Europa Mercedes Benz Vans

Mercedes-Benz Classe T será variante de luxo da multivan Citan

Mercedes-Benz Classe T será variante de luxo da multivan Citan

A Mercedes-Benz vai transformar mais um comercial leve em carro de luxo. Esta é a proposta para o modelo Citan, que é a variante alemã do Renault Kangoo europeu, que passará a ser chamado também de Classe T.


A multivan luxuosa não será vendida agora, mas somente em 2022. O modelo deverá concorrer com as versões mais caras da Volkswagen Caddy, por exemplo. O projeto da Classe T também reafirma a parceria entre Daimler e a aliança Renault-Nissan-Mitsubishi.

Seguindo a Mercedes-Benz, a Classe T “atenderá às necessidades de famílias e pessoas de lazer com uma relação preço-valor atraente.”

Então, nesse caso, podemos imaginar o veículo comercial convertido em outro carro, praticamente. Um bom exemplo é a Classe V, que é a variante de luxo da van Vito, que foi produzida na Argentina pela Mercedes-Benz e depois foi retirada do mercado.

Mercedes-Benz Classe T será variante de luxo da multivan Citan

No caso do Citan, praticamente só a carroceria permanecerá na Classe T, recebendo então um novo painel com duas telas interconectadas e possível algo em torno de 20 polegadas.

Também um trim completamente renovado, com materiais de qualidade revestindo as partes que hoje são plásticas, detalhes em preto brilhante, bancos em couro com ajustes elétricos na frente e modulares na traseira, entre outros.

Com três tamanhos, chamados de Panel Van , Dualiner e Traveliner, que variam de 3,94 m a 4,71 m, o Mercedes-Benz Citan emprega dois motores em seu portfólio europeu, sendo um 1.2 M200 que em realidade é o Renault 1.2 TCe, entregando 114 cavalos e 19,3 kgfm.

A outra opção é o diesel OM607 1.5, que é o dCi 1.5 da Renault, entregando 90 cavalos. Provavelmente, o Mercedes-Benz Classe T fará uso do novo motor M282 1.3 litro, que é o Renault 1.3 TCe, usado no Classe A.

Atualmente esse propulsor de quatro cilindros e 1.332 cm3 – similar em porte e volume ao Firefly 1.3 da Fiat – tem versões de 109, 136 e 163 cavalos em uso na Mercedes-Benz.

 

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • El Gato!

    Falando em Mercedes… alguém reparou que o Classe A Sedan, na versão de entrada (Stlyle), lançado exatamente um ano atrás aqui no Brasil por R$ 139,9 mil, está custando hoje R$ 190 mil? R$ 50 mil de aumento em 12 meses… que beleza!

    • David Diniz

      Classe A sedan? Acho que nunca vi uma na rua(ou eu nunca prestei atenção)

    • Sino Weibo

      Agradeça ao famigerado Inovar Auto do antigo governo, que acabou com a concorrência externa, parca, que existia, mas era bem maior que hoje, e pelo dólar alto deste governo.

  • Eric Locatelli Martini

    Só uma sugestão de alguém que entra aqui praticamente todos os dias: não economizem fotos. Por exemplo, nessa materia tem mais publicidade no meio do texto que fotos. Eu, por exemplo, não conhecia esse Citan, tive que sair, ir no Google pra ver. Não precisava, bastava colocar na matéria uma foto do modelo de origem. ;-)

    • Jhon Rolemberg

      Penso o mesmo, gosto muito do N/A acompanho há anos e falta sinto a mesma falta. Principalmente quando há reestilização de um modelo, seria incrível podermos compararmos com o modelo anterior. Meio que uma comparação.

    • th!nk.t4nk

      Concordo. Em tempo: o Citan é apenas um “furgãzinho IKEA”, que faz sucesso em locadoras e frotistas em geral (a Daimler dá condiçoes bem interessantes pra suporte a frota). Pelo visto a Mercedes quer aproximar o produto dos consumidores privados, como uma multivan mais confortável. Vai bater de frente com a VW, que está subindo o nível da Caddy também.

  • cobaiao

    Parece interessante, ela já faz isso com a Classe V / Vito, então acho que segue na mesma linha, aproveitando esse furgão citadino para um mercado de nicho. O Classe X deveria ter seguido essa cartilha também. No lançamento, ficou no meio do muro que foi alardeado como a “Mercedes da picape” sendo que não tinha essa premissa toda. Teria tido mais serventia se fosse anunciado como um utilitário simples e robusto junto a Sprinter, Vito, Citan e posteriormente fazer uma variante de luxo conforme demanda.

  • Cleidson

    A Mercedes de vez em quando surge com umas ideias malucas. Lembram de Classe B, classe R, classe X, o primeiro classe A?

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por 15 anos. Saiba mais.

Notícias por email