Governamental/Legal Mercado Montadoras/Fábricas Recalls Segurança

Interrupção das vendas de carros com recall anunciado é proposto por deputado federal

são-paulo-transito Interrupção das vendas de carros com recall anunciado é proposto por deputado federal

Existem muitos carros listados em recall no Brasil, sendo que alguns deles até estão andando de forma irregular, especialmente no caso dos airbags da Takata, que obrigou alguns fabricantes a desativarem as bolsas infláveis em diversos veículos até a regularização da entrega do componente novo para substituição.



As chamadas são das mais diversas, sendo que boa parte pode colocar em risco a vida do condutor, passageiros e terceiros. Para resguardar a segurança dos usuários, o o deputado federal Alexandre Valle (PR-RJ) propôs a interrupção das vendas de carros que tenham recall anunciado no mercado brasileiro.

A proposta foi feita pelo parlamentar na subcomissão especial da Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados, que trata da regulamentação do recall de veículos no Brasil. Atualmente, apenas um aviso de recall não realizado precisa ser colocado no documento do veículo após um ano do anúncio do chamamento.

Relator da comissão, Valle ressalta que “precisamos parar imediatamente a comercialização de todos os veículos que entram em recall. As seguradoras não podem fazer o seguro, não pode transferir o veículo, não pode vender. Não adianta achar que vai mandar cartinha e vai resolver o problema. Não vai, pessoas estão morrendo por falhas mecânicas”.

A questão é a fiscalização do poder público sobre as montadoras para que se evite a comercialização de veículos que ainda estejam com problemas conhecidos. Esse é o caso dos airbags “mortais” da Takata, que obrigaram o desligamento das bolsas infláveis em muitos veículos por falta de peças de reposição e também pelos riscos em que os ocupantes dos carros listados no recall estão expostos.

De acordo com Ricardo Morishita, do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor, o cuidado com a realização do recall muitas vezes não é observado no Brasil, citando o exemplo da Takata, onde as autoridades americanas decidiram começar pelos carros mais antigos, que estão mais expostos aos elementos naturais, tais como temperatura e umidade, tendo assim mais chances de ativar de forma irregular e provocar mortes ou ferimentos nos ocupantes.

Alguns processos foram abertos pelo Ministério Público contra montadoras que demoraram demais em convocar recall no Brasil. Além do comunicado no documento do veículo, outro objetivo é obrigar o Denatran a fornecer os endereços dos proprietários dos veículos em recall para que os fabricantes possam enviar comunicados de chamada para correção, de acordo com Ana Carolina Guimarães, do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor do Ministério da Justiça.

Segundo Ana Carolina, nos últimos 10 anos, o número de recall aumentou 200% no Brasil. Hoje, a comunicação de recall do fabricante para o cliente é feita na maioria dos casos por meios de comunicação ou pelas redes sociais. As montadoras defendem a lei atual, considerando que ela é boa. Elas dizem que um carro é um produto complexo com 5 mil partes e que todo produto pode ter defeitos. O governo, através do Ministério da Justiça, disponibiliza para os interessados uma lista de todos os modelos em recall no país. Lá o consumidor se cadastra e recebe avisos de novas chamadas por e-mail. (Clique aqui para acessar o portal).

  • Samuel Almeida

    Simples, não terá mais recall e os veículos continuarão inseguros. Idiota!

    • Deadlock

      Se tem recall é porque já encontraram a solução, proposta de mané… Agora se o cara não atendeu o chamado, problema dele. O consumidor tem que ser tratado como adulto e não como incapaz. Se for incapaz não tem nem que dirigir….

      • Pipo pipo

        É sempre o mesmo problema, o Estado querendo ser “pai” de todo mundo, se metendo em tudo.

        • 4lex5andro

          É preciso considerar a extinção do congresso.

          • Dario Lemos

            Já tem um bom tempo que considero que o congresso brasileiro é inútil.

      • Rafaelprado

        Entendo a posição dele, é travar a venda dos veiculos listados para recall. Isso é se voce não levar o carro para reparo, voce não consegue fazer nada com ele. A trava sairia após reparo.

        • Deadlock

          ok.

        • Edson Fernandes

          Tá… mas quem está com um carro no processo de recall está inseguro da mesma forma. Isso não ajudaria em nada.

          Assim como se pensar em dar mais segurança tbm não pensam.

        • lheu

          O corolla do meu pai está na lista de espera do recall do airbag desde maio. Até hoje não vem a peça para a minha cidade. Segundo essa ideia eu ficaria impedido de vendê-lo ?

    • Fabio Thasmo

      Porque não terá mais recall? Não vai ser um problema da montadora mais sim do proprietário do carro que não atendeu ao chamado. Se o carro está envolvido em um recall automaticamente ele já foi vendido e está nas mãos do consumidor, é esse carro que não poderá ser vendido.

      Como diz na matéria “precisamos parar imediatamente a comercialização de todos os veículos que entram em recall. As seguradoras não podem fazer o seguro, não pode transferir o veículo, não pode vender. Não adianta achar que vai mandar cartinha e vai resolver o problema. Não vai, pessoas estão morrendo por falhas mecânicas”.

      Significa que mesmo enviando cartinha as pessoas não estão atendendo ao chamado e tem muitos carros circulando por ai com falhas mecânicas que podem causar acidentes seguidos de morte, uma forma de mudar isso é penalizando a pessoa, que não poderá fazer um seguro, transferir ou vender um carro que esta envolvido em um recall e não teve o chamando atendido.

      • Danillo Barros

        Foi o mesmo que eu entendi, nesse caso o Estado deve intervir mesmo pra forçar o proprietário a corrigir o problema. Todo mundo aqui sabe que vendem carro todo estourado como novo, um recall então…

      • Dario Lemos

        OK, Fábio, mas tem milhares de carros com falhas ocultas e visíveis com manutenção precária e são, na minha opinião, muito mais inseguros e perigosos aos motoristas e transeuntes que esses carros citados para recall. E nem por isso eles estão incluídos nessa proposta mequetrefe.

      • leitor

        A notícia não fala de proprietários e sim das montadoras. Do proprietário se resolve no momento da manutenção prevista e não haveria necessidade disso tudo. Quando o recall é feito, os carros nas concessionárias também são revisados. Isso é apenas uma forma de aparecer e parecer ser bonzinho. Politicagem.

    • Cmenusi

      “Chefe, tem um problema sério com a geringonça, acho que precisamos fazer recall” –> “Capaz, deixa quieto, senão teremos que parar de vender a geringonça até resolver o problema e isso nos causará milhõe$$ em lucros. Se alguém reclamar, alegamos mau uso”. Segue o filme …

  • sigma7777777

    É uma vergonha o que a Toyota está fazendo e não está sendo criticado pela imprensa: ela anunciou um recall de airbags em que apenas os desativa sem substituir imediatamente por outro por falta de peças, fazendo com que o proprietário tenha que aguardar semanas para concluir esse segundo e óbvio procedimento. Lamentável!

    • Maycon Farias

      Quem fornece o Airbag é a Takata, e provavelmente foi o maior recall da terra, afetou não só a Toyota mas diversas outras marcas, inclusive a Takata está a beira da falência, infelizmente é natural que não tenham 100 milhões de dispositivos instantaneamente. Sair com o carro da concessionária com esse adesivo de advertência é uma escolha do cliente se quiser continuar com o uso do carro. Nem todo mercado as coisas são reparadas na mesma hora, celulares, eletrodomésticos, aparelhos eletrônicos e até moveis muita das vezes ficam na assistência ou são agendados para reparo. O airbag do meu Corolla anterior troquei em horas, meus colegas também, e logo que peguei um Civic que também estava na lista a troca na Honda foi em poucas horas. Se a Toyota ou qualquer outra marca de qualquer coisa se negar a reparar algo previsto dentro da garantia ai sim estariam violando o direito do consumidor. Eu sei nem todo mundo pode ficar sem o carro esperando, mas são coisas previsíveis.

  • Speed Racer

    A intenção é boa, mas assim que for aprovada nenhuma montadora fará mais recalls no Brasil.

    • Fabio Thasmo

      Porque ela não fará mais recall? Não vai ser um problema da montadora mais sim do proprietário do carro que não atendeu ao chamado. Se o carro está envolvido em um recall automaticamente ele já foi vendido e está nas mãos do consumidor, é esse carro que não poderá ser vendido.

      Como diz na matéria “precisamos parar imediatamente a comercialização de todos os veículos que entram em recall. As seguradoras não podem fazer o seguro, não pode transferir o veículo, não pode vender. Não adianta achar que vai mandar cartinha e vai resolver o problema. Não vai, pessoas estão morrendo por falhas mecânicas”.

      Significa que mesmo enviando cartinha as pessoas não estão atendendo ao chamado e tem muitos carros por aí circulando com falhas mecânicas que podem causar acidentes seguidos de morte e a única forma de mudar isso é penalizando a pessoa que não poderá fazer um seguro, transferir ou vender um carro que esta envolvido em um recall e não teve o chamando atendido.

      • Speed Racer

        Entendo, a intenção do Deputado é nobre, mas mesmo assim, pelos problemas que iriam causar para os consumidores as montadoras não vão mais fazer alguns recalls,
        pode acreditar. O ideal seria uma inspeção anual e o veículo que não tenha feito o recall não poderá circular. Proibir a venda é inconstitucional no meu ponto de vista, fere o direito de propriedade , alguém pode precisar vender com urgência por exemplo para pagar um tratamento de saúde ou mesmo para pôr comida em casa, pois a crise está feia. Devemos nos lembrar que tem recalls que duram anos pois envolvem milhões de veículos e não é humanamente possível reparar todos ao mesmo tempo.

        • 4lex5andro

          Pois é, teve recall há pouco tempo de carros fabricados em 2012. Não é tão raro carros com 5, 6 anos de uso serem chamados.

        • Dario Lemos

          Acho que você tocou no cerne da questão: a falta de inspeções anuais. Lembro muito bem que, anos atrás, havia inspeção obrigatória na renovação anual do documento do veículo e hoje não existe mais, talvez porque daria “muito trabalho” aos detrans municipais.

          • Speed Racer

            Exatamente! O que tem de veículos em condições precárias rodando por aí é um absurdo. O DETRAN não tem como dar conta disso sozinho, infelizmente. Deveríamos exigir as inspeções anuais para a segurança de todos. Quem não pode rodar faça a manutenção necessária e aí com o alval do órgão responsável volte a rodar.

            • Iran Borges

              Pelo amor de Deus, essas inspeções anuais igual o detran RJ ninguém merece. Hj moro em SC e não tem isso graças a Deus. É só a vistoria quando faz a transferência e pronto. E te digo mais… não conheço todo o brasil, mas do que eu conheço, nunca vi tanto carro estourado e caindo aos pedaços circulando que nem no RJ.

              • Speed Racer

                Mas o que acontece Iran é que esses carros caindo aos pedaços aqui do Rio, e são muitos mesmo pois moro aqui, não fizeram a vistoria, portanto, estão rodando ilegalmente. Aí a culpa é da Policia Rodoviária que não fiscaliza satisfatoriamente.

                • Iran Borges

                  Isso que é o estranho… onde tem mais vistoria é exatamente onde tem os piores carros.

  • Fabio Thasmo

    É uma ótima proposta e pelos comentários acho que o pessoal não entendeu a proposta ou não leu a matéria.
    Não é que vai ser proibida a venda de um modelo de veículo porque ele está com recall anunciado, por exemplo anunciou um recall do ônix suspendem a venda do ônix.

    Mais sim um carro específico que está com recall anunciado não pode ser vendido enquanto não for atendido o recall, por exemplo EU tenho um carro X e foi anunciado um recall pra ele, eu não posso vender o meu carro se eu não tiver atendido ao recall.

    “precisamos parar imediatamente a comercialização de todos os veículos que entram em recall (se o carro entrou em recall automaticamente ele já foi vendido e já está nas mãos do consumidor) As seguradoras não podem fazer o seguro, não pode transferir o veículo, não pode vender. Não adianta achar que vai mandar cartinha e vai resolver o problema. Não vai, pessoas estão morrendo por falhas mecânicas”

    Ele quis dizer que mesmo enviando cartinha muita gente não atende ao recall e tem muito carro andando por aí com falhas mecânicas que podem causar acidentes, uma forma de mudar isso é penalizando o proprietário que não atende o chamado, ele não vai poder fazer um seguro, transferir ou vender um carro com recall anunciado e com o chamado não atendido.

    • Erasmo Artur

      Sua interpretação é ainda pior.

      Desta forma os principais prejudicados são os consumidores. Imagine aí os donos de corolla sem poder vender seus carros simplesmente porque não há peças de reposição suficiente para a demanda do recall.

      O texto todo deixa explicito que o alvo é sim montadoras/fabricantes.

      “Não adianta achar que vai mandar cartinha e vai resolver o problema”

      Quem que manda a cartinha? A montadora.

      O carro zero não tem, de fato, nada a ver com o recall, o bloqueio de sua venda é apenas uma forma de forçar a montadora a agilizar o processo.

      A propósito, seja lá qual for a interpretação dessa lei, é uma bela bosta.

      • Fabio Thasmo

        na questão dos airbags sim o prejudicado seria o consumidor por isso que uma parte do texto tem entrevista com o representante do Instituto de defesa do consumidor e outra fala sobre os processo do ministério público contra as montadoras, nessa parte do texto sim o alvo é as montadoras/fabricantes.

        Mais o caso dos Airbags é um caso a parte, fora isso eu acho sim super válido a proibição da comercialização do veículo até que ele tenha atendido ao chamado de recall evitando assim Que outra pessoa adquira um veículo com uma falha que ele desconhece e pode vir a provocar um acidente. Que Se eu não estou errado foi isso que o deputado propôs de acordo com o início do texto.

        O foco da proposta e apenas garantir a segurança e evitar mortes por falhas mecânicas impedindo que alguem compre um veículo que não atendeu a um chamado de recall e não uma forma de prejudicar diretamente a montadora.

    • MMM

      Você que não entendeu a notícia. Na entrevista com o deputado, ele “disse que é preciso fiscalizar de maneira rotineira as montadoras para saber se elas estão ou não vendendo carros que já tenham problemas conhecidos”

      • Fabio Thasmo

        Analizando a matéria ela fala que atualmente quando um chamado não é atendido apenas um aviso de “recall NÃO realizado” é colocado no documento um ano após o anúncio do chamado o parlamentar diz que esses veículos envolvidos em recall precisam parar imediatamente de serem comercializados, que não pode ser permitido fazer Seguro, transferir ou vender esses veículos, que apenas uma cartinha não resolve o problema e que tem gente morrendo por falhas mecânicas desse veículo.

        Fora essa não tem mais nenhuma fala atribuida ao deputado e não existe entrevista com o deputados apenas com o representante do instituto de defesa do consumidor. A parte que você mencionou que diz “A questão é a fiscalização do poder público sobre as montadoras para que se evite a comercialização de veículos que ainda estejam com problemas conhecidos” não é fala do deputado e está se referindo ao caso dos airbags Takata. Nessa parte a matéria esta falando sobre direitos do consumidor e sobre processos que o ministério publico abriu contra as montadoras nao tem nada a ver com o a proposta do parlamentar.

        Eu posso sim estar errado na minha interpretação, mais Se for assim a lei não faz nenhum sentido e a matéria está muito mal explicada.
        Se a montadora identifica um problem em um lote que foi vendido em 2015 por exemplo e faz um chamado para o consumidor fazer o reparo na concessionária, por que vai suspender a venda de um veículo fabricado em 2017 que não apresenta o problema? Eu intendo que o consumidor foi lesado mais a montadora está oferecendo o reparo, ai o errado é a montadora por corrigir a falha ou o consumidor que não atendeu o chamado? É o veiculo envolvido no recall que esta sujeito a provocar um acidente não o novo. Não faz sentido penalizar a montadora por estar corrigindo o problema.

        Agora quando a montadora não tem condições de sanar o problema como está acontecendo com o caso dos airbags Takata ai sim precisa da intervenção do poder público.

  • Felipe

    Isso aqui está um show dos horrores em interpretação de texto.
    Brasil e seus teclados, sempre me divirto!

  • Cincinato

    É uma boa.

    As montadoras continuariam a fazer recalls, por que imagina montadora que aprensete erros, o consumidor não ia mais comprar e iria ficar queimada no mercado.

  • Debraido

    Essa proposta só teria efetividade nos grandes centros.

  • MarcioMaster

    A falta de entendimento sobre o que é um Recall é impressionante.

  • Freaky Boss

    Brasil quer fazer tudo diferente do resto do mundo que funciona. Depois aqui tudo fica caro e não funciona, e ninguém sabe o porque!!

  • Louis

    E alguma montadora continua vendendo carro com o problema, mesmo depois de anunciar Recall?

  • Leonel

    É cada ideia destes nossos parlamentares que não é difícil entender porque o Brasil é o que é…

  • Jesse James

    Quanta gente babaca nesse pais, muito burrinho com poder na mao…vamo começa pelo Onix entao, tirando do mercado.

  • Márcio Motta

    isso nao é possivel. recal existe no mundo todo. tem que interromper os deputados, senadores, presidente que pisam na bola

  • zekinha71

    Daí surge o quebra pra liberar carro com recall, e a vida continua.

  • leitor

    Fazer como outros países fazem. Simples assim. Para ser melhor que isso é fazer o carro melhor. E isso está muito mais longe. Pura politicagem, aparecer como bonzinho para ganhar votos.

  • zeh

    ….tem politico?…essa gente que acha que entende de legislação, mas que na verdade, tem outros interesses escondidos…?..por favor..

  • Dcar

    Ele teria que propor que todos os veiculos que estejam sendo comercializados passe por teste de colisão, subsidiado pelas próprias montadoras, mas escolhido aleatoriamente pela LatimNcap, e caso esse carro possua várias versões, o mesmo seja testado em todas as versões baseando-se na quantidade de airbags. Caso o mesmo receba (exemplo) menos que 3 estrelas para adulto e 4 para crianças que o mesmo seja proibido a venda até que a montadora tome providências quanto a falta de segurança, correndo multa até regulamentação do modelo em questão.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend