_Destaque Crossovers Mercedes Benz Montadoras/Fábricas

Mercedes-Benz GLA começa a ser produzido em Iracemápolis (SP)

mercedes benz gla iracemapolis 3

Já responsável pela montagem do sedã Classe C, a fábrica da Mercedes-Benz em Iracemápolis (SP) começou a produzir o crossover GLA. Esta é a primeira vez que veículos com tração dianteira e traseira dividem a mesma linha de produção da montadora alemã, algo obtido graças ao baixo grau de automação da linha. Os dois modelos são best-seller da fabricante no mercado premium brasileiro – o utilitário-esportivo é o mais vendido da empresa no País.

“Ao expandir a produção local no País estamos fortalecendo de maneira consistente nossa competitividade global”, afirma Markus Schäfer, membro do Board Mercedes-Benz Automóveis, Produção e Logística. Para produzir o Mercedes-Benz GLA, a equipe foi treinada na planta de Pune, na Índia, e de Kecskemét, na Hungria, onde puderam se familiarizar com todos os processos produtos com objetivo de replicar esse conhecimento na unidade de Iracemápolis.

mercedes benz gla iracemapolis 1

“Os funcionários estão bastante motivados”, diz Chris Wittke, gerente sênior de Engenharia de Manufatura da Planta de Iracemápolis. “Com o auxílio da rede global de produção, foi possível preparar a nova fábrica da melhor maneira para o início da fabricação do GLA. O time fez um excelente trabalho coordenando a produção dos dois modelos em um intervalo de poucos meses”.

mercedes benz gla iracemapolis 2

Apesar da nacionalização, o GLA segue a mesma linha do modelo importado, com direito a motores 1.6 litro de 156 cv e 2.0 litros de 211 cv, além do 2.0 de 360 cv na versão esportiva AMG.





  • Louis

    Bem sem graça esse GLA, parece um Sandero Stepway com estrela na frente.

    • Sam86

      Mas não parece mesmo!

    • Fernando C.

      Eu não gostava muito desse carro, mas como eu vejo tantos todos os dias comecei a reparar mais nele e com isso achar mais bonito, mas mesmo assim a X1 nova eu considero muito mais bonita do que ele.

    • Pedro Cunha

      É. Esteticamente é bem “ASSANDERADO” mesmo.
      Pelo menos compensa pela mecânica mais refinada.

  • Bugrezilla

    Carro de patricinha quando entra na faculdade de medicina..

    • Do ponto de vista técnico se passar no vestibular de medicina tá mais pra nerd do que patricinha propriamente dito. Podemos até considerar uma patricinha nerd kkkk.

  • CanalhaRS

    Eu gostei da proposta mais crossover da MB em relação ao X1 da concorrente. Mas ele é muito pequeno.

  • Linkera

    “…algo obtido graças ao baixo grau de automação da linha”
    Colocaram isso como se fosse uma coisa positiva. Quanto menor a automação, maior será o preço do carro pois são mais funcionários para manter.
    Sem falar que as máquinas não respondem à sindicatos que atendem aos interesses delas próprias somente.
    Triste saber que mesmo numa fábrica de uma montadora de ponta, estamos na contra-mão da evolução.

    • Gustavo73

      Ele deve ser montado aqui no sistema CKD igual aos BMW/Mini e Jetta/Q3. A carroceria deve vir até pintada.

      • Linkera

        Se for isso mesmo, a matéria está dúbia porque quando lemos “produzido” entendemos que vão fabricar de fato, e não montar apenas.

        • Matheus

          Montado apenas.
          A Classe C flex o manual e os menus são em português europeu (inclusive o áudio do GPS) e em lugar NENHUM do manual está escrito que aceita etanol, pelo contrário fala que não pode nem usar E85. A única indicação de que o carro é flex é dentro da tampa de combustível, ali sim está escrito que aceita E100.

          • Mas do ponto de vista técnico todos os carros não são montados? Simplesmente a montadora compra as peças dos fornecedores e monta o carro. Porque fabricar as peças creio que nenhuma as fabrica. Inclusive pelo que sei até as chapas de aço são fabricadas (moldadas) por terceiros. A única diferença é que boa parte das auto peças é produzida na mesma área da montadora, mas não pela montadora, e sim um fornecedor.

            • Matheus

              Aqui é simplesmente montado, nem pintura é feita aqui. Para ter uma ideia, na Alemanha o para-brisa é colocado por robô, e aqui é manual. A “fábrica” aqui é basicamente um galpão que monta as peças como um Lego. Por isso não há problema em montar as plataformas diferentes da classe C (tração traseira) e GLA (tração dianteira).

        • Gustavo73

          Os BMW/Mini e os VW que citei são assim CKD. Já essas MB não li nada, mas o fato de a mesma linha de montagem fazer produtos tão distintos(plataformas e tração diferentes infica isso.

    • Ⓜ️arcelo

      Ouvi dizer que esse galpão da mercedes em iracemapolis tinha 10 funcionários e agora a foto comprovou, hehehe

  • Alexandre

    Já arrancaram os LEDs diurnos…

    • Cyro

      “nacionalização” = queda qualidade dos carros]menos 1 pra minha lista de compras

      • Alexandre

        Vale lembra que troca de lampadas não é sinônimo de perda de qualidade…

        • Thiago

          Tinha um a versão chamada style (não sei se ainda tem) de entrada que não possuía os leds diurnos e os faróis bi-xenon e a sinaleira traseira também possuía leds na parte superior somente. Externamente essa versão diferenciava-se por não ter a dupla de escapamentos visíveis na traseira, os arcos cromados no teto e o acabamento cromado nas janelas. Internamente tinha bancos normais e não tinha park assist. Era vendida por R$129.900,00, enquanto que a advanced era R$137.000,00 e possuía todos estes ítens. Tinha ainda a vision 1.6 por R$156.000,00 que adicionava teto, banco elétrico, gps e ar digital dual zone. Existiam ainda as versões vision 2.0, sport e AMG.

  • Tosoobservando

    Ja soltaram algum aumento pra comemorar a produção nacional?

  • Bruno Alves

    Até o AMG vai ser montado aqui?

    • Thales

      O AMG Sport, que é só um pacote esportivo. AMG de verdade continua importado.

  • GPE

    Pior compra do segmento. Acabamento mediano, preço surreal, versao de entrada mt pelada, motor frac e nao é espaçoso

  • Martini Stripes

    Espero que o dólar não caia.

  • Tomtilt

    Os únicos beneficiados pela montagem nacional do Classe C e do GLA são os dez funcionários contratados para a linha de produção e a Mercedes, porque o consumidor mesmo, zero benefícios. Tal qual aconteceu com Audi e BMW, os preços continuam na estratosfera.



Send this to friend