Japão Mercado Montadoras/Fábricas

Japão: Kobe Steel confessa mais falsificação e aço adulterado

aço Japão: Kobe Steel confessa mais falsificação e aço adulterado

Uma unidade de processamento de aço da Kobe Steel se tornou pivô de uma nova denúncia. A terceira maior siderúrgica do Japão, envolvida recentemente num escândalo de falsificação de dados de qualidade e dureza do alumínio fornecido para mais de 200 empresas, incluindo boa parte dos maiores fabricantes mundiais de automóveis, confessou mais um novo caso de falsificação de dados de qualidade.



Desta vez, o caso envolve a produção de aço, que estaria fora dos padrões estabelecidos pelo governo do Japão. De acordo com a Kobe Steel, o aço produzido não atendia às especificações nacionais, mas cumpriam os níveis de segurança e qualidade. O que acontecia é que o produto vendido para as montadoras e outros clientes estavam abaixo do acordado entre as partes. Ou seja, a japonesa vendeu um produto de qualidade inferior à fechada com os clientes.

Sem cumprir os acordos comerciais com seus clientes, a Kobe Steel não quais padrões industriais foram violados. Anteriormente, a empresa havia revelado que dados falsificados eram relacionados apenas com alumínio e cobre fornecidos aos clientes. Agora, a companhia diz que algumas das empresas afetadas pela compra do produto adulterado, estão buscando as siderúrgicas concorrentes.

Diante da enorme repercussão, dentro e fora do Japão, o Departamento de Justiça dos EUA já está investigando possíveis riscos na segurança de produtos feitos com o aço da empresa japonesa. Pelo menos quatro fabricantes de veículos indicaram que não detectaram problemas de segurança em seus carros feitos com o material comprado da Kobe Steel. A siderúrgica nipônica também disse que não conhecer relatos de problemas causados por alumínio, cobre e aço fornecidos aos clientes.

No caso envolvendo qualidade inferior à proposta em acordo com os clientes, o governo japonês disse que se trata de um assunto entre empresas, mas quer estar ativamente envolvido e considera como “lamentável” a prática da Kobe Steel no mercado. Da mesma forma que o governo americano começa a investigar o alumínio usado na indústria aeroespacial, a União Europeia também se posicionou sobre o assunto, recomendando aos fabricantes de aeronaves que evitem adquirir alumínio e outros metais da Kobe até que inspeções comprovem que não há risco à segurança por conta da fragilidade do material.

Desde o dia 8 de outubro, quando estourou o escândalo do alumínio adulterado, a Kobe Steel perdeu US$ 1,6 bilhão e suas ações caíram 40% na Bolsa de Tóquio. A companhia japonesa atua em diversas áreas da indústria metalmecânica, siderurgia, química, robótica e energia, por exemplo.

[Fonte: Estadão]

  • Deadlock

    Japonês safado, aguardando haraquiri…

  • invalid_pilot

    Takata e agora esse escândalo do aço, se no Japão rola isso, imagina a qualidade das nossas carroças.

    • Cesar

      Tem o da Mitsubish também.

  • Ricardo Blume

    Lava Jato neles! No Brasil estamos acostumados com escândalos agora imaginem a repercussão de casos assim por lá.

    • Xtodos

      Não precisa.
      Um simples processo investigatório se mostrou suficientemente eficaz naquele país.
      Só no Brasil que precisa criar um equipe especial para investigar e fazer cumprir as leis, caso contrário, acabaria em pizza e maior oba-oba.

      • Paulo Júnior

        Tanta eficiência que é escândalo atrás de escândalo, só os moradores da internet que acha que só existe a humanidade no BR né….

        • Xtodos

          Não há nem o que comparar.
          É só verificar a quantidade de escândalos nas mais de 1.000 operações da PF nos últimos 3 anos.
          Lava Jato é o maior deles, sem dúvida. Mas os escândalos em nosso país tem proporção muitos maiores e das mais diversas naturezas possíveis.
          E outra, pode ter certeza de que os responsáveis por este escândalo da Kobe Steel serão punidos adequadamente. Diferente do que acontece no Brasil.
          Aqui que tem dinheiro passa por cima das leis.
          Nossa suprema corte é motivo de piada e chacota por décadas. E o que vimos no caso do Aécio apenas ratifica o fato.
          Porque achar que estamos em condições de julgar a condições de outros países?
          Nós, brasileiros, temos mais é que nós calar na humildade daqueles que colhem os frutos amargos que a própria sociedade plantou, fazer a tarefa de casa da cidadania, o dever da moralidade como indivíduo, principalmente dentro do lar, para somente então termos condições de julgar os problemas de outros.
          Falar dos escândalos mundo a fora é o mesmo que apontar o cisco nos olhos de outros e não enxergar o travessão à nossa frente.

          • Cesar

            Lava jato é só a ponta do iceberg. Cade o eletrolão?

            • Ricardo Blume

              Eletrolão, Correios, Copa, Olimpíadas, transposição do Rio São Francisco…

              • Também tenho curiosidade sobre o que acontecerá no caso da OI, em que o Lula alterou a constituição para viabilizar a Supertele, com a Oi comprando a BrasilTelecom, como favorecimento, a Oi comprou a empresa GameCorp, do filho de Lula… empresa que nada faz… Acrescenta-se também a torre de celular da Oi, que atendente exclusivamente o sítio de Lula, já que não há mais nada no raio de cobertura da torre de celular da Oi na região.

                • Cesar

                  Por isso que disse que a tal lava jato era só a ponta do iceberg. Se formos abrir a caixa de Pandora, a coisa vai ficar feia.

            • ObservadorCWB

              BNDES………..

  • Leo

    O caso das aeronaves é mais sério. Há risco de fadiga estrutural precoce ou de falha catastrófica. Como lá existe lei, acredito em severas punições à empresa, quiçá comprometendo a própria existência dela.

    • Thiago Garcia de Lima

      Penso o mesmo. Pois ao contrario dos carros que trincam em determinado local e ficam fazendo barulho- quiça tunel do gol, subframe da BMW E46, fixaçao caixa direçao tempra- em indústria aerospacial a coisa é mais séria por causa da compressão-descompressão das aeronaves. Voando a quase 1000kmh o negócio desmancha do nada.

  • Pedro Henrique

    agora que as ações já caíram mais de 40% esperemos pra ver quem vai ser o comprador e descobriremos a fonte dos vazamentos kkkkkk

  • Malvino Jose Moreira Junior

    Estranho é o cliente comprar o aço e não testar a dureza etc… do Aço. Trabalhava em uma metalugica e existia o laboratorio metalúrgico! Aí tem quem compra também está levando algum! Me corrija se eu estiver errado!

    • KOWALSKI

      Com certeza o pessoal do lab levava uma mascada.

      • th!nk.t4nk

        Os proprios compradores sabiam de tudo, e deviam negociar um desconto. Ninguém é inocente na história, pode ter certeza. No Brasil também funciona assim, por sinal.

        • KOWALSKI

          Conheço o caso de um cidadão que saiu pra ”jantar” com um vendedor de máquinas pesadas, a construtora precisava de alguns ativos e ele não pensou duas vezes, fez a empresa comprar máquinas chinesas, com uma durabilidade horrível e quase sem suporte de peças e manutenção. No final das contas saíram mais caro que as máquinas da Caterpillar.

    • Marcelo Nascimento

      O que eu entendi é que a segurança não foi alterada, assim o produto passa nos testes laboratoriais, que tem padrões definidos, mas a qualidade é inferior ao acordado.

      • Malvino Jose Moreira Junior

        A entendi! Tipo você faz um combinado mais barato com a liga e chega na mesma dureza dos aços mais nobres! Valeu Marcelo!

        • Marcelo Nascimento

          Não sou especialista e deixei claro, eu falei _o que eu entendi_, não afirmei que era verdade. Então, em vez de ironizar, explica por favor: Qual a importância da dureza, que você citou? quais testes são feitos para comprovar a qualidade? O que pode ser alterado que permita uma amostra passar nos testes? Quais padrões são usados?

          • Malvino Jose Moreira Junior

            Não foi ironia ! Eu agradeci pelo seu raciocínio e só coloquei um pouco do que escultei , quando fazia suporte no laboratório detalhe na parte de informatica. Então lá no laboratório eles tem maquinas e substancias para ver como foi feito o aço etc.. Via fontes não seguras : https://pt.wikipedia.org/wiki/Dureza ,mas deve ter um resumo. Detalhe também não sou especialista de nada. Somente disse o que eu escultei lá e perguntando ao colegas. Desculpe se vc achou que foi ironia. Mas o assunto é muito bom. Um abraço.

      • André Brockhof

        Qualidade foi alterada sim, o que parece ter acontecido é que a mistura de outras ligas mais baratas faz com que em uma analise de dureza não encontre o problema, apenas uma analise metalográfica para saber os percentuais das ligas e muitas empresas não fazem o ensaio na recepção nas matérias primas acreditando no fornecedor.
        Trocar ligas é perigoso pq vc muda a estrutura do aço tornando ele totalmente diferente!

        • th!nk.t4nk

          De onde vocês estao tirando essa de “mistura de outras ligas”? Isso nao existe. Percentuais de ligas? Quer dizer de elementos químicos? De fases? Que salada. E dureza é o ensaio menos importante que há pra avaliar o comportamento mecânico de um aço plano. O que se faz é ensaio de tração, e dali dezenas de parâmetros podem ser analisados. A variaçao na qualidade do material aparece fácil sim nestes testes. O que deve ocorrer é que saia pouca coisa do range especificado na norma do cliente, mas entre eles deveria rolar um acordo pra aceitar o material mesmo assim. Sendo o desvio pequeno, em tese nao há risco mesmo. O problema seria com os clientes que nao faziam um análise decente do material e compravam gato por lebre (padrão em pequenas metalúrgicas no Brasil, Índia, China, etc). O escândalo em si foi terem a cara de pau em adotar no Japã uma prática comum em países subdesenvolvidos.

          • Malvino Jose Moreira Junior

            Lá uma vez compraram um aço da china mais barato, porem acontecia mas rebarbas nas peças forjadas , do que o outro aço mais caro.

          • Malvino Jose Moreira Junior

            por isso escrevi a dureza e etc… Mistura na liga “com outros elementos diferentes”

            • th!nk.t4nk

              Ah sim. É cara, o barato acaba saindo caro. E depois dessa dos japas, tá difícil acreditar cegamente em qualquer um viu.

  • Rodrigo

    Ah, o mercado…

  • Igor Pricandi

    O mais chocante é que os dois maiores expoentes da indústria em termos de confiabilidade são justamente Alemanha e Japão. E pelo que estamos vendo não é bem assim. Abri-se a caixinha de pandora e está lá uma grande empresa burlando e fraudando a lei. Os mocinhos não são mocinhos. São bandidos.

    • Randy Marsh

      Pelo menos lá tem lei… aqui… a Lei não existe…

    • Juarez Veras

      Te achei velho mestre. Pois é, a qualidade e a excelência fabricadas pelo marketing. Mas ainda sim eu creio que haja superioridade dos carros alemães. Não tanto quanto alguns querem fazer crer, mas ainda sim são ótimos carros. Você que foi funcionário da vw, ford e gm. E eu fui estagiário na vw e trabalhei na fiat. E tantas outras empresas. Especialmente as de metalurgia e fundição sabemos os trambiques que aplicam. Mesmo assim, os carros europeus estão um passo à frente dos demais. Os japas são bons também, e como os alemães, mas menos do que dizem ser. E assim meu amigo a banda toca. Não há verdade absoluta. Mas alguns lugares como é o caso do japão, os caras vão pra cadeia, pedem desculpas públicas e em último caso cometem harakiri. Na alemanha segundo li aqui já tem cara preso do escândalo da vw. No Brasil, bom aqui é terra de ninguém, quem pode mais chora menos. Você deve se lembrar da sacanagem encomendada pela vw e ford para ferrar a fiat. Quando lançaram o 147 ofereceram 3 anos de garantia contra ferrugem, a mesma que davam na europa. Para isso mudaram a liga e fecharam um contrato se não me engano com a usiminas, a ford e vw pagaram pra usina fazer um liga pobre em cobre. O resto da história você sabe. Em briga de cachorro grande meu amigo chiuaua não late e encolhe o rabicó. Resumindo, pensar que os mitos se desfaçam com o poder da mídia é ingenuidade. A vw não deixou de vender por causa do diesel gate, quem gosta da marca não está nem ai se ela envenena o ar. Por isso eles continuam sacaneando. Aposto que sacaneiam até nos crashtests. abração meu velho. quando for a sampa de dou um toque.

  • Antonio Macedo

    Pensei que essas coisas só acontecia por essas bandas, mas vejo está acontecendo em outras partes do mundo que se diziam ser exemplos.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend