Crossovers Elétricos Jaguar Mercado

Jaguar I-Pace terá assistência para recarga no Brasil

jaguar-ipace-13

O Jaguar I-Pace se tornou realidade no mercado europeu e ainda não tem previsão de chegada ao Brasil, mas sua vinda é certa, segundo ouvimos no lançamento do E-Pace, em Indaiatuba-SP. O crossover elétrico lançado oficialmente em Genebra foi apresentado ao mundo como o primeiro carro movido por energia da marca inglesa e não deverá ser o único, visto que a empresa planeja ter versões elétricas de todos os seus modelos a partir de 2020 e isso inclui também a Land Rover, além de rumores que apontam para um XJ apenas elétrico.


Tão logo surgiu na mostra suíça, o Jaguar I-Pace rapidamente apareceu no configurador da marca no Brasil, oferecido em três versões e todas personalizáveis. Elas podem ser salvas e enviadas para a empresa como um pedido de informações futuras. Segundo Vinícius Frata, manager de produto da Jaguar Land Rover, o configurador nesse momento serve para o cliente buscar mais informações sobre o produto.

jaguar-ipace-11

Questionado sobre o tamanho das rodas no configurador, que são somente de aro 20 polegadas, Frata explicou que existem restrições de tamanho em diversos mercados, por isso na Europa o elétrico utiliza rodas até aro 22 polegadas, o que provavelmente não ocorrerá no Brasil. Ainda sobre a vinda do I-Pace, a Jaguar não pretende apenas trazer o crossover elétrico e coloca-lo no mercado sem uma preparação diferenciada.


A ideia é dar suporte ao cliente do I-Pace, visto que o Brasil ainda não possui uma infraestrutura adequada para atender os carros elétricos. De acordo com Frata, pontos de recarga em concessionários, por exemplo, são uma alternativa para os proprietários. A empresa estuda outras possibilidades e até parcerias, assim como um treinamento especializado para a rede – atualmente com 39 revendas – atuar no suporte ao modelo.

jaguar-ipace-17

Como apenas as concessionárias de energia podem comercializar eletricidade ao consumidor final, serão estas empresas que acabarão por prover a infraestrutura necessária de modo geral, observa Frata. Haverá ainda um modelo de venda de energia específica para veículos. Mas, como bem observou, hoje a autonomia oferecida pelo I-Pace, que é de 480 km, é suficiente para atender a maioria dos clientes. Além disso, o consumidor desse tipo de veículo tem pelo menos um ou dois imóveis em seus destinos regulares fora da cidade de residência, seja no campo ou na praia, ou mesmo em ambos.

Junto com o I-Pace, o cliente terá ainda a opção de um carregador rápido doméstico, que permite uma recarga completa em duas horas. Em relação ao vídeo comparativo de performance do modelo com o Tesla Model X, amplamente divulgado pela marca, Frata diz que existem muitas diferenças entre os dois e que a proposta da Jaguar não é vender um conceito ou carro disruptivo, mas um produto tradicional, com volume.

jaguar-ipace-18

A Jaguar também não pensa em oferecer carros autônomos sem direção ou pedais, como algumas marcas já estão propondo. Mesmo que haja condução 100% autônoma, sempre haverá opção do condutor assumir o carro por completo. No que diz respeito ao preço, não há estimativa atual para um valor do I-Pace no Brasil. Em cada mercado, ele atuará de forma diferente daquelas que estão sendo anunciadas nos EUA e Reino Unido, referentes aos valores.

Ou seja, o Jaguar I-Pace, quando chegar ao Brasil, não será tratado como algo fora do comum dentro da marca, mas como um carro de luxo normal, que apenas não utiliza combustível fóssil ou vegetal como fonte de energia, embora a marca prepare uma assistência por conta da necessidade de recarga.

Jaguar I-Pace – Galeria de fotos

Evento a convite da Jaguar.

COMPARTILHAR:
  • th!nk.t4nk

    Legal, daí o comprador pode ter 3 pontos de recarga: em casa, na concessionária e na casa de campo. O carro vira um brinquedão capaz de circular só em rotas bem específicas, pois está limitado a estes locais de recarga. Que me desculpem, mas é preciso um investimento forte em infra-estrutura (combinando iniciativa privada e poder público) antes que a eletromobilidade possa ser levada a sério no Brasil.

    • Louis

      Acho que o caminho mais curto para termos popularização de elétricos é nos centros urbanos, com trajetos curtos, onde os carros serão carregados preferencialmente nas residências. Ampla infra-estrutura de carregamento só virá com o tempo mesmo, quando os postos de combustíveis começarem investir em estações de carregamento, em parceria com as distribuidoras de energia.

      • igomd

        Exatamente, pelas distancias utilizadas, o proprietários só usaria uns 50km por dia no máximo, se ele morar num subúrbio, região metropolitana de alguma cidade

    • igomd

      São 480Km, é um veículo de uso urbano, diário pro sujeito que vai até padaria, trabalhar, acadêmica e casa. O perfil do comprador já tem um segundo carro, a marca mesmo disse isso.

      • th!nk.t4nk

        Sim, mas pelo custo a meu ver deveria ser também uma opção como carro único. Não estou criticando a Jaguar, eles estao certos em oferecer o produto, mas o poder público poderia se mexer um pouco pra viabilizar o início da criação de infra-estrutura (desonerando o setor de impostos, por exemplo, e permitindo que outras empresas vendam energia diretamente).

        • Cara, eu não duvido que logo logo vai ter posto de gasolina vendendo energia por hora nas estradas. Brasileiro pra isso, mesmo com todas as dificuldades, arruma um jeito de ganhar dinheiro.

          • Julio Alvarez

            Perto de casa já tem um eletroposto no Graal do km 67 da Anhanguera. 50KW para CCS e CHAdeMO. Não sei quantos mais tem por aí.

    • Ubiratã Muniz Silva

      e você acha que quem tem dinheiro pra comprar um i-Pace (ou qualquer Jaguar que o seja) vai usar o carro fora desse tipo de trajeto mesmo?

      • th!nk.t4nk

        Deveria. Qual a vantagem de ter grana e morar num país onde você é escravo de apenas 2 ou 3 rotas (seja por segurança, seja por infra-estrutura)? Isso pra mim mais parece um prisão, não uma suposta vida de luxo. Neste caso é melhor usar o dinheiro pra viajar por outros meios, e andar num carro mais comum de uma vez.

  • igomd

    Pode se adaptar bem a realidade de famílias que procuram um segundo carro. Imaginem uma mãe de família que mora no Alphaville em SP, deixa crianças na escola, vai para academia, trabalho, almoço, pegar crianças e casa. Esses 480Km servem muito bem.
    E viagens longas eles fazem no carro do marido.

    Tudo depende de a Jaguar vender o pacote pronto com a instalação elétrica desse carregador rápido na garagem dessa família.

    • Hugo Borges

      Se não for no carro do marido, vão de avião, muito mais comodo.

    • Henrique Vefago

      Que comentário maxista.

      • igomd

        Foi um pouco mesmo

    • Ubiratã Muniz Silva

      esse tipo de público faz viagens longas de avião. geralmente passam férias fora do País.

    • FrankTesl

      Mas o GM Bolt já tem autonomia parecida. As novas versões do Leaf e o Renault Zoe também já estão na faixa dos 400 km de autonomia.

  • vicegag

    A Toyota também poderia disponibilizar, o Prius plug in aqui.

  • zekinha71

    Rodas de 20, 22 polegadas, logo vamos ter um monte de big foot rodando por aí, daí quando tem que trocar o pneu, vai ser mais barato trocar de carro.

    • Eduardo Campos

      Não entendo essa fixação infantil com rodas grandes. Só traz prejuízo, tanto em conforto quanto em economia.

      • Rodrigo

        O AUMENTO DO CONJUNTO (RODA/PNEU) EM DIÂMETRO, É UM AFORMA DE CONSEGUIR MAIOR ADERÊNCIA SEM O CONSIDERÁVEL AUMENTO DE ARRASTO, PROVOCADO PELO AUMENTO DE LARGURA DOS PNEUS, O AUMENTO DO CONJUNTO TRÁS TAMBÉM GANHO EXPRESSIVO NO CONFORTO DE RODAGEM.

  • Bigode

    “Ou seja, o Jaguar I-Pace, quando chegar ao Brasil, não será tratado como
    algo fora do comum dentro da marca, mas como um carro de luxo normal,
    que apenas não utiliza combustível fóssil ou vegetal como fonte de
    energia, embora a marca prepare uma assistência por conta da necessidade
    de recarga.”

    Gostei do posicionamento da Jaguar. E não duvido que as próximas marcas a lançarem carros elétricos assumam essa posição.

  • Júnior Nascimento

    Dá de sobra pra ir de Natal-RN a Maceió-AL. Não acho que seja pouca, coisa, não. Para quem tem R$, será uma excelente escolha. Quem dera estivesse com a carteira cheia. Acho que esse carro deve chegar aqui entre 400k e 500k, chegando a, no máximo, uns 100k a mais na versão mais completa.

  • Mauro Banqueiro

    Este é o único carro eletrico com aparência de carro e não conceito. Essa autonomia é legal. Quem compra um carro destes, não vai querer viajar 480km nem morto. Longas distâncias fará de avião. Mas tem uma coisa, quem compra um carro deste preço, não está se importando muito com o preço da gasolina. Com motor v12, v10, V não sei mais quanto, iria comprar, bebendo ou não. Na verdade deveria funcionar assim, este tipo de tecnologia deveria estar presente em carros baratos, com público alvo que sofre com o preço dos combustíveis, não para quem tem grana e pouco se vai importar se combustível subiu um ou dois ou três reais…

    Então isto vai ficar assim, você paga 40k arrasca para comprar um etios, e enquanto o carro durar vai pagar uma alta conta em combustível. Aí o patrão paga 800k num carro deste mas não precisa passar do posto para alimentar este carro. A conta de luz dele vai subir só um pouco, mas não mais do que os filhos gastam em eletricidade jogando Xbox 360 ou playstation em cada quarto da casa.

    Estes carros vão ser vendidos só com intuito ecológico, não verdadeiramente no impacto no Bolso!

    • FrankTesl

      os primeiros carros também eram coisa de rico. Pobre ia à pé, ou quando podia ia de cavalo, charrete ou se tivesse, de trem.

  • Luciano RC

    Esse sim ficou lindão hein. Melhor que o outro.

    • Edu

      Uma nave.

  • Felipe Alves

    Claro que vai ter de ter assistencia! Isso é óbvio! Ou a Jaguar iria trazer o carro e mandar quem comprou “se virar”????

  • leitor

    Apenas as concessionárias de energia podem comercializar eletricidade ao consumidor final. Ou seja, nos estacionamentos em centros comerciais que seriam lugares interessantes, esqueçam. Tantas taxas são cobradas para essa licença de comércio que inviabilizam isso.

    • th!nk.t4nk

      Da última vez em que levantei esse assunto aqui, disseram que isso era besteira, e que a iniciativa privada iria resolver tudo sozinha. Tem que partir de mudanças na legislação sim, sem dúvida. Acho incrível como ignoram os passos básicos pra deslanchar a eletromobilidade no país.

  • Fabio Marquez

    Montaria uma estação de recarga com energia solar em minha casa… Depois de um período de tempo estaria andando quase que de graça no carrinho.

    • igomd

      Essa é a ideia da coisa

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email