*Featured Híbridos Mercedes Benz Preços Sedãs

Mercedes-Benz Classe C 2019 tem versão híbrida e parte de R$ 187.900

Mercedes-Benz Classe C 2019 tem versão híbrida e parte de R$ 187.900

Logo depois que a Audi confirmou o A6 2019 com sistema híbrido leve para o Salão do Automóvel, a Mercedes-Benz liberou seu Classe C nacional, que agora se torna o primeiro carro com esta tecnologia de 48 volts a ser feito por aqui, mais precisamente em Iracemápolis-SP. O sedã de luxo parte de R$ 187.900.


A nova opção chega junto com a linha 2019 do Classe C na forma da versão C200 EQ Boost, que emprega um novo motor 1.5 Turbo com 183 cavalos e 28,6 kgfm, que trabalha em conjunto com um motor elétrico de 14 cavalos e 16,3 kgfm, que entra em funcionamento nas partidas e saídas do carro, assim como para compensar o uso do motor em determinadas situações, onde o mesmo pode ser desligado.

Mercedes-Benz Classe C 2019 tem versão híbrida e parte de R$ 187.900

Com essa tecnologia, o C200 EQ Boost pode economizar até 10% de combustível. Nessa versão, o Classe C vai de 0 a 100 km/h em 7,7 segundos com máxima de 239 km/h. O modelo ainda conserva uma transmissão automática 9G-Tronic com nove marchas, que tem ainda a função de desacoplamento para reduzir o consumo.


O Mercedes-Benz Classe C 2019 é oferecido nas versões C180 Avantgarde (R$ 187.900), C180 Exclusive (R$ 188.900), C200 EQ Boost (R$ 228.900) e C300 Sport (R$ 259.900). As duas primeiras mantém o motor 1.6 Turbo Flex de 156 cavalos e 25,5 kgfm, enquanto o último tem o 2.0 Turbo, agora com 258 cavalos e 37,7 kgfm, antes era 245 cavalos.

Mercedes-Benz Classe C 2019 tem versão híbrida e parte de R$ 187.900

Todos equipados com câmbio de nove marchas e tração traseira, as versões do Classe C 2019 agora apresentam novo para-choque, rodas de liga leve redesenhadas, faróis full LED atualizados e lanternas com iluminação em LED modificada. Por dentro, novas tonalidades e revestimentos em cada versão, assim como cluster digital configurável e multimídia com Android Auto e Car Play.

Mercedes-Benz Classe C 2019 – Galeria de fotos

  • C180 Avantgarde – R$ 187.900
  • C180 Exclusive – R$ 188.900
  • C200 EQ Boost – R$ 228.900
  • C300 Sport – R$ 259.900
Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • GPE

    Caro demais… infelizmente podemos esperar a nova 320i por pelo menos 190mil, já q será uma geração nova e é mais potente q a C180

    • Antonio

      Muito mais que 190. Será o preço da C200.

      • oloko

        Não deveria né, entendo que vai ser uma geração nova, provavelmente mais completa e tal, mas a atual é vendida por 165k de tabela, vai ter conteudo suficiente pra aumentar 30k? Hahaha eu sei que não precisaria ter para aumentar o preço, mas ainda assim é um aumento bem expressivo, mesmo nessa faixa de preço

        • Antonio

          De fato é um aumento expressivo mas hoje em dia 165k é o valor de Peugeot 3008, Hyundai Tucson, Mitsubishi Eclipse Cross… é claro que a Mercedes também aumentaria o valor do Classe C. Sem contar que, como alguns disseram, ela está “preparando o terreno” para a chegada do novo Classe A Sedan. Esse sim provavelmente vai ficar nessa média de preço…

    • Davi Millan

      Pior as previsões internas superam os 200 mil. Mas por enquanto são somente previsões.

    • Thiago

      Chuto o preço em 199 mil a 320i de entrada.

      • Gran RS 78

        Nunca. A atual está sendo oferecida por 154 mil aqui no estado de SP. Mais provável que custa na tabela uns 175 mil, o que já é bem caro.

    • Eduardo Edu

      Vai vir nesse preço mesmo, mas o painel de ônix digital só na GP e 328i…daí mais de 200/250 conto.

  • Deadlock

    Gasto uma fortuna para economizar um pouco com combustível….

    • th!nk.t4nk

      Na verdade o maior ganho é em desempenho mesmo, nas arrancadas, retomadas na cidade e congestionamentos (onde dá pra rodar 100% elétrico). Numa saída de farol, por exemplo, motor elétrico entra em ação instantaneamente, logo você tem 16,3 kgfm disponíveis logo de cara. Outros 28,6 kgfm do motor à combustão entram em ação logo em seguida (totalizando os 45 kgfm de torque), o que somando ao fato de ser um carro de tração traseira dão muito mais agilidade na cidade, fazendo o carro se comportar como se fosse muito mais potente do que realmente é (em circuito urbano). O que economizar de combustível é apenas a cereja do bolo nesse caso.

      • TchauQueridos

        A explicação vem da própria Mercedes: a nova versão NÃO utiliza o motor elétrico como fonte para tração; usa somente para agilizar as respostas e aumentar a eficiência do motor 1.5 turbo convencional, além de permitir uma partida mais silenciosa e recarregar naturalmente a bateria convencional do veículo…

        • Leonardo

          Exatamente. Ela não está nem vendendo como híbrido o carro. Porém é suficiente para se conseguir os descontos de ipi previstos para híbridos no rota 2030. Dito isso, tinha que ter é ficado mais barato.

          • Zetros1833

            Mas segundo o site automotivebusiness, por conta desse sistema, o IPI dele foi elevado de 13% para 19%.

            • Leonardo

              Engraçado, li justamente o contrário. Vou pesquisar mais, desculpe se dei a informação errada, não era minha intenção.

        • th!nk.t4nk

          Cara, leia de novo o que a Mercedes diz em seu release oficial e o que você escreveu: se usa pra “agilizar as respostas”, é óbvio que usa como fonte de tração. Tem transferência de energia do motor elétrico pras rodas? Entao é fonte de tração :) E Leonardo, ela está sim vendendo com híbrido (mild-hybrid). O que ela não está fazendo é vendê-lo como PHEV (nao vamos misturar as coisas). Resumindo: o motorzinho elétrico ajuda sim (e muito!) nas respostas do carro, particularmente na cidade (mas ele é ativado na estrada também, em certas condiçoes).

  • Marcus Vinicius

    Um rival a altura de Fusion Híbrido e Prius

    • Rodrigo

      Pelo preço de um desses dá pra comprar quase 2 Prius…

    • th!nk.t4nk

      A única coisa que Classe C e Fusion têm em comum é possuírem versoes mild-hybrid. De resto são categorias completamente diferentes. Eu fui justamente de um Fusion pro C-Class, e a diferença na qualidade de projeto é abismal. O Mercedinho é menor, mas é MUITO mais sólido (excelente rigidez torcional, construção impecável), prazeiroso (o câmbio 9G-Tronic é benchmark na categoria, e o handling é pau-a-pau com o Série 3) e capaz em praticamente qualquer situação (o Fusion só tem vantagem em absorver melhor os buracos, mas tem uma eletrônica horrível e comportamento super anestesiado, além de ser uma gelatina em alta velocidade). De resto é uma surra do C-Class, se for entrar em cada detalhe. Sinceramente, se a ideia é apenas economizar, melhor ir de Prius de uma vez (argh). Não vai saber o que é dirigir um carro decente, mas vai pagar de moderninho :)

      • Leonardo

        Acho que são propostas diferentes na real. Um é um sedã grande com proposta de oferecer bastante tecnologia e conforto. A mercedes oferece a grife, acabamento e handling.
        Fica a gosto do cliente. Mas vale lembrar que a manutenção pode pesar bastante, ainda mais que a c180 não é exatamente um carro tão durável no nosso solo marciano.

        • th!nk.t4nk

          Olha Leonardo, meu antigo Fusion não chegava aos pés do meu atual Classe C em termos de tecnologia em conforto. Já falei sobre isso aqui: desde os bancos (que do Fusion sempre me davam dor nas costas depois de uma viagem longa) até o funcionamento burro do SYNC 3 (cheio de bugs e má ergonomia). Em termos tecnológicos (e especialmente na qualidade de implementação!) é uma verdadeira surra. Esquece grife. O Classe C é premium porque tem projeto bem mais decente, a Daimler despeja um caminhão de dinheiro em P&D pra fazer um carro realmente gostoso de guiar, com dinâmica superior e atenção a detalhes. É isso principalmente que encarece o produto. Lógico que tem um custo adicional da grife em si, mas é bem menor do que muita gente imagina. A Mercedes é marca de volume, têm vendas mundiais bem elevadas. Tá longe de ser o suprassumo da exclusividade, num panorama geral. Quanto ao Brasil, é um dos piores lugares pra ter qualquer carro premium. Um verdadeiro roubo. E botar um carro decente nesse pavimento lunar é como ter uma TV 60″ moderníssima num barraco sem reboco nas paredes, na minha opinião. Mas… Cada um queima seu dinheiro como quer (também faço minhas loucuras, entao nao tenho moral pra criticar ninguém nesse ponto!).

          • Charlis

            Não há como comparar o Fusion com sua MB, simples assim.
            Amigo, você que é dono de uma C-Class, tire me uma dúvida, por gentileza.
            Eu aluguei por 3 vezes a MB C-Class, em 3 países distintos (US, BR e UAE), e 3 versões distintas: C180, C200 e C250.
            Nas 3 vezes, eu não consegui fazer o câmbio permanecer no modo manual.
            Ele entra em manual, depois de algum tempo, ele volta pro automático.
            É assim mesmo? Ou o problema era eu, rs?

            []s

            • Mambo Ted

              Provavelmente chegou a rotação máxima e o cambio volta ao automático mesmo.

              • Charlis

                Negativo…
                Seria o contrário neste caso.

                Modo manual, andando normalmente, giro baixo, elevolta pro automatico por conta própria.
                Mas já responderam que é normal da MB mesmo.

                • Cristiano

                  O modo automático volta sozinho sim quando atinge giro para troca de marcha é estranho mesmo, a minha é CLA 200, DCT 7.

                  • Charlis

                    Isso eu sei manos, rsss..
                    Mas a minha pergunta é, justamente quando dirigindo normal ele também volta pro AT !

                    • Cristiano

                      Volta se vc nao cambiar volta sim.

            • Thiago

              Na GLA isso ocorre também, depois de algum tempo volta para o automático a não ser que você fique fazendo trocas o tempo todo, o que beira a irracionalidade. Talvez em um track day com pista de traçado travado isso não ocorra por causa das rotações altas do motor e inclinação da carroceria (suposição minha). Não vejo sentido em levar SUV urbano para pista, mas vejo uns, vai entender…
              Embora o câmbio da GLA seja um DCT7 e o da classe seja um 9G-tronic (se for das novas) acho que esse tipo de programação é semelhante.
              Nas AMG acho que isso não ocorre.

              • Cristiano

                Na CLA tbm volta sozinho.

          • Leonardo

            Eu já particularmente, deixei justamente de levar uma C180 para levar o Fusion por causa do conforto. Entendo que você ache justamente o contrário, mas em minha humilde opinião, não tem nem comparação. Desde a suspensão ao espaço interno mais a parte autônoma (park assist e Acc) fora a completa falta de itens de conforto básico para a categoria (sensor de estacionamento, câmera de ré, banco elétrico, aquecimento/ventilação/memória)
            Não sei como está hoje a c180, creio que não muito diferente, mas na minha perspectiva tudo isso valia mais que uma estrela no capô e um acabamento melhor. A própria condução achei que ficou prejudicada pelo motor fraco qie empregaram no carro.

            • th!nk.t4nk

              Respeito sua experiência Leonardo, mas pude testar o Fusion em inúmeras situaçoes (desde subida de Landstraße nos Alpes, até pegar 200 km/h nas Autobahnen), e o comportamento dele frente ao Classe C é incomparável. O Fusion simplesmente não passa segurança em altas velocidades, o carro é todo bobão e isso incomoda muito em viagens. Claro que em baixas velocidades (<130 km/h) essa diferença é bem menos perceptível, mas continua lá. O Classe C, em contraste, está "passeando" em alta velocidade e passa uma segurança absurdamente maior. Já falei aqui também sobre a péssima implementaçao de eletrônica no Fusion: os sensores são pouco confiáveis, o sistema como um todo é muito burro e o SYNC 3 já chegou até a travar comigo. Sim, eu faço uso intenso de meus carros, e levo mesmo ao limite. Talvez seja essa a diferença pra quem faz um uso bem leve e só veja quantos itens de série o modelo tem. Nao é meu caso. A qualidade de implementaçao de tecnologias e a robustez geral do projeto pra mim vem muito antes do quão recheado ele é (caso contrário qualquer carro chinês mega equipado seria o melhor custo x benefício do mundo).

              • Leonardo

                Confesso que nunca andei em altas velocidades aqui, afinal moro no Brasil o limite é 110 km/h nas estradas.
                Quanto a eletrônica, estou com o carro a uns 3 anos e até hoje nunca tive nenhum problema, nem em sensores nem na tecnologia autônoma nem nada. Em contrapartida, a Mercedes B que tive basicamente a cada 3 meses um sensor falhava, um botão parava de funcionar o farol automático não funcionava ou algo do tipo.
                Quanto ao handling, não tenho que discutir, o fusion é um carro estilo americano, portanto a suspensão é mais molenga, que tem sua vantagem para conduzir na cidade, agora quanto a eletrônica confio muito mais no do Fusion do que no da Mercedes.

          • Cristiano

            Tbm concordo com vc, tinha um fusion ecoboost, mas achei o carro desengonçado, parecia que o freio não ia segurar carro, mole demais nas curvas, desajeitado, resultado fiz test drive numa MB C 180 2014, adorei o carro, interior sóbrio, elegante sem exageros, fiquei com a MB, hj tenho CLA 200 Vision, 16, adoro tbm, anda legal, freia bem, teto panorâmico a mulherada baba, branca é uma presença, as vezes viajo com o carro só para sair e curtir ele. Não sinto falta dos mimos do Fusion, carro grande e chato.

    • TchauQueridos

      O Fusion opera no modo 100% elétrico até 100km/h utilizando o motor elétrico para tração.
      Diferentemente o C180 segundo divulgação da MB, não utiliza o motor elétrico para a tração, sendo considerado mild-hybrid.
      Acredito não serem rivais diretos, apesar do preço próximo.
      Inclusive o site UOL divulgou uma matéria sobre esse sistema no C200.

      • th!nk.t4nk

        Cara, com todo respeito, mas você está espalhando informaçoes erradas. O motor elétrico é sim utilizado para tração, e embora não seja desenhado mover o veículo de forma exclusiva, ele permite sim desativar completamente o motor à combustão até mesmo na estrada (e inclusive acima dos 100 km/h!). O lance dele é trabalhar JUNTO com o motor à combustão (particularmente na cidade) pra agilizar arrancadas e retomadas, melhorando tempos de aceleraçao e de resposta no trânsito. O Fusion citado também é mild-hybrid, a diferença está na capacidade do sistema. A implementação em si é basicamente a mesma, só que no Mercedes conseguiram fazer de tal forma que agora é padrão em todo C200 (nao tem uma versão à parte, como é o caso do Fusion).

        • Desculpa em me meter na conversa, mas como você mora na Alemanha não poderia ter o fato da versão que é vendida no Brasil ser diferente da Alemanha ? Ou a mesma versão com ajustes diferentes de powertrain.

    • Lzu

      Muito pelo contrário. O sistema e a eficiência deste mercedes nem se compara ao Fusion e Prius.

  • Jair

    Daqui há pouco os entendidos de plantão começarão a criticar o 1.6 turbo dizendo que é manco, que não anda etc.
    Agora sério, 190 mil é uma babilônia de dinheiro pelo c180 mais acessível , embora seja um excelente carro. Está
    cada vez mais difícil adquirir carros por aqui

    • Filipo

      Cheguei! O C180 é manco, não vale o preço. Deveria ter um motor com performance parecida com o do 320i, pelo preço. Classe C só vale a pena a partir da C200. Valia, pois agora parece que saiu de linha. Entrou a C200EQB no lugar.

      • Mambo Ted

        Tenho 1 c180. Motor é fraco, este valor está absurdo. Conforto e requinte

      • Antonio

        “Tablet” de feira… nossa velho, você bosteja legal em?
        Outra coisa: vale pesquisar um pouco mais antes de chamar um carro de manco. Considerando esse novo motor e as informações da reportagem, o comportamento dinâmico da C200EQB será o mesmo do Audi A4 attraction. 0 à 100 em 7,7 segundos.
        Por fim: valor do carro é muito além do motor que ele possui. Se fosse assim Golf GTI poderia ser vendido por 300k. Quem compra um C180 tá cagan** para o seu comportamento dinâmico, afinal haveria dinheiro para comprar uma C200, enquanto a opinião de uma pessoa que nem é cliente é totalmente irrelevante.

        • Mambo Ted

          Amigo , tenho 1 A4 e 1 C180 . A diferença de torque e pontencia é enorme. Porém quem compra estes tipos de carro são para própria segurança e não fazer de 0 a 100. Mb melhor conforto e acabamento. Audi melhor dirigibilidade e estabilidade é a melhor que já vi. 2 bons produtos, porém o 0km está muito caro na versão 2019.

          • Antonio

            Eu também tenho um Audi A4 da nova geração e vai me desculpar mas ele está longe de ter uma boa estabilidade ou dirigibilidade. Para usar na cidade é ok, afinal ele é confortável, te traz segurança, silencioso… mas a estabilidade dele nem se compara ao do meu antigo carro, por ser tração dianteira, uma BMW 120i, o turbolag alto incomoda e a Volkswagen/Audi precisa equipar um diferencial para evitar que o carro fique destracionando quando você pisa fundo no acelerador.

            • Mambo Ted

              Já tive x4 , 320 e outros , tenho c180 . O A4 é de longe mais estável e com melhor dirigibilidade. Para mim!

              • Antonio

                NÃO PERCEBE TURBOLAG? Amigo, tem certeza que estamos falando do mesmo carro? Do novo Audi A4 com motor de GTI? rs. Se você morar em São Paulo me chama aí para eu fazer um test drive no seu e vice-versa porque parece que estamos com carros diferentes… o seu é qual versão?

                • Mambo Ted

                  Não , attraction. Não moro em sp.

                • Thiago

                  A4 não tem motor de GTI em nenhuma versão. Quem compartilha motor com o GTI é o passat e talvez o novo jetta GLI. O motor do GTI é tranversal e o A4 desde a geração B5 utiliza somente motores longitudinais por causa da plataforma. Além disso, existem inúmeras diferenças nos dois motores como árvore de comandos, ciclo do motor, entre outros. O único carro que compartilha esse motor do A4 ambition (fora da marca Audi) é a Macan 2.0, mas com outra transmissão e algumas diferenças na faixa de torque se não me engano.

      • th!nk.t4nk

        Exagero. O C180 tem 8,9 kg/cv, faz 0-100 km/h em 8,3 s e tem máxima de 225 km/h. Lógico que tá longe de ser esportivo com esses números (afinal é apenas o modelo de entrada), mas dizer que é “manco” é forçar a barra. Entendo que está comparando com o que a concorrência oferece, mas mesmo assim tá longe de ser um carro lento. Enfim, nao é uma compra que se define só pela potência, IMHO. O Classe C é destaque na categoria sobre todos seus concorrents (e vende mais do que todos eles também, no mundo) justamente porque é no conjunto que ele se destaca.

        • Filipo

          Você crê mesmo nesses números? Nunca que um C180 faz o 0-100 em 8,3s. Basta ver potência, torque e peso! Procure pelo desempenho do C180 e do CLA180, que verás o que digo. Tem em várias publicações…
          Fazem o 0-100 em tempo de sedan médio generalista. Se fosse um sedan generalista, teria desempenho bom, ou normal. Mas, em se tratando de um MB, que custa mui caro, posso dizer sim que é manco, é decepcionante.
          Já em relação ao desempenho de 320i e A4 Attraction, nada de mal tenho a falar, pelo contrário.

  • O Coringa

    Será que estão certos esses preços? A diferença de preço entre a Advangarde e a Exclusive é mínima…

    • EMJ

      Estao certos pq a unica coisa que muda entre essas duas versoes da C180 são detalhes de acabamento, sendo a avantgarde mais esportiva com detalhes em aço escovado e estrela cravejada na grade e a exclusive com detalhes de madeira e grade classica mercedes com estrela no capo. Antes da reestilização ambas já custavam exatamente o mesmo valor e acredito que na prática o valor nos concessionarios tambem deve ser mantido igual

    • Desde 2015 o Avantgarde e o Exclusive sempre tiveram o mesmo preço, ou a diferença foi mínima. Ultimamente, no modelo ainda sem a atualização, era o mesmo preço.

  • Rodrigo

    Vejam vcs como a indústria automotiva se renova numa velocidade incrível. Uma marca lança determinada tecnologia, outra vai lá e copia e depois outra,…, Até que aquilo vire benchmark de mercado.
    Há pouco mais de 12 anos a grande maioria de carros vendidos aqui tinham transmissão manual, atualmente em determinados segmentos ela simplesmente foi abolida.
    Ha 10 anos atrás somente carros muito caros ou esportivos adotavam motores turbo com injeção direta, hoje é quase uma heresia um modelo não ter.
    Há 6 anos atrás Onix estreava a Central Multimídia, hoje quase todo carro tem e coitado daquele que não agrega Android Auto e Carplay.
    Logo logo começa a popularização de adaptive cruise control e os volantes que giram sozinho. Amanhã vai ser a tecnologia hibrida nos populares e elétricas nos mais caros. E por aí vai.

    • nbj

      Renovando e aumentado os preços!

  • FFSB

    Preço muito elevado, apesar da qualidade indiscutível do carro. O difícil é gostar deste painel: merecia – e muito – uma atualização completa, com a nova central MBUX. Bola fora da MBenz, ainda mais com o lançamento da nova BMW Série 3, e com a alta qualidade do novo A4.

  • Mauro Banqueiro

    Deve ser o primeiro ou um dos poucos 1.5 com tracção traseira

  • Natán Barreto

    Em breve esses pequenos motores elétricos serão democratizados no Brasil. É uma forma sútil e simples de começar a introduzir tecnologia híbrida.

  • octavio cesar godoy

    Que coisa, colocam um detalhe e aumentam em 30 mil o carro. Absurdo os preços de carros nesse país, lucros aqui sao absurdos, não é só imposto que aumenta o valor, aqui como se vende pouco colocam o preço de dois carros em um, essa é a conta

  • Gutemberg Ferreira

    Passat é muito mais negócio, na minha humilde opinião.

    • zekinha71

      Mas não é o que se vê nas ruas, aliás muitos ex donos de Passat mudaram pra MB por causa das ccs, meu patrão foi um, teve vários Passat e Jetta, mas a ccs deu várias mancadas, mudou pra MB e não voltou mais.

  • Bruno Silva

    Nem um ano esse C180 de entra se encontrava por 138mil, hoje fica em torno de 156-160mil, por 190mil está muito caro. No caso aguardaria a nova geração da Série 3, e dessa vez acho que a BMW pode lançar novamente versões 316i e 318i, com preços na casa dos 150mil…

    • Matheus

      138 mil há um ano? em ago/2016 encontrava por mais de 140 mil

  • Teve mudanças estéticas na linha 2019? Porque na primeira foto aparece um farol com layout interno diferente e parachoques diferentes também. Na segunda foto, o painel é totalmente digital. Isso é real?

  • Lzu

    14 cv? 10% de economia? Sério? É só pra dizer que é hibrido…

  • zekinha71

    Se falar rápido EQ Boost, dá ruim. Apelido de fábrica.

  • Gabriel

    Modelo de entrada aumentou de novo? que surpresa…

  • th!nk.t4nk

    O primeiro artigo da Quatro Rodas está errado, isso te garanto. O segundo está correto ao afirmar que há sim transferência de força do motor elétrico pras rodas, leia novamente. Mas você pode interpretar como quiser, isso nao vai mudar a realidade do funcionamento do sistema ;)

  • th!nk.t4nk

    “A mídia” = um artigo com erro da Quatro Rodas, mas tudo bem haha. Cara, o motor elétrico é acoplado diretamente ao motor à combustao e trabalha JUNTO com ele, entendeu? Nao é só pra dar partida, ele realmente adiciona força (momentânea) ao sistema, que por sua vez é transferida sim às rodas. Em outras palavras: ele atua na tração sim! Apenas nao atua o tempo todo. Nao é preciso ser um Einstein pra entender isso, pelo amor. Esse sistema nao é novidade, funciona bem pra caramba e é barato. A implementaçao, porém, tem que ser bem-feita pra nao dar dor-de-cabeça depois.

  • OtarioBrasileiro

    A MB poderia estender a opção Exclusive (grade clássica e estrela no caput) na C200 também. Tenho um C180 Exclusive e gostaria de trocar pela C200, mas com a configuração clássica, que na minha opinião, deixa o carro muito mais classudo.

  • Eduardo Edu

    Virtual Cockpit da Audi continua dando um banho nesse “Hi Mercedes”. Acesso à endereços e telefones via Google, padrão Google Earth, Street View, nossa, anos Luz. E só na versão de C200 de 230 pau…

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email