_Destaque Antigos Clássicos Europa História Mercedes Benz

Mercedes-Benz 170: Alemão foi o único sobrevivente após a guerra

mercedes-benz_170-limousine-2portas

Mercedes-Benz 170V Limusine duas portas

No início dos anos 30, a Mercedes-Benz começou a vender o modelo 170, cujo projeto era o W15, o primeiro da marca sem Ferdinand Porsche como diretor técnico. Apesar das baixas vendas, o carro executivo durou até 1935.

mercedes-benz-170V-cabrio-limousine

Mercedes-Benz 170V Limusine quatro portas

Para substituí-lo, em fevereiro de 1936 a Mercedes-Benz lança o 170 V ou geração W136. Ao contrário do W15, que nasceu em meio à recuperação econômica da Alemanha, o novo modelo surgiu exatamente quando o mercado estava recuperado e em ascensão.

mercedes-benz-170V-chassi

Mercedes-Benz 170V chassi/motor

Apesar de herdar a nomenclatura do anterior, o Mercedes-Benz 170 V era bem diferente, tendo motor 1.7 de quatro cilindros no lugar do anterior de seis cilindros, também 1.7 litro. O projeto envolveu uma caixa de câmbio de quatro marchas sincronizadas e entregava 38 cv. O alemão podia fazer 10 km/litro.

mercedes-benz-170-roadster

Mercedes-Benz 170V Roadster

Oferecido em versões Sedan, Limusine-Cabriolet, Cabriolet com 2 ou 4 portas, Roadster, Pickup e Van, o Mercedes-Benz 170 era bem versátil e confortável para a época. O estepe no painel traseiro era um dos itens que faziam parte de seu estilo, assim como os para-lamas dianteiros longos e os faróis suspensos.

mercedes-benz-170VK

Mercedes-Benz 170VK – Wehrmacht

É interessante notar que seu motor M136 era o mesmo do 170H, o Mercedes mais próximo do Volkswagen Fusca, tendo este propulsor montado na traseira. Com praticamente dois modelos com mesmo nome e diferenças enormes, a Daimler-Benz se concentrou mais no 170V. Com o início da Segunda Guerra, a empresa passou a produzir veículos militares e o 170H saiu de cena.

mercedes-benz-170v-polizei-streifenwagen

Mercedes-Benz 170V Polizei Streifenwagen (pós-guerra)

Pós-guerra

No entanto, o Mercedes-Benz 170V continuou em produção, que durou até 1942. Com o fim da guerra, a montadora precisa urgentemente retomar as vendas de veículo e o único projeto que ainda podia ser executado era o do W136. Em 1946, a Daimler reinicia a fabricação de automóveis com o 170V.

Na época, a situação era de extrema urgência, pois a fabricante de carrocerias Ambi-Budd havia sido destruída por um ataque aéreo aliado em 1943, deixando de fornecer para Adler, BMW e Ford, enquanto as fábricas da BMW, Horsch e Wanderer foram ocupadas pelos soviéticos e ficaram do lado oriental.

mercedes-benz-170Va-box

Mercedes-Benz 170Va Box

Assim, para atender à recuperação da Alemanha Federal, a Mercedes-Benz retomou o 170V, mas antes de chegar ao consumidor, eles saíam da fábrica como ambulâncias e caminhões leves, sendo que apenas em 1947 se produziu a versão comum, sendo elas sedã e limusine.

Em 1949, 10.000 unidades foram fabricadas. O número foi importante, já que de 1936 até 1942, 75.000 exemplares haviam sido produzidos. O W136 recebeu uma versão diesel, a 170D neste mesmo ano, entregando 38 cv. Foi o terceiro carro diesel do mundo e o primeiro do pós-guerra.

mercedes-benz-170v-limousine

Mercedes-Benz 170V Limusine

No fim dos anos 40, faltava muita coisa na Alemanha e uma delas eram carros de luxo. Pensando em quem já tinha dinheiro para gastar, a Daimler-Benz autorizou o 170S. Muito modificado em relação ao W136 original, este chegou a ser rebatizado de W191 e espiritualmente é o antepassado do Classe S atual.

Com gasolina ou diesel, o Mercedes 170S logo foi atualizado, assim como o 170V e o 170D. Essa atualização ocorreu em 1950 e dela fazia parte o motor M136 com tamanho aumentado para 1.8 litro, que futuramente serviria ao 180, o chamado Ponton.

mercedes-benz-170DS-limousine

Mercedes-Benz 170DS Limusine

As mudanças foram feitas nos amortecedores, formato da traseira (mais quadrada) e freios redimensionados. Alterações na refrigeração e assentos, ocasionada por conta do aumento da largura da carroceria, conferiram ao 170, designações de 170Va e 170Da.

No ano seguinte, o 170D ganhou a versão OTP, feita especialmente para a polícia alemã. Estranhamente, o modelo utilizava a carroceria conversível do modelo dos anos 30. Era pintado de verde, mas depois passou a ser entregue em azul. Sua produção terminou em 1952. Neste ano, para-choques renovados e para-brisa com novos limpadores foram introduzidos. Estas alterações foram conhecidas como 170Vb e 170Db.

mercedes-benz-170S-cabriolet

Mercedes-Benz 170S Cabriolet

Além disso, o 170S cruzou o Atlântico e começou a ser produzido na Argentina, tanto nas versões SV quanto SD. Em 1953, surge o Mercedes-Benz 180 W120, chamado de Ponton. O modelo era o sucessor do 170V, mas ainda coexistiu com este até 1955, quando a Daimler-Benz pôs um fim ao alemão sobrevivente da guerra. Ele chegou ao término com motor de 45 cv. Na Argentina, sua fabricação também foi encerrada.





  • mjprio

    Nossa, pra quem vê hoje os modelos da fábrica alemã tão genéricos , com tração dianteira, sem diferenças entre as classes, interior insosso, esses modelos 170 são um charme considerando sua época.

  • Tosoobservando

    Mesmo com o país em guerra, todo bombardeado e com fabricas ocupadas, os kras nao pararam de produzir e continuaram rapidamente pos-guerra, um exemplo pra um certo país tupiniquim que nao tem guerras mas é ocupado por uma elite vendida.

    • João Felipe Machado Silvestre

      por uma cambada de comunistas que se alimentam de impostos e não devolvem à altura você quer dizer, né?

      • IRA

        Sim, os comunistas que estão desde 1930 aqui. Estes mesmos.



Send this to friend