India Sedãs Toyota

Índia: Depois do Etios, Toyota tira Corolla do mercado após 17 anos

Índia: Depois do Etios, Toyota tira Corolla do mercado após 17 anos

A Toyota está passando por grandes mudanças no mercado indiano. Depois da saída do Etios Liva, que é equivalente ao modelo brasileiro, a marca japonesa tira de cena seu best seller mundial, o Corolla.


Após 17 anos, o Corolla abandona o mercado indiano, onde concorria com Honda Civic e Skoda Octavia. O modelo, lançado em 2003, teve um papel importante para a Toyota na região, mas não teve o mesmo protagonismo que no Brasil.

Lá, ele chegou dispor de uma versão híbrida, mas não teve o sucesso esperado. Com a mudança de posicionamento da marca na Índia, o Corolla entrou na lista de produtos que não correspondem ao objetivo.

O motivo para a mudança de direção é que a Toyota se associou à Suzuki na Índia, mesclando produtos entre si. Dessa forma, apenas o SUV Fortuner (SW4) e a minivan Innova Crysta.

Mesmo assim, a japonesa manterá uma gama de carros compactos na região, sendo que o Glanza é um deles. Esse é o Suzuki Baleno renomeado.

Com 44 milhões de carros vendidos, o Toyota Corolla raramente sai de cena em alguma região, mas no caso da Índia, chama atenção porque se trata de um mercado importante, com milhões de unidades vendidas ao ano.

Contudo, a união com a Maruti Suzuki visa atender melhor a região, sensível a preços altos. Isso força a Toyota a tirar de cena os carros menos rentáveis de projeto próprio em detrimento de produtos compartilhados.

Então, com portfólio mais localizado, a Toyota busca reforçar sua posição com produtos mais baratos. Um equivalente do Maruti Brezza para atuar no segmento de SUV compacto abaixo de 4,00 m.

Sem Etios e Corolla, a Toyota vende ainda os modelos Yaris Sedan, Camry e Vellfire, uma minivan bem popular no Japão, além do utilitário esportivo Fortuner e da Innova Crysta.

[Fonte: Motor Octane]

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Estratégia de mercado. Em mercados emergentes, icônicos produtos globais raramente logram sucesso. Dadas as características financeiras locais, esses mercados exigem projetos desenvolvidos exclusivamente para eles, com características de baixo custo de manutenção, peças e etc, demandando uso de tecnologias já consolidadas e simplificação.

    • Sino Weibo

      É mas eles mantiveram o Camry, e estas minivans são tops, nós nem sonhamos em ter aqui da marca.

      • A tendência é que estes modelos também sejam substituídos por produtos locais, desenvolvidos em conjunto com a Suzuki.

        • Sino Weibo

          Aqui por ex nem fazem questão de vender Camry, pois colocam preços impraticáveis. Vivem praticamente só de Corolla, Hilux, pq também a dupla Etios/Yaris é só coadjuvante no mercado. Cada mercado com suas particularidades, realmente. Mas a Índia tem montadoras né, tem a Tata, Mahindra, e essa Maruti que é um joint-venture também. As pessoas lá devem preferir elas.

          • Realmente por lá, a Maruti Suzuki domina, sendo uma solução local dos modelos da japonesa. Mahindra e Tata possuem relevante participação também, bem como atualmente a Hyundai e a Renault-Nissan, ambas adaptadas ao mercado local, com versões específicas ao mercado local, seja com modelos globais adaptados a realidade do país, vide o Kicks de lá ser maior que o do resto do mundo, e ser dotado da plataforma B0 do Duster, oferecendo baixíssimo custo de manutenção e alta robustez, seja com produtos focados no país, como o Venue da Hyundai.

          • More of the punisher

            São fabricantes, não montadoras.

        • Edinaldo_Tapica

          Tenho minhas dúvidas. Ao que parece ela se posicionou como uma empresa de Luxo, exceto o Yaris. Esses mercados emergentes são polarizados em se tratando de renda: Ou muito pobres ou muito ricos. Classe média não tão expressiva

    •  iSheepOS

      Foi um erro de estratégia. A índia não é referência para produtos aos países emergentes. O Camry permanece porque têm um nicho próprio em qualquer país e não estão interessados em vendas altíssimas.

      • Não considero um erro de estratégia. Nos mercados emergentes, as soluções indianas possuem relativo sucesso, vide Kwid, Etios, Creta e Yaris.

        •  iSheepOS

          entendi, Etios é um sucesso na Índia e retiraram de circulação.

          • Etios foi um sucesso no Brasil, e se saiu bem na Índia, mas saiu, pq envelheceu, e a parceria com a Maruti Suzuki irá fazer surgir um novo compacto. Provavelmente esse novo compacto irá substituir o Etios aqui no Brasil também.

            •  iSheepOS

              caramba o Etios foi um sucesso no Brasil, é cada um viu…

              • Etios já foi o carro-chefe da Toyota, quando somadas as vendas do hatch e sedan (2014 e 2016). Já esteve entre os dez mais vendidos vários meses. Não vendia mais, devido a limitação fabril da unidade de onde ele sai, que era em 170.000 unidades, e mais de 90.000 unidades eram exportadas pela América Latina, enquanto vendia quase 80.000 unidades aqui no Brasil, ao ano (dados de 2016). Em julho de 2016, por exemplo, o Etios Hatch foi o nono modelo mais vendido do país, isto sem ter versão 1.0, com 3.744 unidades comercializadas, e o Etios Sedan vendeu 2.833 unidades, estando dentro do top 20, totalizando 6.577 unidades do Etios vendidas num mês.

  • Clementino Zelador

    Se a Toyota fizer isso aqui, vai ter mais caso de suicídio do que de coronavírus….kkkkkkkkkkkkkkk

    • Denis

      Só falta a Honda fazer o mesmo….. kkkkkk

  • Jose Pedro Almeida

    falta tirar o Etios daqui!!! e produzao o AYGO europeu barato concorrendo com UP

    •  iSheepOS

      exato, foi muito bom a TOYOTA parar de colocar a Índia como referência para trazer seus produtos ao Brasil. Culturalmente estamos muito mais próximos da Europa e Estados Unidos, erraram feio, perderam tempo trazendo o Etios para cá.

    • Gran RS 78

      O problema é que barato e Toyota não cabem na mesma frase.

      • Cesar

        Por isso ele falou para concorrer com o up.

  •  iSheepOS

    ótimo, decisão acertada! chega de basear na Índia o desenvolvimento de estilo aos mercados emergentes. Nossas preferências têm nada a ver com a cultura indiana, estamos muito mais para a européia e americana, inclusive o Corolla brasileiro deveria se basear no design americano, nem no europeu!

    • Alaor

      O Corolla nos EUA é carro popular. Na Europa, embora não seja carro de classe média alta como no Brasil, atua numa faixa um pouco superior, portanto faz muito mais sentido o Corolla brasileiro seguir o Europeu.

      •  iSheepOS

        sim nos Estados Unidos inclusive ele é mais “esportivo” digamos assim, mas a nossa população é mais jovem que a Européia, a Toyota não pode manter o design com tendência para carros para velhos. O fato consolidado é que a Toyota do Brasil ERROU em trazer o ETIOS, e no meu entender continua ERRANDO ao trazer o Corolla Europeu.

        • Alaor

          O Etios foi um erro, assim como trazer o Yaris com preços tão altos e acima do Etios. As vendas falam por si só. Mas não sei se a Toyota acha ruim, afinal eles vendem o suficiente e a margem de lucro certamente é alta. Espero que a concorrência vá apertando, aí uma hora a conta chega pra Toyota.

          Quanto ao Corolla, permaneço com meu ponto: a versão americana tem acabamento bem mais simples que a europeia, custa mais barato e o público-alvo dele nos EUA é, em média, muito mais jovem que o Brasileiro. O público-alvo do Corolla no Brasil tem mais de 40 anos, pois o carro é caríssimo e raros são os jovens que têm poder de compra pra ter um carro desses. Boa parte dos jovens que têm esse poder, aliás, na verdade é só porque têm pai rico. Portanto não faz sentido a Toyota seguir o padrão do Corolla americano, o acabamento dele é fraco para o segmento aqui e ter visual esportivo não atrai quem compra Corolla no Brasil.

          •  iSheepOS

            a verdade é que o Corolla aqui é apresentado a um publico que cansou de ser maltratado pelas demais marcas. lá fora é carro compacto.

            Felizmente a Toyota NÃO PRETENDE vender o Corolla apenas para este público, colocou o Corolla na STOCK CARS, quer atingir um público mais jovem, quer acabar com esse clichê ainda mais com o “Corolla Vírus” que está aí, não pode depender de um público cada vez menor.

            Quando vender seus SUVs como o CRV, irá canibalizar o Corolla, precisa estar preparado para essa mudança ou o Corolla some do mundo por isso está mirando agora no público mais jovem (não tão jovem claro rsrsrs).

    • Joao Victor

      Culturalmente somos “mais parecidos” com os EUA e com a europa, mais economicamente somos muito mais parecidos com a Índia, projetos americanos, e principalmente europeus são caros e inviáveis para países pobres como o nosso, não tem jeito, nossos carros serão “chineses ou indianos”…

      •  iSheepOS

        Não será, aguarde e verá mais mudanças na TOYOTA do Brasil, o fato consumado é que a TOYOTA errou com o ETIOS no Brasil, já era para ter começado com o YARIS, ele só vendeu o ETIOS mais pela incompetência dos concorrentes.

  • Vinicius Almeida

    Nossa que bom! Que pare logo tbm aqui no Brasil…carrossa veia esse vovorolla não e nada mais que um Monza da Toyota

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email