Elétricos Europa Mercedes Benz Veículos Comerciais

Mercedes-Benz eVito é totalmente elétrico e tem autonomia de 150 km

mercedes-benz-evito-1 Mercedes-Benz eVito é totalmente elétrico e tem autonomia de 150 km

A Daimler apresenta o Mercedes-Benz eVito, uma versão elétrica da van compacta que já é vendida no Brasil. O modelo está sendo lançado na Alemanha, mas com vendas a partir do segundo semestre de 2018, e ainda não se sabe quando chegará ao mercado nacional. Com foco em entregas urbanas ou transporte de passageiros, onde as restrições aos veículos diesel são maiores, o furgão fica isento de qualquer limitação, não só por conta de seu porte, mas especialmente pela emissão zero de poluentes.



Com preços a partir de 39.990 euros, o Mercedes-Benz eVito já entra em pré-venda no mercado alemão, onde a marca disponibiliza 1.000 unidades com o sistema de recarga Wallbox, além de um pacote de serviços. Mas o modelo não ficará sozinho por muito tempo, pois a Daimler prepara o lançamento da eSprinter para 2019, igualmente 100% elétrica e já sob a nova geração do modelo. Outro que deverá surgir e fechar o trio de comerciais leves elétricos da Mercedes-Benz é o eCitan, derivado do Renault Kangoo europeu.

mercedes-benz-evito-2 Mercedes-Benz eVito é totalmente elétrico e tem autonomia de 150 km

Equipado com motor elétrico de 114 cv e aproximadamente 30,5 kgfm, o Mercedes-Benz eVito vem com baterias de lítio de 41,4 kWh, que garantem autonomia de 150 km. Na hora da venda, o cliente pode optar por limite de velocidade em 80 km/h – maior economia – ou 120 km/h. Além disso, o monovolume vem em dois tamanhos de carroceria: 5,140 mm ou 5,370 mm. O espaço útil para cargas é de 6,6 m3 e a capacidade de carga é de 1.073 kg. O peso bruto total é de 3.200 kg.

Para dar suporte ao Mercedes-Benz eVito, a empresa criou uma rede de concessionárias com consultoria focada na comercialização e operação de veículos elétricos, bem como aplicativo para monitoramento das funções e estado do veículo, programa de treinamento de motorista para atuarem com veículos elétricos, aluguel de veículos para períodos de pico, entre outros.

mercedes-benz-evito-3 Mercedes-Benz eVito é totalmente elétrico e tem autonomia de 150 km

De acordo com a Daimler, o Mercedes-Benz eVito tem custo operacional semelhante ao do diesel, já que o preço mais alto cobre o baixo custo de manutenção e economia com consumo de combustível. A empresa já fechou um contrato de fornecimento de vans – incluindo a eSprinter – com a Hermes, cuja frota terá 1.500 unidades elétricas até 2020.

No Brasil, a realidade de vans elétricas ainda está longe, embora o segmento de comerciais leves na categoria de vans compactas tenha aumentado. Atualmente, apenas duas marcas disponibilizam através de comodato veículos elétricos de categoria semelhante, sendo eles o BYD T3 e o Renault Kangoo ZE, operando em empresas que prestam serviços públicos.

 

  • Mardem

    Não gosto de Van elétrica…
    eu
    eVito!

    HAHAHAHA

    • Diego Lip

      Eu também eVito essa van porque tem pouca autonomia, hahahahaha.

    • Fabão Rocky

      eu
      eVito!
      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
      Rindo até 2030!

    • Pedro Cunha

      huaauahauhauahuahauah
      MITOSO VOCÊ, HEM! HAHAHAHAHAHAHA

  • Silvonei Vieira

    Deveria ter uma autonomia melhor do que esses 150 km

    • th!nk.t4nk

      Aqui pra Europa tá bom demais. As cidades são bem compactas. Nem de longe passam-se horas no trânsito como no Brasil ou EUA. O entregador volta, deixa a van carregando, sai de novo, dá mais uma carga, etc. Eu diria que pra 90% das aplicaçoes seria mais do que suficiente.

    • Pedro Cunha

      Pro padrão brasileiro, numa cidade do porte de Porto Alegre, quando muito esses 150km significam 2 entregas…

  • PedroGolzinho

    150 km de autonomia? nem pensar.

  • Eduardo Sad

    150km pra um carro de trabalho não é nada. E quando a carga acabar? Faz o quê? Dá por encerrado o expediente? Afinal, a recarga deve demorar…

    • Pedro Cunha

      Pessoal dos correios curtiu isso.

  • Wagner Lopes

    Beleza heinnn Mercedes?!….lançar um utilitário com autonomia de 150km….tá faltando verba aí pra P&D???…..kkkkk.

    • th!nk.t4nk

      Acho que vocês estao se baseando no Brasil, mas o produto foi desenvolvido pro mercado europeu. As distâncias, o trânsito, a forma de uso desses veículos é totalmente diferente.

    • Daniel

      De tão “inutil” que é, já vendeu 1500 unidades só para uma empresa…
      O pessoal aqui tem que entender que existem realidade diferente da deles!

      Não é todo mundo que mora na periferia e fica o dia inteiro rodando de carro…

      Meu carro atualmente tem autonomia de 550km em cidade, abasteço a cada 10-12 dias, um eletrico com 150km de autonomia atenderia muito bem pra uso urbano e pequenas viagens. Pra mim e pra uns 93% da população!
      Mas, sempre tem a galera do contra…

  • tiago

    Seria melhor que fosse hibrido com essa autonomia baixa.

  • Hoffmann

    Que autonomia ridícula, a Mercedes deveria ter vergonha de anunciar uma van elétrica, um carro de trabalho, com essa autonomia pífia.

  • José Barbosa

    150 km é uma autonomia suficiente para pequenas e médias cidades. Trata-se de uma “adaptação” sobre uma plataforma pensada para diesel. Mas até eu que entendo, dificilmente entraria numa destas, esperaria um pouco mais e veria algo mais completo.

    • Edson Fernandes

      Pensa o seguinte: 150km é a autonomia estimada. Aí o dono usa ar condicionado, as condições climaticas são mais frias por lá (e isso tende fazer a bateria durar menos) e por aí vai. Ou seja, 150km anunciados que podem cair para 110 a 120km facil. E aí… pense num transito urbano.

      Você está ali parado com o carro ligado… então vai mais autonomia para o saco. 150km não impressiona e é muito pouco.

      Isso é autonomia da epoca em que os lançamentos de eletricos faziam. Atualmente se fala em 250km ou mais.

      Um taxista em SP roda por dia mais ou menos 200km. Se tiver que fazer uma viagem com algum cliente, amplia essa quilometragem. Com um elétrico desses, ele nõa consegue rodar no dia. E eu já vi Leaf parado no meio do dia onde o taxista pegou seu carro a combustão porque já tinha rodado o que dava com o elétrico.

      • th!nk.t4nk

        Eu nao sei Edson. Esses carros elétricos ficam sempre desligados, caso o trânsito pare, entao o consumo vai a zero. Mas no geral o trânsito na Europa é leve. Fora das grandes metrópoles (Paris, Londres) dificilmente pega-se congestionamento (e quando tem, ainda flui, apenas fica mais lento). O que percebo dessas vans estilo Vito: o pessoal usa pra fazer 2-3 entregas e já volta pra loja. Nao ficam o dia todo entregando, como no Brasil. Como tudo é mais perto e tem menos trânsito, a van provavelmente ficaria mais tempo parada carregando na loja, do que nas ruas (no Brasil é o contrário). Enfim, essa é minha percepçao. Creio que pra muita gente seria perfeito.

        • Edson Fernandes

          Então acho que o cara não precisa de uma van e digo mais: Se ela é tão subutilizada assim, uma elétrica muito mais cara não faz o menor sentido. O gasto é pequeno para justificar a compra da versão elétrica.

      • Daniel

        Edson, no transito não gasta nada (só se deixar muito equipamento ligado)
        Meu Cruze já desliga o motor a combustão no congestionamento e isso ajuda um bocado a reduzir consumo!

        Sobre a autonomia… era 100-150km em carros pequenos e leves, né? Não numa van que o PBT pode chegar a 3200kg!!!!

        O Gurgel Itaipu E-400 (o furgão) tinha autonomia de 80km com as baterias tetrapolares… Esse chegou a ser vendido ao publico.
        O E-150 (caixotinho 2 lugares), tinha 60km de autonomia com as baterias convencionais.
        E, estamos falando de decada de 70 e inicio de 80!!!

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend