*Featured Chevrolet Lançamentos Minivans

Impressões ao dirigir a Chevrolet Spin Activ

chevrolet-spin-activ-impressoes-NA-1-700x466 Impressões ao dirigir a Chevrolet Spin Activ

A Chevrolet Spin Activ chega ao mercado nacional com proposta de ser uma minivan aventureira, levando assim uma família para passeios na praia ou no campo, podendo enfrentar algumas estradas de terra e o asfalto ruim do dia a dia.



Com preços de R$ 62.060 e R$ 65.860, respectivamente para versões manual e automática, o monovolume da GM oferece um bom pacote de equipamentos e nenhum opcional, exceto as cores da carroceria. A empresa disponibiliza também um pacote de acessórios oferecidos nas concessionárias.

chevrolet-spin-activ-impressoes-NA-65-700x466 Impressões ao dirigir a Chevrolet Spin Activ

Impressões visuais

A Chevrolet Spin Activ é pouco discreta, abusando do acabamento em tonalidade preta e leves toques de esportividade. Na frente, o modelo se destaca pelos faróis escurecidos, assim como para-choque em tonalidade preta, sendo que os faróis de neblina apresentam molduras em preto brilhante. Um protetor central (chamado “peito”) tem pintura prateada.

As saias de rodas possuem acabamento em plástico com cor preta, assim como a base das portas, que possuem protetores inferiores e até frisos prateados. Há faixas decorativas logo acima com o nome “Activ”, assim como o logotipo personalizado da versão.

As rodas de liga leve aro 16 têm desenho exclusivo e pneus de uso misto 205/60 R16. O retrovisores apresenta cor preto brilhante, enquanto no teto, há duas barras longitudinais cromadas e uma antena.

chevrolet-spin-activ-impressoes-NA-36-700x466 Impressões ao dirigir a Chevrolet Spin Activ

Na traseira, lanternas escurecidas e para-choque com acabamento preto, tendo ainda luzes de neblina, sensores de estacionamento, protetor central prateado e alça do suporte do estepe, que como em outros aventureiros, fica preso junto da tampa traseira. Eu acionamento é feito em dois toques no painel ou na chave, sendo um para destravar o suporte e outro para abrir a tampa.

Por dentro, a Chevrolet Spin Activ vem com bancos personalizados e com tecido exclusivo, incluindo o logotipo bordado da versão. O painel possui aplique prateado envolvendo a multimídia MyLink. O volante é multifuncional em couro é o padrão da Chevrolet, bem como alavanca da transmissão de mesma tonalidade. As maçanetas são cromadas.

As portas apresentam acabamento central em tecido e o painel de instrumentos vem com o nome Activ. Com espaço para cinco passageiros, a Chevrolet Spin Activ oferece um bom espaço interno, especialmente em altura, enquanto seu porta-malas dispõe de 710 litros até as janelas e 1.021 até o teto. Com o rebatimento dos bancos traseiros, o volume pode chegar a 1.841 litros.

chevrolet-spin-activ-impressoes-NA-37-700x466 Impressões ao dirigir a Chevrolet Spin Activ

Impressões a dirigir

A Chevrolet Spin Activ é equipada com motor 1.8 Flex Power de 8V, que entrega 106/108 cv e 16,3/17,1 kgfm, respectivamente com gasolina e etanol. A novidade é a transmissão GF6-2, que possui nova programação e torna as trocas de marchas mais rápidas em 50%.

Durante a condução, notamos que o motor de 8V esbanja torque, mas fica devendo em potência. É necessário manter o pé fundo em muitas situações, o que compromete o consumo. A transmissão GF6-2 chega a reduzir três marchas se necessário, mas em ultrapassagens, a rotação alta prejudica o conforto a bordo. As ultrapassagens merecem atenção. Opção de mudança manual é feita apenas através de um botão na alavanca e é pouco ergonômica.

Já as retomadas foram um pouco lentas, sendo necessário exigir muito mais do clássico propulsor. Além disso, o ruído interno é ampliado não só pelo ronco do motor, mas também pelos pneus de uso misto, que deixam a viagem menos confortável em distâncias muito longas feitas no asfalto. A suspensão alta ganhou ajuste mais rígido, a fim de garantir melhor estabilidade e conforto.

chevrolet-spin-activ-impressoes-NA-49-700x466 Impressões ao dirigir a Chevrolet Spin Activ

Rodando a 110 km/h, a rotação é de 2.500 rpm, o que garante menor esforço do motor. A direção hidráulica poderia ser um pouco mais leve, mas está dentro da média. A estabilidade é adequada para sua proposta, enquanto os freios merecem um aperto maior no pedal… A posição de dirigir é boa e a ergonomia, razoável. A suspensão absorve bem as irregularidades do solo, garantindo conforto.

Ar condicionado, direção hidráulica, trio elétrico, rodas de liga leve, pneus de uso misto, faróis de neblina, sensor de estacionamento, multimídia MyLink, volante multifuncional em couro, piloto automático, computador de bordo, airbag duplo, ABS, detalhes estéticos exclusivos, entre outros, são itens de série.

Enfim, a Chevrolet Spin Activ apresenta um conjunto de equipamentos interessante e geometria da suspensão favorável à condução em lugares com ruas e estradas ruins, especialmente de terra. O motor poderia ser outro, um que entregasse mais potência, mas a transmissão automática reprogramada reduz o gap do propulsor. Ruim mesmo é o preço de utilitário esportivo.

Galeria de fotos da Chevrolet Spin Activ 2015:

Viagem a convite da General Motors.

4.0

  • _William

    Chamar esse motor de clássico foi boa, ele já tem tanto tempo que passou a barreira do velho pra virar clássico. Até quando a GM vai insistir nesse botãozinho chato para trocas manuais? É tão caro assim oferecer borboletas para as trocas?
    Fora isso, carro feio, caro, e mal equipado.

    • Franco da Silva

      Como a GM não troca todos esses 1.8 pelos 1.6?! Eles não são espetaculares, mas tem mais potência, torque, economia… e já existem na própria GM! É só colocar nos carros!! Sem falar que ficariam muito bons na lina Onix tbm.

      • Wagner Lopes

        Simples, porquê custam mais caro, reduzindo a margem de lucro por unidade vendida e o (pobre) consumidor brasileiro ainda reclamaria que houve redução na cilindrada…

        • CorsarioViajante

          Além disso, muito “cliente fiel” vai chiar, que “16v não anda, que vai quebrar”, etc etc. VW passa pelo mesmo dilema, de continuar atendendo este pessoal com a cabeça nos anos 80 ou se melhora os produtos.

          • Pacheco

            Eu sou um defensor do motor 1.6 16V Ecotec no lugar desse 1.8 8V. Seria um grande avanço para esse carro.

            Porem eu preciso dizer aqui para a tristeza de muitos, q eu achei belissima. Adorei o carro. Confesso que teria uma sem medo. É um carro que usaria no meu dia-a-dia sem problemas.

            A Chevrolet soube fazer um carro agradavel aos olhos (na minha opnião) e vai vender bastante.

            • Leandro1978

              Eu achei que ficou mais agradável que as versões “normais”, talvez a ausência dos bancos extra seja um contra. Em relação à motorização, pensaria do 1.8 16v do Cruze para esta versão e a LTZ. Deixaria o 1.6 para uma “LS” de entrada e LT, intermediária. Pensaria em algo semelhante para o Cobalt (em relação aos motores).

              • Pacheco

                Eu já acho que a 1.8 16V não deveria ser usado. Somente o 1.6 16V. É um excelente motor. Daria até para melhora-lo e ter com pelo menos uns 135cv.

            • Ezequiel Favero Pires

              Concordo com você Pacheco! A van ficou bonita e é bem equipada, o que não dá pra engolir é a GM oferecer por R$62 mil um motor obsoleto, com bom torque, mas beberrão. O Ecotec 1.6 16V que equipa o Sonic é um excelente propulsor! Tem variador de fase em ambos comandos e tem mais potência que este 1.8 que provavelmente é o mesmo “família II” dos Monza… uma reprogramação na ECU talvez seria necessária, no máximo, uma vez que este motor já é casado com o câmbio de 6 marchas no Cruze, Sonic, etc…

              Aliás, a GM deveria ABOLIR estes propulsores 8V “clássicos”, como 1.4 que equipa o Onix. São motores que já não dão mais conta de mover carros mais pesados por causa dos equipamentos. Mas isso é questão que facilmente se resolveria, bastaria o consumidor não comprar estes veículos e se reportar à montadora através de redes sociais ou concessionárias pedindo motores melhores.

              • Pacheco

                1.4 8V e 1.8 8V saindo de cena e entrando o 1.6 16V no lugar… eu acho que seria um avanço imenso.
                Cambio manual de 5 marcha saindo tbm e entrando o de 6 marchas. A GM deveria inovar o colocar o 1.6 e 1.8 com injeção direta. Perdeu a oportunidade no Cruze.

                • Ezequiel Favero Pires

                  Este 1.8 com injeção direta acredito que seria o mais adequado, ou até poderiam aumentar a cilindrada desse 1.6 pra 2.0….

              • zeuslinux

                O problema é que eles precisariam investir muito para modernizar a fábrica de motores brasileira, já que infelizmente a maior parte das vendas da Chevrolet (e das outras montadoras também) é de carros populares, simples e baratos.

                O Sonic estava disponível antes com esse motor e a galera não comprava porque achava caro, porque “deve custar mais caro o conserto”, etc.

                • radiobrasil

                  A fábrica de motores de SC recém construída só fabrica dinossauros?

                  • zeuslinux

                    Sim, veja o que está na notícia oficial:

                    http://www.chevrolet.com.br/chevrolet-world/news/gm-inaugura-a-fabrica-sustentavel-de-joinville–sc.html

                    “A General Motors do Brasil inaugurou em Joinville (SC) no dia 27/02/2013 uma das fábricas mais sustentáveis do mundo. De suas linhas industriais saem >>>> motores 1.0 e 1.4 litro e cabeçotes de alumínio <<<<<. Sua capacidade instalada de produção é de 120 mil unidades de motores e 200 mil de cabeçotes por ano, destinados às fábricas da GM de Gravataí (RS) e Rosario (Argentina)."

                    Note que só fabricam motore 1.0 e 1.4, basicamente usados no Onix, Celta, Classic e Cobalt.

                  • Rafael Neves

                    Infelizmente sim!

                • Ezequiel Favero Pires

                  É verdade, alguns milhares ou milhões de reais seriam necessários, porém como o Sonic vinha da Argentina (certo?), o motor era também fabricado lá, não? Então acredito que ela teria que trocar algumas ferramentas na linha de montagem e só!

                  Em relação ao preço do Sonic, acredito que não tenha vendido muito porque ele custava a partir de R$56 mil se não me engano e passava dos R$60 na versão top, e não oferecia tanto assim pelo preço. Era um hatch ou sedan, digamos assim, de mesmo tamanho de outros com preços bem mais atrativos. Me parece que a GM quis “elitizar” o Sonic no preço…

                  O Agile por exemplo, lá em 2010 quando foi lançado, a versão LTZ custava R$42 mil ou R$44 mil e uns quebrados se não me engano. Lembro-me que meu tio comprou um zero e quando soube do preço me assustei, pois os Corsa até então chegavam a R$36 mil no máximo. Claro, depois fiquei sabendo que o Agile oferecia muito mais do que o Corsa em itens de conforto e segurança….

                  • Edson Fernandes

                    Veja que o Onix já está nesses preços e agora ao invés de levar um carro com melhor acabamento e motor, vc leva um com um acabamento inferior e motor tbm…

              • Alcindo Gandhi

                Na realidade, esse motor é um “Família I”, assim como os motores 1.0 e 1.4 do Onix.

              • Edson Fernandes

                Só um detalhe: O Ecotec é um familia I aprimorado. Familia II só aprimorado (E todo em aluminio) é oEcotec 2.0.

                Não ache ruim esses Ecotec ser uma atualização dos F1 ou F2… isso é uma evolução natural, o que tem que importar é o que agrega.

                Deveriamos é abolir a linha que temos aqui e não se o propulsor foi realmente modernizado. O Ecotec 1.6 segue a mesma situação.

              • Leandro

                Ezequiel, ouvi boatos que esse motor 1.8 8V não é derivado do Monzatech, e sim um cabeçote aumentado do motor 1.4 8V para 1.8. Não sou técnico no assunto, mas visualmente o motor é idêntico ao motor do meu Corsa 1.4 e um pouco diferente ao do Corsa 1.8 que meu pai teve. Na época, o 1.8 Monzatech chegou a render bons 115 cv.

                • Ezequiel Favero Pires

                  É, também não conheço a fundo estes motores. Falei mais num tom pejorativo de desdém… mas quis dizer que são motores 8V que não precisariam mais ser usados, pois hoje temos variadores de fase que praticamente “transforma o motor em 2 em 1”, aliando bom torque em baixos giros e boa potência em alto giro. Também pensei que talvez o Ecotec 1.6 não ficaria o mais adequado, mas talves o 1.8 16V com injeção direta ou até esse 1.6 com volume aumentado para 2.0 seriam os mais indicados, justamente por terem o variador de fase…

                • Marcelo Henrique

                  O 1.8 8v atual é o motor da família 1 (FI) que começou a equipar o Corsa C já na edição de lançamento do carro. Já os motores 1.8 8v que equiparam Monza, Astra e Kadett são da família 2 (FII).

                  Esta confusão existe pois o motor FI originalmente foi projetado para ter um deslocamento entre 1.0 e 1.6 litros, já o FII podia ter entre 1.8 e 2.2 litros. Durante a joint venture com a Fiat, eles viram que era viável a criação de um motor 1.8 FI que teria mais torque em baixa rotação, mais leve e admitiria uma taxa de compressão maior em comparação com o antigo motor FII (fatores que ajudariam num menor consumo) mas em troca teria uma R/L ruim (mais áspero para girar) coisa que nas versões de 16v eles resolveriam colocando um sistema de contra-pesos para anular esta vibração.
                  Para a fábrica, isto foi interessante pois poderia oferecer para um mesmo carro motores 1.0, 1.4 e 1.8 sem modificar a lataria.

            • Eduardo Copelo

              “Belíssima” não achei não, mas achei muito melhor do que a versão normal(como se fosse muito difícil…). Pela primeira vez vi um carro cuja versão Cross/Adventure/OffRoad/Plastic ficou melhor arranjada que a versão original. Ainda não é o meu tipo de carro, mas confesso que é interessante! Se fosse (bem) mais barata, dava pra pensar…

        • Marco

          Caro Wagner, esses bons motores 1.6 16V são dos finados Sonic (hatch e Sedã) e o mais certo é que desapareçam do mercado brasileiro, por serem mais caros e, se não me engano, importados do México. Mas prá mim tanto faz, porque eu NUNCA compraria uma marmota de um carro feio como esse. Aqui em Curitiba virou o xodó dos donos de funerárias. E com razão…

      • Leandro1978

        Tem o 1.8 16v do Cruze, seria excelente para este carro, assim como no Cobalt top e num Onix esportivo (este mostrado no Salão). Deixaria o 1.6 para as versões de entrada e intermediária da Spin e Cobalt; top do Onix e Prisma.

        • Pacheco

          Deixa o 1.8 só para o Cruze. Ou aumenta esse bloco para 2.0 16V e coloca uns 180cv nele.

        • Edson Fernandes

          Seria fantastico essa iniciativa da GM (se houvesse).

          O Onix levaria os fãs de GM a um patamar diferente. E dig oque faria sucesso porque não temos “em casa” um produto nesses moldes.

        • Leandro

          Não consigo nem imaginar o preço de um um Onix esportivo com motor 1.8 16V. Pois, com a versão LTZ com motor 1.4 o preço já beira (ou passa) dos 50 mil reais em um carro popular.

      • Leandro

        Franco, sei que já passou da hora desse motor se aposentar, mas será que o 1.6 16V Ecotec dá conta de puxar a Spin? Temos um Sonic sedan na garagem e o motor sofre bastante com o excesso de peso do carro, se for em um carro ainda mais pesado creio que o defasado 1.8 8V se saia melhor por apresentar mais torque. Na minha opinião, uma alternativa viável seria melhorar o “clássico”, fazendo com que ele tenha acima de 120 cv, pelo menos.

      • Rafael Neves

        Eles ainda não produzem esses propulsores no Brasil… talvez seja essa a desculpa da GM

    • Pedro Paulo ()

      daqui um pouco estarão chamando ele de lendário… afinal de contas, as lendas surgem com o tempo.

    • ultimate_rr

      Pelo menos coloque o “tiptronic” normal na alavanca né… Esse botãozinho é complicado.

      • Pacheco

        Amigo… quem usa o modo sequencial do cambio? São raras as pessoas, eles colocam isso só pra dizer q tem.

        Esse cambio ele faz reduções de marchas para obter freio motor… raramente alguem vai colocar a mão nele pra operar manualmente.

        As montadoras entenderam isso e até nas borboletas estão economizando.

        O mercado só absorve aquilo que vende. Tecnologia e Modernidade só vende quando o consumidor observa vantagem.

        Quem aqui usa o modo sequencial diariamente? É igual ESP… ninguem paga, pq ninguem acha q usou. O dia q fizerem um levantamento serio dos acidentes evitados com uso de ESP, todo mundo vai querer comprar.

        Abraços

        • Leandro1978

          Tenho conhecidos que possuem modelos com cambio sequencial. A maioria acha legal no começo, mas depois deixam no drive e “esquecem” da opção. Isso os que sabem que tem tal opção…

          • Pacheco

            Exatamente… ninguem usa.
            Peugeot 208 e Citroen C3… quem vc acha q usa as aletas?

            A Fiat e a VW colocam as aletas no Automatizado… quem usa? Ninguem.

            • Edson Fernandes

              Te digo com faclidade: Ninguem. Mas te garanto que isso parte pela PESSIMA resposta do comando borboleta até o cambio realizar a ação.

              • Rafael Neves

                Tem um delay horroroso mesmo!

          • Isso é verdade. Tenho dois carros em casa com opção de trocas manuais, um no volante e na alavanca (Polo da esposa) e outro pelo movimento da alavanca (o meu C4 lounge). Só mesmo quando vou mostrar pra alguém pra usar aquilo ali. A minha esposa então nem se lembra de que existem as borboletinhas.
            Mas há a utilidade: em ultrapassagens em rodovia, logo antes de iniciar a manobra, vale dar o toque ali para se evitar aqueles décimos de segundo que se perde quando o câmbio “pensa” o que vai fazer antes de reduzir. É a única utilidade realmente prática que vejo.

          • Edson Fernandes

            Eu usaria para algumas necessidades. Nem sempre a resposta do “pé” é coerente com a resposta que se espera do cambio.

            O modo sequencial reduz isso. É até bom para planejar antecipadamente. Eu digo isso porque os cambios atuais para ofertar suavidade, aumentam o tempo entre o comando e a resposta sendo irritante e reforçando ao consumidor que usar o modo automatico tem que ser compreensivo. Eu tenho um carro automatico que ouso dizer que o cambio(que é da ZF) tem apenas 4 marchas mas me responde muito rapido.

            Mas muita gente reclama do tempo de resposta por exemplo do C4 Lounge. Então o cambio força também em não dar tanto prazer mesmo no sequencial. Mas se eu tivesse no Xsara, certamente usaria para algumas situações.

            Em estrada é tranquilo, pois no menor pisar no acelerador se for uma subida ingrime o cambio reduz para a terceira sem cerimonias (lembra muito o cambio do Corolla que faz isso tbm).

            Mas em contrapartida, vc pode escolher “3” e ele tbm mantem a terceira marcha. Eu faço isso para não ficar na “briga” entre terceira e quarta marcha.

            O modo sequencial também evita isso e por vezes pode garantir que vc manter a maior marcha possivel e usar o metodo carga para aproveitar o torque disponivel e ver que o carro suportaria manter a marcha mais alta conciliando economia de combustivel. O Xsara tem 19,2 kgmf de torque… que poderia por exemplo, subir a serra da imigrantes em quarta marcha com a maior facilidade do mundo, mas por algum motivo inexplicavel, acelerar antes de 30% do pedal ele já reduz para terceira.

          • Rafael Neves

            Eu sou um desses. Não gosto do modo sequencial. Deixo no D ou S e esqueço do mundo

        • GPE

          Uso mt o modo manual em câmbio com borboleta (geralmente pra reduzir), pois basta um pequeno toque pra reduzir marchas, sem precisar mexer na alavanca e nem tirar a mão do volante

          Já quando o câmbio não tem borboletas, uso bem menos.

          • Exatamente isso. Tirando algumas situações em que vale a pena a redução antecedendo a espera pela atuação do câmbio automático, só mesmo por “esporte” pra utilizar as trocas manuais. Quando você quer dar uma dirigida de forma mais “quente”, vale brincar com o modo manual. Mas logo você desencana. É engraçado dizer isso, mas trocar marcha manualmente em câmbio automático/automatizado cansa, muito mais que dirigir um carro com câmbio manual.

            • GPE

              Bem por aí

            • Edson Fernandes

              Mas é bom ter a opção justamente para isso. Outra situação em que é recorrente em carros CVT é justamente “travar” a “sexta marcha” para manter a economia.

              Os donos de Fluence fazem muito isso na estrada pois o carro consegue ficar mais economico. Pois quando se usa o controle automatico de velocidade, ele costuma subir de giros abruptamente para manter a velocidade só que o consumo vai embora…

              Quando se faz isso deixando na sexta marcha virtual, o propulsor utiliza o metodo carga sem um aumento exagerado de giros o que propoe a um melhor consumo na estrada.

              • No C4 dá para chegar na sexta e jogar o câmbio para manual. Ele passa a reduzir automaticamente só quando o motor baixa dos 1400 giros. Mas com pressão mediana no pedal, mesmo em drive, ele segura bastante o carro em sexta.

        • ultimate_rr

          Comparação meio estranha entre modo sequencial e ESP, mas, enfim… Parece algo extremamente custoso, porém, a diferença de custo para colocar o botãozinho esquisito, troca sequencial na alavanca, ou paddle-shifts não é tão grande. Prova disso é que até Uno hoje em dia tem. Sem contar o “efeito psicológico” que possuir paddle-shifts exerce na hora da venda…

      • Pois é… esses botõezinhos de cafeteira elétrica são só de enfeite. Ninguém consegue utilizar aquilo ali.

        • Edson Fernandes

          Pois é… e ergonomicamente é horrivel.

          Eu tentei fazer uma redução na Captiva (ex carro na verdade…rs) do meu cunhado e no final passei para a marcha seguinte (estava na terceira marcha e passei para a quarta…), imagina como meu cunhado riu da minha cara (e a Captiva ainda era a de 4 marchas).

          • Marcos Souza

            no meu sonic tbm não gosto, as vezes vc aperta o botão e ele não troca…tem que apertar com força. mas tbm uso muito pouco, as vezes travo a 6 marcha em viagem com o piloto automatico ligado ou uso pra soltar o carro quando ta em freio motor…fora isso, fica no d

    • É… esse botãozinho na alavanca de Ford e GM não fazem o menor sentido. Melhor se viesse sem a opção de trocas manuais. Ao menos a troca puxando a alavanca para o lado e com clássico movimento de sobe marcha pra cima desce marcha para baixo deveria ser oferecido.

      • Edson Fernandes

        Exatamente!

        Se fizeram isso para os automatizados, qual a dificuldade de fazer para os automaticos?

        E pensar que a GM tem isso no Cruze (que é o mesmo cambio dos demais modelos) e a Ford tinha no Fusion até 2011….

  • Pimentel

    Pra a categoria em que atua, o preço não está tão ruim. Entretanto, algumas coisas poderiam ser bem melhores: 1- o motor velho e ultrapassado, que garante consumo alto e desempenho fraco. 2- O acabamento poderia ser melhor, mas dá para relevar porque a tela Mylink ajuda bastante na aparência do interior, apesar de não gostar desse quadro de instrumentos de moto(muito melhor mostradores analógicos e um computador de bordo no meio). 3- O espaço não é para 5 ocupantes nem aqui e nem na China! O espaço para joelhos é pequeno e o espaço lateral também(banco traseiro). O calombo no meio do banco traseiro também prejudica um 3° ocupante.

    • Erinaldo Oliveira

      Preço Razoável? RAZOÁVEL?????? 60k em um carro que não tem 6 ou 10 airbags ESP, Ar digital, e itens de maior luxo… você sabe quanto eles gastam para produzir isso? eu te garanto que se for uns 20K é muito… ABSURDO O CONFORMISMO DO POVO BRASILEIRO… ESSES PREÇOS ESTÃO UM ABSURDO… então vou passar a achar que 90k em um corolla ta de graça… MEUS DEUS

      • Pimentel

        Verdade, o preço está muito elevado, mas tendo em vista o restante do mercado acaba não sendo tão elevado, foi isso que quis dizer. Já viu o preço dos hatchs populares compactos em suas versões topo de linha? A situação está complicada mesmo.

        • Edson Fernandes

          Entretanto, nnehum carro está com preço razoavel.

          Ele mesmo custando o que custa frente a rivais é ainda caro (e todos eles também o são).

          O fato que podemos minimizar falar do “menos caro” é citar que pode agregar na categoria mais beneficios que seus rivais. Mas que citar “custo x beneficio” tem sido algo cada vez mais dificil.

          • Erinaldo Oliveira

            ABSURDO, ABSURDO E ABSURDO, as pessoas desse país enlouqueceram, o que está acontecendo? culpa do governo? será só culpa do governo? eu vi no supermercado um arranhador para gatos feito de PAPELÃO EMPILHADO —– PA- PE – LÃO —– por 30 Reais, um carro que no México custa 20000 dilmas aqui custando 55000 DIlmas, gente, onde está a noção do dinheiro??? será que o país vai ter que quebrar para as pessoas passarem a respeitar mais o valor e custoXbenefício das coisas, vc tem razão ao falar dos hatchs, MAS EU ESTOU FALANDO É DE TODOS… é muita exploração… esse Spin não vale nem 50k eu pagaria no máximo 45k, um TR4 usado custa 30k e tem tração 4X4, NÃO CONSIGO ENTENDER QUE LOUCURA É ESSA…

  • Eduardo Brito

    Não sei pq pneus de uso misto se ele não tem AWD!

    • Rmx

      Tem a mesma função dos plasticos e adesivos, Somente enfeites para mostra pro vizinho.
      Pelo menos um bloqueio do diferencial como o da Fiat ja ajudaria na lama ou areia com esse pneus.

      • Pacheco

        Os plasticos protegem no dia-a-dia tbm.

        • Erinaldo Oliveira

          kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk essa eu só tô sabendo agora…

          • Edson Fernandes

            Isso é verdade. Um dos maiores elogios a picape Strada é justamente os plasticos envoltos aos paralamas. Qualquer encostada, vc só precisa trocar o plastico e não fazer retoques de lataria.

            Acredite, no mundo dos picapeiros isso é um belo elogio que custa muito menos para comprar um novo plastico do que refazer um serviço de funilaria.

      • Erinaldo Oliveira

        Malditos vizinhos, muitos nem sabem quem somos e estão pouco se F*dendo pra gente, mas muitos otários pegam um “Carrão” pelado dividido em 387 vezes no carnê para mostrar ao maldito vizinho… kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Pedro Paulo ()

    65k para levar a família com conforto para o sítio no final de semana… tá valendo.

    • Wagner Lopes

      Com (algum) conforto e sem segurança…pra eu não vale de jeito nenhum…

      • Pedro Paulo ()

        você não vai achar nada por preço parecido tão cedo…

        • Bruno Wendel Marcolino

          uma Gran Livina é mais negocio. Pena que sairá de linha….

          • Pedro Paulo ()

            ou seja, uma bomba maior que essa.

          • Fabricio d

            Um amigo meu teve a Livina, ficou só com 2 meses com o carro, disse que ao colocar a família, bate em todos quebra-molas.

            • Bruno Wendel Marcolino

              Sim, a Nissan infelizmente não resolveu o problema da mola traseira extremamente dura, mas nesse caso, o problema são as estradas e não o carro, por aqui são tantas adaptações para poder rodar que qualquer marca se perde hehe.

              Nesse caso só um calço na mola já muda tudo.

              • Edson Fernandes

                Por isso que TODAS as marcas tem usado batente hidraulico para eivtar pancadas secas. Vai me desculpar, mas a Nissan já tem muito tempo de mercado para poder dar uma solução adequada para esse problema.

                Se todas as marcas tem feito isso, o erro é da Nissan e não das demais. Mas concordo que obviamente é inaceitavel termos esse tipo de pavimento.

        • Wagner Lopes

          Aí está o x da questão do nosso mercado. O brasileiro consegue identificar valor em um produto como esse e paga os 62K pedidos…

          • Erinaldo Oliveira

            as pessoas acham que 60 mil dilmas se recebem em um mês de trabalho, eu não sei alguns aqui, mas a MAIORIA ABSOLUTA, demora anos para receber isso com muito suor… brasileiros fazendo brasileirices

        • Edson Fernandes

          Para levar a familia com conforto? Eu levo com Fluence (porque tem desconto), 408 (esse vc compra até mais barato), se pensar em cambio manual leva outros tbm… e ainda… pode comprar um Focus 2.0 S por R$65000.

          Enfim… agregar conforto eu prefiro estar de mpedio do que nesse aí. Que além de instavel (e é horrivel mesmo, qualquer curva o carro rola pra caramba) ele é estreito, além do espaço para os joelhos serem limitados e eu com 1,87m faria uma criança ficar no limite atrás do meu banco.

          • Pedro Paulo ()

            A é???
            tu vai tacar o Fluence no caminho da Roça???
            quero ver ele voltar inteiro…

            • Erinaldo Oliveira

              e você acha que esse Lixo vai voltar inteiro, coloca uma SW4 ou Hilux na terra e veja o que acontece, fica cheio de “grilos” cricrilando, IMAGINA ESSA BOSTA…

              • Pedro Paulo ()

                te garanto que aguenta mais que um fluence…

                • Erinaldo Oliveira

                  mas o Fluence não foi feito para a proposta que a Hillux tem por exemplo. O que eu estou dizendo é que pagamos caro apenas pelo status de ter um “Carro grande” e zero, sem nenhum efetivo custoXbeneficio … SOMOS BURROS DEMAIS…

                  • Pedro Paulo ()

                    sei disso cara, mas eu me referia a spin para levar a família em um final de semana para o sítio com conforto, mas como você disse, de conforto esse carro não tem nada, realmente o fluence é melhor nesse quesito, mas quem seria o doido de meter um fluence na estrada de chão batido…?
                    por que para mim esse seria o maior proposito da spin activ… pegar a estrada para um final de semana no sítio.

                    • Erinaldo Oliveira

                      O problema é que essa spin aguenta menos estrada de chão do que o fluence, te garanto, esse carro é mal montado demais…

                    • Pedro Paulo ()

                      tá bom… então porke o vídeo promocional do Fluence não é feito na estrada de chão em vez das largas pistas de asfalto liso e sem nenhum defeito???
                      cara, eu acredito que mesmo sendo um carro meia boca esse carro encara bem uma aventura de fim de semana, uma ou duas vezes no mês… eu não estou dizendo que ele é um legítimo off-road, mas ele é quase um pé de bode…

    • Roger Bersch

      Por algumas semanas né, coloca isso na estrada de chão e não demora para não prestar para mais nada, não é uma caminhonete.

      • Pedro Paulo ()

        viagem ao sítio nos finais de semana….

    • Pimentel

      Já viu o espaço no banco traseiro? Aperto para pernas, banco com pouco espaço lateral, calombo no meio do banco. O porta-malas é enorme, mas o banco traseiro não parece de um carro familiar. É um carro pra 4 adultos de estatura média, no máximo. Isso sem falar no consumo alto e desempenho fraco desse motor, que também não contribui para o conforto.

  • dogmarley

    achei que esse visual deixou o Castor menos feio.
    mas jamais pensari nesse carro em casa….jamais. os fatores que me levam à isso não preciso nem dizer, né

    • Edson Fernandes

      O castor era o Fit vai….rs

      • dogmarley

        auihoauibauihua de qual geração, a 2ª?

  • Wagner Lopes

    Calma pessoal…a GM que faz uma excelente margem nesta casca de lata e plástico e o governo (desgoverno) que leva quase a metade em impostos agradecem!

  • Louis

    Ficou bom não…

    Eu é que não troco minha Livina com legítimo motor Nissan 1.8 16V , mesmo com cambio de 4 marchas, por este Powertreco superfaturado…

    • CorsarioViajante

      O problema é o dia que quiser trocar sua Livina… rs Infelizmente a Nissan desistiu do produto por aqui.

      • Erinaldo Oliveira

        Rapaz, não vale a pena trocar de carro aqui não, é melhor dar para algum parente para uso necessário do que vender a preço de banana e pagar caro em outro, no final vai perder dinheiro 3 vezes, vai perder na venda, vai perder na compra do seu, e pode perder na compra de algum para a mulher ou filho… O meu fiesta eu vou dar para a minha irmã e comprar um outro… vender por menos da metade do preço eu não vendo, conheço um que comprou um Astra por uns 47000 e vendeu por 28000 (COM 28000 KM RODADOS) ou seja, jogou uns 10000 no lixo

        • Edson Fernandes

          Cada um sabe o que faz com o dinheiro. Eu mesmo nunca faria isso.

          Continuaria com o Astra. Mas vc sabe como é o Brasileiro sempre quer ter um carro com mais itens… e abre mão de um otimo produto(que quase sempre não é problematico).

          • Erinaldo Oliveira

            Ai você disse a frase certa… “Cada um sabe o que faz com o dinheiro” na verdade cada um pensa que sabem o que faz com dinheiro, por que eu acho que ninguém quer jogar dinheiro no lixo né?

    • Bruno Wendel Marcolino

      isso é verdade!!! Livina é muito superior…pena que saiu ou sairá de linha :(
      Fora que a Gran Livina SL tem Ar digital também.

  • ultimate_rr

    O visual ficou melhor que na versão urbana. Mas não é um veículo que me chama atenção. Em terra onde Crossfox custa 60 mil, essa Spin por 62 até que não está tão fora. Acho que vai vender muito bem.

    • Marcio

      As propostas são muito diferentes, até porque Cross/Active nesses carros são só perfumarias (pouco adianta pneu misto em 4×2).

      A Spin é o melhor carro para uma família no quesito espaço, nisso ela é imbatível, com o melhor CxB.

      E essa versão nova teve a traseira disfarçada (a traseira da versão tradicional é intragável).

      • Pimentel

        Se a intenção for colocar a família no porta-malas… Aí tudo bem, pois o banco traseiro é mais apertado do que muito hatch compacto, não tem nem espaço lateral e muito menos espaço para joelhos.

        • Marcio

          Pode ser a sua intenção, cada um faz o que quer, mas enfim…

          Muitas famílias, principalmente as que têm bebês (mesmo que seja um só), sabem quanta bagagem é necessária quando se viaja, e pra isso o tamanho da mala do Fox é imprestável. Por isso a comparação não faz sentido.

          • Pimentel

            Não me referi ao Fox especificamente, mas sim a vários hatches compactos, pois a Spin, por incrível que pareça, perde para vários hatches compactos em termos de espaço interno no banco traseiro.

            No caso de uma família que realmente precisa de porta-malas acima de 400l, o que acho improvável para um casal com um bebê, visto que conheço alguns casais nessa situação que não tem problemas com o porta-malas de hatches médios e até compactos, seria mais barato, simples e racional comprar um sedã compacto. Pelo preço dessa Spin automática dá para levar um Cruze automático com couro, que é anunciado o tempo inteiro por 67mil reais, no próprio site de ofertas da Chevrolet.

            Até mesmo na própria Chevrolet, um Cobalt seria uma melhor opção. Entretanto, a verdade é que um Sandero com 320l resolve o problema da maioria dos casais com um filho ou mesmo um Fox com o banco um pouco avançado(trilhos), que atinge 353l, apenas para citar 2 exemplos.

            Essa Spin não se justifica em nenhum dos casos, só mesmo se o cidadão fizer transporte de caixões ou equipamentos específicos que necessitem realmente de um porta-malas enorme. A verdade é que a GM vai tentar atrair aquele consumidor que queria comprar um SUV para demonstrar status, mas não tem condições.

            Do que adianta ter porta-malas de sobra, mas não transportar nem mesmo 4 adultos com conforto. Isso não faz o mínimo sentido, é muito melhor levar um sedã compacto por um preço menor, que também atenderá a necessidade de porta-malas, mas terá melhor espaço no banco traseiro, consumo melhor, desempenho melhor e menor custo de manutenção geral.

            • Edson Fernandes

              Ou levar logo um sedan médio. (e não é usado é 0km!)

            • Marcio

              Tente entender que, obviamente, o que você chama de “mais racional” para você (para o seu caso/sua família) não necessariamente é a melhor opção para muitas outras pessoas e suas famílias.

              No seu quesito provavelmente pode ser que um Fox seja melhor, pois você está insistindo em 4 adultos (4 malas/bolsas pequenas?). Mencionei dois adultos e um ou dois bebês/crianças. Estava falando sobre a comparação Fox/Spin que o ultimate_rr mencionou e na qual não vejo sentido pois não têm a mesma proposta.

              Você diz que “acha improvável” porque claramente desconhece do assunto. Falo por experiência própria, com um sedã de 460l de mala que fica pequena em várias situações em viagens com apenas dois adultos e um bebê, e conheço várias outras pessoas na mesma situação.

              Um hatch como o Fox (carro que o ultimate_rr mencionou) tem uma mala minúscula de 270 litros, pouco maior do que a do Corsa Wind que tive, por isso não é um carro apropriado (nem de longe) para quem quer viajar com bebê(s), a não ser que não se incomode em entulhar o teto do carro com bagagens amarradas ou se for para algum lugar que já tiver tudo e não precisar levar nada na mala, o que, é claro, nem sempre acontece, pois nem todo mundo vai sempre para o mesmo lugar.

              Sinceramente, não achei no site da VW essa informação de que a mala do Fox aumenta para 353l se mexer nos trilhos, mas considerando isso verdade, mas é óbvio que o espaço no banco traseiro ficaria minúsculo se fizesse essa mexida nos bancos, então ficaria tão apertado (ou mais?) do que em uma Spin, que tem 710 litros no compartimento na versão de 5 passageiros naturalmente.

              Da mesma forma que não tem o menor sentido comparar Fox e Spin, faz menos sentido ainda comparar com um Cruze, pois um Cruze hatch parte de 70 mil (o sedã, 73 mil) com a mala muito pequena se comparada com a da Spin (405l/450l hatch/sedã). E novamente, são propostas muito diferentes para públicos muito diferentes.

              E esse papo de “não transporta 4 adultos com conforto” é balela, ontem mesmo andei numa Spin Táxi no banco traseiro (tenho 1,83m de altura) e foi super confortável. Pode ser que com 3 adultos fique apertado, mas pra 4 adultos dá espaço de sobra.

              • Pimentel

                Pra começar, o Cruze está anunciado no site da Chevrolet(em ofertas) por 67mil com couro e automático(R7D) e taxa 0, basta ir no site da Chevrolet. Ou seja, um sedã médio automático, que é infinitamente superior a essa tranqueira manca, pelo mesmo valor.

                Sobre o Fox, não comparei com Spin, pelo contrário, por isso, disse que não me referi especificamente ao Fox. E com o banco regulado mais para frente atinge 353l e ainda consegue oferecer conforto para 2 adultos de 1,80m atrás. Muitos casais com filho pequeno se viram muito bem nessas situações, pois a cadeirinha já fica no banco traseiro, porém, quem precisar de maior porta-malas tem várias opções melhores e mais racionais que a Spin.

                Sobre a Spin, é muito apertada, os próprios taxistas que a possuem sabem disso e deixam o banco mais avançado, dirigindo com as pernas encolhidas. Além disso, dificilmente um taxista de boa estatura terá uma Spin. Quem diz que é um carro espaçoso simplesmente só olhou as medidas na ficha técnica, quem conheceu pessoalmente sabe que se os passageiros dianteiros não forem baixinhos quem estiver atrás vai sofrer, caso não seja baixinho. Nem no sonho eu posso regular o banco dianteiro e sentar atrás de mim mesmo, isso com 1,84m. É um carro grande por fora e pequeno por dentro.

                Toda vez que vejo algum local dizendo que Spin é espaçosa, tenho a certeza que não testaram o banco traseiro do veículo, na prática, apenas dirigiram e olharam a medida na ficha técnica. Olha uma passagem interessante e realista do AutoSegredos, que testa de fato o espaço dos veículos:

                “Apesar do apelo familiar da Spin, a oferta de espaço é um tanto restrita, especialmente nos bancos de trás. Enquanto os ocupantes da dianteira viajam sem aperto, dependendo do ajuste dos bancos as pernas de quem vai atrás tendem a ficar apertadas. E aqui não falamos de pessoas propriamente altas: durante o test-drive, os assentos da frente eram ocupados por passageiros de cerca de 1,75 metro, o suficiente para fazer o vão livre da traseira minguar.”

                E sobre tamanho de porta-malas, a GM foi otimista na medição, a Auto Esporte auferiu em 501l, esses 710l com toda certeza são fruto de uma medição até o teto. É um grande porta-malas, mas um Cobalt, com 560l, atende perfeitamente essa proposta, porém tem melhor espaço interno, melhor desempenho, melhor consumo e preço inferior. Um Sentra custa o mesmo que essa Spin, mas tem maior espaço interno, melhor acabamento, melhor desempenho, consumo e um ótimo porta-malas.

                Pra quem quiser gastar bem menos, tem o Prisma 1.4, que tem espaço interno no mesmo patamar, mas é mais barato, tem melhor desempenho, consumo, etc.

                Resumindo, essa Spin é pra quem quer “status”, mas não tem dinheiro pra comprar um SUV. O espaço interno no banco traseiro é pequeno, o acabamento é simples, o consumo é ruim, o desempenho é ruim, o preço é ruim para o que oferece e apenas o porta-malas é o destaque. Porém, vários veículos na mesma faixa de preço oferecem porta-malas semelhante.

                O resumo da obra é: Não vale a pena, na mesma marca se leva o Cobalt por menos ou um Cruze LT automático e com couro pelo mesmo preço. Ambos superiores em consumo, desempenho, espaço interno, e o Cruze ainda fica bem melhor em acabamento.

                • Marcio

                  Bom, você claramente está usando uma medida considerando que é correta (do Fox) e duvida de outra (da Spin) sem qualquer prova, usando “Auto Esporte” como algo válido… realmente fica muito difícil entender. E insisto, a comparação INICIAL era do Fox e da Spin, por isso fiz o primeiro comentário.

                  O Cruze é outro carro. Outra categoria. Outra discussão. Seus argumentos são confusos, dependem do que você “acha” que vale, e achar que Spin é “status” é forçar a amizade… :)

                  Um Prisma é uma ótima compra pelo custo/benefício, ótima mala, mas garanto que é tão, ou mais, apertado que uma Spin. Até porque se não me engano são a mesma plataforma.

                  Claro que eu prefiro um Cruze, não sou doido. É muito mais carro, é mais confortável para os passageiros, mas é para SOLTEIROS, ou casal com 2 filhos JOVENS/ADULTOS.

                  Falo por experiência. Um casal com um bebê precisa de muito mais do que a mala de um Cruze hatch pra viajar para locais onde precisa levar uma quantidade absurda de coisas, infelizmente, pois é claro que preferiria dirigir um Cruze a uma Spin, não há dúvidas. Deveria sim, haver um Cruze SW, que aí sim substituiria de fato a Zafira. Mas…

                  E se tenho certeza que uma mala de um Cruze hatch seria pouco para um casal com bebê (novamente, falo por experiência), um Fox com uma mala bem menor seria obviamente pior para essa família.

                  Você tem as suas opiniões, claramente de quem não tem um filho bebê, nada contra, óbvio. Respeito, mas discordo com certeza do que estou dizendo.

                  Abraços!

                  • Pimentel

                    Pra começo de história, o Cruze citado é o sedã, que tem um bom porta-malas. Vá até o site e clique em “ofertas”, depois veja que o Cruze sedã está sendo vendido por 67mil reais, automático e com couro, por apenas 67mil reais, em 36x com taxa 0. O Sentra também é uma opção melhor que essa Spin, pois é infinitamente superior em todos os aspectos e tem um ótimo porta-malas de mais de 500l, que atende perfeitamente uma família.

                    Como disse, o Cobalt também é uma opção muito melhor tecnicamente(consumo, desempenho e dirigibilidade), é bem mais barato, tem quase 600l de porta-malas e muito mais espaço interno, não tem nem comparação. O Prisma tem bem mais espaço para as pernas que a Spin, no banco traseiro e um bom porta-malas que também atende as necessidades de uma família. O problema da Spin claramente foi de projeto, não tem nada a ver com a plataforma, foi um projeto de baixo custo mal sucedido, que acabou fazendo um veículo apertado no banco traseiro e com bom porta-malas. Basta ver como a Livina é espaçosa, assim como a Meriva, mesmo pequena, tinha um banco traseiro bem mais espaçoso que a Spin. Não precisa nem citar a Zafira.

                    Infelizmente a Spin é uma tranqueira mesmo, não se justifica para nenhum comprador e quando citei “status” me referi a pessoas que pensam sim em ter um carro alto para demonstrar que tem “status”, mas não tem condições de comprar algo que preste, então compram algo assim.

                    A comparação com o Fox é a única em que seu discurso é válido, pois quem realmente quer um porta-malas grande não cogitaria um Fox, apesar de conhecer vários casais com um filho que se viram muito bem com hatches e não partem para sedãs por opção.

                    De resto, as comparações válidas com veículos concorrentes em preços e propostas colocam a Spin como péssima opção para qualquer comprador, tanto o que precisa de mala grande como o que não precisa. Entretanto, para quem precisar levar materiais de construção, caixões ou algo do tipo, uma Spin com os bancos rebatidos é uma ótima opção.

                    • Marcio

                      Você confia na medida para o Cobalt, mas não confia na medida para a Spin. Interessante…

                      Cruze sedã automático 0Km por 67 mil? Não procurei, mas já que você aparentemente já encontrou anúncio com esse valor, bastaria ter mostrado o link, colocando o site apontando para esta oferta. Sinceramente, acredito que possa ser usado, nesse caso a sua comparação não tem sentido mesmo, pois estamos falando em modelos 0Km. Ou você apenas viu o valor promocional para o Cruze, mas para a Spin “tem que ser o valor que tá no site da Chevrolet”?

                      Bom, até que realmente demorei pra perceber que você apenas fala com um discurso de “troll/hater” clássico, que não tem discernimento para entender (ou não quer somente?) que sim, a Spin tem a grande vantagem do porta-malas, que várias famílias precisam, que um Fox não seria opção, nem mesmo um hatch maior como o Cruze. Esse é o ponto inicial da discussão, e o resultado é óbvio, é fato concreto e não há discussão, basta ver os números. Não sei porque você se meteu e entrou numa de ficar atacando por bobagem, comparando com sei lá quantos carros…

                      Tenho certeza que já vi várias opiniões de gente super satisfeita com a Spin, e garanto que não é quem só vê beleza, é gente que prefere uma opção melhor de custo e benefício.

                      Ficar se metendo e desviando o assunto só pra falar que “a Spin é ruiiiim, Cruze é melhoooor” é o mesmo que falar que laranja é melhor que melancia porque a maçã é verde numa discussão sobre abacaxis. É papo de maluco, isso eu dispenso.

                      Se a Spin é melhor ou pior em outros pontos, e se você a odeia tanto por ser feia e/ou sei lá mais o quê, não a compre e que você avalie a sua melhor opção e seja feliz com ela se esse for o seu objetivo na vida.

                      Abraços.

                    • Pimentel

                      Seu discurso é fraco, infelizmente. O tempo inteiro se desvia do assunto principal, que é o debate objetivo, e tenta desmerecer meu comentário alegando que sou um troll, afirmação vazia e sem sentido, visto que meu debate é objetivo e embasado. Pior, supor que minha crítica se concentra na aparência do veículo só mostrou o desespero em tentar desmerecer meu comentário. Comigo o debate é objetivo, minhas críticas à Spin foram: Espaço interno ruim no banco traseiro, consumo e desempenho péssimos, devido ao motor antiquado e peso elevado, e acabamento fraco para o preço. Não citei o design como um defeito relevante, pois isso é o que menos importa para o debate objetivo.

                      Não fiz referência à medida do porta-malas da Spin, nesse comentário, ou seja, levei em conta os valores informados pela fábrica quando comparei com os demais. O Cobalt tem 563l e a Spin tem 710l, ou seja, ambos acomodam a bagagem de uma família de maneira coerente. Entretanto, o Cobalt acomoda bem a família no banco traseiro, enquanto a Spin só acomoda bem a bagagem, a família vai “socadinha”. Além disso, o Cobalt é tecnicamente superior(debate objetivo, lembra?!), pois tem melhor desempenho e consumo, apesar de também ser ruim nesse aspecto, por utilizar o péssimo 1.8 8v.

                      Por fim, a comparação com sedãs médios é cabível, pois seu preço é semelhante, apesar de ser um veículo inferior em desempenho, consumo, acabamento, espaço interno, entre outras coisas, a qualquer sedã médio do mercado. Ou seja, só é superior em porta-malas.

                      Então fica assim: o comprador coloca na balança, pesa o que vale mais e decide se é melhor um veículo com melhor desempenho, consumo, acabamento, espaço interno, dirigibilidade, equipamentos ou outro que possui maior porta-malas.

                      Quem levar uma Spin Active em detrimento de um Cobalt, Prisma ou qualquer sedã médio deve pensar direitinho nesses fatores.

                      Sobre o Cruze sedã que citei, é 0km, com couro, automático e basta entrar no site da Chevrolet, clicar no menu “compre o seu” e depois no submenu “promoções e ofertas”. Não coloquei o link porque o comentário não é aprovado com ele. O Cruze é vendido por 67mil nessa configuração todo o tempo, esse é o preço de mercado dele, em qualquer concessionária. Há bastante tempo que a GM pratica esse preço nele e dá taxa 0. Na prática, não é nenhuma promoção.

                      O debate aqui é sobre essa versão da Spin, pois as versões de entrada são outra questão e podem ser algo justificável para alguns, ainda que seja inferior a vários sedãs compactos para o transporte de uma família, seu preço passa a ter apelo, sendo semelhante ao de sedãs compactos 1.6, e já vem com um pacote razoável de itens de série, além de receber descontos acima da média.

                    • Marcio

                      Você quem desviou o assunto, trouxe argumentos totalmente sem sentido e números duvidosos, dando crédito em um momento para uma fonte e descreditando a mesma fonte quando lhe condizia, o que é lamentável. Não tem sentido tentar argumentar dessa forma, pois você em um momento duvida das fontes e em outro acredita nas mesmas, dependendo do resultado.

                      O meu comentário inicial era unica e simplesmente em relação a comparação sem cabimento entre Fox e Spin. Isso é ponto fechado, inclusive você concordou. Não entendo porque você insiste em trazer outros carros inventando uma discussão que não tem sentido, atitude que sabemos ser típica de troll que “tem que falar algo relevante porque tem que mostrar que sabe”, ou mesmo só para ficar perdendo tempo em respostas intermináveis. De novo, mais uma vez… apenas falei que são carros com propostas diferentes (Fox/Spin), você desviou o assunto para dizer que “a Spin não presta, o carro X é melhor”…

                      Chamar um carro de “tranqueira” porque não gosta dele (seja por quais motivos forem), carro de funerária, etc. é claramente desmerecer o visual do carro, ou seja chamá-lo de feio. E concordo, a Spin é feia, sobre isso também não há discussão, mas é questão de gosto, mesmo que seja péssimo. Afinal, até o Agile vendeu muito…

                      O link para as ofertas da GM está fora do ar, tentarei mais tarde, mas vou confiar na sua palavra. Mesmo assim, você disse: “Então fica assim: o comprador coloca na balança, pesa o que vale mais e decide se é melhor um veículo com melhor desempenho, consumo, acabamento, espaço interno, dirigibilidade, equipamentos ou outro que possui maior porta-malas.”. É claro! É isso que tenho que falado o tempo todo, finalmente você concorda comigo nesse aspecto. É bem provável que para muitos uma Spin “top” de linha (mesmo sabendo que é tão top assim) seja a melhor opção, pelo que você mesmo concordou.

                      Abraços

                    • Pimentel

                      Não duvidei de fontes e/ou as utilizei quando foi conveniente, mas sim apontei que a GM pode ter sido otimista na medição, mas depois disso deixei essa questão de lado, pois independentemente da questão do porta-malas, a Spin não se justifica perante sedãs médios ou compactos como o Cobalt, por exemplo, pois eles atendem perfeitamente uma família, com mais de 500l de porta-malas, exceto se realmente o veículo for utilizado para transporte de objetos diferenciados, a exemplo de materiais de construção ou caixões. E não é incomum que marcas façam a medição do porta-malas até o teto, mas no caso dos sedãs isso não acontece, pois a mala não “vai até o limite”.

                      Não gerei discussões sem sentido, tampouco demonstrei qualquer traço de comportamento de troll, pois meus argumentos foram objetivos e coerentes.

                      Outra coisa, chamar o carro de “tranqueira” não tem qualquer relação com o design, mas sim com suas qualidades técnicas. De fato, a Spin é uma tranqueira, pois é um projeto de baixo custo muito mal feito, que demonstra sua baixa qualidade desde a motorização, que garante desempenho fraquíssimo e consumo alto, até o seu espaço interno ruim, pior que o oferecido por muitos hatches compactos.

                      De resto, chegamos em um ponto de convergência sobre o Fox atender um público diferente, mas os sedãs compactos e médios atendem o mesmo público e com mais eficiência. Até vale uma correção para minha última comparação: “Então fica assim: o comprador coloca na balança, pesa o que vale mais e decide se é melhor um veículo com melhor desempenho, consumo, acabamento, espaço interno, dirigibilidade, equipamentos e com um ótimo porta-malas de mais de 500l ou outro que possui maior porta-malas, mas é inferior em todos os aspectos.”

                      Basicamente é isso, a Spin não se justifica para quase nenhum comprador, pois um sedã médio ou compacto consegue levar a família com mais conforto e tem um porta-malas suficiente para levar a bagagem de todos, com cerca de 500l. Já a Spin, todo mundo vai apertado no banco traseiro e sobra um pouco mais de porta-malas. Ou seja, é um carro que só se justifica para alguém que não seja atendido por um porta-malas de 500~563l e precise de 140l a mais(isso considerando que a medição feita pela GM não foi até o teto e a Auto Esporte, ao preencher o porta-malas, provavelmente com isopor, para auferir o espaço, errou por 210l.

                    • Marcio

                      E da mesma forma que você alega (baseado na Autoesporte…) que o volume da Spin pode ser menor do que o informado pela GM, o do Fox pode inclusive ser menor do que os 270/353 alegados pela VW. Ou na medição da VW você confia cegamente? Por isso não se pode utilizar fontes diferentes para uma comparação, não faz sentido e dá um viés direcionador ao seu resultado comparativo.

                      Você finalmente concorda com o que eu disse inicialmente ao (finalmente) dizer que “a Spin não se justifica para quase nenhum comprador”, ou seja, se justifica pelo menos para alguns pelos seus próprios critérios, e as milhares de unidades vendidas mostram que você está enganado, pois ela se justifica para muitos.

                      Obrigado e abraços

                    • Pimentel

                      A comparação que fiz foi em relação aos sedãs que possuem 500~563l de porta-malas, que não podem ser medidos até o teto, ou seja, possuem porta-malas, de fato, de 500~563l, algo semelhante ao volume encontrado na Spin, se não for medida até o teto. Ou seja, até o apelo do tamanho do porta-malas cai por terra, quando comparado com os sedãs que estão na faixa de preço. Entretanto, me refiro a versão aventureira.

                      A verdade é que quem compra uma tranqueira dessas(Spin Active), projeto de baixo custo mal sucedido, por 65mil, o faz apenas por querer um carro alto, que hoje em dia dá “status”. Então leva pra casa um carro com desempenho quase de 1.0, consumo de V6, banco traseiro apertado, acabamento meia boca e porta-malas grande etc.

                      Só vale a pena para quem comprar a versão de entrada, com desconto de 4~5mil, que é algo normal para esse veículo, como a maioria dos compradores. Ninguém vai levar essa tranqueira por 65mil, em breve descontos, taxa 0, saldo em 36 vezes e com entrada de 50%.

                      Atualmente esse veículo só consegue vender porque custa o mesmo que um sedã compacto com os mesmos equipamentos e dá mais “status” na “banânia”.

                    • Marcio

                      Os milhares que já compraram e estão satisfeitos discordam de você, o que mostra que você está errado nas suas alegações, ainda mais por usar dados duvidosos e incoerentes baseados em fontes obtusas (Autoesporte), insistindo em comparar bananas com maçãs e abacaxis. Um sedã (Cobalt, etc.) não pode ser comparado a uma SW como a Spin porque uma SW como a SPIN tem a vantagem justamente de poder colocar coisas até o teto, o que faz cair por terra seus argumentos em relação ao espaço para bagagens, o único elemento de dúvida inicial.

                      Você demorou mas pelo menos já concordou comigo no sentido de que cada um escolhe o que bem quiser comprar de acordo com as suas necessidades. Novamente, os milhares de satisfeitos com a Spin mostram que você está redondamente errado ao tentar desmerecê-la dessa forma.

                    • Pimentel

                      Não utilizo fontes obtusas(isso é pra tentar falar bonito? fail!), a Auto Esporte é uma revista tradicional e a medição é feita por um profissional capacitado. Também não tem nenhum dado incoerente ou obtuso(eita “menino” esperto!). O segmento de SW é um dos mais decadentes da atualidade e a Spin vende por falta de concorrência e preço atrativo, visto que custa o mesmo que um sedã compacto em igualdade de equipamentos. A prova do seu apelo ser o preço é que ela veio lançada por preço inferior a Meriva e Zafira. A GM sabe o que vende e qual o apelo de seu produto de baixo custo mal projetado.

                      Além disso, você é o único que utiliza dados “obtusos”, pois dizer que ela possui “milhares de proprietários satisfeitos”, de maneira totalmente genérica, sem embasamento, para “provar” que estou errado ao apontar defeitos reais da Spin é realmente patético.

                      Por fim, não preciso desmerecer esse veículo, pois seus defeitos estão aí para que todos observem: Consumo altíssimo, desempenho fraquíssimo, pouco espaço interno no banco traseiro, entre outros. E suas virtudes também: Preço atrativo na versão de entrada LT, que já vem com pacote razoável de equipamentos, porta-malas grande e garantia de “status” entre os pobres, pois pensarão que é um carrão.

                      Você defende a Spin porque é um velho fã da marca, do tipo que tem/teve vários veículos chevrolet e engole qualquer porcaria que a GM lança e ainda aplaude. O triste mesmo é que não tem argumentos para defender essa tranqueira da Chevrolet, mas estica a discussão porque é fã da marca e acha esse veículo, obviamente, uma maravilha.

                      Se o defeito desse carro fosse o design, aí sim estaria ótimo. O problema é que o design mal resolvido é o de menos, pois esse carro tem defeitos de sobra, o que acaba colocando o design em segundo plano.

                    • Marcio

                      Não estou “defendendo” a Spin, pelo contrário. Veja que em nenhum momento discordei dos pontos nos quais a Spin seria pior do que o Cruze, à exceção do espaço para 4 pessoas, confiei na sua palavra, mas você (novamente) concordou comigo que para algumas pessoas ela é a melhor opção. Isso já é uma evolução, parabéns!

                      Apenas disse o óbvio, que não há como comparar a Spin com o Fox, e que para certas pessoas ela é vantagem sim, inclusive você finalmente concordou com isso em alguns momentos. Você também concordou comigo nesse ponto, parabéns!

                      Só achei estranho você, do nada, ter se metido no meio de uma opinião simples para um post com uma necessidade insistente de dizer que “melhor comprar o cruze porque é melhor nisso e naquilo”, sendo que se trata de outra categoria além das duas, algo que também não faz sentido, dessa vez da sua parte.

                      Usar uma fonte e dizer que está correta (porta-malas do Cobalt e do Cruze pela GM) e depois dizer que está errada (da Spin) é simplesmente se contradizer. E ficar regorgitando os pontos que considera fracos da Spin parece te dar algum prazer estranho, mas cada um na sua.

                      Por fim, novamente, mesmo você já tendo concordado com esse fato, lembro que os milhares de consumidores satisfeitos que adquiriram a Spin, e não sou um deles, provam que você está errado quando tenta alegar que ela não serve pra ninguém. Principalmente, sendo repetitivo, porque você já concordou com esse fato, de que a Spin é a melhor opção para alguns (milhares de?) casos. Para essa conclusão, agradeço.

                      A propósito, só tive 2 carros na minha vida, um Corsa Wind 1999 (foto) que comprei 0Km e o atual, um Astra também 1999, que comprei usado pois era uma oportunidade (procedência). Tive sim uma boa experiência com a GM, mas garanto que a aparência da Spin e o painel são os únicos fatores que me fariam não comprar o carro. E não compraria mesmo. A gente tem que se sentir bem no carro que anda, e olhar aquele painel ridículo não é uma opção para mim. Por fim, nâo tenho preconceito com nenhuma outra marca, é altamente provável que mude de montadora se um dia for trocar de carro. À exceção das chinesas, que nem de graça.

                      Abraços, tenha um bom feriado.

                    • Pimentel

                      Responder comentários de outras pessoas é o normal em um blog, inclusive, é assim que funciona, um fala algo e outro responde, “do nada”.

                      Meu post não foi insistente, apenas realista, a notícia era sobre a Spin Active, que custa o mesmo que um sedã médio, mas não tem muita qualidade. Simples assim. A comparação com sedãs médios ou até sedãs compactos mais baratos e que oferecem mais conforto é inevitável. A comparação com o Fox, desde o primeiro momento, disse que não era válida, apesar de conhecer pessoas que se viram bem com um, mesmo tendo filho pequeno.

                      Sobre a questão do tamanho do porta-malas, não sei se você teve dificuldade de entender, mas a medição da Auto Esporte indica que a GM usou a metodologia de medir o porta-malas até o teto, algo impossível de se fazer em um sedã, por isso, considerei o valor da GM, entretanto, a Auto Esporte também mediu o porta-malas do Cobalt e chegou ao número de 544l(a perda, provavelmente, se deu em razão dos pescoços de ganso do porta-malas). Ou seja, pelas medições profissionais, o Cobalt tem 544l de porta-malas e a Spin 501l, até a tampa do bagageiro. Ou seja, até o apelo do porta-malas fica prejudicado contra sedãs compactos. Como disse, a menos que o comprador pretenda carregar objetos/equipamentos específicos e muito grandes, não faz sentido optar pela Spin, devido aos defeitos já citados.

                      Em suma, meus argumentos são coerentes e realmente provam, objetivamente, que a Spin não se justifica para quase 100% dos casos, pois poucos precisam transportar equipamentos específicos ou objetos diferenciados, sendo perfeitamente atendidos por um porta-malas de mais de 500l encontrado em sedãs compactos.

                      E as vendas da Spin, mesmo sendo praticamente ÚNICA em seu segmento, possuindo bons itens de série e preço de sedã compacto popular, vende apenas cerca de 3mil unidades por mês. Isso, por si só, já indica que em sua faixa de preço os compradores acabam optando por sedãs compactos, segmento que se mostra bem maior.

                      Obviamente que citar os compradores da Spin como “milhares de compradores satisfeitos” não é nada razoável, pois vender alguns milhares de unidades por mês não prova absolutamente nada, inclusive que seus donos estão satisfeitos. E vender, isso a GM vai, mesmo que seja a base de promoções, descontos, taxa 0, pois enquanto estiver em linha, o estoque precisa ser controlado.

                      O Cruze é um exemplo disso, hoje é vendido por 67mil com couro e câmbio automático, pois a linha de produção não pode parar e o veículo precisa continuar vendendo, ainda que seja à base de promoções como essa: Cruze LT, pacote R7D, 66.990,00, com taxa 0 e saldo em 36 parcelas. Ou seja, taxa 0, 12mil de desconto e saldo em 36x.

                      Ou seja, a Spin conseguir vender cerca de 3mil unidades, em um segmento que está praticamente sozinha, não prova nada, apenas que estão conseguindo desencalhá-la razoavelmente, e que a maioria dos compradores opta por sedãs compactos na mesma faixa de preço.

                      Sobre seus carros, curiosamente ou não, ambos são da GM. Acho que rola um sentimento aí! Alguém defender tanto a compra de uma Spin é de se estranhar, pois o veículo é muito ruim, tecnicamente falando, e só se justifica para raríssimos casos onde é necessário transportar objetos específicos. Certamente é por isso que vende tão pouco, mesmo sem concorrência.

                    • Marcio

                      Está dispensado de supor que não entendi, o que obviamente você sabe que não é verdade, apenas repito (pois isso você parece não conseguir entender) que você utilizou de forma inadequada as medidas oficiais, de fábrica, da VW para o Fox e da Autoesporte para a Spin, que dá um viés direcionador aos resultados, e que por isso não são honestos. E a medição da Autoesporte até a “tampa do bagageiro” pode naturalmente variar, até porque pelo que me lembro (não sei se isso mudou, mas acho que não), a Spin não vem com tampa de fábrica, portanto a medida da Autoesporte pode ser naturalmente falha, mesmo que seja sem má fé.

                      “Apenas” cerca 3 mil unidades por mês e você acha pouco? Mês a mês, e mesmo assim acha que “os compradores devem ser pobres iludidos com status que não têm capacidade de raciocinar quanto a CxB”? É sério que você ainda insiste nisso? Ainda acha realmente que não estão satisfeitos com suas compras? Por favor, tente abrir sua mente, nem todos têm as mesmas necessidades que você. Digo e repito, talvez você dessa vez perceba: as milhares de pessoas que compram a Spin mostram o quão interessante ela é no mercado, inclusive para as pessoas que a compram sem se importarem com a aparência de gosto duvidoso dela.

                      A Spin única no segmento? Como assim? E a Grand Livinia? Jac J6? Palio Weekend (somadas às vendas da Doblô, para incluirmos a opção de 7 lugares)? Se essas opções vendem menos que a Spin, o que pensam os donos dessas? Serão só eles os “que veem um melhor CxB, pois a Spin é pior do que elas”?

                      Você disse, mas ainda não vi a promoção que você disse do Cruze sedã automático por 67 mil como você havia mencionado anteriormente. Você recebeu essa oferta por e-mail, já que o site de ofertas da GM é apenas um banco para registro de e-mails para envio de ofertas?

                      Sim, ambos os carros que comprei são da GM. Em 1999, fiz a pesquisa e, sem sombra de dúvidas, o Corsa Wind era a melhor opção dos carros básicos à época. Quase comprei o Palio, como segunda opção, mas o Corsa sairia mais em conta, e por isso foi a minha opção. Repito, pois aparentemente você não leu essa parte, que o segundo carro comprei apenas porque era uma oportunidade. Foi um Astra porque era o carro comprado pelo antigo dono que eu conhecia, poderia ter sido de qualquer outra montadora.

                      E agradeço por novamente concordar comigo que para determinados donos a Spin é a melhor opção, o que se comprova principalmente pelo maior número de vendas dela se comparadas aos das outras opções do mercado.

                      Abraços, tenha um ótimo final de semana.

                    • Pimentel

                      Um carro vender 3mil por mês em um segmento que atua sozinho, é, de fato, muito pouco. O J6 é um chinês e todos sabem como o nosso mercado ainda não aceita carros chineses, a única concorrente é a Livina, que a Nissan já informou que abandonou o produto, o Dobló é muito mais caro, partindo de 60mil com motor 1.4, é até piada.

                      A comparação com o Fox nunca foi o foco, desde o meu primeiro comentário, citei o porta-malas da Spin como não sendo tão grande assim perto de sedãs compactos. E não adianta vir com especulações infundadas, a Spin Active possui tampa para o bagageiro, um tanto mole e de baixa qualidade, mas ainda assim uma tampa. E a medição confirmou: 501l até a tampa ante 544l do Cobalt. Ou seja, Spin só se justifica para quem precisar levar objetivos diferenciados que não caibam no bagageiro de um Cobalt, que é de bom tamanho.

                      As 3mil unidades mensais, mesmo custando o mesmo que um sedã compacto, mostra bem qual a realidade, poucos optam pela Spin, a maioria, pelo mesmo valor, vai para o segmento dos sedãs compactos. Ou seja, Spin atende a um público muito limitado.

                      Por fim, essas vendas não garantem que os proprietários estejam muito satisfeitos ou mesmo previnem que outros a comprem e venham a se decepcionar posteriormente. Uma coisa é certa o preço é o maior apelo da Spin(minivan por preço de sedã compacto), assim como hoje é do Cruze. Por falar em Cruze, faça o seguinte, meu filhote: Clique em “compre o seu”, “ofertas e promoções” e coloque no campo “estado” e “cidade” SP/SP. E veja a oferta do Cruze: 12mil de desconto, taxa 0, saldo em 36 vezes. É uma oferta comum no Cruze, é aberta a todos que queiram, não recebi por email.

                      A Spin segue a mesma linha do Cruze, vende por preço e facilidades, pois a qualidade não é seu forte.

                    • Marcio

                      “Sozinho” não é mesmo, e você mesmo confirma que as opções na categoria são piores em determinados aspectos, o que obviamente dá pela conclusão de que a Spin é a melhor da categoria. Não é culpa da GM que, mesmo com um produto inferior (ainda há a Zafira na Opel…) a concorrência consiga a façanha de apresentar produtos piores ou menos confiáveis.

                      A comparação com o Fox é a única coisa em foco, pois foi o comentário inicial e a minha resposta. Qualquer coisa além, veio de você.

                      Claro que a Spin atende a um público limitado, e você novamente concordar com isso é ótimo, mostra mais uma vez que ela é a melhor opção dentre os milhares de compradores por mês, obrigado mais uma vez.

                      Isso sobre o Cruze é uma alegação sua, filhotinho. Até porque a oferta que está lá (Cruze automático LT) custa quase 70 mil, diferentemente dos 67 mil que você alegou anteriormente. E a quem faz uma afirmação cabe o ônus da prova, a qual você não apresentou até agora, pois fica apenas com essa alegação. Até entendo que é um preço não tão longe do preço da Spin dessa notícia, mas mesmo assim, a sua própria alegação comprova mais uma vez que a Spin é a melhor opção para milhares de pessoas por mês, que a preferem ao invés da eventual oferta de um Cruze sedã automático 0Km por 67 mil por mês (supondo que você não esteja mentindo…). Obrigado novamente.

                      Tenha uma ótima sexta-feira e um ótimo final de semana.

                    • Pimentel

                      A sua resposta foi sobre o Fox, a minha comparação foi focada no preço dessa Spin Active perante outras opções. O fato da Spin ser praticamente a única em sua faixa de preço e categoria, realmente demonstra que dentro de sua categoria ainda existem opções piores, obviamente, seja em razão do preço exagerado ou mesmo por serem de alguma marca que garante casamento eterno e desvalorização absurda.

                      A verdade é que a Spin vende em sua versão LT, com descontos e facilidades. Em regra, os compradores acabam optando por levar sedãs compactos pelo mesmo preço. Essa versão com preço de Cruze acabou de ser lançada e, por isso, não acredito no seu sucesso. Ao contrário do que você disse, ela não vende milhares de versões com preços próximos ao Cruze, pois essa é uma versão completamente nova.

                      E mesmo anteriormente, a que vende mesmo é a LT, que vem com bom pacote de equipamentos e por preço semelhante ao de sedãs compactos. Não sei se você tem algum problema, se é muito velho e enrolado com computadores, mas essa oferta está exatamente onde falei, vá até o site chevrolet(br), clique no menu “compre o seu”, ao lado direito da tela. No submenu que aparecer selecione a opção “promoções e ofertas”, depois selecione o nas abas “estado” e “cidade” as opções “São Paulo” e “São Paulo” e clique no botão amarelo “ENVIAR”. Pronto, agora é só baixar a barra de rolagem e observar as promoções, inclusive essa do Cruze.

                    • Marcio

                      Lamentável preconceito contra pessoas de idade avançada evidenciado nessa frase sua: “Não sei se você tem algum problema, se é muito velho e enrolado com computadores…”. Dispenso comentários sobre isso, mas fica registrado.

                      Até fiz o cadastramento, mas não recebi a “oferta misteriosa” que você alega ter recebido. E lembre-se mais uma vez: a quem faz uma afirmação cabe o ônus da prova, a qual você não apresentou até agora. A oferta que está lá (Cruze automático LT) custa quase 70 mil, diferentemente dos 67 mil que você alegou anteriormente, e para a qual não deve ter prova de existência. Já que você não apresentou até agora, entendo que não deve ter.

                      E mais uma vez obrigado, por mostrar que a Spin, por ter mais opções mais em conta, é uma melhor opção para mais pessoas do que o Cruze. Naturalmente, esse é mais um fator que corrobora com as suas outras justificativas para que a Spin venda muito bem mesmo tendo sedãs compactos na mesma faixa de preço. Agradeço pela colaboração!

                      Fico sempre agradecido e satisfeito com suas mensagens, tenha um ótimo domingo e uma ótima semana.

                    • Pimentel

                      Pra começar, não se trata de preconceito, pessoas idosas , de fato, tem maior dificuldade com computadores e smartphones, nada mais natural, pois fazem parte de uma geração menos informatizada, além de já possuírem um raciocínio mais lento. Nada mais natural e normal que tenham mais dificuldade na lida com computadores, smartphones e novas tecnologias.

                      A Spin é a prova viva que o comprador está abandonando esse tipo de veículo, pois mesmo custando o mesmo que sedãs compactos, vende apenas 3mil unidades por mês. Com toda certeza suas falhas de projeto(de baixo custo) tem grande contribuição para esse quadro. Quem sabe se a GM, em um futuro próximo, corrigir suas falhas mais grosseiras ainda seja possível alavancar suas vendas.

                      Sobre a promoção do Cruze, realmente você tem sérias dificuldades na lida com computadores, pois expliquei o “passo a passo” da maneira mais simples possível, mas infelizmente você tem clara deficiência nesse aspecto. Agora entendo porque se ofendeu com o comentário sobre ser uma pessoa de idade, de uma geração pouco informatizada, que encontra dificuldades em uma simples navegação em um site extremamente intuitivo.

                      Não precisa se cadastrar, meu filhote, mas apenas colocar o estado e a cidade e teclar “enter”. Para sua sorte, apesar de sua deficiência nessa área, vou tirar um print e colocar o link para a imagem. É lamentável, porém se fez necessário.

                    • Marcio

                      Seu preconceito ficou evidenciado, não se preocupe em tentar se justificar, só piora a sua situação. Fique apenas no registro.

                      As vendas da Spin, que você acaba de trazer à tona, como têm se mantido mês a mês, são mais uma evidência de que é um projeto que melhor atende ao público alvo. Lembre-se que não é o objetivo da Spin atender a quem quer comprar um sedã compacto, e sim um carro com as características da própria Spin, que é a melhor e mais vendida na categoria, como você mesmo honrosamente reconhece. Agradeço mais uma vez por corroborar com seus próprios argumentos! Cada dia você me surpreende positivamente, juro que fico orgulhoso de obter esses dados com você, mostra que você está evoluindo.

                      Até já fiz o procedimento, filhotinho, mas nada veio. Não obstante, após tanto tempo evidencia-se que você apresenta alegações das quais não pode trazer provas. Seria tempo suficiente para forjá-las?

                      E mesmo se você trouxer alguma prova, mesmo que forjada (juro não me importo, acreditarei no que você “apresentar”, mesmo se for um Cruze a 60 mil), nada mais é do que mais uma evidência de que a Spin é a opção escolhida por pessoas que procuram esse tipo de veículo, independentemente do preço de outros veículos próprios para outros públicos.

                      Ou seja, você exibir a sua “prova”, seja ela verdadeira ou forjada, mostra que muitas pessoas preferem a Spin a sedãs compactos (obrigado por trazer essa evidência à tona em mensagem anterior) e também ao Cruze, cujo público alvo é totalmente diferente do público da Spin, mesmo custando “apenas” 5 mil reais a mais (considerando o valor efetivamente disponível até o momento, desconsiderando o valor que você tentará “provar”). Ou até mesmo por volta de 3 mil, como você alega.

                      Agradeço mais uma vez pela sua ótima mensagem, você é muito cortês.

                      Abraços, tenha uma ótima semana. Fique com Deus!

                    • Pimentel

                      O preconceito está na sua cabecinha de preconceituoso, o típico cidadão que chama um negro de “afrodescendente” ou “moreno” pra não ser “preconceituoso”. Não preciso me explicar, pois o que falei é a pura realidade, que está bem distante de ser um preconceito, e é sim um conceito objetivo de algo, que além de tudo é lógico.

                      Engraçado é que você só prova o que eu disse, ao demonstrar uma enorme deficiência para navegar em um site tão simples.

                      As vendas da Spin, de apenas 3mil por mês, tendo em vista seu preço baixo(minivan a preço de sedã compacto popular), são bem tímidas e só demonstram como um projeto ruim não consegue vender bem nem mesmo com preço baixo. O Honda Fit, que tem proposta semelhante de versatilidade, cobra muito mais, mesmo sendo menor, e vende muito mais. Tanto Meriva como Zafira sempre custaram muito mais que sedãs compactos. A GM sabe que só consegue vender essa tranqueira com preço baixo, desconto e facilidades.

                      A prova dos 67mil reais do Cruze está aí, senhor fanboy enrolado, mas a comparação só é válida em relação a essa Spin Activ, recém lançada. E nem adianta insinuar que muitos preferem Spin a Cruze, pois sabemos que a que vende é a versão LT e com desconto.

                    • Marcio

                      Você insiste novamente no preconceito, como disse anteriormente e repito, não se preocupe, está devidamente registrado.

                      As vendas da Spin são as melhores da categoria, como você mesmo ajudou tanto a demonstrar, inclusive havendo sedãs compactos de (frize-se) outras categorias na mesma faixa de preço, o que comprova que ela é a melhor opção para milhares por mês, obrigado mais uma vez.

                      O Honda Fit é um veículo de outra categoria, não compete com a Spin. É um carro muito mais moderno e com um porta-malas bem menor (363 litros), tanto que mesmo custando mais caro vende muito pois atende a outro público, e o fato de a Spin ainda vender milhares de opções mesmo tendo tantas outras de outras categorias (considerando inclusive o Honda Fit, de forma estranha e totalmente sem sentido, mas já que você insiste…) corrobora mais uma vez com o que você comprovou anteriormente, sobre a Spin ser a opção ideal de milhares, obrigado mais uma vez.

                      A prova não apareceu na sua resposta, mas é sério, vou lhe dispensar de apresentá-la e vou acreditar de boa fé na sua alegação. Não vou mais duvidar, não precisa mais apresentar a comprovação, vou considerar verídica a tal oferta, que vale apenas para quem mora em São Paulo, sem considerar o resto do Brasil, certo? Mesmo assim, como disse anteriormente, o público alvo do Cruze é totalmente diferente do público da Spin, como você mesmo já concluiu por outras vezes, e mesmo custando “apenas” 5 mil reais (ou 3 mil para o público de São Paulo, de acordo com a promoção que você diz ter observado) a mais, e por isso não seria a opção de muitos devido a vários outros fatores. Ainda haverá quem irá preferir a Spin Active, que para os seus (repito: seus) critérios, não é a melhor opção, mas será (sabemos disso) a de outros.

                      Obrigado por tudo, tenha um ótimo dia e uma ótima semana.

                      Abraços, fique com Deus.

                    • Pimentel

                      Pra começar, quem está insistindo na questão do preconceito é você, pois sente a necessidade de manipular o que digo a seu favor, o que acaba deixando seus comentários sem a mínima lógica, mas isso é o de menos. Se quer insistir na mesma tecla é porque tem uma necessidade de “provar” uma mentira a pulso.

                      Bom, a Spin custar o mesmo que um sedã compacto já é a prova de sua baixa qualidade e que seu apelo é o preço, pois Meriva e Zafira sempre foram muito mais caras que qualquer sedã compacto. A Spin é de uma categoria(e porte) que teoricamente deveria custar bem mais, só não custa porque é um veículo com defeitos demais e projeto ruim. A GM sabe o produto que tem e, por isso, cobra abaixo da média por ele.

                      Sobre a diferença de preço para o Cruze, você continua batendo em um ponto inválido, pois a Spin que vende é a LT, que está sempre em promoção por 48mil e já vem com um pacote de equipamentos coerente. A top de linha é uma mosca branca. Então, meu caro, não existem milhares que a preferem, mas sim alguns poucos milhares que a preferem perante sedãs compactos, pelo mesmo preço.

                      E liderar uma categoria abandonada, cobrando preço bem abaixo da lógica do mercado, só demonstra sua decadência. Lamentável.

                    • Marcio

                      Não tenho a necessidade de manipular nada, apenas considero os fatos óbvios, inclusive e em especial os apresentados por você mesmo.

                      Infelizmente a Zafira saiu de linha por aqui, deveríamos ter algo como “Ônix SW”, voltada para consumidores de menor renda, e Zafira atual, tal qual a que ainda é vendida na Europa. Infelizmente, a GMB optou pela péssima opção (para o público) de “cortar custos” (= aumentar o lucro, assim como todas as outras), reunindo a Meriva e a Zafira na Spin. Claro que a meu ver a Spin não deveria ser a melhor opção, mas infelizmente a concorrência consegue a façanha de ser absurdamente inferior para esse público.

                      E uma coisa é certa: a GMB não é boba. O custo da Spin Active certamente foi alvo de grande pesquisa e provavelmente tem a ver com o custo do Cruze mais barato. Ou seja, o custo da Spin Active é mais baixo o suficiente (certamente poderia ser menor) para fazer com que o público alvo da Spin (mais uma vez, com o que você concorda, diferente do público alvo do Cruze) não prefira o Cruze sedã ou o hatch, se estes vierem a ser opções. Certamente produzirão poucas unidades da Spin Active, na medida para não encalharem, pode ter certeza disso. E a GMB sabe exatamente qual é o público-alvo da Spin Active, e ela vai fazer um produto que atenda ao que essas pessoas quere um produto com as características dela. Você pode até achar que são “enganados” do seu ponto de vista, mas porque você acha que eles não sabem que estão pagando um valor a mais do que o carro merece? Porque acha que eles não querem “uma mala gigante pra levar um caixão”? Cada um compra o que quiser, o que lhe faz sentir melhor, mais ainda, o que atende melhor às suas necessidades, seja lá quais forem.

                      Pelo contrário, quem bate em ponto inválido é quem tenta comparar vendas de carros de categorias diferentes. A categoria da Spin, por sinal, só é “abandonada” por causa dos “pseudo-offroads” que surgiram e que fizeram sucesso. Tanto que outras marcas ainda tentam abocanhar esse nicho (Palio Weekend/Doblô, Jac J6 e Grand Livinia), de forma patética. E mesmo para uma categoria “abandonada”, estar em 28º lugar no ranking de vendas de todos os veículos em 2014 até agora não parece ser tão catastrófico assim para a GMB, muito pelo contrário. Para a GMB, garanto que vender 30 mil Spins (em 2014 até outubro) é melhor do que vender 13 mil Cruzes Hatch (de **outra** categoria), e isso acontece por todos os motivos já expostos aqui. Isso, para uma “categoria morta”, a meu ver é um sucesso absoluto.

                      Abraços, ótimo dia e ótima semana pra você.

                      Deus de abençoe.

                    • Pimentel

                      Se considera, então não tem mesmo porque prolongar, pois citei fatos de maneira imparcial.

                      Concordo que a Spin foi uma péssima opção para substituir Zafira e Meriva, excelentes projetos, diga-se de passagem. A maioria das marcas abandonou o segmento e não investe NADA mais nele, pois é muito mais rentável produzir carros menores, que são os sedãs compactos, ainda mais por geralmente serem derivados de uma versão hatch, e cobrar o mesmo que uma Spin.

                      A GM não quis abandonar o segmento, mas precisava de um projeto barato, já que investimentos altos nesse segmento não se justificam, atualmente. Entretanto, a Spin acabou sendo um projeto com graves falhas. Como o projeto precisa ser amortizado, pois diferentemente de outros veículos, que vendem em maior quantidade e/ou em outras partes do mundo, o projeto da Spin precisa ser amortizado com vendas de 3mil por mês, quase 100% concentradas na versão LT, que é oferecida por 48mil, preço de sedã compacto, mas é o que o mercado aceita pagar pela enorme(por fora) Spin.

                      Além de tudo, utiliza uma plataforma que não é barata e seu tamanho avantajado contribui muito com o aumento do custo de produção(mais aço, mais acabamento, mais plástico, etc). Como não é produzida em grande quantidade, a economia de escala também acaba prejudicada.

                      Em suma, não dá para afirmar que a GM acertou com a Spin, pois se por um lado o projeto foi de baixo custo, por outro, o veículo acaba não convencendo, o que obrigando a marca a oferecê-lo pelo mesmo preço de um sedã compacto, que tem custo de produção bem menor.

                      O balanço financeiro da empresa, com prejuízo de 268 milhões de dólares(aproximadamente 670 milhões de reais de prejuízo) até setembro mostra que a empresa não está conseguindo lucrar bem nessa área, provavelmente em razão de projetos ruins, com processos produtivos arcaicos e onerosos, que acabam obrigando a empresa a fazer constantes promoções, de âmbito nacional, e estímulos no atacado, em projetos ainda recentes, o que vai contra a lucratividade.

                      Entretanto, a GM merece um elogio por investir em um projeto completamente novo para um segmento que só possui velharias de décadas passadas, ainda que o projeto tenha graves falhas. Talvez um investimento maior, que resultasse em um produto melhor, tivesse sido uma opção melhor, ainda que mais oneroso no primeiro momento. Espero que a GM dê uma atenção especial para rever certos aspectos da Spin, pois apesar de ser um projeto de baixo custo, dá para melhorar bastante e, quem sabe, cobrar um preço maior, coerente com seu porte e segmento. Um projeto completamente novo, com plataforma moderna precisar ser vendido por preço de sedã compacto não parece muito bom para a empresa. Pior que com alguns ajustes, esse projeto poderia ter sido bem sucedido, podendo ter valor de mercado mais elevado e consequentemente um lucro mais coerente.

                    • Marcio

                      Discordo sobre a GM não ter acertado com a Spin e de que é um projeto mal sucedido.

                      Apenas errou do meu (nosso) ponto de vista, por substituir a Meriva e a Zafira juntas, mas do ponto de vista deles tenho certeza absoluta que está sendo vantagem. Não é vantagem pra GM trazer a Zafira moderna, financeiramente falando. Venderia bem menos do que a Spin, devido ao preço certamente muito mais alto. O custo de produção de apenas um veículo para substituir 2 é evidentemente bem menor.

                      Como já disse, valeria muito mais a pena para nós se houvesse um “Ônix SW” e a Zafira para o público com maior poder aquisitivo.

                      A Spin vende muito, e domina a categoria. Infelizmente? A meu ver sim, pois gostaria muito de ter uma SW, mas a Spin não é a minha opção por ser feia demais e por ter um painel absolutamente medíocre. E olhe que considero a Spin o melhor CxB da categoria, pois mesmo com um motor defasado, a plataforma é moderna e tem os atributos que promete. Mas não me sentiria bem dentro de uma, por isso não é uma opção pra mim. Mas para milhares por mês que até gostam de um “motor antigo confiável que todo mecânico sabe mexer” e que não se importam com a aparência dela (ou gostam!?) e nem com “modernidades que trazem complexidade ao motor”, que é o público que a GMB focou ao montar a Spin, esse é o motor correto. As vendas mostram que essa tática funciona muito bem.

                      Para mim, a Spin deveria ter uma melhoria geral na aparência da carroceria e um painel minimamente decente. Só com essas duas melhorias, garanto que muitos consumidores de sedãs compactos da mesma faixa de preço optariam por ela. O motor, mesmo defasado, é um dos fatores que mantém o preço dela “menos alto”, e mesmo não sendo uma primazia em desempenho (óbvio), tem a manutenção “que o povo quer” e carrega o veículo normalmente, tendo uma proposta familiar (ou seja, quer acelerar? melhor escolher outro carro).

                      Abraços, boa noite, fique com Deus.

                    • Pimentel

                      Olha o link da imagem aqui, meu querido fanboy da Chevrolet: http://www.tickimg.com.br/uploads/_cruze_lt_-_67mil_com_couro_e_automatico.png

                      Pois é, queimou a língua em?!
                      O site é simples, fácil de navegar e extremamente intuitivo, tudo para facilitar a vida do cliente que quer aproveitar uma boa promoção, mas, ainda assim, alguns(como você) acabam tendo dificuldades.

  • CorsarioViajante

    “Ruim mesmo é o preço de utilitário esportivo.”

    O preço é ruim mesmo, mas “utilitário esportivo”??? Essa ficou difícil.

    • Leandro1978

      Acho que eles compararam o preço desta minivan com os de utilitário esportivo de valor próximo.

      • riccorreasp

        Perto do Tracker é uma pechincha. rs

        Por outro lado, agora já podem deixa de importar o tracker, pois a Spin Activ não tem nada a menos do que ele. Apenas o design e o motor é que mudam. O interior tem várias peças idênticas.

      • fschulz84

        Não existem utilitários neste valor próximo… Me dá uma raiva deste marketing que nossa mídia conseguiu inserir nas nossas cabeças..

        Crossover, crossover, crossoooooover hehe

        SUV é outra coisa :P

    • 4lex5andro

      foi um eufemismo para minivan com suspensao elevada e adesivo plastico ..

  • jonathan iury

    ultilitário esportivo?, que gentileza… branco,branco,branco, pelo menos em lançamentos poderiam nos poupar dessa cor

  • Guilhe

    Será que o A/C é suficiente para o porte do carro? Vejo que as saídas são pequenas, será que com 7 pessoas ele vai gelar rápido? Digo isso para as versões de 7 lugares, parece que essa versão active são só 5

    • Pacheco

      A Zafira tinha um Ar forte demais…
      O problema não é o tamanho da saida e sim para onde direcionar e principalmente a temperatura q ela coloca.

      • Edson Fernandes

        A Zafira também tinha saidas de ar traseiras. Isso ajudava um bocado na refrigeração.

    • Roger Bersch

      Andei na 1.4, que talvez utilize o mesmo compressor, não sei, mas na 1.4 o ar é fraco e não gela muito.

      • Pacheco

        Deve ter andando na Meriva amigo. A Meriva eu não sei… e deveria estar com problema no Ar.

        A Zafira eu tive uma e realmente era poderoso o ar. E ja andei no Cobalt com o ar ligado e num dia de calor de 30º em SP e ele deu conta tranquilo. E estava na velocidade 3.

        • Edson Fernandes

          O Cobalt vai na boa. Alias, a GM nesse aspecto manda muito bem. Ar ruim eu acho dos carros de entrada da VW (exceto up) e da Fiat.

    • Edson Fernandes

      Digo por experiencia propria: Não dá conta. Ele dá conta de até 5 passageiros com tranquilidade, mas os que ficam “na gaiola” (os bancos de porta-malas) além de apertados, se o cara não tem insulfilm (foi o caso do carona que pegamos) ele sofre com a falta refrigeração.

      Pode apontar a saida para trás, pode colocar na velocidade máxima, não resolve. Eu não sou dono do carro, mas fomos em uma Spin em uma churrascaria e o sexto ocupante (eramos em 6) reclamou absurdos do banco traseiro (de ser curto e de tomar sol na cabeça por conta da enorme zona que o vidro deixa).

  • V12aero

    Na boa quem vai comprar uma aberração dessas? Parece carro
    funerário.

    • Pacheco

      Eu compraria… achei linda.

      • V12aero

        Gosto é gosto

    • radiobrasil

      O que a GM fez: colocou chocolate granulado nas fezes pra enganar que é brigadeiro!

  • shdn2010

    Não acho feio este carro, mas este motor,.. sem comentários, poderiam fazer uma atualização e colocar algo mais inovador, com certeza tem coisa melhor com um consumo melhor, isso com certeza é motor em estoque que ficou e a gm está desovando.

  • Tiago Cabo

    Não tem 7 lugares? Vai micar.

    • Pacheco

      Tive uma Zafira durante 3 anos… nunca, nunca mesmo, usei a terceira fileira da Zafira. Vendi com os bancos sujos por nunca usar.

      Isso pq tinha motivos pra usar… familia da minha esposa não tem carro e eu sempre fui nomeado o motorista deles. Nunca usei.

      Carro de 7 lugares é pra familia com mais de 3 filhos ou ser parado pela policia na rodovia achando q vc faz transporte clandestino.

      Eu mesmo fui parado em todas as rodovias para verificar se estava transportando pessoas. E o dia q estava com amigos indo a praia (em 5 pessoas no carro), tive q responder um questionario sobre cada passageiro.

      • GPE

        Danousse

  • Roger Bersch

    ” Eu acionamento é feito em dois toques ”

    Tá faltando um botão de reportar erro…e que sejam corrigidos.Já que o problema não é o erro, e sim o descaso, como o vídeo do Genesis que não foi corrigido.

  • ary

    Lamentável, não é à toa que dizem estar indo à falência.

  • Fudencio

    “Por que eles não trocam o motor?”

    Porque tem quem compre (e muito!) os carros atuais com motores 8v. Pra que produzir um motor mais caro se o atual vende bem?

  • HugoVictor

    E novamente, o revisor de texto fazendo falta.
    “O volante é multifuncional em couro é o padrão da Chevrolet”
    No tópico do Swift:
    “O Suzuki Swift fabricado na Índia não recebeu estrelas no teste da Global NCAP em sua versão se airbags.” (Acho que ele quis dizer SEM airbags)

    N.A., pelo amor, a cada 04 textos um vem mal escrito/revisado.

  • Hen_Par

    O interior desse carro é absurdo, o painel é ridículo!! Isso é um carro de mais de 60 mil reais!!!
    Quanto à falta de beleza (pra não dizer feiúra) e o nível do acabamento, melhor nem comentar.
    A que ponto chegamos!!

    • Fabricio d

      Vai da necessidade da pessoa, eu achava a Doblo adventure muito mal acabada pelo preço, mas pra quem não pode pagar mais em um SUV, esses carros acabam sendo a solução.

      • Pimentel

        Se você tem um Doblo, sabe que o banco traseiro dele tem um túnel central que não é apenas alto, mas também extremamente largo, é um dos piores túneis centrais entre todos os carros que já vi na vida. Quem anda no meio não tem conforto algum e ainda atrapalha quem está nas laterais. É um carro que só faz sentido para quem quer usar para transporte de mercadorias, vender cachorro quente ou pra quem compra a versão de 7 lugares porque precisa transportar 6 pessoas com frequência. É um carro que atende a uma necessidade muito rara e específica, não é a toa que vende tão pouco.

  • daniel germano

    A spin activ ficou linda. Eu particularmente gostei do carro, gosto da spin . Mas este estepe não caiu bem. Ficaria melhor o estepe na parte de baixo do carro, e a GM poderia colocar uma capa protegendo de sujeira e principalmente roubo .

  • ABBA

    Why God?

  • Melhor que as normais , POSSO ATÉ DIZER QUE GOSTEI . . . A NÃO SER POR ESSE ESTEPE AI PENDURADO E ESSE MOTOR DE CHEVETTE FALA SÉRIO!!!!!

  • Gran RS 78

    Acho que pelo menos a GM poderia equipar a Spin com o motor 1.8 16v Ecotec do Cruze, para justificar esses preços altos do modelo.

    • 4lex5andro

      no lançamento do cobalt, tambem nao havia essa motorizaçao, que só veio com quase 1 ano de mercado ..

      já que a spin compartilha a plataforma do cobalt, possivelmente o 1.8 deverá ser uma opçao futuramente..

      • Gran RS 78

        Vc está enganado, pois o motor do Cobalt é o 1.8 8v com 108cv, o mesmo que equipa a Spin e não o motor 1.8 16v ecotec do Cruze.

  • Marcos Poa

    Gastaram a maior parte dos recursos disponíveis ao projeto numa coisa absolutamente desnecessária: o estepe pendurado atrás! Esse carro sem esse estepe custaria uns 3 a 5 mil menos e se posicionaria melhor no mercado. Ninguém mais gosta desse “sisto nas costas” esperando pelo Dr. Gatuno extraí-lo.

  • Thiago K. Galiza

    Pseudo “aventureiro”. A pergunta que vos faço: Quem, compra esse carro e pensa em se aventurar com ele?

  • Vanderlei Santos_JAC_J6_2012

    JAC J6 160cv ……. Se a jac já tivesse a fabrica…..

  • gustavo

    Ainda assim, esta melhor que a caravan dos anos 80!!!!!!! Evolução.

  • Olhar esse carro só me faz lembrar da Beth Carvalho… “Ô coisinha tão bonitinha do pai…”. kkkkkk

  • Rafael

    A única impressão que eu teria ao dirigir esse carro é a de estar levando um defunto atrás. Parece carro funerário.

  • Carol Vieira

    A Chevrolet poderia ter trocado esse motor pelo menos nesta versão. Concordo com alguns, minivan feia, cara, e devendo em equipamentos.

  • radiobrasil

    Alô Zafira, cadê você?

  • johnnyburanelo

    me deu ânsia de vomito!

  • Marco

    Esse motor não é clássico, é JURÁSSICO, a cara da General Monsters do Brasil. Mas ficaria muito bem no Onix ou Prisma. Quanto ao carro, esse “Funeral Car”, não importa se na versão civil ou aventureira, continua FEIO COM FORÇA. Não sei como uma marmota dessas consegue achar um lunático dentro da empresa que autorize essa aberração sair da prancheta e ir prá linha de montagem. É muita incompetência, prá não dizer insanidade mesmo!
    Ô saudade da Zafira…

  • Leoncio

    Taxístas piram!

  • !Marcelo Surf!

    Mais um presente para as quadrilhas que roubam estepes!

  • Rodrigo

    Minha nossa, já era feia agora ficou horrorosa. Se lançarem novo filme da família Adams o carro será isso aí. Que visão do inferno.

  • Rude Voleur

    É bom porque distrai um pouco essa imagem de “sou um coroa em crise de meia idade que preciso parecer jovem mas não tenho dinheiro para compensar minhas frustrações comprando um carro esporte”

  • COMENTARISTA MEDÍOCRE.

    Motor velho por velho, um ecotec 1.6 16v que equipou zafiras seculos atras na europa tava ótimo. O motor 1.8 f1 derivado do corsinha tem uma r/l péssima, e tiveram que reduzir a potencia por causa das emissões. Um f2 monzófilo 1.8 8v seria boa escolha também, girador pra cacete mas como é mais parrudo (pode ser estuprado até 2.4) preferiram estuprar o 1.4 f1 mesmo……Outra coisa, e o 1.8 16v da mevira cacete? custava trabalhar nele e colocar variadores de fase?

  • Alfredo Massaranduba

    Avaliação de carro é igual comentário de jogo de futebol, cada um diz uma coisa diferente. Já li avaliação descendo o cacete nessa peste feia dos infernos, aqui, a avaliaçao foi de razoavel pra boa. Durma-se com um barulho desse!

  • PEDRO CUNHA

    “SPIN ACTIV, PARA AQUELES QUE ACREDITAM QUE NÃO DÁ PRA PIORAR ALGO QUE JÁ RIDÍCULO!”

  • Baetatrip

    Olha o rabecao……. para transportar no interior do Brasil!

  • Luís Gustavo de Barros

    E o mercado nacional vai piorando, piorando, piorando…

  • Alexandre Mello

    Tá igual a mulher feia, quanto mais se enfeita , mais feia fica, ridícula.
    Atualmente me parece a melhor opção para carro de funerária.

  • Janssen

    Caros Amigos.,

    Já tive uma spin (13/13) ( carro da minha esposa) , modelo LTZ , com 7 lugares.E posso julgar melhor do que muitos aqui. Primeiro , prepare o bolso para a Gasolina/Alcool. A minha fazia no maximo 6 km por litro. Segundo cheguei a viajar um trecho de 240 km com ela , pessimo carro para viagem , gastão e manco ( não tente ultrapassar você vai ficar no aperto) . Comprei em 2013 , por 50 mil reais , ela com somente 5.000 km ( bem novinha aqui na Codisman de Fortaleza) , e vendi por 40 mil reais com 13.000 km . Porque eu vendi ? porque achei um pessimo carro , maior erro da minha vida. Mesmo tendo o merito de certo “conforto” e espaço já que tinha 7 lugares . Entre os prós e contra , pesou mais o contra.

  • Thomas

    Marmota master.

  • Gian

    Eu tenho vergonha desse carro existir.

    Sempre achei uma heresia pendurar um estepe na traseira de um Hatch (Fox) e um monovolume pequeno (Idea).

    Mas num monovolume tão comprido como a Spin fica ainda mais horroroso. É muito feio.

    Acho que Etios Cross e Spin Active podem dar as mãos como os “aventureiros” mais bizarros. E olha que tem bizarrice nesse time, como Aircross (parece arvore de natal de tanta “informação” no visual) e Idea Adventure (mistura cromado com plastico sem pintura).

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend