*Featured América Latina Segurança

Latin Ncap: Esclarecimentos sobre o novo protocolo

latin-ncap-fotos-impacto-lateral-1024x403 Latin Ncap: Esclarecimentos sobre o novo protocolo

Antes de iniciar a leitura desse artigo, gostaria de explicar aos leitores que a matéria anterior sobre as pontuações nos testes de impacto, era especificamente, e exclusivamente em referência ao score de acordo com o antigo protocolo. A intenção era fazer uma analogia apenas em cima da pontuação em relação ao impacto frontal (individualmente). Não tem nada sobre o novo protocolo.



Gostaria de deixar isso bem claro, já que a Latin Ncap avalia a segurança como um todo, e não parcialmente. Ficando isso bem claro, segue agora a explicação do novo protocolo e o seu respectivo score, com informações que me foram gentilmente esclarecidas por Alejandro Furas, Secretário geral da Latin Ncap, e Diretor técnico da Global Ncap.

O novo protocolo desde 2016 avalia o impacto frontal 16 pontos, mais o impacto lateral 16 pontos, mais 1 ponto do aviso de cinto de segurança frontais, e mais 1 ponto do aviso de cinto de segurança traseiros. Tem também a avaliação do teste do ESP (Controle de Estabilidade), e impacto lateral sobre um poste (se possuir airbags de cortina). Dessa forma, o total alcança 34 pontos.

Score do novo protocolo= 0 a 3.99 (zero estrela); 4 a 9,99 (uma estrela); 10 a 15,99 (duas estrelas); 16 a 21,99 (três estrelas); 22 a 26,99 (quatro estrelas); 27 a 32 (cinco estrelas)

As Ncaps não avaliam a estrutura do carro, e sim a segurança como um todo. Contudo, se o carro for considerado com estrutura instável, é subtraído 1 ponto. Importante lembrar que se não for testado o impacto lateral sobre o poste, somente não terá possibilidade de alcançar as 5 estrelas. E se não possuir ESP (Controle de Estabilidade) não terá possibilidade de alcançar mais de 3 estrelas, independente da pontuação que obter.

Desde 2016, Latin NCAP considera como segurança passiva (conhecida como secundária) a proteção em impacto frontal e lateral como segurança integrada ao conjunto do contexto geral, já mencionado acima. Um carro pode ser melhor que outro em impacto frontal, mas o relevante é a segurança passiva total (frontal junto com o lateral). Até porque nós não escolhemos o lado para bater no momento do acidente. Um motorista pode até ter chances de evitar um acidente frontal, mas é muito difícil evitar um acidente lateral – quando – e por imprudência do outro motorista.

Como exemplo, na matéria anterior citei sobre o Renault Kwid, Chevrolet Onix, e Ford Ka, mas uma ressalva, o Onix e Ka podem até serem melhores na batida frontal comparando com o Kwid, contudo o Kwid tem proteção melhor na batida lateral. Importante lembrar que o corpo humano tem capacidade para absorver e sofrer menos lesões num impacto frontal do que em comparação com um impacto lateral. Além disso, o carro possui uma capacidade maior de absorver um impacto frontal, e também possui um espaço maior a frente do corpo humano, sendo que num impacto lateral há muito menos espaço, e muito menos absorção do impacto. Por esse fato, a proteção lateral do Onix e Ka, possui grande probabilidade de risco de ferimentos gravíssimos e de risco de morte.

Resumindo, a soma de pontos da segurança passiva TOTAL é melhor no Kwid do que no Onix e Ka, pois o Kwid evita ferimentos críticos (de risco de morte) em zonas críticas do corpo humano (dummies). Enquanto que o Onix e Ka tiveram um desempenho fiasco no impacto lateral, por isso ambos foram qualificados com zero estrela. Quanto ao Ford Ranger também citado na matéria anterior, importante lembrar que por ser uma picape, ele é alto (centro de gravidade elevado), com peso maior, assim a ausência do ESP é um fator mais importante a ser considerado na segurança como um todo em comparação com outros carros.

Se pode inferir pelas pontuações que a Ranger tem melhor segurança passiva que o Kwid, porém não oferecer o ESP do modo exigido pela Latin NCAP, limita o resultado a 3 estrelas. A Latin NCAP informa em estrelas para a segurança geral, mas especifica com as pontuações para o nível de segurança passiva (secundária) em proteção aos ocupantes, e os dummies em cores.

Sei que para muitos isso pode ser polêmico, mas a explicação está bem clara, a avaliação e as estrelas são sobre o contexto geral. A Latin Ncap recomenda fortemente aos leitores e consumidores visitarem o site da Latin Ncap, olhar a pontuação total, e as cores dos dummies. Infelizmente muitas pessoas leem apenas o título de uma máteria, alguns leem o texto, e a minoria acessam o site da Latin Ncap. As estrelas estão ali para simplificar. Contudo, para deixar as pontuações de forma mais vísivel, a Latin Ncap me informou que a partir dos próximos resultados passará a informar as pontuações frontais e laterais separadamente.

Obs: No site da Latin Ncap, os testes feitos sobre o novo protocolo, as estrelas estão nas cores amarelas para uma melhor visualização.

Algumas perguntas e dúvidas frequentes sobre o Latin Ncap:

1 – Nos testes, a Latin Ncap considera qual versão do carro?
R. Mesmo que o carro testado seja o modelo top de linha, é considerado a configuração mais básica de segurança disponível na América Latina.

2 – Por que testaram o Ford Ranger vendido na Argentina?
R. Pelo mesmo motivo da resposta anterior, até porque não é Brasil Ncap, e sim Latin Ncap.

3 – Por que o Volkswagen Polo recebeu 5 estrelas, sendo que o modelo básico não possui ESP de série?
R. O Volkswagen Polo possui ESP como um ítem opcional na sua versão de entrada, e recebe 5 estrelas desde que a maior parte do mix de vendas tenha ESP de série. Latin NCAP exige que para considerar o ESP na avaliação, o modelo deve ter pelo menos uma quantidade igual em relação a quantidade da versão mais vendida produzido com ESP, além de que o ESP deve ser um opcional único (sem outros equipamentos extras), e depois de 2 anos deve estar presente em todas as versões como um ítem de série.

4 – De acordo com o que foi dito na matéria anterior, o Fiat Mobi não deveria ter duas estrelas considerando o menor desempenho? Por que ele recebeu 1 estrela?
R. A matéria anterior estava bem explícito que era sobre pontuação do protocolo antigo (até 2015), o Mobi foi testado no novo protocolo, por isso o score é do novo protocolo (soma do impacto frontal, e lateral, além dos avisos de cintos se disponíveis). Quando citei “menor desempenho”, foi em referência ao fiasco do impacto lateral do Onix e Ka, por esse fato, independente do resultado do impacto frontal, receberam zero estrela. Como dito na matéria anterior, o Mobi recebeu score total de 19,20, basta agora olhar a tabela acima. Na batida lateral, comparando o Ka, Onix e Mobi, todos eles tiveram um desempenho ruim na proteção do ocupante.

5 – O resultado da versão hatch, valem também para versão sedan?
R. Sim, por esse motivo a nota de zero estrela do Onix vale também para o Prisma. O mesmo caso para Ka hatch e Ka sedan.

6 – Por que o Renault Captur não foi testado no impacto lateral de poste? Uma vez que ele tem airbags laterais do tipo extensor até a cabeça (igual do Polo).
R. A Renault não quis patrocinar o teste de poste. O teste de impacto lateral é obrigatório, mas o de poste fica a decisão da montadora se quer ou não fazer, mesmo que isso seja sempre necessário para obter as 5 estrelas (adulto) quando o carro possuir a proteção lateral para a cabeça.

7 – Os carros exportados para o Brasil, eles tem a mesma segurança obtida nos seus respectivos Ncaps locais?
R. Depende. Se o carro é um modelo produzido com a intenção de vender para o mercado interno local, e apenas algumas unidades são exportados para o Brasil, nesse caso tem grande possibilidade que a segurança seja a mesma. Mas se o carro é um modelo produzido com intenção de exportar para outros mercados emergentes, nesse caso existe grande probabilidade de haver cortes de custos. Não vou citar o nome da montadora em específico, mas produz carros no México, e mesmo o carro saindo da mesma fábrica, uma linha de produção é para ser exportado para o mercado americano, e a outra linha de produção é para a américa latina. O modelo que vai para o mercado americano recebe airbags frontais maiores e de duplo estágio (mais moderno) com airbags laterais, de cortina e ESP. Enquanto que o modelo que é exportado para países emergentes como o Brasil e Mercosul, recebe airbags frontais menores e de simples disparo, sem airbags laterais, sem airbags de cortina, e ESP opcional. Creio que isso não é nem novidade aos leitores, já estamos acostumados em receber sempre o resto. É possível mudar o mercado mais rápido se os consumidores começarem a dar preferência aos carros com mais segurança, e exigir o mesmo das montadoras, assim como a Latin Ncap exige constantemente.

Por Lucro Brasil (agradeço a colaboração do Alejandro Furas, Secretário geral da Latin Ncap / Diretor técnico da Global Ncap)

COMPARTILHAR:
  • tech76

    Alguém sabe qual é a montadora a que a questão 7 se refere?

    “Não vou citar o nome da montadora em específico, mas produz carros no México, e mesmo o carro saindo da mesma fábrica, uma linha de produção é para ser exportado para o mercado americano, e a outra linha de produção é para a américa latina. O modelo que vai para o mercado americano recebe airbags frontais maiores e de duplo estágio (mais moderno) com airbags laterais, de cortina e ESP. Enquanto que o modelo que é exportado para países emergentes como o Brasil e Mercosul, recebe airbags frontais menores e de simples disparo, sem airbags laterais, sem airbags de cortina, e ESP opcional.”

    Isso é algo muito sério, deveriam divulgar o nome da montadora.

    • Hugo Leonardo Dos Santos

      Chuto Kia

      • tech76

        E em quais modelos a Kia tem essa prática?

        • Alexandre Volpi

          Cerato/Forte, talvez? Tem 2AB, mas não sei se esp é de serie

          • Cesar

            Mas o Cerato vendido aqui vem da Coreia e não do México.

            • Hugo Leonardo Dos Santos

              A tá, pensei que era o Cerato

        • Hugo Leonardo Dos Santos

          Só chutei, errei o gol hahaha.penseibque era Cerato

      • Racer

        Qual modelo da Kia vem do México? Acho que ainda nenhum…

        • Hugo Leonardo Dos Santos

          Ainda não? Putz, pensei que o cerato vinha.

          • Racer

            Capaz de vir o Rio de lá.

    • Filipo

      Provavelmente a Nissan, com o Versa.

      • joao vicente da costa

        O Versa é feito em Resende – sendo inclusive exportado de lá para outros mercados.

        http://nissannews.com/pt/nissan/brasil/releases/nissan-chega-a-10-mil-ve-culos-produzidos-em-resende-para-exporta-o

        • Fedido

          Agora ele é, mas ele e o March começaram vindos do México

      • F30FLORIPA

        Nissan Sentra

        • B Damasceno

          O Sentra tem ESP em todas as versões agora. Mas isso pode ter acontecido nas versões anteriores. Pode ser a Nissan sim com o Sentra.

          • Cleidson

            Nissan Kicks. O mexico produzia o que vinha pro brasil e o que vai pros eua e são kicks bem diferentes em equipamentos

            • Ernesto

              Eu chuto o Sentra, pois ele continua a vir do México e as versões S e SV têm somente air bags duplos. Somente a versão SL tem mais air bags (isso que eu vi quando fui a uma concessionária ver o carro, mais ou menos em Maio deste ano).

      • Marquinhos

        Também pensei em Nissan

    • Oberon de Megrez

      Eu desconfio que é a Nissan. É sabido que existe uma considerável discrepância no que se refere a itens de série da mesma versão norte americana para sul americana, mas nessa parte de segurança, tamanho de airbag… Se confirmar isso, seria uma grande decepção. Não seria com o Versa que no caso já é nacional, mas sim com o Sentra. Haja visto que o americano é 1.8 e o nosso é 2.0, a fabrica de aguas calientes é uma das maiores do mundo, comportaria duas linhas para o Sentra sem problemas.

      • tech76

        Mas nesse trecho eles falam: “recebe airbags frontais menores e de simples disparo, sem airbags laterais, sem airbags de cortina, e ESP opcional.” E o Sentra possui ESP de série e airbags laterais e de cortina na versão de topo.

        • Oberon de Megrez

          Exatamente por isso que não dei certeza, mas veja bem, isso na versão topo… mas é só a versão SL que vem de la? se não me engano a de “entrada” não possui estes itens.

          • tech76

            No site da Nissan fala que o Sentra S vem com “VDC (Vehicle Dynamic Control) – Controle de Tração e Estabilidade”.

            • Oberon de Megrez

              Eu tenho um Nissan e espero que não seja ela mesmo, mas no site tbm mostra que o mesmo não vem com aribags de cortina. Veja o site oficial da Nissan USA fala que vem na mesma versão do Sentra S :

              “O Sistema Avançado Air Bag da Nissan inclui airbags frontais suplementares de dois estágios equipados com sensores de cinto de segurança e um sensor de classificação de ocupante. Essas bolsas de ar de dupla fase ajustam sua taxa de inflação, dependendo da gravidade do impacto e do uso do cinto de segurança. Se o assento do passageiro dianteiro estiver vazio, um sensor realmente desativa esse air bag. Além disso, os airbags suplementares de impacto lateral padrão estão embutidos nos bancos da frente, então eles se movem com você enquanto você ajusta seu assento. Por cima, os sacos de ar suplementares de impacto lateral com cortina de tejadilho padrão com sensor de rollover ajudam a fornecer proteção de cabeça para passageiros dianteiros e traseiros.”

              • tech76

                O Sentra na versão SL de R$103.900,00 vem com airbags laterais e de cortina.

                • Oberon de Megrez

                  Sim, mas em que momento a matéria diz que o carro em questão é o topo de linha? Eles podem ter se referido ao Sentra 2.0S. Se a Nissan importasse do México só a versão SL aí tudo bem, mas ela importa para ambos os países a versão S. Repare que no site americano alem de citar o airbag de *duplo estagio* ainda mostra que la o modelo S de la já vai equipado com as cortinas, que aqui só é de série no SL. Eu só não dei certeza absoluta que é ele porque o controle de tração e estabilidade já é de série no modelo nacional como vc mesmo comentou.

          • Ernesto

            Só a versão topo tem mais air bags, a S e SV têm só air bags frontais.

    • MIN💀S

      Eu chuto o Nissan Kicks.

      • tech76

        O Kicks possui 6AB + ESP + frenagem automática de emergência na versão de topo e foi falado que seria um carro sem airbags laterais, de cortina e com ESP opcional, ou seja, não possuiria os airbags laterais + cortina nem como opcional, então acredito que não seja o Kicks.

        • MIN💀S

          No Brasil.. somente a versão Top Top das galáxias!

      • Cesar

        O Kicks não ia para os USA, então não tem como ser.

      • F30FLORIPA

        Nissan Sentra.

    • Vitor Almeida

      GM com Tracker, Honda com CRV (que hoje vem dos EUA), Nissan, etc opções não faltam

      • tech76

        Tracker possui airbags laterais, de cortina e ESP na versão de topo e CR-V possui de série 6AB + ESP. Pelo que falaram, seria algum carro que não possui airbags laterais e de cortina nem como opcional: “recebe airbags frontais menores e de simples disparo, sem airbags laterais, sem airbags de cortina, e ESP opcional.”

        • Vitor Almeida

          Tracker incorporou esses equipamentos recentemente, CRV idem, antes era dois AB e nada mais.

          • tech76

            Antes a Tracker possuía 6AB na versão top e CR-V 6AB e ESP na top, então não se encaixa na resposta dada de que seria um carro sem airbags laterais, de cortina e com ESP opcional.

    • Filipe Coelho

      Isso tem cara de Ford…

      • tech76

        Mas carros da Ford fabricados no México que vem para o Brasil são apenas o Fiesta Sedan e o Fusion e ambos possuem ESP de série e o Fiesta Sedan tem os airbags na versão de topo.

    • Fabio Marquez

      Pode colocar na sacola Kia, Nissan e muito provavelmente Chevrolet. Ficou provado que o Nissas Murano fabricado nos EUA e enviado ao mercado latino americano oferece riscos aos passageiros, já que recebeu apenas duas estrelas no teste feito pelo Latin NCap.

      • Cesar

        Não tem nenhum Kia fabricado no México e enviado ao Brasil.

    • Douglas

      Quase certeza que é o Tracker, porém, agora ele tem bolsar de ar laterais como opcionais na versão Premier.

    • George

      Nissan, com o March e Versa (esse vende no mercado americano).

    • Basil Sandhurst

      Chutaria Nissan…

    • Ubiratã Muniz Silva

      Nissan?

    • Compro Vidro de Perfume Vaziou

      Não se engane, todas fazem isso, os carros vendidos no Brasil só precisa passar pela Lei federal que exige os itens básicos de segurança, se for aprovado não tem pq ficar colocando segurança a torto e a direita se a fabricante vai ter que gastar mais com isso e lucrar menos, VW fez isso com o Polo vendido no Brasil e muitas outras fazem isso com seus modelos para mercados mais exigentes !!

    • Fedido

      Nissan. Digo isso pelo caso do March / Versa, que eram produzidos lá quando foram vendidos no Brasil, sendo ‘nacionalizados’ posteriormente. Embora o March não seja vendido nos EUA, somente o Versa, este último obteve uma classificação bem melhor pelos testes americanos, enquanto a dupla decepcionou no teste latino.

    • Cautelar Noturno

      VW

    • Matafuego

      Bem provável que seja a Nissan. O March se deu mal quando entrou no Latin NCap e muita gente questionou na época se o carro enviado para o Brasil tinha a mesma qualidade do enviado para os EUA.

    • Henrique Bittancourt Gouveia

      Alguém já parou pra pensar que o carro em si pode ser exportado pra outros países e não para o Brasil? Porque fala em América Latina e não Brasil.

    • Mr. On The Road 77

      É a Nissan, minha gente…

    • Lucas Inacio Da Silva

      Volks?

    • pedro

      Com certeza é o Chevrolet Tracker.

    • Eric Palamar Blaca

      Acho q é a FORD

    • Stéfano

      Nissan.

    • FocusMan

      É a Nissan.

    • Daniel

      Tracker?
      Mas acho que os airbags laterais e cortina eram opcionais tbm…
      O ESP só chegou agora na versão mais cara…
      O Sonic que vinha pro Brasil só tinha os Airbags frontais, e o americano tinha todos e mais um pouco… além do ESP.

    • Marcelo Elias

      Chuto Ford, com o new fiesta sedan e o fusion

    • Rafael Santos

      É a Ford. Será que ninguém mais percebeu?

    • Rafael Guerra

      Nissan Sentra

  • O_Gambaleao

    Poxa NA, esse “encima” no primeiro parágrafo doeu hein… aGeita pá nóis ae.

  • Calibra vermelho 95

    Certo, então a nota do Kwid foi mesmo justa né?

    • Cesar

      Apesar do choro dos Haters de plantão, sim.

      • celso

        Não é choro de hater. 9.50 de 16.00 pontos possíveis no impacto frontal é uma pontuação muito baixa.
        O Up! recebeu 15.86;
        o HB20, 13.80;
        O Etios, 12.87;
        O 208, 12.64;
        O Ka, 12.17.

        • Cesar

          Continua chorando. O choro é livre. Aceita que doí menos.

          • celso

            Segundo os dados da Polícia Rodoviária Federal,
            28,7% das mortes em acidentes de carro ocorrem em colisões frontais,
            8,4% em traseiras e 6,8% em laterais.
            Realmente, o mais importante é a proteção lateral.
            Compre um Kwid e coloque um adesivo na porta “se for bater, bata aqui”

            • Cesar

              “Um carro pode ser melhor que outro em impacto frontal, mas o relevante é a segurança passiva total (frontal junto com o lateral). Até porque nós não escolhemos o lado para bater no momento do acidente. Um motorista pode até ter chances de evitar um acidente frontal, mas é muito difícil evitar um acidente lateral – quando – e por imprudência do outro motorista.”

              ” Importante lembrar que o corpo humano tem capacidade para absorver e sofrer menos lesões num impacto frontal do que em comparação com um impacto lateral. Além disso, o carro possui uma capacidade maior de absorver um impacto frontal, e também possui um espaço maior a frente do corpo humano, sendo que num impacto lateral há muito menos espaço, e muito menos absorção do impacto.”

              • HashTag

                Cara, nós não devemos tratar a segurança com bairrismo. O fato é que as montadoras TODAS, com raras excessões, tratam a nossa segurança de acordo com o que nós exigimos no mercado, que é muito pouco. Eu tenho um Ka e acho um absurdo a Ford não disponibilizar 6 airbags como é na Europa, o carro é o mesmo. Mas o número frio não mente, numa colisão frontal você estaria mais seguro num Up! do que no Kwid. Achei muito louvável a Renault melhorar a segurança para o BR, mas ainda é pobre, jamais venderia na EUR ou EUA. Temos que parar de aturar o discurso de que “a segurança está na média do mercado”.

                • Marquinhos

                  Parabéns pelo comentário, vide Ford Ecosport que vai tirar os airbags dos modelos fabricados o ano que vem

              • Retrato do Papai

                a prf tem estatísticas que dizem que morrem 4x mais pessoas em acidentes frontais do que laterais… aceita que o kiwi é péssimo em segurança que dói menos cara…

                se você foi um dos que comprou e tá triste com isso, passa pra frente… melhor do que ficar perdendo tempo defendendo o indefensável…

                • Cesar

                  Continua chorando. Fica triste não.

                  • Retrato do Papai

                    infelizmente quem vai chorar são os familiares e amigos dos que se acidentarem dentro de um kwid…

                    • Gilberto DePiento

                      Acredito que a maioria dos compradores de Kwid raramente os usará em estradas, situação a que se referem as estatísticas da Polícia RODOVIÁRIA.

                • SDS SP

                  Morrem mais porque acontecem mais acidentes com colisão frontal, mas é fato que em uma colisão lateral à probabilidade de morte é bem maior, diria que à relação evento x morte seja de quase 1:1.

            • Retrato do Papai

              morre 4x mais gente em colisão frontal em relação a lateral e os caras consideram 1:1… com os nossos péssimos governantes e essa comédia de latin ncap, não dá para imaginar um futuro melhor pro povo latino…

            • Marcelo Nascimento

              Acho que perdi alguma coisa. 28,7+8,4+6,8=43,9%. E os outros 56,1% das mortes?

              • celso

                Atropelamentos, acidentes com motociclistas etc.
                Todos esses acidentes são computados juntos pela PRF.

                • Marcelo Nascimento

                  Ah, então é 28,7% das mortes no geral. Aí faz sentido…

            • Gilberto DePiento

              Eu penso o seguinte: moro em uma cidade grande com muito trânsito e na qual muitos acidentes acontecem ao furar sinal ou avançar cruzamentos. Então, para uso urbano, é importante considerar a proteção lateral. Agora, meus parentes que moram numa cidadezinha do interior, raramente viajam para cidades grandes, mas usam muitas estradas de pistas simples para ir às cidadezinhas próximas, precisam priorizar a proteção frontal e contra capotamento, devido aos acidentes do tipo serem mais frequentes.

              • Daniel

                Tira o escorpião do bolso e compra um Polo de uma vez… dai vc pode bater do jeito que quiser! :P

        • Cesar

          “Um carro pode ser melhor que outro em impacto frontal, mas o relevante é a segurança passiva total (frontal junto com o lateral). Até porque nós não escolhemos o lado para bater no momento do acidente. Um motorista pode até ter chances de evitar um acidente frontal, mas é muito difícil evitar um acidente lateral – quando – e por imprudência do outro motorista.”

        • Temos que levar em consideração a porcentagem. Ver a quantidade de acidentes frontais e sua porcentagem de mortes. E em relação a quantidade de acidentes laterais e o respectivo índice de mortes.Pois os números de acidentes frontais são bem maiores que laterais.

          Ex: Frontal = 1000 acidentes com 100 mortes, Lateral: 100 acidentes com 30 mortes.

          Pelo exemplo acima a quantidade de acidentes frontais é bem maior mas a taxa de mortalidade no lateral passa a frente.

          • celso

            Acidentes mais comuns
            [Dados do DNIT]:
            1. Colisão traseira (29,11% dos acidentes)

            2. Choque no mesmo sentido (16,17% dos acidentes)

            3. Saída da pista (13,20% dos acidentes)

            4. CHOQUE TRANSVERSAL/LATERAL (10,09% dos acidentes)

            5. Batida em objeto fixo (7,78% dos acidentes)

            6. Capotagem do veículo (3,89% dos acidentes)

            7. COLISÃO FRONTAL entre veículos (3,29% dos acidentes)

            Apesar de ser a menos comum, a colisão frontal é a mais letal, com quase 30% das mortes.

      • Temos que levar em consideração a porcentagem. Ver a quantidade de acidentes frontais e sua porcentagem de mortes. E em relação a quantidade de acidentes laterais e o respectivo índice de mortes.Pois acidentes os numeros de acidentes frontais são bem maiores que laterais. Ex: Frontal = 1000 acidentes com 100 mortes, Lateral: 100 acidentes com 30 mortes.

  • Filipo

    Cadê o teste do Argo, dona Fiat? Por que tanta demora?
    Está parecendo que o Argo terá desempenho no impacto lateral parecido com o do Mobi, por isso até agora não foi testado.

    • Fedido

      Se testarem o Argo, aí é que ele leva pau do Polo mesmo.
      Sem querer defender o modelo da VW

    • Leandro

      O Argo tá disponível a venda em qqr loja pra ser comprado para o teste. É só o Latim testar.
      A Fiat, como a maioria das montadoras, apenas não patrocinou o teste. O Ncap pode ir e testar o carro, nada impede.

      • Filipo

        Ela sabe que não será muito diferente do Mobi, por isso não tem interesse em patrocinar.

      • Marquinhos

        A FIAT Responde ¨Argora¨ Não, ainda não estamos preparados kkkkkkkk

    • Matafuego

      Das duas uma: ou a Fiat sabe que vai se dar mal ou não quer usar o argumento de segurança para vender o carro (caso consiga uma nota boa).

      • Matheus Conrado

        ta parecendo a primeira opção.. ja que o Renegade testado no protocolo antigo ostenta um adesivo do Ncap com as cinco estrelas pra ambos os ocupantes…embora não me lembre se a Marca patrocinou teste.

  • Referente a questão do impacto uma coisa é fato. Na eminência de uma colisão frontal faça com que a batida pegue toda a frente de carro, para ter maior absorção. Tentar desviar e pegar só 25 por cento da parte frontal pode fazer com que os ferimentos sejam mais graves, tanto que nos EUA tem o small overlap. E em batida lateral ajuda se estiver numa SUV ou camionete, já que são mais altos (é como um carro bater na lateral da cabine de um caminhão, o motorista do caminhão dificilmente vai se ferir) desde que o veículo a colidir na lateral também não seje de grande porte.

    • tech76

      Ocorre que a reação natural é tentar desviar, muito dificilmente alguém conseguiria fazer isso na prática.

    • Cesar

      Sem contar que desviando, ainda corre o risco de perder o controle do carro e capotar ou cair em um barranco dependendo da situação.

    • Daniel

      Isso lembra um caminhoneiro que falou que, “se vc ver um carro “podandu” um caminhão, é melhor não frear pq se não arrasta 30 metro e aleja… se acertar em cheio morre na hora e sofre menos…”

      Infelizmente essa é a mentalidade dos mautoristas pelas estradas.
      Se tem um carro ultrapassando outro vindo de frente, você tem que frear o maximo e desviar para a direita, que é o mesmo que o cara tem que fazer, desviar o maximo para a direita e evitar a colisão.

      Mas, aqui, um desvia pra esquerda e o outro pra direita, acertando em cheio o outro, ou então vão reto no pior estilo “velozes e furiosos”… ” o outro que desvie!”

      • Otavio Marcondes

        Desde que o outro que está ao lado não freie junto (o que já ocorreu comigo),daí não tem o que fazer.

        • Daniel

          Se o do seu lado frear junto, é melhor vc bater na lateral dele do que de frente com o que vem no sentido contrario. A regra é sempre desviar pra direita. Se todos fizessem isso, muitos acidentes seriam evitados ou minimizados.

      • Otavio Marcondes

        Desde que o outro que está ao lado não freie junto (o que já ocorreu comigo),daí não tem o que fazer.

      • Otavio Marcondes

        Desde que o outro que está ao lado não freie junto (o que já ocorreu comigo),daí não tem o que fazer.

  • Alexandre TRE

    Muito bem explicado, parabéns

  • durango

    Quando tem que ficar se explicando…………………..

  • TT 230

    A marca é Honda e o modelo é o CR-V.

    Mas isso foi quando o CR-V tinha versão de entrada. Hoje só tem a top, chegando a nova geração em 2018.

    Primeiramente a fábrica mexicana começou a montar e enviar os CR-V em várias versões para os Estados Unidos. 6 airbags e ESP eram itens de série em todas as versões. Tempos depois, o mesmo CR-V foi lançado no Brasil, sem os 4 airbags extras e o ESP. Só o Top tinha os itens.

    Resumo da história: a marca identifica que TAL mercado exige mais ou menos segurança e assim manda o produto de acordo. Assim, o CR-V vinha de série com duplos airbags e um balde gigante de água fria.

    • Alexandre Volpi

      Obrigado pelo esclarecimento!

    • Alexandro Henrico von Mann

      Eu achei que fosse a GM com o Tracker. Já que ele não tem nada na versão que vem pra cá…

    • Diego O.

      Acredito que seja a FORD e o modelo, acredito eu seria o new fiesta (((mais especificamente em sua versão sedan))).

  • TT 230

    Deixar os parabéns ao leitor Lucro Brasil e dizer que o jornalismo automotivo precisa ser mais combatente sobre a insegurança dos automóveis comercializados no Brasil.

    Deputados federais, senadores, ministros de Estado e Prisidente estão andando com carros de 6 airbags e ESP. Mas não movem um dedo para mudarem a realidade a maioria.

    • Gilberto DePiento

      Os sites infelizmente dependem de “bom relacionamento” com as montadoras e importadoras para terem acesso aos carros e às informações. E como sabemos que esse negócio de ética empresarial é balela para enganar trouxa, se os sites metem o pau, são boicotados como aconteceu com o Autos Segredos e a JAC ao apontar uma falha grave do J3, para citar só um exemplo. Ao menos podemos ter alguns sites que não bloqueiam leitores que critiquem os produtos ou as avaliações, como faz um outro site que se pretende mundial.

  • Rogério R.

    Muito legal a matéria. Parabéns. Eu sempre visito o site do Latin NCAP e vejo principalmente as cores dos dummies. E eu já desconfiava que as estrelas se referem a soma total dos pontos.

  • celso

    Onix tinha conseguido, no impacto frontal, 10.67 pontos, pelo protocolo antigo.
    Essa pontuação, no novo protocolo, já lhe permitiria 2 estrelas [10 a 15,99 (duas estrelas)] .
    Alguém pode me explicar por que ele recebeu zero estrela ?

    • Cesar

      Pelo impacto lateral.

    • Hugo Leonardo Dos Santos

      Pela média feita com impacto lateral + frontal dividido por 2

  • Basil Sandhurst

    Ótima matéria, bem elucidativa mesmo.
    Acho depreciativo o termo de “caçadores de estrelinhas” mas segurança é algo que deve sempre ser considerado.
    Abs

  • Mario

    A questão 3 põe em dúvida os testes. Se o carro para ganhar 5 estrelas, tem que vender um volume maior com o equipamento ESP, como o Polo tirou 5 se nem a venda estava???
    Ainda acho ‘meio subjetiva’ as avaliações. Estão analisando coisas diferentes em produtos distintos. Outra questão, carros avaliados há 3 anos, deveriam ser novamente avaliados, com o novo protocolo, senão a coisa vira bagunça.

    • Cesar

      Mas aí que está o truque da VW. Como o carro não estava a venda, ela mandou o carro com o equipamento e falou que esta seria a versão mais vendida. Ademais o ESC será obrigatório daqui dois anos o que também está nas regras. Em suma a VW jogou com as regras, boba foi s Fiat que não fez o mesmo.

      • durango

        manipulou, em português da banãnia!

        • Cesar

          Não acredito que seja o caso. Todas conhecem as regras, se não as usam a seu favor é porque não querem.

      • Leonardo M. G.

        Pois é, mas é difícil encontrar o Polo “Pé-de-boi” na concessionária. Meu pai comprou um e deram um descontão no pacote com o ESP, rodas, central, etc, pois (tanto os 1.0 quanto os 1.6 MSi) todos do estoque tinham ou um pacote ou o outro. E o pacote Safety (o mais simples) só tem os opcionais de segurança – Hill Holder, ESC, ASR e EDS + computador de bordo. E custa R$ 1.000,00. Ou seja, o pé-de-boi só existe pra botar na propaganda “A partir de 49.990,00”.

  • Renato L

    Não há necessidade de se explicar! As fotos dos modelos testados falam por si mesmas! Vergonha! Continue com o bom trabalho o Latin Ncap

  • Marcio Souza

    Excelente matéria, porém não fica claro se o critério do Latin NCAP é igual ao Euro NCAP. O ponto que eu quero chegar: um veículo 4 estrelas protocolo Latin NCAP seria também um 4 estrelas Euro NCAP?

    • tech76

      O melhor é olhar as pontuações dos testes e os danos nos dummies, estrelas não querem dizer muito vide a ranger que foi muito bem no impacto frontal e lateral e tem apenas 3 estrelas por não possuir airbags laterais e de cortina e ESP na versão testada.

      Ocorre que no Brasil a Ranger possui 7AB + ESP de série e frenagem automática de emergência na versão de topo, além de ser grande, alta e pesada e possuir uma estrutura boa (no Latin NCAP tirou quase a pontuação máxima e os dummies ficaram quase todos verdes). Ou seja, um dos carros mais seguros do Brasil hoje tem apenas 3 estrelas no Latin NCAP.

      • Marcio Souza

        É uma pergunta difícil de ser respondida, pois nunca haverão veículos exatamente nas mesmas configurações de items e estrutura pra AL e EU. Por isso a dúvida, se o Latin NCAP é menos severo na avaliação final do dummie.

      • Retrato do Papai

        “Ou seja, um dos carros mais seguros do Brasil hoje tem apenas 3 estrelas no Latin NCAP.”

        aí você olha a parte de baixo da tabela e vê que o kwid, que é um dos carros mais inseguros do país, tem as mesmas 3 estrelas…

        • tech76

          Pois é, por isso eu digo que não adianta olhar as estrelas e sim um conjunto: notas boas no impacto frontal e lateral, relatório a respeito da estrutura (se suportaria melhores cargas), itens de segurança, tamanho, peso e altura.

    • tech76

      Não dá pra comparar as estrelas entre Euro NCAP e Latin NCAP, mas você pode comparar a pontuação do teste de impacto frontal e do teste de impacto lateral.

    • Retrato do Papai

      basta se fazer a seguinte pergunta: “um kwid receberia 3 estrelas no euro ncap?” lembrando que em um teste o civic 10 chegou a tirar 4 estrelas…

  • Retrato do Papai

    bacana… agora alguém só precisa avisar ao pessoal do latin ncap que a proporção de colisões dianteiras vs colisões laterais é bem distante de 1:1, portanto considerar que ambas as notas tem o mesmo peso não dá né… um carro pode muito bem colidir de frente sozinho (poste, muro) ou contra outro veículo, mas toda colisão lateral envolve uma outra colisão frontal (talvez no dia que os carros andarem igual caranguejo isso mude)…

    se já sabem que o povão é preguiçoso e não pesquisa nada, por que continuam nesse esquema tosco de estrelinhas que permite que um kwid seja tão seguro quanto uma ranger? isso beira o cúmulo do ridículo…

    esperta foi a renault, que refez o kwid com o regulamento do latin ncap debaixo do braço e fez um carro inseguro que pode ser vendido como seguro…

    • Temos que levar em consideração a porcentagem. Ver a quantidade de acidentes frontais e sua porcentagem de mortes. E em relação a quantidade de acidentes laterais e o respectivo índice de mortes.Pois os números de acidentes frontais são bem maiores que laterais.

      Ex: Frontal = 1000 acidentes com 100 mortes, Lateral: 100 acidentes com 30 mortes.

      Pelo exemplo acima a quantidade de acidentes frontais é bem maior mas a taxa de mortalidade no lateral passa a frente. Mas o certo mesmo o Brasil ter carros seguro tanto am colisão frontal quanto lateral, capotamento, traseira, etc… Basta o povo exigir!

  • Elfo Safadão.

    Minhas condolências pra quem tem um Onix….

  • durango

    Alguém viu o teste do Kikcs está publicado em outro site?

    • Cesar

      Porque vazou.
      O resultado oficial ainda não foi publicado.

  • Diego O.

    A montadora é a FORD! e muito provavelmente o modelo em questão é o New Fiesta, diria o sedan que vem do México.

  • Razzo

    “É possível mudar o mercado mais rápido se os consumidores começarem a dar preferência aos carros com mais segurança, e exigir o mesmo das montadoras, assim como a Latin Ncap exige constantemente.”

    • Moreno Rocha

      Sem mais. É exatamente isso. Se as pessoas não ligam pra própria segurança, porque as montadoras vão ligar? Por essas e outras espero que a nova safra da VW venda muito bem, forçando líderes como a GM a melhorarem o que vendem.

  • RTEC30

    Porque os testes da VW saem antes????????????? UP Polo e GOLF
    Mau estavam na concessionária e já tinham resultados.polo

    Enquanto ka e onix demoraram mais de um ano (ou mais) para o teste?

    Isso da margem para que a VW faça os primeiros modelos reforçados e esculhambem em todas as outras unidades.

    • Cesar

      Porque ao contrario das outras a VW patrocina os testes. Então o NCap escolhe na linha de produção. Estes veículos são retestados depois com o Ncap comprando um modelo na concessionária.

  • Enrico

    Porque não consigo achar o crash test do peugeot 2008?

  • RRT Felipe

    o up! não foi avaliado no novo criterio, porque usaram a foto dele? Será que já foi avaliado e não quiserem divulgar o resultado?

  • FocusMan

    A matéria vinha ótima, como poucas já lida sobre o tema em blogs e sites, até chegar nessa frase:

    “Creio que isso não é nem novidade aos leitores, já estamos acostumados em receber sempre o resto.”

    Temos que mudar como povo para o Brasil mudar. Nós brasileiros sempre procuramos um culpado para tudo, um vilão que é mau e que quer prejudicar as pessoas.

    Eu gostaria que algum empresário se manifestasse falando que faria diferenten se estivesse gerindo suas empresas. Se pudesse lucrar mais, iria lucrar menos, oferecendo um produto que o consumidor não está pedindo.

  • ESN

    Em perguntas e dúvidas afirma-se em 1 “Mesmo que o carro testado seja o modelo top de linha, é considerado a configuração mais básica de segurança disponível na América Latina” e em 2 “porque não é Brasil Ncap, e sim Latin Ncap”, mas ao responder em 3 “Por que o Volkswagen Polo recebeu 5 estrelas, sendo que o modelo básico não possui ESP de série” afirma-se que “recebe 5 estrelas desde que a maior parte do mix de vendas tenha ESP de série”. O mix do polo é composto das versões disponibilizadas no país, assim como o volume de vendas depende do mercado do país (Brasil Ncap). Não estaria sendo este critério contraditório? Porque o VW UP recebeu 5 estrelas na nova avaliação se não tem ESP? Ainda: porque na nova avaliação do mesmo não foi divulgada nenhuma imagem com teste de impacto lateral? Porque o Renault CAPTUR não foi considerado ZERO estrela se não houve teste de impacto lateral? Parece tudo muito polemico. Esclarecimentos que confundem…

    • Ernesto

      O Up ainda não foi testado no novo critério.

  • Esquilo Tranquilo

    2 – Por que testaram o Ford Ranger vendido na Argentina?
    R. Pelo mesmo motivo da resposta anterior, até porque não é Brasil Ncap, e sim Latin Ncap.

    Aquele sopapo duro no queixo kk

    • Dp Som

      E por ser a versão mais básica tb, já que no Brasil o pacote de segurança da Ranger 2018 eh foda.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email