Jaguar Lançamentos SUVs Test Drive

Jaguar E-Pace: Impressões ao dirigir

jaguar-e-pace-impressões-NA-2

O Jaguar E-Pace chega ao mercado brasileiro com uma proposta de SUV com estilo mais esportivo que o F-Pace, seu irmão maior. Diferentemente deste, o novo produto não utiliza motor V6, mas tem uma ligação estética maior com o F-Type, especialmente em seu interior.


Com preços a partir de R$ 222.300, a novidade chega com pronta entrega, mas é possível configurá-lo no site e encomenda-lo com preços até menores, que começam em R$ 195.400, mas a entrega só ocorrerá meses depois. A tática é a mesma do Range Rover Velar, que possui bem mais opções sob encomenda que as quatro de pré-venda.

Mas, para o leitor, uma observação: No evento promovido pela Jaguar, apenas três carros (dois azuis e um branco, todos P300) estavam em configuração para o Brasil, sendo os demais enviados aleatoriamente por parte da matriz e não serão oferecidos aqui, especialmente o modelo branco em exposição com rodas aro 18 polegadas.

jaguar-e-pace-impressões-NA-5


Oferecido nas versões E-Pace P250 (R$ 222.300), E-Pace R-Dynamic S P250 (R$ 246.750), E-Pace First Edition P250 (R$ 275.900) e E-Pace R-Dynamic SE P300 (R$ 278.080), o utilitário esportivo da marca inglesa se diferencia dos demais produtos da marca também por oferecer a versão de lançamento sem a motorização mais potente, como geralmente ocorre.

Feito em Graz, Áustria, pela Magna Steyr, o Jaguar E-Pace tem a missão de ser o modelo mais vendido da marca no país. Com o sucesso do F-Pace, a empresa decidiu que agora é a vez do irmão menor se destacar no cenário premium nacional. Para ampliar ainda mais os atributos do modelo, a Jaguar acrescentou um plano de manutenção de cinco anos com revisões anuais custando R$ 2.990. Além disso, fez parceria com quatro blindadoras nacionais para oferecer dois pacotes de proteção com 21 mm por R$ 66.900 e 18 mm por R$ 70.900, tendo garantia de 3 anos ou 100.000 km.

jaguar-e-pace-impressões-NA-7

Feito sobre a plataforma D8 da Jaguar Land Rover, o E-Pace utiliza a mesma base dos modelos Land Rover Discovery Sport e Range Rover Evoque, ambos feitos em Itatiaia-RJ. De acordo com a empresa, não há previsão para uma possível produção local, mas o modelo tem potencial para um dia vir a ser fabricado na planta fluminense, dependendo apenas da demanda. Por ora, segundo a Jaguar, ele será feito apenas na Áustria.

Com design bem fluído, esportivo e jovial, o Jaguar E-Pace parece pequeno e realmente é, já que mede 4,395 m de comprimento, 1,984 m de largura, 1,624 m de altura e 2,681 m de entre-eixos, sendo bem menor que o F-Pace. Pesando em torno de 1.832 kg, o crossover utiliza muitos elementos de outros carros da Jaguar, entre eles um conjunto ótico inspirado no irmão maior, suspensão traseira igual à do Discovery Sport (que é diferente do Evoque) e muita inspiração ambiente no F-Type.

jaguar-e-pace-impressões-NA-23

Por ora, apenas o motor Ingenium 2.0 de 249 cv e 37 kgfm ou 300 cv e 40,6 kgfm (somente R-Dynamic SE P300) estarão disponíveis, sendo este último capaz de leva-lo até 100 km/h em 6,4 segundos e com máxima de 243 km/h. A Jaguar revelou que não haverá versão diesel no Brasil, visto que não houve interesse por parte dos clientes.

Já o câmbio é sempre o ZF 9HP de nove marchas, que possui modo Sport e trocas na alavanca ou volante. A tração é integral. Mas, o pequeno felino inglês tem ainda quatro modos de condução: Dinâmico, Conforto, Eco e Gelo/Neve/Grama. Há também o ASPC, um controlador de velocidade e frenagem para off-road, embora essa não seja a proposta final do produto.

jaguar-e-pace-impressões-NA-29

No conteúdo, o Jaguar E-Pace vem exteriormente apenas com rodas aros 19 ou 20 polegadas, tendo ainda faróis full LED, LEDs diurnos, lanternas em LED, luzes de curva em LED, retrovisores com rebatimento elétrico, abertura e fechamento automático do porta-malas (dependendo da versão), teto panorâmico, antena barbatana, escape duplo cromado integrado ao para-choque, monitoramento em 360 graus, entre outros, apenas para citar o que pode ser adicionado ao exterior.

Por dentro, o Jaguar E-Pace vem de série com tela de 10 polegadas para a multimídia InControl Touch Pro, que dispõe de navegação, câmera de ré, modo Valet, funcionalidades de tração e economia, gestão de câmeras, entre outros. A instrumentação é analógica, mas pode dispor de tela configurável de 12,3 polegadas com direito a mapa em tela cheia, por exemplo. Com ajuste manual da coluna de direção, o crossover dispõe de bancos dianteiros com 10 ou 18 ajustes elétricos, neste último com três memórias para ambos e extensor de assento integrado.

jaguar-e-pace-impressões-NA-41

HUD a laser é outro recurso disponível, assim como alerta de colisão e invasão de faixa, controle de cruzeiro adaptativo e estacionamento automático. O Jaguar E-Pace pode contar também com bancos em couro Windsor, cinco entradas USB, teto em Alcantara, revestimentos em couro, alumínio e soft touch, pulseira Active Key para fechamento sem chave, iluminação ambiente personalizável, entre outros.

jaguar-e-pace-impressões-NA-6

Impressões gerais

O Jaguar E-Pace tem uma presença atraente. O SUV “compacto” da marca britânica é quase como um F-Type convertido em crossover, visto que sua carroceria tem linhas que lembram um cupê. Os faróis esguios e a frente com para-choque bem cheio, dão uma aparência mais robusta, mas ao mesmo tempo fluem bem com o restante do conjunto.

A traseira é uma réplica do que já vimos no F-Pace e F-Type, contando com lanternas bem estreitas e compridas, mas sem nenhum elemento ovalizado na parte central. O para-choque com bocas de escape embutidas impressiona e reforça a proposta esportiva do modelo, que nem fez questão de ficar “sentado” sobre as rodas aro 20 polegadas. A suspensão é surpreendentemente alta e não há opção pneumática, por exemplo, que reduziria sua altura.

jaguar-e-pace-impressões-NA-26

No interior, como já mencionado, o cockpit é inspirado no F-Type e voltado para o condutor, tendo um chamativo console com base em alumínio, onde a alavanca tipo joystick se assenta. Nesta peça, existe um botão para os modos de condução. O painel ainda conta com uma alça do lado do passageiro e cobertura em três níveis, sendo o superior em soft touch e couro, o segundo em couro claro e o terceiro em material rígido.

O cluster digital apresenta instrumentação de visual analógico, mas com opção de tela cheia e outras configurações. A multimídia, como sempre, é intuitiva e facilita a vida na hora de acessar informações. Dá para colocar o mapa de navegação nas duas telas. Um destaque a parte é o conjunto de assentos dianteiros com aquecimento e vários ajustes elétricos, além de três memórias para cada um. Eles grudam bem o corpo nas curvas e geram muito conforto.

jaguar-e-pace-impressões-NA-27

Atrás, há difusores de ar e três conexões USB para carregamento de smartphones. O espaço geral é bom, sendo que atrás é aceitável pelo porte e proposta do carro. A altura interna também corresponde ao esperado. Já o porta-malas não parece ter os 577 litros divulgados, mas atende bem. O volante com empunhadura esportiva é muito bom e a maioria dos comandos está bem localizada. No geral, a impressão foi muito boa.

jaguar-e-pace-impressões-NA-1

Impressões ao dirigir

Indaiatuba-SP – O Jaguar E-Pace é um SUV bem esperto e divertido de dirigir. Se parece leve em sua estética, ele também é ao conduzir. Na pista da Fazenda Capuava, pudemos experimentar as versões P250 e P300 num circuito fechado. Começando pela mais forte, o crossover é imediato nas respostas. Apesar de ter uma certa altura, ele contorna muito bem as curvas, surpreendendo pela agilidade.

É verdade que há alguma inclinação da carroceria, mas nada acentuado. Calçado com rodas aro 20 polegadas e pneus 245/45 R20, o Jaguar E-Pace é muito ágil em curvas de baixa velocidade, mas entra muito bem em curvas de alta, não se intimidando com o traçado sinuoso da pista.

jaguar-e-pace-impressões-NA-4

O propulsor Ingenium 2.0 P300 tem muita força disponível e um ronco realmente agradável, fazendo o SUV arrancar com agressividade, ao mesmo tempo em que fica cheio no modo Dinâmico com a opção S do câmbio. Aliás, as mudanças manuais só acontecem nesse último caso, pois mesmo em Drive, os paddle shifts são apenas decorativos.

No modo manual, o ponteiro invade a faixa vermelha a partir dos 7.000 rpm sem cerimônia e só em caso extremo muda a marcha se  condutor esquecer de faze-lo. Ou seja, nessa opção, dá para extrair o máximo dos 300 cavalos sob o capô. As retomadas também são primorosas, assim como o controle humano sobre a transmissão, que dá muita liberdade ao condutor. A direção é leve e rápida, bastante gostosa durante a condução.

jaguar-e-pace-impressões-NA-28

Já no E-Pace P250, decidimos levantar o pé e curtir mais do comportamento dinâmico do SUV da Jaguar, que é muito dócil, embora reaja rapidamente e com força se o motorista exigir. Com tração nas quatro rodas, o sistema Active Driveline permite fusionar e equilibrar os parâmetros de aceleração, frenagem e estabilidade do veículo durante a condução, ajustando as forças nos eixos e nas rodas, chegando ao ponto de entregar 100% de energia em apenas uma roda.

O torque pode ser 100% no eixo traseiro, dependendo das circunstâncias. Há vetoração de torque em curvas para manter o carro bem dentro do tangenciamento, além de diversos dispositivos de medição do comportamento do veículo para melhorar a condução. Tentamos alcançar 110 km/h em nona marcha, mas não foi possível, obtendo no máximo 2.500 rpm. Isso feito em Drive e no modo Conforto. O nível de ruído a bordo é muito bom, assim como o comportamento da suspensão e dos freios.

jaguar-e-pace-impressões-NA-36

Embora a proposta do Jaguar E-Pace seja “asfáltica”, o utilitário esportivo não se intimida diante de um fora de estrada. Nada muito agressivo, como um Land Rover prefere, mas tal como no F-Pace, o E-Pace também tem boas características de projeto que o fazem se sentir bem fora do asfalto.

Num pequeno circuito off-road, passamos por enormes buracos, valetas, inclinação lateral de 30°, fizemos pêndulo com o SUV e vencemos aclive e declive muito íngremes, utilizando o ASPC para ajuste de velocidade, já que o mesmo atua também nos freios. Trata-se de um recurso para quem não é íntimo do fora de estrada, ajudando bastante a sair de dificuldades não tão extremas. O E-Pace tem ângulo de entrada de 22°, central de 21° e saída com 29°. No geral, foi bom nessas condições.

Em resumo, o Jaguar E-Pace se mostrou um carro bem acertado para uma condução esportiva e ao mesmo tempo agradável para uma direção mais comportada. O nível de conforto e tecnologia a bordo não poderia ser diferente e mesmo no fora de estrada, mostra que pode sim ir aonde seus dois irmãos naturalizados trafegam com mais desenvoltura.

Jaguar E-Pace – Galeria de fotos

 

Evento a convite da Jaguar. 

5
COMPARTILHAR:
  • Eduardo T

    Pelo menos pelas fotos, achei muito bonito por fora (apesar de nada surpreendente), mas por dentro simples demais pra um carro de mais de 200 mil, com materiais que não agradam aos olhos (ao toque só vendo ao vivo). O interior de um IX35/Kia Sportage 2011 parece equivalente :/. E olha que simpatizo muito com alguns modelos Jaguar, cogito daqui a um tempo adquirir um XF 2012.

    • Unknown

      Tive exatamente esta mesma impressão a ver as fotos do interior! Lembra muito o da IX35, não no design, mas na qualidade e aspecto dos materiais.

    • klaus

      idem

  • Lucas086

    Bonito, gostei

  • Fábio

    Sou mais o equinox, mais barato e muito bem equipado. Agora pra quem gosta de status…

    • F30FLORIPA

      Mais equipado? De onde vc tirou essa informação?

      • Fábio

        Eu disse bem equipado. De onde vc tirou o mais, eu não sei.

        • FearWRX

          E ele não é mais equipado que esse Jaguar? Sem falar do interior também. Por 140 mil a mais eu ia de Equinox mesmo assim, eu adoro Jaguar mas esse E-Pace ficou horrendo por dentro.

          • Gustavo Adriano

            Horrendo também, mas que os Britânico da Jaguar levam o conceito se sobriedade longe demais, isso levam. O interior do Equinox é mais bonito que do E-Pace (talvez não mais esportivo é claro), mas quer saber de duas marcas que poderia, fácil fácil, servirem de base para essas novas gerações do Felino? Lexus e Infiniti, pode colocar no papel, estariam bem melhor vestidos.

            • FearWRX

              Eu não costumo opinar sobre crossover porque não é bem minha praia e nem opção em nenhuma faixa de preço e ocasião.
              A Infiniti eu diria que já foi melhor, até na época que vendia Skyline rebatizado.
              Mas a Lexus e a Cadillac eu teria qualquer um deles no lugar de qualquer premium alemão sem dúvida alguma. Principalmente um GS350 ou um CTS Premium, que coisa maravilhosa. MELHOR ainda se for um CTS-V.

  • Mayck Colares

    O interior tem o desenho muito simples. E sem inspiração pela proposta e pelo alto preço. O que mais chama atenção é a central multimídia, pecando no desenho do volante, saídas de ar e todo o resto. Temos coisas mais interessantes no nosso mercado por preço mais baixo.

    • Unknown

      Exato! Todos estes itens são fracos, ao menos no aspecto visual…

  • Mayck Colares

    Pensei q era híbrido pelo nome E-pace até ver q é um motor a gasolina da evoque que bebe MUITO. Tava gostando do preço de 195 mil. Mas vai o que vem nesse modelo de entrada…nada.

  • Rudá

    Carro extremamente sem sal por dentro, igual a F-Pace. Aluguei uma ano passado e achei o carro beem fraco de mecânica e acabamento. Foram-se os tempos de glória da Jaguar.

    • Unknown

      Reflexos da venda da marca para os chineses… Kkkkkkkkk

      • Mas a Jaguar Land Rover é da indiana Tata Motors…

        • Unknown

          Tá certo, me desculpe, confundi com a Volvo… De qualquer forma a associação é válida! Rsrs

  • Frederico Sardinha

    Essas rodas das versões fotografadas no brasil, parecem calotas da Fiat.

    Sinceramente achei o carro bem sem graça, esse interior dele passa uma imagem bem comum, e aquele tanto de luz azul na foto oficial, ficou estranho….

    • Alvaro

      Hahahahahahaha pois é, de lance parece mesmo.

    • rspfreire

      Seu comentário foi o mais acertado aqui, rodas que parecem calotas: HORROROSAS. Depreciou totalmente o carro, não empolga nem um pouco, que pena.

  • Natán Barreto

    É o Evoque da Jaguar. Muito bonito, mas acho que o interior não combinou muito com o carro. Simplório demais.

    • Luciano RC

      E sem qualquer ousadia do Evoque. Um carro discreto e sem personalidade… para aqueles que querem passar despercebidos.

  • Ygor Soares

    Que interior simplório, não condiz com o valor cobrado!

    • Unknown

      Tive a mesma impressão…

    • klaus

      aham

  • Alvaro

    Na foto de divulgação, esse efeito/desenho que forma na luz de cortesia do retrovisor parece muito original e de bom gosto. Mas sei não ein, no dia-a-dia, acho que vai ser meio jacú hahahahaha

  • Luciano RC

    Na boa… achei muito simples para um Jaguar. Esperava mais em personalidade.

  • Lucas

    Esse interior todo cinza não tá legal não, bem sem graça (não que tenha qualidade ou montagem ruim), mas não combinou com um carro que tem a meta de ser mais esportivo que o irmão maior.

  • Felipe Alves

    Qualquer outra SUV consegue ser mais atraente do que ele… E muito mais barata!

  • Hadson Nobre

    A Volvo agradece!

  • FFSB

    Tenho visto muitos comentários apontando o visual e acabamento interno como “pontos negativos” do E-Pace. Não vi este modelo ao vivo especificamente, mas já tive a oportunidade de conhecer pessoalmente todo o restante da gama da Jaguar. Normalmente, em fotos, o visual interno e materiais de acabamento aparentam ser piores do que de fato são.

    Na vida real, todavia, isso não é verdade: as peças são muito bem encaixadas, os materiais e texturas de excelente qualidade e o próprio visual demonstra o caráter premmium dos veículos.

    Um argumento contrário que é válido: os acabamentos de modelos da Audi (A4 para cima, novas gerações) são de fato superiores, e a Volvo também se mostra além da Jaguar em termos de qualidade interna. Mas, isso não desabona os veículos de origem Inglesa da Jaguar: são carros incríveis, de visual ousado, interior sóbrio e condução divertida, com pegada esportiva que quase não se vê em concorrentes diretos. Ainda há a tradição e história da marca, que sempre causou suspiros e arrebatou fãs mundo afora.

    * OBS.: com interior claro, a percepção de qualidade fica bem superior.

    • Danielle Jorge Lima

      Concordo, vi esse carro pessoalmente e é lindo por dentro!!! Sóbrio realmente, mas gostei que não cansa e os materiais são excelentes.
      Quem fala que são simples os acabamentos é porque não viu o carro!!!

  • BrunoVale

    Só eu que achei esse carro um desastre de design?

    • CanalhaRS

      Não diria um desastre, mas achei bem fraquinho para um Jaguar, e o que vai custar.

  • João Teixeira

    Eu tento mas não consigo aceitar ver um Jaguar sem interior de madeira. Houve um tempo em que os carros da Jaguar eram posicionados entre BMW’s e Rolls- Royces. Os carros atualmente são bem bonitos e modernos mas perderam o DNA clássico em prol da esportividade e modernidade com cara de Tesla.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email