Elétricos Kia SUVs

Kia Niro elétrico estreia com autonomia de 450 km

kia-niro-ev-1-1024x704

O Kia Niro já foi exibido no Salão do Automóvel de 2016, mas foi mais para chamar atenção. O SUV híbrido foi o primeiro modelo da marca desenvolvido especialmente para ser um veículo ecológico, mas agora ele alcança seu nível mais elevado, ganhando uma versão 100% elétrica. Tendo ainda versão plug-in, o utilitário esportivo apontar para o futuro e pode chegar ao Brasil se os incentivos para híbridos e elétricos realmente compensarem no Rota 2030.


kia-niro-ev-2-1024x682

Por ora, o Kia Niro chama atenção para sua versão elétrica com autonomia de 450 km, mas já sob o ciclo WLTP, onde o resultado é obtido por meio de testes de rodagem no ambiente real. Ou seja, o SUV chega com um alcance importante com suas baterias de 64 kWh. Mas, esse é o pacote de melhor autonomia, pois a Kia Motors também vai oferecer uma versão de alcance menor, dotada de células de 39,2 kWh, suficientes para cerca de 300 km, também no WLTP.

kia-niro-ev-3-1024x682


Apesar de parecer maior do que realmente é, o Kia Niro tem 4,35 m de comprimento, 1,80 m de largura, 1,53 m de largura e 2,70 m de entre-eixos. A versão híbrida original tem 141 cavalos de potência, envolvendo o uso do motor Kappa III 1.6 de quatro cilindros com 105 cavalos e um motor elétrico de 44 cavalos, mas ao invés de um câmbio CVT, usa uma caixa automatizada de dupla embreagem com seis marchas. O consumo varia de 18,2 a 21,2 km/l de gasolina e por não precisar recarregar a bateria de lítio de 1,56 kWh em fonte externa, torna-se a versão mais interessante para a Kia para comercialização no Brasil.

No caso da versão Plug-In Hybrid, o Kia Niro dispõe de bateria de lítio de 8,9 kWh, mas com a capacidade de ser recarregado em fonte externa, tanto 110V quanto 220V, alcançando 42 km de autonomia no modo elétrico. Seu motor elétrico também é mais potente, entregando 61 cavalos, mas o motor permanece o mesmo 1.6 a gasolina da versão Hybrid comum. Essa versão é atualmente comercializada nos EUA e Coreia do Sul.

Além do Niro, a Kia Motors ainda dispõe do modelo Soul EV, que tem bateria de lítio de 28 kWh e autonomia de 280 km. O modelo também foi mostrado no Brasil, mas ainda sem previsão de chegada. A marca também tem pretensão de lançar em breve a versão elétrica do Stonic, SUV compacto que a sul-coreana já comercializa na Europa e que recentemente ganhou uma versão para o mercado chinês. Esse modelo (não elétrico, é claro) pode chegar ao Brasil.

 

COMPARTILHAR:
  • pdias

    Lembro, como fotógrafo, da troca da câmera de filme pela digital… todos falavam que demoraria porque faltava qualidade de resolução, mas o mercado de filme morreu muuuito rápido. Agora falam que carro elétrico demorará porque precisa de maior autonomia e menor tempo para carregar, mas quando você puder andar 450 km (caso acima) pagando o equivalente a uns R$ 15,00 por carga, não vai sobrar pedra sobre pedra para os motores à combustão…. tem muita gente interessada em instalar tomada em garagem e painel solar para transformar o condomínio num posto de abastecimento próprio

    • leomix leo

      Eu mesmo, 300km já basta para rodar praticamente o mês todo, costumo rodar entre 70/90 por semana, esses 450km seriam suficientes para ficar com os dentes abertos.

      • Maycon Farias

        Eu também ja calculei que gasto apenas uns 500km por mês. Minha viagem mais frequente para visitar familiares são 160 de ida mais 160 na volta.

    • Louis

      Eu não vejo a hora de ter um elétrico. Uma revolução está para acontecer, e viveremos isso. Chega de financiar ditadores e terroristas que vivem de petróleo.

      • ADJR

        Chega de financiar a eterna má administração da Petrobras.

        • Louis

          Eu sei que sempre consumiremos algum derivado de petróleo (plasticos, borrachas, etc), mas quanto antes diminuirmos esta dependência, melhor.

          • FrankTesl

            sem falar em fertilizantes, defensivos agrícolas, componentes petroquímicos que vão de remédios a fibras especiais para vestuário, pneus, lubrificantes etc
            Mesmo sendo matéria prima fundamental para uma infinidade de produtos, o petroleo, quando substituído gradualmente do seu papel central e onipresente de fonte de energia, vai perder muito do sua posição estratégica e de chantagem política e diplomática que tem até hoje para mais uma matéria prima.

    • Adriano Cardoso

      Resta saber se a bilionária indústria do petróleo irá aceitar essa nova realidade.

      • afonso200

        trilhonaria

    • tiago

      Essa é uma falsa equivalência com as câmeras digitais.
      Por enquanto as baterias acessíveis armazenam 250 Wh/Kg, compare esse valor com 15.000 Wh/Kg de GNV ou 12.800 Wh/Kg de gasolina.
      Há um abismo de diferença, mesmo quando levamos em conta a eficiência do motor elétrico.
      Um Tesla model S usa milhares de células Panasonic NCR18650B, 8.256 células no Model S P100d.
      Sabe o preço de uma NCR18650B? uns 10 reais (na china).
      Sem subsídio é difícil vender elétrico, porque a conta não fecha, por isso poucas unidades em países pobres e muitas em lugares ricos, como a California.
      Por isso penso que um mild hybrid vai ser o futuro para países emergentes. A bateria de um Mild Hybrid é mais de 100 vezes menor, logo muito mais barata e traz boa parte dos benefícios do motor elétrico.

      • pdias

        A comparação com as câmeras digitais versus câmeras analógicas é “cultural” e não técnica, ou seja, as pessoas achavam que demoraria para terem uma digital, mas num piscar de olhos tudo mudou…. Mas, se lembrarmos, no começo da década de 90, uma câmera digital era tão absurdamente cara e tecnologicamente complexa que a sua inventora, a própria KODAK, abdicou de continuar a desenvolvê-la e manteve-se firme nas câmeras com filme. Logicamente naquela época era muito caro lançar uma câmera digital no mercado e cobrar o que custava, pois nunca venderia, mas entrou o ano de 1998, a Sony se apropria da tecnologia, lança a Mavica com padronizações revolucionárias e antes de 2002 a câmera digital já era unânime…. com os carros elétricos está seguindo algo similar, mas ainda estamos na transição da tecnologia fetal deles para uma tecnologia ainda infantil…. por ora precisam de subsídio para vender, mas com algumas evoluções ou “escolhas de padronização para dividir custos entre vários fabricantes”, poderão tornar possível o carro elétrico em pouco tempo. Outro fator, por exemplo, temos agora o conflito da Síria onde Irã e Israel ensaiam uma guerra de grandes proporções no oriente médio…. isto tornaria o petróleo mais caro e, lógico, as pessoas irão optar cada vez mais por carros híbridos ou elétricos….

  • Eu pegaria fácil até um Renault Twizy, um Tazzari ou um Microlino! Só não queria mais ser dependente de gasolina a 4,57.

    • Maycon Farias

      Sou apaixonado pelo twizy desde quando foi lançado. Seria perfeito para meu uso.

      • jvc

        para o meu também!

      • FrankTesl

        já estão abertas inscrições para o salão do carro elétrico de setembro de 2018 (parece longe, mas esses quatro meses vão passar rapidinho)

    • RRN

      Pra quem roda de casa pro trabalho basta.
      Uma pena não termos aqui o Smart elétrico.

  • th!nk.t4nk

    Parece um Sportage miniatura. Vamos ver o custo da versao elétrica de maior autonomia, mas a princípio é um carrinho que pode atender famílias pequenas e possibilitar viagens, coisa que muito elétrico hoje em dia nao cumpre. Capricha aí Kia!

  • Júnior Nascimento

    Carro elétrico só vai vender bem no Brasil quando seu preço for inferior a $ 100k

    • pdias

      Se for um Leaf ou Zoe, daí sim tem que ser abaixo de 100k…. mas SUV’s deste porte à combustão, a maioria já está nesta faixa de preço e, mesmo assim, sobra maluco pagando este valor por carros que fazem, na maioria, 7 km/l…. vai entender, devem ser sócios da Petrobrás !!!!

  • Hugo Henrique Silva Lange

    o correto nao seria 149cv na versao hibrida? ainda acho sonho demais ver esse tipo de carro chegar aqui… sabemos que o governo nao quer de forma alguma! brasil investe em petroleo, autosuficiente e ainda assim pagamos por uma das gasolinas mais caras do mundo. a culpa? nossa que aceita! da mesma forma que aceitamos politicas economicas que nao agradam ninguem.

  • FocusMan

    Que texto meio confuso…

  • Ubiratã Muniz Silva

    essas versões híbridas plug-in EXIGEM que as baterias sejam carregadas na tomada ou elas também são carregadas pelo motor e sistema de freios regenerativos como nos híbridos “não plug-in”?

  • Mr Tony

    Niro, Leaf, Bolt, os carros da Renault… As ofertas vão aumentando…

  • Alexandre

    não entendo: 105 + 44… não seriam 149 hp combinados?

    • tiago

      Os valores de pico não se somam.

  • RRN

    Pena que essa “grade” mata o visual do carro.
    Parece que carros elétricos tem que ter algo estranho.

  • Mauro Banqueiro

    Ai vem a conta de luz…

  • Erivelton Freitas

    Gostei, achei esse carro interessante!

  • Oberon de Megrez

    Quando a frota de elétricos no nosso país atingir 30% ou até mesmo 20% tenho certeza que a tarifa de energia elétrica ira subir substancialmente. Se nos roubam hoje na gasolina, iram roubar amanha na energia. E se isso acontecer, mesmo quem não tem carro elétrico ira sofrer com tal reajuste. O grande ganho é no meio ambiente, isso se estes veículos tiverem um descarte totalmente diferente do que temos hoje. Espero que este comentário num futuro próximo tenha sido de um pessimista e não de um realista.

    • pdias

      cara… o principal motivo pelo qual há uma sabotagem da indústria petrolífera é que a energia elétrica pode ser “produzida” facilmente a partir de várias matrizes, até mesmo da sua casa com painéis fotovoltaicos ou mini-turbinas eólicas…. não há uma “canalização” do fluxo como existe no petróleo…. o próprio Elon Musk (SpaceX, Hyperloop, Tesla, PayPal, etc.) está investindo numa telha com propriedades fotovoltaicas, ou seja, qualquer telhado já existente poderá se transformar num gerador de energia e isto assusta um monopólio de “geradores”…. Então, se quiser ser realista e não pessimista, curta uma das guerras mais interessantes da humanidade desde que deixamos os candeeiros à óleo de baleia para ligar uma lâmpada elétrica ou desde que uma máquina a vapor deu lugar a um motor à diesel…. duvido que o petróleo ganhe a guerra até porque ele é finito, mas vão tirar tudo que puderem…. se vc viver, verá!

    • Thúlio Santos

      Painel solar + tesla Power wall. Essa é a solução

  • Tychus

    Sem dúvida, os carros elétricos são a solução definitiva para a mobilidade. O Brasil hoje tem a oportunidade de acessar essa tecnologia com facilidade. Para que os custos sejam razoáveis, a melhor opção é converter carros convencionais em carros elétricos e, para isso, não há opção melhor do que a Organização Autolibre. Desde 2002, mais de 2.000 conversões já ocorreram na América Latina e na Espanha. Com o melhor conselho para empresas e clientes particulares..

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email