América Latina Segurança Vídeos

Latin NCAP: Esclarecimentos sobre a pontuação nos testes de segurança

testes-latin-ncap Latin NCAP: Esclarecimentos sobre a pontuação nos testes de segurança

A metodologia de pontuação para classificação de segurança do Latin NCAP pode ser confusa para muita gente. Feita pelo instituto, que não tem vínculo com os fabricantes de veículos, por ser independente e privado, a avaliação de segurança automotiva é resumida à quantidade de estrelas que um carro recebe, que vai de 0 a 5. O colaborador Lucro Brasil obteve dados liberados pela entidade e esclarece alguns pontos relativos ao assunto.



O Latin NCAP não informa os pontos de forma individual para impactos frontal e lateral. Por conta disso, geração erro de interpretação, visto que não é possível conhecer os resultados em separado, apenas a soma deles. Eu tive acesso aos dados junto ao instituto e vamos tentar decifrar algumas coisas, mas é preciso ter em mente os números abaixo:

Um carro só é considerado seguro se obter acima de 11 pontos de forma individual.

Pontuação individual = 0 a 1,99 ponto (zero estrela), 2 a 4,99 pontos (uma estrela), 5 a 7,99 pontos (duas estrelas), 8 a 10,99 pontos (três estrelas), 11 a 13,99 pontos (quatro estrelas) e de 14 a 16 pontos (cinco estrelas).

Ford-Ka-2018-Latin-NCAP-16 Latin NCAP: Esclarecimentos sobre a pontuação nos testes de segurança

Primeiro protocolo: Impacto frontal = 16 pontos. Total máximo de 16 pontos.

Segundo protocolo: Impacto lateral = 16 pontos + 1 ponto por aviso de cinto de segurança. Total máximo de 17 pontos.

O UN95 é um teste de impacto lateral opcional, que não possui pontuação.

Atual protocolo: Impacto frontal do antigo protocolo (com ligeira mudança na pressão sobre o peito, que não influi muito na pontuação de forma geral) e o impacto lateral do novo protocolo.

Sendo assim, temos: Impacto frontal com 16 pontos, mais impacto lateral com 16 pontos, além de 1 ou 2 pontos adicionais para cintos de segurança dianteiros e traseiros, respectivamente. Dessa forma, o total alcança 34 pontos.

Teste do ESP 

Teste do impacto lateral no poste 

Agora vamos a pontuação dos impactos frontais e laterais separados (no site da Latin NCAP consta apenas a soma final): 

ford-ranger-latin-ncap-2016-3 Latin NCAP: Esclarecimentos sobre a pontuação nos testes de segurança

Ford Ranger 3 estrelas (airbags duplos, sem airbags laterais)  

Impacto frontal = 13,62 

Impacto lateral = 16,00 MAX 

Total 13,62 + 16,00 + 1 = 30,62

Renault-Kwid-Latin-NCAP-15 Latin NCAP: Esclarecimentos sobre a pontuação nos testes de segurança

Renault Kwid 3 estrelas (airbags duplos, com airbags laterais) 

Impacto frontal = 9,50 

Impacto lateral = 12,35 

Total 9,50 + 12,35 + 1 = 22,85 

Fiat-Mobi-Latin-NCAP-7 Latin NCAP: Esclarecimentos sobre a pontuação nos testes de segurança

Fiat Mobi 1 estrela (airbags duplos, sem airbags laterais) 

Impacto frontal = 11,58 

Impacto lateral = 7,62 

Total 11,58 + 7,62 = 19,20

Olhando dessa forma separada, fica bem claro a pontuação e a eficiência de acordo com o impacto. O Ford Ranger, mesmo tendo pontuação para 5 estrelas, recebeu 3 estrelas, isso se deve pela ausência do ESP (controle de estabilidade), e não ter airbags de cortina (assim sendonão foi feito o teste de poste).  

Já o Kwid, que também recebeu as mesmas 3 estrelas, porém, não tem pontuação para 5 estrelas, sendo que no caso do impacto frontal tem apenas uma nota bem baixa de 9,50. Fica evidente que não se pode ficar comparando apenas olhando as estrelas.  

Constantemente eu friso sobre esse fator, mas não é fácil explicar, e tão pouco o site da Latin NCAP ajuda. Vamos agora ver a pontuação do outro subcompactoo Fiat Mobi. Mesmo tendo recebido apenas 1 estrela, ao olhar a pontuação é possível observar que se saiu bem melhor que o Kwid em relação ao impacto frontal, porém, foi ruim no impacto lateral.  

Kwid é exatamente o inverso, foi ruim no impacto frontal e bem no impacto lateral. Resumindo de forma mais clara e real, num acidente com impacto frontal, o Mobi é mais seguro que o Kwid, já no impacto lateral é o inverso. Alguns devem estar querendo uma comparação com Chevrolet Onix 0 estrela e Ford Ka 0 estrela.  

Não tenho em mãos os dados exatos individuais desses dois modelos, porém, “aproximados’ é fácil obter, já que o novo protocolo não testa impacto frontal (exceto carros que nunca passaram pelo teste frontal nos anos anteriores).  

Sim, a Latin NCAP usa o teste frontal do segundo protocolo para somar com o teste do impacto lateral do novo protocolo. Contudo, é bom lembrar novamente (como citei acima) que existe uma pequena mudança na pressão nos peitos entre os protocolos, mas nada que mude a pontuação de forma drástica 

Tal fato pode ser visto nas fotos e vídeos dos impactos frontais do Onix e Ka, ambos estão com as mesmas imagens do teste do antigo protocolo. Portanto, você pode usar a pontuação dos antigos protocolos para uma comparação apenas sobre o impacto frontal. 

Considerando isso, para impactos frontais o Onix foi 9,67 e Ford Ka 11,67. É possível reparar que o Onix teve nota semelhante à do Kwid e o Ka foi bem superior. Então, por que ambos receberam nota zero estrela? A Latin NCAP considera o menor desempenho. E ambos foram um fiasco nos impactos laterais. 

E falando em subcompacto, não podemos esquecer do Volkswagen up. Esse recebeu excelente nota para impacto frontal e passou pelo impacto lateral UN95 (sem pontuação). Por não ter sido submetido a pontuação no impacto lateral, a Latin NCAP me disse que não tem como passar um dado correto para fazer uma comparação direta entre os automóveis recentemente testados. Contudo me enviou uma foto comparando a estrutura do up em relação ao Mobi (a velocidade do impacto é igual em ambos os testes laterais) 

Existem muito mais coisas para serem explicadas, mas não o farei, pois quanto mais explica, complexo e confuso será. A intenção foi mostrar que não se deve olhar apenas as estrelas. Obviamente que um leitor comum não terá acesso a esses dados facilmente. Agora eu fico imaginando, um consumidor indo visitar as concessionárias com as estrelas em mãos. 

Obs: no site da Latin NCAPa Ford Ranger está com erro de imagem e informação. Até mês passado estava normal, mas deve ser uma falha do sistema. Importante lembrar que picape testada é modelo básico da Argentina, sendo que o modelo brasileiro vem de série com 7 airbags e ESP. 

Agradecimentos ao Lucro Brasil.

  • Ygor Soares

    Excelente artigo! Esclareceu algumas dúvidas que possuía a respeito dessa classificação :)

    • celso

      Faço das suas as minhas palavras.

    • pdias

      Ok, estrelas podem não ser referência. Mas os carros-arietes entrando meio metro nas laterais do ônix, ka e 208 nacionais, destruindo a bacia do boneco, são a referência indelével que eu guardo… e num acidente numa esquina, se alguém bater na lateral de um desses carros, verá porcaria, isto é fato!

      • Hugo Victor

        Não seria mais fácil então, colocar “X estrelas para impacto frontal” e “X estrelas pra impacto lateral”,
        “X pontos por pontuação extras”, sendo total de XX pontos.

        Só falar X estrelas está ficando vago…

        • pdias

          Então, a gente não tem como escolher qual batida queremos sofrer!!! Então, acho que o carro tem que levar a classificação pelo seu ponto fraco, não pelo seu ponto forte.
          Acho muito mais vago, desculpe a frase, dizer assim: “Ahhh, vou comprar este que é mais forte para batidas de frente do que aquele que é melhor em batidas de lado…”

          • Rodrigo Figueiredo Bertelli

            Mas qual você preferiria? Um com 5 estrelas frontal e 1 estrela lateral ou um com 3 estrelas lateral e frontal?

            • Cristiano_RJ

              A sua pergunta é teórica. Um carro para receber 5 estrelas em impacto frontal dificilmente receberia 1 estrela no lateral, pois esse resultado denota uma falha estrutural que tornaria a combinação desses resultados incompatível. Seria mais razoável perguntar se ele prefere um 5 estrelas / 3 estrelas ou um 3 estrelas / 3 estrelas Neste caso, o critério de divulgação da Latin NCAP iria igualar todos como 3 estrelas. Mas a pontuação global sempre é divulgada. Basta o consumidor acessar o site e está lá, ao lado das “estrelinhas”.

              • Rodrigo Figueiredo Bertelli

                Consumidor não acessa site. Consumidor vê as estrelas e só.

                • Cristiano_RJ

                  Na verdade o consumidor brasileiro não faz nem uma coisa e nem outra. E quando tem acesso ao resultado apenas pelo número de estrelinha, não toma providência nenhuma. O fato é que só uma grande minoria utiliza esse resultado ou os itens de segurança ativa / passiva como critério de compra. O sucesso de vendas do Onix não me deixam mentir.

                  • pdias

                    Infelizmente o “sucesso” de vendas do ônix exprime o quanto de falha cultural e educacional temos no nosso país. Há um déficit de curiosidade intelectual-cognitiva da ampla maioria e, embora, não seja um problema nosso o que a maioria escolhe para guiar, torná-se quando a indústria não se sente “desafiada” pelos clientes a melhorar seus produtos e nós passamos a contar apenas com carroças no mercado mesmo sendo de classe média.

                    • Cristiano_RJ

                      Excelentes considerações. É por isso que sinto-me refém deste mercado limitado, pouco exigente e permissivo. E como podemos ver nos comentários nesta seção, além de desqualificarem a fonte dos testes, começam a ensaiar uma tentativa de taxar quem é consumidor exigente de esquerdista que desconhece o que são os desafios do empreendedorismo. Era só o que faltava.

                    • Edson Fernandes

                      Vamos além: O brasileiro é seletivo também: Só diz de “estrelas” para aquilo que torce. Pois tem muitos desses.

                      Enjoei de ver viuvas do kwid mostrando o teste indiano mesmo até o atual momento.

                    • Cristiano_RJ

                      Isso é verdade. Frequentemente nos deparamos com críticas com lupa para defeitos leves ou permissividade em excesso emitidos por determinadas pessoas e quando observamos o histórico de comentários delas, percebemos claramente um padrão favorável ou desfavorável a esta ou aquela marca. Esse comportamento é extremamente danoso para nós mesmos.

                    • Edson Fernandes

                      Cristiano,
                      Aqui no NA, eu vejo muito disso, o favoritismo por marcas. Eu reduzi minha quantidade de comentários para evitar conflito com a moderação. Eu já errei mas procuro evitar comentar em cima daquilo que é errado. Melhor moderar e passar a não responder.

                      Se percebe quando é uma pessoa disposta a ter uma discussão agradavel para até aprendizado dos que querem gerar discussões porque não há ponto de vista, há uma definição da pessoa que aquela marca é aquilo e pronto. E qdo faz isso fugindo da noticia, é moderada (e alguns até banidos). Mas o comportamento é bem comum de falar que X marca é isso ou aquilo.

                      Nessa parte de segurança é muito comum ver o ódio de uma pessoa que não “torce” para aquela marca.

            • pdias

              Hehehe, é loteria total a sua pergunta, afinal, quem sabe quando e como irá bater o carro?
              Eu preferiria, lógico, um carro bem pontuado em frontal e colisão lateral com carro-ariete que são as mais comuns no trânsito…

  • Deadlock

    Se as estrelas não dizem muito, para que essa classificação?

    • Leonardo

      Acho que é para ser algo fácil de ver.
      Mas concordo que ao invés de estrelas poderiam colocar a pontuação dos impactos, ou melhor, botar até 5 estrelas para cada quesito, só assim ficaria mais fácil e mais inteligente, e no final colocar uma até 5 estrelas tbm para fazer uma média total do carro.

      • Djalma

        Concordo; pois a nota para o Kwid não mostra que o carro foi tão mal nos testes de impacto frontal, e também não mostra que o Onix teve uma boa nota no impacto frontal, mas uma nota ruim no impacto lateral.
        Por outro lado, a matéria mostra, que mesmo com as 3 estrelas o Kwid não é um carro seguro pois não atingiu o mínimo de 11 pontos para ser considerado seguro.

        • Cesar

          Acho que você está deturpando os dados. O mínimo para 3 estrelas é 8 pontos e não 11.
          “8 a 10,99 pontos (três estrelas)”
          Renault Kwid 3 estrelas (airbags duplos, sem airbags laterais) – Impacto frontal = 9,50

          • celso

            E aí, Cesar, gostou da matéria ?
            Até o Onix se saiu melhor que o Kwid no impacto frontal, hahahahaha!!!!

          • Djalma

            Leia novamente; a matéria diz que para ser considerado seguro um carro tem que ter no mínimo 11 pontos, o Kwid teve 9,5 no impacto frontal. Nem estou questionando as 3 estrelas do Kwid, apesar de não concordar, mas só indo aos fatos mencionados na matéria.

            • Leonidas

              Então. 11 pontos 4 estrelas. Kwid 3 estrelas. Ta tudo normal.

              • Djalma

                Você está correto, foi considerado a menor nota frontal para as 3 estrelas; 9,5. Então, num batida frontal, tanto Mobi quanto KA seriam bem mais seguros que o Kwid, ao contrário da lateral, onde seriam piores. Num impacto frontal, o Up, seria de longe, mais seguro do que todos eles e não tenho dúvida que o seria também no lateral, como já demonstrou antes pelo Protocolo UN95, sem pontuação.

      • Acho que até poderia deixar explícito as estrelas por quesito, mas a pontuação em estrelas geral é sim a mais adequada, visto que você não vai escolher a forma que pode sofrer o acidente. Deste modo a nota pelo critério mais baixo me parece muito justo, de que adiantaria você pegar um carro com excelente quesito em impacto frontal e sofrer um acidente de impacto lateral? E vice-versa. Em se olhar o quadro geral avaliar pelo menor quesito é bem justo.

        • Emanuel Schott

          A questão é que acidentes por impacto frontal são bem mais comuns que impactos laterais. Levando isso em consideração, Mobi (1 estrela) e Ká (0 estrelas) são mais seguros que o Kwid (3 estrelas). Só considerar o número de estrelas passa uma informação distorcida.

          • Ernesto

            Aí você usa essa sua estatística de que impactos frontais são mais comuns que laterais e compra um Mobi ou um Ka e acaba justamente levando uma batida lateral num cruzamento.

      • Dherik

        Não acho que seria uma boa. Se fizer média total, as fabricantes podem dar uma de “espertas” e concentrar em algumas proteções para garantir uma média boa, podendo até zerar em alguns.

        O Kwid é o carro com proteção mais equilibrada, merece as estrelas que tem.

    • Renato1983

      As estrelas resumem a série de avaliações, que consta de diversas etapas. Vale ressaltar que a nota final considera o item que pontuou menos. Serve para dar uma noção geral. Mas o consumidor tem que ser esperto. Não pode terceirizar até o próprio raciocínio. A nota de Ranger é alta, mas tem 3 estrelas. É igual ao Kwid? Óbvio que não. Isso é física básica. Tem mais massa se deslocando, portanto em uma batida, evidentemente a Ranger leva vantagem, sem falar na quantidade de massa deformável até chegar ao ocupante. Em contrapartida, uma picape desse porte 4×2 sem controles eletrônicos (o teste é sempre com a versão menos segura), você tem mais chance de sofrer o acidente por questões relativas a estabilidade. São muitos fatores envolvidos. Ademais, rebaixar as estrelas da Ranger (ou qualquer outro veículo) baseando-se objetivamente na ausência de itens cruciais de segurança não deixa de ser uma pressão para as montadoras equiparem melhor seus carros. Concordo contigo no detalhamento da nota, no entanto eu jamais compraria Ônix, Ka e assemelhados imaginando que “pelo menos em colisão frontal ele é bom” para um outro veículo furar um sinal ou desrespeitar uma placa de pare e me matar batendo na lateral do meu carro “5 estrelas frontais e 0 laterais”. A gente não escolhe a dinâmica de um acidente, senão simplesmente não nos acidentaríamos.

      • Djalma

        Seu raciocínio também é válido para impacto frontal. Então carro seguro é o que vai bem em todos os quesitos, sendo assim,o único por enquanto que se enquadra nisso é o Up. Comparando aquele foto da lateral do Up com a do Mobi, é impressionante a diferença do estrago, e mesmo olhando a lateral do kWID com aqueles pretensos dois AB minúsculos e o do Up, também fica visível a superioridade do Up sobre esse. Mas não adianta, se não tiver esse arremedo de Air Bag já vai perder um ponto, mesmo sabendo que é mais seguro do que aquele que tem air bag. Quanto ao ESP já deveria ser obrigatório a muitos anos; teria evitado muitos acidentes.

      • Renan Abreu de Moura

        “A nota de Ranger é alta, mas tem 3 estrelas. É igual ao Kwid? Óbvio que não. Isso é física básica. Tem mais massa se deslocando, portanto em uma batida, evidentemente a Ranger leva vantagem, sem falar na quantidade de massa deformável até chegar ao ocupante”

        Somente no caso em que a batida for contra um veículo com peso menor e frontal.

        No caso do teste, em que pese ter mais massa para se deformar até chegar no ocupante, tem também mais energia cinética a ser dissipada no impacto. Portanto, não se deve avaliar dessa forma.

        Outra coisa, mesmo a ranger tendo ESP, ele possue, evidentemente, menor estabilidade em curvas do que outro carro com centro de gravidade mais baixo, como um sedã, por exemplo.

    • Edu

      Na minha opinião pelo menos a pontuação total deveria ser informada junto com as estrelas.

      • Cristiano_RJ

        Mas é informada. Tanto a pontuação de proteção a adultos, quanto a crianças.

        • Edu

          Me refiro ao público em geral. Vejo muito “tal carro é três ou quatro estrelas” e só.

          • Cristiano_RJ

            Então, está lá no site. Acho que é uma forma rápida de passar a informação adiante. Verdade seja dita, para o nosso mercado, se conseguirmos fazer com que 50% da população olhe as estrelinhas e leve em consideração na decisão de compra já teríamos evoluído 1.000%. O resto é ajuste fino.

    • Leonidas

      Bom. Dizem q eh o mínimo de segurança pois se nivela por baixo. Se vc quer totalmente seguro compre 5. Se quer bom compre 4, se quer razoável compre 3…por aí vai.

  • 868686

    E tem que ser exigente mesmo! As montadores sanguessugas que se virem.

    • Deivid

      Engraçado esse pensamento no Brasil que o empresário é o vilão e a população a vítima.

      • Nicolas_RS

        Os dois são culpados, a população tem QI baixo e as empresas aproveitam a situação vendendo gato por lebre.

        • Djalma

          Empresas qual cara pálida; tem empresas honestas, aliás, a maioria é honesta e a maioria mal consegue fechar as contas no final do mês!

          • Nicolas_RS

            Empresas grandes, montadoras de carros, empresas de telecomunicações, entre outras.

            • Djalma

              Mesmo essas, em que você se baseia para dizer que são desonestas?

              • Nicolas_RS

                Serio essa pergunta ?

        • Karranka

          As empresas aqui no Brasil diferente do resto do mundo são formadas de pessoas com os mesmos ideais de todo mundo que anda na rua.

      • Djalma

        Verdade, aqueles que criticam é que não tem culhão para abrir um empresa e pagar para ver. O Empresário tem que ouvir sempre aquele conversa mole “os patrões tem que pagar” ou “a culpa é dos patrões”. Queria ver um desses administrarem uma empresa 6 meses para ver o que é bom, a responsabilidade que pesa sobre suas costas. Não sabem, por exemplo, que as vezes o patrão tem que abrir mão de fazer sua retirada para poder completar a folha de pagamentos. Eu já passei muito por essa situação.

        • Railson Corrêa

          Quando não tem que colocar dinheiro do mês anterior pra pagar o 13º do pessoal! Mas é mais fácil falar que patrão é sanguessuga.

        • Cristiano_RJ

          Ôpa, péra! Quer dizer que um consumidor exigente é um zero a esquerda porque o correto seria ele abrir a própria empresa de automóveis dele? Desculpa aí, foi mal o incômodo. Juro que não vou mais exigir que meus carros sejam seguros, com mecânica moderna e que tenham conteúdo compatível com o preço que eu pago. Daqui para a frente vou sempre achar tudo o que me oferecem o máximo.

          • Djalma

            Não deturpa as coisas, a verdade é que o cara generalizou os empresários como sendo todos desonestos. Com relação a carros, se o carro atende a legislação, independente de ter no carro o que você deseja ou não, isso não quer dizer que ele fabricante seja desonesto por causa disso, assim como não é desonesto ter lucros.
            Além disso, você é livre para comprar ou não; se não te atende, vai procurar outra coisa.

            • Cristiano_RJ

              Isso mesmo. Se não me atende, procuro outra coisa. E sempre que posso, tento conscientizar outros consumidores a elevarem o sarrafo e não deixarem as empresas automotivas na zona de conforto. Quero ser tratado como um consumidor europeu ou norte americano também é, com acesso ao que há de melhor em termos de tecnologia, conforto, mecânica e segurança. Por isso que muitas vezes sou até ácido em algumas críticas. O problema é quando os consumidores agem como agentes das empresas, fazendo o papel de inocentes úteis. Quanto a essas, elas estão no papel delas. Sempre irão procurar maximizar seus lucros entregando o mínimo que aceitarem receber pelo maior valor que aceitarem pagar. Isso não é ilegal. Não estou falando em desonestidade. A desonestidade ocorre quando, por exemplo, se organizam para orquestrarem reajustes de preços, criarem novas barreiras tributárias ou pressionarem para relaxarem ou postergarem exigências na nossa legislação.

      • Cristiano_RJ

        Já o que eu acho engraçado é a postura do consumidor brasileiro de agir como se fosse funcionário das empresas automotivas, como se estivessem sendo remunerados por elas para sentirem suas “dores” e partirem em sua defesa, ao invés de se unir com outros consumidores para juntos, podermos forçar uma migração do nosso mercado de atrasado e inseguro para um nível mais alto. Isso não é considerado civismo e sim socialismo.

    • Cláudio Lima

      Concordo com vc. Independente do teste ser antigo ou não, Ford, Fiat, Vw etc sabem que os carros são fracos. Com certeza tem total noção de quantas estrelas ganharão nos LatinNcap. Nossa obrigação de consumidor é exigir carros seguros.

      • Wagner Lopes

        É o que o Nicolas falou acima: A grande massa tem baixo QI e está sempre mau informada. A grande maioria não tem qualquer noção do que se trata a segurança ativa e passiva de um veículo, logo, não há qualquer exigência destas na hora da compra. Nossos legisladores estão preocupados com si próprio e não fazem as leis e obrigatoriedades mínimas. As montadoras sabendo disto tudo, fazem vista grossa e produzem carros de baixo custo e fazem o seu $$$…é uma cadeia, são vários culpados senão todos!

  • BillyTheKid

    Interessante a diferença do up! e do Mobi no teste de impacto lateral. Não precisamos nem de estrelinhas ou da nota pra saber qual dos dois é mais seguro, pelo menos nesse teste.

    • FPC

      Eu acredito que se a VW colocasse um ESP e airbag lateral no up! ele tiraria 5 estrelas no novo teste.

      • BillyTheKid

        Acho que a VW não tem muita motivação pra fazer isso. O up! nunca vendeu muito, mesmo quando tinha 5 estrelas. Além disso, ou a VW teria que cobrar uns R$1.500+ por isso, ou cortariam um pouco da margem de lucro, duas opções ruins pra montadora.

        • Djalma

          ESP no Fox custava 1.000,00 mas vinha com função cornering light no farol de neblina, entretanto foram divulgadas informações que colocar ESP num carro com ABS já, não custa mais do que 100 dólares para o fabricante.

    • VaeVictis

      O Up! foi testado no lado do condutor, que sempre é mais robusto que o lado do passageiro.
      O Allgemeiner Deutscher Automobil-Club (ADAC) deve explicar quem escolhe o lado para testar.

    • Djalma

      A mesma coisa em relação ao Kwid, que apesar do AB lateral, não protegeu o torax do acompanhante. Por isso eu disse que não adianta colocar AB lateral e a estrutura do carro ser uma porcaria.
      Gostaria de saber também porque só fazem do lado do passageiro; por acaso motorista não é gente?

  • DaniloRHF

    Se querem passar credibilidade tem que informar os critérios sim. Percebam que coisa mal feita…

    “Olhando dessa forma separada, fica bem claro a pontuação e a eficiência de acordo com o impacto. O Ford Ranger, mesmo tendo pontuação para 5 estrelas, recebeu 3 estrelas, isso se deve pela ausência do ESP (controle de estabilidade), e não ter airbags de cortina (assim sendo, não foi feito o teste de poste). ”

    Segundo o site da propria Ford:
    7 airbags (Frontais, Laterais e Cortina e Joelhos para motorista)
    AdvanceTrac® – Controle eletrônico de estabilidade e tração

    • FPC

      Todas a versões tem 7 airbags?

      • TT 230

        No Brasil, desde a linha 2017, lançada ano passado, em todas as versões – incluindo também cintos de três pontos e encostos de cabeça para todos.

        Tá em promoção XLS 2.5 Flex 2017 por 92.990.

      • DaniloRHF

        Sim, é item de série

    • Paulo Vítor

      O Latin N Cap testa não apenas os carros vendidos no Brasil. Essa versão da Ranger sem ESP deve ser vendida em algum outro país da América latina.

    • Bruno Costa

      Eles testam pela versão menos equipada, no caso, a versão argentina com 2 air bags. Assim que fizerem o novo teste do Polo (com os carros de venda) ele deve perder 2 estrelas e ficar com 3, uma vez que a versão básica não tem ESP e carros sem ESP recebem no máximo 3 estrelas.

      • Wellington Myph13

        O Polo vai manter as 5 estrelas porque ele atende o critério mínimo da Latin NCap pra considerar que ele tem ESP de opcional em todas as versões, ESP na versão de maior venda (estimado pela VW que seja a Comfortline) e em 2 anos passará a ter ESP de série em todas as versões.

        Como em 2020 já vai ser obrigatório, muitas podem adotar isso, mas pra isso eles precisam lançar o ESP como opicional até na versão de entrada e ser de série na versão mais vendida. Exemplo: o Onix teria que ter ESP de opcional na 1.0 LT e de série na 1.4 LT (maior venda) e Opcional ou de série na LTZ…
        Argo a mesma coisa, pode adotar ESP de opcional na 1.0 e de série na 1.3 (maior venda) que no teste já seria considerado com o ESP…

        • Djalma

          Só que o Argo, a versão básica manual não tem ESP nem como opcional, e na 1.3 só na que tem GSR.

      • Djalma

        Nada disso, vai continuar com 5 estrelas! Justamente pelo motivo que o Wellington coloca.

    • TijucaBH

      Concordo! Uma confusão só e que indiretamente beneficia uns e prejudica outros!

    • Djalma

      É que no caso testaram um versão não vendida no Brasil, então esse teste nãos serve para o Brasil. As vezes testam carros vendidos em outros países que não exigem nem air bags frontais, aí dão nota baixa, e aqui no Brasil já começa o maior mimimi sobre o resultado.

    • SDS SP

      Eles testam o carro básico que é vendido no âmbito da América Latina. Isso que conta.

  • Deivid

    Esse institutozinho fuleiro só vai ter credibilidade no dia que der nota baixa a algum carro patrocinado!

    • Matuska

      O GlobalnCap deu no Kwid vendido da índia.

    • Fernando Sampaio

      O Kia Rio foi patrocinado, você viu a nota que ele tirou?

      • Djalma

        Na Europa foi 3 estrelas né?

    • TT 230

      É que na verdade a lógica se volta contra o seu desejo. Explico:

      Quando uma marca patrocina o teste, as unidades que serão testadas são escolhidas pelo Instituto, e não pela marca, que poderia “maquiar” essas unidades, reforçando-as com materiais melhores e mais resistentes, afim de tirar uma nota boa no teste, enquanto na linha de produção saem unidades piores para o consumidor.

      Todas as marcas possuem seus próprios testes internos de segurança. Portanto, todas as marcas sabem exatamente o nível de segurança de cada modelo seu.
      Se a marca sabe que seu carro é inseguro, ela não vai patrocinar o Instituto, pois seria uma forma de marketing negativo, Ou seja, dar um “tiro no próprio pé”. Mas há sim quem se arriscou, patrocinou e foi teve resultados ruins. Ao menos mostrou que é uma marca adepta da transparência, e compra o seu produto quem quiser.

      Para exemplificar esse meu parágrafo anterior, isso ocorreu também com os testes de consumo de combustível do inmetro. As marcas tinham que entrar de forma voluntária. Quem sabia da boa qualidade do produto que tinha, fazia questão de ter seu carro testado. Quem sabia que o consumo era ruim, simplesmente fugia da raia, pois mais uma vez seria “um tiro no pé”. Teve inclusive uma marca grande que foi uma das últimas a participar, e só decidiu participar dos testes depois que deu uma boa atualização nos seus motores e conseguiu surpreender positivamente muita gente com o resultado.

      Então qual que é a lógica?

      Todas as marcas sabem da qualidade dos seus produtos, e, o que é pior, sabem exatamente como melhorar os seus produtos.

      Não é uma questão de competência da marca, e sim de exigência do consumidor. E nesse caso, os Institutos, como o Latin NCAP e o próprio Inmetro, foram fundamentais para essas marcas melhorarem as qualidades dos carros.

      Eu sei, por experiência, que o nível de exigência da maioria dos brasileiros em relação aos carros é baixo. Repito, ele tá bem mais preocupado com o que se vê e o que se toca do que com a segurança. Carro é caro, é sonho e paixão do brasileiro.

      O ideal seria ter um carro Belo, bem acabado, confortável, econômico e seguro. Mas o nível de exigência ainda é baixo. Tanto que recentemente uma marca lançou um carro e meses depois retirou o pacote opcional de airbags laterais e de cortina por conta da baixa procura dos consumidores. É olha que mesmo adicionando o pacote, o carro ainda tinha um preço competitivo.

    • Eduardo Canedo

      Colega, antes de soltar um monte de “groselha”, leia antes. ( o link esta no final dessa postagem)
      Vou deixar sua leitura “mastigada” ….leia em :
      “Como são selecionados os carros?”
      “Como são escolhidos os carros e como funciona o processo para os carros patrocinados pelos fabricantes?”
      “Como é que Latin NCAP pega os carros em geral?”
      https://www.latinncap.com/po/preguntas-frequentes

      Boa leitura.

      • Mardem

        Não adianta!Tem que gente que não aguenta ver uma vergonha que já quer passar!
        Agora a culpa é do instituto, que avaliou, balizado por protocolos inteiramente conhecido pelas montadoras, carros que foram feitos propositalmente com estrutura deficiente.
        E a culpa é do instituto…
        Enquanto o Brasil não investir em educação de qualidade, teremos esse tipo de aberração.
        Melhor ver uma coisa dessas do que ser cego né…

      • Gomes

        Sugestão ao Instituto: substituir os Dummies por executivos das montadoras. No final crash test eles dariam entrevistas. Sem patrocínios.

    • Cristiano_RJ

      Inocente útil ou funcionário pago?

  • Cristiano_RJ

    Excelente matéria! Muito esclarecedora. Parabéns!!!!

  • TT 230

    Queria deixar os parabéns ao Lucro Brasil que se dispôs a fazer essa matéria de forma simples e direta, coisa que não vi o mínimo de esforço de grandes publicações em querer esclarecer sobre esse assunto, algo lamentável. Bom trabalho.

  • Whering Alberto

    Olha a diferença do Pobri pra o Up!…

    • Verdades sobre o mercado

      Realmente impressionante … os quase R$ 3.000,00 a mais do up ficam uma mixaria ao ver as fotos do impacto lateral …

      • leomix leo

        Infelizmente a realidade do país não é boa, o cidadão só tem 10k para dar de entrada, ele vai no que deixa a prestação de acordo com sua renda. É aí que o lixo do mobi entra. Vejo muito mobi de PF, fico me perguntando se esse cara não acompanha as notícias automotivas e se realmente ele tinha necessidade de um carro novo, pois um usado de categoria superior é mais barato que um mobi. Tentei tirar um foto de um mobi com 5 adultos, parecendo uma lada de sardinha, acho que eu preferia pegar um buzu, ou motoboy do que andar naquele aperto, mais o povo prefere andar em uma caixa de fósforo daquelas sem conforto e segurança ( em um acidente deve ser pior que cair de moto).

        • Brenno

          Uma coisa que eu ainda não entendi é o que leva uma pessoa a comprar esses carros. Ok, é o mais barato, é 0 km, beleza. Mas, será que não colocam a família toda no carro e dão uma volta pra ver como se comporta? E quando falamos de USADOS, a coisa piora: você tem 15 mil pra comprar um usado. Você pode ir atrás de um Mille/Gol 2013 peladão ou pode procurar um Clio 1.6 2006, completo+Airbag Duplo.
          Bem, como se diz, cada um sabe o que fazer com seu próprio dinheiro, então, cansei de discutir isso kkkk

          • Jackson A

            Comprar carros tão antigos assim é atestado de loucura. uma coisa de comprar carro de 3~~5 anos, passou disso não tem como recomendar.

            • Discordo. Carro usado é uma loteria, independente do ano. Precisa escolher bem. As vezes, carros com 1 ano de mercado, já tem problemas bem mais sérios que um usado antigo.

            • Brenno

              Eu sou um dos que prefere correr esse risco. No fim das contas, o custo x benefício é muito melhor. Claro, você analisa todas as condições, mas um usado bem cuidado e com manutenção fácil, não traz tanta dor de cabeça.

          • Djalma

            Pelo que vejo nas ruas, a maioria tá nas mãos de mulheres.

          • Emanuel Schott

            Manutenção, seguro, juros.. tudo é mais caro em um carro usado. Esse é o motivo. Carro novo não te dá dor de cabeça nenhuma por no minimo 3 anos.

          • Aí o cara pensa dessa forma, mas vem um comentarista daqui e fala que o Onix é mais seguro que um Vectra GT-x.

        • Djalma

          Cara, pega estrada e vai ver muito disso;os caras enfiam 5 no carro e se bobear mais o cachorro. Aí quando o cara chega lá no destino, descem do carro todo mundo torto, fazendo alongamento; é hilário. E ainda tem alguns que justificam aqui ” mas é o segundo carro da família”; “é um carro para uso urbano; é isso; é aquilo, sempre tentando justificar.

      • Djalma

        Pior que muita gente não entende isso; e levam em conta que o Mobi “é mais bonitinho”; “caixote com 4 rodas”; etc.

      • Emanuel Schott

        R$3.000 no preço de tabela. Na prática se leva o Mobi Like por R$35.000 e o Up! com a mesma configuração (ar condicionado, direção com assistência, vidros e travas elétricas) sai por R$44.000.

        • Verdades sobre o mercado

          É ruim comparar Mobi com motor Fire com up… além disso up também compra com desconto. Este mês o take completo compra por até 38.990,00

          • Emanuel Schott

            Take Up de R$38 é o básico. Pra ter ar, direção, vidros e travas precisa de um pacote opcional de R$6.000.

            • Verdades sobre o mercado

              Procure por ofertas no site da VW. Estão vendendo o completo por 38.990,00 este mes pois caiu muito a venda do up em set e out.

    • Djalma

      Deveriam colocar essas imagens em todos os meios de comunicação, quem sabe assim esse povo aprendia um pouco sobre a importância da segurança veicular.

    • Emanuel Schott

      O Up! custa R$9.000 a mais. Se não fosse mais resistente, alguma coisa estaria errada.

      PS: Mobi Like sai por R$35.000 nas consecionaria. Up! com os básicos direção com assistência, vidros e travas as elétricas e ar condicionado sai por R$44.000.

      • Whering Alberto

        Certo, mas segurança em primeiro lugar. E o Up!, ao menos para mim, parece melhor produto e menos feio. Quando os brasileiros entenderem que VW não é premium e que segurança é fundamental, talvez o Up! fique mais barato.

        • Emanuel Schott

          Talvez pra você sim, mas preço é fundamental.

          As pessoas vêem dois carros pequenos, apertados e que só carrega 4 pessoas e vê a diferença no preço, vão no mais barato. Segurança e mecânica ficam em segundo plano.

  • Tosca16

    Sei lá, por mim poderia ser de 0 à 100; dando no máximo 40 pontos só pra equipamentos. Com intervalos de meio e meio ponto, tipo um modelo poderia tirar 40,50 e outro 41,00… Até o ranking ficaria mais legal de visualizar.

    • Wagner Lopes

      Também acho que esse ranking deveria evoluir para se tornar algo mais claro e inteligente de se analisar.

  • No_Name

    O Kwid é muito fraco no impacto frontal e no lateral também não é lá essas coisas, o airbag que ajudou, mas não faz milagres. Um Palio projeto 1996 receberia notas iguais que esse Kwid no impacto frontal, o que pra mim é uma vergonha. São 20 anos de diferença dos projetos. Quem quiser segurança mínima nesses carros de entrada e compatível com os tempos atuais precisa de um Up, o resto é uma lástima.

    • Retrato do Papai

      Na real o palio da década de 90 é até um pouco melhor que o kwid no impacto frontal (10,65 x 9,5) huehuehue

      Trágico

      • Djalma

        E aí você vê um monte de neguinho, na matéria das 3 estrelas do Kwid, soltando fogos e usando termos tipo; “chupa hater”; mas esses devem ser geralmente os que jamais vão comprar um Kwid, são só torcedores!
        Agora, o fato é que os problemas não se resumem a isso; o carro vem apresentando seríssimos problemas no lançamento; por enquanto nos freios, mas vai se saber até onde vai chegar isso, tanto que está com o faturamento suspenso pois a fábrica está tentando resolver. Pela demora, as peças devem estar vindo de navio da Índia, o que leva quase 60 dias.

        • invalid_pilot

          Não adianta falar sobre construção – maioria não entende sobre isso.

          Pra mim foi supresa o carro tirar 3 estrelas – sendo que vendo os comentários do LatinNcap sobre o teste ele fala que proteção ao peito e pernas são abaixo do aceitável.
          Mas na cabeça de vários aqui – ele com airbag lateral e se tivesse ESP seria seguríssimo.

          Enfim!

  • No_Name

    A popularização da segurança se passa inclusive por simplificar os resultados dos crash tests ao público e nisso o LatinNCAP tem falhado miseravelmente, pois tem mais confundido que esclarecido, vide o tópico do Kwid onde o acharam uma maravilha quando na verdade esteve longe de ser. Tenho a impressão que os dados apresentados são destinados a técnicos e não aos consumidores de automóveis. Vamos melhorar isso, LatinNCAP!

    • Djalma

      Quando tem que ficar dando muita explicação, é porque tem alguma coisa errada. As normas desses testes deveriam ser claras e de amplo conhecimento público. Gostaria de ver esse mesmo teste feito pela Latin NCAP, feito também pelo Euro NCAP.
      Pro exemplo, eu não sabia de quase nada disso antes dessa excelente matéria.

  • predadordemarea .

    Para mim excelente matéria.
    Mas tem gente que por falta de conhecimento ainda consegue ficar no mimimi.

    • Cristiano_RJ

      Fico revoltado com essa gente que se presta a esse papelão de sair em defesa de empresas que enchem nosso mercado de produtos de segunda linha. E agora, como se não bastasse tentarem denegrir a imagem do Latin NCAP, a moda agora é taxar o consumidor exigente de marxista que não conhece as dificuldades de empreender. Era só o que me faltava. Só falta exigirem para pedirmos desculpas por incomodar.

  • Emanuel Schott

    O correto então seria uma média ponderada. Acidentes frontais (ou até traseiros) são mais comuns do que laterais. Nesse caso estamos mais seguros no Ka 0 estrelas e no Mobi 1 estrela que no Kwid 3 estrelas.

    • Djalma

      Pois é!

    • Dherik

      Não sei… eu discordo. O Kwid foi mais equilibrado, merece ser melhor mesmo. E acho que se fosse de outro jeito, as fabricantes investiriam apenas em uma proteção para garantir uma média boa.

  • Brenno

    Uma curiosidade: os testes de impacto frontal contra barreira deformável são a 64 km/h, correto? Em uma situação diária, um impacto frontal entre dois automóveis, a 80 km/h e a 100 km/h, o efeito é semelhante ou essa velocidade de 64 km/h seria uma “média” desde a mais alta até a mais baixa? Porque vejo acidentes frontais onde, quando alguém sobrevive, o carro fica muito mais destruído que no ensaio de crash test.
    E, pegando esse gancho, acho que aqui é o ponto onde deveria incidir a legislação: carros com menos de 5 estrelas seriam proibidos de serem vendidos no país. Ah, mas isso elevaria o custo pro consumidor…sei. E caixão tem gaveta?

    • delvane sousa

      A 80 ou 100 km em um impacto frontal nao sobra nem a placa traseira.

    • DaniloRHF

      Dois carros batendo de frente a 80km/h, é a mesma coisa que a soma do módulo de dois vetores. Ou seja, é um carro a 160km/h batendo uma barreira parada.

      https://www.youtube.com/watch?v=ulbqMkQmIRg
      https://www.youtube.com/watch?v=vFYHovJEUBg

    • Djalma

      Posso estar errado, mas o fato de que em uma barreira praticamente fixa, tem um impacto maior que carro em movimento na mesma velocidade. Agora, são não sei exatamente qual seria a velocidade que um carro deveria estar em rodovia indo de encontro a outro para simular a mesma força de impacto. Alguém bom em física e com os dados dos 2 veículos, como peso, no momento, poderia chegar a essa conclusão.

      • tech76

        O teste de impacto frontal contra barreira fixa a 64km/h simula uma batida frontal entre dois veículos exatamente iguais, por exemplo 2 VW Up a 64km/h.
        As velocidades não se somam, pois são distribuídas igualmente entre carros de mesma massa (a energia é de 128km/h mas é distribuída entre os dois veículos, o quebra resulta em 64km/h), inclusive isso já foi confirmado pelos Mythbusters que fizeram um teste prático.

        É por isso que também não se deve comparar a nota do impacto frontal entre carros de tamanho diferente de acordo com o IIHS, pois dois veículos possuindo o mesmo nível de segurança (resultado em crash test) o maior, mais alto e mais pesado será mais seguro. Inclusive o IIHS testou anos atrás alguns veículos nota máxima da categoria compactos com nota máxima de segurança em um impacto frontal com veículos médios nota máxima. Um dos testados

        • Djalma

          A considerar que o IIHS só pega 25% da frente do veículo contra barreira fixa,,onde eu acredito que a força do impacto se faz mais forte contra a estrutura do carro.

    • celso

      Num teste com velocidade acima de 64 km/h, dificilmente um veículo tiraria 5 estrelas, mesmo que a estrutura suportasse o impacto. A desaceleração acima dessa velocidade provocaria danos no corpo humano.

    • No_Name

      A escolha dessa velocidade de 64 km/h se deve a um cálculo médio entre a velocidade máxima permitida na maioria das estradas pelo mundo e a velocidade que os veículos estão no momento do impacto, uma vez que todo mundo freia antes de bater.

  • Zoio Delula

    Considerando isso, para impactos frontais o Onix foi 9,67 e o Ford Ka 11,67. É possível reparar que o Onix teve nota semelhante à do Kwid e o Ka foi bem superior. Então, por que ambos receberam” Ueee o Onix e Ka tiraram zero com os novos protocolos ..!!!

    • Djalma

      É uma zona; a Ranger teve notas muito mais altas que o Kwid (30,22 x 22,58 do KWID) e tirou 3 estrelas também;

  • delvane sousa

    A questao da seguranca veicular vai muito alem das estrelas, embora seja sim uma forma de simplificar para o publico leigo.

  • Gomes

    Parabéns pela explicação, nota 10 e 5 estrelas para o autor. Já para o LatinNcap nota zero e zero estrelas. Precisa fazer um curso em Havard para entender, além do fato que eles testam um carro comercializado na Argentina e divulgam o teste tb para o Brasil, sem alertar para Isso, induzindo as pessoas a erro (caso da Ranger, por exemplo). Se as estrelas não podem ser comparadas e os detalhes o consumidor não tem acesso, para que e para quem servem estes testes? Buzina de avião….não serve para nada…o que eles querem é continuar confuso e ser patrocinados pelas montadoras Que, provavelmente para fazer propaganda que tem 5 estrelas tem que pagar royalties para o Instituto….

    • joao vicente da costa

      Concordo integralmente com teu comentário.

  • Edu

    Ótima matéria, bem esclarecedora.

  • Paulo Reis

    Assisitndo ao vídeo é nítido a superioridade do ka no impacto frontal, o parabrisa nada sente. Nota-se a redução de custo, desde que o país não fiscalize e, consequentemente, autoriza tal atitude. Retirando as barras de proteção latereal, aumenta a margem de lucro, coloca-se em risco algumas vidas, Nenhuma novidade da regra do lucro acima de tudo. Na europa foi feito de forma correta, com os reforços estruturais de série, consegue pontuação necessária.

    • Hugo Leonardo Dos Santos

      Sim, kwid também nem trincou o para brisas, desses só o Onix e Mobi trincaram no impacto frontal

    • Djalma

      Parabrisa não trincar não significa muito nesses testes.

  • Louis

    De qualquer forma, se tirou 0 estrela é porque foi muito mal em algum quesito. E eu já riscaria da minha lista o Onix, Prisma, Ka, Ka+.

  • Don Ramón

    Troço mais confuso. Quem elaborou isso aí teria sido o Caetano Veloso?!

  • Robert Dniro

    Interessante esses dados, apesar do Kwid ter tirado uma nota até boa se vermos as imagens do impacto frontal realmente o dummy do motorista levou uma “senhora cassetada” no peito.

    • Djalma

      O impacto frontal do Kwid foi ruim, Pela frente tiraria uma estrela no máximo.

  • yurieu

    Então não existe a nessecidade de testar veículos, já que não há protocolos adequados. Não tem mais nenhum valor as 5 estrelas do corolla e polo.

    • Matheus

      Será mesmo que não tem valor amigo? É só abrir os vídeos e olhar os testes de impacto lateral. Algo muito simples de ser feito.

  • Geraaaaldo

    Assistir os videos ajuda bem mais do que olhar a classificaçao em estrelas.

  • Djalma

    Não entendi uma coisa. Se o Latin NCAP considera o menor desempenho, não consegui entender as 3 estrelas do Kwid, já que sua menor nota foi 9,50 em impacto frontal.

    • Paulo Henrique

      De 8 a 10,99 são 3 estrelas

      • Djalma

        No caso, o Mobi então não teria que ter ficado com 2 estrelas, já que teve 7,62 em impacto lateral e mais de 11,00 no frontal?

        • Leonidas

          Eh verdade. Tem alguma coisa estranha.

    • Paulo Henrique

      Pontuação individual = 0 a 1,99 ponto (zero estrela), 2 a 4,99 pontos (uma estrela), 5 a 7,99 pontos (duas estrelas), 8 a 10,99 pontos (três estrelas), 11 a 13,99 pontos (quatro estrelas) e de 14 a 16 pontos (cinco estrelas).

  • Rodrigo

    Engraçado esse esclarecimento vir a tona só agora, né? Bem apropriado…

  • Matheus

    Independente das estrelas, é obrigação ao menos do consumidor que preza pela sua vida e de seus passageiros olhar os vídeos dos impactos frontais e laterais para também tirar as suas conclusões. Agora, achar que Onix e companhia são seguros porque não é tão claro o teste que a Latin NCAP faz aí já é muita apelação… São inseguros SIM! Chega de mimimi e tentar defender as marcas. Defendam suas vidas antes de tudo!

  • Paulo Penna

    Então é urgente refazer todo o sistema de pontuação e classificação pois o atual não explica corretamente os fatos.
    De todo modo, esta pouca clareza e correspondência da classificação com os fatos não tira dos carros nacionais o título de porcarias caras e inseguras.

  • pdias

    No fim das contas, a questão é a colisão lateral: se, num cruzamento, alguém bater na lateral de um ônix ou ka, a chance do motorista destes carror virar Robocop ou ter um encontro pessoal com Deus é altíssima…. Impacto lateral é muito comum, portanto, quem compra um carro desses sabendo disso é suicida ou ignorante (= aquele que ignora o conhecimento)

  • Gomes

    Podemos dizer que no caso da Renault que está comemorando as 3 estrelas do Kwid, mas como em impacto frota foi uma m…. é o mesmo que o Verstapen subir ao pódio no GP do México e alguém pediu para ele descer…

  • Leonidas

    Era isso q eu estava esperando a muito tempo. Mais clareza nos critérios. É essa explicação só reforça a nota do kwid, q ele eh razoável, 3 estrelas. Acho estranho falar q ele foi ruim no impacto frontal, ele foi razoável, por isso ficou nivelado por baixo, 3 estrelas. O texto diz q um carro só eh seguro se tiver 11 pontos, ou seja 4 estrelas. Ainda espero explicações porque a captura não fez o teste do poste já q ela tem airbag laterais parecidos com o do polo. É a nota do polo sem esp.

  • Hodney Fortuna

    Gostei das análises! Parabéns ao editor.

  • Heleno

    Olhando as imagens achei Interessante a diferença de impacto lateral do UP contra o MOBI

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend