Elétricos Europa Hatches Kia

Kia Picanto deve seguir rivais e virar elétrico no futuro

Kia Picanto deve seguir rivais e virar elétrico no futuro

O Kia Picanto é um simpático subcompacto que já foi vendido no Brasil, o último foi o GT, que custava R$ 58.990. Lá fora, conhecido como Morning, o hatch de acesso da marca coreana deve seguir os rivais e virar elétrico no futuro, de acordo com Emilio Herrera, presidente da Kia Europa.


Herrera já sentenciou: “Mas mais cedo ou mais tarde, teremos que fazer isso.” Ou seja, não há escapatória para o segmento de entrada de várias marcas. Os carros subcompactos estão entrando numa época decisiva na Europa. A pressão ambiental exige menor emissão e fazer isso, significa investir mais nesses carrinhos para atender a legislação.

O problema é que a conta não fecha e o que seria barato, torna-se caro de fazer e vender. Assim, o único caminho para ter preço alto num carrinho urbano é que ele seja totalmente elétrico. Assim, parte do custo é diluído por incentivos fiscais, tornando o preço menos agressivo ao consumidor.

Kia Picanto deve seguir rivais e virar elétrico no futuro


Para a Kia Motors, se quiser manter o Picanto na Europa, a saída será essa, como Herrera afirmou. Quem não está disposto a gastar com isso, tem que arrumar as malas e sair de cena, como é o caso da Ford, que já cortou o Ka+ no continente. A Opel não pode lidar com os pequenos Adam e Karl, que serão cortados também.

A VW já resolveu a questão eletrificando up! e seus irmãos de Seat e Skoda, mas estes serão substituídos por um novo trio de elétricos mais acessível até 2023. Na Hyundai-Kia, embora o Novo i10 tenha sido apresentado agora, ele também é outro que terá de decidir-se mais adiante.

Kia Picanto deve seguir rivais e virar elétrico no futuro

No caso da Renault, o projeto interno é de ter um elétrico puro de entrada que custe menos de € 10.000. O Kwid eletrificado poderia ser essa opção, porém, sua estrutura teria que ser mais reforçada para manter o padrão da marca em segurança e isso demanda custo.

O chefe da Kia é cético no que diz respeito à Renault: “Acho que é uma afirmação muito ousada, porque uma das coisas mais desafiadoras que temos é tornar todos os elétricos rentáveis. E quanto menor o carro, mais complicado é. Portanto, para ter um EV de 10.000 euros nesse período, eu o vejo muito desafiador e não muito realista ”. 

[Fonte: Auto News]

Este texto lhe foi útil??

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • THM

    A Renault falou sobre esse modelo como um Dacia.

    Com as normas europeias rigorosas demais para o segmento A, a tendencia é que os citadinos não recebam muitos investimentos para cumprirem a meta de emissão muito abaico do segmento B por exmpo.

    A corrida vai ser pelo carro elétrico mais barato e que caia no gosto do publico

    A VW esta bem posicionada nos eletricos, mas com a MEB que suporta carros maiores. O e UP é um projeto adaptado, de um carro de vendas discretas. Tera que criar um projeto do zero.

    A Honda ainda vai cobrar caro pelo e. O mesmo para a Mini

    A FCA prometeu uma plataforma exclusiva para pequenos eletricos, mas isso começará com o 500e que nao sera extamente barato e sera outro modelo diferente do 500, que continuaria em linha. A tarefa de lancar um eleteico a 15 mil euros ficaria para o panda elétrico(centoventi de produção).

    Dito isto, conseguir um elétrico a 15 mil euros sera difícil para esse.prazo

    • th!nk.t4nk

      O novo e-Up melhorou nessa parte. Na tabela entrou por 22 mil €, mas tem o retorno de impostos do governo ainda. Antes não vendia porque era caro e tinha baixa autonomia, mas creio que agora começará despertar o interesse de frotistas de car-sharing. Vai quebrar o galho até chegar um ID.1, quando esse segmento for lucrativo (por enquanto é só vitrine tecnológica mesmo). E tem o Smart EQ nessa mesma faixa de preço, e que também tem autonomia baixa, mas tem feito relativo sucesso em car-sharing. A meu ver esse é o público que dá pra atrair nesse momento, e não vendas privadas. É só vitrine.

  • Pelo menos não vai virar SUV. 😁😁 Ainda!!

  • Sino Weibo

    Poxa, ainda não é dona Kia?

  • Edson Fernandes

    Se aqui o Picanto “GT” custava R$58900, ele elétrico aqui custará no minimo R$150000. Como tem chines custando isso sendo subcompacto. Então acho que um Picanto custaria com certeza R$200000.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email