Conversíveis Cupês Esportivos Europa Mercedes Benz Sedãs

Mercedes-Benz Classe C deve ganhar versão híbrida plug-in diesel

mercedes-classe-c Mercedes-Benz Classe C deve ganhar versão híbrida plug-in diesel

A batalha pela liderança no segmento de luxo fará com que a Mercedes-Benz atualize novamente a Classe C. Para o mês de março em Genebra, o sedã de luxo alemão chegará com novidades, enquanto as variantes cupê e conversível o seguirão em Nova Iorque, no mês de abril. A ideia é reforçar as opções e tecnologias para deter os rivais Audi A4 e BMW Série 3.



A atualização da Classe C em 2018 se dará por meio da mecânica, com motores a gasolina e diesel atualizados para reduzir consumo e emissões. Neste aspecto, a Daimler assegurará uma versão híbrida plug-in para o luxuoso, mas esta equipada com propulsor diesel. Além disso, a Mercedes-Benz contará ainda com uma opção híbrida leve com sistema elétrico de 48 volts, mas aqui movida por gasolina.

mercedes-classe-c Mercedes-Benz Classe C deve ganhar versão híbrida plug-in diesel

Nas versões comuns, o Mercedes-Benz Classe C 2018 adotará apenas o motor OM654 diesel com 150 cv, 195 cv ou 245 cv, respectivamente para as versões C200d, C220d e C300d. Ou seja, mais cavalaria do que atualmente para ter um melhor desempenho. Com gasolina, a estrela será o novo M264, que substitui o anterior M274.

O propulsor 2.0 vai entregar 192 cv e será equipado com sistema híbrido leve de 48V com um motor elétrico de 18 cv. Esta opção será conhecida como C200 EQ Boost, que também terá opção de tração integral 4Matic. No C300, o M264 entregará 259 cv. Outra novidade será o C400d EQ Power, que empregará o motor diesel OM654 e outro elétrico, cujas baterias de lítio são recarregáveis em fonte externa, garantindo autonomia de 50 km apenas usando energia, permitindo assim que o sedã alcance 402 cv de potência combinada, bem acima dos atuais 279 cv do C350e.

mercedes-classe-c Mercedes-Benz Classe C deve ganhar versão híbrida plug-in diesel

Mas as alterações não param por aí. O Mercedes-Benz Classe C 2018 terá ainda a versão AMG C43 com mais potência em seu V6 3.0 Turbo, mas ainda não se sabe o quanto de acréscimo será feito. Já o C63 terá seu V8 4.0 Biturbo atualizado com novos compressores twin-scroll. Estranhamente, a Daimler vai introduzir uma caixa automática de seis marchas no lugar da antiga de sete, que por aqui foi substituída por outra de nove marchas. A opção manual de seis velocidades permanecerá.

Fora isso, o Mercedes-Benz Classe C 2018 receberá ainda para-choques atualizados, uma nova grade para os modelos AMG, faróis full LED múltiplos e adaptativos, como os usados nas Classes E e S, lanternas traseiras de LED com iluminação refeita, volante com comandos macios, cluster digital e configurável, multimídia com tela de 10,25 polegadas, sistema Command Online 5.5 e novo controle tátil no console.

mercedes-classe-c Mercedes-Benz Classe C deve ganhar versão híbrida plug-in diesel

E tem mais. O Mercedes-Benz Classe C 2018 terá ainda opcionalmente os sistemas Android Auto, Car Play e MirrorLink, bem como carregamento indutivo para smartphones, suspensão pneumática, Dynamic Body Control atualizado, controle de cruzeiro adaptativo com condução semiautônoma (o mesmo da Classe E) e atualização de sistemas do veículo de forma remota (online). Parte dessas novidades deverão chegar ao modelo brasileiro.

[Fonte: Autocar]

 

COMPARTILHAR:
  • Louis

    Esse sistema híbrido leve de 48v deve ser bem interessante, deveriam adotar nos carros mais acessíveis daqui.

    • Handlay P.B.

      Se adotarem essa tecnologia no Brasil certamente levará alguns anos e os automóveis com tal sistema podem ser mais caros que carros comuns, mas seria muito bom mesmo se utilizassem esse sistema nas carroças daqui.

      • Louis

        Mesmo que fosse um pouco mais caro que versões comuns, se converter em economia de combustível seria muito bom, e não seria tão caro como um híbrido tradicional.

        • Handlay P.B.

          Sim, mas aqui é Brasil onde tudo é caro. Não me surpreenderia se um carro híbrido leve fosse significativamente mais caro que um automóvel comum.

          • th!nk.t4nk

            O Brasil tem que desenvolver a própria tecnologia. Aí sim tem chances de fazerem algo que se adeque às necessidades locais. Esses “hybrid-mild” saem barato (poderiam usar motores da WEG) e poderiam sim popularizar em modelos de entrada, combinados aos motores flex. O que falta é iniciativa e ambiente propício pra empreender, infelizmente.

    • Luiz camurça neto

      Noticias confirmam que Toyota está se mexendo no sistema Hybrid para o Brasil. Inclusive mencionam que toda a linha deverá ter versão hibrida em curto-prazo.

      • Victor Porto

        Se já cobram o q cobram em Corolla e Hilux com mecânica “defasada”, imagina com a novidade do híbrido..

  • Handlay P.B.

    Espero que o C com face-lift seja futurista. Legal o C400 EQ Power, este carro pode ter um consumo muito baixo (talvez mais de 30 km/l) restando saber o nível de poluição do motor OM654 com e sem o motor elétrico. O W205 reestilizado deveria adotar o sistema de 48V pelo menos em quase todas as suas versões. Se a central multimídia dele não for touchscreen será o fim.

  • CanalhaRS

    A Mercedes precisa urgente é de uma nova e exclusiva linguagem de design.

  • Felipe Junqueira Netto Branco

    Andei em Portugal numa C 300 Estate híbrida,e o motor elétrico, diferente do que eu imaginava, é bem forte…

  • Marcondes Barroso de Oliveira

    DIESEL HIBRIDO? deve ter um consumo proximo dos 30km/l

    • th!nk.t4nk

      Ou mais. O C200D já faz 20 km/l fácil na Autobahn (se nao abusar).

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email