*Destaque *Featured Crossovers Jeep Lançamentos

Jeep Renegade 2017 chega com motor flex mais eficiente e preço inicial de R$ 72.990

jeep-renegade-2017-17 Jeep Renegade 2017 chega com motor flex mais eficiente e preço inicial de R$ 72.990

Uma das principais atrações da Jeep no Salão do Automóvel de São Paulo, que estará aberto ao público até domingo (20), a linha 2017 do Renegade já está disponível na rede de concessionárias da montadora no território nacional. O crossover compacto recebeu uma série de alterações no motor 1.8 litro flex, com ênfase na eficiência energética, além de uma nova versão topo de linha para o modelo com propulsor bicombustível e novos equipamentos de série em todas as variantes.



Jeep Renegade 2017 – visual e interior

Por se tratar de um produto recente (foi lançado em 2014), o Jeep Renegade 2017 mantém o mesmo visual da linha anterior. Assim como os demais carros da linha da marca norte-americana, o utilitário-esportivo de porte compacto é marcado pela característica grade com sete aberturas verticais, além dos faróis arredondados, que se integram em uma mesma peça. Há também capô com um ressalto e o logotipo da marca na parte central, para-choque com formato robusto e acabamento em plástico preto.

Nas laterais, o destaque vai para as caixas de roda retilíneas e a linha de cintura elevada. A traseira, por sua vez, exibe lanternas quadradas, com elementos internos que remetem aos galões de combustíveis carregados pelos antigos Willys em patrulhas. O desenho em “X” pode ser visto ainda nos faróis do veículo.

Já o interior do Renegade 2017 combina as formas de um carro de passeio convencional com as de um utilitário. Há também materiais macios ao toque e uma série de “easter eggs”, como o desenho da dianteira do carro posicionado num acabamento à esquerda das entradas USB e auxiliar do sistema multimídia. Dependendo da versão, o Jeep oferece alguns itens em cor contrastante, como o aro das saídas de ar, detalhes do volante, envolto da alavanca de câmbio no console central e moldura dos alto-falantes.

Nas medidas, são 4.232 milímetros de comprimento, 1.798 mm de largura e 1.666 mm de altura, com distância entre-eixos de 2.570 mm. O porta-malas, por sua vez, comporta apenas 260 litros de bagagens. Quanto à capacidade off-road, o modelo topo de linha Trailhawk tem ângulo de entrada de 31,3º, ângulo de saída de 33º, ângulo de rampa de 22,8º e distância do solo de 223 mm.

jeep-renegade-2017-17 Jeep Renegade 2017 chega com motor flex mais eficiente e preço inicial de R$ 72.990

Jeep Renegade 2017 – equipamentos

Entre os equipamentos de série, o Jeep Renegade na versão de entrada Sport passa a dispor de porta-óculos, barras longitudinais de teto, banco do passageiro rebatível e com porta-objetos sob o assento e sistema multimídia Uconnect com tela sensível ao toque de cinco polegadas, navegador GPS e câmera de ré (no modelo com motor turbodiesel).

A versão conta ainda com airbags frontais, alarme, direção elétrica, volante com ajuste de altura e profundidade, alerta de limite de velocidade e manutenção programada, ar-condicionado, apoia-braço com porta objetos, luzes de condução diurna, banco do motorista com ajuste de altura, banco traseiro bipartido (60/40) e rebatível, volante com comandos do sistema de som e Bluetooth, computador de bordo (distância, consumo médio, consumo instantâneo, autonomia, velocidade média e tempo de percurso), controle eletrônico de estabilidade, controle de tração, direção elétrica, faróis de neblina, freio de estacionamento eletrônico, freio a disco nas quatro rodas com ABS e ganchos de fixação no porta-malas.

Há também assistente de partida em rampas (no modelo a diesel), controle de descida, Isofix para fixação de cadeirinhas infantis, controle de cruzeiro, rodas aro 16, chave canivete com telecomando, retrovisores elétricos, vidros e travas elétricas nas quatro portas, sensor de estacionamento traseiro, sistema de som com seis alto-falantes, entre outros.

Já o Renegade Longitude 2017 agora oferece porta-óculos e bancos revestidos em couro (com motor a diesel). Há também aletas para trocas de marcha no volante, ar-condicionado digital de duas zonas, banco do passageiro rebatível com porta-objeto sob o assento, câmera de ré, maçanetas e retrovisores pintados na cor da carroceria, rack de teto, sistema multimídia Uconnect com tela de cinco polegadas, comando de voz e GPS, tapetes, tomada 12V no porta-malas e volante revestido em couro.

Por fim, o topo de linha Trailhawk passa a contar com airbags laterais, de cortina e de joelhos para o motorista, faróis de xenônio, chave presencial Keyless Enter’n Go, bancos revestidos em couro e retrovisores com rebatimento elétrico. Há ainda faróis com acendimento automático, retrovisor interno eletrocrômico, ganchos de reboque vermelhos (dois dianteiros e um traseiro), molduras do painel e console na cor vermelho rubi, painel de instrumentos com tela TFT configurável de 7 polegadas, sensor de chuva, suspensão off-road com altura mais elevada em relação ao solo e teto pintado na cor preta.

Uma das grandes novidades da linha 2017 do Jeep Renegade é a introdução da versão Limited, a topo de linha entre as configurações equipadas com motor 1.8 Flex. Entre os diferenciais, há grade dianteira, capas dos retrovisores externos e barras de teto pintados na cor prata, rodas de liga-leve de 18 polegadas com pintura exclusiva e teto na cor preta. Nos equipamentos, a variante oferece bancos em couro, chave presencial Keyless Enter’n Go, painel de instrumentos com tela TFT de sete polegadas, colorida e configurável, faróis de xenônio, sensores de luz e chuva, retrovisores com rebatimento elétrico e espelho interno eletrocrômico.

Como opcional, o Renegade Sport Flex dispõe do Pack Multimídia (com câmera de ré e volante com acabamento em couro e tecla para comando do sistema de reconhecimento de voz) e Kit Segurança (airbags laterais, de cortina e de joelhos para o motorista). No Sport Diesel, há o Kit Segurança, Pacote 75 Anos (Emblema “1941 – Seventy Five Years”, bancos com tecido exclusivo, teto pintado em preto e rack de teto, grade e rodas na cor bronze) e teto solar elétrico panorâmico Command View.

O Renegade Longitude Flex conta com o Kit Segurança, teto Command View e Kit Luxo (rodas aro 18 e bancos em couro), enquanto o Longitude Diesel tem o Kit Segurança, rodas de liga-leve aro 18 e teto solar elétrico.

No Renegade Limited, a lista de opcionais inclui teto solar elétrico, Kit Segurança e Kit Tecnologia (detector de pontos cegos e sistema multimídia com tela sensível ao toque de 6,5 polegadas, Bluetooth, USB, navegador GPS e reconhecimento de voz).  Por fim, o Renegade Traihawk conta com o Kit Tecnologia e teto Command View ou My Sky.

jeep-renegade-2017-17 Jeep Renegade 2017 chega com motor flex mais eficiente e preço inicial de R$ 72.990

Jeep Renegade 2017 – motorização

Este é o ponto mais interessante da linha 2017 do Renegade. O motor 1.8 litro E.torQ Evo Flex é o mesmo usado na picape Fiat Toro. Em comparação com o usado na linha anterior, ele está 5% mais potente e 10% mais eficiente. A potência máxima agora é de 139 cavalos (7 cv a mais), disponível a 5.750 rpm, enquanto o torque subiu para 19,3 kgfm, a 3.750 rpm. Este motor está associado a um câmbio manual de cinco marchas ou automático de seis velocidades.

Entre as mudanças, houve a introdução de coletor de admissão variável (VIS), partida a frio sem tanque auxiliar, sistema Stop&Start, monitoramento indireto da pressão dos pneus (iTPMS), indicador de troca de marchas no quadro de instrumentos, pneus “verdes”, alternador inteligente, bomba de combustível inteligente e óleos de baixo atrito para motor e transmissão.

O novo coletor de admissão variável melhorou as respostas do motor flex em baixas rotações. Segundo a marca, estudos com  os consumidores apontam que em 80% do uso urbano o motor opera abaixo de 2.000 rpm. Agora, são dois coletores em um só: até 4.000 giros, o ar que vai para os cilindros passa por um caminho mais longo, favorecendo o torque. Acima dessa rotação, uma aleta é acionada e faz o ar percorrer um trajeto mais curto, gerando mais potência.

Já o sistema Stop&Start consegue desligar o motor em paradas de semáforo ou engarrafamentos, e religando-o assim que o motorista solta o pedal do freio (nos modelos com câmbio automático) ou a embreagem é pressionada (com a transmissão manual). Esse recurso pode ser desligado através de uma tecla no console e inclusive não funciona em algumas situações, como motor frio, veículo em rampa, bateria fraca e cinto do motorista desafivelado, entre outras. E a partida é dada sem ação do motorista se o motor estiver desligado por mais de três minutos e se o ar-condicionado estiver ligado (nesse caso, a parada é limitada a um minuto).

O sistema eletrônico de partida a frio dispensa o tanquinho auxiliar de gasolina. O recurso aquece o combustível dentro do tubo distribuidor e entra em ação sempre que a temperatura é inferior a 16ºC e há mais de 70% de etanol no tanque.

Os pneus “verdes”, por sua vez, diminuem a resistência de rolagem e são capazes de reduzir o consumo de combustível em até 2%. Além disso, eles são menos ruidosos e têm desempenho mais constante ao longo da vida útil. Junto a eles (ou melhor, do ABS e do controle de estabilidade) há o sistema de monitoramento da pressão dos pneus, que avisa pelo quadro de instrumentos quando um deles está murcho.

Outro recurso introduzido no Renegade Flex é o modo de condução Sport, posicionado logo acima dos comandos do ar-condicionado no painel, que melhora as respostas do carro.

O Jeep Renegade está disponível também com o motor 2.0 litros Multijet a diesel, de 170 cavalos de potência, a 3.750 rpm, e 35,7 kgfm de torque, a 1.750 rpm. Junto a ele está uma transmissão automática de nove velocidades e tração nas quatro rodas.

jeep-renegade-2017-17 Jeep Renegade 2017 chega com motor flex mais eficiente e preço inicial de R$ 72.990

Jeep Renegade 2017 – preços

Confira abaixo os preços da nova linha do crossover compacto Jeep Renegade:

Jeep Renegade 1.8 Flex MT5 2017: R$ 72.990
Jeep Renegade Sport 1.8 Flex MT5 2017: R$ 79.490
Jeep Renegade Sport 1.8 Flex AT6 2017: R$ 85.990
Jeep Renegade Longitude 1.8 Flex AT6 2017: R$ 90.990
Jeep Renegade Longitude (teto*) 1.8 Flex AT6 2017: R$ 97.790
Jeep Renegade Limited 1.8 Flex AT6 2017: R$ 97.990
Jeep Renegade Limited (teto*) 1.8 Flex AT6 2017: R$ 104.790
Jeep Renegade Sport 2.0 Diesel AT9 4×4 2017: R$ 115.990
Jeep Renegade Longitude 2.0 Diesel AT9 4×4 2017: R$ 123.490
Jeep Renegade Trailhawk 2.0 Diesel AT9 4×4 2017: R$ 136.990

* versão com teto solar panorâmico Command View

Galeria de fotos do Jeep Renegade 2017

COMPARTILHAR:
  • Hen_Par

    Será que melhorou desempenho e consumo?

    • Christian Balzano

      Em teoria sim. Quero saber na prática. Esse motor já deu o que tinha que dá. Tão empurrando até o limite, enquanto as vendas continuarem pau a pau com HR-V… que também tem o mesmo motor do Civic 8th 2006, mas ninguém fala.

      • fredggp

        Christian, para a proposta do carro este 1.8 l da Honda empurra até bem, cerca de 10,5 s no 0-100 por exemplo. O esportivo da Renault, o Sandero RS, faz isso apenas um segundo a menos, então….Além de ser bastante econômico.

        • Christian Balzano

          Não sabia desse dado, mas poderiam botar o 2.0, ia ser imbatível.

          • Gustavo73

            O 2.0 também antigo? Era melhor colocar o 1.0T.

            • ViniciusVS

              Por experiência própria com um Civic LXS 1.8 AT 2013 e um EXR 2.0 AT 2014, o 1.8 bebe menos e anda quase a mesma coisa.

              Acredito que fizeram esse 2.0 mais pelo psicológico do consumidor comum, pois o Corolla tinha opção 2.0 e o Civic não.

              Um outro canal inclusive fez o Teste no dinamometro ( que alguns dizem ser duvidoso…) e o Civic 1.8 Manual rendeu 151cv e 18,2 kgfm enquanto o 2.0 AT rendeu 155cv e 19,9kgfm.

              2.0 no Hrv vai fazer ele consumir mais e na prática não vai melhorar o rendimento como os consumidores esperam, até mesmo porque o perfil de quem compra Hrv é outro.

              • Darwin Luis Hardt

                pensava que o civic com 5 pessoas + bagagem motor 1.8 ficaria bem lento pra arrancadas e ultrapassagens ao comparar com um 2.0 que continuaria ainda com vantagem como se fosse um 1.8 quase vazio.

                Não?

              • Rafael

                Eu tive outra sensação. Tinha um Civic 1.8 AT 2010 e dirijo um 2.0 LXR 2.0 2014. O 1.8 bebia mais na estrada e era equivalente na cidade. já o desempenho é outro nível. É notório a maior força em baixos e médios rpms no 2.0

                Claro que devem ter melhorado o 1.8 de lá pra cá, mas eu achei o 2.0 realmente mais agradável.

                • GPE

                  Exatamente! Vc ta certo

                • Edson Fernandes

                  Mesmissima sensação a minha!

                • ViniciusVS

                  O Civic 8th foi o primeiro Flex e é muito beberrão mesmo, mas a Honda melhorou isso no 9th deixando o 1.8 bem mais econômico.

                  Convivendo com os dois principalmente na cidade tanto o 1.8 quanto o 2.0 sofre por não ter torque em baixa, porém o 1.8 conseguia ser bem mais econômico que o 2.0

                  • fredggp

                    ViniciusVS, era impressionante mesmo como bebia a 8th geração do Civic…..como bebia.

              • Verdades sobre o mercado

                2.0 vai melhorar o desempenho pois tem mais torque, vai trabalhar mais solto. Quanto ao perfil, boa parte dos compradores de HRV vieram do Civic.

              • GPE

                Sou o segundo a discordar de vc. Minha ex namorada tinha um LXL 13 1.8 AT e eu tenho um LXR 15 2.0 AT. Na tocada diária o 2.0 entrega torque mais cedo, fazendo com que o motor nao precise subir tanto giro como o 1.8. E em aceleração plena, a diferença tbm é perceptível. Sao 15 cv a mais (11% a mais de potência)

                Sobre consumo, nunca comparei os 2 em trechos idênticos, mas nao tenho o q reclamar.
                Na cidade faço 8,5 com trânsito moderado e na estrada andando a 110 com ar o carro nunca fez menos que 14,5 na gasosa, sendo que o normal é fazer 15 a 15,4 (tenho um trecho de teste padrão q já deu 16,5 uma vez). Apenas por referência, uma 320i 14 faz consumo similar, sendo pouca coisa mais econômica nesse mesmo trecho (média de 15,8 e pico de 17)

              • Edson Fernandes

                Cara… te digo tranquilamente com base no ex Civic de meu cunhado AT LXS 2008 e o LXR 2.0 2015 de minha ex chefe: O 2.0 tem MUITO mais torque em baixa rotação. Confesso que esperava mais performance em alta rotação.

                Porque vc sente uma força interessante em baixa e imagina que em alta ele vai responder bem mais, mas não é exatamente a sensação que ocorre. Ele vai ter mais desempenho? Sim, sem duvidas, mas não é aquela mudança tão mais forte que em outros modelos.

                Agora… entre um e outro… como me agrada a condução em baixa rotação com bom torque, eu iria preferir de longe o 2.0 por mais que ele não seja tão brilhante em alta (e nesse aspecto pelo 1.8 não ser tão brilhante em baixa a expectativa em alta é legal pq daí ele responde muito bem da forma em que vc extrai potencia). Enfim, opinião minha claro…

                • ViniciusVS

                  Convivendo com os dois principalmente no meio urbano o principal é o consumo que no 2.0 é bem ruim em comparação com o 1.8, vale lembrar que o 1.8 9th ficou mais econômico que o 1.8 8th e tem algumas diferenças, claro que saindo do 2008 para o 2015 a diferença é bem grande.

                  Na cidade eu não senti esse aumento absurdo de torque, o cambio patina e acho a resposta do carro bem lenta, ele grita e não desenvolve, o 1.8 fazia a mesma coisa porém era mais econômico então era aceitável.

                  O 10th não dirigi e não sei como se comporta, provavelmente melhoraram esse motor.

                  Mas o 2.0 com somente 19kgfm não é essa maravilha toda não.

                  • Edson Fernandes

                    Por isso eu disse que é minha opinião. E o interessante é que a minha ex chefe andava quase smepre com o Eco ativo. Ou seja… era incrivelmente superior ao meu ver perante o 1.8 que para mim era bem manso em saidas e ao menos o de oitava geração era bem beberrão se comparado ao 2.0.

                • Luis_Zo

                  Não é que o 2.0 tem muito mais torque em baixa. Ele tem uns 2kgf.m a mais que o 1.8 a 3000rpm, o que é considerável sim. Entretanto o carro também é mais pesado, eles ficam com o peso/potencia muito parecidos (o 2,0 levemente melhor).

                  Mas uma grande diferença ta na relação de marchas. O 2.0 tem relação mais curta. A relação mais curta entrega muito mais sensação de “força” do que o “valor de torque” disponível.

                  Essa é a relação de marcha do civic 2.0 AT,
                  1° 2,65
                  2° 1,52
                  3° 1,08
                  4° 0,77
                  5° 0,57
                  Diferencial: 4,56
                  Civic 1.8 AT:
                  1° 2,66
                  2° 1,53
                  3° 1,02
                  4° 0,72
                  5° 0,52
                  Diferencial; 4,44

                  • Edson Fernandes

                    Mas olhando assim, a diferença notavel é mais relacionada da terceira em diante. E tendo mais torque melhor a forma de extrair.

                    Por isso que provavelmente o motor 2.0 junto ao cambio CVT seja bem interessante em consumo, ainda que nenhum modelo 2.0 tenha conseguido as boas médias de Focus (injeção direta) e Corolla. (esse ultimo realmente foi mto bem feito)

                    • Luis_Zo

                      Concordo. A calibração do CVT do Corolla é acho que a mais top disponível no nosso mercado.

                      O que eu acho mais legal foi a modulação que eles fizeram pra acelerações tipo 0-100km/h. Ele joga no torque máximo, acelera até certa velocidade, passa pra potencia máxima e um pouco antes de atingir os 100 faz uma simulação de troca de marcha.

                      Se não tivesse a simulação ele até seria uns milésimos mais rápido, mas concordo que assim ficou até bem “divertido”. E eu sou a favor dessas interações usuário x sistema pois acredito que elas ajudam na adaptação das pessoas a coisas novas.

                    • Edson Fernandes

                      Sem duvida. Eu particularmente me agrado por ter um CVT “comum” pelo fato de rodar em baixos giros, mas não abro mão de ter o modo sequencial para quando quiser simular.

                      Foi por esse motivo que descartei a compra do Sentra que não possui tal opção.

              • saulo

                Irão colocar o 2.0 qdo a concorrencia colocar, caso contrário o 1.8 empurra muito bem alinhado com o cambio CVT, pelo menos só tenho lido boas coisas a respeito.

                • ViniciusVS

                  E é mais econômico que o 2.0

                  Nem todo consumidor busca o melhor desempenho possível, quem usa o carro em meio urbano vai achar muito mais satisfatório o 1.8

            • Franco da Silva

              Brasileiro não pode ver as siglas 2.0 e V8
              Já saem achando sempre que é um bom negócio!

              • Gustavo73

                Se fosse ao menos um GDi. Mas os motores aspirados da Honda aqui são SOHC ainda. Longe de ser ruim, mas não são modernos como alguns imaginam.

                • ViniciusVS

                  A Honda deveria usar os seguintes motores:

                  FIT:

                  DX: 1.5 Earth Dreams 130cv
                  LX: 1.5 Earth Dreams 130cv
                  EX: 1.5 Earth Dreams 130cv
                  EXL: 1.5 Earth Dreams 130cv ou 1.0 TurboFlex

                  City:

                  DX: 1.5 Earth Dreams 130cv
                  LX: 1.5 Earth Dreams 130cv
                  EX: 1.5 Earth Dreams 130cv
                  EXL: 1.5 Earth Dreams 130cv ou 1.0 TurboFlex

                  Wrv:

                  DX: 1.5 Earth Dreams 130cv
                  LX: 1.5 Earth Dreams 130cv
                  EX: 1.5 Earth Dreams 130cv
                  EXL: 1.5 Earth Dreams 130cv ou 1.0 TurboFlex

                  Hrv

                  DX: 1.5 Earth Dreams 130cv
                  LX: 1.5 Earth Dreams 130cv
                  EX: 1.5 Earth Dreams 130cv
                  EXL: 1.5 Turbo 173cv
                  Touring: 1.5 Turbo 173cv

                  Civic:

                  Sport: 1.5 Turbo
                  EX: 1.5 Turbo
                  EXL: 1.5 Turbo
                  Touring: 2.0 Turbo

            • leomix leo

              Mais interessante o 1.5T, deveria deixar ele um foguetinho…

              • Gustavo73

                Aí seria quase um Si.

                • leomix leo

                  Acho que no novo Civic Si, vão tirar entre 204/220cv desse motor.
                  Não nego que sou apaixonado pelo Civic, tenho um 2011/12 e trato com muito carinho, fico imaginando ele com um motor desses 1.5T, mais estou investindo em um imóvel para conforto de minha família, o carro fica pra depois, aí vou babando os Civic da nova geração na rua, hoje mesmo vi um branco Touring, é estranho a primeira vista, mais ao obeservar ele com jeito, o carro é muito lindo, tem quem fale mal das grandes lanternas, mais elas conversam com a traseira do carro. Um p na ser tão caro aqui no Brasil, como todo carro é claro.

                  • Gustavo73

                    Acho que o SI com m o 1.5T deve ter 215/230cv vamos ver o torque, mais perto dos 30kgfm ficaria bem legal. Sobre o desenho já vi alguns, mas ainda não me acostumei com a traseira. É óbvio que um imóvel é muito mais importante que um carro, por mais que gostemos de carros. Sobre oa preços no geral nem precisamos falar nada.

        • Thiago

          2,5. O RS faz 0-100 em 8s, BEM diferente de 10,5.

          • fredggp

            Parece que este valor é o de tabela, não? O medido é próximo a 10 segundos. O que não invalida o pensamento acima discutido, pois o HRV não é um esportivo…. veja no link abaixo:

            EDIT: Digite no google: comparativo Sandero dynamique vs Sandero RS, o RS fez em 10 segundos…

          • fredggp

            Faz em 10 segundos não em 8 (http://quatrorodas.abril.com.br/testes/comparativo-sandero-dynamique-x-sandero-r-s/). Isso é dado de tabela e não muda a linha de pensamento de que o HRV não é um esportivo e mesmo assim faz em menos de 11 segundos, suficiente para a categoria.

          • fredggp

            Faz não, isso é dado de tabela. Faz em quase dez segundos e não em 8 De qualquer forma não muda a linha de pensamento de que o HRV não é um esportivo e mesmo assim faz em menos de 11 segundos, suficiente para a categoria.

            • dogmarley

              amifo vc está equivocado: o RS faz em torno de 8s à 8,5, sim
              na casa dos 11s fica o sandero 1.6

              • fredggp

                A medição do Carplace deu 9,1 segundos…..a do HRV da 4rodas 10,3s. Não está bom para um carro alto?

                • Kyozuki

                  9,1 s foi o Sandero RS no teste Carplace, o HR-V no teste Carplace fez 10,5 s. Na 4 rodas o Sandero RS fez 10 s com gasolina.

                  • fredggp

                    Foi o que disse…

                • dogmarley

                  no modo SPORT o desempenho melhora e cai pra 8,5s
                  4 rodas é sempre polêmica…mas 10,3 está bom, sim, para um carro de câmbio CVT

            • Thiago

              Faz 9,5 nos testes “saindo de ponto morto”, e chega a bem perto de 8 na prática numa partida “normal”.

              Não considero 11 “suficiente pra categoria”, o Renegade diesel faz menos e eu considero o mínimo aceitável em termos de desempenho, mas cada um tem um ponto de vista em termos de desempenho.

              • fredggp

                Thiago, o Renegade, mesmo o a Diesel, já faz um 0 a 100 num tempo MAIOR que o HRV. Não tenho um Renegade para testar, mas nos testes de revistas, programa de televisão e sites as informações são de que este possui uma dinâmica inferior ao Honda, talvez pelo peso. A informação que tenho, da revista Quatro Rodas (acredite se quiser, não é o foco aqui discutir legitimidade) é que no último teste antes do desmonte obtiveram 10,3 segundos no 0-100 no HRV. É claro que estamos falando apenas de 0 a 100 e que num carro se observa muito mais do que isso. Mas dinamicamente o HRV atende, ou você espera um comportamento de esportivo? Na minha opinião, para a categoria está bem sim.

                • Kyozuki

                  Não, o Renegade 2.0 turbo diesel AT9 fez em 10,3 s no teste Carplace, segundo Carplace o HR-V 1.8 CVT fez em 10,5 s.

                  • fredggp

                    Kyozuki, não importa, o pessoal está se atendo a número de zero a cem entre um crossover compacto e um carro de nicho esportivo. O que quis dizer é que tanto o HRV, e agora, o Renegade Diesel tem desempenho mais que suficiente para este tipo de veículo mais familiar…

                • saulo

                  É simples, querem ver qual anda mais, é só ver o programa do Rubens Barrichello, o acelerados, ele fez a volta rapida com HR-V, Renagade e Ecosport, nao deu nem graça HR-V levou muito fácil, inclusive foi mais rápida que o próprio Civic 2.0 em mais de 1 segundo na volta rápido, acredito que muito em razão do cambio

          • Kyozuki

            Faz em 9,1 s com etanol(Carplace), e 10 s com gasolina(4 rodas).

        • dogmarley

          1s é muita coisa!

          • fredggp

            Depende do que você está comparando…

        • Serkot

          Sandero RS 0-100 8,0 segundos…
          Isso é 1 segundo?

          • fredggp

            Não é 8s….

      • Austin&Katya

        Pessoal tem mania de achar que motor é ruim por ser antigo… Palio fire tem motor antigo e anda muito pra um 1.0… Ônix 1.4 também anda muito… Cobalt 1.8 também anda muito… Jetta 2.0 8v também anda muito… Fiat Linea também anda muito… Corolla também anda muito… Todos esses tem motor antigo e anda muito… O que importa é o motor ser economico e entregar desempenho, dane-se se for velho ou novo…

        • Davi Millan

          Bom, tudo depende do preço que vão pedir e o consumo. O Jetta 2.0 8v por exemplo anda bem até, porém anda o mesmo que um Cerato 1.6 mas gasta bem mais que esse.

        • Verdades sobre o mercado

          O Linea até que anda bem (na estrada), agora Palio Fire anda muito ? Jetta 2.0 8v anda muito ? os outros não vou nem discutir pois não andei, mas o Palio Fire tem desempenho adequado para a proposta do carro (apenas adequado, portanto não anda muito) e o Jetta 2.0 8v é a antítese do Jetta 2.0 TSI, um é um foguete, o outro é uma tartaruga … (o MT é uma tartaruga acelerada). Quanto a motor ser velho ou novo concordo, pois o motor 1.6 8v da VW é um dos melhores motores para uso na cidade (baixa rotação) pois tem uma resposta que poucos concorrentes mais modernos tem. Os jurássicos motores 1.0, 1.4 e 1.8 GM da linha 2017 também estão provando isso, pois entregam um desempenho adequado com boa economia.

          • Austin&Katya

            Esqueci de mencionar o motor 1.6 da VW… Já dirigi uma saveiro com esse motor e achei o desempenho brutal… E esse é outro motor que as pessoas dizer ser inadequado kkk

            • Verdades sobre o mercado

              Brutal é exagero, mas como comentei o VW 1.6 8v tem um torque muito bom em baixa rotação.

              • Austin&Katya

                Brutal porque anda mais do que um Corolla 1.8

        • Cristiano_RJ

          Cara, o Palio anda muito para um 1.0? Você já teve acesso antes a algum teste de pista do Palio e seus concorrentes? É ridículo! Zero a 100 km/h em mais de 18 segundos! E sem ser mais econômico que os rivais. Uma vergonha!

          Jetta 2.0 8V anda muito???!! Você já… ah vá! Esquece…

          • Edson Fernandes

            Cara… na boa… MAS NÃO É POSSÍVEL que a pessoa tenha ANDADO em outro compacto ou outro sedan médio… porque na boa… não é possível. Mas isso demonstra o motivo de compra de um Mobi por exemplo: Para o brasileiro comum, como ele não testa os concorrentes, vai sempre achar que todos andam igual e é por isso que o mercado por vezes fica da forma que está.

            Ainda que felizmente os lideres tenham alguma atualização significante (como o Onix com cambio de 6 marchas ou os demais com motores 3 cilindros).

            • Cristiano_RJ

              Pois é, por isso que digo: via de regra o brasileiro não compra carro; compra marca.

            • tiago

              O palio fire gasolina 2004 era bem espertinho, mesmo comparando com os concorrentes da época, mas a cada atualização o motor fire foi ganhando potência, mas essa potência deve ficar escondida, pois o desempenho só piorou.

              • Edson Fernandes

                Perfeito! Alias, vamos voltar nisso: Os primeiros Fires que vieram em Palio e Uno eram MUITO melhores. Mais gostosos de rodar em baixa, esticar e conseguir um ar em alta, hoje são ruins a partir de média e alta. Além de ruidosos e pouco elasticos (e consumo alto).

          • Austin&Katya

            Pode não andar bem na pista, mas anda bem na cidade, em trânsito real do dia a dia e ele faz bonito…

            • Cristiano_RJ

              A pista é o local seguro onde se reproduz um experimento em ambiente controlado. Os carros testados são carros de rua, para serem utilizados em trânsito real no dia-a-dia. Não são carros de pista. Logo, o objetivo dos testes não é ver quem anda bem na pista. É avaliar a capacidade de aceleração e retomada, o que dá uma boa medida de como um carro de rua se comportará no dia-a-dia. Volto com a pergunta, esse conceito é assim tão difícil de entender?

              • Austin&Katya

                É, mas eu não sou nenhum piloto de corrida pra ficar andando com carro em pista, então eu só me interesso em conhecer o comportamento dele no trânsito, onde usarei ele… Esse conceito de “pista” pra mim não vale de nada, oq vale é a a realidade dele na área urbana

                • Cristiano_RJ

                  É. Tá difícil mesmo. I quit. O Palio 1.0 anda pra kct. É isso aí. Be happy.

        • Kyozuki

          Pilotos de ficha técnica vão ter um ataque de pelanca com o seu comentário. kkkkkkkkkkkkkkkkkkk!!!!!

          • Cristiano_RJ

            Teste de pista não é ficha técnica. É um experimento conduzido de forma padronizada, com instrumentação adequada que permite observar na prática o desempenho de um modelo e compará-lo com outros. É tão difícil assim entender esse conceito?

          • Austin&Katya

            Já estão dando já kkkkk

        • Christian Balzano

          Nenhum do que você citou anda muito, nenhum. Pra piorar o Jetta 8v, 116cv pro porte do carro é manco. Só não é pior que o câmbio salva. Beberrão pra caramba. Sua relação economia x desempenho precisa ser revista.

          • Austin&Katya

            Conhecer o carro o carro apenas pela ficha técnica as vezes não corresponde muito bem com o dia dia com ele no trânsito… Eu achava que o motor 1.6 8v da VW era uma merda, mas dirigi uma saveiro no trânsito que me deixou de queixo caído… E quando dirigi um New fiesta que todos dizem que é um dos melhores 1.6, era até bom, mas eu esperava bem mais dele…
            Por isso é bom antes de comprar um carro fazer um teste drive dele é dos concorrentes antes de comprar, garando que a realidade costuma ser bem diferente dos números visto na ficha técnica…

    • Alvarenga

      Esquece, é pouco motor pra muito carro. O diesel talvez seja uma boa.

    • Kyozuki

      Com certeza, a pergunta é quanto.

  • Hater x Haters

    Esse mesmo motor na Toro não fez tanta diferença assim não.

    • Raimundo A.

      O Toro é maior, mais pesado e a aerodinâmica não ajuda. Aguardamos os testes com esse motor melhorado.

      • Cristiano_RJ

        A Toro é maior, mais pesada, a aerodinâmica não ajuda e os testes de pistas indicam que ela é ainda pior que o Renegade flex em desempenho. Ou seja, esse E.TorQ Evo não ajudou muito não. No Renegade também não acredito que fará maravilhas. Não tem jeito, com uma massa dessas a única solução eficaz é a mais óbvia: trocar o motor por outro mais potente e com mais torque.

        • Jose Silva

          Criticam tanto o motor 1.8 na TORO, mas ela é só 0,5s mais lenta no 0-100 que uma Hilux Flex. Mas como Hilux carrega um Nome Toyota ninguém fala nada, como a Toro carrega FIAT a critica é enorme. Se a Toro 1.8 fosse um Honda a galera estaria babando e elogiando.
          Hilux flex 0 -100 em 13,5s, Toro 1.8 0-100 em 14s.

          Grande diferença 0,5 segundo né gente, até porque para você piscar seus olhos você gasta mais do que isso !

          • Nitrous

            Essa comparação não tem muito sentindo, categorias diferentes. A Hilux é bem mais pesada que a Toro.

            • Jose Silva

              Tem todo sentido e você acabou de confirmar o que eu disse, como é um FIAT a crítica é enorme, como é um Toyota, Honda a categoria é diferente, blablabla

              Categoria de diferente ? Ambos Toro e Hilux são pickup que carregam 5 pessoas e levam cargas, uma um pouquinho mais que a outra e só.

              O que eu mais leio aqui é gente comentando que não pagaria por exemplo 80 mil em toro ou Renegade polo motor 1.8 e desempenho, mas quando se fala em Hilux Flex que custa 110 mil e semelhantes que andam menos que o Renegade 1.8 e praticamente igual a Toro 1.8 a conversa muda…. Mas é um Toyota, Categoria diferente, Ali não precisa de desempenho…

              Essa raiva com a Jeep e Fiat, ou por Fiat ser Jeep ou Jeep ser Fiat passa dos limites da crítica de algumas pessoas, fica claro que independente se o produto foi bom ou ruim ela comenta como torcedor de futebol criticando o produto da marca x e elogiando o produto da marca y.

              E vou além, moro em uma cidade altamente dominada por produtores Rurais e Fazendas, aqui o que mais vejo são esses tipos de carro mas com um enorme detalhe. A grande maioria das Strada você vê sujas, saveiro limpinha, Toro meio termo suja e limpa, Hilux Diesel limpaça, Hilux Flex mais limpa do que nunca assim como demais pick up. Conclusão, o cara compra uma toro e enfia para trabalhar, o cara compra uma Hilux para desfilar. Ai nego reclama do desempenho da Toro 1.8 mas utiliza uma Hilux Flex para passar a viajar com a família. HÁ HÁ HÁ !

              • Claudio

                Pelo que leio José silva as criticas são somente ao motor 1.8 etorq das Toros e Renagade…estes carros são os mais elogiados no momento.

          • Cristiano_RJ

            Então se eu criticar também o motor da Hilux flex você fica satisfeito e reconhece que a crítica à Toro procede?

          • Paulo Lustosa

            Antes 89K numa S10 Advantage a 85K numa Toro 1.8, mesmo sendo AT6.

            • Claudio

              Sem nenhuma dúvida Paulo…e se for no PJ,a GM tem descontos imbatíveis.

              • Jose Silva

                GM, FIAT e VW dão descontos fácil que chegam até 20% nessas pickup.
                A toro por exemplo tem 22,5% aqui na cidade no CNPJ ou Produtor Rural. Vale tanto para Touro ou Strada. Alias, ninguém, mas ninguém compra esses carros sem esse desconto, muita gente compra e roda 3 a 4 anos e ainda vende pelo preço que comprou, pois na hora de vender o que vale é a Fipe. Toyota aqui e Honda por exemplo não dão desconto CNPJ e nem produtor Rural, ou você paga o preço cheio ou não leva. Não sei como a Hilux vende vem, porque a S10 e Touro era para dominar o mercado pois quem compra são produtores e empresas. Mais uma prova de que utilizam Hilux para o dia a dia como carro de passeio e não para trabalho. Ninguém é louco de dar 110 mil em um Hilux para pagar 60 mim em uma Toro no CNPJ ou Produtor Rural.

                • Claudio

                  Aqui na Bahia a GM é a montadora mais agressiva nos descontos para PJ e produtor rural.Nunca conseguir comprar picapes da FIAT com descontos acima de 12% aqui em Salvador.Já tive 2 montanas,saveiro,ranger e agora estou com uma Oroch.

                  • Claudio

                    Na Fiat nunca tive negociação boa…ai desisti das picapes Fiat.

  • EJ

    HR-V e Renegade usam motores 1.8 na contramão dos tempos atuais, porém o mercado brasileiro compra,e compra bem. Quando pararem de comprar, a Honda já tem 1.5 Turbo 3 cilindros *EDIT: São 4 cilindros * (terá até o 1.0 com mesma configuração, apesar que não deve usar), e a Fiat já tem há séculos o Multi Air Turbo 1.4 vendido em outros mercados. O consumidor brasileiro que tem decidido. Não as duas fabricantes.

    • Gustavo73

      O 1.5 da Honda tem 4 cilindros. Mas não é motor para o HRV a opção seria o 1.0T.

      • EJ

        Volks que lançou 1.5 TSi 3 cilindros, né. Primeira leva dos downsized com cilindrada aumentada. kkk

        • Gustavo73

          1.5 3 cilindros é da BMW /Mini. O 1.5 da VW é só a evolução do 1.4Tsi. Lembrando que ele teve esse mais que ligeiro aumento de cilindrada por ter adotado o ciclo Miller (Atikson+turbo) que foca mais no consumo que na potência /desempenho. E continua sendo dowsinzing já que tem desempenho melhor que um 2.0 aspirado.

          • EJ

            O Dragon da Ford 1.5 é 4 cilindros tb?

            • Gustavo73

              Não, pelo que tenho lido ele é 3 cilindros. Sabemos pouco dele, esperava mais informação no Salão do Automóvel junto com o facelift da Ecosport. Nenhum dos dois deu as caras por aqui. Falam em números de potência e torque similares ao 1.6 Sigma mas consumindo menos. Há a possibilidade de ter injeção direta, mas nada além de possibilidade. Tem uns 2 anos que se cogita uma nova geração do Ecoboost (1.5/1.6) e falava-se em 3 cilindros. Sendo assim é possível que esse bloco de origem ao futuro 1.5 Ecoboost 3 cilindros assim como o 1.0 Fox (Ford Ka) é a origem do 1.0 Ecoboost (Fiesta).

              • Cristiano_RJ

                Se viesse com injeção direta já seria um alento. O 2.0 Duratec GDi do Focus consegue desempenho que nenhum outro médio com 2.0 aspirado consegue. Vamos torcer, mas confesso que não tenho muitas esperanças não. A Ford sabe que o Eco, mesmo com o face lift e as melhorias de acabamento, terá dificuldades de se manter atraente diante da enxurrada de novos concorrentes. Portanto, acredito que ela se utilizará do posicionamento agressivo de preços para poder brigar em pé de igualdade. Nesse contexto, fica difícil utilizar um Power Train mais sofisticado.

                • Edson Fernandes

                  Olha apesar disso, confesso que não acho a diferença tão gritante do Focus para o Corolla em desempenho. E olha que o Corolla tbm não tem injeção direta. Curioso é o Jetta 1.4 TSI (tiptronic) andar menos que o Focus 2.0 GDi. Esse foi inesperado na questão de 0-100(ainda que em retomadas o Jetta supere com folga).

            • Eng Turbo

              3 Cilindros

            • Kyozuki

              3 cilindros.

        • Mauro Schramm

          Segundo o VRUM, o novo motor VW 1.5 TSI possui 4 cilindros.

          • Gustavo73

            O “novo” 1.5 é um Up date Up date do 1.4Tsi continua sendo um EA211.

  • Artur Bernardes

    Para mim, o que “mata” o Renegade é o tamanho do porta-malas, minúsculo.

    • Louis

      Igual do Uno.

    • Cristiano_RJ

      Também, mas não apenas. Na versão flex, o motor faz outro estrago.

  • celso

    O modelo com a grade branca ficou muito esquisito.
    Em relação ao motor “melhorado”, certamente continuará insuficiente para o carro.

    • Martini Stripes

      Não sei pq dizem tanto sobre insuficiência.
      O público alvo não é entusiasta, o carro tem que andar e trocar marcha sozinho, ser bonitinho, e altinho.
      Já vi relatos de quem tem um 1.8 e está numa boa, a melhora será bem vinda, não fará milagre. Quer desempenho, saia dos SUV ou pega um Forester XT.

  • Lucas de Lucca

    Noooffaaa. Quanta eficiência, quanta modernidade para um motor só. Clap! Clap! Clap!

  • Martins Junior

    Agora ficou bom…5% mais potente!

  • Lucas de Lucca

    Câmbio manual igual da VW é difícil mesmo de achar.

    • Rafael Neves

      O único que achei que chegou próximo é o do Ford Ka Sedan… câmbio bem macio e preciso!

      • th!nk.t4nk

        A Ford manda muito bem em câmbio manual, mas o da VW consegue ser ainda mais macio e de engates mais curtos também.

      • Claudio

        Verdade Rafael…mas igual ao da Volks,nunca vi.

    • Louis

      Eu acho da linha Honda um dos melhores MT.

      • Edson Fernandes

        Olha… talvez me xinguem mas eu tbm gosto do cambio MT do Fluence. Mas o da Honda é bem justinho eu particularmente gosto mais do que os VW. (eu acho que o negocio no VW é a questão de encaixe…. é como dizem: “manteiga” e o da Honda precisão).

        • Edson Fernandes

          Olha, eu confesso que não daria nada para ele, mas como tenho vizinho de vaga e o dele é manual, já pude testar algumas vezes e é muito bom. (ao menos para mim)

  • oloko

    A jeep pegou a manopla do uno e colocou no renegade manual né? kkkkk

    • Lucas086

      Esse entende do que está falando…

      • oloko

        Relaxa ai Dr. automobilismo, é só uma piada infame

        • Lucas086

          Sem graça, por sinal

  • dallebu

    O câmbio manual do Renegade (assim como Toro Diesel MT6) é ótimo, macio, preciso e de curso relativamente curto.
    Talvez não chegue no nível de um câmbio VW, mas não deixa de ser ótimo.

  • Lucas

    Ainda não é o bastante. Precisaria de uns 150-160 cavalos pra um desempenho razoável com motor aspirado.

  • Marco

    Tenho um Jeep na versão Longitude flex e também um HRV ELX. Ambos automáticos e posso garantir que existe sim muita diferença na proposta dos carros. O desempenho do motor é muito semelhante, mas consigo uma média de consumo melhor no Jeep. Embora o Jeep tenha um porta malas pequeno ele transmite muito mais conforto e segurança. O seu acabamento também é melhor e mais silencioso no rodar, principalmente suspensão e ruídos internos. Ambos modelos pecam em diversos aspectos. Aliás todos os modelos apresentados no salão desse ano tem alguma crítica. Uso os dois modelos semanalmente e tanto eu como minha esposa preferimos dirigir o Jeep, principalmente pelo melhor acerto da suspensão que absorve melhor a buraqueira de SP. Uma crítica ao sistema de GPS do Jeep: Você compra o carro e tem apenas 90 dias para fazer alguma atualização, depois disso se quiser precisa pagar módicos R$ 300,00 por uma assinatura anual. Detalhe: A atualização é também é uma furada. O pior é que você não consegue atualizar nada, tem que ser tudo manualmente… Péssimo isso.

    • D01S

      Tenho um Longitude Flex também e já desisti de usar o GPS do carro, o sistema da TomTom é péssimo. Acabo usando o Waze mesmo.

      • Edson Fernandes

        Xí…. é Tomtom. Tenho um Fluence também com Tomtom… e sem exceção: A demora nas atualizações é o que me faz não querer pagar R$260 por uma atualização.

        Se ao menos ao longo do ano as atualizações fossem feitas assim como é o Maps ou o Waze… eu pagaria. E detalhe: No caso do GPS do Fluence, SE PAGA também para ter alertas de radar. Ao menos esse é possível de se fazer pelo maparadar e burlar essa sacanagem da Tomtom.

    • Racer

      Hoje em dia, uma suspensão bem acertada para a falta de pavimento das ruas, é fundamental.

      • Edson Fernandes

        Olha eu tbm concordo, mas o que mais me incomoda é que os atuais modelos focam na esportividade e te ferram para uso na cidade.

        EDIT***
        Exemplo disso é a propria HR-V que é bem durinha, apesar novamente da boa estabilidade.

    • Miguel

      O GPS do HRV também é péssimo! Não sei como funciona, se tem atualização. Na verdade, depois do Waze eu desisti de usar o GPS do carro.

      • Jose Silva

        Sempre falei, compre uma Central Multimidia decente no mercado livre, com tela maior, sistema android e windows ce, roda programas como IGO que você mesmo atualiza os mapas que o pessoal coloca na internet, coloca os radares e etc, não satisfeito usa o WAZE no próprio sistema android colocando um chip de telefone na central para ter acesso a internet. Central Multimidia nenhum de carro de fábrica presta, essas centrais no mercado livre são todas plug and play, funcionam perfeitamente para o carro como a original com tela maior e muito mais opcoes te deixando livre para fazer o que quiser.

        • Bruno_O

          Qualquer central atual com android auto ou apple carplay presta e muito

          • th!nk.t4nk

            Concordo. Pra mim Android Auto e Apple Carplay são o futuro. Sempre atualizados.

      • fredggp

        Fora que parear o celular via Bluetooth é um, desculpe a expressão, “um cocô”.

        • Marco

          Nos dois eu consegui fazer isso sem problema. tanto um Iphone quanto um Nokia com Windows Mobile.

          • fredggp

            Conseguir, consegue, mas não pareia toda vez, vez por outra falha, a musica fica sendo interrompida. Pareia com qualquer celular mas não é sempre. No fórum é um dos itens mais reclamados. Uso o Deezer e as vezes sofro para parear. O que faço: ligo o Deezer do celular e deixo sair pelos auto falantes, só depois conecto via Bluetooth quando o telefone emudece é que talvez funcione..

            • Marco

              Ainda não tive nenhum problema desse tipo.Tanto no Jeep como no HRV, uma vez pareados, nunca mais tive problemas. Entro no carro e os recursos já estão disponíveis. Não desligo o Bluetooth, deixo ligado direto tanto no celular, quanto na central. Uso todos os recursos sem problema. inclusive um dia esqueci de conectar o Pendrive com os MP3s e conectei um tablet (Android) via Bluetooh para ouvir música também sem problemas.

      • Marco

        O ideal é comprar mesmo uma central por fora e que tenha o sistema IGO. Aí sim você pode atualizar e personalizar como quer. Essas que vem de fábrica, até onde sei você precisa pagar e caro para fazer uma atualização e ficar preso ao fabricante. Eu por exemplo quando preciso mesmo do GPS uso o WAZE ou um Discovery baratinho que comprei e que tem o sistema IGO.

    • Ernesto

      Difícil de acreditar que você consegue médias melhores de consumo no seu Renegade Flex em relação ao HRV.
      Provavelmente seu HRV está com algum problema.

      • fredggp

        Pois é, pensei o mesmo.

      • Martini Stripes

        Acho que não, o CVT precisa ficar subindo giro pra fazer o que precisa, acho que se a pessoa não se adapta pode ser bem beberrão sim. Vide os Sentra que uns dizem ser econômicos outros não. Acho que é uma questão de pé.
        Mas acredito que o HRV deveria ser mais econômico tbm.

      • Marco

        Não precisa acreditar.

    • Martini Stripes

      @disqus_IGXqzkVidL:disqus

    • Claudio

      Bom ter opiniões dos donos.

  • Edson Fernandes

    É um cambio bem neutro. Muito bom de engate e nada pesado. Mas não é o mais brilhante se comparar com outras marcas. Mas nem de longe deixa a desejar. Tanto que a pessoa pode é se decepcionar com a performance.

  • Marco Aurelio

    O cambio manual do 2008 thp (e obviamente motor) não tem para ninguém no segmento.

    • Marco Aurelio

      Só o do THP os outros modelos são todos imprecisos.

  • Zé Mundico

    Eu prefiro ver e avaliar a coisa por outro ângulo:
    O verdadeiro Renegade é o que traz o motor diesel 2.0, que manda bem em qualquer situação e não faz feio.
    Enquanto que o Renegade flex 1.8 é uma versão digamos, “light” , para uso essencialmente urbano, que é a maioria dos casos.
    Já tive oportunidade de dirigir um Renegade 1.8. Realmente o bichinho parece pesado demais e bebe que nem gente grande.

  • Wesley

    Não curto essa grade prateada, mas já que resolveram colocar, poderiam ao menos terem colocado apliques na traseira (lanternas e para-choque) como na versão europeia para uma maior coerência do conjunto…

    https://uploads.disquscdn.com/images/85c38fe9a854ea645ca828b568dc03e8f0637406c57c899e56acd19ce082542c.jpg

  • Paulo Lustosa

    Linea com esse motor anda mais que o Civic 8Th Flex, vai entender…

  • Muralha Amarela

    Esses dias dirigi um pouco o Renegade 1.8, e ele parece ter um motor muito fraco, sem falar que bebe igual o Jeremias!

  • 72 MIL por um carro manual? É isso produção?

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email