os preços ficam inalterados.

  • Gran RS 78

    Temer por favor, retire de uma vez por todas esse negocio de cotas de importação e super IPI para podermos ter uma concorrência saudável entre as marcas, o que irá beneficiar o consumidor e fazer esses altos preços cair.

  • rodrigo oliveira

    Acabem logo com essa abominação esse imposto ridículo e sim a livre concorrência, quando abriram as importações na década de 90 acharam que iam acabar com as 4 grandes e isso não ocorreu,então parem com essa visão terceiro mundista e vamos evoluir nosso mercado de carros.valeu

    • Danilo Fernandes

      Infelizmente não é bem assim. Uma abertura total de pernas levaria a uma crise imensa no setor automotivo. Não temos mão-de-obra qualificada e nem barata. Não teríamos como competir com lá fora e quase que instantaneamente seríamos assolados com marcas de tudo que é tipo matando as montadoras nacionais. Mas também não pode ser do jeito que é hoje onde as montadoras são totalmente mimadas pelo governo. O certo é um meio termo onde as montadoras nacionais são protegidas, mas ao mesmo tempo incentivadas a se modernizar para enfrentar uma futura concorrência. E o governo tinha que investir pesado para colocar mais fábricas estrangeiras no país, não só de carros, mas de toda linha de autopeças.

      Mas isso não vai acontecer tão cedo, visto que no Brasil é mais barato comprar uma “proteção” do governo do que investir em modernização. Fora que o brasileiro é otário mesmo. Nem reclama.



Send this to friend