Jetta Variant: versões, anos, motor, equipamentos

Jetta Variant
Jetta Variant

O mercado de peruas e minivans já teve seus dias de glórias no mercado brasileiro. Cerca de 10 anos atrás, o segmento estava acirrado e contava com opções para todos os gostos e bolsos, como por exemplo a Jetta Variant.

A Volkswagen, por exemplo, comercializava modelos como Parati, SpaceFox, Jetta Variant e Passat Variant. Atualmente, há somente a SpaceFox – a Golf Variant deixou de ser importado com a chegada do T-Cross.


Ou seja, quem estiver em busca de uma perua 0 km, vai precisar “rebolar”. Por outro lado, se a sua missão é encontrar uma excelente perua no mercado de usados ou seminovos, a Volkswagen Jetta Variant pode ser um forte candidato a ocupar uma vaga na sua garagem.

A exemplo do que acontece com o Jetta convencional em sua carroceria sedã, a Jetta Variant se sobressai pelo visual harmônico, bom acabamento interno, interessante nível de equipamentos para a sua época e faixa de preço e motor capaz de entregar um desempenho aceitável para a sua proposta.

Como você já deve saber, a Volkswagen Jetta Variant já não é mais comercializada no mercado brasileiro. A perua fez a sua estreia por aqui em abril de 2008 e deixou de ser importado em maio de 2014.

Exatamente um ano depois, em maio de 2015, a Golf Variant foi anunciada para ocupar o lugar deixado por sua antecessora.

Vale ressaltar que o nome “Jetta” foi utilizado para batizar a perua por aqui apenas pelo parentesco do modelo familiar com o Jetta sedã vendido por aqui.

Na realidade, ambos são uma derivação do Golf de quinta geração, que não chegou a ser comercializado em terras tupiniquins. Tanto é que a nova geração da perua chegou usando o nome do hatch.

Tal estratégia foi adotada pela Volkswagen para não associar a imagem da perua com a do Golf de quarta geração, que era o único modelo do dois-volumes à venda naquela época no Brasil.

Conheça agora a história e os principais detalhes da Jetta Variant:

Jetta Variant
Jetta Variant

Jetta Variant – história

A Golf Variant era uma novidade até então para nós, consumidores brasileiros. Lá fora, a perua já fazia parte da gama da Volkswagen.

De todas as gerações do Golf – estamos na sétima geração, a caminho do oitavo modelo –, somente a primeira não contou com uma versão perua. Porém, apenas a quinta geração da perua chegou por aqui.

Com o nome de Volkswagen Jetta Variant, a perua chegou para atender àqueles consumidores que não queriam a simplicidade da SpaceFox, mas que também não contavam com um orçamento tão elevado a ponto de gastar mais de R$ 120 mil num Passat Variant.

A Jetta Variant estava a um (largo) passo a frente do Golf de quarta geração que era vendido por aqui. Então, surpreendia pelo visual mais atualizado e alinhado com a identidade visual da Volkswagen.

O acabamento interno era marcado por peças com bons materiais e de desenho agradável, como o volante multifuncional herdado do Passat CC.

As primeiras unidades da Jetta Variant chegaram em versão única de acabamento, pelo preço salgado de R$ 91.940.

Esta cifra estava bem acima do cobrado pelas peruas concorrentes, como a Renault Megane Grand Tour, disponível por R$ 73,5 mil na versão Dynamique 2.0 16V automática; a Peugeot 307 SW, que custava R$ 72 mil; e a Toyota Fielder SE-G flex automática, pelo preço de R$ 85 mil.

Importada do México, a Jetta Variant era bem equipada de série. Saía de fábrica com airbags frontais, laterais e de cortina, controle eletrônico de estabilidade, controle de tração, computador de bordo, piloto automático, sensor de estacionamento traseiro, sistema de som com CD player e função MP3, direção hidráulica, volante multifuncional, ar-condicionado de duas zonas, entre outros.

Porém, a Volkswagen oferecia alguns opcionais, como bancos revestidos em couro, assentos dianteiros com aquecimento em cinco níveis e ajuste lombar elétrico, teto solar panorâmico Sky View e faróis bi xênon. Com esses recursos, o preço da perua subia para expressivos R$ 104 mil.

Sob o capô, o motor 2.5 litros de cinco cilindros movido somente a gasolina, com até 170 cavalos de potência e 24,5 kgfm de torque, atrelado ao câmbio automático Tiptronic de seis marchas e tração dianteira.

O modelo podia ser encontrado nas cores sólidas Branco Campanella e Preto Ninja, nas metálicas Azul Antilhas, Bege Trigo, Cinza Platino, Prata Reflex e Verde Nórdico e nas perolizadas Azul Grafite e Preto Mystic.

Jetta Variant

Em março de 2010, foi a vez da versão reestilizada da Jetta Variant chegar ao Brasil. Esta foi a única grande mudança que a perua sofreu durante a sua trajetória em nosso mercado.

Muitos trataram como uma nova geração, mas o modelo só ganhou uma nova cara inspirada no Golf de sexta geração.

Entre as novidades, a nova perua da VW adotou faróis mais afilados e angulosos, interligados à nova grade mais afilada.

Completa o conjunto os novos para-choques redesenhados, novas rodas de liga-leve de 17 polegadas, novo painel de instrumentos, bancos revestidos em couro, novos comandos do ar-condicionado, sistema multimídia com tela touchscreen e interior com novos detalhes de acabamento.

O curioso é que a Jetta Variant 2010 chegou com preços mais em conta que o modelo antigo. Ela passou a custar a partir de R$ 83.990, ou R$ 1.200 a menos que o preço cobrado anteriormente.

O fim da importação da Jetta Variant no mercado nacional aconteceu em maio de 2014. O modelo desapareceu do site da marca alemã e, aos poucos, foi deixando de marcar presença na rede de concessionárias.

Aí, a empresa passou a contar somente com a SpaceFox, que naquela época partia de R$ 48,7 mil, e o Passat Variant de nova geração, que custava a partir de R$ 124 mil.

Jetta Variant

Jetta Variant – detalhes

Dá para dizer que a Jetta Variant é praticamente o Jetta de duas gerações atrás com um porta-malas maior e visual um pouco mais “careta”.

Na dianteira a perua segue o mesmo desenho do sedã. As mudanças começam da coluna “B” para trás, onde o modelo recebeu um teto com linha mais reta e uma maior área envidraçada devido ao porta-malas de 690 litros até o teto.

A traseira é considerada bonita por alguns e feia por outros. Vamos combinar que as lanternas triangulares que invadem boa parte das laterais não combinam muito com o restante do conjunto.

Seria muito melhor se a perua tivesse um par de lanternas mais afiladas e invadindo a tampa do porta-malas, tal como acontece com a nova Golf Variant mais recente.

Porém, no interior, a perua da Volkswagen tem um espaço adequado para pelo menos quatro adultos e uma criança, que vão bem servidos de equipamentos e um bom nível de equipamentos. Há couro e/ou tecido nas laterais de porta, alavanca de freio de estacionamento, alavanca de câmbio e bancos.

De resto, compartilha as mesmas virtudes do Jetta sedã. A Jetta Variant recebe bem o motorista com uma boa posição de condução, com os comandos à mão e de fácil acesso. Com alguns opcionais, como os bancos em couro e o teto solar panorâmico de vidro Sky View (com 1,36 m de comprimento e 87 cm de largura e cortina com comando elétrico), o habitáculo fica ainda mais agradável.

A respeito das dimensões, a perua conta com 4,55 metros de comprimento, 1,78 m de largura e 1,46 m de altura, com distância entre-eixos de 2,57 m.

O porta-malas tem capacidade para 505 litros até o nível das janelas ou 690 litros até o teto, podendo chegar a 1.495 litros com o banco traseiro rebatido. A perua pode receber até 514 kg de carga útil.

Apesar de todas essas diferenças, a perua é só 4 kg mais pesada que o sedã, totalizando 1.466 kg. Por conta disso, o desempenho de ambos os modelos é bastante semelhante. A perua pode atingir os 100 km/h em cerca de nove segundos.

Jetta Variant

Jetta Variant – versões

A Jetta Variant foi oferecida em versão única de acabamento, sem nenhuma nomenclatura especial.

Porém, os equipamentos variam conforme os exemplares, visto que alguns podem contar com alguns opcionais ofertados pela VW na época, como os bancos em couro, faróis bi xênon e teto solar panorâmico.

Jetta Variant – equipamentos

A respeito da segurança, a Jetta Variant oferece airbags frontais, laterais e de cortina, freios a disco nas quatro rodas com sistema antibloqueio (ABS), controle eletrônico de estabilidade, controle de tração, encosto de cabeça e cinto de três pontos para os cinco ocupantes, cintos de segurança dianteiros com pré-tensionador e regulagem de altura, alarme antifurto com controle remoto, entre outros.

Já no quesito conforto, há o ar-condicionado Climatronic digital de duas zonas, vidros, travas e retrovisores externos elétricos, retrovisores externos com função antiembaçante, direção Servotronic com assistência elétrica, piloto automático, sensor de estacionamento traseiro, abertura interna da tampa do porta-malas e tanque de combustível, luzes de leitura dianteiras e traseiras, bancos em tecido, assentos dianteiros com ajuste de altura, banco traseiro bipartido, apoio de braço dianteiro, volante com ajuste de altura e profundidade, entre outros.

Quanto à tecnologia, a perua é servida com sistema de som com CD player, função MP3, espaço para até seis CDs e 10 alto-falantes, volante multifuncional com comandos de rádio e computador de bordo, entre outros. A versão reestilizada da perua tem uma central multimídia com tela sensível ao toque de 6,5 polegadas, entrada auxiliar, slot para cartão de memória tipo SD, MP3 player e 10 alto-falantes.

Por fim, no visual e acabamento, ela entrega rodas de liga-leve de 17 polegadas com pneus 225/45, dupla saída de escape cromada, bagageiro de teto na cor preta, frisos cromados na moldura das janelas e grade frontal, faróis e lanterna de neblina, bancos revestidos em tecido, detalhes internos “Antracito”, entre outros.

Jetta Variant

Jetta Variant – preços

A Jetta Variant pode ser encontrada no mercado de usados com preços médios que vão de R$ 32,8 mil, no caso do modelo 2008, a R$ 52,8 mil, no caso dos exemplares de ano 2013. Os dados são da Tabela Fipe.

Jetta Variant – motor

Durante toda a sua trajetória no mercado brasileiro, a Volkswagen Jetta Variant foi equipada com um mesmo motor. Ela tem um 2.5 litros de cinco cilindros a gasolina, montado transversalmente, com 20 válvulas.

Ele é dotado de cabeçote feito de uma liga de alumínio e silício e o desenho é baseado no motor do superesportivo Lamborghini Gallardo com o seu V10.

O propulsor traz ainda duplo comando no cabeçote com sistema de fluxo cruzado (a de admissão de um lado e escape do outro), eixo de comando das válvulas de admissão com abertura variável, entre outros.

Tal unidade é capaz de desenvolver 170 cavalos de potência, a 5.000 rpm, e 24,5 kgfm de torque, a 4.250 rpm. A transmissão é uma automática Tiptronic de seis marchas.

A Volkswagen informa que a Jetta Variant pode acelerar de 0 a 100 km/h em 9 segundos. A velocidade máxima é de 205 km/h.

O conjunto inclui ainda sistema de direção Servotronic com assistência elétrica, que se adapta à velocidade do carro. A suspensão traz como destaque o conjunto traseiro independente do tipo 4-link, composta por braços múltiplos, além de barra estabilizadora na dianteira e traseira, amortecedores com a tecnologia Nivomat (que recoloca a suspensão do carro no nivelamento normal mesmo quando ele está carregado, como se fosse uma bomba eletro-hidráulica), entre outros.

Assim como outros carros da VW, a Jetta Variant traz carroceria com soldas a laser. Vale ressaltar que ela foi produzida na mesma fábrica de outros modelos como New Beetle e Bora.

A perua possui uma rigidez torcional 60% maior que a sua versão anterior, e um trem de rodagem 80% mais robusto.

Jetta Variant – galeria de fotos

Autor: Leonardo Andrade

Leonardo atua no segmento automotivo há quase nove anos. Tem experiência/formação em administração de empresas, marketing digital e inbound marketing. Já foi colaborador em mais de sete portais do Brasil. Fissurado por carros, em especial pelo mercado e por essa transformação que o mundo automotivo está vivendo.