Fiat Sedãs

Leitor opina sobre seu Fiat Linea

fiat-linea-1 Leitor opina sobre seu Fiat Linea

O Fiat Linea já de cara mostra que este é um sedã (médio) que foge das antigas linha Tempra e Marea, a agressividade destes modelos não está presente no Linea, não em motorização, não em visual. Essa, talvez, foi uma tática da Fiat, de modo a mudar sua imagem quando se fala em modelo sedã, deixar o visual bruto e/ou esportivo de lado, no Linea a opção foi elegância, negando o que mais era exaltado nos modelos anteriores.



O fato do Linea ser um sedã estreito, reforça a proposta de elegância, frente com formas arredondadas evidencia, dentre outros tantos detalhes de fácil percepção. Ser estreito e alto lhe dá um visual único. O interior segue a proposta de elegância, evidente na escolha da grafia dos velocímetros e na escolha do tom dos tecidos e painel. O conjunto visual externo e interno passa de forma muito aceitável a proposta de um modelo elegante, você o aceita, o visual é de um agrado quase instantâneo.

O Linea tem beleza? Tem e muita, em vários detalhes, mas o Linea é um carro chato. O que faz deste belo modelo um carro chato? A Fiat. Depois de um certo tempo de propriedade, quando você abre a porta você reflete: A longo prazo, a beleza não supera alguns itens no convívio. Quando você é trazido para o mundo do Linea, diga-se, habitáculo, a Fiat mostra o que construiu.

 

Você não espera que um modelo elegante e de luxo vá ter um motor ruidoso, o Linea tem. Você espera que um modelo elegante e de luxo vá ter um interior bem pensando, em detalhes, afinal, sendo modelo de luxo, entende-se que os melhores projetistas estão no projeto, não. Você espera que um modelo elegante e de luxo vá ter tudo o que se tem de melhor nos modelos abaixo dele, o Linea não os tem.

fiat-linea-1 Leitor opina sobre seu Fiat Linea

Estes são somente 3 itens que, me fazem pensar, a Fiat não atingiu o sucesso esperado, e a falha foi mérito da própria Fiat. O Linea não herdou a primazia bruta dos modelos anteriores, o Linea não herdou o requinte de modelos anteriores e atuais. Então, o que é o projeto Linea na família Fiat? Externamente o carro passa pelas críticas, o visual faz com que você não o consiga criticar, a Fiat mantém a constante de desenhar belos sedãs.

O convívio do operador com o trem de força é satisfatório em somente 2 itens, câmbio e motor, mas, somente girando acima de 2.200 rpm. Se você colocar o motor a trabalhar a 2.000 rpm, os itens citados passam despercebidos, você não os vai apreciar, pois vai estar se lamentando do fato de a Fiat não ter colocado um coletor de admissão de geometria variável neste motor, sofrível. Talvez a escolha foi montar um motor de fácil manutenção, mas, para um modelo de luxo, não se aplica.

 

A sua lamentação vem do seguinte raciocínio, qual é a força que move o Linea? Ao meu ver, a Fiat recrutou os velhos cavalos utilizados outrora na saudosa linha Palio, aumentou a ração mas esqueceu de os tornar mais inteligentes. Entendendo que estes recrutados são da velha guarda, sabe-se que eles terão manias, e elas aparecem. Os cavalos se negam a aparecer em um regime abaixo de 2.000 rpm.

Em um propulsor de 4 válvulas por cilindro, este é um comportamento, em alguns modelos, comum, mas no Linea a sensação é que, sequer 1 cavalo se apresenta para o trabalho antes dos 2.200 rpm. A surpresa vem quando você chega aos tais 2.200 rpm, pois neste momento todos os cavalos se apresentam ao mesmo tempo, como se você estivesse operando uma charrete e em suas mãos um relho que atinge todos os cavalos ao mesmo tempo.

fiat-linea-1 Leitor opina sobre seu Fiat Linea

Esta vigorosidade repentina remete ao comportamento de um motor carburado movido a etanol nos anos 70, 80 e 90 ou a um motor turbo, um comportamento bruto, que cabe a um modelo esportivo, mas não é esta a proposta do Linea. O que esperava-se de um modelo elegante como este era um torque progressivo.

 

Estando com os cavalos na ponta do seu pé nos 3.000 rpm, você percebe que, sim, estes cavalos são criados na fazenda da Fiat, quando eles tem que trabalhar, eles trabalham. Fazem excesso de ruído? Sim, mas entregam a tarefa. Entendendo como seus cavalos trabalham, você passa a prestar atenção no que o habitáculo tem a oferecer e como ele vai te tratar nos momentos em que passar lá.

Quando você entra no Linea, aos poucos vai se certificando que o interior recebeu pouca atenção, faltou aquele momento onde você para e fica olhando e pensando, olhando e pensando, até surgir as boas ideias. Três itens, com o tempo, vão lhe saltar à vista, iluminação, porta objetos e qualidade dos materiais.

Iluminação e porta objetos são itens bem interessantes, interessantes no sentido de entender como a Fiat vê o mundo e o comportamento humano. A Fiat entende que não é necessário colocar iluminação no porta luvas, mas acredita ser necessário colocar uma luz guia na entrada USB do porta-luvas, o que entendo, a Fiat acredita que a noite o que mais vai ocorrer é a troca de pendrives e não a busca por objetos no porta luvas, haja musica para tanta troca.

fiat-linea-1 Leitor opina sobre seu Fiat Linea

Então, sim, você tem um modelo de luxo sem iluminação no porta luvas, mas não se assuste, a porta USB você vai encontrar com facilidade. A iluminação da cabine é satisfatória, simples, longe da qualidade de outros modelos da própria Fiat. Outro pensamento interessante da Fiat, um pensamento que vai contra a ideia do mundo.

Todos sabem que o material plástico de acabamento nomeado popularmente de “Black Piano” é frágil, gerador de ruído e de pouca durabilidade, visto que risca com facilidade. Existem empresas que fabricam televisores com este material e entregam junto ao produto uma flanela de veludo, a ser utilizada para tratar o material plástico, Na contramão, a Fiat entende que este material pode ser utilizado para fabricar porta-objetos.

Sim, o Linea tem um porta objeto feito em “Black Piano”, lamentável, ainda mais visto que em outros modelos da Fiat os porta-objetos são emborrachados, então, porta objetos em “Black Piano” em um modelo e porta-objetos emborrachados em outros modelos? São extremos tão grandes que não vejo como explicar. Ainda em porta-objetos, que são praticamente inexistentes, a Fiat entende que tudo o que você precisa guardar você deve colocar no apoio de braço ou se arriscar no porta-objetos em “Black Piano”.

Vejamos, abaixo do freio de estacionamento existe um porta-objetos, se um objeto, como uma chave, por exemplo, for colocado ali, no primeiro movimento o objeto vai ser lançado, pois não existem “paredes” no porta objetos. Passando aos porta-copos, realmente, são porta-copos, não tente colocar uma lata, por exemplo. Você até pode colocar, mas não utilize a 1º e 3º marchas, pois você vai ter que limpar o painel e tapetes do seu carro logo após.

fiat-linea-1 Leitor opina sobre seu Fiat Linea

Depois da faxina você vai pensar, “vou colocar os copos no porta-copos da porta”, pense novamente. Mas a Fiat não deixou você na mão, observe com atenção, os bancos tem porta-objetos nas laterais. Me pergunto, colocar o que ali? Depois que você aceita que não tem onde guardar seus objetos e não quer acabar com seu painel colocando objetos no “Black Piano”, você passa por mais este lamento e segue em frente.

Aí, começa a operar os comandos do painel, começa a brincar com os menus, descobrir o que o painel tem a lhe oferecer, mas cuidado, faça a configuração somente uma vez e não mexa mais, pois o Linea, como citado, é um “chato”. Ele não gosta de ser tocado a todo momento, isso fica evidente quando os botões descascam ao seu toque. O que parece um botão de borracha, não é. Então, trate o Linea como um adulto e não fique brincando com os controles, se o fizer, pagará o preço.

Os materiais empregados no painel são pobres, o “Black Piano” em certas partes do acabamento dá sim um tom elegante, mas em outros não. O volante é um item que foge à regra geral de materiais pobres, este é muito bem acabado, os botões de controle no volante passam robustez, o couro que reveste o volante também. O volante é um item a ser exaltado, herdado do Fiat Punto, possuiu excelente ergonomia.

A Fiat continua a tirar o brilho do carro em pequenos detalhes. Veja, se você pensar: vou pegar meu Linea, colocar um som que gosto e ir bem tranquilo na padaria da esquina pegar um pão. A Fiat vai fazer com que esta experiência seja desagradável. Primeiramente, para você conseguir executar a música desejada, vai ter que operar no mínimo 3 menus via controle do volante ou terá que falar com a atendente de voz.

fiat-linea-1 Leitor opina sobre seu Fiat Linea

Se você pensar: vou ligar o som e me guiar pelas setas, para cima é pasta e para os lados é faixa, pense novamente. Não é assim tão simples. Se você escutar seu som via CD de MP3, você consegue achar suas músicas de forma fácil, mas se deseja utilizar um pen drive, tudo muda. Sim, é mais fácil e prático escutar seu som gravando um CD de MP3 com pastas do que utilizar um pen drive. Pasme.

Enfim, você encontrou o som que vai te guiar por um breve percurso até a padaria. Prepare-se, seus tímpanos vão ser disputados, serão disputados pelo seu som favorito e pelo estridente, excessivo e irritante aviso de cinto de segurança, que fica ativo por incríveis 90 segundos.

Você até pode ser vencido pelo Linea e colocar o cinto de segurança, mas se no banco do passageiro tiver, digamos, uma mochila com um notebook, o Linea entende que alguém está ali, logo você tem que atar o cinto, neste caso, até sua mochila para ter uma viagem segura até a padaria. Entende-se que o sinto de segurança é obrigatório, mas não preciso ser notificado por áudio por 90 segundos. Alguns segundos já seria o suficiente.

A burocracia em operar os menus quando em USB e o incessante aviso de cinto de segurança, tornam a sua ida à padaria um pesadelo, a não ser que, você faça o que o “chato” lhe pede, encontre sua música antes de colocar o carro em movimento, pois é mais seguro e coloque o cinto. Este último será bem mais fácil fazer se o apoio de braço estiver recolhido, pois os atadores do cinto de segurança não são móveis e estão quase na base o banco.

fiat-linea-1 Leitor opina sobre seu Fiat Linea

Mais uma vez você se dá por vencido, aceita o que não pode ser mudado (o aviso de cinto pode ser desativado via scanner). Revisando a história da padaria, mais um item vai lhe chamar a atenção de forma negativa. Se estiver fazendo calor, você vai ligar o ar-condicionado.

Vai levar um tempo até você achar uma posição satisfatória dos difusores, de modo que o ar não seja direcionado direto a sua face, visto que o painel central é inclinado e, se você mover os difusores para baixo para afastar o ar do seu rosto, você vai perder vazão de ar e vai ver gotículas de água se formando na saída de ar, pois o ar esta trancado no acabamento.

Bom, então você pensa: vou colocar o ar para cima, no para-brisa, a fim de climatizar o habitáculo por cima. Como um todo, ok, mas você terá que conviver com bolhas de ar no para-brisa de imediato. Isso acontece porque a saída de ar no painel não é inclinada de modo a acompanhar o ângulo do para-brisa, pelo contrário, a saída é reta.

Por fim, ainda nesta epopeia de ir a padaria relaxado e aproveitando seu som, você pensa: vou bem devagar em uma terceira marcha e colocar meu pé esquerdo na espera. Tudo bem, mas tenha a certeza de está com seu calçado limpo, pois do contrário você vai sujar sua forração. Sim, o Linea não tem um apoio de pé esquerdo dedicado, digo, não há uma peça plástica para suportar o seu pé, você tem que pisar na forração.

fiat-linea-1 Leitor opina sobre seu Fiat Linea

 

Isso vai contra outros modelos da própria Fiat. Depois que você se acostuma a ser, em alguns pontos, destratado, em um hotel de luxo – pelo menos a fachada se apresenta como de luxo – e acredita, então aceita o trem de força que tem que operar, que o carro não quer que traga itens para dentro dele e que não gosta de ser tocado.

Depois de tudo isso, tem que aceitar o que tem dentro do seu carro, para todo o sempre, uma voz feminina movida à Windows. A lástima não é pela voz feminina, que por sinal é agradável, mas o cérebro que a opera. Enfim, o Linea veio para elucidar. Ele tem seus brilhos sim.

Como citado, é um belo carro, desenho irrepreensível, tecidos de qualidade, acerto de suspensão, responsável em curvas, mas em muitos itens, a Fiat fez muito para apagar o brilho do carro. Os cavalos, quando recrutados da velha guarda, acreditaram ser úteis novamente, ledo engano, foram dispensados 2 anos após.

Agora temos mais um ingrediente para entender porque na relação Fiat x sedãs, se aplica aqui o dizer popular “tiro no pé”. Mas espere ai, aplicar um dizer popular a um modelo elegante e de luxo? Descabido! Não. De elegância o Linea tem a roupa, o restante é popular.

Agradecimentos ao Geraldo Stein, dono de um Fiat Linea HLX 1.9 2008 manual.

[Imagens ilustrativas]

COMPARTILHAR:
  • Mr. Car

    Rapaz, você é um tagarela! Podia ter resumido tudo isto simplesmente dizendo: “o carro é uma m*rda”, he, he, he!

    • Louis

      KKK eu não tive paciência de ler tudo, muito cansativo. “Elegante e de luxo” é o que o dono enxerga neste carro.

      • Licergico

        me too !

      • Fael

        rsrsrsrs

      • Daniel

        Idem! Tbm não li tudo. Qdo o cara começou falando que é sedan médio, já vi que não entende de carro… Dai quando falou que é um modelo de luxo… Bom… Dai vi que a novela era longa, e vim direto para os comentários…

        Acho que vou mandar um artigo pro Na esclarecendo a galera que o linea é um punto sedan, ou seja, um carro compacto. Dai vc enxerga que o linea não é tão ruim, só é caro e metido a besta

        • Marco

          Só prá controle, o Linea é um carro compacto, mas muuuuito maior que o antigo Corolla, por exemplo. Daí eu pergunto: O antigo Corolla (antes da reestilização) era considerado carro compacto? Não né! Então não concordo quando falam que ele é um sedã compacto. Seria se fosse do tamanho do Siena, New Fiesta, Voyage, feyEtios, Classic. Mas ele não é. Tem muito mais espaço interior que o Focus Sedã, por exemplo. O Lìnea é um belo carro, sem dúvidas, mas a própria Fiat fez questão de estragá-lo a não lhe dar um verdadeiro câmbio automático, sem falar nos itens que o companheiro acabou de nos relatar. Abração!

          • Edson Fernandes

            Aí você encontra pelo estilo de rodar do carro, bitola menores que causam mais chacoalhar das pessoas, carro ruidoso de motor, acabamento de compacto… mas ele tem espaço maior que um corolla… sim… mas não tem o refinamento deste.

            Esse é o problema, além de outro detalhe que tbm denuncia um compacto: Ser estreito.

            • Marco

              É… pelo que estou vendo, o pessoal da Equipe NA também não gosta do Línea…

              • Edson Fernandes

                Não é do Linea, mas é comparar produtos.

                Rode em um Linea, depois rode em um 408 por exemplo. (estou citando um carro considerado mico de mercado para ficar justo)

                Você verá que o rodar do 408 é mais solido, é mais robusto e mais confortavel. Além do que, a estabilidade do 408 é boa (não desmerecendo o Linea que também é). Mas a Fiat como sempre na parte de conforto oferta no rodar um carro que prejudica menos que o 408 nesse aspecto.

                Aí voltamos ao interior, apesar do visual 307 do 408 com atualizações cosmeticas, o espaço interno (que cabe com folga 5 pessoas), as saidas de ar, função bizona, um motor 2.0 (comparando o motor aspirado) que apesar de beberrão faz empurrar bem, percebe que há algo que falta no Fiat.

                Isso que eu citei em um carro que de longe não é de elogios.

            • João Cagnoni

              Ele ainda ganha do Civic nas dimensões, na minha opinião ele é sim um sedan médio. Se tem qualidade ou não, aí é outra conversa.

              • As pessoas tendem a associar determinado segmento com “qualidade”. Sendo assim, dá para imaginar um sedã do tamanho de um Classe S com acabamento de “popular” e este será classificado como sedã compacto.

              • Edson Fernandes

                Ganhar nas dimensões não o faz ser um médio…. e entre os dois, eu iria no Civic sem pensar duas vezes.

                • João Cagnoni

                  Eu iria no Civic se fosse AT, na versão manual eu ficaria em dúvida (acho que pegaria o menos rodado). Se for o T-jet com interior caramelo, eu acho muito superior ao Civic.

                  • Edson Fernandes

                    Eu só pegaria o Linea T-Jet se esse tivesse ar digital e 6 air bags.

                    Mas confesso que pra mim, Civic somente AT. Minha tia deu para meu primo o Civic EXS que era dela: O modelo com ar digital, VSA e AT. Se fosse cambio MT, possivelmente não teria. Já o Linea aí sim, pelo motor turbo, eu teria.

                    Agora, de escolha de produtos em si, não teria os dois.

          • Rodrigo Alves Buriti

            Tamanho por tamanho, até o Logan tem maior entre-eixos que o corolla anterior (não sei o atual) e o Logan também enconsta no comprimento do monza “não tubarão”.
            Outro caso…uma BMW M2 é “tão grande” quanto uma M3 E36. A questão é que o Linea foi lançado e na época não era concorrente dos modelos médios (civic, corolla, vectra), todos os carros estão crescendo, dando espaço para novos menores (vide Up! e Mobi).

            Concorrente do Linea são as versões sedan dos concorrentes do Punto….Sonic sedan, New Fiesta, City, Polo sedan, o Cerato (até 2011~2012).

            • Aliás, o Linea é a versão sedã do Punto. Só que a Fiat quis colocá-lo no segmento de mercado do Marea. E se deu mal.

          • Daniel

            O Chevette era um sedan médio… um VW up consegue ser maior que ele internamente, seria o up! um médio-grande?

            Se não fosse a mentira de tentar chamar ele de médio, ele iria vender bem mais. Ele é um compacto crescido, assim como Cobalt e o City. O problema foi querer comparar ele com Corolla, Civic, Cruze e cia. Dai não tem como.

            Conheço algumas pessoas que cairam no conto do vigário (achando que era médio) e se decepcionaram um monte (pois estavam acostumados com carro médio)… compraram pela propaganda e depois ficaram malhando o carro…

            Pior foi um que pegou um super-top-das-galaxias-completão por qse R$80mil (no lançamento), ficou decepcionado com o compacto metido a médio, e na hora de vender (menos de 1 ano de uso) não conseguiu nem R$40mil… (pergunta pro cara se ele vai querer um outro FIAT tão cedo! hehe)

          • Eu tenho minhas dúvidas se o Voyage pode ser chamado de compacto. Ele é muito maior do que um Classic (este sim um autêntico sedã compacto), mas é menor do que um “médio” de fato. É uma pena que não exista uma categoria, algo como “médio ligeiro”, um intermediário entre compacto e médio pra colocar carros como o Voyage. Eu acho que o Voyage já começa a entrar no universo dos médios (não em preço, mas em dimensões).

        • CharlesAle

          Ele pode ter sido fiel a imagem que a Fiat colocava à época, um sedã médio.Eu também concordo que o Linea não chega a tanto..

    • Paulo Henrique

      Kkkkk, esperando um resumo nos comentários.

    • radioactive

      esse é um dos textos mais chatos e irritantes que li em tempos recentes. um texto desse tamanho, praticamente só reclamando de frescuras e falando de coisas que todo mundo sabe (falta de torque em baixa). perda de tempo.

      • CharlesAle

        Sim..Foi cheio de rodeios..Ou como meu saudoso pai falava: muita farinha, mas pouca linguiça, rsrsrs..

      • Relaxa! É só um leitor que não sabe escrever.

        • radioactive

          tá tranquilo. é que esse tipo de matéria costuma ser interessante, aí cria-se expectativa. mas esse texto não trouxe nada de útil e ainda é enfadonho, chato.

  • Rafael L

    Nossa, mas que texto mais chato! Nunca vi alguém apontar tantos defeitos superficiais, irrelevantes. Achei ‘bem falta do que falar’.

  • Louis

    “O fato do Linea ser um sedã estreito, reforça a proposta de elegância”
    Reforça que é um Punto sedan, isso sim. Não vejo nada de elegância um sedan ser estreito.

    • invalid_pilot

      Exato! Punto sedan e mais bonito que Grand Siena na minha opinião

      • 4lex5andro

        É um método que a Chevrolet também usou, de alocar entre seu sedan pequeno (Prisma, ou Onix sedan) e o médio (Cruze), um derivado do primeiro, e resultou no Cobalt (de mesma plataforma de Prisma e Onix).

        De similar modo, entre o Siena, um sedan pequeno (derivado do Palio) e um possível médio (que seria sucessor do Marea, algo como um Stilo ou Bravo sedan), alocou um Linea, derivado de um compacto (Punto).

        Porém o Linea, a Fiat inventou de precifica-lo como médio (o que não é) em vez de um dispendioso sedan médio autêntico, em um segmento que nunca foi sua prioridade. E lançou o Gran Siena, que não era um carro realmente novo (um Siena esticado e elevado) pra ficar entre o sedan do pequeno Palio e o Linea, agora “promovido” ao segmento dos médios.

        E não por acaso a missão do Gran Siena é competir com o Cobalt.

    • Carroças S&A

      Quando ele começou a frase com sedan médio até me deu calafrios! Sério isso rapaz? E se existisse um sedam do bravo ele seria o que?

      • BillyTheKid

        Engraçado é que se você olhar o relatório da Fenabrave, o líder dos hatches médios é o Punto…

        • radioactive

          a fenabrave entende dessas categorias igual eu entendo de física quântica

        • Gran RS 78

          A Fenabrave entende tanto do mercado automotivo quanto a Dilma em discurso.

        • A Fenabrave representa as concessionárias. Há que se observar os números da Anfávea.

    • André

      É fato que o Linea é derivado do compacto Punto, tem apenas um entre-eixo maior. Ponto! O que não podemos esquecer é que na época do lançamento, 2007, tinhamos Vectra, Astra, Focus MK1, Corolla Brad Pitt e o New Civic. Nessa época o Linea já oferecia GPS, motor turbo, 4 airbags e várias outras tecnologias que os concorrentes não ofereciam e em alguns casos não oferecem até hoje. Em comparação com os concorrentes da época, era bonito, nem era tão apertado assim, tinha várias tecnologias novas, dirigibilidade bem agradável, bom acabamento e sempre foi mais barato que os outros. Só lamento nunca terem colocado um cambio automático decente no carro. Meu irmão já teve um Linea T-jet e o carrinho era bem legal, ficou com ele até aparecer o Jetta 2.0 TSI. Agora, querer comparar com Civic G10, novo Cruze Turbo, etc…. aí realmente não dá, o Punto sedã alongado já tem 10 anos de mercado.

      • Edson Fernandes

        Só para te informar, mas o opcional do Linea eram 6 air bags. Outro ponto… enquanto outros sedans ofertavam até 4 air bags (Corolla e Vectra), o C4 Pallas ofertava 6 air bags, ESP, ar dual zone… então não é bem por aí que só ele era o moderno da vez.

        O C4 VTR que veio até antes, era vitrine junto de seu irmão ainda mais velho e nesse caso superior: C5.

        • bruno alves de souza

          Mas o preço de ambos nem chegava perto um do outro né amigo

    • radioactive

      alguém avisa a gm que o classic virou padrão de elegância em 2016/7, aí ele fica em linha mais uns 10 anos hehe

    • CharlesAle

      É, estranho.. Mas já lí texto de revistas dizendo que o Fiesta Mexicano tem a elegância que o Hatch não tem(o Fiesta Mexicano é bem estreitinho)..Vai ver procede né rsrs..

    • Eu não vejo nada de elegância nem deselegância. Apenas uma característica do carro. E nem é tão estreito assim.

  • Rafael

    Texto demasiadamente longo. Achei a leitura cansativa. Ao longo do texto não sabia de qual motor ele tava falando. E nunca consegui enxergar o Linea como um “carro de luxo” nem mesmo sedan médio. Desde o lançamento era nítida a diferença para um Civic ou Corolla, ou até mesmo o próprio Marea. Percebo ele como um Honda City, porém mais esforçado.

  • Licergico

    quando cheguei na foto do interior já não aguentava mais ler e depois dessa imagem parece que o texto foi escrito em 2006 por um apaixonado pela fiat/linea ( pra mim apenas um sedan compacto tentando ser vendido como sedan médio … ) e falar que é um carro de luxo … ai forçou muito !!!

  • Lucas Fernando

    Na boa, não consegui ler o texto todo, poderia ser mais direto. Até a parte que li, notei que o autor comprou o carro errado, pois procurava um carro de luxo, coisa que nenhum sedan médio nacional é.

  • TijucaBH

    Já tive 2 Lineas e sinceramente, o carro tem algumas falhas sim, mas pra mim, o cara achou que estava comprando uma Mercedes Classe C com o preço de um Prisma. O maior erro da Fiat foi o posicionamento desse carro. Ele nao é no mesmo nível da dupla Civic/ Corolla mas o preço também nao é o mesmo da dupla. Ele custa significativamente mais barato, mais barato inclusive que um Honda City. Hoje é um otimo negocio um Linea seminovo pra quem precisa de espaço para 4 pessoas altas e um porta malas generoso com um motor que se nao brilha por ser 1.8 (no caso do Etorq), ainda sim tem um desempenho satisfatório. Resumo, tem algumas falhas sim, mas nem por isso deixa de ser um bom carro pelo preço cobrado.

    • Erick

      Linea 1.8 E.Torque ou 1.9? Qual é melhor na sua opiniao? (Gosto da Fiat, tenho um e pretendo ter um Linea em breve.)

      • TijucaBH

        Tive um 1.9 mecanico e o 1.8 dualogic. O 1.9 anda um pouquinho a mais do que o 1.8, mas muito pouco mesmo!! Eu compraria o 1.8 porque ele nao ter correia dentada – tem corrente- o que torna a manutenção mais barata principalmente em carros mais rodados e também porque o 1.9 faz realmente muito ruido em estrada (na cidade nao se percebe isso). Rodando a 120 km/h em velocidade de cruzeiro, toda hora eu levava a mao no cambio achando que eu estava de quarta marcha mas já estava de quinta. O problema não é o cambio curto nem o revestimento acustico. O problema é que o motor realmente faz bem mais barulho, pois a relaçao da quinta marcha é praticamente igual nos 2 e o revestimento acústico também. Nao tenha pressa pra comprar, se tiver paciencia voce consegue achar carros impecáveis e pouco rodados. Nao sei de onde voce é, mas procura aqui em BH que devido a proximidade com a fábrica, tem bastante oferta de Linea. Dá uma olhada no site seminovosbh
        Abs

        • Erick

          Obrigado! Valeu amigo!

        • Edson Fernandes

          O 1.8 imagino eu, responde melhor em baixa… ou estou enganado?

          • Verdades sobre o mercado

            O 1.8 eTorq é ruim de resposta em baixa, a Fiat sempre vendeu o motor como tendo bom torque em baixa, mas isso é uma mentira. Obs: Tive BRavo e Idea com este mesmo motor e fui gerente de css Fiat por 4 anos. Agora com relação à qualidade do carro o Linea realmente é um veículo que agrada.

            • Daniel

              O Linea foi projetado pelo Pinoquio! heuheuheu… “Sedan médio” mas é compacto… “de luxo” mas é ordinário… “Motor eTorq” só que sem torque… hehehe

            • Edson Fernandes

              Então, eu achava que esse atual que teve atualização poderia ter melhorado.

              Porque realmente… eu achei bem ruim de resposta em baixa do motor 1.8 ainda mais quando você lê a ficha técnica. Parece que vc le uma coisa e recebe outra. Como já andei em Punto e Palio Adventure com esse motor 1.8, além de ruidoso eu tbm achei fraco. É um motor que na minha opinião é bem quadrado.

              • Verdades sobre o mercado

                O único teste publicado do novo motor presente no Renegade 2017 foi na 4Rodas e o desempenho não melhorou muito, já o consumo foi um pouco melhor. O eTorq é um bom motor para Linea, Bravo, Punto, Idea, Weekend Adventure na estrada, na cidade deixa muito a desejar. Quando fui fazer o treinamento do Novo Palio em 2011 havia disponível para teste um Palio Attractive 1.4(Fire) e um Essence 1.6(eTorq). O test-drive era feito na cidade e era nítida a melhor desenvoltura do 1.4 no trânsito urbano.

                • Edson Fernandes

                  Eu já dirigi os dois e tirando a questão de ruidos, realmente o 1.6 é bem chocho na cidade. (ainda que o 1.4 seja mais ruidoso que o 1.6)

          • TijucaBH

            Por incrível que pareça, o 1.9 tem uma merreca a mais de torque em baixa que o 1.8. O nome etorq é totalmente inapropriado.

        • CharlesAle

          Não sei por quê, mas aqui na grande SP, a maioria que se encontra a venda são muto rodados…Parece que por aqui, só se vendeu para frotas..

    • Marco

      Você simplesmente falou tudo agora Tijuca. Muito sensato seu comentário. Quem critica nunca nem chegou a entrar dentro de um Linea. Quanto mais, dirigir um. Abçs!

      • CharlesAle

        É um bom carro sim, principalmente depois de ganhar o ETorq. As ressalvas é mais na parte de consumo..Mas o pessoal tem de ter em mente que é um carro naturalmente de consumo bem maior que 1.0..

  • Dunha

    Iria comprar um mudei de ideia

    • Hugo Leonardo Dos Santos

      ainda bem, pq saiu de linha

      • Edson Fernandes

        Ué… compra usado!

    • Erick

      FiAT X6s: O substituto entra no lugar dele no ano que vem.

    • TijucaBH

      Nao leve em consideração esse depoimento desse mané. Hoje nao tem melhor custo benefício que o Linea. Como eu disse no meu comentário acima, o cara achou que estava comprando ua Mercedes classe C. Tem algumas falhas sim, mas todos carros tem e nem por isso deixa de ser um bom carro, palavra de quem ja teve 2 e rodei mais de 50 mil km com cada um.

  • invalid_pilot

    Um bom usado , sobretudo manual com 1.8 eTorq

    O 1.9 argentino nem de graça

    • Erick

      Linea 1.8 E.Torque ou com motor 1.9? Qual é melhor na sua opiniao?
      (Gosto da Fiat, tenho um e pretendo ter um Linea novo/semi novo em breve.)

      • invalid_pilot

        Pega o eTorq por conta de peças campeão – o TJET e o Argentino são bem mais complicados.

        O T Jet tem problema da carcaça da turbina abrir (como no Punto e Bravo)

        Outro carro bom de comprar usado da Fiat é o Bravo 1.8 intermediário – tempos atrás fiquei balançado num 2013 por 37,5 mil reais

        • Erick

          Valeu amigo! Thanks!!!

  • Mr. On The Road 77

    Tá muito mal escrito e confuso esse texto.

    • Vini

      são seu zoio

    • duhehe

      Leia prestando atenção nas pontuações.
      O texto pode estar tudo, menos mal escrito.

    • Joel Oliveira

      Concordo. O NA poderia reavaliar os textos antes de publicar e pedir modificações estruturais. Tá muito confuso.

  • Gostei da análise, você mencionou os defeitos irritantes com elegância. Mas prepare-se para a avalanche de críticas, nada enfurece tão rápido a torcida nacional do que criticar um Fiat, talvez pior só se for criticar um Alfa Romeo.

    • TijucaBH

      O cara é muito chato. Tive 2 Lineas e nunca reparei na metade dos defeitos reclamados. A hora que ele falou da posição dos difusores do ar condicionado, eu parei de ler. Imagino esse cara falando de um Logan… Kkkk

  • Felipe

    Será que ele tem esse carro desde zero?!
    Que relação é essa de amor e ódio com esse Linea, minha gente?!

    • Felipe

      O Palio foi seu por quatro anos, ok. Você o vendeu por algum motivo e antes de vender já estava insatisfeito com seu carro. O proprietário do Linea e do relato dessa matéria, parece ter o carro desde 2008 e estamos praticamente em 2017, logo, ele está a pelo menos oito anos com o carro e convivendo insatisfeito com o Linea quanto tempo? – Entendeu agora o meu questionamento?!

      • Felipe

        Pior é que além da insatisfação, parece haver desgosto, decepção, frustração e irritação.
        Um caso desses tem que ser alvo de estudo!

      • Daniel

        É que ele não consegue vender o tal sedan médio de luxo que ele acha que tem

      • Edson Fernandes

        Felipe, me parece que o dono ficou durante dois anos com o mesmo: “Os cavalos, quando recrutados da velha guarda, acreditaram ser úteis novamente, ledo engano, foram dispensados 2 anos após.”

        • Felipe

          Hum… Pode ser, Edson. Ou não.
          O Linea foi lançado em 2008 e na versão HLX, tem motor 1.9 16v Flex com 132cv (e).
          Em 2010 (2 anos depois), já como linha 2011, a versão HLX recebeu o motor E.TorQ 1.8 16v, também com 132cv (e).

          Pelo relato do proprietário no texto, fica difícil saber se quando ele fala dos dois anos, ele se refere ao tempo em que esteve com o carro ou do período em que o motor 1.9 16v equipou o sedan antes de ser substituído pelo E.torQ.

      • duhehe

        Acho que 100% satisfeito ninguém fica, não com os carros que são acessíveis para o povo.
        Se a pessoa for racional, ela vai encontrar falhas, só não as vê quem é fanático.
        Eu ja tive uns 16 carros, todos, todos tinham uma falha aqui ou ali.

      • Matthew

        Caraca mano, se a única coisa que prestava no carro era o motor GM F-I 1.8 a coisa tava feia mesmo hein. Meu pai teve um Melivra com esse motor bebia mais que cachaceiro.

      • mjprio

        O pessoal comprou gol por 13 anos. Bosta de carro duro e desconfortável e achava um ótimo negócio porque tinha APzaum e bom valor de revenda. Isso e mazoquismo

    • duhehe

      Eu vivo uma relação parecida com meu hb20s
      Ha características que eu amo, enquanto convivo com detalhes que me dão vontade de atear fogo nele.

      É mais um menos como um casamento, tem hora que da vontade de matar, tem horas que o amor fala alto… e assim os dias vão passando.

      • Felipe

        Penso que isso é normal com todo carro. No ano em que o Geraldo Stein pegou o Linea dele, eu peguei um C4 VTR que era muito, muito bom em muitos detalhes. Já em outros, ele pecava… E fui perceber isso com o passar do tempo também. Me despedi do Citroën em 2010, quando peguei um Focus Hatch, que me surpreendeu com algumas “novidades” que ele trazia mas senti falta de certas exclusividades que o C4VTR entregava.
        Não existe carro perfeito. Pra todo proprietário de carro, o anterior será referência para o atual e sempre haverão diferenças positivas e negativas entre os dois… E essas diferenças são muito particulares. Agora, se as referências negativas superarem as positivas, é hora de anunciar o carro “chato” e partir pra um outro modelo.

  • Bruno Silva

    Tentou falar bonito e fez um texto chatíssimo. Pensei nisso e só de olhar os comentários vi que não sou o único.

    • Nossa, bizarro… quando comecei a ler, já no terceiro parágrafo eu não estava mais aguentando. Aí desci para ler os comentários, e todo mundo falando a mesma coisa.

  • Não tive paciência de ler tudo. O jeito com que o autor escreve é cansativo, além de ter faltado fotos reais do carro em questão, e não essas de photoshop.

  • Felipe

    Geraldo Stein, para seu Fiat Linea HLX 1.9 2008 manual: “- Não te aguento, mas não te largo.”

  • Erick

    O motor 1.8 E.Torque ainda dá problemas nos carros da FIAT atuais? Alguem sabe???
    (Gosto de carros da FIAT, nunca tive problemas com motores 1.o, 1.4 e 1.6, mas o 1.8 ainda me deixa com medo).

    • Jose Silva

      Nunca ouvi falar que esse motor da problema, já tem 6 anos de mercado

      • Erick

        Alguns deram problemas, nao sei se ainda dão problemas.
        Mas o Linea 1.8 ainda não saiu dos meus planos.
        https://www.youtube.com/watch?v=sPwdn4fAmkk
        http://www.youtube.com/watch?v=oR7SUSPMmA8
        quatrorodas.abril.com.br/auto-servico/problema-no-motor-e-torq-1-8/
        http://www.car.blog.br/2013/09/motor-fiat-etorq-18-apresenta-quebra-de.html

        • Jose Silva

          Vídeo bem antigo.

          Veja bem jovem, este motor equipa linha FIAT desde 2010

          está no Palio, Strada, Punto, Doblo, Linea, Idea, Bravo, e pode ser que equipe mais carros que eu esqueci de citar.

          De 2010 a 2017 quantos modelos a FIAT vendeu equipado com esse motor ? ! Dizer que é problemático e sacanagem, eu vejo como um motor muito confiável no mercado. Uma coisa é um motor equipar um carro, ai sim fica difícil saber, mas esse equipa praticamente a linha inteira. Tranquilamente é o motor 1.8 16v mais vendido no mercado. Fora que equipa outros carros como por exemplo Renegade. Se fosse problemático o que mais teria seria reclamações em qualquer esquina, e isso é muito raro de se ver neste motor.

          • Erick

            Talvez seja o meu medo, o medo do desconhecido atrapalhe um pouco. Melhor perguntar dentro da concessionaria mesmo. Já tenho outro Fiat em casa. Não desisti do Linea. Só não quero branco… rss rss rss

  • Erick

    Cruze 1.4 TURBO.
    Linea 1.4 TURBO???
    A FiAT tinha a faca e o queijo na mao literalmente.
    Se o Linea fosse 8 valvulas talvez ajudaria mais nas vendas. Mas com turbo ajudaria muito!

    • TijucaBH

      Erick, sim e nao. Primeiro, tendencia dos motores é ser multivalvula, portanto 16 valvulas está correto. Deveriam ter colocado o coletor de admissao variável que ajudaria muito o torque em baixa.
      Sobre o Linea T-Jet o erro da Fiat foi tentar vende-lo como esportivo, sendo que sedan esportivo pra mim é só M3, M5, AMG, etc. O motor 1.4 turbo da Fiat ainda era da geração antiga, que a diferença do comportamento de baixa para médias rotações era muito grande. Andei em um uma vez, e na hora de arrancar, deixei o carro morrer duas vezes. Em baixa ele era 1.0 e em alta era 2.0. Hoje os turbos atuais, tem um lag muito menor, muitas vezes nem parece turbo, de tao linear que são.

  • Geraldo Stein

    As fotos são ilustrativas, são de responsabilidade do site Notícias Automotivas, não representam o modelo analisado.

    Quanto aos questionamentos sobre o motor, é so verificar que o modelo é o 2008.

    Para quem não leu, o modelo é um HLX 2008 1.9 Manual.

    • Erick

      Linea com motor 1.8 E.Torque ou com motor 1.9? Qual é melhor na sua opiniao?
      (Gosto da Fiat, tenho um e pretendo ter um Linea em breve.)

      • Geraldo Stein

        Não posso opinar amigo, não tive experiência com o 1.8 eTorq.

        Fico devendo.

        • Erick

          Valeu amigo!

      • Verdades sobre o mercado

        Fui gerente de css Fiat por 4 anos. O 1.8 é fraco em baixa rotações (uso urbano) o 1.9 é ruidoso em rotações médias e altas. Faça sua escolha… mas o carro é muito bom.

        • Erick

          Obrigado amigo!

      • Jose Silva

        1.8 etorq bem melhor
        Manutenção simples e barata, não tem correia dentada, tem o mesmo torque do 1.9 em baixa e tem mais torque em alta, o torque é melhor distribuído, motor mais silencioso na baixa e alta.

  • Gustavo73

    Realmente o texto ficou longo e até confuso. O Linea não é um médio, muito menos um carro de luxo. O Linea é um carro feito para ser maior que os sedans compactos da época, mas menor que os médios de fato. A largura é só um desses parâmetros.

    • ViniciusVS

      Já li cada coisa… tem gente que acha Cobalt e Grand Siena médio só porque são “grandes” por fora, tem gente que acha City, HB20s e New Fiesta carros de “luxo” kkkkk

  • Hater x Haters

    Gostei do texto. O Linea tem defeitos que nunca foram abordados por outros sites automotivos, mas foram abordados por vc sob outra ótica.
    Vejo o Linea da seguinte forma: um carro bastante pretensioso, que promete muito e cumpre pouco. Muito aquém dos seus “antecessores” como Marea e Tempra, esses sim tem admiradores e uma grande legião de fãs até hoje. Mas o Linea…poucos vão lembrar dele daqui uns 20 anos. A culpada é a própria Fiat.

    • Jose Silva

      Não deu muito certo no Brasil, mas na Turquia por exemplo foi líder de vendas por 7 anos, em outros países da Europa também foi bem. Negocio foi o preço, tinha que custar uns 3000 a mais que o punto 1.8 no máximo…. mas chegou custando bem a mais.

  • JAG

    Eu acho que o mercado de usados irá valorizar o Linea, o Bravo e Weekend, depois de 02 anos após saírem de linha. Principalmente no 1.8 e-torque manual, pois o preço será melhor que seus concorrentes!

    • Verdades sobre o mercado

      Normalmente o mercado de usados só valoriza veículos que fizeram sucesso quando estavam em linha, ou seja, pouca chance de Linea e Bravo serem valorizados. Weekend poderá ser valorizada, mas pode sofrer por ser de um segmento praticamente extinto (SW ou peruas)

    • Rafael Trindade

      Mas o custo dele, principalmente da linha 2008 /9 já é bem inferior, bem menos do que muito Hatch da mesma época.

  • Nissan Sentra

    Texto bem longo, extremamente chato e nem um pouco direto. Era só ter posto isso “O carro é uma bela merd@”.

    • Rafael Trindade

      Poderia ter resumido comparado como Tiida Sedan.
      “Barato, bonzinho, tchau e benção”.

  • Hugo Avelar

    Que texto mais sem noção cara. Eu nunca vi uma coisa tão mimimi

  • rafael morozini

    Parei de ler quando disse que o linea é um carro elegante e de luxo ! Na verdade é uma gambiarra de país emergente …

  • 868686

    Desculpe, não quero ofender ninguém, mas o cara compra um Frankenstein como esse Linea e quer ter os mesmos benefícios de quem compra um sedan médio genuíno.

    Moço, você deveria ter pesquisado um pouco antes de comprar essa josta! Teria descoberto que esse carro é uma gambiarra feita em cima da projeto do Punto. Isso nunca poderia dar certo!

    Se fosse uma gambiarra em cima do Bravo talvez teria se saído melhor…

    Só sei que infelizmente nunca teremos sucessores a altura de Tempra e Marea. Agora que a Fiat acabou (virou FCA), acho muito improvável que saiam novos sedan e hatch médios de Turim.

    Quem puder que compre seu Bravo 0km, ainda tem em estoque e o último facelift ficou lindo! 😍

    É o último Fiat italiano genuíno que rodará pelas ruas brasileiras. 😭

    • Edson Fernandes

      Eu penso que era só ter andadoi em test drive que ele perceberia certos pontos. Outros somente a convivencia mesmo.

      • Rafael Trindade

        Perfeito. Um grande amigo, vendeu seu Fusion 2011 com 14.000 km, foi averiguar o novo, não gostou de alguns detalhes de acabamento, como “rebarbas”, disse que para ele morreu em 2011, e isto foi com o Test Drive.

        Fim.

        • Edson Fernandes

          Interessante. O do meu tio, eu achei bem montado.

          No do meu tio, onde ele peca é mais relacionado aos encaixes e inclusive da lataria que tem um vão desproporcional de um lado para o outro.

          Isso me chamou atenção porque foi no nivel do Fiesta quando lançado o nacionalizado (e como vi alguns Ford Ka atuais).

          • Rafael Trindade

            Verdade, ele reclamou disto também. Hoje ele tem uma 320 2014.

  • Ediomar

    Não comparo esse Linea nem com os sedans de sua epoca,os de hoje mesmo é até covardia,por aqui na minha região esse carro simplesmente não vende nem novo na css e muito menos usado,um verdadeiro kingkong.

  • bruno alves de souza

    Tudo que ele falou não se aplica a nenhum Linea do seu 3 ano de fabricação em diante onde houveram mudanças significativas em motor cambio embreagem e acabamentos. Injeção eletrônica ou seja mudou tudo.

  • Edson Fernandes

    Apesar de querer abordar a história com muitos pontos como se fosse um ser humano e dizer a respeito deste, parece que no final, a explicação foi: É um carro bonito, comprido (e por isso considerou espaçoso, porém estreito) e que não oferta muito no interior.

    Eu li até o fim. As vezes a história só conta o que parece ter sido uma decepção enorme com o carro. Mas vale o aviso: Se “o chato” te avisa sobre cinto não atado, ele está certo! Ir até a padaria ou ir até a praia tem tanta importancia quanto uma pessoa atravessar a rua de casa sem olhar para os lados porque é uma rua residencial.

    O carro tem um sensor para os ocupantes dianteiros… eu achei legal isso!

    Para mim os demais pontos me trariam frustação. Fico eu imaginando com ele andando em propostas de motor com um torque mais imediato e sem ruidos…. ele iria achar que o degrau de sedans realmente médios, seriam sedans de extremo luxo.

    Mas isso faz parte de conhecer outros produtos tbm.

  • alison

    Tive a experiencia em um Linea Tjet comprado 0km. Fiquei com ele por 4 anos(50mil km) e a única peça que troquei nele foi a correia dentada por tempo.Enquanto estive com ele só alegria, confortável, seguro, econômico, mas quando fui vender….hummm demorei 6 meses e valendo menos da metade do preço.

    • Rodrigo Alves Buriti

      Pode ter certeza, há quase 2 anos estava na procura por um T-Jet pouco rodado e bem conservado, infelizmente não achei :(
      Eu gosto do punto T-Jet, mas queria algo mais “sleeper”.

  • Verdades sobre o mercado

    Foi um bom veículo que a Fiat produziu, mas que a própria Fiat matou logo no lançamento. A Fiat era líder de mercado à época e com isso achou que poderia colocar o Linea a preço de Corolla e Civic, que o consumidor iria aceitar isso, mas o consumidor de sedan médio não enxergava a Fiat como uma marca a ser comprada, além obviamente do Linea ser inferior à Corolla e Civic, tanto pelo porte quanto pelo câmbio automático. Na época a arrogância da diretoria da Fiat era um tanto quanto elevada. Houve uma reunião com a rede de css onde um executivo citou o exemplo de sucesso da Ford com o lançamento do Fusion (cerca de 2 anos antes) e ouviu de um diretor da Fiat: “Não discuto estratégia de empresas com menos de 2 dígitos de participação de mercado”, ou seja, total arrogância, e deu no que deu …

    • Matafuego

      A Fiat era líder vendendo carro de entrada. É muita pretensão achar que vai vender um derivado de Punto como sedã médio, terreno onde ela não possui tradição e ainda ocupado por competidores que estavam (e continuam) bem na foto, como Civic e Corolla.

      • Verdades sobre o mercado

        A Fiat não entendeu que o público-alvo do segmento sedan médio é muito diferente do público que ela estava acostumada a vender, achou que era só fazer uso das mesmas ferramentas de marketing e daria tudo certo, mas o tiro saiu pela culatra. Mas não foi o primeiro erro de leitura de mercado nesta faixa de preço. A MB errou feio ao lançar o Classe A no Brasil, imaginou que o brasileiro iria deixar de andar de Vectra (o sedan médio da época) para andar de MB.

    • CharlesAle

      “Não discuto estratégia de empresas com menos de 2 dígitos de participação de mercado”, ou seja, total arrogância, e deu no que deu ” Bota arrogância nisso..Aliás, até hoje a Fiat não tem um carro no Brasil sequer para concorrer com os Fusion de 2006, que dirá dos novos…

  • Ulisses Teixeira

    O linea é um ótimo carro, dentro da faixa de mercado a que ele se propõe (não ao que a Fiat o posicionou). Já tive um manual e tenho atualmente um dualogic, ambos e.torq 1.8. Considero-o muito superior a City, New Fiesta, Cobalt. Na versão 2015 a FIAT piorou um pouco o acabamento, antes era melhor. Possui um motor acertado entre potência, consumo e bom espaço. O cambio dualogic atende muito bem a função de não precisar passar marcha. Não é nenhum carro de luxo mas surpreende no dia a dia. Muitas pessoas falam mal por total desconhecimento. Isso acaba sendo bom pra quem pretende pegar um seminovo, pois a desvalorização é alta do 0KM. Outro ponto interessante, o valor do seguro é bem inferior aos concorrentes. Só sairei dele pra pegar um médio de verdade (civic/corolla/cruze/focus), talvez este ano.

    • Jose Silva

      Que gosto no Linea é a suspensão, muito equilibrada e filtra muito bem os desníveis das ruas e estradas, é bem macio e confortável. Tem uma posição de dirigir bem agradável, já fiz viagem de 1000 km em um e não cansei assim como já fiz viagem em corolla que cansei. O cambio poderia ser melhor.

  • Andre Henrique Melo

    Ao acompanhar um amigo na FIAT…. Perguntei ao vendedor se ele compraria um Linea. Ele olhou para lados pensou.Não compramos fica encalhado no estoque.Se própria montadora corre dele.Imagina o resto.

    • Rafael Trindade

      Ouvi esta mesma conversa em uma revendo na minha cidade. Mas acredito que seja público, acredito que a Fiat tenha classificado ele de forma errada.

  • pedro

    O cara viaja. O carro não é de luxo. Está no nível de City e cia, o que é para a classe média baixa. Eu não tive Linea, mas tive um Punto e o carro é muito bom.

  • George

    Pra mim foi a maior burrada da Fiat ter tentado fazer esse “Punto Sedan” competir com os carros da categoria cima.
    Tive um Punto Sporting e o carro era bom para a proposta apresentada na época – hatch pequeno. Mas o Linea nunca conseguiria se equiparar com a prezada concorrência. Morte certa.

  • marcosCAR

    Muito bom!!

  • mauricio

    Muita enrolação, devia ser mais objetivo, falando aspectos positivos e negativos do carro com a sua experiência.

  • Rafael Straus

    Linea era meu sonho, mas eu acordei ao ouvir o ronco do motor invadir o interior do carro.

    Achei inadmissível. Isso, num test drive na concessionária – imaginem o ruído depois de dois anos de uso…

    Isso sem falar do Dualogic. Nunca entendi essa sequência de erros do Linea, pois a Fiat sempre foi muito inteligente e certeira em seus posicionamentos de mercado. Se tivesse seguido uma proposta honesta (compacto premium, no máximo, concorrendo com Polo Sedan e City) teria sido um sucesso.

  • Higor Araújo

    Dispensável!

  • Joel Oliveira

    Luxuoso o Linea? Não, não e não. O Linea é o sedan do Punto, que é um compacto datado de 2005, salvo engano. O Punto brasileiro, por sua vez, tem a parte estrutural traseira derivada do Palio G1. O Palio tem projeto de 1996/97 com modificações na plataforma em 2003 e seu sedã é o Siena. Sendo assim, o que o Linea sempre conseguiu ser foi apenas um “Siena esticado” e estreito (sinônimo de elegância haha ). Se fosse sedan do Bravo (manso) seria sim um sedan médio, mas nunca de luxo.

    Parei de ler antes da metade, mas respeito o gosto e o proprietário.

  • Jose Silva

    Uma das piores avaliações de leitores que já li neste blog. Reclamou de coisas que todo carro tem. Luz no porta luvas todo linea que eu entrei tinha. Deve ta queimado e nem sabe

  • pedro rt

    tenho uma vizinha q tem um essence manual 1.8 2011 e realmente o motor e ruidoso, prefiro mais o grand siena q ele

  • Renato Dias

    Podia colocar a foto do interior como a primeira. Me pouparia o tempo de ter lido 3 parágrafos.
    Um carro com esse interior não merece ser comprado.

  • Que texto medíocre!

  • Camata

    Ótimo texto.

  • Renato Shalom

    Quanta besteira !

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email