América Latina Mercado Segurança

Jornalista diz que nota zero do Onix no Latin NCAP é “sensacionalismo barato”

Jornalista diz que nota zero do Onix no Latin NCAP é "sensacionalismo barato"

O resultado do teste de segurança do Chevrolet Onix, promovido pelo Latin NCAP, gerou grande repercussão no país, não só pelo modelo ser líder de vendas, mas também por conta da preocupação de boa parte dos brasileiros com a segurança automotiva. No entanto, de acordo com o jornalista Fernando Calmon, da Coluna Alta Roda, a nota zero do modelo é “sensacionalismo barato”.


Segundo Calmon, os procedimentos montados pelo Latin NCAP são diferentes daqueles executados pelo Euro NCAP, onde a União Europeia obrigou seus membros à unificarem suas exigências de segurança, apesar das diferenças sócio-econômicas entre os países integrantes.

No caso brasileiro, o país não tem fronteiras livres com boa parte de seus vizinhos e nem uma moeda comum. Assim, existem diferenças nas exigências de segurança na região. Citando um teste da Ford Ranger, Calmon fala que o Latin NCAP decidiu “punir” o fabricante por vender a picape em configuração básica na Colômbia, sendo que essa opção não é oferecida no Brasil.

Ele também menciona o exemplo do Nissan March nacional, que é igual ao feito no México, mas a mudança nos protocolos – com rara consulta aos fabricantes – gera não só dúvidas no consumidor, mas também a perda de estrelas. Em caso recente, lembrado pelo NA, o Renault Clio perdeu as três estrelas por ser oferecido na Colômbia sem airbags. Após o compromisso da marca francesa em rever a segurança do modelo naquele país, o Latin NCAP manteve a classificação anterior para o brasileiro, enquanto o colombiano permaneceu sem estrelas.


No caso europeu, Calmon comenta que não se submetem a testes carros com diferentes protocolos de segurança antes de seis anos. Além disso, o Euro NCAP possui um mecanismo para diferenciar os pacotes básicos de segurança dos mais avançados, chamado Dual Rating, em que um mesmo modelo apresenta duas classificações. De acordo com a entidade: “permite gradualidade nas opções de compra, mantendo carros a preços acessíveis, mas ao mesmo tempo dando oportunidade aos consumidores de obter importantes tecnologias de segurança”.

Como já citado acima, o fabricante pode se comprometer em reequipar o modelo com baixa pontuação, mas também pode rever o teste com um veículo atualizado. Nesse caso, a marca “patrocina” uma nova avaliação para que se possa conquistar mais uma ou duas estrelas. Foi o caso do Ford EcoSport por aqui, que ganhou quatro estrelas e, após críticas do Latin NCAP, recebeu atualização e um exemplar foi cedido (daí o patrocínio) para efetuar novamente o teste, onde ganhou cinco estrelas. A entidade escolhe a unidade que irá testar.

O jornalista Fernando Calmon também fala que a entidade regional com sede em Montevidéu, Uruguai, “dramatiza” seus relatórios com frases apelativas, tais como “grande desilusão” ou “ficamos decepcionados”. Já a associada nacional, a Proteste, pede um recall com a finalidade de retirada do mercado de carros que vão mal no teste, sem previsão em qualquer legislação do mundo, finaliza o colunista, que classifica a atitude como “sensacionalismo barato”.

Por fim, ele menciona o fato de o Brasil ter a norma NBR 16204, que regulamenta exatamente o teste de colisão lateral nos veículos, a principal crítica do Latin NCAP no caso do Onix. A resolução, no entanto, entrará em vigor apenas em 18 de agosto de 2018 e ainda terá de regulamentada pelo Conselho Nacional de Trânsito, o Contran.

[Fonte: Fernando Calmon/Coluna Alta Roda]

Agradecimentos ao Kerson Neto.

Leia avaliações, notícias sobre carros e compare modelos em NoticiasAutomotivas.com.br.

Jornalista diz que nota zero do Onix no Latin NCAP é “sensacionalismo barato”
Este texto lhe foi útil??

311 Comentários

Clique aqui para postar um comentário

    • É isto mesmo, mais parece chamada da GMB para feirão, eles só pensam em nos dar alguma segurança, quando são exigidos, agora vem este Calmon falar que é sensacionalismo, quero ver se ele compraria este carro para colocar a família dele, um carro que no teste de impacto lateral, mais parece impacto num poste, então se fizer o teste num poste, o carro deverá se partir ao meio.

      • Preocupa-me a segurança dos outros populares à venda. Acredito que se saiam um pouco melhor do que o Onix, mas não muito além disso. Recentemente, precisei comprar um e comprei o Ka 2018, mas me baseei no único teste com ele, em que levou 4 estrelas no protocolo anterior. Mas não dá para saber a segurança lateral dele, nem de nenhum outro (digo HB20, Sandero etc.).

      • Deve ser igual ao celta. Sofri uma colisão lateral em um celta que tive, fraturei todos os ossos do quadril. Isso em 2012. Até hj estou fazendo fisioterapia por conta das próteses que foram colocadas. Depois disso aprendi a valorizar as estrelas.

            • É feio o trem mesmo. Mas fazer o que. É o que o dinheiro deu pra comprar até então. Negócio é correr pra poder comprar um carro mais seguro. Até porque meu carro não tem nem ABS nem airbag…

              • Alias, o que não dava pra entender na GM foi tirar a opção de ABS a partir do mod 2008 e o airbag vir somente num pacote esquisito da Maxx e não na versão Premium.
                Em 2012 troquei o Corsa Premium por uma Meriva Maxx 1.4 (essa já com Airbags, mas ainda sem ABS), na epoca não deu pra chegar no preço da Meriva Premium 2º pacote (essa sim já tinha o ABS, além do motor 1.8 e cambio Easytronic)

            • Vi o video. Tive dois Maxx 0km. Que horror. To vivo. Hoje rodo num Golf7. A sensação de segurança é muito boa. Só não devo deixar subir pra cabeça que dá M…

                • Daniel, hoje o Golf7 é o estado da arte em segurança, vc tem acesso a um seminovo por 65k ou menos. Amanhã talvez o Golf continue sendo como Golf8. Assim saimos da parelha de bois para as maquinas a vapor, depois motores a combustão e hoje hibridos plugin. Sds

                  • Amigo, estado da arte voce ja exagerou, teve o filho da fatima bernardes que bateu com um golf e o colega ficou um bom tempo no hospital, estado da arte em segurança é o tesla que quebrou a maquina que fazia o teste, o golf pro nivel do Brasil é muito bom, mas estado da arte foi muito exagero.

                    • Colega, a informação que tenho é que o rapaz que foi ferido gravemente estava deitado (dormindo) no banco traseiro de GTI, provalemente sem cinto de segurança e a cabeça voltada para uma das portas. Numa situação dessas só Deus e muita sorte. Já cometi mais de uma vez um erro desses. O motorista só teve ferimentos leves. O Golf7 hoje é o que tem de melhor montado no Brasil em segurança ativa e passiva.

                    • No Gti o rapaz estava deitado dormindo no banco traseiro por isso feriu se gravemente. O motorista sofreu somente escoriações. O Gti ficou inteiro. Melhor e mais seguro monobloco montado no Brasil. O mesmo padrão do Golf alemão. Golf7 é hoje estado da arte em automóvel e no alcance do bolso de muita gente. Eu no Golf7 me sinto seguro.

                    • A BMW serie 3 é feita no Brasil também e tem uma nota maior que a do golf, só pra voce saber, a fabrica fica em SC, caso não acredite veja no euro n cap, eu concordo com voce que é um carro muito bom e seguro, sõ discordo da parte de estado da arte que seriam pra carros extremamente seguros como citei o tesla, com questão a ser o mesmo padrão do alemão, não sei dizer pois sabemos que a VW retirou muitos equipamentos do golf, infelizmente não consta no site da latin n cap se o golf testado é o mexicano ou o nacional.

                    • O segundo Golf testado pelo Lncap e já novo protocolo foi produzido no Paraná. Foi o carro melhor pontuado pelo Lncap. O BMW catarinense ainda não foi testado. Vamos aguardar. Estado da arte significa o que há de mais atual e melhor dentro duma especialidade, engenharia p.ex.

                  • Sim, eu sei disso. Só estou falando como estamos evoluindo em segurança. Pega um crash test de 98… os 5 estrelas da epoca, zerariam hoje!
                    Assim sendo, os carros no Brasil são seguros… só que sairam das fabricas com 20 anos de atraso! :P hehehe

                    Claro que temos que escolher o carro mais seguro possivel. Eu mesmo estou estudando qual carro vou comprar, e um dos que estou aguardando é o Golf 2018. Meu medo é só o “pós venda VW”.

                    O target é entre 80-110mil. Preciso de um automatico, pelo menos 6 airbags, ESP. Mimos que é dificil abrir mão (retrovisor eletrocromico, ar dual zone, navegador de fabrica – coloquei um Aikon no Corolla dos meus pais e achei uma porcaria! e disseram que era o melhor)

                    • Exato. Rss. Vais gostar do Golf. Uma nave que já vem com 7 airbags Esc etc. desde a versão básica. Não conheço nada nem parecido.

                    • Donde vc tirou que seguro do Golf é alto deprecia muito e manutençao cara? Hoje fui no Css os quatro discos de freio estão novos e as pastilhas em meia vida com 31100km rodados em 70% cidade. Enquanto isso o Cruze da 4R precisou trocar discos e pastilhas aoa 40 mil rodados. Colega nao vá atrás de conversa de quem nao sabe nada sobre Golf7. O melhor carro que já tive anos luz na frente.

                    • E daí. O meu Focus nunca troquei nada, funciona tudo e roda macio e silencioso como novo, quase 6 anos e roda um ano com o mesmo oleo sem consumir uma linha.

                    • Depreciação do Golf? meu Highline foi avaliado num Css VWB esta semana em 70k após 4 anos de uso, paguei 85k 0km, Foram 15 mil reais em 4 anos ou menos de 20%, acha ruim? Eu não.

                    • Vai e tenta trocar por um zero Km equivalente e prepara uns 40 paus no minimo.

  • Acho que esse cara já poderia mudar de profissão… Tem que fazer muito barulho sim, a final é pela segurança do consumidor, e nenhum montadora vai se mexer a não ser que haja alguma “pressão”.
    A Latin Ncap fez um ótimo serviço á população isso sim.

    • Eu parei de ler qualquer coisa vinda desse jornalista a muito tempo que nem me lembro mais do motivo. Não pelo fato de não concordar com algumas coisas que ele fala, até porque ele tem esse direito, mas não concordo quando argumentos esdrúxulos são postos como a última palavra, sendo essa última a pá de cal. Acho que ele deveria se aposentar logo e deixar o setor para quem vem aí.
      Tudo bem que o Latin NCap é meio sensacionalista nas suas citações, mas será que não é pra ser? Talvez assim possamos colocar a segurança na cabeça dos consumidores cada vez mais e demonstrando que a segurança viária deve ser levada a sério e não devemos comprar “caixões sobre rodas”.
      Eu mostrei o crash test para minha vó de 83 anos. Ela mesma falou que mais vale comprar um carro usado (ela nunca teve um carro usado) de melhor qualidade que essas coisas (depois mostrei o Up! como exemplo bom). Se uma senhora de 83 anos pensou assim, então a falta de informação é um dos problemas que faltavam, que o Latin NCap vem ajudando a clarear as mentes dos compradores.
      Eu mesmo tive um J3 que uma semana após os resultados troquei de carro.
      Sobre os modelos não vendidos aqui… Esse senhor…
      O nome é Latin NCap e não Brasil NCap!!! Sendo que vidas são vidas em todos os lugares, agora se a Ford não oferece o modelo no Brasil e somente na Colombia, que a Ford patrocine um teste com modelos vendidos no Brasil caso ela não queira ter o modelo queimado, sem falar que o Latin ncap testa sempre os modelos básico para “forçar” as montadoras a inserir cada vez mais equipamentos de segurança nos seus carros básico, pois isso é o mínimo que se espera de um carro que mantenha a dignidade da pessoa humana não a colocando em risco.
      Sinceramente, a semelhança entre essa matéria do Calmon e o 0nix é que ambos são um “vexame” (usando do sensacionalismo do Ncap), pois ao invés de não recomendar o veículo, prefere atacar o Ncap. É assim que jornalistas perdem prestígio!

    • Exato. O Calmon que vá pastar. Senão teremos sempre os pés de boi na entrada que, diga-se de passagem, são carros que jamais entrariam na Europa ou EUA.

              • Também o acompanho. Gosto do clima jovial e bem humorado do Acelerados, mas sinto falta das matérias do antigo Vrum na TV. Felizmente, o portal do Emílio supriu essa lacuna. Sempre acompanho suas avaliações.

              • Bem, essa é a sua opinião. A minha é exatamente o contrário. Ele foi o primeiro a criticar a falta de apoio de cabeça e cinto de três pontos para o 5º passageiro. Suas avaliações são padronizadas, os textos são pensados para que os vídeos não fiquem excessivamente longos. E em todos eles ele SEMPRE ressalta os pontos fortes e fracos, sem exceção. Não sei porque você diz que ele é parcial. E se não tivesse prestígio, não estaria sendo convidado para eventos e bancas de avaliações por veículos de comunicação e marcas. Quanto a TV, o programa VRUM era independente. É necessário um patrocinador para o tempo de televisão e após a crise, eles não conseguiram se manter no ar. O Acelerados veio com uma linguagem mais jovem e atual e acabou abocanhando o espaço. Mas isso não tira a qualidade das avaliações do Emílio. Continuo discordando de você. Mas fique à vontade para manter sua posição.

                • Ok, com todo respeito amigo, mas cada um tem uma posição. Continuo afirmando que ele tem tanto valor e reconhecimento que está hoje no limbo da web.
                  Ele não é o pior mas pra ficar ruim tem que melhorar muito.

                    • Amigo, não sou apenas eu que diz que ele é ruim. Poucos o defendem e a verdade é que ele é tão bom que caiu no limbo. Se fosse tão bom assim teria sido aproveitado em outro meio de prestígio.

          • Qual é o problema em falar bem daquilo que se gosta ?
            Quando um jornalista avalia um carro, é evidente que o parecer dele acerca do veículo testado será influenciado pelo gosto.
            O problema não é esse, mas, sim, quando o jornalista é capacho das montadoras como o Calmon, já o Emílio nunca me pareceu dessa laia.
            O fato de estar fora da TV trás mais prestígio a um jornalista da área do que estar nela.

            • Amigo, não se ofenda, um jornalista não pode ser parcial. Coisa que o Emílio velhaco não sabia disfarçar e muitas vezes falou mal do que era ruim por puro gosto pessoal. Outra, nem jornalista ele é, é apenas um entendido do mercado automotivo.
              Saiu da TV sim e não retornou até hoje porque se desvalorizou não agregando valor nenhum. Difícil ver alguém que gostasse dele.

    • Pois é… Já deixo de acompanhar o Alta Roda a muito tempo, exatamente por esses argumentos esdrúxulos!
      Como ele disse que é sensacionalismo a forma com que o Latin NCap cita os testes, só digo que ainda bem que são, pois talvez assim seja possível colocar na cabeça das pessoas o quão importante é a segurança.
      O 0nix é um vexame sim e não tem nada o que fazer para mudar. O Latin NCap está trazendo transparência sobre a segurança dos nossos carros e não importa as diferenças entre os países, todo carro deve ser seguro sim!

  • O Latin Ncap tem uma reputação muito ruim, com mudanças frequentes nos testes, e modelos com resultados relacionados a testes diferentes.
    Mas 0 estrelas é algo crítico.

    • Concordo inteiramente. O Latin NCap merece questionamento e uma avaliacao mais tecnica e menos preocupada com o “impacto” de seus resultados na midia, mas nada disso consegue mudar o fraco desempenho dos populares testados, resultado das adaptacoes em suas plataformas para o mercado latino-americano…

      • Concordo tambem, mas o problema é que daqui pra frente varios carros irão zerar, e nós ficaremos sem noção dos critérios e sem saber uma informação correta, acho inclusive inacreditável como a garnde maioria aqui, simplesmente acredita nessas informações sem nem questionar.

    • Essas mudanças se deram exatamente por esses problemas de reputação, pois o Global NCap busca uma padronização em todos os testes, mas é praticamente impossível. Assim como a uma mudança no C-NCAP é quase impossível, pois caso apliquem as mesmas regras do Euro Ncap, provavelmente o instituto será descredenciado e proibido de atuar na China. Mas aqui na América Latina ele começou a pouco tempo e para resolver essas críticas perante a sua reputação, ela vem buscando uniformizar seus teste junto ao Euro Ncap. Por isso o Latin Ncap ainda é inferior ao Euro NCap, mas está em busca desse.

  • Mandei email para colunista perguntando quanto foi o Jaba na redação para sair esta matéria, prometeram mais para propagandas? Não me responderam.A mesma coluna alegou certa reportagem que temos a gasolina mais barata do mundo.Queria saber calculo doido que fizeram não respondem.Outro certa vez meteu pau HB20 com duas semanas de lançamento.Adivinha qual outra montadora defendia? Piadistas

    • Assino embaixo. Sem contar que nesse blog do calmon deus o livre quem falar bem do teste. Como se trata do lider de vendas entao muita gente vai se doer. Que o Ka e HB20 aproveitem essa vantagem.

          • O Ka tem sim, acabei de confirmar no site da Ford. Mesmo assim, só um teste de impacto lateral para sanar o quanto ele aguenta. No teste frontal com os parâmetros antigos, ele recebeu 4 estrelas, nada mal. O Onix já tinha levado 3 estrelas e até o assoalho rasgou, ou seja, ele é ruim de estrutura mesmo. Acho que Ka e HB20 e até o Gol devem se sair melhor que o Onix no impacto lateral. O up provavelmente deverá ser o melhor nesse quesito. Ah, tem o Etios e o Sandero também, precisaríamos saber. Comprei um Ka 2018 SE 1.0 em abril e estou gostando bastante. Bem “completo” para um 1.0 de entrada.

            • Achei que o onix nao tinha pelo comentário do latin ncap, ‘Nas colisões laterais, a proteção para a região peitoral foi marginal e pobre para o peito dos ocupantes, já que não há elementos de absorção de energia nas portas e nos painéis inferiores.’

            • O 208 não zerou no impacto lateral, mesmo sem barras. Entendam q a questão não é a porta ser forte, é o monobloco. No caso específico, a coluna B.

              • E quem disse que o Peugeot zerou no impacto lateral por falta das barras? A Peugeot empobreceu a estrutura de seu popular com a remocao de barras laterais nas portas. A GM, aparentemente, com o enfraquecimento da estrutura do piso de sua plataforma. Os dois fabricantes abriram mao de proteger o seu consumidor em prol da obtencao de maior lucro atraves da diminuicao de custos de fabricacao de suas plataformas “mundiais” na America Latina. O pior resultado da economia, ao que parece, se deu no caso da marca americana, o que nao muda o fato de que as duas foram irresponsaveis e dao pouco valor a seguranca de seu consumidor.

  • Concordo plenamente com Calmon. Ele foi o ÚNICO jornalista que tentou mostrar os fatos como eles são, e não como tentam forçar via histeria e neuroses. Essa mesma postagem foi veiculada, também, no Site dos AE, tal qual muito bem escrita e com argumentos sólidos, diga-se de passagem. No resto de TODA a imprensa as matérias se dividiam apenas em duas maneiras de discursos, a notícia isenta de “opinião” e as dramáticas e sensacionalistas. A primeira forma é plenamente plausível, a segunda já é pura desonestidade. Ainda bem que o NA não segue a linha editorial do sensacionalismo. Parabéns aos editores do NA por noticiar uma opinião contraditória ao discurso histérico do resto da imprensa “especializada”.

    • Com ou sem sensacionalismo não muda o fato que o Onix é um lixo, olha o teste e compara com o 208 (que não tem barra lateral) e o Palio, o Zeronix parece ser feito de papel.

      • Olha, não vou nem discutir esse fator. Você leu a matéria do Calmon? Na íntegra? Lá está bem explicado o motivo que o faz utilizar o termo “sensacionalismo”. Abraços.

        OBS: A maioria das discussões aqui são somente por discordâncias semânticas, e não de opiniões.

        • Contra fatos e imagens nao ha argumentos. Onox e Prisma sao os caixoes sobre rodas. Esse trouxa desse Calmon bloqueia qqer comentário denegrindo a GM e defendendo o latincap no blog dele.
          Parcial e chorão. Deve ta ganhando verba pra falar mmm por ai.

          • Pedro, Eu sei que temos paixões ardentes em nossas almas, mas não podemos ser parciais a ponto de queimar reputações somente por não concordar com um argumento. O texto do Calmon aborda de um tema diferente, não é uma análise defensiva do teste em si. O texto argumenta sobre outra coisa. Leia a matéria original, com atenção e sem paixões que você vai entender o ponto dele. Só não queime reputações somente porque não entendeu ou não concorda com o que diz o autor. Abraços.

            • Desculpe Marco pela reputação, desfiz.
              Porém, discordo totalmente desse Calmon. Puramente tendencioso.
              Por quê ele nao trouxe a tona isso com outros modelos anteriormente? Isso se chama parcialidade.

              • Tudo bem Pedro, não somos obrigados a concordar. Temos nossas convicções, e isso é ótimo para o pluralismo de idéias. Só fico chateado mesmo quando antes mesmo de qualquer argumentação lógica usem-se de expedientes falaciosos como ataques a pessoa, e não a idéia que ela aborda.

                Abraços, e um bom fim de Semana.

            • Reputação ? Fernando Calmon ?
              Se o questionamento tivesse sido feito por um jornalista sério, aí sim teria credibilidade.
              Mas por esse sujeito…faça-me o favor, né ?

          • Discordo completamente. Se você ler o primeiro parágrafo do texto dele vai ver sobre o que ele está tratando no texto. E depois existe essa afirmação “Essa possibilidade, pelas regras da Latin NCAP, não melhoraria a nota zero do Onix na proteção do passageiro adulto, mas talvez mudasse as três estrelas para passageiro infantil.” … Enfim, leia o texto com calma e atenção e você vai entender que ele não escreveu aquilo para falar das zero estrelas do Onix. Enfim, espero que tenha compreendido meu raciocínio. Abraços.

              • E olha que o argumento dele nem é tão ruim. Mas ele prefere abandonar todo e qualquer resquício de raciocínio para usar de ataques chulos. E eu sou o cínico.

                EDIT: Ignore o coment acima, ele era para outra resposta, e em outra matéria. E sobre que vc disse: Se formos ser honestos e racionais, temos que ter em mente que só porque alguém cometeu um erro na sua defesa do argumento, isso não necessariamente significa que o argumento em si esteja errado. Pontuado isso, sigo em frente. O cara faz um texto abordando um tema, a postura e os critérios dos testes. Veja bem, esse argumento é a falácia do “cum hoc ergo propter hoc” (com isto, logo por causa disto), na qual alguém supõe que, pelo fato de duas coisas estarem acontecendo juntas, uma é a causa da outra. Existe a manifestação do autor, que pode conter falácias (erros lógicos no decorrer do debate), e existe a repercussão e as informações sobre a REPROVAÇÃO do Onix no teste de impacto. Estão metralhando o texto do cara duas vezes errados, falando de algo que não tem nada a ver com que ele escreveu e pior, usando argumentos (não é o caso do comentário que eu replico) Ad Hominem. Você me pareceu ser uma pessoa esclarecida sobre a existência das falácias, então acho que irá entender que eu não estou defendendo, a priori, o texto do autor, mas sim a correta interpretação do argumento do autor.

                Abraços, e desculpe-me por qualquer falácia proferida no texto. kkkkkk

    • Acho válido o jornalista questionar o método do Latin NCAP, até porque os métodos dessa filial e principalmente a frequência/quantidade de testes ainda não refletem bem.o mercado brasileiro, mto menos o da América Latina. Contudo, ele perde credibilidade quando tenta inferir que o estardalhaço que foi feito é sensacionalista, pois é no mínimo uma vergonha um resultado desses em 2017, pior ainda querer argumentar como se estivesse tudo Ok pq o teste de impacto lateral ainda não é padronizado ou ainda que as montadoras estão seguindo exigências nacionais. É um resultado inadmissível e ponto; outras foram submetidos ao mesmo teste na mesma época e obtiveram resultado melhor, esse é o fato. Para o Brasil a notícia é válida pq é exatamente o modelo vendido aqui. Até pq há um tempo atrás foi testado o Nissan Tsuru com péssimo resultado e nao teve nada noticiado aqui, obviamente pq é algo quase exclusivo de taxista mexicano -onde merece ser noticiado com bastante alarde ne minha opinião. Reintero, vale a crítica que o jornalista fez ao Latin NCAP – quem sabe assim, um dia, teremos algo mais próximo do Euro – mas o fato merece sim destaque nos noticiários a fim de tentar fazer nosso mercado exigir mais de segurança e assim apertarem as leis para fabricantes. Sonho em não ter aberrações como Corolla sem controle de tração (só corrigido modelo 2018!)

      • Parabéns, conseguiu expor suas ideias opostas ao Autor sem precisar denegrir a imagem do mesmo. Contra idéias não tenho nada a acrescentar, contra a desonestidade de alguns, ai sim. Eu acrescento quando puder.

    • Fernando Calmon sempre foi um defensor da indústria automotiva. Nunca esteve do lado do consumidor.
      Será que ele recebe pra isso ? Defender o setor ?
      E engraçado você citar o AE, cujo editor-chefe é ninguém menos que Bob Sharp.
      Olha a resposta que ele me deu, quando questionei a falta de ESP e airbags laterais e de cortina no Up! reestilizado:
      “o Up! já é um cinco-estrelas, e você ainda quer mais ? Sugiro que compre um tanque”

        • Cristiano, acabei de entrar no AE pra dar uma expiada na matéria do Fernando Calmon, na verdade, dar uma expiada nos comentários, já que não vale a pena ler nada vindo desse jornalista, e fiquei impressionado com as respostas absurdas do Bob Sharp aos comentários contrários ao conteúdo da matéria.
          Difícil de acreditar que um jornalista se preste a escrever coisas do tipo: ” de fato, o brasileiro que tem Onix está com a vida ameaçada. Brilhante! (sendo irônico)”, “certo, mas com o que se vende de Onix e com elevado número de acidentes no Brasil, era para haver uma grande incidência de mortes e ferimentos graves ligados ao modelo. Onde estão?”.
          Quando alguém argumenta que o Onix não é vendido na Europa, veja a resposta: “(…) não é mais poderia ser. De qualquer maneira, há registro de óbito em Onix que tenha sofrido colisão lateral? Você deixaria de comprar um por causa desta “revelação fantástica” do Latin NCAP?”

          • Realmente. Inacreditável. Atitude incompatível com um profissional tão experimentado. A pergunta que fica no ar, “qual é a motivação para se posicionar de forma tão parcial e passional assim?”.

            • Certa vez, numa entrevista para a TV, o jornalista Boris Feldman deixou escapar que os jornalistas da área vivem recebendo “brindes” das montadoras, principalmente aqueles pertencentes a veículos de comunicação com maior alcance.
              Bem, esses “brindes” podem ser tanta coisa, inclusive apenas meros brindes. A gente nunca vai saber…

            • Eu só entro lá para ler matérias que não estão relacionadas com avaliações, pois qualquer coisa com 4 rodas e volante avaliadas por lá é digna de elogios.

          • Parceiro. Nao perca seu tempo lendo essas mesmices. Muita ignorância com pitadas de arrogância. Um circo de horrores aplaudido pela claque sempre fiel. Desisti faz tempo.

      • Parceiro. Esse senhor acha que sabe tudo e não tem mais nada a aprender com ninguem principalmente com um leitor. Já desisti dessa gente faz tempo. Ler aquilo é desaprender. Um desserviço.

      • Tudo bem cara, você está corretíssimo. Sua abnegação lhe garantirá um lugar de destaque nesse mundo. Eu, Bob, Calmon e tantos outros somos só um bando de estorvo, retrógrados e qualquer adjetivo pejorativo a mais. Quando tiver a chance, fuzile-nos. Passa bem.

        • Como você leu o texto do Calmon no AE, espero que tenha lido também as argumentações absurdas do Bob Sharp em resposta a vários comentários
          contrários ao conteúdo do texto.
          Aliás, texto de Calmon com defesa de Bob Sharp, qual a novidade, né ?

          • Olha eu concordo que carros devem ser cada vez mais seguros. No que vejo problema é o exagero, a histeria, a neurose pura e simples. E quando algum desnaturado comete o acinte de acusar isso ele é depenado. Mas enfim, é normal. Estamos vivendo um ditadura de opiniões, quem não pensa com a maioria não serve para nada. Abraços, passar bem meu caro.

    • Parabéns pelo posicionamento. As leituras devem ser feitas mais a fundo. Sem contar que tem fã se gabando de modelos que nem foram testados sob novas diretrizes.

  • A situação é essa, tudo que ele falou em parte é verdade, quanto ao procedimento do latin e do euro, mas nada disso apaga a imagem aí de cima, é muito fácil alegar sensacionalismo barato, mas quero ver ele colocar a família dele em um depois do resultado. Sofri um acidente em 2014, o carro foi considerado perda total (Nissan Versa). Além do fato de eu estar de cinto, a área da cabine ficou intacta. Tanto que comprei novamente. Será se eu estaria aqui se o carro fosse menos seguro?

    • Exato, as circunstâncias são bastante diferentes, entretanto, o maior fator que compromete a segurança, na minha opinião, é a cultura e consciência dos motoristas em geral, não adianta andar num carro 5 estrelas se tem um outro asno solto que, quer queira quer não, fazem vítimas e saem ilesos.

      • Opa! É esse tipo de argumento que a indústria automotiva precisa. Já que os motoristas brasileiros são imprudentes vamos oferecer a eles carros inseguros, já que o mais importante é a consciência de quem dirige. Show!

        • Esse e o tipo de argumento do qual quem nao sabe argumentar precisa. Ja que nao se tem a capacidade de analise critica, muito menos de respeitar a posicao do outro, vamos oferecer ao debate uma gracinha debochada que reforce a opiniao da maioria, ja que o importante e policiar mentes independentes que fornecam contrapontos validos ao conceito dominante do qual sou partidario. Show!

          • Negativo. Trabalho na indústria pesada liderando uma centena de pessoas. Ao longo de mais de 10 anos em função de liderança aprendi que um dos cânceres da cultura brasileira é delegar a responsabilidade por sua própria inação; omissão. Digo, “não faço a minha parte porque o outro também não faz a dele” ou porque está tudo errado à minha volta. Cansei de ver desculpas esfarrapadas de violação de procedimentos de segurança só porque havia uma condição insegura no local de trabalho. Uma coisa nada tem a ver com a outra. Pois bem, voltando ao tema, me causa asco alguém querer justificar a comercialização de carros inseguros porque os motoristas brasileiros são imprudentes. Muito conveniente para as montadoras essa posição: “eu só vou cumprir a minha parte quando vocês cumprirem as suas”. E assim a vida segue. Ninguém fazendo nada e se escondendo atrás da jaqueira. ph#dam-se os demais motoristas. EU quero carros mais seguros. O teste do Latin Ncap só expõe uma realidade. Se ela te incomoda como incomoda à Chevrolet, esse é um problema que vocês, parte interessada, tem que resolver. Sem se voltarem contra quem não aceita as coisas com estão. Mudem a realidade. Aperfeiçoem seus produtos. Não me obriguem a aceitar qualquer coisa. Show!… de horrores!!!

            • Excepcional disposicao para a discussao, infima capacidade de compreensao e/ou interpretacao de texto. Esse e o problema do prejulgar o mundo e do creditar-se maior condicao de compreensao da realidade do que os fatos parecem demonstrar. O individuo recebe a opiniao do outro no nivel mais superficial possivel e automaticamente o rotula em um de seus conceitos preestabelecidos de responsavel pelas mazelas do mundo. Releia os comentarios antes de brindar-nos com – mais – uma cantilena de obviedades.

              • Não disse absolutamente nada com p#rra nenhuma. Não preciso ficar debatendo com você a respeito de nada. Fato 1: Foi demonstrado objetivamente que o Onix é um carro com segurança passiva deficiente. Fato 2: o Calmon colocou o resto de reputação que lhe sobrou na berlinda ao comprar a briga da GM.

    • Cabra de muita sorte vc parceiro. Só isso muita mas muita sorte…..a engenharia moderna passou longe no teu acidente….vc estava numa cadeira elétrica e nao sabia. Mas atenção a sorte nao bate duas vezes….se nao comprou ainda ….va de 4 ou 5 estrelas.

  • Pelo que entendi o “sensacionalismo barato” é em relação aos métodos do latinNcap, que testa veículos em versões que não são oferecidas aqui e atribui a estes a nota dos primos pobres e não exclusivamente ao caso onix.

    • O Lncap tem uma regra basica e simples. Eles compram ou recebem e testam o carro modelo mais barato a venda na AL ou num determinado pais. Também por isso que o Golf TSI basico já vem com 7 airbags e Esc. Foi eleito com louvor o carro mais seguro. Montadora que quiser fazer bom escore alem de ter monobloco eficiente vai precisar ter 4 airbags e Esc já no modelo básico.

  • Concordo em partes com Calmon. A Latin NCap é sensacionalista e bagunçada. Por outro lado a Latin NCap é extremamente necessária e que continue os testes. Mas desta vez se organize e teste mais carros. Ultimamente tá custando sair um teste, e quando sai é com um ou dois modelos. Isso se faz desconfiar do órgão.

  • Quando eram outros carros nada se falava, crucificaram o 208 e outros carros. Agora, como se trata do lider de vendas tá cheio de defensor da GM vindo meter o pau no latincap.
    A verdade é que o Onix e Prisma sao verdadeiros caixões sobre rodas. Contra fatos nao há argumentos, é só ver oa testes.
    Chora Calmon que no seu blog todos os comentários defendendo o latincap foram bloqueados. Aqui nao tem essa manipulação.

  • Isso ta parecendo aquele certo site que defende a VW, quando for o Gol então, irão desqualificar mais ainda o LNCAP. Eta povo que não aprende, deixa as montadoras pintarem e bordarem com nossas vidas e famílias.

  • Os fabricantes sabem muito bem os carros que oferecem no Brasil. No caso do Onix, nem com air bag lateral seria minimamente suficiente para reduzir algum dano aos ocupantes. A estrutura do carro não presta. Espero que os outros fabricantes sejam um pouco mais responsáveis. A GM deveria ser punida por isso. Proprietário de Onix deveria ser indenizado.

  • De certa forma o jornalista está certo. É fato que onix com zero e palio com uma estrela forma muito mal no teste lateral, mas e no teste frontal? Qual é o melhor? Não concordo com a avaliação deles, simplesmente dar zero se foi muito ruim em um dos testes, para ser um índice confiável devia ter notal separada por item, frontal, lateral, criança, acessórios por exemplo. O teste de colisão lateral é muito subjetivo, vai depender da altura dos dois carros que colidem.

    • Caro, há uma metodologia que normalmente é baseada em pesquisas. Pesquisas que indicam os tipos de colisões, velocidades, veículos envolvidos, etc. Dados estatísticos vão dando forma a metodologia e esta tenta cumprir até certo nível um padrão que seria o ideal.
      Há subjetividade, concordo, mas o teste é feito sobre indicadores. Um veículo pode ser construído visando a segurança, mas essa tem o seu limite.
      O produto pode ter ótima nota em teste lateral porque esse simula um contexto. Uma colisão que fuja ao contexto do teste irá trazer resultado diferente, mas aí se um veículo muito bom tende a ter menor risco que um que teve nota ruim.
      O teste que simula colisão com poste inicialmente foi criticado, mas provou que muitos veículos ditos seguros não eram para tal tipo de colisão que é comum. Se é para fazer veículo seguro, que atendam a situações mais comuns. É comum carro bater de frente com caminhões? Não, mas neste caso mesmo que fosse, o investimento seria inútil.
      Chamam a atenção no teste do Onix que nem regras antigas ele cumpre e se tivesse air bag lateral, que não tem, não sanaria o problema que é estrutural.
      Num passado recente, veículos com equipamentos de segurança de origem chinesa foram submetidos a testes e o resultado de alguns foi desastroso. Adianta você ter uma almofada no rosto para amortizar pancadas se você tem aquela doença dos ossos que os deixam com baixa resistência?

      • Bem isto, mas uma colisão frontal é bem mais provável, e ai que está o problema neste indicador. Fato que em uma colisão lateral, nas condições do teste, é bem ruim, talvez fatal, para o Onix. Mas e em uma colisão frontal? Em qual dos carros era melhor estar? Qual você prefere um carros com uma estrela frontal e lateral ou um com 3 estrelas na frente e zero lateral? Outro ponto, vejo que fazem a frontal só do lado esquerdo e o lado direito? É bem comum uma batida do lado esquerdo em traseira de caminhão.

  • Qual a intenção nessa matéria dele? Ser parcial como há vários da mídia colocando seu gosto pessoal ao avaliar certos produtos quando deveria ser imparcial?

    Vez ou outra alguns da mídia são vetados, não convidados, de eventos de certas marcas porque essas marcas não gostaram das críticas e por essas outras, muitos buscando um tom mais neutro ao criticar para não se prejudicar.

    Questionar a conduta do LatinNCAP e afins sobre seus critérios, sim, mas se não são entidades desse tipo, como se convencer que o dito pelo fabricante ou entidade com caráter mais governamental tem validade.

    O problema dos motores a diesel foi descoberto graças à metodologia diferente do comumente feito. Não fosse isso criticar fortemente a conduta dos fabricantes, continuariam enganando consumidores e entidades que homologam os produtos para vendas, mas deficientes em comprovar que informado por quem produz.

    Acho que o maior alerta é o erro está na sociedade em geral. O povo aqui não liga para segurança, pois se ligasse não seria por força de lei que os produtos teriam que ter mais equipamentos de segurança ou melhores construídos. Leis são feitas, mas com falhas, com propostas tardias.

    Entes reguladores e fiscalizadores com problemas de infraestrutura, metodologia própria que pode ser deficiente comparada a mercados mais avançados, etc.

    Fabricante procura maximizar lucros, então se as leis são fracas, não há mecanismos para aferir a qualidade do produto e até vetar sua compra no caso de veículos motorizados, só irá ofertar veículos seguros cobrando caro e/ou equiparar a concorrente que tem algo comprovado mais seguro.

    Em síntese, vejo toda uma cadeia com falhas.

  • A questão e que o mercado consumidor do Brasil e da AL e infestado de restrições e arbitrariedades estatais e sempre foi assim, salvo poucos países como o Chile que abriu o mercado para que as empresas competem de igual para igual e a qualidade e segurança automotiva só tem aumentado.

  • O Lncap faz suas confusões, mas o que esse jornalista fez foi um completo desserviço.
    Li a matéria do Calmon através do AE e não fico nada impressionado de ter saído isso, uma vez que o pessoal de lá faz um esforço fora do comum para ficar em cima do muro nas avaliações. Apesar disso, gosto do site e da abordagem técnica deles, que é de longe a melhor.

      • Se for a BOA indústria a que se preocupa com nossas vidas e da nossa familia temos que ser favoráveis e elogiar. Por exemplo, a VWB tem os dois extremos, dum lado o Gol com fraquissimas 3 estrelas no crash protocolo anterior e do outro lado o Golf Jetta e Up com 5 estrelas. O Golf no novo protocolo. Já na Honda é tudo five stars. Na GMb todo mundo ta vendo….Na indústria felizmente tem gente preocupada que faz bem feito.

    • Mas em termos de segurança nos carros modernos ler aquele blog é andar pra trás. To fora. Nao quero ficar burro nessa matéria. Pra quem curte carros e valoriza projetos seguros como eu e minha familia valorizamos, o LNcap foi um achado pra AL. Lembro bem. Meu pai em 2001 comprou um Scenic só porque tinha duplo airbag e abs. Há 16 anos. Em 1972 meu pai nos obrigava a usar cinto de segurança diagonal na frente. Era uma Variant 72. Eramos motivo de piada no transito. Meu velho pai sempre um passo a frente. Hoje ele com 84 anos tem um HRV porque é 5 estrelas no Lncap. Meu velho pai está muito a frente de jornalistas como aqueles pseudo formadores de opinião.

      • A história que você falou me fez lembrar…na década de 70, meu pai dizia que “carro não foi feito para bater”. E naquela época eles não eram feitos para bater mesmo. Mas hoje, até ele com 80 anos sabe que os atuais carros tem que ter sido feitos com uma boa preparação contra colisão. Me admira muito certos jornalistas automotivos, alguns que se dizem entusiastas automotivos, não darem a mínima para isto e se colocarem defendendo um carro zero estrelas ou a montadora que o fabrica. Que tipo de entusiasmo é esse? Basta andar bem e ser econômico que está liberado para ser uma arapuca automotiva, capaz de matar inocentes? Por acaso a vida de quem dirige está abaixo do carro que o transporta? Juro que fiquei pasmo e me decepcionei com aquele site.

        • Já disse. Acessar aquele site é ficar burro. Claro tem uns caras bons que escrevem por lá, mas o resto…Esses caras alegam que vc tem que guiar defensivamente e respeitar regras. Nosso dever. Mas quando vc faz tudo certinho e um fdp na estrada ou num cruzamento vem pra cima do teu carro lotado de crianças? Só um 5 estrelas no Lncap dará chances de sobrevivencia a voces. Aí vem um jornalista dizer que a direção do Lncap é sensionalista. Fazer o que com um sujeito desses?

          • No trânsito infelizmente não temos como controlar todas as variáveis. Do nada pode vir um maluco e atravessar o sinal vermelho. Isso aconteceu com a minha cunhada. Ela tinha um Corsa Wind, uma criatura maluca que tinha tirado carteira a pouco simplesmente atravessou o sinal vermelho e entrou em cheio na porta do carro dela. Felizmente foi na porta do carona. Ela mesma não sabe como não morreu. No trânsito tem todo tipo de gente. Gente consciente e gente sem noção. Porto Alegre, por exemplo. sinal vermelho virou optativo, nunca vi tanta gente passando sinal, de dia, de noite, virou uma epidemia e não era assim. Florianópolis a infração preferida é andar na contramão. São duas coisas de extrema gravidade que geram os piores acidentes. Para se precaver de manés assim, melhor ter um carro seguro. Quanto mais estrelas, melhor.

  • Gente, Fernando Calmon é aquele mesmo jornalista (com todo respeito à classe) que afirmou há algum tempo atrás que as montadoras no Brasil quase não auferiam lucro.
    Quem é Calmon na fila do pão?
    Nem dou bola…

  • Por mais que possa haver problemas no LatinNCAP, uma pessoa que tem filhos pequenos jamais compraria um Onix, Prisma ou Spin, já que eles não oferecem um item importante de segurança, o ISOFIX, que é mais seguro do que usar o cinto para fixar as cadeiras ou o booster infantil

    • Vc tem toda a razão. Isofix um item ainda nao valorizado pelos clientes principalmente por falta de campanhas de divulgaçao. As montadoras que oferecem isofix deveriam chamar mais a nossa atenção. E também pela pouca oferta de cadeirinhas isofix e por estas serem caras. Certa vez em Brasília uma menina de 5 anos foi junto arremeçada pra fora do carro porque a cadeirinha estava mal amarrada pelo cinto. No isofix nao existe meio termo está ancorado ou nao.

  • O carro toma uma pancada na lateral, se abre todo, os bonecos acusam severos danos, mas é só sensacionalismo. Por vias da dúvida, é melhor comprar um que tenha estrelas

  • Me parece que ele está mais interessado em defender a GM, do que qualquer outra coisa… Se existem exigências menores, dependendo da região, e a montadora oferece um caixão com rodas por que não é cobrada, tem mais que nivelar por baixo….pelo pior resultado. E lá no AE, a linha é de sempre falar bem de montadoras….críticas mesmo, são nulas.

  • Este teste da Latin Cap é tão questionável que o carro manteve a mesma plataforma, zerou para adultos, mas melhorou para crianças.
    Como explicar?

  • Esse Calmon recebe malas da Anfavea ou diretamente das montadoras?
    Algum tempo atrás, enquanto todo mundo metia o pau nos preços abusivos dos veículos aqui, ele escreveu uma matéria passando a mão nas montadoras. Mesmo um grandão da Mercedes admitindo que a MB tem margem maior no Brasil, pois o consumidor se dispõe a pagar, então eles regulam o preço baseado na disposição do consumidor.

      • Muitos jornalistas da área automotiva me deixam em dúvida se são comprados ou não.
        No caso do Fernando Calmon, não tenho nenhuma dúvida. Basta recorrer ao histórico dele.
        Ele não passa de um porta-voz do setor na imprensa nacional.

        • Sabe Celso, eu sempre evito esse tipo de desconfiança; especialmente por se tratar de comparativos, pois muitas vezes os resultados são influenciados pelos critérios adotados ou mesmo pelo gosto pessoal do jornalista que inconscientemente acaba se deixando levar… mas neste caso não tem como não ficar com os dois pés atrás. Você se pergunta, “a quem serve essa matéria? Qual seria o objetivo de desmoralizar uma instituição que atua em todo o mundo e que possui credibilidade em todos os países em que está presente?”. E não me vem à mente nenhuma resposta senão as próprias montadoras. Fora o próprio histórico desse jornalista, como você bem lembrou.

  • ” Segundo Calmon, os procedimentos montados pelo Latin NCAP são diferentes
    daqueles executados pelo Euro NCAP, onde a União Europeia obrigou seus
    membros à unificarem suas exigências de segurança, apesar das diferenças
    sócio-econômicas entre os países integrantes.”

    Tem que rir desse cara.
    Serio as vezes eu me pergunto como um cara desse chegou na profissão de jornalista, de duas uma ou ele enganou e engana muita gente ate hoje e/ou pra ser jornalista basta ter CPF ativo.

  • Esse jornalista pode usar o argumento que for. Isso não muda o fato de que os carros precisam se adequar e oferecer mais segurança. Ele que está querendo aparecer, fazendo um desserviço desse, tentando justificar o injustificável.

  • Esse jornalista é o temer da profissão dele, que lixo, falar que foi sensacionalismo um carro que na colisão lateral é praticamente morte certa, só podia ser brasileiro financiado… Ainda falar que só a partir de 2018 podemos cobrar esse tipo de segurança… Lixo, deve ter um golf e fica falando merda.

  • o cara é “jornalista”…não é ninguém que pode dizer o que é certo ou errado na indústria automotiva ou nos critérios usados pela Latin Ncap.
    A Latin NCAP pode não ser um primor em testes, mas também não é um padrão “TEMER” de qualidade….

    • Tu já leu as matérias no AE? Pois sim, eles se acham muito, a ponto de apontar certo e errado. E se discordar do “guru” (BS), tá ferrado. Lá na matéria original, o mestre BS diz que existe uma histeria por segurança…. Um cara tosco que não sabe ouvir uma crítica, que solta impropérios.

      • Concordo em partes com o BS, acho histeria confiar plenamente em eletrônica antes de se ter condução defensiva e formação de condutores de forma adequada. Mas discordo dele quanto ao LatinNcap (sempre posto por lá minha opinião) transparência é sempre bem vinda.

        • Seguindo nesta linha de opinião, também não sou um “histérico” pela sopa de letrinhas, nem acho que vou morrer na primeira esquina se andar em um carro sem equipamentos de segurança como ABS, ESP…. Mas ele perde a linha muito fácil com quem discorda dele, e não argumenta com educação com quem ousa discordar dele. E no caso do Ônix, é questão estrutural, que para mim, é mais importante.

          • Agora ele fala pra mim que tudo é marketing e que o marketing é nocivo, fabrica burros e etc. Sou profissional da área e vejo quão raso é o pensamento dele. Infelizmente é um senhor de 70+ anos que dificilmente mudará de opinião.

            Sobre o Onix, acho um tremendo absurdo também pelo mesmo motivo que você. É um deboche da GM pro consumidor brasileiro.

  • Primeiramente, não suporto esse jornalista;
    “Segundamente”, as matérias dele sim, são sensacionalistas, muito! É o típico jornalista que quer chamar atenção por ser o “do contra”, que fala um monte de besteira pra chamar atenção;
    O Latin NCAP está melhorando os padrões dos veículos na América do Sul/ Latina, isso é sem dúvidas! E é altamente explicativo quando tira ou acrescenta estrelas em determinados veículos. Sempre deixa determinado qual o veículo e onde ele é vendido e quais as características: Quem repassa (os sites especializados, e os jornalistas) são os responsáveis por transmitir corretamente e com os detalhes precisos as notas do Latin NCAP. Todavia, o instituto fez crescer o nível de segurança dos carros nacionais, e da própria região Sul/Latina, e, acredito eu, fez com que muitos consumidores deixassem de comprar determinados carros por suas notas baixas em testes de impacto.
    Não compro carro pensando em conectividade, essa é a última coisa que verifico, gosto de carro que eu me sinta, no mínimo, seguro! Busco saber notas que obtiveram em outros países, e em nossa região, quantidade de airbags, estrutura, tipos de freios, …. isso tudo é segurança…. Depois verifico se tem mylink… ops! multimídia com tela touch.. ^^

  • Quando vi a chamada já sabia se tratar do Fernando Calmon. NUNCA vi uma crítica desse sujeito à indústria automobilística. Muito pelo contrário, é sempre o primeiro a sair em defesa quando ela está na berlinda. Poderia ao menos disfarçar…

  • Mas se os governos não se preocupam com segurança, alguém tem que preocupar! Tá certo, se na Colômbia venda o mesmo modelo, qual o porquê não vir de fábrica com airbag? Isso mostra a falta de compromisso com a segurança, e o nome é Latin NCAP e não Brasil NCAP, e basta a GM preocupar um pouco com segurança pra ela reavaliar suas estrelas! Cara aí sabe de nada. Um Zé que se conforma com carroças no Brasil.

  • Sensacionalismo não é pois está clara a fragilidade da carroceria, principalmente lateral. As metodologias e normas do Latin com certeza vão evoluir e se adequar mas já é um começo para abrir os olhos das pessoas para este importante ponto da segurança automotiva e os fabricantes ficarem espertos.

  • EM TEMPOS ONDE SE COMPRAM DEPUTADOS NAS FEIRAS DE SÁBADO, DOMINGO, NÃO SEI NÃO SE A GM NÃO PATROCINOU ESTE INDIVIDUO. AGORA O CARA DISCUTE OS MEIO/MËTODOS E NÃO O RESULTADO. O RESULTADO DO TESTE É SOFRÍVEL, E A GM DEVE DESENHAR VEÍCULOS QUE PROTEGEM SEUS CLIENTES, PARA QUE ESTES VOLTEM A COMPRAR SEUS PRODUTOS E NÃO AO CONTRÁRIO. O JORNALISTA DEVE ENTENDER QUE ANTES DE ALGUMA LEGISLAÇÃO NACIONAL OU INTERNACIONAL, A GM TEM SUAS NORMAS DE SEGURANÇA, E ME PARECE QUE O LUCRO E CUSTOS ESTÃO ACIMA DA SEGURANÇA PARA A GM.

  • Ele cita as diferenças entre mercados que acaba baixando as estrelas como por exemplo a falta de airbags. mas o Onix não é vendido sem airbags e a versão testada é a vendida no Brasil. Anota zero continua sendo nota zero!
    Sensacionalismo barato ou jornalismo barato???

  • Coloca esse jornalistasinho dentro de um onix e faz só o teste padrão do impacto lateral do Latin-N-Cup para ele sentir o que o Dummy sofreu. Minha família anda de Cross UP. Mas pelo preço que todas cobram todos os proprietários têm direito a segurança. Todos são seres-humanos que trabalham duro para comprar seus carros e tem direito ao respeito e a vida. É uma pena que neste pais isto não funciona bem assim.

  • sensacionalismo ou nao…. o carro nao presta em seguranca. Esse cara ai deve anda de carro top e vem encher o saco.
    tem que fazer sensacionalismo, assim quem sabe as coisas não mudam.

  • O chefe do departamento de comunicação da GM, Fernando Calmon, tenta desqualificar o ensaio que desnudou o principal produto da GM, como sensacionalismo barato. Na realidade se verifica neste ensaio que a única parte barata é a estrutura do carro. Fora o motor da década de 80.

  • Não tem nada de muito convincente nos argumentos dele. Reclama que na Europa é padrão, mas lá existe há décadas o teste, aqui é algo novo. Reclama que testaram a ranges da Colômbia sem air bags, acho justo, pegar o carro MENOS equipado para avaliar. Acho justo. Pois pode passar uma falsa sensação de segurança para os Colombianos.

    Outra reclamação é do período, o onix foi testado há 3 anos, mas testaram novamente pois atualizaram os requisitos. Na europa só testam a cada 6. Não estamos na Europa, aqui iniciou, iniciou muito brando e foi revisto. Terá um padrão, eles tem que atingi-lo primeiro. Se chegar com padrão do Euro, as notas seriam piores.

    Reclamar do relatório é piada, é sempre mais fácil atacar o interlocutor do que o argumento.

  • O critério para se investir em segurança deveria ser o número de acidentes automobilísticos do país e/ou região. Ou seja, aqui deveriam ser produzidos os carros mais seguros do mundo e não o contrário. Só quem já sofreu um acidente sabe da importância de se ter um carro seguro. Nesse quesito ponto para a VW e suas 5 estrelas.

  • Nada do que foi argumentado pelo tal jornalista minimiza o fato de o veículo ter sido reprovado. O fato – e contra fatos não há argumentos – é que o Onix é sim, um carro INSEGURO, e ponto!

  • Chega de blablabla, sempres esses lixos da imprensa(não todos) ficam falando asneiras, os carros nacionais são simplesmente ridículos, e não de A e nem B, mas geral!!!!!!!!!!!

  • Alguém avisa a esse pseudo jornalista que os fatores socioeconômicos são diferentes, mas o corpo humano é o mesmo em todo lugar. Quanto mais rigoroso o teste, melhor. Desde que o LatinNCAP surgiu este sujeito bate na entidade. Eu não tenho dúvidas sobre a procedência das opiniõe$ deste “jornalista”, eu tenho certeza de onde ela$ vêm.

  • Onix fabricado aqui, com nova forma de testes levou 0 estrelas. Qual é o problema desse povo em aceitar isso?
    Se o Onix fabricado lá na Cuba, sem Airbags, levasse 0 estrelas, e a Latin NCap tirasse o outro resultado do Brasileiro que levou 3 estrelas (mesmo que na metodologia antiga), isso sim poderia levantar reclamações.
    Mas é o carro fabricado aqui, feito teste de acordo como se deve e vem fala que a Latin NCap é bagunçada e sem padrão?
    Imagina levar 6 anos pra testar novamente um carro que já ganhou facelift, nova geração e etc etc…. Sem noção…

  • Ridículo esse Calmon , o ônix é um lixo sim um porcaria de carro que nao traz segurança pra ninguém e ainda possui o motor arcaico de monza 1983 . ou seja mais um remendo da GM pra ludibriar o trouxa do Brasileiro que compra o carro pq tem uma porcaria de MY link . Vide o lixo da montana ainda no mercado , um monte de remendos , e carros com motores ridículos , tirando o motor do cruze o resto é lixo . Calmon vira pasteleiro , pq vc nao serve pra fazer comentários . vc no mínimo deve ter um GM . nó cego .

  • Sr Fernando Calmon, me diga com sinceridade: O senhor daria o Onix para sua esposa, filha/filho ou parente que tenha apreço ?

    Aguardo resposta sem rodeios.

  • O sr. Calmon é um dinossauro, totalmente obsoleto, cujos textos passam muito perto da total mediocridade, e cuja parcialidade para com as montadoras chega a ser constrangedora. Não se ganha nada lendo o que ele tem a dizer.

  • Jornalista a serviço não adianta e nem esclarece. As diferença$ $o’$$io culturai$ mandam. Veja a Renault, ao invés do Renault Twingo empurrou o mata índio Kwid.

  • caro senhor jornalista Fernando Calmon, da Coluna Alta Roda, primeiro, o senhor VIU o teste? ignore oque o LatinNCAP fala sobre e VEJA com seus próprios OLHOS o teste (e outros para se ter uma base to estrago)
    segundo, o senhor não tem cara de pa@# de ser um vendido para a GM e ainda ter uma coluna sobre automóveis?

  • Vi essa bobagem do Calmon e fiquei boquiaberto.
    O cara reclama de sensacionalismo fazendo mais sensacionalismo ainda, com argumentos péssimos por sinal.

  • Ele deve ter um Onix e ficou revoltado com a perda das estrelinhas! O carro é feito com o mesmo material de copo de plástico de festa infantil e o “ser vivo” fala em sensacionalismo. Os testes precisam continuar e que sejam mais sensacionalistas ainda! Que venham carros e motos mais seguras!

  • E gente morrendo em cadeira elétrica nas estradas. Hoje morreram mais 4 numa pancada entre um Classic e um Prima em Sao Paulo duas cadeiras elétricas com escore Zero e Um no LNCap. Todos ocupantes adultos sentados no banco da frente morreram. Nas fotos o nivel dos danos e área atingida é similar ao do crash test do Lncap. Tem parte da imprensa especializada que presta um desserviço a população. Senhores quando comprarem seu próximo 0km ou seminovo primeiro consultem os resultados do Lncap. A sua familia agradece. E não vao se arrepender. Esse carro da GMB tirou ZERO mesmo e cabe a essa montadora corrigir o projeto de engenharia que está errado e talvez consiga um escore 3 pelo novo protocolo. Parabéns ao Lncap pelo relevante trabalho de utilidade pública.

  • quem esse jornalista pensa q e pra falar tal absurdo, sendo q um video vale mais q 1000 palavras, qria ver ele falar isso caso estivesse num onix e viesse um onibus ou um caminhao e colidisse na lateral do carro em q ele estava

  • E eu que estou para sensacionalismo barato. Eu quero é segurança nos automóveis. Pode meter o pé Latin NCAP. Zere mais veículos. Vamos ver se essas montadoras se coçam. O bom seria lembrá-las que sempre que tiram um ponto de solda aqui, uma barra de absorção de impacto ali, são milhares de vidas que morrem em seus produtos. Também são responsáveis.

  • Todos fabricantes de carros sabe que tem que oferece a segurança, poxa vcs já cobra pela segurança então porque não faz, será preciso multar para vcs saberem ou sofrerem algum tipo Sansão para cumprir com o que é certo, isso é o mínimo que as montadoras deve fazer para o cliente não é só querer o dinheiro do povo não, tem que pensar na segurança de toda uma família porque preço de carros no Brasil é um absurdo e preço de carro completo em outro país porque será diferente aqui se é mais caro vamos rever essas situações.

  • Fraco argumento, pois dialética à parte, o fato é que o carro supracitado, Ônix, visivelmente se deteriora no vídeo da colisão….. Ele pode dizer o que for, mas o carro ainda tem severa sequela e eu, e acredito que também o autor do discurso acima, não iríamos querer estar naquele carro

  • Esse jornalista fala isso pq deve andar de BMW, LAND, etc…não de ônix, Clio, mobi…,,,esses caras são hipócritas,,,pra esses caras povão tem se lascar,levar fumo

  • Se nossos carros fossem iguais aos europeus a comparação seria Justa, porem nossa legislação e carros são completamente diferentes da Europa e ate dos países vizinhos, então a Ncap esta certa em classificar de modo diferente entre países, e a teoria dele cai por terra se comparar UP e ONIX. um subcompacto entrega muito mais qualidade estrutural do que o compacto e os dois são quase o mesmo preço, e aqui eu comparei estrutura e não equipamentos. Então Sr, Fernando Calmon, para de achar que o errado é certo igual a GM, e peça carros iguais a segurança do UP, GOLF, FOCUS e outros 5 estrelas, que passaram pelo mesmo teste do ONIX CRUZE, falecidos celta corsa e outros que tiveram pontuações inferiores aos seus concorrentes em testes iguais.
    Lembrando a GM foi a ultima a entrar no programa de etiquetagem do INMETRO e tirando o motor 1.4T deles o resto toma fumo. e ai a Culpa é da PROTESTE ? da Latin nCap? Sr. Fernando Calmon

    • Principalmente no interior do país onde essas cadeiras eletricas velhas quase sucata vão parar mais cedo ou mais tarde. São Uno Celta Classic Palio 206 Gol fora as sucatas como Verona Santana tudo rodando por rodovias secundárias e esta gente morrendo como ratos. Pra complicar e terminar de aniquilar nao usam o cinto de segurança.

  • Eu respeito o Calmon. Ele é um cara instruído e fala muitas coisas pertinentes. Mas ele também é um jornalista muito chapa branca, que defende a indústria automobilística como se essa fosse a salvadora da economia e dos empregos do mundo. Então temos que ver o que ele escreve com critério. O Latin Ncap é realmente sensacionalista, mas acredito que agrega uma grande utilidade aos consumidores ao usar isso para que tenhamos carros mais seguros de se rodar. Não é porque moramos na América Latina e que temos menor renda que europeus e norte americanos que temos que nos satisfazer com carros menos seguros. Pelo contrário, pelo que pagamos pelos carros, eles deveriam ser os mais seguros do mundo.

  • Li todos comentários abaixo e fico feliz em constatar que dezenas de comentaristas acompanham os testes de impacto do LNCAP e que melhor ainda, utilizam seus resultados na hora da compra do seu 0km ou seminovo. Quando comecei a comentar sobre isso há 12-15 anos me sentia sozinho nessa batalha e hoje tem gente bacana brigando por carros mais seguros.

  • Realmente Sr. Calmon: a culpa pela insegurança dos veículos vendidos com preços exorbitantes é da Proteste e do Latinncap. A responsabilidade é do consumidor que não sabe escolher e nem interpretar os testes.
    Somos todos imbecis… Afffff.

  • Esse jornalista falou, falou, falou e não disse absolutamente nada. O onix tem uma péssima estrutura e ponto final. Querer dizer que a norma só vai valer a partir de 2018 e por isso não devemos reclamar agora é a mesma coisa que entrar em um barco e não ter salva-vidas pq a lei ainda não obriga isso. Pagamos extremamente caro por veículos que se dizem “baseado numa plataforma global”.

  • Qualquer um que defenda insegurança (leia-se, no caso: maiores lucros com latas mais frágeis) no morticínio cotidiano no trânsito brasileiro é, no mínimo, um irresponsável. Que não aconteça, mas se o cidadão tivesse parente ou amigo ferido exatamente nas circunstâncias muito bem descritas no teste, talvez mudasse de ideia, caindo do pensamento tecnocrático à realidade num piscar de olhos.

  • essa parte do teste patrocinado no EuroNcap eu não tinha conhecimento, mas lá os carros são testados nas configurações básica e completa (considerando os itens de segurança), o “dual rating” eu entendia como sendo essas duas notas (não um modelo “atualizado”) como o citado.

  • Conversa fiada. O carro foi mal e ponto. O consumidor brasileiro é mal tratado, apesar dos preços absurdos que essas empresas cobram por aqui.

  • “Foi o caso do Ford EcoSport por aqui, que ganhou quatro estrelas e, após críticas do Latin NCAP, recebeu atualização e um exemplar foi cedido (daí o patrocínio) para efetuar novamente o teste, onde ganhou cinco estrelas.”

    Ta de brincadeira né? Poucos carros na época atingiram 4 estrelas…a maioria 3…..rapaz…este cara ai não bate bem…

  • Fernando Calmon o porta voz oficial da anfavea…Só não assume… Me pergunto como alguém q se formou em uma carreira acadêmica voltada pra informar às pessoas e protege-las ou informa-las sobre erros e acertos se governantes e dos agentes econômicos e de todas as outras formas de manipulação se presta a um serviço sujo como este. Este cara com certeza deve ter esquecido o que o levou a careira de jornalismo…

  • Calmon, em um artigo você acaba com o Latin Ncap, em seu teste com o ridículo resultado do Onix, agora, em setembro, comemora o desempenho do Polo no mesmo teste. Decida-se!!!! Não é a toa que sua opinião quanto ao resultado do Onix x Latin Ncap tornou-se motivo de riso e chacota nas discussões.

  • Quem se preocupa com alguma coisa com “América latrina” ou “Brasil” no nome. Quinto mundo não tem credibilidade nenhuma. Tudo aqui ou é adulterado ou falsificado ou comprado pelos interesses. Esqueçam .

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email