Ecologia Elétricos Europa Mercedes Benz Tecnologia

Mercedes-Benz abandona combustíveis sintéticos em prol de elétricos

Mercedes-Benz abandona combustíveis sintéticos em prol de elétricos

A Mercedes-Benz surpreendeu com um anúncio inesperado. Embora a montadora alemã tenha desistido da tecnologia de células de combustível de hidrogênio, o fabricante de Stuttgart vinha apostando forte no negócio de combustíveis sintéticos, mas isso mudou.


Considerado um meio de manter os motores a combustão por mais tempo no mercado alemão, os combustíveis sintéticos como gasolina, diesel e querosene, geralmente são produzidos com carbono neutro.

Isso permite um ciclo fechado de CO2, uma vez que o emitido pelo carro é absorvido pelo processo de produção. Além de mais limpo, o combustível sintético garante o uso de motores a combustão por mais tempo e um processo isento de energia da rede.

Mercedes-Benz abandona combustíveis sintéticos em prol de elétricos

Contudo, a Daimler questiona agora o processo. De acordo com a empresa germânica, o método de produção de sintéticos é ineficiente, pois requer uma quantidade de energia bem superior aquela que seria de fato aproveitada nos veículos.

O processo utiliza energia eólica para garantir a eletricidade necessária no processo, que ainda possui um captador de CO2 – geralmente com algas ou microrganismos – e de água, sendo processados quimicamente em um reator de alta temperatura, gerando assim hidrocarbonetos necessários para sintetização de gasolina, diesel e querosene.

Para a Daimler, é mais válido armazenar essa energia dispendida para fazer combustíveis sintéticos em baterias de lítio, sendo assim usadas diretamente pelos automóveis. Por isso, a partir de agora, a Mercedes-Benz focará todos os recursos nos veículos eletrificados.

Mercedes-Benz abandona combustíveis sintéticos em prol de elétricos

A orientação da montadora também seque a perspectiva do mercado europeu para os carros comuns, na medida que alguns países do bloco já decretaram o fim da comercialização de carros a combustão em prol dos elétricos.

Assim, o investimento elevado em combustíveis sintéticos não se justificaria. Na Audi, por ora, a produção desse tipo de combustível continua e a marca deve se manter como a única apostando nisso nos próximos anos, até que a direção do grupo VW decida pelo seu fim.

[Fonte: Autocar]

 

 

 

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • T1000

    Logo verão que elétricos não compensam e abandonam também.

    • Ana Winchester

      Não só compensa mas será o futuro próximo!! Se as indústrias do petróleo deixarem. Não seria necessário baterias e sim um gerador atômico, que já está em desenvolvimento e cujo, atualmente, gera energia por 15 anos e não risco de vazamento radioativo, será que já mataram os pesquisadores???

      • Quem realmente manda na indústria do petróleo são aqueles que agora investem na tecnologia de carros elétricos. Saíram de uma indústria saturada e criaram uma nova indústria insipiente. Assim, garantem um novo e longo ciclo de crescimento de suas fortunas.

    • th!nk.t4nk

      Pelo contrário, os elétricos compensam cada vez mais, principalmente agora que a nova geração de baterias está chegando ao mercado (com quantidades mínimas de cobalto ou até mesmo Co-free). São baterias 100% recicláveis, que usam uma quantidade muito reduzida de lítio e que têm imensa durabilidade. A razão de Mercedes estar abandonando os combustíveis sintéticos é justamente em decorrência destes últimos desenvolvimentos na eletromobilidade.

      • Mr Tony

        Por ai mesmo. Essa nova geração de baterias vai matar os estudos sobre combustível sintético. A Tesla está para anunciar algo nessa linha em breve. E com certeza novas e novas baterias surgirão,

        Prefiro um motor elétrico 90% eficiente com 50 peças do que um a combustão com 500.

    • T1000

      Saiam da bolha; você precisa queimar petróleo para gerar energia elétrica, onde que compensa?

      • Leonardo

        Depende do Pais. No Brasil a principal matriz energética é hidroelétrica…

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por 15 anos. Saiba mais.

Notícias por email